1. Spirit Fanfics >
  2. Stupid Wife (Versão Sariette) >
  3. - A dream or...?

História Stupid Wife (Versão Sariette) - Capítulo 6


Escrita por: RavenaFreire

Notas do Autor


Oiiiii, voltei e cedo hoje kkkk kkkk

Como hoje eu tô de folga e não tenho nada para fazer resolvi que vou postar um capítulo agorinha e o outro a noite, beleza?!

Capítulo 6 - - A dream or...?



                      Juliette pov's:

—Dois dias se passaram e, Sarah continua me evitando ao máximo, acredita? – Eu que deveria estar fazendo isso. — Afinal, foi eu que perdi a memória, eu descobri estar casada com alguém que nunca suportei, eu tenho um filho gerado por mim que eu não lembro, estou numa casa estranha, todas as pessoas que eu conhecia hoje em dia estão casadas e completamente diferentes.

— Por que ninguém se põe no meu lugar ao menos um pouco? — Por que as pessoas não conseguem entender que eu estou com medo disso? — Eu estou vivendo a minha vida como se fosse outra pessoa. — Eu sou uma adolescente que na verdade não é adolescente mais.

— O único lado bom nisso tudo até hoje sem sombra de dúvidas é o Enzo, esse pequeno é incrível. Ele é tão inteligente, cativante, um amor de garoto. – Um filho exemplar, ele nunca responde e sempre obedece quando lhe mandam fazer alguma coisa, sem contar que nós temos nos divertido bastante, e quando ele volta da escola eu grudo nele como se vida dependesse disso, somente com ele eu me sinto à vontade nessa casa.

— Sarah apenas nos observa de longe, eu sinto seus olhares, eu vejo seus sorrisos. Mesmo sem querer demonstrar é nítido o quão feliz ela fica ao ver Enzo e eu interagirmos. – Acho que ela gosta disso, as únicas vezes que a vejo sorrir são nessas horas ou então quando ela está com Enzo.

— Mesmo sem perceber eu também tenho a observado, ela parece cansada, suas olheiras – antes invisíveis, hoje estão bem visíveis, bolsas enormes e escuras embaixo de seus olhos. – Sarah parece exausta, eu diria que ela não tem dormido bem durante a noite, mas eu não faço ideia se a culpa disso é minha ou toda essa situação, ou as duas razões juntas.

— Ás vezes eu penso se não seria melhor para ela eu ir ficar com meus pais logo de vez, semana que vem eu irei fazer exames para saber mais do que houve comigo e se isso tem volta, mas e não tiver? – Como nós iremos viver assim? – Ela parece estar sofrendo enquanto eu continuo a odiando internamente, mesmo que um pouco menos. – Não consigo despertar outro sentimento por ela.

— Ninguém consegue viver assim por muito tempo, penso que uma hora ela ficará exausta da minha frieza e irá embora, e se ela decidir levar Enzo com ela? — Eu não aguentaria viver sem ele, não mais, eu aprendi a amar esse garoto. — Meu filho, meu filho... — Rezo todos os dias para que se caso ela decida ir embora, que deixe pelo menos ele.

— É tão confuso e estranho pensar nisso, um filho, eu tenho um filho, eu sou casada, com ela, a pessoa que eu odiei desde muito tempo atrás. – Isso é algum tipo de piadinha da vida? Piadinha muito sem graça.

— Mommy!

— Volto a realidade ao ouvir o chamado de Enzo e suas puxadas frenéticas na barra da enorme blusa branca de basquete do Chicago Bulls que ele me fez usar, Sarah também está usando uma, de cor preta, assim como o próprio Enzo que também está usando uma preta. – Sarah me disse que é um tipo de ritual que costumamos fazer nos dias de jogos, ela contou que Arthur viciou Enzo em basquete, e desde então ele tenta nos fazer gostar também, agora entendi porque tem várias coisas do Chicago Bulls aqui espalhadas pela casa. – É sério, no quarto do Enzo então tem vários acessórios dos Bulls, como ele mesmo chama o time, sem contar os diversos moletons deles espalhados por ai.

— Oi, Bê. – Me distraí um pouco aqui. – sorrio sem jeito para ele e acaricio seus cabelos. Seus olhos acinzentados estão mais brilhantes hoje. — O jogo começou?

— Ainda não. – ele responde animado, saltitando ele me puxa pela mão em direção ao sofá, Enzo fica hiperativo em dias de jogos dos Bulls, anoto mentalmente. 

— Mama foi buscar nossos nachos.

— Mmmm, eu me lembra de sempre ter amado nachos.

— Se joga de qualquer jeito no sofá e bate no assento ao seu lado esquerdo, sorrindo eu vou até ele e me sento, logo o envolvendo num abraço de lado. Olho para a televisão e vejo alguns jornalistas fazendo comentários, eles estão falando sobre o jogo que se iniciará em alguns minutos. – Sarah está com a cabeça deitada entre meus seios e balança freneticamente as pernas, não consigo parar de sorrir, ele parece gostar mesmo de basquete.

— Cheguei, cheguei. – Sarah surge na sala, ela está tão animada quanto Louis ou até mais, pelo visto ele já contagiou ela com relação a gostar de basquete. – Eu sei que futebol ela gosta, outra influência de Arthur em sua vida também, disso eu lembro pois Sarah já gostava de futebol na época do colégio. 

– Sarah se senta conosco no sofá, do outro lado, Enzo fica entre nós duas, ele se desvencilha de mim e estica uma mão de suas mãos para pegar um punhado de nachos. — Lavou as mãos?

— Uhun – concorda de boca cheia e recebe em troca um olhar repreensor de Sarah. – Ela parece tão séria agindo como mãe. – E essa sobrancelha arqueada deixa ela tão sex... Juliette, não! Balanço a cabeça afim de expulsar aqueles pensamentos absurdos. 

 — Desculpa. — Ele pede após engolir os nachos que estavam em sua boca, Sarah abre um sorriso e limpa os cantos da boca de Enzo que deviam ter ficado sujos com os nachos e o molho alaranjado que os cobria por cima, cheddar. – Sarah me estende a vasilha redonda com os nachos e eu apenas nego com a cabeça e aponto para a televisão, indicando que vou esperar o jogo começar para só então comer eles, ela concorda com a cabeça e após dois longos dias finalmente sorri para mim. 

— Temos um avanço. – Eu deveria me sentir tão bem quanto eu estou me sentindo só com esse sorriso dela?...

                           //

— Os minutos seguintes foram muito divertidos, mais para Sarah e Enzo do que para mim, principalmente meu pequeno. – Confirmei ainda mais que ele realmente ama esportes, eu não entendia nada, mas aprendi algumas coisas que Sarah e ele me explicavam, ou tentaram. Preferi apenas comemorar do que tentar entender, Sarah parecia feliz em me ver interagindo com eles dois.

—Seus olhos estão brilhando outra vez. —Sarah sorriu mais vezes para mim.

— YEAHHH!

— Sarah e Enzo gritam juntos quando os Bulls marcam outra vez, eu entendi que com aqueles 3 pontos eles já estavam com o jogo praticamente ganho. – Sarah fica de pé e pega Enzo, o joga em seu ombro e começa a rodopiar, ele ri e comemora, balançando as mãos e os pés. – Um sorriso enorme está em meu rosto, é mágico presenciar isso. — Confesso, ela é uma mãe adorável e sempre tenta agradar Enzo.

— Vem Mommy!

— Enzo me chama e antes que eu possa ter reação, sinto Enzo me puxar pela mão e logo meu corpo colide com a lateral do seu. – Creio que ela fez por impulso, por estar muito alegre, pois ao se dar conta do que fez e da nossa proximidade, seus olhos se abrem alarmados. Eu estou estática, meu corpo enrijece.

— De repente sinto algo estranho, minha visão fica meio embaçada e eu me sinto como se estivesse flutuando. – O chão parece sumir por alguns segundos e então... Sou transportada para um tipo de universo paralelo.

                       //

Mas que porra de lugar é esse?

– Olho para os lados, eu ainda estou ali na sala de casa. — Procuro por alguém, tento chamar por Sarah ou Enzo mas, minha voz não saí, está presa na garganta. — Coloco as mãos no pescoço e o aperto levemente, viro o rosto para o lado e quase caio para trás.

— Sou eu! Eu estou pulando e comemorando com Sarah e Enzo. — COMO?!

—Ela está com o pequeno em seu braço direito, meu sorriso é enorme e eu abraço Sarah pela cintura, ela passa a outra mão por minhas costas e me puxa mais para perto. De longe parecemos uma família feliz.

— Como eu posso estar ali se estou aqui? Que merda é essa! — Entro em desespero, tento me mexer porém meu corpo não obedece, meu cérebro parece não receber comando algum. Estou assustada, apavorada na verdade. – O que está acontecendo? Eu quero acordar!

— Beijo! Beijo! — Ouço Enzo pedir e bater palmas. — Por que a voz dele parece tão fina? E espera... Quando ele cortou os cabelos? – Agora pouco estavam grandes. Os cabelos de Sarah também parecem mais curtos.

— Então Sarah olha para mim e sorri, seguro seu rosto com a mão esquerda, puxo-o em minha direção e nossos lábios se encontram. – Sarah se agita e balança as mãozinhas em algum tipo de comemoração. Eu me vejo sorrir em meio ao beijo e sugo o lábio inferior de Sarah, ela me aperta mais contra si e aprofunda o beijo. — Pressiono os olhos e tento balançar a cabeça em sinal de negação.

— Isso é um só um sonho é só um sonho, é só um sonho. –Um sonho esquisito e estranho...

                 //

— Juliette! – meu corpo é balançado diversas vezes. — Juli!

— Meus olhos se abrem e eu sinto como se estivesse voltando a vida, tudo está em seu devido lugar e eu não me sinto mais flutuando. Olho em volta, minha respiração está descompassada, meu peito sobe e desce com rapidez. — Eu ouço o palpitar do meu coração em minhas orelhas de tão forte que ele está batendo.

O que diabos aconteceu? 

— Tudo bem, Mommy? — Olho para Enzo e só então me dou conta de que seus cabelos estão maiores outra vez, ele ainda está no colo de Sarah, e eu ainda estou agarrada nela. Rapidamente me afasto e suspiro, jogando os cabelos para trás e aliso a nuca. Estou suada, minhas pernas estão meio bambas.

— Tudo, tudo sim. — Respondo rápido, minha voz está estranha. – Eu me sinto estranha. – Sinto o olhar deles em mim mas, apenas não olho de volta. – Não quero olha-los no momento, me nego a fazer. – Só quero entender o que aconteceu.

— Aquilo foi um sonho ou....?


Notas Finais


Tá ressurgindo um sentimento na ju em relação a Sarará ou é só impressão minha?🤔🤭

Desculpa qualquer erro...🤧✊🏻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...