1. Spirit Fanfics >
  2. Suayeon Soulmates >
  3. "Tive Muito Medo de Ter te Perdido"

História Suayeon Soulmates - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - "Tive Muito Medo de Ter te Perdido"


 Estou sentada em minha mesinha de quarto, com uma caneta na mão e uma folha cheia de rabiscos à minha frente. Já faz horas que quero colocar da melhor maneira possível meus sentimentos pela SuA em uma canção, mas está difícil organizar os pensamentos. Ou saem tudo de uma vez, ou não consigo os encaixar.

Foi assim que me vi contando a ela e ao mundo tudo que sinto... em um sonho.

Noite passada, quando SuA dormiu ao meu lado e eu enfim adormeci, tive um sonho meio que revelador. Como se minha própria mente estivesse me mostrando a melhor forma de poder prosseguir.

No sonho eu havia composto uma música – que infelizmente em momento algum me dá dicas do que exatamente escrevi, pois isso iria ajudar muito agora – e convenci os produtores do nosso grupo a produzi-la. Ela lembrava muito melodicamente nossa canção Deja Vu, o que, na minha opinião, é a pegada perfeita para revelar meus sentimentos. Quando a música foi revelada, sendo, ainda por cima, a título do nosso próximo trabalho, e infelizmente o último, todos os nossos fãs captaram a mensagem que eu queria passar ao descobrirem que eu compus a faixa. Levaram um tempo até perceberem, entre os nuances dos versos, que eu estava me referindo à SuA, então estouraram suas teorias na internet e a BoRa lera. Eu não fazia ideia de como ela iria reagir e eu acordei antes de descobrir isso.

Desde então estou tentando fazer com que esse sonho se torne real, mas vejo que é mais complicado do que imaginava. Não por escrever uma música, já fiz isso muitas e muitas vezes quando tocava em minha banda de rock colegial por cinco anos e já ajudei nosso grupo também. O problema é que eu quero que seja uma música perfeita, a melhor do Dreamcatcher, e para isso eu preciso inicialmente aceitar uma letra conexa.

Acho que vou precisar de uma ajuda nisso.

SuA, por sinal, voltou ao seu quarto logo que acordara. Meio que despertamos ao mesmo tempo. Trocamos olhares enigmáticos enquanto o celular dela vibrava na cômoda. Não decifrei o semblante que ela fez quando leu a mensagem que recebeu, mas sinto uma dorzinha no coração por ter conseguido ao menos ter lido o remetente... Wonho. Logo depois ela se despediu e saiu apressada.

Desse jeito eu vou ficar maluca.

Após mais alguns minutos de insistência em escrever algo decente e sem êxito, arranco as páginas de rabisco e as enfio no bolso. Decido ir ao estúdio ver se falo com uma das meninas e peço ajuda. Vou apenas contar que é uma música que eu queria escrever a muito tempo, sem tamanha importância. Nossas “férias” entre a última promoção e o começo dos ensaios para a próxima está se encerrando, então não posso demorar muito a escrever essa canção.

Para ser aceita no próximo álbum não será difícil. Algumas de nós já escrevemos músicas que foram publicadas anteriormente, eu também já fiz isso, então esse será o menor dos problemas.

Meu maior inimigo no momento é o próprio tempo.

Infelizmente não encontro nenhuma delas no estúdio, o que me resta apenas desistir por agora e não me deixar ser levada pelo nervosismo e insegurança. Mais tarde sairei com a SuA até o apartamento da Yuqi, onde iremos tratar sobre o relacionamento da Moonbyul e da Solar, então talvez eu peça ajuda a Soyeon. Ela é definitivamente a melhor ajuda que posso ter, pois é uma compositora nata e talentosa.

Algumas horas mais tarde, a ansiedade acaba me fazendo ficar arrumada cedo demais. Ainda falta meia hora para nós irmos, então fico sentada na minha cama, olhando para o nada. E quando isso acontece, me perco em pensamentos... e em sua maioria, viajo para alguma boa lembrança que tive ao lado da Sua.

 

[ Lembrança ]

 

Retorno para o começo de nossa promoção como Dreamcatcher, nos ensaios para gravação do vídeo clipe de Good Night. Eu estava sentada, já com o figurino e maquiagem prontos, observando o movimento das pessoas envolvidas na gravação de um lado ao outro. As outras meninas estão afastadas um pouco, conversando entre si, enquanto a SuA está gravando sua cena que envolve o momento de seu rap na música.

Eu já sinto algo a mais pela Sua - já que descobri tais sentimentos antes mesmo de nós nos tornarmos o Dreamcatcher, quando ainda éramos um grupo com um conceito mais fofo, nada a ver comigo e com o resto de nós - o que não é nenhuma novidade, pois acredito ter me apaixonado por ela desde que nos conhecemos. Eu fico abismada com o tempo que levei para perceber realmente meus sentimentos por ela, e talvez esse seja a resposta para estar mais difícil agora do que antes...

Ter demorado demais a me dar conta.

Fiquei tanto tempo amarrada em minha lerdeza que não percebi um movimento ao meu lado. Só me dei conta de que alguém havia sentado e posto um braço pelos meus ombros quando a senti tocar em mim. SuA havia terminado sua gravação de momento e me observava com um sorriso encantador brincando nos lábios. Eu sorrio de volta, alçando uma das sobrancelhas, em uma pergunta não falada sobre a razão dela estar agindo dessa forma.

— Só estou te admirando, não posso? — Ela provoca e eu não respondo, apenas envolvo meus braços por sua cintura e a abraço com força.

Ficamos assim por pouco tempo, pois ela beija o alto de minha cabeça e logo me solta.

— O que houve? — Pergunto, estranhando tal ação dela repentina.

— Apesar de eu querer ficar com você agora, pediram para te chamar. Hora de gravar suas cenas solo.

— Ah droga, por que não chamaram a Gah, ou a Yoo? — Brinco, tocando seu nariz e me levantando, esticando os músculos do corpo, afastando a preguiça e me preparando para entrar no modo Siyeon sombria, personagem do grupo Dreamcatcher.

— Relaxa, você pode me ter pelo resto do dia quando terminar suas gravações. — SuA diz e preciso de todas as minhas forças para não pular em seu pescoço e lhe beijar com todo o meu amor, na frente de todo mundo da staff.

— Vou me lembrar disso quando estivermos livre por hoje.

Suas palavras me deram energia para suportar mais um dia de trabalho. Tudo porque, quando eu me lembrasse que mais tarde estaria ao lado dela, isso era o suficiente para fazer meu coração bater agitado e contente.

O que eu não contava era com o fato de que o mundo... ele pode ser cruel às vezes. E também não escolhe quando irá nos surpreender.

Eu me lembro do que aconteceu com todos os detalhes e acredito que nunca vou esquecer o que vi.

Parece ter acontecido tudo tão rápido, mas eu só consigo lembrar em câmera lenta.

Havia me despedido da SuA e a vi indo em direção às meninas, que riam de algo que viam no celular da Dami. Enquanto eu me dirigia até o pessoal da staff de gravação que já me esperavam, eu virava o rosto várias vezes para ficar observando o amor da minha vida. Ela, por sua vez, também me procurava. Era como se estivéssemos conectadas. Quando eu a olhava, ela encarava de volta, e assim sorríamos.

Só que meu sorriso se desfez naquele mísero instante.

Uma garota da staff, encantada com o ator contratado pela empresa para os MV’s de Chase Me e agora de Good Night, simplesmente agiu como uma retardada – desculpe a palavra, mas não deixa de ser verdade – e simplesmente ficou andando sem olhar para frente, chocando-se com uma estante de ferro situada no cenário para guardar objetos de atuação. O problema é que as meninas estavam do outro lado da estante e tiveram que agir rapidamente para não serem atingidas e esmagadas.

Infelizmente SuA estava mais próxima e não teve tempo suficiente para escapar. A estante de ferro caiu por cima dela, e um dos objetos que ali estavam, feito de aço, atingiu em cheio a cabeça de dela.

Vi tudo isso acontecer enquanto estava paralisada. Forcei minhas pernas trêmulas a correr em sua direção, enquanto sentia meu coração bater mais forte que o comum, como se quisesse sair do peito, chegando lá enquanto as meninas tentavam levantar a estante. Foi então que eu vi o sangue escorrer pelo lado esquerdo do rosto de SuA, enquanto ela estava desacordada, que tive um surto de sentimentos. Primeiro eu gritei, levando as mãos à boca, aterrorizada e temerosa. Depois gritei mais alto ainda perguntando se ela estava bem enquanto o pessoal da staff a socorria. Meus olhos encontram a garota que causou o acidente e uma fúria incontrolável se apodera de mim. Então avanço até ela e a acerto com um soco na cara, e eu poderia ter feito mais se não tivesse sido segurada. Eu a xinguei de tudo que fosse possível xingar, então a raiva passou e um sentimento de tristeza absurda me devora. Perco as forças nas pernas e caio ajoelhada, chorando descontrolada.

Depois disso não lembro muito o que houve. Recordo da Yoo me abraçar e dizer que a SuA ficaria bem, que estavam a levando até um hospital e que cuidariam dela. Me ajudou a ir embora de lá e as gravações foram adiadas. Devo ter chorado pelo resto do dia inteiro, com altos e baixos, enquanto era consolada pelas minhas amigas. Elas ficaram comigo em meu quarto, até começarem a sentir o corpo pesar por sono. E por volta das onze da noite eu estava sozinha, abraçando minhas próprias pernas, a mente vagando não sei onde, pois estava tudo muito confuso.

Não lembro exatamente quando adormeci, mas me recordo muito bem de ser acordada por alguém tocando meu rosto. Abro os olhos lentamente até reconhecer aquele rosto, me despertando imediatamente. Sento com um único pulo e a abraço com tudo que eu podia.

No momento não importava se era um sonho ou uma ilusão minha de estar vendo SuA ali no meu quarto, já que deveria estar em um quarto de hospital. Mas eu percebi que era real quando a ouvi sussurrar em meu ouvido, arrepiando-me e retribuindo o abraço.

— Sai agora a pouco do hospital. Me contaram que você ficou bastante abalada com o que aconteceu comigo e isso me deixou preocupada, mas também contente por perceber que você tem esse sentimento querido por mim. Apesar de estar com essa faixa na cabeça e ainda sentir um pouco de dor, estou bem e queria vir te ver, para que possa relaxar.

— Eu amo você SuA, tive muito medo de ter te perdido... — Digo, já soluçando, com o rosto escondido em seu peito.

— Foi só uma pancada na cabeça, não foi algo assim tão grave.

— Não importa... não importa...

Sinto-a me puxar para cama e nos deitarmos. Ela afaga minha cabeça e faz o que costuma fazer comigo... me beijar no alto da cabeça, ou de vez em quando no rosto. Até que ela diz:

— Eu também amo você Siyeon, você não imagina o quanto... será que posso dormir com você hoje?

Não respondo com palavras, apenas balanço a cabeça aceitando seu pedido. Essa foi a primeira noite em que dormimos na mesma cama, uma nos braços da outra. Foi a primeira vez que expus o meu amor a ela sem estar "brincando", e foi a primeira vez que meus sentimentos por ela ultrapassou o limite de suporte e extravasou. Apesar de que a SuA talvez tenha entendido apenas como melhores amigas que somos, eu não importei. Eu tive um dos piores momentos da minha vida e mais uma vez a tinha em meus braços.

Não iria reclamar, apenas aproveitar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...