História Stydia - Avassaladora (Primeira Temporada) - Capítulo 48


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Ethan, Lydia Martin, Malia Tate, Melissa McCall, Scott McCall, Stiles Stilinski, Theo Raeken
Tags Ação, Allison, Aventura, Brotp, Comedia, Drama, Hentai, Lydia, Otp, Romance, Scallison, Scott, Serie, Shoujo, Shounen, Stiles, Stydia, Teen, Wolf
Visualizações 263
Palavras 1.248
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey, meuzamô :pp turobom?? espero que sim haha

Como eu disse o cap. de hoje seria para explicar o que rolou no outro quarto, onde se encontrava MALEO e tal. E é isto :3

Minhas aulas voltam amanhã, mas enquanto eu não tiver sufocada e sem ter mt trabalho para fazer, irei atualizar sempre, até pq né...... tamo chegando ao fim ;-;

Enfim, espero que gostem e até as notas finais <33

Capítulo 48 - Cap.48


Fanfic / Fanfiction Stydia - Avassaladora (Primeira Temporada) - Capítulo 48 - Cap.48

Pov’ Malia Tate

...

Depois de quase perder o resquício de sanidade e de bom senso que ainda existiam em mim, Theo tem a brilhante idéia de começarmos de novo. E para esquecer – ou pelo menos tentar – o vexame de alguns minutos atrás, decido aceitar de bom grado o tal “começar de novo”.

Malia: – Sou Malia Tate. E você? – Digo oferecendo meu melhor sorriso e estendendo minha mão.

O garoto parece perder um pouco a fala e talvez o foco da conversa, mas logo pisca diversas vezes, caindo em si.

Theo: – Hm, bem, eu sou Theo Raeken. – O garoto pega minha mão e dá um beijo com delicadeza. Ótimo, eu quem tinha perdido o foco agora.

Puxo minha mão um pouco bruscamente e fico encarando o teto do quarto, como se ali tivesse alguma saída para o momento constrangedor.

Theo: – Como é a sua vida em Londres? – Pergunta. – Quer dizer, o que você gosta de fazer quando está livre? – Ele tentava uma distração.

Malia: – Bem, eu não sou muito de festas. Essa daqui é praticamente a minha primeira, e do jeito que ela desenrolou, talvez seja a última também. – Digo rindo um pouco, e depois continuo. – Sei lá, sempre fico em casa nas minhas folgas. Acho que já devo ter zerado o catálogo da Netflix.

Ele me olha meio incrédulo e meio duvidoso, como se não acreditasse muito no que tinha acabado de ouvir.

Theo: – Ah, qual é... Você só pode estar brincando. – Ele diz rindo e depois que não nota humor algum vindo de mim, ele continua. – Oh, isso é sério. Mas por quê? Quer dizer, você não tem amigos?

Malia: – Até tenho, mas sei lá... Tenho preguiça de me fazer ser interessante. Relacionamentos em geral dão trabalho. Precisamos nos esforçar para manter a coisa legal, interessante. E eu meio que tenho preguiça mesmo de tentar fazer com que as pessoas gostem de mim. – Digo dando de ombros.

Theo: – Você não precisa fingir ou se fazer de interessante, Malia. Você é. – Ele diz sério, mas compreensivo. E lá estava aquela torta de climão de novo. – Quer dizer, socializar pode não ser tão ruim assim se você tentar um pouco, sabe?

Ele tinha razão e eu sabia disso, mas desde que fui embora de Beacon Hills muitas coisas tinham mudado. Inclusive eu.

Malia: – Mas e você, Theo Raeken? O que gosta de fazer quando não está tentando impressionar garotas com seu camaro branco? – Digo implicando e passando a bola para o garoto.

Theo sorri e balança a cabeça em negativa. Deus, como pode alguém ser tão bonito assim?

Theo: – Você é má, sabia? – Diz como se estivesse ofendido. Mas logo continua. – Ah, costumo ler. Sou meio fanático pela literatura inglesa, sabe? Tenho uma pequena biblioteca na parte dos fundos da casa. É meio que o meu refúgio.

Malia: – UAU! Por essa eu não esperava, viu? – Digo rindo um pouco e o garoto me olha confuso.

Theo: – Por quê? Te admira o fato de que eu saiba ler? – Pergunta erguendo uma sobrancelha.

Malia: – É, quase isso. – Digo gargalhando.

Pov’ Theo Raeken

Malia: – É, quase isso. – A garota confessa rindo alto e eu tenho a brilhante idéia de jogar uma almofada bem na sua cara.

Theo: – Ops, foi sem querer. – Digo tentando soar o mais inocente possível.

Malia: – Vai ter volta, Raeken. – A garota meio rosna, meio ri. Logo em seguida joga a almofada de volta e eu desvio.

Theo: – Acho que você errou, Tate. – Digo convencido, mas não consigo desviar de uma segunda almofada. – Ai!

Malia ri solto, gargalhando alto e cai de encontro ao colchão da cama, tendo uma crise de risos. E eu apenas a admirava em silêncio.

Admirava o som da sua risada, o branco do seu sorriso, os olhos apertadinhos quando ela gargalhava, o cabelo que estava espalhado no travesseiro branco. Tudo nela era convidativo e... Interessante?

Malia não precisava fazer-se interessante, simplesmente porque ela já era. E ela sequer sabia disso.

De repente percebo que as risadas cessaram e a garota bronzeada agora me encarava, me pegando no flagra.

Malia: – O que você está olhando? – Me pergunta intrigada.

Theo: – Como serão as coisas depois que sairmos daqui? – Pergunto suspirando. – Tipo, ainda vamos nos odiar?

Malia se senta novamente na cama e abraça as próprias pernas. Ela nessa posição parecia uma criança triste ou assustada, e no momento que percebi esse seu lado, tive vontade de confortá-la.

Malia: – Vou tentar ir embora de Beacon Hills o mais rápido que eu puder. – Diz como se fosse simples assim.

Theo: – Vai fugir de novo? – Pergunto um tanto decepcionado.

Malia: – É o que eu sei fazer de melhor, Theo. Fora que, bom, ninguém me quer aqui. Stiles não me ama, Scott está bravo comigo e eu não o culpo por isso, Allison também não vai muito com a minha cara... Como eu disse ninguém me quer aqui. – Diz suspirando, triste.

Malia tinha feito muito mal para as pessoas ao seu redor. Mentiras, farsas, manipulações, tudo isso por um amor não correspondido. Ela colheu o que plantou e ela sabia disso, mas isso não quer dizer que ela era odiada.

Theo: – Você acha que fugir é a solução? Porque não conversa com todos e pede desculpas?

Malia: – Porque eu não consigo, Theo. Uma coisa é olhar nos olhos do Stiles e saber que ele não me ama. Outra coisa é olhar nos olhos dele e ver que ele me odeia, entende? – Percebo a frustração em sua voz e vejo uma lágrima solitária rolar pela bochecha.

Antes que eu me dê conta puxo Malia para os meus braços, deitando-a junto ao meu peito, enquanto faço um cafuné em seu cabelo. E ficamos assim, em silêncio, até cairmos num sono profundo juntos.

Pov’ Malia Tate

Acordo com a luz do sol entrando pela fresta da janela, indo parar bem nos meus olhos. Onde eu estava?

Percebo então que alguém estava agarrado em mim, numa conchinha estranha, mas ainda sim confortável.

Viro lentamente para o lado e vejo o rosto lindo e tranqüilo de Theo Raeken. Flashs da noite passada invadiam minha mente rapidamente, me fazendo lembrar de tudo o que fiz e disse para o garoto na noite anterior. Como isso aconteceu?

Tento sair dos braços fortes de Theo sem acordá-lo, o que requer esforço e jeitinho. Mas depois de alguns movimentos sutis, consigo desvencilhar-me de seu corpo quente.

Vejo-o se mexer na cama, se aconchegando a um travesseiro que deixei em meu lugar. Ele parecia tranqüilo, em paz e até mesmo satisfeito, sabe-se lá com o quê. Me permito então passar a mão pelo cabelo macio e bagunçado, pela barba que estava dando sinais de que precisava ser feita e pelos lábios corados e lindos que beijei na noite anterior. Olho pela janela do quarto e imagino que já passava das 06:00h da manhã, então a porta já havia sido destrancada.

Antes que eu perceba, me abaixo em direção a boca do garoto e dou um breve selinho.

Malia – Adeus, Theo Raeken. – Digo baixinho e em seguida vou em direção à porta, girando a maçaneta e implorando para que a mesma ainda estivesse trancada.

Como havia pensado, estava destrancada. Fecho-a atrás de mim devagar para não fazer barulho e depois vou embora.

Desço as escadas e não vejo sinal algum de pessoas conhecidas. Vejo apenas garrafas secas e esquecidas no chão, algumas pessoas dormindo no sofá ou no jardim da mansão. E sigo em frente, sem olhar para trás, pensando em como seria pedir perdão para os meus melhores amigos.


Notas Finais


E foi isso, pessoal :')))

Sei que não tem Stydia hj e pá, mas não deixem de comentar, ok??

Oq cês acham que vai acontecer quando Theo acordar e procurar por Malia, não a encontrando no quarto? Como ele vai reagir à sua partida? Stiles e Scott vão perdoar a melhor amiga??

Não deixem de acompanhar e comentar na reta final de Avassaladora <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...