1. Spirit Fanfics >
  2. Stray Kids - Um Ou Todos? >
  3. "Me Ama?"

História Stray Kids - Um Ou Todos? - Capítulo 36


Escrita por:


Notas do Autor


Oiee mogis, tudo bem com vocês? ^•^ 🍭😗
Eu ia postar hoje de manhã, mas tive que sair, desculpe a demora para postar.
Bom espero que gostem!
Aproveitem e boa leitura ( ˘ ³˘)♥

Capítulo 36 - "Me Ama?"


Fanfic / Fanfiction Stray Kids - Um Ou Todos? - Capítulo 36 - "Me Ama?"

S / N   O N

Sem conseguir me conter, apenas deixo as lágrimas saírem. Vê-las ali foi muito forte para mim, não esperava por isso. O que elas estão fazendo aqui? Como!? Isso não pode ser possível...

Os meninos, no mesmo instante que me veem cair, correm até mim.

-Você está bem S/N? - Felix põe uma mão nas minhas costas, preocupado.

-Minha mãe, Felix. Minha mãe está na platéia. - Viro minha cabeça para ele, que arregala os olhos. O mesmo olha para a plateia com atenção, vendo minha irmã e minha mãe.

Os meninos me abraçam e eu começo a chorar desesperadamente. Os fãs se perguntavam o por que de eu estar chorando daquele jeito, já que isso foi do nada.

Passados alguns minutos parada naquela posição, eu me levanto e limpo as lágrimas. Vejo a expressão de surpresa de cada um que estava na platéia.

-Calma pessoal, eu estou bem. - Olho para eles e forço um sorriso, fazendo os mesmos gritarem.

-Você quer continuar o show? - Chan sussurra em meu ouvido, colocando uma mão em meu ombro.

-Mas é claro! - Sorrio fechado e vou para a minha posição. Bom né, música nova. E nessa música eu faço rap, wow. E como os meninos disseram, eu faço meio que um barulho de "gemido" no pré-refrão, o que me deixa muito envergonhada, mas tudo bem ksks.

Tento esquecer do que acabou de acontecer e ouço a batida da música. Eu começo com um rap e depois vão os meninos fazendo vocal. Então no refrão eu faço o "gemido" e Felix CANTA. Bom, imagine que perfeito? Em seguida os meninos fazem o rap e vai para o vocal de novo, logo após indo para o refrão em que eu faço o "gemido" novamente e Hyunjin canta. É, se eu fosse Stay e estivesse ouvindo o lançamento dessa música, teria caído durinha no chão viu. Chegando ao final da música, Jeongin e Lee Know fazem um vocal calmo e vai para o refrão, que dessa vez eu canto. Gostei? Não não, eu adorei! Para mim, uma das melhores músicas do grupo.

Nós reverenciamos sorrindo e depois encerramos o show, em seguida indo para o camarim.

-Wow, o show foi muito bom. - Hyunjin diz tirando o chapéu que estava usando.

-Concordo. Me diverti muito. - Eu rio.

-E...por que você estava chorando S/N? - Jisung me pergunta. Só então lembro. Será que elas já foram embora? Acho que sim... Minha mãe deve ter ido no show só para zombar de mim.

-Minha família estava na platéia, mas não precisam se preocupar. Longa história. Bom, resumindo, tive uma briga com a minha mãe antes de ir para a Coréia e não quero mais saber dela. - Falo para eles.

-Ah, okay então. - Jisung disse. - Bom gente, vamos voltar para o hotel?

-Hm, estava pensando em irmos em algum restaurante, o que acham? - Minho sugere. É, até que é uma boa ideia, eu estava morrendo de fome.

-Boa ideia, vamos, eu conheço um restaurante aqui perto que tem comidas maravilhosas. - Digo rindo e nós saímos do local do show, mas logo que saímos nos deparamos com 3 pessoas do lado de fora...

-Ah, S/N! - A garotinha corre até mim e pula no meu colo. Só pela voz já reconheço quem era.

-A-Aylla... - Eu começo a lacrimejar e fecho os olhos, apenas aproveitando aquele abraço maravilhoso que eu desejava a tanto tempo. Passaram-se alguns minutos que eu estava abraçada com Aylla, então nos soltamos. - Que saudade de você, minha pequena. - Abaixo na altura dela. - Você cresceu bastante hein. - Dou um sorriso para ela enquanto bagunçava o seu cabelo.

-Também estava com saudades de você. Por que você foi embora? - Ela faz uma cara de choro.

-E-Eu... Eu precisava ir embora. - Forço um sorriso fechado. Eu me levanto e me assusto com o homem que via. - Wow, Miguel!? Meu Deus, que saudade. - Vou a encontro dele e o abraço com vontade. - Mas não era para você estar nos EUA? - Pergunto, achando estranho a presença dele aqui no Brasil.

-Vim para cá quando soube que você faria um show aqui. Não poderia perder o primeiro show da minha maninha justo no seu país de origem. - Ele dá um sorriso de canto de boca e retribui o abraço.

Quando eu e Miguel nos soltamos, o mesmo se afasta e eu vejo ela, minha mãe, com um sorriso estampado no rosto e os braços abertos vindo em minha direção, mas eu desvio.

-Ei, você não. - Fico com uma expressão séria.

-Por que filha? - A mesma abaixa os braços e olha para mim, triste.

-Eu não sou sua filha e você não é minha mãe, okay? Me deixe em paz. - Faço cara de nojo para ela.

-Mas eu já te pedi per...

-Não, eu não quero seu perdão. Entenda que eu nunca vou te perdoar. - A interrompi rapidamente.

-Por favor S/N, me perdoe pelo o que eu fiz. Eu me arrependi dos meus atos incorretos. Sei que estraguei a nossa família, mas agora me tornei uma pessoa melhor e prometo não fazer mais isso. - Ela põe a mão no meu ombro.

-NÃO ENCOSTE EM MIM. - Seguro seu pulso com força, encarando seus olhos com um olhar cheio de ódio. Vejo a mais velha começar a lacrimejar. - Você já prometeu se tornar uma pessoa melhor uma vez e não cumpriu com a sua promessa, eu não irei te dar uma segunda chance. EU TE ODEIO!

-Você está entendendo o que eles estão dizendo? - Lee Know sussurra para Bang Chan.

-Não... - Bang o responde.

-Eu também não, parece que eles estão invocando alguma coisa. - Ele franze as sobrancelhas de um jeito engraçado.

-Vamos embora, não quero continuar aqui. - Falo com os meninos em coreano e entro na limosine. Meio confusos, eles entram atrás de mim e logo fecham a porta. - Vá rápido, por favor motorista. Vamos para um restaurante, eu mostro onde é.

Quando paro de falar, olho para a janela na direção deles e vejo o rosto triste de cada um, mas o de minha mãe estava pior. O carro começa a andar e, de longe, eu vi em poucos segundos a mulher desmoronar e desabar em lágrimas. Parece que aquela cena passou em câmera lenta. O ruim é que depois não consegui esquecer aquela cena. Ela latejava na minha cabeça o tempo todo, mas logo me distrai com os meninos e consegui esquecer.

Chegamos no restaurante que eu tanto gostava. Saio do carro e olho a entrada de cima a baixo. Continuava a mesma desde que fui embora. Sempre vinha aqui depois da escola para almoçar e a comida era maravilhosa, parecia até que depois de comer o gosto continuava na boca. Ainda mais que eu conheço os donos desse restaurante desde pequena. Nossas famílias eram muito próximas.

Me lembro de meu melhor amigo de infância, filho dos donos do restaurante. Todo dia eu brincava com ele depois da escola e nossas famílias sempre se viam nos domingos para um churrasco. E isso era da época que meu pai era vivo, já que os dois homens da casa eram amigos desde a adolescência. Depois da morte de meu pai, as famílias foram se afastando cada vez mais, até chegar ao ponto de nem nos vermos mais. E nem consegui me despedir de Guto...

Os meninos esperavam eu entrar no restaurante juntamente com eles. Entro timidamente e ouço a melodia do sino da porta ecoar pelo local. Eu sentia falta até mesmo desse sino! Olho para os cantos e vejo que o restaurante estava quase cheio, com algumas mesas vagas. Nos sentamos em uma mesa grande e espaçosa quase próxima a saída.

-A comida daqui é boa? - Jeongin falou se aconchegando na cadeira.

-Se eu trouxe vocês aqui, é porque é né. - Dou uma risada descontraída. - Eu almoçava aqui todos os dias depois da aula. Minha família sempre foi amiga dos donos deste restaurante.

-Hmm, muito bom! - Chan bate palmas de um jeito fofo. - Pessoal, coloquem as máscaras!! - Ele nos alerta e colocamos no mesmo segundo. - Ufa, ainda bem que ninguém nos viu. - Ele olha em volta.

Esperamos por alguns segundos até que olho para trás e vejo o garçom vindo. Era o Guto! Continuava com o mesmo cabelo cacheado loiro de antes. Lembro que o chamava de miojo por causa do seu cabelo, rsrs. E os seus olhos verdes que eu amava tanto! E, caramba, aquelas sardas lindas! Quase não aparecem, mas são muito lindas. O garoto estava bem mais alto da última vez que o vi. Claro, se passou 1 ano, como não mudaria?

Me desviando um pouco de meus pensamentos sobre Guto, ele se aproxima da mesa.

-Olá, sejam bem-vindos. O que vão querer comer? - Guto pergunta e os meninos ficam sem entender nada, pois não entendem nossa língua. E eu estava apenas encarando Guto, que estava ao meu lado. Acho que ele percebe, pois começa a me encarar também. - Hmm, o que vão querer?... - Pergunta novamente, vendo que ninguém o respondeu.

Enquanto esperava a resposta, ele me encara sem desviar o olhar de mim.

-Olá Miojo. - Falo e o garoto começa a escrever o pedido, mas então levanta a cabeça lentamente e olha para mim com as sobrancelhas franzidas.

-Vai querer miojo? - Disse. Eu dou uma gargalhada.

-Sério que não me reconhece Miojo? - Abaixo a máscara com um sorriso exagerado e fofo. Os meninos, ao me verem fazer aquilo, logo brigam comigo. - Calma pessoal, ele é meu amigo. - Digo em coreano para eles.

-S-S/N!? Meu Deus!! - Guto arregala os olhos e vem até mim, me abraçando. - Wow, quanto tempo. Por que foi para a Coréia sua chata? Me abandonou aqui... - O garoto faz um beiço.

Retribuo o abraço.

-Eu tive de ir, tive um problemas com a minha mãe... - Forço um sorriso ao nos separarmos do abraço.

-Esses são os garotos do Stray Kids? - Diz olhando para eles.

-Sim, são eles mesmo.

-Uuh! Nice to meet you, my name is Guto (Prazer em conhecer vocês, meu nome é Guto) - Guto cumprimenta cada um dos garotos. O mesmo disse em inglês, já que não sabe falar coreano.

-Pleasure Guto, we are Stray Kids (Prazer Guto, nós somos o Stray Kids). - Felix nos apresenta com um sorriso. Coloco a máscara novamente para ninguém me reconhecer.

Nós fazemos os nossos pedidos.

-Eu vou ter que trabalhar agora, então depois falo contigo tá'? - Guto fala comigo antes de ir atender os outros clientes.

-Quando eu estiver saindo passo meu número.

Esperamos por alguns minutos, até que trouxeram o pedido. Os meninos experimentaram e acharam uma delícia! E eu concordo com eles. A comida desse restaurante é realmente muito boa.

Terminamos de jantar e pagamos. Os meninos resolveram ficar conversando dentro do restaurante mesmo. Antes de sair do restaurante, passo meu número para Miojo. Nos despedimos e dou um abraço bem apertado no mesmo. Tínhamos muito o que conversar.

Quando abro a porta da saída, sinto alguém pegar em meu pulso.

-Ei, toma, comprei para você. - Viro para trás e me deparo com Felix me estendendo uma garrafa de Coca-Cola de 600 ml.

-Ah, obrigada. - Sorrio fechado e pego a Coca-Cola da mão dele.

-S/N e...beba sozinha, okay? - Ele disse.

-Okay. - Estranho um pouco e saio, sentando em um banco na calçada, em frente a um parque iluminado e esverdeado. Abro a Coca-Cola e bebo um gole, observando algumas crianças brincando no parque e casais apaixonados embaixo das árvores ou sentados nos bancos. Quando vou beber outro gole da garrafa, vejo algo escrito com caneta preta no topo da garrafa. - Mas o que é isso?

Estava escrito: "Complicada e perfeitinha, {...}".

Eu bebo mais um gole e surge outra frase escrita com a caneta: " {...} você me apareceu. "

Isso me parece familiar... Bebo outro gole morrendo de curiosidade. A próxima frase foi: "Era tudo o que eu queria ."

Meu Deus! Não pode ser... Eu bebia cada vez mais para saber a próxima frase. "Estrela da sorte."

Essa é a minha música brasileira preferida! Ela me representa tanto, caramba! Mas como que...? Na metade da Coca-Cola, vejo que tem mais coisas escritas então bebo novamente.

"Chata pra' cacete, {...}".

Fecho a cara ao ler aquela frase. Oxi! Que audácia é essa!? Com o líquido quase acabando, bebo mais um gole e me surpreendo com a frase que havia ali.

" {...} mas o amor da minha vida."

Tampo a boca ao ler aquilo. Como assim!? Só pode ser brincadeira do Felix...!

Tomo o penúltimo gole, vendo que as frases já estavam acabando.

"É difícil de acreditar, {...} ".

Um pouco receosa, tomo o último gole da Coca-Cola e leio a última frase atentamente.

" {...} mas eu te amo. "

COMO ASSIM? Wow, o que foi que eu acabei de ler? Olho para trás em direção a vitrine do restaurante e vejo Felix me olhando de longe. O mesmo sai correndo ao ver que eu o achei. Ué, m-mas...

Felix me ama?...



C O N T I N U A . . .


Notas Finais


E aí mogis??🌹🍥
Eu amei a declaração do Felix, rsrs 🍭😗✌🏻

Besuuus da Mommy 🌈💙😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...