História "StreamWar" - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Felipe "YoDa" Noronha
Personagens Felipe "YoDa" Noronha, Personagens Originais
Visualizações 1
Palavras 2.064
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Levem no mais "esportivo" possível, feito de um fã, apenas para fins de diversão! <3

A fanfic é dedicada para o Pato Papão e fãs.

Capítulo 1 - O império contra a resistencia.


YPato – A temperatura está boa, acho que devemos colocar mais sal e...

Pato era interrompido pelo barulho das portas do salão se abrindo, era um Patolico sentinela, ofegante ele mal conseguia falar.

YPato – O que está acontecendo?

Patolico – Yami... Pato... Há um, enorme exército, marchando em nossa direção... Do norte!

YPato – Exército? Mas quem? E por quê? Deve ser besteira.

Uma explosão estremecia as paredes da cidadela, alguns alunos patolicos se assustaram, o que faz Pato mostrar sua calma.

YPato – Bem, deixamos o MasterChef para depois que eu resolver esse problema.

Pato e o Sentinela saíram para fora da Cidadela, uma fumaça e movimentação dos guardas apontava para o norte da cidade. Patopalandia apesar de pacifica era completamente cerca por muros de batalha, e também tinha fieis Patolicos guerreiros que defendiam esses muros.
Pato não demorou para chegar no local, havia muitos escombros espalhados no meio da fumaça e alguns guardas já caídos no chão.

YPato – O que aconteceu aqui?

Patolico guerreiro – Yami Pato! Fuja!

Assim que a fumaça abaixou, Pato pode ver uma imensa máquina de guerra passando sem dificuldades pelos escombros, em cima da mesma, algumas figuras conhecidas por ele começariam a surgir.

Yoda – PatoPapão, eu reivindico a Patopalandia em nome do Império Yodista!

YPato – Ah, que porra é essa Yoda? Você quebrou meu muro pra fazer uma piada dessa...

Antes que pudesse continuar, a enorme máquina disparava outro tiro, a enorme bala explodia nas costas de Pato o lançando inconsciente no chão.

YPato – Que droga... Foi essa?

Com muita dificuldade, Pato acordava aos poucos, seus sentidos estavam bagunçados, pareciam funcionar apenas 20%. Mas ele pode perceber que era carregado para longe onde muitos estavam lutando.

 - Pato? – Uma voz conhecida chamou

YPato – Element?

Element – O Patola, que susto que tu me deu! Ainda bem que chegamos a tempo.

Rakin – Cuidado! – Contra eles veio um machado, mas foi parado por um guarda de areia que bloqueava com seu escudo, invocado por Rakin.

Pato apagava novamente, Element erguia sua mão chamando por um “canhão aliado”, este conseguia disparar inúmeras balas e gerar uma ótima chance de fuga deles.

Algumas horas depois Pato acordava, ainda bastante atordoado sentia todo seu corpo doer.

Rakin – É isso... Cabo cidades...

Element – Isso, óóó, não vai ficar assim.

YPato – O que aconceteu?

Rakin – Oi Pato, que bom que acordou...

YPato – Gente, só me explica por favor.

Element – É o Yodinha, ele surtou, o maluco surtou Pato.

Rakin – Depois de perder suas raposas, Yoda realmente surtou, ele decidiu dominar todos os reinos, de ponta a ponta... Primeiro falou com quem ele sabia que teria apoio...

Element – BrTT, Gratis, Narebinha...

Rakin – Depois, forçou alguns reinos que devem algo a ele...

Element – Jukera ta lá contra a vontade, certeza...

Rakin – E quando conseguiu reunir um exercito que ninguém consegue parar, ele marchou em direção aos reinos, eu e o Element tentamos chegar antes dele até a Patopalandia, mas foi tarde... Ele agora está a caminho de outros.

Element – Segundo as coordenadas dos Elementolas infiltrados, eles estão indo para a capital da cachaça...

YPato – AXt... Temos que ir até lá, falar com eles.

Element – Esquece essa falar Patinho, temos que sentar o cacete neles mesmo, só que é impossível, tem muita gente, e ó, os Patolicos, Nórdicos e Elementolas tão preso nas cidades.

YPato – Mas eu não luto não cara... Mas vamos reunir quem conseguir para ir até eles.

Rakin – Eu pensei nisso Pato...

Das sombras que a luz do fogo da fogueira não alcançava, algumas silhuetas iam surgindo, se alongando e deixando algumas notas de dinheiro cair, Yetz, seguido de Leko carregando um revolver com apenas uma bala e um homem com uma máscara com um ponto de interrogação nela.

Rakin – Obrigado pelo apoio pessoal,daqui algumas horas iremos até a cidade do Axt, lá vamos montar a emboscada como foi combinado.

YPato – Quem é esse ai?

Rakin – Esse é nosso estrategista, ele não fala, só se comunica por símbolos.

YPato – Ah, é o Cellbit...

Se passaram algumas horas, o suficiente para o Pato Papão se recuperar e todos se prepararem, o “Império Yodistas” marchava em direção a capital da cachaça, sem fazer idéia da resistência.
O Império era liderado a frente por uma maquina de combate, que carregava todos os aliados do Yoda, isso abriu um espaço para Cellbit isolar toda a legião de exercito, o gênio criou uma imensa barreira atrás deles quando se aproximaram, uma barreira de códigos impossível de ser penetrada. Mas isso o forçava a dedicar total atenção a barreira, para que ninguém fosse capaz de passar. O seu capacete mudava a expressão de “?” para “!”
Os códigos que escondiam a resistência caiu, a maquina reduzia a velocidade e podia se perceber que ela mirava neles.

Yoda – Eu sabia que não ia precisar ir até vocês... – Ele logo apontou sua adaga na direção deles, mas antes que a maquina pudesse disparar contra eles, Leko segurava uma espécie de canhão tecnológico, ele se posicionou jogando duas pequenas esferas que criaram um campo de luz, e logo disparou uma potente esfera de energia, que ao passar pelo campo se intensificou, se chocando e destruindo parte da máquina de destruição. Todos saltaram para longe antes do impacto.

Rakin – Certo, vamos combater cada um deles com nosso melhor. Contamos com você Pato.

YPato – Não pessoa, eu não sou como vocês, eu não uso poderes nem nada, eu sou só: Haha Pato papão lives todos os dias!

Ytez – Muleque se ta tirando né? Te salvamo o toba, e agora na frente dos cara tu vai arrega? A não Pato... – Yetz resmungava enquanto caminhava na direção deles, ele colocava uma venda vermelha nos olhos e seguia justamente para confrontar Jukes. Já Leko transformava seus canhão em um machado tecnológico, e corria passando pelo campo de luz, ganhando muita velocidade, para se encontrar com Gratis

Rakin – Pato, essa é a hora de lutar pela sua família e amigos! – Os olhos de Rakin brilhavam, um campo a volta dele de runas começava a surgir, Pato deus alguns passos para trás enquanto Rakin sumia, ressurgindo próximo ao BrTT. Element passaria “surfando” em uma lâmina, enquanto era seguido por outras, correndo na direção do Yoda.

YPato – Ta tudo certo, vocês ganham!

Yetz lutava com muita habilidade, vendado utilizava do som para desviar e contra atacar na hora certa os golpes de Jukes, que era demasiadamente lentos com sua espada.

Jukes – Tava afim de brigar não hein... – Ele parecia errar propositalmente diversas vezes, até receber um potente chute, era como um fogo queimando em seu estomago, que lançava Jukes para longe, logo em seguida uma onda sônica vinha em sua direção, com um movimento, ele manipulava o ar, criando uma barreira com o vento, em seguida ele lançava uma rajada deste mesmo vento, se jogando contra Yetz, deferindo inúmeros cortes no ar.

Leko saltava furioso para cima de Gratis, que apenas colocaria uma espécie de maquina no chão, com alguns movimentos ele continuava caminhando e colocando mais máquinas, todas iam sendo destruídas uma a uma por Leko.

Leko – Por que comigo é assim!

Seu martelo novamente se tornava um canhão e no exato momento de disparado uma máquina se tornava inquebrável, com um brilho imenso caindo sobre ela, alguns segundos outra pessoa surgia ali, rodando um poste de luz e desviando de todos os disparos, o homem se posicionava para lutar.

Lep – Vamos lá!

Na outra direção, Rakin lançava inúmeros golpes com magia rúnica, porem BrTT conseguia repelir com o próprio aço de seus machados,  ele então começava a girar os mesmo insamente.

BrTT – Coé! Eu não paro não hein! – Começaria então a lançar eles sem cansar. Rakin desviava de alguns enquanto corria, seus olhos paravam de brilhar e se tornavam amarelos, logo, ele erguia uma cópia sua feita de areia mais próxima de BrTT  e começaria a deslizar em sua direção, passando para suas costas e fazendo surgir diversos soldados de areia que iam contra BrTT. Em alguns segundos o tempo pareceu parar para Rakin, ele olhou a volta e percebeu todos sumirem, até mesmo o BrTT.

Rakin – Mas o que?

Logo inúmeros BrTTs começaram a surgir, eles eram diferentes, alguns vestiam roupas diferentes, outros pela metade, de cabeça para baixo, era algum tipo de ilusão, Rakin estava no BrTTverso.

Element – Ai Yodinha, escuta só uma coisa, eu vo te bate tanto, que não vai ter lugar pra enfiar outra coisa nessa tua...

Antes que ele pudesse terminar de falar, sentia seu estomago arder e sua boca sangrar, a sua frente surgia aos poucos um sorriso macabro.

Element – Ah... Nareba...

Pimpimenta limpava sua adaga enquanto Element tombava no chão. Yetz estava tendo certas dificuldades agora que Jukes levava a sério a batalha, mas outro bom chute quase levou o Samurai ao nocaute, porém novamente não pode finalizar, um estandarte caiu em sua frente, e logo foi acertado por uma lança de batalha, Ookina se apresentava para ajudar Jukes e derrubar Ytez.
Leko conseguia arrancar sangue de Lep e Gratis, mas também sucumbia ao dois contra um.
Pato via todos seus amigos cair aos poucos, uma mistura de sentimentos ia crescendo, e ele ia relembrando de quando a muito tempo era tão forte quanto eles.

YPato – N-Não... Eu não.. – Suas mãos a cabeça, puxando seus cabelos com extrema força enquanto aos poucos perdia a sua própria consciência. – Não... Eu não posso... Eu...
Pato ficava em silencio, enquanto Yoda e Pimpimenta iam se aproximando aos poucos.

Yoda – Acabou Pato, você já durou demais.

YPato – Xelo...

Yoda - ?

YPato – Qué... Xelo...? – Pato sorria mostrando enormes presas em sua boca, o ar começava a esfriar, ele erguia o rosto mostrando um sorriso insano e seus olhos azuis como o gelo verdadeiro – Toma xelo! – Ele vociferava erguendo sua mão, fazendo um pilar de gelo sair de baixo de Pimpimenta, lançando ele para longe. Pato começaria a correr em direção a Yoda, mas enquanto corria, mais dois braços surgiam e com estes começaria a criar uma imensa bola de neve

Yoda – Eoq? Rapido Jukes, para ele!

Jukes – Mec pô, tu provoco, agora se vira ae.

Yoda – Séloiro Pato?! – Ele logo abria os braços gritando na direção do Pato, que ficaria petrificado, mas a bola de neve seguia até Yoda, também o lançando para longe. A petrificação de Pato não duraria muito, logo começaria a rachar e dessa rachadura dois braços verdes se estendiam até Lep e Gratis, fazendo um ser jogado contra o outro. A pedra por inteira agora se quebrava e pato estava no ar, indo em direção ao BrTT, que sem muito tempo era pego por inúmeras faixas lançadas por Pato, que rapidamente se aproximava acertando uma violenta cabeçada no mesmo.

Rakin acordava finalmente da ilusão e via todos caídos, porem Pato socava violentamente a barreira feita por Cellbit, que pedia ajuda com o símbolo de perigo em seu capacete.

Rakin – Pato?

YPato – Xelo? – Ele fazia congelar toda a área em sua volta, correndo contra Rakin, antes que ele terminasse de atacar o mesmo, parecia sofrer algum tipo de colapso e caia no chão.

Rakin – Pato! Meu deu do céu... – Ele corria até o Pato, enquanto por fim Yoda e outros estavam em pé recuperados vindos para cima deles. Um som era percebido por Rakin, de inúmeros morcegos voando, logo surgia saindo de sua invisibilidade na frente deles, disparando inúmeras vezes contra o império.

(Tocar Hiroyuki Sawano Perfect Time)

Hastad – Vá vá, core Rakin, eu seguro eles tu acorda o Patito para bater nesses mierdas!

Rakin ia começar a puxar a puxar Pato, porem o mesmo começou a se levantar aos poucos, seu corpo não parecia mais suportar outra dose dos poderes descontrolados que ele tinha preso dentro de si.

Rakin – Pato, vamos para a cidade, rápido, não precisa lutar mais, você não vai suportar.

YPato – Ta tudo bem... Agora e entendi... – Ele caminhava passando por Yoda, que abaixava sua besta. – Esse não era meu poder não é?

Yoda e os outros olhavam estranhamente, parando de avançar.

YPato  - Eu nunca fui um controlador de campeões, eu sou...

Uma intensa luz começava a brilhar de Pato papão, podia ver asas saírem de suas costas.

YPato – Um digiescolhidos! – A luz se intensificava, fazendo se tornar impossível olhar diretamente para ele. Quando a luz se amenizou, Pato estava com uma armadura dourada e branca, asas de luz e segurava um cajado semelhante. Sua voz ecoava sobre o local onipresente – Eu sou Shoutpatomon x7 Superior Mode! E agora irei julga – los!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...