História Sua Mercê - Femdom - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 129
Palavras 1.095
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Fluffy, Harem, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O pedido foi de um Hentai, e me desculpo por não ser um.
Me desculpo também pela ausência akakkaka ultimamente não estou conseguindo escrever, mas estou tentando mudar isso.

Vou tentar escrever coisas curtas e simples para não deixar aqui parado, mas uma hora os pedidos saem! Perdão novamente kakakak

E uma outra coisinha: O Spirit exclui história cujos capítulos não sejam um complementar do outro (Conjuntos de oneshots, como isso aqui), então, para não perder os capítulos como perdi de uma outra história, vou postar tudo nesse livro e separado também.

Desculpem os atuais e futuros atrasos, e quaisquer erros também!

S2

Capítulo 3 - Garou


Fanfic / Fanfiction Sua Mercê - Femdom - Capítulo 3 - Garou


[N/Herói] estava no topo. A mulher mais forte existente, ocupando o primeiro lugar dos Rank S, indestrutível, indomável, invencível.


Mas Garou não pensava assim.


 Ele acreditava que poderia derrotá-la sem esforços, e quando enfim conseguiu lutar contra ela, teve seu coração bombeando fortemente devido a adrenalina e o desespero, devido a raiva. Ela estava brincando com ele como se fosse apenas um entretenimento.



— Você enfim se cansou, Garou? — Ela sorriu maliciosamente, parando o soco consideravelmente lento que ele tentara dar em sua costela. — Que orgulho, você durou mais que o esperado! — E então ela riu alegremente, segurando o braço cheio de cortes -feitos pela espada dela- do maior.


E aquele riso o fez parar abruptamente, antes de se recompor.


— Heh, só tô começando! Vou te fazer ficar de joelhos, implorando misericó-


— Ops! — Ela aproveitou da proximidade e agarrou o cotovelo de Garou, puxando-o para mais perto enquanto inclinava as costas dele e se colocava atrás do mesmo, fazendo-o se ajoelhar no chão com o braço direito esticado para trás. — Desculpe, eu só acho muito melhor quando você está ajoelhado, Garou. Agora, que tal implorar por liberação, ein? — Ela sussurrou maliciosamente no ouvido dele, e ele não pode resistir.


Engolindo em seco, com o coração batendo rápido não mais pela luta, e sim por ela, Garou sorriu.



Ele soube ali que podia acabar se apaixonando, e queria se apaixonar. Ele desejou amá-la, e teve a chance de o fazer.


— Porra… Eu ainda posso... Conseguir seu número? — Garou corou ao perguntar, sorrindo desajeitadamente ao tentar encará-la na má posição. E ela riu novamente, divertida.


— Qual a graça se eu dissesse não, caçador de heróis?



.

.

.




Você destrancou a porta de sua casa compartilhada, começando a tirar sua armadura de samurai logo na porta, jogando tudo no cesto que ali tinha.



— Garou! Olha quem chegou ~ — Você brincou, retirando o peitoral.


Embora no começo fosse difícil, após sua pequena batalha, você e Garou passaram a sair. O fato de você ser a número 1 permitiu que esse relacionamento que surgiu entre os dois fosse muito bem escondido, mas o fato de Garou continuar a combater heróis sempre foi um incômodo, e por muitas vezes ambos brigavam para saber quem abriria mão dos ideais em prol do amor. Era difícil chegar a um acordo, mas Garou reconhecia que não possuía a razão, e o crescente desejo dele em lhe agradar fez com que fosse mais fácil.


Atualmente, ele desejava te surpreender e te conceder a primeira transa entre os dois. O relacionamento é recente, mas não faria mal.


— Estou na cozinha, [S/n]. Venha cá um segundo. — Você apenas terminou de se despir, ficando em uma blusa leve e calça legging, e então foi até a cozinha. A vista dificilmente seria esquecida.


Garou estava sentado num banquinho completamente nu, se não fosse o avental rosa com detalhes em preto tapando o meio dos peitos dele e a pélvis. As pernas estavam abertas em toda sua glória, e ele estava apoiado na bancada como que para ficar ainda mais em exibição. A pele bronzeada contrastava com os mamilos rosados, que combinavam com o avental. Foi hipnotizante 


— Parece que você não é tão indestrutível quando se trata de mim. — Garou mencionou, passando a mão pelos cabelos brancos. — Parece que eu consigo te deixar imóvel, será que consigo também te ter abaixo de mim, gemendo? — Ele lambeu os lábios provocativamente, e isso te matou internamente 


— Não. Definitivamente não. 


— Ah… — O claro som de decepção de Garou te fez quase rir, enquanto a postura confiante e esperançosa dele se esvaia. Você começou a caminhar lentamente em direção a ele predatoriamente.


— Eu ainda sou indestrutível, Garou. Ainda sou superior, e cá entre nós, você já devia ter percebido que eu prefiro muito mais quando você está abaixo de mim. Nao dei dicas suficientes? — Você levantou uma sobrancelha, fazendo garou arregalar os olhos enquanto você se abaixava em direção a ele, ficando cara a cara.


Realmente, ele se lembra de vários momentos em que você demonstrou superioridade no relacionamento, que mostrou prazer ao vê-lo cumprindo um desejo seu ou quando elogiava-o por bons feitos. E ele mentiria ao dizer que não se sentia bem com seu jeito de tratá-lo.


— Eu tenho certeza que consigo fazer você se contorcer sob mim apenas beijando esses mamilos lindos seus. Que consigo te fazer gozar tão forte ao ponto de seu corpo inteiro tremer… — Você então se aproximou da boca seca de garou, olhando-o com desejo. — eu poderia facilmente te fazer gozar apenas sentando na sua cara e te fazendo me comer. Estou errada?


Ao ver que ele não responderia, você sorriu, beijando-o fortemente. Dirigiu uma mão para os cabelos brancos e espetados, e a outra para dentro do avental para sentir a barriga definida do maior. E então o arranhou, forte.


— Ah, porra… — Garou contraiu o abdômen e se afastou do beijo, gemendo. Você apenas riu, indo até o pescoço dele e mordendo-o. 


Gemidos outras vez.


— Seu lado imundo de masoquista está saindo, é?


— [S/N]... — Garou sorriu nervosamente, lambendo os lábios. Ele costumava adorar a dor, mas nas lutas. Quando estava vencendo outras pessoas, realizando seus objetivos. — Eu só quero sentir sua boceta no meu pau, não me aguento de tesão… por favor…


— Ah, Garou… Mas eu gosto tanto de te provocar. — Você deu um leve beijo onde havia mordido, descendo as unhas provocativamente até o umbigo de Garou, e então até o pênis dele, qual você envolveu a mão direita fortemente, sem dó alguma de causar dor a ele. — E gosto tanto de te ver gemer de dor e prazer. Você realmente acha que pode lidar comigo na cama, Garou? Sou muito mais implacável que o normal. — Você o encarou seriamente, embora mantivesse o aperto sobre ele.


— Quando se trata de você, eu aguento tudo. Eu te quero, [S/N]. — Garou sorriu, movendo o quadril em busca de mais prazer. 


Você mordeu o lábio animadamente, e moveu a mão algumas vezes antes de apertar a cabeça do pênis dele, observando-o se contorcer na cadeira e envolver as mãos em sua cintura.


— Você estava certo, Garou. Eu não sou tão indestrutível quando se trata de você. — sorrindo, ele te beijou. — Vamos pro quarto… — Você sussurrou, se afastando levemente.


— É pra já. — ele respondeu, se levantando e saindo da cozinha na sua frente. Ele estava ansioso, e duro. Muito duro. 







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...