História Stydia - Avassaladora - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Ethan, Isaac Lahey, Jordan Parrish, Lydia Martin, Malia Tate, Melissa McCall, Scott McCall, Stiles Stilinski, Theo Raeken
Tags Ação, Allison, Aventura, Brotp, Comedia, Drama, Hentai, Lydia, Otp, Romance, Scallison, Scott, Serie, Sexo, Shoujo, Shounen, Stiles, Stydia, Teen, Wolf
Visualizações 143
Palavras 1.738
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


CHEGUEEEEEI, CHEGUEI CHEGANDO BAGUNÇANDO A POR** TODA (8' ~sei que não é assim mas ok~

Então babys, vi que o cap. anterior não teve mt views e acho que nesse tb nem tanto, pois não temos Stydia tb ;-; Mas é o seguinte:

Como podem ver a capa é nosso trio reunido e pá, ou seje: teremos perdão??? Leiam e descubram hehehe. Esse cap. foi bem gostoso de se escrever, escrevi bem rápido pois não tive dificuldade em montar a cena e o cenário :pp

Enfim, até as notas finais <33

Capítulo 49 - Cap.49


Fanfic / Fanfiction Stydia - Avassaladora - Capítulo 49 - Cap.49

Pov’ Theo Raeken

Sinto o calor do sol queimando um pouco meu rosto e isso faz com que eu acorde. A fresta da janela estava aberta e eu protestava internamente, pois não queria levantar nem acordar a garota de pele bronzeada que teria dormido comigo – no sentido literal da coisa.

Só que para minha surpresa, quando olho para o outro lado da cama, onde Malia deveria estar dormindo, não tinha ninguém.

A noite anterior veio com tudo em meus pensamentos. A nossa briga, o tapa que levei por beijá-la, meu celular espatifado no chão pelo acesso de raiva dela, as lágrimas que enxuguei que caíam em seu lindo rosto, as risadas que demos minutos depois por coisas idiotas... Nossos beijos, nossas carícias e o cafuné que fiz até dormimos.

Ela tinha fugido, como disse que faria na noite passada.

Theo: – Mas que droga. – Digo saindo correndo do quarto.

Passo pelo corredor e vejo a porta do meu quarto aberta, sem sinal de Stiles ou de Lydia lá dentro. Já devia passar das 07:00h da manhã, já que os quartos haviam sido destrancados.

Desço as escadas correndo e vejo algumas pessoas ainda dormindo no sofá da sala, outras no chão da cozinha, alguns no jardim de frente. A casa estava uma verdadeira zona, mas isso não me importava no momento. Só me importava em encontrar Malia e pedir para que ela ficasse em Beacon Hills.

Pov’ Malia Tate

Dentro do táxi, a caminho do apê de Stiles e Scott, fico imaginando qual será a reação de Theo ao perceber que eu não estava mais trancada no quarto com ele.

A esta altura o garoto já devia ter acordado e provavelmente tentando expulsar os últimos bêbados que dormiam em sua mansão. Bom, ele estaria ocupado demais tentando fazer isso e provavelmente se esqueceria de mim.

Na última curva para entrar na rua do apê dos garotos, sinto meu coração quase saindo pela boca. Como eles reagiriam quando me vissem? Me mandariam ir embora sem nem me ouvir? Gritariam comigo? Ó céus, eu estava fodida.

Subo as escadas trôpega, nervosa, ansiosa e com medo. Sentia que poderia desmaiar ali mesmo, rolando escada a baixo. Morreria sem o perdão dos meninos? Jamais. Então seguro o corrimão com firmeza, mas ainda sim, morrendo de medo.

Quando finalmente à porta do apartamento, toco a campainha sem pensar duas vezes, se não desistiria. Ouço a voz rouca e abafada de Scott, dizendo um “espera aí”, e isso já era o bastante para me deixar mais nervosa.

Scott abre a porta apenas usando sua samba canção de seda preta e logo ele fica envergonhado.

Scott: – Merda! – Diz tentando cobrir a cueca. – Achei que fosse Stiles ou a Alli.

Malia: – Como se eu nunca tivesse te visto assim antes, né? – Digo rindo um pouco por causa da sua timidez. – Você não mudou quase nada, sabia?

Scott: – Não posso dizer o mesmo sobre você, Malia. – Ele diz sério e até mesmo desapontado. É, eu merecia aquilo.

Malia: – Eu posso entrar? Preciso conversar com você, se não se importa. – Digo de cabeça baixa.

O garoto me dá passagem e eu entro, já me jogando no sofá. Scott se senta ao meu lado e ficamos os dois em silêncio, encarando qualquer objeto na sala, menos um ao outro.

Scott: – Então... – Diz ainda encarando a parede branca.

Malia: – Eu queria pedir perdão, Scott. – Digo, olhando-o. O garoto me olha de volta e vejo um olhar mais suave vindo dele.

Scott: – Você sabe que não é bem a mim que deve pedir desculpas, não sabe?

Malia: – Sim, mas já que ele não está aqui ainda, bem, melhor começar por você. – Digo um tanto envergonhada. – Eu... Eu nunca quis prejudicar ninguém, Scott. Muito menos Stiles. Eu só queria... Sei lá, só queria ser amada por ele. – Confessos, já sentindo as lágrimas se formarem.

Scott: – E ele te ama, Malia. Muito. Stiles nunca esqueceu você e nunca conseguiu se perdoar por ter tirado sua virgindade e por fazer você ir embora. Se ele não te amasse, se ele não se importasse, não teria ficado quase três meses no fundo do poço por causa da melhor amiga dele que foi embora. Ele só não podia te amar do mesmo jeito que você o amava, entende?

Até algumas horas atrás eu não entendia e não queria aceitar essa forma de amor vindo dele. Pois eu queria mais. Queria que ele me visse como mulher, como parceira de vida, como o amor de sua vida. Mas eu não era e nem nunca seria assim para ele. Tudo agora fazia sentido. O quanto fui imatura, egoísta, manipuladora, mesquinha e egocêntrica. E perceber tudo isso, o mal que fiz à pessoa que mais amei nessa vida, me deixou decepcionada comigo mesma.

As lágrimas descem sem permissão e sinto o bolo preso na garganta. E isso fazia com que eu chorasse ainda mais.

Scott me puxa para um abraço quente e aconchegante, como sempre fazia quando éramos crianças. E uma nostalgia tomava conta de mim.

Malia: – Você... Você me perdoa, Scott? – Pergunto ainda em seus braços, soluçando.

Scott: – É claro que te perdôo, idiota. Você é também minha melhor amiga. – Diz rindo um pouco e ainda me abraçando.

Malia: – Acha que... Você acha que ele vai me perdoar também? – Ele sabia de quem eu estava falando.

De repente a porta é aberta e Stiles estava parado, observando a cena.

Scott: – Vamos saber agora. – O moreno diz baixinho em meu ouvido, enquanto olho para os olhos decepcionados de Stiles.

Pov’ Stiles Stilinski

Chego no apê louco para encontrar com Scott e contar o que aconteceu na noite anterior. Por alguma razão – que eu meio que sabia qual – eu estava super animado e ansioso para relatar e agradecer pelo o plano maluco de Allison. Mas assim que abro a porta, vejo uma cena que eu não estava nem um pouco preparado para lidar agora.

Scott estava quase nu, agarrado à garota que mais me fez sofrer nos últimas dias desde que acordei da porra do coma. Malia.

Eu não estava puto ou com ódio de Malia, mas estava decepcionado e definitivamente não estava preparado para lidar com ela agora. Eu estava desapontado e magoado demais com a garota que eu costumava chamar de irmã mais nova.

Stiles: – É, hm... Desculpa. Eu não queria atrapalhar. – Digo, já fazendo menção de ir embora. Mas Malia sai apressada do abraço de Scott.

Malia: – Espera. – Meio fala, meio grita. – Quer dizer, nós precisamos conversar.

Já me dando por vencido, entro no apê e me escoro na parede branca, de frente para Scott e Malia.

Scott levanta e se espreguiça, mostrando os músculos recém formados. Ele abaixa em direção à garota e beija sua testa. Depois passa por mim e diz:

Scott: – Pega leve com ela, ok? Sei que você está triste, mas deixa a garota falar tudo o que tem para falar. – Ele dá um soquinho de leve em meu ombro e depois vai em direção ao seu quarto, se trancando lá.

Ficamos um bom tempo em silêncio, então ela bate com a mão ao seu lado no sofá, pedindo em silêncio que eu me sentasse ao seu lado. E eu vou.

Stiles: – Malia, eu... – Começo a falar sem ter muita certeza do quê, mas ela me interrompe.

Malia: – Por favor, me deixa começar, ok? Preciso que você me escute primeiro e depois, sei lá, se quiser me xingar eu deixo. – Assinto com a cabeça e ela continua. – Eu te amo, Stiles. Sempre te amei e acho que sempre vou te amar. Mas sei que impedir você de ficar com alguém que você realmente ama não é a melhor solução, ok? E você ama a ruiva. E acho que você também já sabe ou até mesmo já se lembrou disso. Então antes de tudo e qualquer coisa, quero te pedir perdão por ter mentido, dizendo que a voz com a qual você sonhou era minha. Sempre foi dela e vai continuar sendo dela.

Stiles: – Malia... – Digo, sentindo a necessidade de também pedir desculpas, mas sou interrompido mais uma vez.

Malia: – Mas que porra, Sti. Me deixa continuar, droga. – Ela diz brava, mas continua. – Eu tentei roubar uma história que não é minha. Me deixei levar pela mentira e assim, achava que você poderia me amar também. Mas a história é sua e da Lydia. Mas hoje percebo que você nunca foi feito para mim e nem eu para você. Nós nascemos para ser exatamente isso que somos hoje: apenas bons e melhores amigos. E eu já aceitei isso, mas também preciso que aceite meu pedido de desculpas. Sei que fiz merda e sei que você deve estar magoado comigo, mas me perdoa. Eu preciso ir embora de Beacon Hills de novo, mas só posso se eu tiver o seu perdão. – A garota finaliza já chorando.

Fico em silêncio, assimilando as palavras que saíam de sua boca e eu só queria confortá-la, mas logo percebi a última parte de seu monólogo.

Malia: – Ok, essa era a hora que você começava a falar e tal... – Ele meio ri, meio chora.

Stiles: – Você vai embora? De novo? – Pergunto mais triste ainda.

Malia: – Bom, meio que tenho que ir. Deixei minha vida lá, Sti.

Stiles: – Você também deixou sua vida aqui, Malia. Deixou seus pais, eu e Scott aqui. Não que o Scott seja muita coisa, eu sei... – Ela ri e me dá um soquinho de leve no ombro. – Mas falando sério, não vá embora.

Malia ainda chora, mas vejo uma pontinha de felicidade no canto de sua boca. Puxo a garota para um abraço. Um verdadeiro abraço, não como aqueles que eu fingia gostar e estar apaixonado por ela. Um braço que me fazia tanta falta em tempos sombrios.

Malia: – Então você me perdoa? – Diz ainda me abraçando forte.

Stiles: – Impossível não te perdoar te vendo com essa carinha inchada de tanto chorar. – Rimos juntos, abraçados. – Eu te amo, Malia. Espero que saiba disso.

Malia: – Agora eu sei. Obrigada por ser meu melhor amigo, mesmo eu não merecendo.

E ficamos assim, até Scott sair de seu quarto e fica olhando a cena de nós dois abraçados com uma cara de imbecil.

Malia: – Pode vir também, lobinho. – E então o garoto de samba canção vem correndo até nós, se jogando em nosso colo e me fazendo protestar por causa das dores que ainda sentia.

Scott: – A matilha ta junta de novo. E desculpa, Stiles, mas precisava abraçar meus dois betas.


Notas Finais


E foi isto, meus bb :3

Espero que entendam que esse cap. é meio que essencial para a reta final da fic, então né.... tinha que ser escrito o mais rápido possível para que algumas coisas se encaixassem.

Obrigado à todo mundo que lê e comenta, isso é gratificante demais <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...