1. Spirit Fanfics >
  2. Street dance >
  3. Uma verdade

História Street dance - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Uma verdade


Fanfic / Fanfiction Street dance - Capítulo 6 - Uma verdade

BAKUGO 

Estava na sala de dança, esperava o resto do pessoal chegar pra fazer um ultimo ensaio antes do dia de gravar o vídeo e postar no YouTube. O Midoriya conversava com o Todoroki e eu queria distância da Yuna, apesar de saber que vou dançar com ela. O Kirishima tinha a sorte de dançar com a Ashido, que é a garota que ele gosta e eu, bem... O lado positivo é que dançamos separados no vídeo, afinal a coreografia é em grupo e não em casais. 

Midoriya: Prontinho... Já chegou todos, então vamos ver como vai ficar. 

Kirishima: E como vai ser? 

Midoriya: O Kacchan será o centro das atenções. Um pouco mais atrás do Kacchan vem o Kirishima e eu, depois a Mina, a Ura-chan e a Tsuyu, enquanto os demais ficam atrás. 

Eu: Porque eu fico na frente? 

Midoriya: Porque eu quero, ué. 

Yuna: Mas eu quero ficar perto do Bakugo, não atrás. 

Midoriya: Ou fica atrás, ou não vai dançar, Yuna. 

Yuna: Você não é o líder, nerd. 

Midoriya: Por acaso você é uma coreógrafa? Não, né? Então faz logo o que eu mandei. 

Yuna: Bakugo, fala alguma coisa! 

Eu: Cala boca e faz o que ele está mandando, Yuna. 

Yuna: O que? 

Eu: Ele é o coreógrafo aqui e você é a pessoa que vai fazer como ele está mandando, entendeu? 

Yuna: Ah, eu não vou dançar com esse nerd mais. - saiu da sala. 

Eu: Já vai tarde. 

Kaminari: Bem... Agora somos só dez pessoas. 

Kirishima: Sabe, reparando bem, a nossa coreografia do vídeo parece um pouco com luta. 

Midoriya: É que eu misturei luta e dança, assim vamos ter um estilo único na competição e vamos chamar mais atenção na escolha do vídeo. 

Eu: Podemos fazer isso? 

Midoriya: Street dance é um estilo livre onde você dança como quiser, por isso podemos fazer isso. 

De certo modo, street dance é um estilo de dança que te dá total liberdade pra dançar. Que bom que eu escolhi um garoto que dança street dance, mas ele também é bom em outros estilos como hip hop ou até balé, afinal a Ashido falou isso alguma vez. Sou louco pra ver esse garoto dançar funk. Já imaginou aquela bunda gostosa rebolando ou descendo até o chão? E se ele souber dançar pole dance também? Assim eu passo mau...

Quebra de tempo

Era de noite e eu estava no terraço do dormitório, sentado no chão, onde eu não seria perturbado por ninguém e alí tinha uma brisa agradável. Queria uma pausa da bagunça que estava a minha vida recentemente e aqui seria um bom lugar pra fugir dessa bagunça. Pra falar a verdade, ser rejeitado pelo Midoriya é muito frustante. Não que eu pensei que o Midoriya se entregaria fácil, mas essa é a primeira vez que realmente gosto de alguém, mas ele tem algum problema e não quer me contar. 

Eu: Que frustante Katsuki. Como é que você se apaixona por alguem e não sabe o que fazer? Você não é o mestre nas conquistas? Chega a ser patético! 

Ashido: Falando sozinho? - sentou do meu lado. 

Eu: Ah, é você, alienígena. 

Ashido: Não me diga que você se apaixonou pelo Izuku? 

Eu: Isso não importa... Ele já deve amar alguém ou deve me odiar porque eu me afastei dele na infância, afinal eu fui praticamente rejeitado. 

Ashido: Ele te rejeitou? 

Eu: Na verdade, ele pediu pra mim provar que não vou abandonar ele. Mas acho que ele foi piedoso em falar isso. 

Ashido: Idiota. - sorriu - O Izuku é apaixonado por você, mas tem todos os motivos pra ficar longe de você. 

Eu: Motivos? 

Ashido: O Izuku tem medo de ser abandonado. Você não sabe como ele está sofrendo. 

Eu: Não vou abandonar ele. Mas o Izuku não confia em mim e eu entendo ele depois de tudo. 

Ashido: Izuku? - olhou pra trás. 

Midoriya: Kacchan, eu quero falar com você... 

Ashido: Eu já vou indo. - levantou e entrou no dormitório. 

Eu: Desde quando você está aí? 

Midoriya: Olha... Eu não te odeio por ter se afastado. Não sou perfeito e namorar comigo seria um erro. 

Eu: Um erro? - me levantei - Mas não é um erro, Deku. 

Midoriya: Kacchan, não consigo te contar meu motivo pra te rejeitar, mas o Kirishima já sabe e vai te contar. 

Eu: Deku... - estendi minha mão e ele se afastou - Espera, eu... 

Midoriya: Só... Não conta isso pra ninguém, por favor... 

MIDORIYA 

Depois de falar com o Bakugo, vi o Kirishima ir falar com ele, então eu fui pro meu quarto. Liguei pro Yude, o meu irmão e ele não demorou pra atender. 

Ligação 

Eu: Mano, eu tô com medo. 

Yude: O que houve? 

Eu: No exato momento, o Bakugo deve está sabendo daquele trabalho. 

Yude: Você fala como se tivesse trabalhado como garoto de programa. 

Eu: Tem razão. Mas gogoboy não é lá uma profissão digna, mano. 

Yude: Relaxa, vai. Se o loiro não te querer, meu amigo Natsuo tá disponível pra você, hein. 

Eu: Ele não faz meu tipo. E somos apenas amigos, hein. 

Yude: Você tem um gosto muito peculiar pra arrumar alguém. 

Eu: Mano, você não o conhece pra falar assim dele. 

Yude: Tem razão. Você é o único que realmente conhece ele. 

Eu: Mas esquece meu problema, tá? Me diz, como você está? 

Yude: Estou bem. Só estou meio brigado com o Shindo. 

Eu: Brigaram? 

Yude: Briguinha besta. Olha, ele já está me mandando mensagens. 

Eu: Vou desligar então. Sei que já vão ter uma conversa daquelas muito picantes e não quero atrapalhar. 

Yude: Te desejo boa sorte com o projeto de Nagasaki e Hiroshima. Você merece ser feliz e se não for com esse loiro, vai ser com outra pessoa. 

Eu: Valeu, mano. 

Yude: Por favor, dorme bem. 

Eu: Tá bom. Tchauzinho. 

Yude: Tchau tchau. 

Ligação off

Guardei o meu celular e peguei a minha toalha, então fui tomar banho só pra relaxar. Bem, o trabalho de gogoboy foi uma emergência, afinal a minha mãe adoeceu e eu precisei fazer isso só pra pagar as contas.. Desliguei o chuveiro e me sequei, então eu enrolei a toalha na cintura, daí eu saí do banheiro. Porém, o Bakugo estava sentado na minha cama e eu corei violentamente, mas o loiro tá sério e isso é ruim. Eu olhei pra baixo e ele se levantou, então veio até mim, me deixando nervoso. 

Bakugo: Idiota... - me puxou pra um abraço apertado - Não vai se livrar de mim assim tão fácil, Deku. 

Eu: Kacchan... 

Bakugo: Não desistir de você, tá? 

Eu: Kacchan... - o agarrei - Me diz como entrou no meu quarto? 

Bakugo: A cara de bolacha tem a cópia da sua chave e abriu a porta pra mim. - se afastou um pouco. 

Eu: Preciso trocar de roupa. Não se importa de esperar um pouco? 

Bakugo: Eu vou pro meu quarto e podemos conversar lá? 

Eu: Tá bom. - sorri. 

Bakugo: Vou deixar a porta aberta pra você. - bagunçou meu cabelo. 

Eu: Depois eu vou lá. 

O Bakugo saiu do meu quarto e eu fui trocar de roupa. Eu admito que não esperava que o loiro insistisse em mim mesmo sabendo que fui gogoboy.. Mas é muito bom ter ele por perto. Coloquei uma roupa qualquer e sai do quarto, dai eu abri a porta do quarto do Bakugo e o loiro estava sentado no chão enquanto lia um livro qualquer. Ele olhou pra mim e fechou o livro, então eu fechei a porta e ele se levantou. 

Bakugo: Deku, posso te fazer uma pergunta? 

Eu: Pode. 

Bakugo: Porque ficou com medo de me contar que trabalhou por uns 8 meses como gogoboy? 

Eu: Han... É que... É vergonhoso e e-eu achei que você não g-gostaria de saber... Ah, isso é vergonhoso. 

Bakugo: Eu fiquei surpreso, mas eu meio que gostei de saber isso. 

Eu: Que? 

Bakugo: Qual é, gogoboy dança e faz strip. Deku, eu sou safado, tá legal? 

Eu: Ah, Kacchan! 

Bakugo: Vai me dizer que você não gostou nem sequer um pouquinho do trabalho de gogoboy? 

Eu: Herh... 

Bakugo: Viu só? 

Eu: Ah, é que eu aprendi muitas coisas sendo gogoboy apesar de ficar envergonhado. 

Bakugo: Me diz, fazer um show de sensualidade pra mulheres sendo gay é difícil, né? 

Eu: Não sou gay, sou bi. E não, eu também fiz show pra homens. 

Bakugo: Pra homens? 

Eu: Pois é... E pra homens tem as opções Uke e Seme, acredita? 

Bakugo: Queria ter visto isso. 

Eu: Vamos esquecer isso, vai? 

Bakugo: Não consigo... Agora tô curioso pra te ver dançar na opção Uke e isso deve ser excitante. 

Eu: Sério? - ele me colocou contra parede - Não trabalho mais nisso. 

Bakugo: Não pode fazer um show particular pra mim? - me fez envolver as pernas na sua cintura - Prometo que vai ser bem pago com uma noite incrível na minha cama. 

Eu: Vou pensar no seu caso. Mas se for na sua cama, prefiro a sua cama de casal da sua casa. 

Bakugo: Gostei da ideia. 

Eu: Está livre sábado à noite? 

Bakugo: Se não estiver, desmarco tudo por você, Deku. 

Eu: Kacchan... - falei manhoso e o loiro roçou seu nariz no meu - Podemos dormir agarradinhos? 

Bakugo: Rs... - sorriu - Claro. 

***



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...