História Suddenly love - Dramione - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Emma Watson, Harry Potter, Tom Felton
Personagens Draco Malfoy, Hermione Granger
Tags Draco, Dramione, Harry Potter, Hermione
Visualizações 91
Palavras 3.580
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


prontinho um capitulo fresquinho para vocês
leiam, favoritem e comentem
aproveitem friends of my heart. <3

Capítulo 22 - The light that shines in my heart


P.V Hermione

– bom dia linda – ouço sua voz suave e baixa como um sussurro em meus ouvidos, e abro os olhos me deparando com os dele, cinza azulado a cor de uma tempestade, mas não há nada tempestuoso neles e sim um brilho incomum. Lembranças da noite passada me vêm à cabeça como flashes e um sorriso se esboça em meus lábios.

Nunca pensei que acordaria ao lado de Draco Malfoy, mas também não pensei que minha primeira vez seria em um quartinho no meio do nada. Então eu percebi que não importa onde tenha sido ou como, mas sim com quem. Com o homem que eu amo.

– bom dia – respondo minha voz sai calma e baixa assim como a dele. E me inclino para frente e o beijo. Um beijo delicado. Depois de matar tempo, resolvemos ir tomar café da manhã, então nos vestimos e descemos.

Após pagar o rapaz do caixa pela hospedagem vamos até uma cafeteria e pedimos café da manhã.

– vai querer comer o que? – pergunta Draco enquanto acaricia minha mão.

– torrada com geleia – respondo

– geleia de morango? – ele pergunta lendo o cardápio sem soltar minha mão.

– sim e você? – pergunto chegando mais perto para ler junto a ele o cardápio.

– eu não sei – diz me encarando e sorrindo – não conheço nenhum desses pratos, por que não me recomenda um?

– tudo bem, mas não sei se você vai gostar – digo passando os olhos pelo cardápio – que tal, ovos com bacon?

– se você escolheu vou gostar. – diz beijando minha testa – garçonete – chama e uma garota se aproxima da nossa mesa – nós gostaríamos de pedir torrada com geleia de morango e ovos com bacon. Mais alguma coisa? – pergunta olhando para mim.

– e dois cafés por favor – e assim ela sai com os pedidos anotados.

– Hermione.. sobre ontem – fala olhando para minha mão como se fosse a única coisa ali – eu só queria que você soubesse...

– Draco pode falar – digo apertando sua mão. Me sentindo contagiada pelo seu nervosismo.

– eu queria que você soubesse – fala engolindo seco e ruborescido fortemente o que me deixou um pouco nervosa – que ontem foi a melhor noite da minha vida, que foi especial para mim. – diz se atrapalhando um pouco.

– para mim também – digo olhando para seus dedos e agradecendo por eles estarem lá, assim não tenho que encará-lo e sei que estou vermelha.

– não, não porque nós transamos – fala diminuindo a voz para que somente nos dois escutássemos – mas porque você estava lá, porque foi com você. – declarou me fazendo levantar a cabeça e olhar para ele que me encarava com os olhos cinzas brilhando cheios de ternura. – você fica linda quando sorri assim – não havia percebido que estava sorrindo até o momento em que ele fala. Seu tom e rouco e sensual e sinto vontade de beijá-lo mas a garçonete volta com os pedidos nesse exato momento.

Obrigada por cortar o clima. Pensei. Mas o que eu disse foi simplesmente um obrigado acompanhado pelo sorriso mais falso que já dei.

Draco pega o garfo e experimenta os ovos com bacon, fico esperando sua reação.

– sabia que podia confiar em você – fala sorrindo depois de engolir a garfada – isso é ótimo! – declara enquanto prepara outra garfada. - parece um pouco com ovos de dragão só que menor.

– que bom que gostou – digo pegando minhas torradas e passando geleia nelas – experimenta essas – digo pegando um pedaço que havia passado e levando até a boca dele, como as mães fazem com seus bebês. O canto da sua boca suja um pouco com a geleia – desculpa, deixa que eu limpo – falo e passo o polegar no local e o coloco na boca em seguida, virando minha atenção para o prato de torradas a minha frente, envergonhada pelo o que acabei de fazer.

– isso foi muito sex – fala Draco me encarando com os lábios abertos. – você tem sorte de estarmos em um lugar público – fala em um tom sensual com uma voz rouca fazendo com que me arrepie toda.

– ou não – falo provocante.

Depois de sairmos da cafeteria, vamos até o carro e entramos. Tento aproveitar os últimos momentos com Draco ao máximo. Posso estar sendo dramática, mas quando ele me deixar na toca só vou vê-lo na escola AMANHÃ! Desde que começamos a namorar nunca passei tanto tempo assim sem vê-lo.

Assim que ele estaciona na toca eu o abraço e nos beijamos até que alguém bate no vidro.

– ah qual é cabelo de fogo? – fala Draco irritado ao ver que foi uma Gina toda agasalhada que nos interrompeu.

– oi para você também Malfoy – fala ela dando um olhar irritado para Draco – vi quando chegaram. Estavam demorando tanto que fiquei com medo de chegar aqui e ver que vocês estavam produzindo bebês.

– eu já vou – falo dando um ultimo selinho nele – tchau nos vemos na escola.

– tchau linda – fala a voz suave novamente. Fico vendo o carro dele desaparecendo pela estrada branca cheia de neve ao lado de Gina.

– vamos entrar LINDA – fala Gina engrossando a voz para imitar Draco – estou congelando aqui fora.

E então caminhamos em direção a toca, lutando com a neve alta que se acumulou no quintal.

– então como foi lá? – pergunta Gina me encarando maliciosa – aconteceu alguma coisa entre vocês não é?

– que? Não – digo sem encará-la e sentindo meu rosto esquentar

– ah que isso Hermione? Sou sua amiga não vou contar para ninguém – fala se pondo a minha frente ainda sorrindo – foi por isso que passou a noite fora?

– não, foi porque a estrada estava bloqueada e nos esquecemos nossas varinhas – afirmo narrando algo verdadeiro – mas sim pode ter acontecido algo. – falo sentindo vontade de enfiar minha cabeça em um buraco de tanta vergonha.

– ahhhh.. eu sabia – fala Gina um pouco mais alto do que devia.

– Gina! – repreendo-a com receio de que alguém ouça – o resto de Londres não precisa saber da minha vida amorosa.

– desculpa – fala ela respirando fundo e diminuindo o volume da voz – mas e então como foi? – pergunta visivelmente animada – você gostou? foi romântico?

– calma – digo sorrindo com sua euforia – foi.. perfeito, e sim eu gostei – falo sentindo minhas bochechas queimarem como se eu tivesse jogado ácido nelas. - foi simplesmente… perfeito não tem outra palavra para definir.

– sabe vocês dois estavam tão lindos – diz me puxando para perto e andando em direção a casa – fofos um com o outro, mas acho que e normal depois que um casal apaixonado dá esse passo. – diz com a voz sonhadora me fazendo lembrar de Luna – ah todos sentimos sua falta ontem, então pode se preparar para as perguntas. – avisa ao se lembrar – e você vai ter uma surpresa enorme quando entrar lá dentro. – diz misteriosa me puxando para dentro.

Ao abrir a porta, a primeira coisa que sinto e o cheiro da comida da senhora Weasley, a segunda e o ar quente em contraste com o frio que faz lá fora, em seguida vejo a senhora Weasley em frente ao fogão cheio de panelas no fogo.  

– Hermione querida! – fala ela vindo me abraçar – ah você está gelada – diz me puxando para dentro – MENINOS HERMIONE CHEGOU! – grita e logo ouço passos descendo as escadas.  Até que uma cabeleira laranja e outra preta aparecem.

– Mione! – falam Rony e Harry chegando mais perto e me abraçando.

– oi meninos – digo retribuindo o abraço – feliz natal – digo tentando desviar a atenção deles inutilmente.

– feliz natal - respondem e por um instante penso que escapei do interrogatório -  precisamos conversar – falam ao mesmo tempo.

– ok. – digo seguindo eles pelas escadas até o quarto de rony – o que foi? – digo ao chegar lá.

– o que aconteceu? Você disse que voltava logo, mas passou a noite fora – diz Rony indo direto ao ponto.

– boa sorte em explicar algo para eles – fala Gina passando por mim e indo se sentar na cama.

– o meu plano era voltar logo – começo – mas começou a ventar e a chover, e quando nós terminamos e fomos voltar à estrada estava interditada porque o vento forte derrubou uma árvore. – digo desviando o olhar do deles em alguns momentos – íamos aparatar, mas nenhum de nós dois tinha levado a varinha.

– então passaram a noite lá – concluiu Harry

– sim – confirmo.

– sabe o quanto nós ficamos preocupados? – disse Rony

– eu tentei ligar, mas estava dando interferência no sinal – meu tom e de desculpas.

– o importante é que você está bem – fala Harry me abraçando novamente seguido de Rony. – Gina te contou quem é a namorada do Rony? – pergunta Harry com um sorriso no rosto.

– não contem a ela – fala Gina – desculpe Hermione, mas essa é uma situação que só vendo para acreditar.

P.V Draco

Ao chegar em casa ouço o barulho incomum de vozes aliás todo barulho nessa casa e incomum. Vejo minha varinha em cima de uma mesa de mogno e a pego entro e subo. Depois de tomar um banho quente e colocar um terno que estava em cima da cama separado para mim, desço e ao entrar na sala de jantar a encontro cheia de pessoas com roupas chiques e narizes empinados o tipo de gente com quem meus pais socializam.

Olho ao redor e vejo os cabelos longos e platinados do meu pai vindo em minha direção.

– está atrasado! – seu tom é baixo mas carregado de raiva enquanto aperta meu ombro de modo discreto. Por mais que meu pai estivesse bravo não faria uma cena.

– eu sei, Desculpe – falo me desvencilhando de seu toque e entrando no meio dos convidados. Me sinto perdido no meio dessa gente, e penso em como queria estar com Hermione agora. em como a presença dela me reconforta.

– hey Draco! – chama uma voz conhecida e ao olhar na direção dela me deparo com Blásio e alguns outros meninos da sonserina. – chega aqui.

– e ai caras – falo cumprimentando a todos.

– você acabou de chegar? – pergunta Blás.

– sim. Por que? – respondo distraído enquanto olho para as pessoas ao redor com seus champanhes roupas elegantes e conversinhas contidas e falsas.

– podia ter chamado os amigos – fala me encarando de maneira estranha – cara nós ainda existimos. E com certeza ainda adoramos uma farra.

– eu não fui a farra alguma ontem – respondo sem pensar, vendo todos me encararem descrentes.

– então o que? – pergunta um deles curioso.

– não interessa – falo me irritando – a nenhum de vocês – falo me afastando. e indo para o outro lado da sala até que ouço outra pessoa me chamando.

– Draco querido – chama minha mãe vindo até mim.

– o que? – pergunto entediado.

– esta é a senhora Greengrass e sua filha Astoria – fala me mostrando uma garota de cabelos castanhos e olhos azuis – vocês têm a mesma idade.

– oi – respondo seco – preciso ir – falo saindo de lá antes que me arranjem um casamento.

P.V Hermione

– então desde quando vocês estão namorando? – pergunto ainda surpresa em saber que Padma Patil e a namorada de Rony. e claro com o exagero de gina eu esperava algo mais.. mais inacreditavel ou coisa assim.

– ah desde o verão – responde Padma. – eu estava de férias do meu trabalho no St. Mungus, e Rony e eu nos encontramos nessa balada trouxa.. não lembro o nome, mas foi mágico. – diz com a expressão meio abobalhada.

– nossa vocês são tão fofos – fala Gina – Padma vem cá tenho que te mostrar uma coisa. – e Gina puxa Padma para cima das escadas

– ela provavelmente vai mostrar o álbum de quando eu era bebê – fala Rony seguindo elas com o olhar – mas está tudo bem para você? – pergunta Rony me encarando com um tom sério.

– como assim – pergunto um pouco confusa.

– sabe, e que pode ter sido um choque eu estar com a Padma – diz desviando o olhar – então, já que nos dois namoramos um tempo achei que podia ser estranho para você?

– olha Rony foi uma surpresa sim – digo minha voz sai mais meiga do que o normal – mas o que nós tivemos esta no passado e você é meu amigo. Então se a Padma te fizer feliz eu vou te dar todo o apoio – digo sorrindo para ele. Um sorriso sincero.

– puxa, obrigado Mione – fala visivelmente sem graça

– não me agradeça – digo como quem não quer nada – eu sei que não importa quem eu estivesse namorando você aceitaria se me fizesse feliz – e dou um sorriso este porém tenso.

– com certeza – fala e se afasta alguns passos. Tomara que seja mesmo essa a reação dele quando descobrir sobre mim e Draco, mas tenho minhas dúvidas – eu vou impedir que minha irmã me humilhe muito – e assim sobe as escada.

Depois disso tivemos o almoço de natal, Que deve ter dado um trabalho enorme para a senhora Weasley, já que a casa estava cheia com todos os Weasleys presentes e amigos íntimos.

– Mione, como você não estava ontem nós guardamos seus presentes lá em cima – fala Harry de um canto na mesa.

– obrigado depois eu vou dar uma olhada neles – digo começando a ficar ansiosa.

– Hermione querida – chama a senhora Weasley – você está muito magra como um pouco mais.

– ah obrigada senhora Weasley – digo encarando meio desconcertada a montanha de comida que ela punha no meu prato.

– por favor Hermione – fala senhora Weasley – todos esses anos e ainda me chama de senhora Weasley – fala balançando a cabeça – já disse pode me chamar de Molly.

– desculpe e o costume Molly – digo ruborizando um pouco.

– você fica tão fofa vermelha Mi – diz Gina me cutucando.

– nossa hoje vocês estão com tudo em – falo olhando em volta e percebendo que pelo menos já recebi atenção de praticamente todos na mesa o que não é muito normal. – o que está acontecendo?

– nada é só que sentimos sua falta ontem – responde Rony que estava do meu lado com Padma – e você tem sumido muito.

– então acho que devo a todos um pedido de desculpas – falo rindo para não chorar, não sabia que era tão importante assim.

– nós entendemos querida! – fala Sra. Weasley – sabemos que anda ocupada na escola, mas contanto que comece a se alimentar melhor, tudo bem. – Sra. Weasley sempre foi como uma segunda mãe para mim e Harry. E talvez agora fosse a única.

– com licença – fala Padma se levantando – o almoço estava ótimo, mas eu tenho que ir. Me acompanha até lá fora? – pergunta a última parte voltada para Rony que assente e a segue.

– ui ela não parecia nada contente – diz George seguindo o casal com o olhar.

P.V Rony

Vou com Padma até a porta da frente.

– está tudo bem? – pergunto vendo que ela parece esta muito irritada com algo – por que está indo tão cedo?

– olha Rony – diz pondo a mão em meu ombro – eu amei sua família, mas, sinceramente acho que eles não gostam de mim.

– que claro que gostam – falo enquanto ela pega seu casaco – por que está dizendo isso?

– porque desde ontem sua mãe mal falou comigo seu pai nem olhou no meu rosto e sua irmã bem ela não parecia nada contente com o fato de estarmos namorando. – fala elevando um pouco a voz, mas logo voltando a baixá-la.

– eles só não se acostumaram com você ainda – digo tentando convencê-la. – com qualquer garota que um de nós trouxesse aqui e assim.

– não com a Granger – diz irritada pegando o resto de suas coisas

– Hermione? – pergunto incrédulo – está com ciúmes dela?

– desculpe, mas é que a concorrência não me parece justa – fala abrindo a porta – ela pelo que eu vi nem se dignou a aparecer para o jantar ou a mandar notícias, e todos ainda passam a mão na cabeça dela. – fala mais irritada do que antes, começando a sair e eu a sigo. Não tenho argumentos para defender Hermione, até porque nem mesmo eu sei o que anda acontecendo – parece até que ela e uma filha para sua mãe.

– bem, ela é da família – digo ficando irritado – mas você logo vai ser também – digo entrando em sua frente que já estava na metade do caminho até a rua – e só ter paciência eles vão te aceitar.

P.V Draco

Passei o resto daquela festa fugindo de minha mãe e suas pretendentes e quando finalmente consigo vou para meu quarto e me jogo na cama so para depois ver uma caixa embrulhada em cima da mesa.

A pego e vejo que não tem nome somente um bilhete.

“que as estrelas estejam sempre iluminando seu caminho e seus sonhos” assinado apenas pelas iniciais H.G. “aperte o olho”

Me animo e abro a caixa e vejo um lindo relógio prateado com alguns detalhes em esmeralda incluindo o olho de uma cobra que rodeava o visor. Como pedia o bilhete apertei o olho da serpente e na mesma hora meu quarto ficou escuro e um segundo depois milhares de luzes em tamanhos e cores diferentes apareceram em meio a escuridão. O universo estava a minha frente ao vivo e em cores. Era tudo lindo, vasto e infinito.

– nossa, isso é lindo – fala uma voz feminina. Me assustando, desligo o relógio no mesmo instante fazendo com que a luz volte a sala quase que instantaneamente – desculpe eu te assustei?

– quem é você? – pergunto a uma garota bem vestida de cabelos castanhos e olhos azuis. – como entrou aqui?

– não lembra de mim? Sua mãe nos apresentou na festa – fala se aproximando e me levanto e mantenho uma distância segura dela. – Astoria Greengrass.

– ahm.. eu acho melhor voltarmos para aquela festa. – digo tentando sair do quarto, mas ela se atira em cima de mim me abraçando pelo pescoço. – o que está fazendo? – digo tentando me desvencilhar do abraço.

– vendo se o que dizem sobre você e verdade – fala tentando me beijar, mas viro o rosto – sempre faz esse jogo? E assim que conquista tantas garotas? – pergunta um pouco confusa, mas sem deixar de sorrir maliciosamente.

– tenho namorada. – falo a surpreendendo – esses dias acabaram – quando digo isso o aperto dela em meu pescoço diminui e finalmente consigo sair de perto dela.

– namorada? E por que ela não está aqui? – fala parecendo zangada.

– isso não te interessa – digo ríspido – aliás nada sobre mim te interessa – e assim saio do quarto preferindo ouvir discursos chatos e implicâncias do Blás a ser atacado por outra garota.

P.V Hermione

Quando Rony voltou a mesa parecia irritado, mas tirando isso o resto do almoço foi ótimo e no estilo bem natalino.

Após o almoço subo para o quarto que divido com Gina curiosa sobre os meus presentes.

– esse aqui é da mamãe – diz Gina apontando para um pacote no qual tenho certeza haver um suéter tricotado a mão.

Abro e não me surpreendo ao constatar de que realmente era um suéter vinho com um grande H na frente.

– e lindo, depois vou agradecer a sua mãe – digo pondo cuidadosamente o suéter na cama na mesma hora em que os meninos entram no quarto.

Pego uma caixa com um bilhete assinado por Harry e Gina o abro e vejo um livro sobre feitiços antigos, bem o que eu queria!

– obrigada gente – falo dando um sorriso de canto e olhando para os dois – vocês são tão fofos, agora dão ate presentes juntos.

– esse é o meu Mione – fala Rony me entregando um embrulho pequeno – não e muito, mas..

– ah Rony e lindo – digo vendo o conteúdo: um lembrou – e pode ter certeza que eu vou usar muito. Obrigada.

– Mione esse não veio assinado – fala Gina me passando uma caixa retangular preta – vai abre – fala curiosa.

Ao abrir vejo um colar dourado em forma de coração e dentro do coração esta gravado as iniciais H G & D M. um bilhete veio junto ao colar “que nunca falte luz em seu caminho ou em seu coração” D M.

E ao colocar o colar com ajuda de Gina, segurei o coração com uma das mãos e uma luz emanou dele verde e ao passar pelos meus dedos atingiam as cores de vermelho. Ao soltá-lo a luz se apagou.

– e lindo – fala Gina olhando para ele mais de perto.

– e mesmo. De quem e? – pergunta Harry sorrindo.

– ah.. – como responder isso. Pense Hermione. – e de.. uma pessoa ai – como sou péssima mentindo assim? Sério? Uma pessoa? Não podia ter pensado em algo melhor?

– não sabia que estava namorando – diz Rony com um sorriso quase imperceptível no rosto – diz qual o nome dele?

– ah talvez um dia você saiba – falo o encarando e vendo seu sorriso aumentar – quem sabe eu não apresente ele a vocês um dia desses – olho para Gina que sorria feito uma criança que ganhou doce.

– vamos meninos deixem ela em paz – fala agarrando  o braço do namorado – quando ela tiver de contar vai contar. – e assim sai do quarto puxando Harry consigo.

– Mione posso falar com você sobre uma coisa? – pergunta Rony se sentando na cama de Gina – você é garota então deve entender. Eu tenho esse amigo e ele me contou que a namorada tem muito ciúme da melhor amiga. O que você acha que ele deve fazer? – pergunta me fazendo sorrir.

– bom eu não sei. – falo o encarando – tente conversa com a Padma. – ele olha para mim espantado.

– como você sabia?

– Rony você é péssimo nisso – digo me levantando – mas por que ela tem ciúmes de mim?

– ela disse que e muita concorrência, falou que minha família nunca vai vê-la como minha companheira porque eles te consideram um filha e monte de blá, blá desse tipo.

– eu realmente não sei como lidar com essa situação, mas tente conversar com ela – falo o vendo sorrir – que foi?

– não sabe como você me salva nessas horas – diz sorrindo para mim – sempre salvou.

– eu não precisaria fazer isso se você é o Harry deixassem de ser pedras ambulantes – digo rindo.


Notas Finais


não se esqueçam de comentar assim eu sei se estão gostando o que acham que precisa ser melhorado e o que esta bom beijos e ate o proximo
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...