1. Spirit Fanfics >
  2. Suffocating Memories - Beauany >
  3. Capítulo 20.

História Suffocating Memories - Beauany - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, oi, oi!😘😘😘
Olha só quem voltou!🎆🖤

Espero que goste do capítulo!🤗🙈
Desculpe os erros!😗✌🏻
Tenha uma leitura em paz!✌🏻🖤

Capítulo 20 - Capítulo 20.


I'd spend ten thousand hours and ten thousand more

Oh, if that's what it takes to learn that sweet heart of yours

And I might never get there, but I'm gonna try

If it's ten thousand hours or the rest of my life

I'm gonna love you

(10,000 Hours - Dan Shay, Justin Bieber)

Any Gabrielly

- Tá legal, nós temos quatorze minutos até o  bolo ficar pronto. - Sabina gritou, recebendo um olhar repreensor de Sofya - Desculpa...

A loira revirou os olhos, voltando a limpar a bagunça que havia virado minha cozinha, graças a nossa experiência culinária.

Algumas horas atrás, minha casa foi invadida por nove garotas malucas. Quando Belinha abriu a porta e me gritou, imaginei que fossem elas, tínhamos combinado de fazer o bolo na minha casa, mesmo eu avisando que não seria uma boa ideia... E não é que eu estava certa.

A campainha tocou e Hina correu para abrir, assim que abriu a porta, ouvimos um barulho alto.

- Anyyyy! - ela sussurrou, nada baixo por sinal.

Revirei os olhos, indo em direção a japonesa que ainda estava parada com a porta fechada, e expressão assustada.

- Quem é? - perguntei, tentando abrir a porta.

- Fala baixo. - ela sussurrou, dessa vez baixinho - Não abra essa porta, se você abrir e deixar ele entrar, estamos perdidas!

Franzi o cenho, sem entender onde a garota queria chegar.

- Hina, quem desgraças está atrás dessa porta?! E por que diabos você bateu a porta na cara dessa pessoa?! - tornei a perguntar, vendo ela suspirar e sair de perto da mesma.

- Josh. - falou. Depois disso entendi todo o desespero, se ele entrasse descobriria toda a nossa surpresinha - Você precisa despachar ele!

Assenti, ainda sem me mexer.

- Any, agora!

Hina saiu correndo pra cozinha, provavelmente para avisar o resto das meninas. Suspirei e girei a maçaneta, abrindo a porta somente o suficiente para passar e não permitir que Josh visse a bagunça lá dentro e muito menos as garotas.

- O que foi isso? - ele começou, apontando para dentro da casa - O que a Hina está fazendo aí?

- Desculpe por isso. Estamos fazendo uma coisa... Importante. Ela só está um pouquinho animada. - sorri sem graça, suspirando em seguida.

- Então tá...

Olhei para ele, sentindo uma felicidade instantânea me invadir. Não consigo entender como em tão pouco tempo, Josh e eu estamos tão próximos. É engraçado perceber que começamos a namorar faz pouquíssimo tempo e mesmo assim, confio nele com todas as minhas forças.

Sorri com o pensamento.

- No que está pensando?

- Só que eu te amo. - sussurrei, colando nossos lábios em um beijo casto.

- Eu te amo.

Fechei os olhos, apreciando aquelas três palavras.

- Por que o avental? - questionou ele, apontando para meu avental de abelhinha.

- Eu estava cozinhando... - respondi tímida, sentindo ele acariciar minha bochecha.

- Farinha. - beijei-o mais uma vez - Você não disse que estava fazendo uma coisa importante com a Hina? Era isso? Cozinhar?

- Sim. As meninas estão aqui, estávamos tentando fazer alguma coisa na cozinha, mas não sei se deu muito certo... - ele riu.

Ficamos em um silêncio confortável, apenas olhando um para o outro.

- Any, sua vez de lavar a louça. Sabina, Joalin e Savannah estão enchendo o saco lá dentro, dizendo que não vão estragar as unhas de jeito nenhum... - Sina apareceu, lançando um olhar de desespero.

- Tudo bem, acho que deu minha hora... Depois nós nos falamos? - Josh perguntou, depositando um beijo na ponta do meu nariz.

Assenti, sentindo suas mãos nas laterais do meu rosto.

- Oi Sina. Tchau Sina. - ele cumprimentou e se despediu rapidamente.

- Oi Josh. Tchau Josh. - minha amiga respondeu.

Josh me deu um último beijo e saiu correndo, deixando-nos para trás.

- Vem, é sua vez de lavar a louça. Cookie. - ela provocou, usando o apelido que só o Josh usa.

Revirei os olhos, não dando bola para sua provocação.

- O que ele queria? - ela perguntou quando já estávamos dentro da casa.

- No fim ele nem disse, mas acho que não acreditou muito no que eu falei... Mais tarde nós vamos conversar e se ele tocar no assunto, dou um jeito de despistá-lo.

- Okay. - ela respondeu.

- Olha o celular tocando! - Joalin gritou da cozinha.

Sina e eu fomos até as meninas, onde Joalin falava no telefone com alguém, mas já parecia prestes a desligar, até Sininho perceber que era seu telefone nas mãos da maluca.

- Com quem ela esta falando? - perguntei, observando as duas em uma pequena luta pelo celular.

- Noah. Ele ligou para falar com a Sina, mas quem entendeu foi a Joalin... Ela deve estar aprontando alguma, Jojo sempre faz isso. - Diarra respondeu, assistindo as duas.

- Uma lição: em hipótese alguma deixe Joalin Loukamaa atender seu telefone. Pode ter certeza, ela vai aprontar com você! - Heyoon avisou, parecendo se lembrar de alguma coisa.

- Ela já fez isso com você?

- Sim, e não foi nada legal. - ela fez uma pausa, suspirando com a lembrança - Lamar ligou e a maluca atendeu, dizendo que eu estava precisando dele do outro lado da cidade... Ele dirigiu por uma hora e meia para nada, quando chegou lá e não me encontrou, Lamar me ligou e perguntou onde eu estava. Respondi que estava em casa, esperando uma pizza... - dei risada, mas Yoon tinha uma expressão de falsa irritação - Não ri. Foi um saco aguentar a Joalin zuando meu namorado durante um longo período de tempo, chamando-o de Cachorrinho da Yoon...

Ela revirou os olhos.

- Esse apelido foi só por que Lamar quis te ajudar? - perguntei, confusa.

- Mais ou menos... É que Lamar quase nunca se nega a fazer o que eu quero, a maior parte das respostas dele é sim. Seu senso protetor é enorme, já me acostumei com isso, mas Joalin não é tão compreensiva quanto eu... Então Jojo achou mais do que apropriado o apelido, ele não gostou. - dei risada.

- O que mais ela já aprontou?

- Diarra perdeu uma foda por causa dela. - meus olhos se arregalaram.

É meio estranho o quanto essas garotas agem naturalmente quando o assunto é sexo. Ou talvez elas não sejam estranhas, eu que sou careta e traumatizada demais...

- Como assim?!

- Joalin atendeu o telefone dela. Disse para o cara que Diarra não queria nada com ele, só porque o volume nas calças dele não era lá essas coisas. O cara ficou puto da vida e mandou a Dee pro inferno...

- E o quê a Diarra fez?

- Nada, simplesmente ligou pro cara e disse que ela não havia dito nada, mas que concordava plenamente com a Joalin.

- Okay, lição aprendida. Nunca vou deixar ela chegar perto do meu celular! - falei, arrancando uma risada de Yoon.

- Ótimo.

- Vou lavar minha louça que eu ganho mais. Vocês são todas loucas! - afirmei, fazendo a coreana rir ainda mais.

Me surpreende saber que minhas amizades aqui, são completamente diferentes das que tinha no Brasil. Mesmo antes de toda a merda acontecer, eu já era uma pessoa reservada, bem mais do que o normal para uma garota da minha idade. Porém depois que conheci Josh, minha vida mudou bastante. Eu mudei bastante, mesmo que sem perceber.

Fazer parte de um grupo de amigos, onde as pessoas são todas malucas, me faz mais bem do que imaginei ser possível. Essas meninas são todas diferentes, mas ao mesmo tempo são todas parecidas e isso me faz sentir parte do grupo. Ainda que eu as tenha conhecido a pouquíssimo tempo.

É engraçado perceber a volta que minha vida está dando, graças a uma única pessoa.

Josh Beauchamp é um cara incrível. Sem notar, ele se tornou alguém importante demais na minha vida e quem vem mudando ela de uma forma que eu nunca imaginei ser possível...

Se alguém a alguns meses, chegasse em mim e falasse que eu estaria namorando um garoto como ele, primeiro eu daria risada e depois diria que essa pessoa é doida. Josh é o completo oposto do que eu imagino que combina comigo.

Desde muito pequena, sempre tive um plano de vida criado na cabeça e nele estava o cara perfeito. Teria que ser bonito, inteligente, prestativo e ser uma pessoa reservada assim como eu. Não que meu namorado não seja reservado, Joshua é. Mas cara, ele é um dos garotos mais populares do colégio!

Como diabos isso foi acontecer?! Eu, Any Gabrielly Rolim Soares, namoro um dos caras mais populares e cobiçados do colégio! Muitas garotas dariam qualquer coisa para estar no meu lugar, ainda que não conheçam Josh como eu.

É incrivelmente doido imaginar alguém que combine mais comigo do que ele, mesmo com todas as nossas diferenças. E olha que elas são gritantes!

É isso Any. Você tem que aceitar que encontrou um cara incrível e que ele te ama... Ele me ama!

Sorri de forma boba com esse pensamento, começando a finalmente lavar a louça.

(...)

Era óbvio que eu não faria aquilo! Sabina só poderia estar maluca se achava mesmo que eu daria aquilo ao Josh.

Desde que chegou e viu o presente escolhido por mim, Sabi disse que não fazia sentido. Sina e Joalin também estão aqui, mas concordaram comigo que não seria nada apropriado da minha parte fazer o que nossa amiga sugeria. Tudo bem que esse seria o presente que o Noah receberia da namorada dele, mas os dois já estão juntos faz seis anos.

- Sabi, desiste, não vou fazer isso. Josh e eu estamos juntos faz uma semana, não tem cabimento dar isso de presente de aniversário a ele! - falei, me levantando da cama e caminhando para perto do closet.

- Any, todo homem adora receber isso. Josh vai amar, tenho certeza! - ela veio até mim.

- Sabina, Any está certa. A Sina e o Noah estão juntos faz muito tempo, é óbvio que esse seria o presente, ainda mais que a nossa amiguinha aqui é uma pervertida. - Jojo direcionou um sorriso malicioso para a loira.

- Ei! Eu estou aqui, sabia? - Sininho jogou uma almofada em Joalin.

- Eu não ligo se ela é pervertida ou não. Mas que seria um grande presente, isso seria! - Sabina pegou sua xícara de chocolate quente - Tenho certeza que uma boa noite de sexo, deixaria o Josh ainda mais louco por você!

- Já disse e não vou repetir. Não vou transar com o Josh só porque é aniversário dele! - falei, impondo um tom firme na voz - E ponto final.

A mexicana resmungou, arrancando uma risada das outras duas.

- Agora, façam alguma coisa de útil e me ajudem a escolher uma roupa. Daqui a pouco meu namorado está aqui e eu ainda não estou nem com uma roupa descente.

O short preto e a regata branca ainda cobriam meu corpo, o cabelo permanecia molhado depois do banho. Meu quarto estava uma zona completa, roupas espalhadas por todo canto e as meninas jogadas em cima da minha cama. Fazia algum tempo que elas haviam chego e além das minhas bagunças, o quarto tinha algumas coisas delas também.

A festa dos meninos aconteceria dali algumas horas, mas antes Sina e eu teríamos que distraí-los. Combinei com Josh de sairmos para passear pela orla da praia, mas como o clima deu uma esfriada, vamos acabar por nem chegar tão perto do mar quanto eu gostaria.

O presente que comprei estava embrulhado dentro de uma sacolinha de papel, muito bonita por sinal. Acho que Josh vai amar o que escolhi, pedi a opinião de Ursula e minha sogra achou o máximo minha escolha.

- E então, pra onde vocês vão? - Jojo questionou, procurando alguma coisa nas pilhas de roupa.

- Vamos passear pela orla da praia... - respondi, suspirando encantada - E você, Sininho? Vai levar Noah pra onde?

- Quero levar ele ao nosso lugar especial. Faz um bom tempo que Noah e eu não vamos até o nosso penhasco... - a platinada respondeu, com um sorrisinho bobo.

- Sério que vocês vão pra lá? Fazendo as coisas no matinho, Sina? - Sabina provocou.

- Claro que não, depois da festa vamos para um hotel. Nossa noite vai ser quente! - neguei com a cabeça, rindo da expressão maliciosa da minha amiga.

Voltei a me preparar, ignorando a conversa das garotas. Elas não demoraram para começar a se arrumar também, vestindo as roupas que trouxeram. Mas não sem antes remexer minhas roupas à procura de novas opções.

Meu cabelo, por algum motivo, hoje resolveu colaborar, então deixei os cachos soltos. Vesti uma roupa confortável e ao mesmo tempo bonita, nada muito extravagante, a festa não estaria cheia e não tinha motivos para exagerar.

Me olhei no espelho, reparando na garota bonita sentada a frente da penteadeira. A maquiagem que fiz ficou leve e natural, realmente parecia eu mesma, ainda que uma versão mais bonita de mim. O sorriso no rosto, me deixava ainda mais linda e me senti exatamente dessa forma, linda.

Pode parecer presunçoso da minha parte, mas me sinto realmente bonita como a muito não sentia. Desde que conheci meu namorado e melhor amigo, a perspectiva que tenho da minha aparência mudou bastante e sei que isso não se deve apenas ao fato de ter arranjado um namorado.

Mesmo que não tenha dito uma palavra do que me aconteceu no passado ao Josh, o quão bem me sinto apenas por sua presença, já me deixa em êxtase.

- E então, como estou? - perguntei, levantando e me virando para que as meninas pudessem analisar melhor.

- Wow... - elas disseram juntas.

Passei as mãos pela calça, tentando expulsar o nervosismo do corpo.

- Está incrível! - Joalin, que já estava pronta, veio até mim.

Ela segurou uma de minhas mão e fez com que eu girasse, olhando a roupa de todos os ângulos.

- O Josh vai babar! - Sabina comentou, fazendo cara de hipnotizada.

- Concordo plenamente! - Sininho acrescentou, assobiando em seguida.

As garotas também estavam lindíssimas. Todas nós optamos por usar uma boa e velha calça, vestido nesse frio não era uma ideia tão genial.

- Okay, daqui a pouco Josh chega. - comentei, sentindo uma ansiedade boa invadindo-me.

- Tem certeza que você vai mesmo dar isso pra ele? - Sabina voltou ao assunto, lançando um olhar malicioso na minha direção.

- Eu já disse, esse é o presente. Se o Josh não gostar, paciência. - resmunguei, pegando a pequena sacolinha de cima da escrivaninha.

Fiquei esperando Sabina e Sina terminarem de se arrumar, elas provavelmente sairiam depois que Josh chegasse, já que faltava coisa de cinco minutos para dar o horário que meu namorado disse que estaria na minha casa.

Ouvimos uma batida na porta, que foi aberta em seguida, dando-nos a visão da minha mãe.

- Nossa, como vocês estão bonitas! - ela falou, entrando no quarto.

- Obrigado, tia. - Jojo agradeceu, se aproximou e passou seu braço pelo ombro dela.

- Não foi nada querida! - mamãe me olhou - Josh está na sala te esperando.

- Já?! Não ouvimos a campainha...

- Ele não tocou. Belinha estava indo ao quintal buscar uma coisa pra mim, quando Josh estava prestes a apertar a campainha, sua irmã abriu a porta.

- Tudo bem, já vou descer.

Me levantei, observando meu reflexo mais uma vez no espelho. Ajeitei os cachos sobre os ombros e respirei fundo, criando coragem para descer.

- Any, não vai esquecer o presente. - Sina me chamou, me fazendo caminhar até a cama novamente.

- Obrigado. - saí do quarto, deixando as quatro lá dentro.

Quando desci as escadas, dei de cara com Josh me esperando. Sorri com a visão dele, tão bonito como sempre.

- Hey, você está bonita! - ele começou, segurando minha mão quando estava nos últimos degraus.

- Você também está! - aproximei nossos rostos, dando um breve beijo em seus lábios.

- Vamos?

- Claro.

Fizemos o caminho até a porta, a qual ele abriu dando passagem para eu passar primeiro. Todo cavalheiro.

- Você não teve que esperar muito não, né? - questionei assim que entramos no carro.

- Não, assim que cheguei sua mãe subiu pra te chamar.

- Ah, ainda bem.

Ficamos em silêncio durante o percurso até a praia. Josh dirigia tranquilo, enquanto eu mexia distraidamente na pequena sacolinha em meu colo. A noite estava bonita e agradável e tenho certeza que tanto Josh quanto Noah, vão adorar a pequena festa que preparamos.

Não vai ser nada muito grande, somente os amigos mais próximos, família e alguns conhecidos. Depois que conversamos com Ursula e Wendy, acabamos descobrindo que nenhum dos dois queria fazer festa. Agradeci mentalmente quando descobri que seria algo mais íntimo, não gosto de festas, principalmente quando tem pessoas que eu não conheço.

Olhei para minhas mãos, reparando no anel de prata que circulava o dedo anelar. Por algum motivo, vê-lo ali me trazia uma paz enorme, como se ele fosse uma representação de toda a felicidade que eu vinha sentindo. Porém, o anel era só um objeto, o que realmente me trazia aquela paz, era a presença do meu namorado.

Como se adivinhasse no que eu estava pensando, Josh falou.

- Fica lindo em você. E eu amo saber que está usando ele! - olhei para ele, reparando na expressão de contentamento.

- Também gosto de usá-lo. Ainda mais quando sei que a pessoa que me deu ele, é o meu namorado. - sussurrei, como se estivesse lhe contando um segredo.

- É bom saber disso.

Rolei o anel ao redor do dedo, sentindo o metal frio contra minha pele quente. Aquele estava se tornando um hábito e tenho certeza que todos já haviam reparado, eu faço isso toda hora desde que ganhei o anel.

Esperei Josh parar o carro em um pequeno estacionamento perto da praia, não me importei com o silêncio que preenchia o carro, não precisávamos de palavras naquele momento. Pra falar a verdade, quando estou com Josh não preciso de nada além dele.

Depois de dar a volta no veículo, Joshua abriu a porta para que eu pudesse sair. Acho muito fofo todo esse cavalheirismo dele, hoje em dia é raro encontrar um cara que seja cavalheiro e não cavaleiro.

- E então, o que viemos fazer aqui?

- Eu já tinha te dito, só quero caminhar pela praia... - ele fez uma careta - O quê? Ninguém mandou você dizer: "Cookie, quero que você escolha, e não importa que seja o meu aniversário.".

- Tudo bem, tudo bem... Então só vamos caminhar... - ele balançou a cabeça de um lado pro outro, debochando da minha escolha.

Segurei uma das mãos dele, apertando firmemente seus dedos e sentindo um carinho leve, feito por ele.

Josh permaneceu em silêncio, parecia perdido em seus próprios pensamentos, mas a todo momento tinha um sorriso lindo no rosto.

- Como está se sentindo com dezenove anos? - perguntei.

Joshua entrou atrasado na escola, por isso está fazendo dezenove anos.

- Até agora? - fez uma pausa, como se estivesse pensando em alguma coisa muito complicada de se dizer - Não vi diferença nenhuma.

Dei risada, achando graça de sua falta de animação.

- Ah, qual é? Tenho certeza que alguma coisa deve ter mudado.

- Se mudou, eu não percebi. Antes eu já dirigia, já podia chegar tarde em casa, podia sair sem avisar os meus pais... Não tem diferença.

Revirei os olhos.

- Mas agora você já é maior de idade.

- Ano passado eu também era. E não fico feliz em saber que desde o ano passado, já posso ser preso. - ele resmungou.

- Cara, você é um chato! Hoje você está comemorando mais um ano de vida, esse dia tem que ser mais do que especial e feliz. Não importa se vai mudar algo ou não! - falei, olhando para ele.

- Você tem razão. Mas ainda assim, acho que não mudou nada.

Suspirei, revirando os olhos em seguida.

Caminhamos por mais alguns metros, sentindo a brisa do mar nos abraçar. Quando eu parei no meio do caminho, Josh me olhou.

- Preciso te dar o seu presente. - ele negou.

- Você sabe que não precisa me dar nada. Já ganhei o melhor presente de todos, uma semana atrás.

- Claro que eu preciso. Me tornar sua namorada não pode ser considerado um presente!

- Você está sendo a melhor coisa que me aconteceu! Eu te amo. - dei um beijo rápido nele.

- Eu também te amo. - um sorriso preencheu seu rosto - Mas eu já comprei o seu presente, não posso devolver. Toma.

Estiquei a pequena sacolinha para ele, que pegou-a e suspirou antes de abrir.

Assim que Josh abriu, tirou de lá as duas camisetas que eu escolhi e comprei. Ele olhou confuso para as frases escritas.

- O que está escrito? - as frases eram em português.

- Nessa, - apontei para a preta - está escrito: Se você me acha lindo dê uma risadinha... Se não acha dê 3 mortais para trás! E nessa, - apontei pra branca - Pare de ficar lendo frases na camiseta dos outros.

Joshua riu, olhando para as duas camisetas.

- Amor, obrigado! Eu amei. - recebi um beijinho.

- Ainda não acabou, tem mais uma coisa aí dentro. - falei, vendo ele franzir o cenho e olhar para a sacola.

Dois segundos depois, quando meu namorado viu do que se tratava o outro presente, o sorriso que já era grande, se tornou ainda maior.

- Caralho! Cookie, eu não acredito nisso! Onde foi que você conseguiu isso?! Pensei que estivessem esgotados.

- Minha mãe tem um amigo que conhece um cara, pedi pra ela falar com ele sobre isso... - respondi, com um sorriso encantado.

Ele olhou para os cinco ingressos pro jogo dos Oilers em sua mão, logo em seguida me olhando. De repente seus lábios estavam colados aos meus, não me importei com o pequeno susto, era ótimo beijar o Josh e eu jamais reclamaria disso.

Mesmo que estivéssemos em público, Josh não se importou em me dar um beijo abrasador e urgente, como se aquele fosse nosso último. Quando sua boca se afastou da minha, nós dois estávamos ofegantes e bagunçados.

- Feliz aniversário! - sussurrei, beijando-o mais uma vez.

- Eu te amo! - as palavras sairam da boca dele.

- Eu te amo! - respondi de volta.

- Esse foi um dos melhores presente que já me deram! Eu estava doido para assistir esse jogo, fiquei decepcionado quando descobri que os ingressos já estavam esgotados... Não acredito que você conseguiu cinco ingressos!

- Foi até que fácil convencer o amigo da minha mãe. Pedi cinco por que assim você pode levar seu pai, o Jaden e mais duas pessoas.

- Eles vão ficar malucos com isso! - recebi mais um beijo - Você vai com a gente, né?

- Eu não entendo nada de hóquei, mas se você quiser posso ir. - sorri.

- É claro que eu quero! Acho que minha mãe também vai gostar, dona Ursula fala que não gosta de hóquei, mas direto ela assiste.

- Isso vai ser divertido! - falei, empolgada.

Ficamos um tempo olhando para o horizonte, apreciando o balançar e o quebrar da ondas. Peguei o telefone algum tempo depois, para me certificar de que já era hora de irmos pra festa.

- Precisamos ir, quero te mostrar mais uma coisa. - ele se virou para mim, esperando eu dizer o que era - Sem chance, não vou te contar o que é.

- Mas é meu aniversário. Você não pode me deixar curioso no meu aniversário, Cookie! - implorou, com cara de cachorro que caiu da mudança.

- Amor, daqui a pouco você vai saber... Prometo que vai gostar. - comecei a correr para onde tínhamos deixado o carro, deixando-o para trás.

Josh correu também, alcançando-me quando já estava perto do carro. Ele me puxou pelo braço, colocando suas mãos na minha cintura em seguida e rindo, antes de me beijar novamente de maneira apaixonada. Não fiquei para trás, respondendo ao beijo com vigor. Agarrei os cabelos dele, bagunçando mais do que eles já costumam estar bagunçados.

Uma das mãos de Josh migraram para meu pescoço, mantendo me colada a si. Soltei um riso baixo e apaixonado depois de nos afastarmos.

- Vamos! - falei, indo para perto da porta do carona.

Ele riu, apertando o botão do alarme e correndo para o lado do motorista.

Eu gastaria dez mil horas e então mais dez mil

Oh, se isso for preciso para conhecer esse seu doce coração

E talvez eu nunca chegue lá, mas vou tentar

Se forem dez mil horas ou o resto da minha vida

Eu vou te amar


Notas Finais


Mais um capítulo pra vocês. Espero que tenham gostado dele!🙈

Tenho uma surpresinha pra vocês, ainda não sei se vou conseguir fazer, mas quero tentar pelo menos.🙏🏻 Essa semana agora, vai ocorrer o concelho de classe na minha escola, se eu conseguir quero escrever dois capítulos para poder postá-los como um presente pra vocês!
Não posso prometer, mas quero muito fazer isso. Como uma espécie de agradecimento por todo apoio que a história vem tendo.🖤

Mais uma vez espero que tenham gostado!🖤🤗
Até a próxima!👋🏻👋🏻
Beijos!💋💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...