História Stuck to my demon- Imagine G-Dragon - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, DMTN, Got7, JBJ, Monsta X, Zion.T
Personagens BamBam, D-Lite (Daesung), G-Dragon, I'M, Jackson, JB, Jeon Jungkook (Jungkook), Jinyoung, Joo Heon, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim SangGyun, Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Seungri, Show Nu, Simon, T.O.P, Taeyang, Won Ho, Youngjae, Yugyeom
Tags Ação, Drama, Hentai, Romance, Violencia
Visualizações 75
Palavras 1.247
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello baby's
Boa leitura🍃📖

Capítulo 28 - Deu merda


Fanfic / Fanfiction Stuck to my demon- Imagine G-Dragon - Capítulo 28 - Deu merda

*S/N P.O.V ON*


Taeyang estaciona o carro dessa vez dentro da escola, saio do carro fechando a porta em seguida e ignoro a atenção recebida pelo carro chamativo. Começo a andar em direção a porta principal mas Taeyang puxa meu braço me virando pra si.


Eu: Qui é?


Taeyang: Toma cuidado, esse grupinho de 14 são Parker’s e Windheck’s. Um deles é filho da rainha.


Eu: Como você sabe disso tudo?


Taeyang: Tenho que cuidar de você, e você querendo ou não sou seu irmão mais velho.


Eu: Entendi Oppa!-falo revirando os olhos- Posso ir ou quer que todo mundo dê pra fofocar de mim?


Taeyang: Bom pelo menos não será fofoca de você e um qualquer.-dou um soco em seu braço e beijo sua bochecha


Eu:Tchau Oppa.


Taeyang: Tenta não matar ninguém!


Eu: Impossível.


Entro na escola e vou andando sem pressa pro refeitório, bebo um pouco de água mas acabo por me engasgar pelo susto que levei ao sinal tocar. sigo até a sala ainda vazia e me sento no fundo.


(...)


A aula foi um inferno, já perdi a conta de quantas vezes eu quase arranquei a cabeça dos professores e dos outros alunos. Por via das dúvidas optei por tirar um cochilo, os garotos assim que perceberam minhas alterações de humor ficaram quietos.


O sinal toca anunciando o horário do intervalo, no entanto espero todos sairem e para começar a guardar minhas coisas. Pego minha mochila e sigo para atrás da escola, por sorte não havia ninguém e o caminho até aqui foi tranquilo.

Tento pular o muro diversas vezes, falhando miseravelmente. Depois de 5 minutos tentando pular o muro me rendo ao perceber que se tratava de 3 metros de altura. Me sento na árvore próxima tentando descansar antes que me desidrate de tanto suar. Sabe o Seungri disse que eu não posso mais usar aquilo, aish, por que tão difícil?


Eu: Vamos lá!-falo para mim mesma na tentativa de me auto motivar. Me aproximo do muro com calma, fecho o punho tentando me concentrar em minha mão.


Pode ser imprudente porém acredito que se eu concentrar meu suposto “poder”, posso assim dizer, e o liberar a sobrecarga da energia por si só deve ser capaz de destruir ou ao menos de fazer um buraco considerável na parede. Sei que è meio burro mas não custa tentar afinal meu primeiro dia de treinamento foi um total fracasso.


Com um pouco de dificuldade pela falta de concentração, concentro minhas energias em minha mão. A estendo rente ao muro, em uma ação rápida a líbero de forma afoita na esperança de minha teoria está certa. Para minha surpresa um barulho alto se faz presente com uma fumaça de poeira, fecho meus olhos tentando os proteger da poeira, aos poucos vou os abrindo me deparando com cerca de 10 metros de extensão.


Eu: Não fiz nada.- passo pelo buraco e sigo caminho pelas ruas de Seoul sem rumo.


Depois de caminhar por várias ruas sinto minha cabeça girar junto de enjoo, dor de cabeça e meus olhos ardendo enquanto escorrem sangue. Paro em uma pracinha próxima e me sento em um banco qualquer, a intensidade da dor aumenta enquanto se concentra em pontos específicos. Limpo meus olhos com minhas mangas e me lavando cambaleando, ando até uma farmácia do outro lado da rua e vejo algo estranho em meu reflexo.


Um par de chifres pouco acima da testa sobressaindo dentre meus cabelos. Olho assustada e abro minha mochila procurando um casaco ou até mesmo um boné, como a azarada que sou não encontro nada. O jeito è comprar, penso comigo mesma, ir no shopping è muito arriscado, melhor eu ir no T.O.P.


(...)


Nunca mais eu ando mais de 7 km a pé, exagero da minha parte sobre os 7 quilômetros. Entro na casa sem fazer barulho e sigo direto fazendo todo o percurso necessários até chegar na minha sala. Entro me arrastando enquanto me livro de minhas roupas, as espalhando por todo o quarto, entro no banheiro e abro o chuveiro na água mais quente possível. Entro no chuveiro deixando a água escorrer por meu corpo


Eu: Mas que merda está acontecendo comigo?-falo em um sussurro quase inaudível-Será que eu não posso ser normal? Sempre tem algo estranho e tenso acontecendo. Eu sofro um acidente, perco minhas memórias, viro uma assassina, manípulo pessoas e quando penso que tudo já era um inferno eu descubro que estou envolvida com demônios e seres sobrenaturais. O que eu fiz?


Escorrego pela parede sentindo aquela água extremamente quente ao qual meu corpo achava ser normal. Sem perceber lágrimas e mais lágrimas começam a escorrer até que se torna um choro pesado. Em um momento de impulso sinto algo estranho dentro de meu corpo, como se estivesse agitado, sem pensar ao certo solto um grito mesclado as lágrimas. A água do chuveiro começa a cair de forma grossa e fria, olho para cima e vejo a parede e o chuveiro destruídos.


Por alguma razão a dor da água fria não era um problema, embora se faça fortemente presente, me levanto com dificuldade pelas dores e me posiciono embaixo do jato d’água. Minha pele começa a se deteriorar chegando a quase transparecer meus ossos, apoio minha cabeça na parede tocando-a com meus chifres.


Eu: Eu não sou um monstro.-balbucio algumas palavras imersa em minha mente, seguro meus chifres e os puxei de minha cabeça tentando os arrancar-P-Por que você não sai?-falo com dificuldade pelas lágrimas que insistiam em cair.- Droga!


Fecho a torneira, em seguida meu corpo começa a soltar uma fumaça morna enquanto ele se recupera, assim que ele volta ao normal saio do banheiro e visto apenas uma calcinha branca de renda e um vestido branco (capa). Me deito sobre a cama até que adormeço


(...)


Acordo com dor de cabeça por ter chorado. Me levanto e sigo até a sala onde encontro todos os cinco, paro próxima a porta, eles me olham desacreditados logo Ji Yong vem até mim me abraçando.


GD: O que aconteceu pequena?-se afasta para olhar meu rosto.


Daesung: Que chifres são esses?-fala se aproximando, ele toca um com seu dedo.


Eu: Não sei, isso apareceu do nada e…-paro de falar voltando a chorar no peito de GD que afaga meus cabelos tentando me acalmar.


Seungri: Você usou o que eu disse para não usar?-nego com a cabeça


T.O.P: Poderia ser que seu corpo esteja se preparando para suportar suas habilidades?-fala pensativo-Ter chifres incapazes de serem escondidos sem uso de feitiços è uma característica de meios sangues.


Eu: Então todos aqui também tem isso?-falo apontando para minha cabeça


Taeyang: Sim, os meus são azuis.


GD: Os meus são pretos.


Seungri: Branco


T.O.P: Verde.


Eu: Deixa eu ver se entendi eu vou ter de ficar com isso na cabeça?


GD: S/n…-me solto de seus braços e saio do cômodo, vou até a cozinha e saio pela porta indo ao jardim. De repente alguém pega meu pulso me virando para trás- Eu sei que è difícil pra você mas…


Eu: Difícil? Você sabe pelo oque eu já passei? Sabe o quão difícil è minha vida desde que nasci? Quando eu penso que não tem como piorar eu descubro que nem humana ao menos eu sou.


GD: Você è mais humana do que pode imaginar.


Eu: ENTÃO POR QUE MINHA VIDA È ASSIM?!


*JI YONG P.O.V ON*


S/n: ENTÃO POR QUE MINHA VIDA È ASSIM?!-seus olhos começam a adquirir suas características únicas e a tensão no ar almenta.


Eu: Se acalme S/n!


S/n: CALA A BOCA!-a marca de seu braço se estende por todo seu corpo chegando a parar em seus olhos. Droga ela não parece está sendo controlada mas… Acho que isso è bem pior doque o Daesung disse que séria.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...