História Submisso: O contrato - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony, One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Lauren Jauregui, Sadomasoquismo, Zauren, Zayn
Visualizações 105
Palavras 2.867
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Os porquês.


Fanfic / Fanfiction Submisso: O contrato - Capítulo 1 - Os porquês.

Point of view Zayn Malik. 


Nossos corpos ainda estavam suados e ambas respirações ofegantes quando a voz rouca de Lauren chamou por meu nome calmamente.


- Zayn... - seu corpo estava nú sobre o lençol branco que se encontrava bangunçado devido ao que fizemos a menos de cinco minutos atrás e a luz da lua era a única claridade do quarto.


- Lauren... - me sentei, tateando sobre o criado-mudo e logo encontrei meu maço de cigarro e isqueiro.


- Há uma coisa que eu precise te falar. - assenti, acedendo o cigarro ali mesmo. Ela já estava acostumada.


- Eu sou todo ouvidos. - sorri dando uma longa tragada.


- Eu estou grávida. 


Por alguns segundos o mundo ficou mudo. Eu seria pai e o meu pai me mataria.


- Você... esta falando sério? Digo... tem certeza? - traguei mais uma vez o cigarro, tentando passar calma. Porém minhas verdadeiras emoções eram outras.


- Eu tenho sim. - se sentou, pegando o cigarro de minha mão, entre meus dedos e levou até os lábios, colocando entre eles. Tragou devagar e soltou a fumaça depois. - Mas você pode ficar calmo. Estou de mudança para Colômbia. Eu tenho amigas lá. - sorriu.


- Como? - indaguei, eu ainda estava afetado pela noticia anterior.


- Você não vai ter responsabilidades e preocupações. Imagino que goste da ideia. - apagou o cigarro após acender o abajur e o deixou no cinzeiro.


- Eu acho que... não. - neguei. Era meu filho.


- Acha? - riu. - Vai ser melhor assim, Zayn. Pra todos nós. - afirmou com convicção.


Lauren se levantou e recolheu suas roupas do chão, vestiu peça por peça com tranquilidade e por fim calçou seus saltos.


Ela estava mesmo fazendo aquilo? Indo embora grávida de um filho meu!


Eu sei que não era um cara que lidava bem com responsabilidades, que era mais novo do que ela, que ela era minha acompanhante de luxo e eu seu cliente. E principalmente que meu pai me deserdaria de vez. Mas será que na cabeça dela se passava a hipótese de eu não querer arcar com as minhas responsabilidades? Eu não era tão bosta assim.


- Mas e se eu disser que quero ter responsabilidades com o nosso filho? - me levantei, vestindo a cueca rapidamente.


- Não muda muita coisa, foi a nossa última noite juntos. - deixou um selinho em meus lábios e apanhou sua bolsa sobre a poltrona.


Ela se retirou do quarto e eu fiquei parado ali, ainda não acreditando em nenhuma das palavras dela. 



- Tá reclamando do que Zayn? Qual é, é um filho com uma puta. - Liam fez careta.


- Essa "puta" - fiz aspas com os dedos. - vai me abrir caminhos.


- Caminhos para que? Só se for para contrair a porra de uma doença transmissivel após transar sem camisinha, mané. - revirei os olhos terminando meu uisqui.


- Não entende? - a feição dele era confusa e o mesmo negou esperando que eu prosseguisse. - Eu vou me casar com ela e cuidar do nosso filho. Vou ser um pai e tanto, então meu pai ver que eu sou capacitado para ser presidente desse lugar. Essa gravidez não poderia ter vim em hora melhor. - ele ria, me deixando confuso. - o que foi?


- Você só pode ter surtado. - debochou colocando algumas pedras de gelo em seu copo e retornou se sentando no sofá. - vai apresentar uma puta pro seu pai e ela esta grávida, deve estar querendo que ele infarte de vez ou talvez que te deixe sem nada no testamento. - riu.


-Liam quantas vezes eu vou ter dizer que ela é acompanhante de luxo?! E ele não precisa saber o que ela fazia.


- Ah, ótimo. Ela transa por um preço mais caro! - Suspirei. Com ele não adiantava discutir. - Não quero ser cúmplice nisso quando o teu pai perguntar ou quando estiver infeliz, casado com uma estranha que já fodeu com metade da cidade. - tomou todo liquido de seu copo de uma vez.


- Eu a conheço a quatro anos e o sexo com ela é diferente. Não vou ficar infeliz.


- o trabalho dela é transar e você diz isso agora, espere daqui um ou dois anos, irmãozinho. - se levantou arrumando a gravata.


- Fala como se já estivesse casado alguma vez. - comentei, brincando com o relógio dourado em meu pulso.


- Eu não estive. Mas não preciso de tal experiência para saber que casamentos não dão certo, nunca. - piscou para mim. - Eu preciso trabalhar, mas se essa idéia louca é o que quer... então eu estarei aqui para rir no fim disso. - sorriu saindo pela porta do meu escritório.


Liam não era meu irmão, nem adotivo, nem de sangue. Era apenas um primo distante que perdeu os pais cedo e veio morar com a minha familia. Fizemos amizade facilmente e nos tornamos melhores amigos.


Porém eu o considerava mais que o meu próprio irmão mais velho. Harry era um saco, estava sempre implicando comigo de alguma forma. Era o mais mimado de nós quatro, na verdade... nós três.


Havia o Louis, meu irmão adotado que era neutro em tudo isso e Camila... essa era minha irmã gêmea. Ela se afogou no lago aos sete anos e eu não consegui salvá-la. Desde então Harry me culpa pela morte dela e sinto que indiretamente o meu pai também.


Ele se tornou um ser frio em relação a sentimentos, com nós três, mas afastou-se apenas de mim.


14 anos depois e eu já estou acostumado. Mas confesso sentir falta dele em certos momentos.



- ZAYN! - gritou estendendo a mão em direção ao bote que eu estava.


O nivel de água estava alto devido as chuvas intensas dos outros dias. Seu corpo já estava desaparecendo em meio a água, tudo que eu conseguia ver era de seu pescoço para cima e sua mão que lutava para não sucumbir.


- Mila, segura minha mão okay? - me inclinei estendendo a mão para ela. Havia uma distância de ao menos dez centimetros entre nossas mãos. - Eu preciso que se esforce Camila, vamos!


- Zayn... - ela tentava se manter imóvel conforme a água se agitava. - Eu não vou conseguir. - Era aparente o medo em seus olhos.


Não, não, não.


- Vai sim, você é forte. Pega minha mão! - me estiquei mais sobre o bote, tentando não deixar que ele virasse, como aconteceu com ela.


- T-Ta bom. - sua mão se esticou um pouco mais, fazendo a ponta dos nossos dedos se tocarem.


A aguá já alcançava seu queixo quando eu segurei seu pulso, tentando puxa-la sem que o maldito bote virasse.


- Peguei você. - sorri, mas no momento seguinte uma correnteza mais forte levou ela de mim.


Ela largou minha mão, ela sabia que eu seria levado junto com ela.


Camila se sacrificou sozinha e eu não pude fazer nada a não ser observar seu corpo ser levado e submergir.



- Zayn. - ouvi meu nome ecoar em minha cabeça. - Zayn! - chamou mais forte, balançando meu corpo, tirando-me das lembranças que me prendiam.


Era Louis.


- O que foi? - passei as mãos em meu rosto rapidamente, limpando as lágrimas.


- Estava pensando naquilo novamente não é? - tocou meu ombro e eu assenti devagar.


Ele me conhecia bem.


- Já fazem 14 anos, Zayn. Não se torture com isso. Não faz bem a você.


- Talvez se eu tivesse... me esforçado só um pouco mais, e então eu... conseguiria. - suspei e ele negou me abraçando.


- Sabe... só tinha que acontecer, não foi sua culpa. E se ela se sacrificou por vocês foi porque queria que você seguisse em frente e tem que fazer isso. Certo? - segurou meu rosto entre suas mãos, encarando meus olhos.


Ele estava certo.


Mas sempre doeria.


- Certo. - sorri e ele largou meu rosto, colocando as mãos no bolso.


- Vamos almoçar. - sorriu saindo na frente.


- Claro, preciso te contar algo mesmo. - apanhei meu paletó que estava pendurado em minha cadeira e o acompanhei.


- O que aprontou agora? - indagou sério.


- Nem queira saber. - soltei uma risada enquanto apertava o botão para chamar o elevador.


- Algo que te leve a ser preso? - me olhou.


- Só se eu deixar de pagar a pensão. - gargalhei entrando no elevador com ele.


- Papai vai te matar! - me deu um soquinho no ombro.


Ele pegava referências rapidamente.


- Nesse caso... eu estou pronto pra conhecer o meu criador. - sorrimos.


...


- Mas então, quem é a louca que engravidou de você? - fechei a cara e ele riu.


- Se lembra quando fomos a um jantar de gala em nome do papai e eu levei uma garota comigo? - ele assentiu. - Pois então, é ela.


- Lauren? Estou surpreso. Nos falamos as vezes.


- Você e Lauren? - indaguei rápido.


- Somos amigos e... eu não vi nenhuma aliança no dedo dela. - sorriu irônico.


- Só não rotulamos.


- Pensei que ela havia me dito que estava de mudança do pais.


- Ela acha que está. - falei tranquilo, dando uma garfada em minha lasanha.


- E está tranquilo assim? Ela está indo embora com um filho seu na barriga. Ou melhor, se fosse eu, também iria. - levou sua taça até os lábios rindo.


- Eu vou pedi-la em casamento hoje. - Louis virou o rosto para o lado, cuspindo toda sua bebida. - Porra Louis! - murmurei baixo retirando um lenço do bolso e ofereci a ele que tossia.


- Vai se casar? - disse incrédulo, limpando os lábios.


- Hipoteticamente não, ela ainda não aceitou.


- Hipoteticamente seu cu! Tem noção do que é um casamento? - ele estava preocupado de verdade.


- Louis, eu gosto dela de verdade. Mesmo com todas minhas irresponsabilidades eu fui capaz de me apaixonar. Eu estou pronto para um casamento, nos conhecemos a quatro anos. Confia em mim, sei o que estou fazendo. - ele negou devagar. - Por favor, você é o único que sempre me apóia, sabe como Harry é e Liam desdenhou de mim. - sua expressão suavizou.


- Eu sempre vou estar ao seu lado Zayn, porque é isso que irmãos fazem. Eu só não quero te ver machucado e nem a Lauren.


- Eu vou fazer tudo certo. Eu prometo.


- Precisa prometer pra ela, não é comigo que quer se casar. - gargalhou e voltamos a comer.



O dia havia sido monótono. Eu havia lido três ou quatro contratos sem muito interesse e felizmente não havia visto o rosto de Harry, ele não compareceu a Malik Enterprises hoje.


Nada de reuniões também, o que fez com que eu pudesse escapar mais cedo daquele lugar. E fiz isso, indo direto a uma joalheria.


Escolhi um modelo simples de aliança, Lauren não era uma mulher extravagante, pelo contrário, gostava de coisas discretas.


Talvez ela pudesse achar o anel um pouco... caro, mas eu diria que estava a altura de alguém como ela.


Bonita, delicada e trazia um brilho próprio.


Agora eu só precisava espera-lá.



- Lauren já chegou, Niall? - perguntei um pouco alto devido ao volume da música a nossa volta.


- Ah, Zayn. Eu achei que ela tivesse dito a você que estava de mudança.


- É, ela disse. Mas acredito que ela precise voltar hoje para pegar as coisas que tem aqui. Ontem ela não levou. - expliquei me sentando em um dos bancos e dei uma olhada envolta.


- Pode ser que ela apareça por ai. - disse incerto e passou uma flanela sobre o balcão. - bebe algo enquanto espera?


- Um dry Martine. - batuquei os dedos sobre o balcão, ansioso.


Duas


Três


Quatro horas.


A noite se arrastava tediantemente, eu já havia sido abordado por várias mulheres diferentes e perdido a conta de quantos copos eu bebi.


Ela não viria. Já eram 00:13 H.


- Outro uisqui! - ordenei com voz arrastada.


- Zayn... não acha que já bebeu demais?


- Eu estou pagando Niall. Apenas sirva. - suspirei. - Ela não vem, eu eu podia jurar que viria. Como ela pode ir embora? Eu não sou nada para ela?


- Você tem problemas com bebida. - Fugiu do assunto.


- É o de menos agora. Ela... era o motivo para eu estar me controlando em relação a bebida. E ela se foi, como todas pessoas que passam em minha vida. Harry tem razão, sou um moleque irresponsável. Como posso pensar em comandar aquela porcaria de empresa? A quem estou enganando?!


- Não deveria falar assim de sí mesmo, tem capacidade para o que quiser. Desde que se empenhe. Vai desistir por causa dele? - eu ri fraco.


- Não é só ele que desacredita de mim.


- Então mostre a eles que é capaz, Zayn. Olhe até onde já chegou, só precisa continuar a caminhada. - Eu assenti, distante daquele assunto.


- Ela está gravida sabia? - o olhei.


- Quem? - Tom confuso.


- Lauren. - deitei a cabeça sobre o balcão. - De mim. Me contou ontem. Eu achei que poderia vir até aqui hoje, pedi-la casamento e ficariamos bem, sem ela precisar ir. Eu estava enganado. - conclui baixo.


- Talvez ela só precise ir. Você não é um problema.


- Não... eu não sei porque eu queria que ela ficasse Niall. Vi minha irmã morrer a quatorze anos atrás e não pude fazer nada. Por que ela confiaria em mim com um bebê?


- Zayn. Você bebeu demais não foi? O que já conversamos? - Lauren, era a voz dela.


Me virei rapidamente e em efeito da bebida eu quase cai do banco, mas ela foi mais ágil em me segurar.


- Lauren! Você veio. - sorri um pouco alto.


- Eu tentei controla-lo, mas o conhece, Laur.


- Eu sei Niall, não se preocupe. - Ela sorriu para ele mas me olhou séria.


- Eu estou encrencado né? - sorri amarelo.


- Muito, Malik. Muito. - murmurou e fiquei quieto. - Vamos a um quarto.


Saltei do banco um pouco tonto e retirei duas notas da carteira, deixando sobre o balcão. Eu não sabia quanto era, a essa altura não estava exergando mais nada.


- Boa sorte. - O homem que me ouvia a minutos atrás desejou, dando a chave de um quarto a Lauren e em silêncio fomos até lá.


- O que tem na cabeça? - Indagou fechando a porta.


- Você. - fui sincero. - Você é tudo que tenho na cabeça de um tempo pra cá. - passei as mãos em meus cabelos, puxando devagar.


- Não é hora pra bancar o romântico, Zayn. - Me virei para ela.


- Acha que estou mentindo então? - Ela ergueu as sobrancelhas sem me dar uma resposta. Mas é claro que ela achava. - Lauren você não sai da minha cabeça. E eu não quero que vá embora.


- Já conversamos sobre isso.


- Não, só você falou e não me ouviu. Isso não é conversa. Admita.


- O que quer falar? - caminhou até a cama e se sentou.


- Fica. - Pedi outra vez.


- Por que eu deveria? - seus olhos não ousavam se desviar de mim. Eu gostava daquilo, mas me intimidava.


Porque eu te amo, mas você não sabe. E provavelmente não vai. - pensei. 


- Porque eu estou pedindo. Porque eu te quero, porque vamos ter um filhos. Há tantos porquês, mas apenas um se sobressai sobre os outros. - sorri.


- E qual é? - indagou curiosa e fui eu até ela.


Me coloquei de joelhos cuidadosamente em sua frente e deitei minha cabeça sobre suas coxas.


- Porque eu quero me casar com você. - o silencio se fez presente por um tempo e seus dedos se enroscaram em meus fios, em um cafuné gostoso.


- Precisa cortar o cabelo e fazer a barba. - foi tudo que disse. Sério?


- Lauren! - murmurei em desaprovação.


- Não acredito que esteja falando sério Zayn.


- Mas eu estou. - ergui meus rosto e enfiei uma de minhas em meus bolsos procurando a caixinha, ao encontra-lá mostrei a ela. - Precisa prometer dizer sim. - ela riu.


A risada dela era tão gostosa de se ouvir.


- Está bêbado.


- Bêbedo geralmente fazemos o que temos vontade. - Ela concordou. - Preciso você, preciso mesmo.


- Ouvi você falando sobre Harry e sobre sua irmã, sobre o porque eu estou indo. E nada disso é verdade. Você é um garoto incrivel que ainda esta começando a viver.


- Se sou incrivel por que não pode ficar? - Ela sorriu.


- Você não desiste não é? - eu neguei. - Eu apenas acho que não sou mulher para você.


- Eu decido quem é mulher para mim, e você é. - segurei uma das mãos dela. Entrelaçando nossos dedos. - Olha como nossas mãos se encaixam bem. Você foi feita para mim e eu para você.


- Um ano e seis meses. - foi tudo ela disse. Para o que?


- Um ano e seis meses? - questionei confuso.


- É o tempo que tem para me fazer querer ficar para sempre ao seu lado.


- Eu vou me esforçar Lauren. - abri a pequena caixinha vermelha e retirei o anel de lá. - Isso é para você. - segurei sua mão, encaixando em seu dedo. - achei que combinaria com você. - olhei ela que sorria.


- Eu amei, Zayn. Mas á muito que ainda precisamos conversar.


- Eu sei. Mas deixa as coisas como estão agora. Só por hoje. - tornei a deitar a cabeça em seu colo, abraçando sua cintura com meus braços. - Estou exausto. - sussurrei.


- Descanse. - afagou meus cabelos e fechei meus olhos após deixar um beijo em sua barriga.


- Obrigado.


- Pelo que?


- Pela oportunidade. - foi última coisa que eu disse antes de ser vencido pelo sono.




Notas Finais


Olá '.' espero que essa história dê certo porque tenho bastante planos para ela. E além dessa haverá outra. É isso, falow '.'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...