História Sugar Free Party - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Abo, Bangtan Boys, Bts, Hoseok, Jikook, Jimin, Jimin!alfa, Jimin!top, Jooheon, Jungkook, Jungkook!ômega, Jungkookbottom!, Kookmin, Minhyuk, Oneshot, Taegi!sidecouple, Taehyung, Yaoi, Yoongi
Visualizações 851
Palavras 16.101
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Olá! Olá! Cá estou eu com mais uma oneshot rsrs. Nossa, nem acredito que consegui colocar essa ideia pra fora da minha cabeça kkkk. Essa não é minha primeira oneshot, porém é minha primeira OS do nosso amado couple dentro do universo ABO. Espero que se divirtam com ela tanto quanto eu me diverti escrevendo. Eu betei o capítulo, mas como ficou um pouco grande, sei que na certa alguns errinhos devem ter passado despercebidos; então me desculpem qualquer erro tá bom?! Agora vamos ao capítulo. Boa leitura a todos!

Capítulo 1 - I hate the sugar free!


A vida universitária sempre foi algo que os jovens coreanos ansiavam bastante viver. Ser aprovado na maior universidade nacional era o sonho de muitos deles, ainda mais por desejarem experenciar todas as emoções de uma vida nas tão famosas fraternidades estudantis. Novas amizades, álcool, festas, pegação... com certeza eram coisas que não queriam deixar de viver enquanto estivessem na graduação. E se dependesse de seus veteranos, com certeza viveriam tudo isso e muito mais.

As fraternidades estudantis eram os lugares onde os jovens geralmente eram alojados, cada um conforme aquilo que mais se identificasse; logo, as irmandades eram sempre constituídas por membros de classe correspondente aquela que esta representava. Alfas tinham sua própria fraternidade, com suas próprias regras; bem como os ômegas e betas também.

Mas um fato interessante e um tanto quanto incomum sobre o que acontecia nas fraternidades, era a rivalidade que algumas delas mantinham entre si. Com exceção dos betas, que sempre ficavam de fora da rixa entre alfas e ômegas, apenas observando de camarote as divertidas batalhas travadas entre eles. A bastante tempo que as duas fraternidades brigavam entre si, e aquilo não era mais nenhuma novidade, até gostavam do clima de disputa. Então sempre que podiam davam um jeito de tirar a paz uma da outra.

E como numa partida de xadrez, onde cada lado estudava bem uma jogada para poder realiza-la, o último movimento daquele jogo havia sido feito pelos ômegas; e os alfas em breve retribuiriam a brincadeira.

[...]

Na fraternidade dos alfas, Park Jimin era o líder; por ser o típico alfa popular e entrosado com todos. Cheio de amigos, bom em esportes, o mais bonito dentre os alfas, e é claro, muito cobiçado; quer fosse por ômegas, betas ou até mesmo outros alfas. Já no terceiro ano da faculdade, ele se preparava para mais uma recepção e acolhimento de seus calouros.

- Pessoal! Como vão os preparativos da nossa festa de boas vindas? – Jimin perguntava enquanto alguns outros alfas passavam com algumas compras pelo meio da cozinha.

- Tudo certo Jiminnie. Já temos as bebidas, comida e daqui a pouco o Namjoon vai chegar com o som. – Taehyung, o alfa que cursava educação física com Jimin e também melhor amigo dele, lhe respondeu.

- Beleza. Amanhã vamos conhecer os novos alfas; e eles precisam se sentir acolhidos, saber que podem contar conosco como uma família.

- E eles vão Jimin. Eu quero mesmo é descobrir o que teremos de novidade na casa dos ômegas. Vai que esse ano arranjo alguém pra me fazer sossegar. – disse sugestivo.

- Até parece. Você fala isso, mas é só o Yoongi estalar os dedos que você tá lá atrás dele. Duvido que vá mudar agora.

- Tá! Mas pelo menos eu não sou galinha como você Park Jimin. Duvido que você mude algum dia. – Taehyung bem conhecia o amigo; por isso sabia o que dizia.

- Ah tá! Mas eu pelo menos não fico preso a mesma boca todos finais de semana. Juro que não sei como consegue.

- Conseguindo oras. Um dia você também vai estar assim e eu vou dar bastante risada da sua cara de trouxa apaixonado.

- Um... quem sabe em breve né?!... – os dois riram. – Ei Taehyung. Sabe de uma coisa? Eu andei pensando num jeito de deixarmos as coisas mais interessantes pra nossa festa.

- Com interessante você quer dizer exatamente o quê?

- Divertidas oras. – o sorriso travesso no canto de seus lábios denunciava a quantidade de malícia que possuía aquela fala.

- Jimiiiiin... o que tá tramando?

- Nossa Taehyung! Falando assim até parece que sou algum gênio do crime.

- E não é? Essa sua carinha não me engana. – segurou em seu queixo lhe fazendo um biquinho fofo.

- Tá bem. Acho que está na hora de devolvermos a gentileza que os ômegas nos fizeram semana passada.

- Esquece isso Jimin. Sério que vai ficar chateado com aquela leseira?

- Tá falando isso só porque seu peguete estava no meio e agora tá querendo livrar o rabinho dele né?

- Talvez... Mas, convenhamos. Aquilo foi até engraçado.

- Se você acha engraçado ter a nossa casa com a faixada repleta de ursinhos de pelúcia cheirando a cereja, então você se enganou. Não é NADA engraçado. É vergonhoso! – o alfa ainda parecia bastante indignado com a brincadeira da casa alheia. – O que você acha que vão pensar sobre nós? Aqui é uma casa de alfas. Sem contar que esse cheiro agora tá impregnado aqui; toda vez que entro em casa tenho que prender a respiração.

- Você é exagerado Jimin.

- Foda-se. Agora vamos devolver na mesma moeda.

- Tá. E o que pretende fazer?

- Pega meu laptop que eu te mostro.

Taehyung foi até o quarto de seu amigo e lhe trouxe o que pedira. Ele estava curioso. Sabia que Jimin só tinha aquela carinha fofa, mas que na verdade ele era um alfa com um gênio bem difícil de lidar. E que o baixinho, por mais que não aparentasse, conseguia ser bem perverso às vezes.

- Preparado? – perguntou quando abriu seus arquivos.

- Mostra logo Jimin. – a curiosidade já incomodava Taehyung, que apenas queria saber se a brincadeira da vez seria leve ou pesada.

Taehyung olhava com atenção a imagem, tentando pelo menos entender o que Jimin pretendia com aquilo.

- Então? O que achou?

- Estou começando a duvidar do seu conceito de pagar na mesma moeda. Isso é... é alguma piada? – Taehyung ria ainda sem compreender o propósito de seu amigo.

- Amanhã vamos dar simplesmente a maior festa de recepção desse campus. Eu fiz questão de divulgar nos quatro cantos dessa universidade. Vamos ter gente de todas as fraternidades aqui, com exceção... – Jimin dizia enquanto encarava Taehyung, deixando que o próprio finalmente tirasse suas conclusões sobre o objetivo do líder.

- Oooooh! Agora eu entendi. Não vai chamar os ômegas.

- Todos os anos eles aparecem, e todos os anos os deixamos participar. Mas esse ano vai ser diferente. Ômegas serão barrados. Mas para que eles não fiquem tristes, nossa festa será em homenagem a eles, nossos lindos docinhos. – era possível sentir a ironia e a acidez em cada palavra do alfa, que sorria diabolicamente a cada vez que pensava em sua vingança tão doce quanto os adoráveis ômegas.

- Agora entendi o porquê desse design pro cartaz de divulgação. – Taehyung finalmente compreendera aonde seu amigo queria chegar. – Sugar Free Party. Eles vão ficar furiosos.

- Essa é a intenção. – o sorriso malicioso continuava a habitar seu rosto.

Jimin teria sua vingacinha, e ela teria o sabor cereja, igual ao perfume que os ômegas fizeram questão de banhar as pelúcias que os deram como “presentinho” por mais um ano que passavam como vizinhos. 

[...]

Do outro lado do país, o jovem ômega de 20 anos, Jeon Jungkook, se preparava para embarcar no voo que o levaria para sua nova vida.

- Filho, se precisar de alguma coisa é só ligar pra mamãe.

- Mããããããe! Eu não sou mais criança. – o ômega alto, de cabelos vermelho cor de cereja, tentava negar com um biquinho nos lábios que o tornava ainda mais fofo e irresistível.

- Mas vai ser sempre meu bebezinho. – a mãe lhe apertava as bochechas já rubras, devido o pequeno constrangimento que o estava fazendo passar.

- Tá bem mãe. Eu tenho que ir.

- Promete que não vai esquecer de ligar pra mamãe? – Jungkook já a encarava com desgosto. – Não faça essa cara pra mim garoto.

- Mãe... – Jungkook a segurou pelos ombros, olhando fundo em seus olhos. – Eu te amo. Te amo muito mesmo. Mas o seu docinho aqui tem que ir agora. – fez questão de relembrar o apelido carinhoso que sua mãe o dera desde que se entendia por gente.

- Isso é tão difícil. – a senhora Jeon agora já estava aos prantos por encarar o fato de seu doce ômega estar realmente saindo de casa, de seus braços e de seus cuidados maternos.

- Não precisa chorar mãe, eu venho pra casa nas férias, e sempre vai poder me ligar, tá bom?

- Tá bom! – ela tentava enxugar as lágrimas com um lencinho. – Vai logo, antes que eu mude de ideia e faça você perder seu voo.

- Te amo. – Jungkook sorria.

- Também te amo meu docinho. Agora vai vai.

Jungkook não estava deixando para trás sua história, estava apenas escrevendo um novo capítulo dela.

Sua estadia já havia sido aprovada pela fraternidade que tinha como líder o aluno dono do melhor coeficiente de rendimento da turma de medicina de todo o campus, a mesma fraternidade que tirava a paz de Park Jimin; e seu nome era Min Yoongi, um educado ômega que fora super simpático e lhe tratou muito bem desde sua visita para a entrevista.

Jungkook estava ansioso por conhecer os novos colegas com quem partilharia muitos de seus momentos durante a vida universitária. Já sabia como funcionavam os critérios de seleção e a separação por classes entre cada irmandade. Sabia que seu novo lar era famoso por ter apenas ômegas machos e bem comportados, donos dos melhores coeficientes de todos os cursos, logo, sabia também que teria que mostrar o quão bom era. O que Jungkook não sabia, era da rixa que existia entre a Alfa Tau Sigma, liderada por Jimin, e a Ômega Yang Delta, liderada por Yoongi.

Diferentemente dos alfas, os ômegas recebiam seus calouros com uma noite na fogueira, onde todos ficavam juntos ao redor de uma fogueira de verdade, comendo marshmallows e partilhando sobre suas vidas (cidade natal, idade, curso escolhido, gostos... etc.). Uma maneira de fazê-los se sentirem acolhidos com a nova “família” que teriam a partir dali. A noite na fogueira já era uma das tradições dos ômegas. E Jungkook teria adorado, se tivesse acontecido uma, o que não foi o caso.

Naquele ano a noite de acolhimento da Ômega Yang Delta foi realizada juntamente com a festa de boas-vindas dos alfas.

E com toda a rivalidade entre as duas fraternidades, como isto pôde acontecer? Bem... a razão para estarem todos juntos é a mesma que tinha por finalidade os separar. E tinha apenas um nome: Sugar Free Party.

[...]

Sugar Free Party Day

           

- Olá. É seu primeiro dia também? – um outro ômega recém chegado perguntou a Jungkook.

- Sim. Acabei de chegar. Você sabe me dizer onde encontro o Yoongi?

- Hum... acho que daqui a pouco ele vem falar com os novatos. Também estou esperando por ele. Qual seu nome?

- Me desculpe a falta de modos. Eu me chamo Jeon Jungkook. E você?

- Muito prazer Jungkook, eu me chamo Jung Hoseok. Mas meus amigos me chamam de Hobi. – o ômega de lindos cabelos rosa disse sorrindo simpático para ele.

- Hobi, você sabe onde serão nossos quartos?

- Não. Mas o Yoongi vai explicar tudinho assim que chegar.

- Tá bem.

Os dois permaneceram na sala de sua nova casa, junto aos demais ômegas calouros que tinham sido aprovados por aquela fraternidade, enquanto aguardavam o líder para lhes dar as boas-vindas e fazer a apresentação da casa.

Os novos moradores já socializavam entre si, afinal, para os ômegas, era comum ser gentil e doce com os demais. A sala da casa já era dominada pelas vozes e cheiros dos diversos ômegas, Yoongi até se surpreendeu ao ver tantos ômegas juntos. Não que fosse uma novidade, afinal, aquilo acontecia todo ano, mas para ele parecia sempre algo novo.

- Nossos novo bebês chegaram. Vamos até lá falar com eles. – disse Yoongi para Minhyuk, outro veterano.

Os mais velhos se juntaram aos recém-chegados, logo recebendo a atenção de todos, que ansiosos já esperavam pelo pronunciamento do líder e dos demais veteranos.

- Boa tarde a todos. Como vocês já sabem, eu me chamo Min Yoongi, e sou o líder desta fraternidade. Este é Minhyuk, ele também é um dos membros desta casa e me ajuda muito a administrar a ordem por aqui. Nós gostaríamos de lhes dar nossas sinceras boas vindas e dizer que esperamos que os dias de vocês durante esses anos tão importantes sejam os melhores de suas vidas. Nós da Ômega Yang Delta estamos muito felizes por acolhe-los em nossa casa, que agora também é de vocês.

- Como vocês já devem ter sido orientados na entrevista, nossa casa tem algumas regras, que eu gostaria de relembrá-las. – disse Minhyuk, ao receber o momento de fala. – Nós não realizamos aquela coisa primitiva que nossos colegas alfas chamam de “iniciação”. Não somos adeptos de qualquer comportamento agressivo, preconceituoso ou extremista. Fiquem tranquilos, quanto a isso, pois todos que estão aqui passaram na entrevista, então não esperamos encontrar nada do gênero vindo dos membros desta casa. – Minhyuk explicava tudo com um lindo sorriso no rosto, o que deixava os demais ômegas todos encantados. – Como já foi avisado, os quartos são compartilhados; então cada membro deve zelar pela ordem do seu local de descanso. Vocês já foram avisados, mas vale lembrar que é proibido trazer parceiro para passar o cio com você; então se desejam passar ao lado de alguém, devem ir para um motel ou qualquer outro lugar, ou simplesmente podem tomar inibidores e permanecerem em seus aposentos durante os dias de seu período. As tarefas comuns da casa estão organizadas em uma planilha que fica na cozinha, onde todos têm acesso ao dia e tarefa que deverão realizar; bem como seu dia específico para utilizar a lavanderia. – todos escutavam atentos, afinal, nunca era demais relembrar as regras. – Por último, temos uma proibição que é estritamente impossível de ser violada, sob risco de expulsão da fraternidade. – nesse momento, todos o olharam apreensivos, não lembravam de terem sido advertidos sobre algo de extrema gravidade. – É terminantemente proibido a entrada de qualquer membro da irmandade Alfa Tau Sigma nesta casa.

- Uma pergunta. – disse Jungkook levantando a mão, já que ficou bastante curioso sobre o porquê daquela regra.

- Pode falar Jungkook. – disse Yoongi.

- Por que é proibido?

- Como vocês chegaram agora ainda não sabem. Mas nós e a nossa querida fraternidade vizinha temos desavenças. Eles estão sempre tentando tirar nossa paciência com trolagens infantis e idiotas. Então também devolvemos as provocações no mesmo nível, para que vejam que nós não nos submetemos a eles somente por serem alfas. Inclusive, hoje mesmo eles resolveram nos afrontar. Por isso, sentimos muito em informa-los, mas não teremos nossa típica noite na fogueira. – um coro de “Aaaaaaa” de descontentamento ecoou pela sala. – Acalmem-se! Em compensação, todos nós iremos a uma festa. – rapidamente os novos membros se alegraram. – Entretanto... seremos penetras. – Yoongi e Minhyuk carregavam um sorriso maléfico em seus rotos, e todos perceberam que aquilo não era um bom sinal.

A festa não era segredo para quase ninguém. Qualquer um que caminhasse um pouco pelo campus universitário saberia logo da tão típica festa promovida pelos alfas a cada novo início de período letivo. Com tantos cartazes espalhados pelos corredores, era até improvável algum ser humano alegar não ter conhecimento da tal festa. O que talvez muitos não soubessem era o real significado que havia por trás do tema tão convidativo e divertido daquele ano.

- Não digam que a festa que nós vamos é a da... – e antes que Hoseok pudesse terminar de falar, Yoongi completou.

- Isso mesmo Hoseok. Nós vamos a Sugar Free Party.  

[...]

- A decoração está ótima. As bebidas já estão geladas e daqui a pouco o pessoal tá chegando. – Jimin dizia empolgado para Taehyung.

- Ai Jimin, você é péssimo. Você sabe que os ômegas mais gostosos são os da Yang Delta. E por causa dessa besteira vai deixar eles de fora. – seu melhor amigo ainda relutava inconformado de sua decisão.

- Fica tranquilo Taetae, teremos bastante gente bonita na festa. Tenho certeza que você encontra alguém pra se divertir.

- Eu quero o Yoon. – o maior fez um bico emburrado.

- Sinceramente... não sei o que viu nele. – Jimin só estava tentando manter-se firme naquele pensamento infantil, pois sabia que no fundo, Taehyung tinha razão, e que aquilo tudo era uma grande besteira.

- Passe um cio ao lado dele que você vai entender do que estou falando. Na verdade... não passe não. Porque ele é todinho meu. – Taehyung logo se arrependeu de ter sugerido aquilo.

- Tá! Ele é bonito, mas é um poço de chatice também. Não sei como você aguenta.

- Ele é um fofo. Quando quer. – deu uma risadinha inocente ao recordar o jeito que o ômega lhe tratava quando estavam a sós.

- Depois eu posso pensar em reconsiderar minha decisão. Mas não pense que vai sair de graça pra você e muito menos pra eles.

- E o que você vai querer? Meu ps4 por um mês?

- Quero algo bem melhor. Diga para o Yoongi que só permitiremos a entrada deles se... – Jimin se prolongou enquanto terminava de mentalizar sua condição.

- Se o quê Jimin?

- Se o calouro mais bonito da casa deles ficar comigo esta noite.

- Desde quando você ficou tão pervertido garoto? – o maior o olhava abismado.

- Eu não estou falando de transar. Mas você também já é mais mente poluída do que eu. Eu quis dizer ficar, me dar um beijo, trocar saliva... entendeu agora?

- Ah tá! Menos mal. – o maior colocou a mão sobre o peito, parecendo estar mais aliviado. – Senão eu mesmo iria fazer questão de ajudar eles a te gongar.

- Eu não sou doido Taehyung. Acha mesmo que eu iria forçar alguém a isso? Jamais! Agora se eles quiserem participar da festa, eu quero um beijo do calouro mais gato.

- Acho que vai ser difícil de escolher. Todos são absurdamente lindos e irresistíveis.

- É o que veremos.

Jimin já tinha conseguido parte de seu objetivo maior, que era irrita-los com sua afronta, e agora que iria de fato testar o quanto suas atitudes impactavam os ômegas, pois queria ver se eles estariam mesmo dispostos a se submeterem a sua condição apenas para poder participar da festa da qual foram excluídos.

Não que os ômegas ligassem para a festa de fato. Mas sabiam que não haviam sido convidados apenas por pura birra dos iludidos alfas que se achavam superiores aos demais. E para aqueles que pensaram que eles apenas aceitariam a condição de Jimin, como se fosse a coisa mais natural que faziam em suas vidas, sinto informa-los que com os ômegas da Yang Delta as coisas não funcionavam e nunca funcionariam com base nas vontades daqueles alfas afrontosos.

Se o líder dos alfas queria diversão, então era isso que teria.

[...]

- Se aquele anão de jardim acha que vou usar um dos meus bebês como moeda de troca ele tá muito enganado. – o líder dos ômegas estava furioso.

- Foi a condição dele: um beijo e vocês todos tem passe livre. Mas ele quer o calouro mais gato. – Taehyung parecia até bem confortável com aquela proposta. Mas também quem não ficaria? Até ele mesmo já tinha sentido vontade de pegar o líder dos alfas; desejo seu que foi completamente por água abaixo depois de se tornar seu melhor amigo e experimentar os lábios de Yoongi.

- Não vamos fazer isso.

- É só um beijinho. Aposto que qualquer novato toparia ficar com o Jimin mesmo sem essa condição. Pensa só... – o alfa tentava convencê-lo, enquanto se aproximava de seu pescoço, pronunciando as palavras e roçando seus lábios na pele clara com cheiro de pêssego. – Assim poderemos ficar juntos a festa todinha.

- E quem disse que eu quero ficar com você? – Yoongi nunca admitia que gostava de estar com Taehyung, talvez pelo fato dele fazer parte do grupo que ele mais odiava na vida. Mas ao mesmo tempo não conseguia resistir aos toques do maior, e quase sempre acabava cedendo à sua voz rouca.

- Não me parece que você não quer estar comigo. – o alfa distribuía selares na pele exposta, enquanto Yoongi tombava ainda mais a cabeça para trás, permitindo que ele continuasse o que estava fazendo.

- Vocês são tão... convencidos... ah. – o ômega acabou soltando um gemidinho baixo ao receber uma mordidinha em sua orelha.

- E o quê mais? – o alfa continuava o que estava fazendo; arrancando mais gemidos baixos do ômega, que levara o maior para seu quarto às escondidas, como em todas as outras vezes; já que nem mesmo o líder da fraternidade estava autorizado a levar algum membro da Tau Sigma para dentro da casa.

- E-e ... incontroláveis. – o maior riu sobre a pele do outro, pois era visível o quanto ele próprio já estava descontrolado diante das carícias que o fazia.

- Vá a festa hoje e eu te mostro quem realmente perde o controle. – Taehyung selou seus lábios demoradamente nos de Yoongi.

- Vou pensar na sua proposta. – deu de ombros, tentando disfarçar o quanto estava interessado na proposta do alfa.

- Pense com carinho. – deu mais um selinho e saiu de cima de Yoongi. – Se você for me avise. – disse com o corpo já quase todo fora da janela do quarto de Yoongi, que ficava no segundo andar da casa, e por sorte possuía uma sacada fácil de escalar.

- Tá bem. Agora vaza daí antes que alguém te veja.

[...]

Enquanto isso, Yoongi contava para Minhyuk o que havia ouvido de Taehyung. Os dois ômegas tentavam juntos achar um jeito ainda melhor de devolver aquela proposta idiota do alfa.

- Temos que pensar em algo. Não podemos simplesmente ceder porque é isso que ele quer, provar que são superiores a nós. Não podemos deixar barato. – Minhyuk ainda nem acreditava na audácia que ouviu por Yoongi.

- É claro que não vamos deixar barato. Mas precisamos pensar rápido num jeito de fazê-lo pagar, porque a festa é daqui a algumas horas.

Yoongi tentava pensar em algo que estivesse à altura de tamanha ousadia dos alfas. Quem eles pensavam que eram pra brincarem com os lindos rostinhos dos ômegas daquele jeito?

- Já sei! – o líder disse dando um pulo da cama. – Mas é claro! Como eu não pensei nisso antes?! – um sorriso travesso habitava seus lábios novamente.

- O que você pensou? – Minhyuk já sorria de ansiedade.

- Já que eles gostam tanto de aparecer, vamos fazer uma exposição dos melhores momentos da festa de hoje. Ainda temos aqueles acessórios da festa do pijama?

- Qual? Aquela de animais?

- Essa mesma.

- Acho que sim. Por que? O que pretende fazer com os acessórios?

[...]

Depois de ouvir todo o plano de Yoongi, Minhyuk soube que aquilo na certa seria o maior constrangimento pelo qual os alfas da Tau Sigma poderiam passar tendo a eles como vizinhos. Nada do que fizeram até agora se comparava àquilo. Mas já que Jimin gostava de provoca-los, eles também mostrariam que sabiam bem como dar uma resposta à altura.

Yoongi e Minhyuk rapidamente convocaram todos os calouros da casa para fazerem um pronunciamento um tanto quanto sério.

Os novatos se acomodavam, mas era visível que estavam apreensivos, já que a conversa que tiveram mais cedo os deixaram talvez um pouco confusos sobre o que teriam que de fato fazer aquela noite.

Quando todos já estavam sentados Yoongi começou a falar.

- Dessa vez não vou me prolongar. Eu preciso saber quem topa fazer parte da nossa revanche. – o ômega disse de modo curto e grosso. – Preciso de ômegas corajosos, que não tenham medo de mostrar para aqueles alfas idiotas que nós não vamos fazer o que eles querem apenas porque somos ômegas.

- O que vamos ter que fazer? – Hoseok foi o primeiro a levantar a mão e questionar.

- Vou resumir a história: hoje nós vamos à festa da qual fomos barrados, sob a condição de que o calouro mais bonito da nossa casa dê um beijo em Park Jimin, que como vocês já devem saber, é o alfa líder da fraternidade vizinha a nossa. Por isso precisamos que um de vocês se voluntarie para fazer essa primeira parte. Então... algum ômega se candidata a beijar o Jimin? – Yoongi encarava os novos membros enquanto aguardava uma resposta, que estava demorando um pouco demais a vir. – Não fiquem com medo, é só um beijo, e para aqueles que estão com dúvida sobre como Jimin é, posso garantir que apesar de ser um babaca, ele é muito bonito.

- E o que vamos fazer depois? Digo, depois que alguém beijá-lo, o que teremos que fazer? – agora fora Jungkook quem perguntara, curioso sobre o plano que os líderes haviam tramado.

- Vamos supor que seja você a beijá-lo Jungkook. Depois você teria que colar nele durante a festa, o que não seria uma tarefa difícil, já que ele é muito entrosado e adora se aproveitar de rostinhos bonitos, como o seu. A partir daí você o deixaria o mais bêbado que conseguisse, a ponto de leva-lo para o quarto para cumprir a última e melhor parte da nossa revanche, onde você o deixaria semi nu e o faria usar esses lindos acessórios de bichinho, para depois tirar ótimas fotos do momento em que o alfa que faz tanta questão de mostrar o quanto se orgulha de suas atitudes primitivas apenas por ser alfa, teria seu orgulho ferido e humilhado ao ver no primeiro dia de aula suas fotos espalhadas por todo o campus, igual como ele fez com esses cartazes ridículos da festa contendo o aviso – Ômegas da Yang Delta estão barrados! – que estão espalhados pra todos verem. – o mais velho disse tudo com uma calma e tranquilidade que eram de dar medo.

Realmente Yoongi não estava para brincadeiras. Se era guerra que eles queriam, então era guerra que iriam ter.

- Garantimos que quem se dispor a nos ajudar terá uma ótima recompensa. Acreditem, tenho certeza de que a pessoa que topar vai gostar de fazer parte disso tanto quanto nós, que lidamos com esses retardados a algum tempo. – Minhyuk disse tentando encorajar algum dos calouros a fazer parte do plano da revanche.

- Eu topo. – Jungkook disse, meio incerto e um pouco receoso, entretanto, animado, por poder fazer parte de algo que envolvesse sua nova família.

- Que maravilha Jungkook! – o líder ficou animado e aliviado por alguém ter se candidatado, já que aquilo não seria uma missão tão simples de cumprir. – Vem comigo que vou te explicar direitinho o que você vai ter que fazer. Os demais estão liberados para irem se arrumar pra festa, aqueles que quiserem ir, é claro.

Os demais ômegas rapidamente foram para seus quartos, já que não era segredo que todos tinham interesse em ir à tal festa, afinal, eles também não eram de ferro e queriam se divertir com os alfas e o que mais aparecesse por lá.

Jungkook ouviu com atenção as instruções de tudo que precisaria fazer enquanto estivesse com Park Jimin. Tentou gravar bem as recomendações principais de seu líder. – Se ele tentar passar do combinado, você dá um jeito fugir. Grita, sai correndo, pede ajuda... o que você achar melhor. Só não passe do primeiro beijo. Lembre-se de que ele precisa correr atrás de você, então dê um jeito de tê-lo sempre por perto pra que consiga deixa-lo bêbado, ou então não poderemos realizar o que combinamos. Se fizer tudo como eu disse, sua missão será um sucesso. – E apesar de um pouco nervoso, sentia também que estava animado, pois aquilo com certeza seria bem divertido.

Depois da conversa que teve com Yoongi, Jungkook foi para seu quarto tratar de se arrumar também, pois precisava ficar ainda mais irresistível para deixar Park Jimin caidinho aos seus pés.

Ele tomou um bom banho, escovou os cabelos e optou pelo look que sempre usava quando queria arrancar suspiros alheios: sua calça de couro preta e uma blusa de linho branco com um decote em v que deixava bem à mostra seu belo peitoral bem definido. Um visual que encaixava perfeitamente com seu cabelo cor de cereja.

O cabelo cereja era a marca do ômega, que com seu cheiro doce e suave também de cereja, conquistava corações de alfas por onde quer que fosse.

Como não conhecia direito seus novos colegas, Jungkook decidiu pedir a opinião de Hoseok, já que havia interagido com ele mais cedo e pareceu ser bem simpático.

- E então... como estou?

- Você já deve saber que está um gato. Não sei porque quer minha opinião.

- É só pra ter certeza. – riu convencido.

- Vai deixar os alfas louquinhos por você.

- Acho que depois do Jimin terei passe livre pra aproveitar a festa.

- Cuidado para não cair nos encantos dele. Soube que ele também não é de se jogar fora.

Jungkook sorriu pequeno ao pensar que talvez realizar aquela tarefa não fosse de todo ruim.

[...]

Por volta das vinte e três horas já era possível ouvir bem a música alta; as pessoas chegavam a todo instante.

Yoongi se perguntava como era possível caber tanta gente dentro de uma casa.

Na porta de entrada, Taehyung e Jooheon estavam de “seguranças”, para impedir que os ômegas da Yang Delta entrassem antes de ser cumprido a condição que Jimin havia imposto.

- E quem é sortudo que vocês escolheram? – Taehyung perguntou para Yoongi, enquanto já o puxava para seus braços, afim de lhe dar um beijinho.

- Ele se candidatou, tá! – Jungkook estava logo atrás com Hoseok. – Porque todos nossos ômegas são lindos, então seria impossível escolher só um.

- E qual deles é? O rosinha ou o cereja? – Jooheon perguntou depois de beijar Minhyuk.

- Vem cá Jungkook. – Minhyuk o chamou para apresenta-lo ao pessoal. – Meninos esse é o Jungkook, e aquele é o Hoseok. Os demais daqui a pouco estão chegando, vocês provavelmente os verão pela festa.

- Claro, depois que cumprirem o acordo, Suga. – Jooheon disse.

- E nós vamos. – Yoongi, que também era conhecido pelos demais como Suga, disse com um sorriso que apenas os ômegas saberiam seu real significado. – Falando nisso... cadê o Jimin?

- Tá descendo.

Não demorou nem um minuto e o alfa, líder da fraternidade, apareceu para cumprimentar os convidados, nem tão convidados assim.

- Boa noite rapazes. – Simpático e sorridente daquele jeito, enganaria facilmente Jungkook; mas o ômega já havia sido bem instruído sobre o alfa. – Gostou do tema da nossa festa, Suga? Foi inspirada em vocês.

- Que gentil da sua parte. – Yoongi lhe deu seu sorriso mais falso que tinha.

- E quem são os rostinhos novos que eu não conheço? – perguntou assim que seu olhar cruzou com o de Jungkook.

- Jeon Jungkook. – o próprio se apresentou, apertando a mão do alfa. Porém foi surpreendido com um beijo no rosto, que o constrangeu como não achou que iria.

“Aish Jungkook! É só um beijo na bochecha. Relaxa”.

- E eu sou Jung Hoseok. – o Jung preferiu cumprimenta-lo apenas com um aceno.

- É um prazer meninos, sou Park Jimin. – Jimin possuía um eye smile incrivelmente fofo, que de cara encantou os dois novos ômegas.

- Vem Hoseok, vamos deixar o Jimin conversar com o Jungkook. – Minhyuk disse enquanto adentrava a casa junto de Jooheon, Taehyung e Yoongi, na intenção de deixá-los a sós para se conhecerem.

Agora que estava apenas com Jimin, Jungkook se sentiu ainda mais constrangido. Sabia o que teria que fazer, não era como se ninguém o tivesse avisado. Ele só não sabia que ficaria daquela forma por Jimin ser bem mais atraente do que aquilo que imaginou; pois, depois de ouvir o que seus veteranos disseram a respeito do alfa, acabou criando uma imagem bem negativa a seu respeito.

- Me acompanhe Jungkook. – o ômega o ficou encarando com uma cara nada satisfeita, um pouco indignado por estar recebendo uma ordem. – Por favor.

Jungkook atendeu ao pedido de Jimin, que fez questão de segurar sua mão enquanto o guiava dentro da casa.

Ao que parecia, Jungkook estava sendo levado para o quarto do alfa. Teve a certeza quando este o pediu que entrasse e fechasse a porta.

- Acho que você já deve imaginar o motivo de estar aqui. – Jimin começou a falar.

- Sim. E confesso que eu esperava um alfa mais... à minha altura. – fez uma pequena pausa, afim de destacar a característica na qual agora zoava o alfa. – Se é que me entende.

Jimin achou ousada a atitude do novato, e não conteve o sorriso que surgiu no canto de seus lábios.

- Eu garanto que minha altura nunca me atrapalhou em nada. – totalmente à vontade, Jimin dizia enquanto se jogava em sua cama.  – Bom, mas acho que isso não é relevante agora. Eu te trouxe aqui porque... gostaria de saber mais sobre você.

- Por que você não me beija logo e voltamos lá pra baixo? Daí nós fingimos que isso não foi constrangedor pra mim e nem pra você.

- Porque eu não quero beijar você Jungkook. – o ômega quase não acreditou no que ouviu.

- Mas não era essa a condição que você tinha imposto pro Yoongi?

- Sim. Mas só porque eu queria ver se eles seriam mesmo capazes de deixar o orgulho de lado e fazer o que eu havia dito. Não que eu não tenha achado você atraente, porque você me chamou atenção assim que te vi. Mas ao contrário do que os seus líderes pregam, nós não somos tão idiotas assim.

- Pois foi exatamente o que eu pensei.

- Eu sei disso. – Jimin se ajeitou na cama, sentando-se para poder ter uma visão melhor de Jungkook; que ainda estava de pé, escorado perto da porta. – Essas nossas brincadeiras começaram porque seus amigos sempre foram certinhos demais e se incomodavam por gostarmos de aproveitar bem o nosso tempo livre. Tá que às vezes fazíamos de propósito, mas eles sempre levavam a sério. E acabamos assim, nessa competição um tanto quanto sem sentido e infantil.

- Um tanto? – Jungkook ainda o encarava com um certo deboche.

- Tá... bem infantil. – acabou sorrindo de um jeito descontraído, e aquilo foi o suficiente para que Jungkook se sentisse mais confortável na presença do alfa. – E agora que você está aqui, eu considero cumprida a condição. Então você pode voltar lá pra baixo com os seus amigos. Caso o Yoongi pergunte alguma coisa, você pode dizer que eu te beijei e depois te liberei.

- Então eu não vou mesmo precisar beijar você? 

Jungkook depois de ouvir aquela breve história, passou a enxergar com outros olhos os alfas. Sentia que Jimin não estava mentindo, e pelo pouco tempo que já passara em sua fraternidade, pôde perceber que ele tinha razão quando dizia que seus colegas eram certinhos demais.

Achou legal a atitude de Jimin, em não o obrigar a fazer aquilo; e não que estivesse sendo de fato obrigado, pois ele mesmo havia se candidatado a fazer aquilo. Mas agora, depois de conversar um pouco com o alfa, sentiu um pouco de afeição por ele, e não se importaria nem um pouco em ter que beijá-lo, pois Jimin era mesmo um alfa muito bonito, senão o mais bonito de todos ali.

- Não. A menos que você queira. – Jimin se levantou da cama, indo em direção a Jungkook que ainda estava escorado com as costas na porta.

“Depois de toda a preparação psicológica que eu fiz, você vem me dizer que não vai mais me beijar. Francamente.”

O ômega não mexera um músculo sequer, mesmo quando viu que Jimin vinha em sua direção. Talvez por no fundo desejar pelo que viria.

- Eu te achei uma gracinha assim que vi. – disse Jimin com o corpo bem próximo ao de Jeon. – E seria realmente uma pena se eu não tivesse chance com você.

Jungkook ouvia com atenção cada palavra do alfa. Deixaria que ele continuasse, afinal, o acordo era que o beijasse, e ele queria isso.

- Sabe que agora... você não parece mais tão idiota quanto eu achei. – o corpo de Jimin agora estava quase colado ao de Jeon.

- Ainda podemos fazer isso se você quiser.

E Jungkook nem precisou dizer mais nada. Apenas encurtou a distância que havia entre eles, selando seus lábios nos do Park.

Rapidamente Jimin levou uma mão à nuca de Jungkook, e este colocou suas mãos na cintura do Park.

Jimin pediu passagem com a língua, afim de aprofundar aquele beijo; e logo Jungkook cedeu.

Mas não demorou muito para que Jungkook lembrasse de seu real objetivo aquela noite. Foi quando então resolveu parar o beijo, por mais que estivesse gostando muito.

- Eu preciso voltar lá pra baixo. O Yoongi vai achar estranho eu demorar tanto no seu quarto.

- Tudo bem. Eu também já ía descer. Afinal, é uma festa, né?! Então vamos aproveitar.

O alfa deu mais um selinho em Jeon e em seguida o puxou para poder abrir a porta.

Ambos voltaram pro andar de baixo, cada um indo ter com seus amigos.

Agora Jungkook só precisava seguir o que Yoongi havia dito e cumpriria o restante de sua tarefa.

[...]

- E então? Fez? – Yoongi o perguntou ainda um pouco nervoso por ter empurrado Jungkook para aquilo.

- Sim. Foi moleza. – de fato não havia sido nem um pouquinho difícil para Jungkook se render àquele beijo incrível.

- Ele tentou alguma gracinha com você? Pode falar a verdade. – o mais velho parecia realmente preocupado, e Jungkook achou fofa sua preocupação.

- Não. Ele foi super gentil. E foi só um beijinho, nada demais. – tentou tirar por menos, apenas para não admitir que tinha sido maravilhoso ficar com Park Jimin.

- Tá bem. Você ainda lembra o restante né?

- Sim.

- Mais tarde, antes de você levá-lo pro quarto, me mande uma mensagem. Que aí vou distrair o Taehyung, enquanto o Minhyuk distrai o Jooheon. Beleza?

- Beleza.

- Então tá. Agora aproveite a festa.

Depois disso, Yoongi o deixou só e foi atrás de Taehyung.

Já que não restavam muitas opções, Jungkook decidiu aproveitar também. E depois daquele beijo de tirar o fôlego, precisava beber um pouco, e era isso que iria fazer.

Enquanto ia buscar umas bebidas, acabou encontrando com Hoseok, que conversava com um beta mais ou menos da sua altura e cabelos escuros.

- Oi Hobi. Tá ocupado?

- Um pouquinho. Por que? Aconteceu alguma coisa? – Hoseok quis até rir da pergunta de Jungkook, pois era meio óbvio que ele estava um pouco ocupado dando atenção ao gato que o acompanhava.

- Não. Tá tudo bem. É só que eu tô meio perdido, se é que me entende. – a verdade é que Jungkook não conhecia muitas pessoas, então estava sozinho e sem saber muito o que fazer.

- Relaxa. Bebe um pouco que daqui a pouco você vai saber o que fazer.

Entendendo o recado, Jungkook se despediu e voltou a andar pela festa, indo até a cozinha, onde estavam sendo servidas as bebidas. Quando foi surpreendido por uma voz que já conhecia.

- Sozinho? Mas já? – Park Jimin aparecera do nada, sozinho também.

Jungkook sabia que realmente não seria difícil manter o alfa perto de si.

- Então né... – deixou uma risada um pouco sem graça ao final.

- Se quiser companhia é só me dizer.

- Acho que preciso, porque tá na cara que eu fui abandonado. – os dois começaram a rir.

- Vem comigo. Vou te fazer companhia.

Jungkook nem pensou duas vezes. Segurou na mão de Jimin e se deixou ser novamente guiado por ele.

- Espero que goste de dançar; porque eu adoro.

- Eu amo dançar. Fiz até parte de uma companhia de dança na cidade onde eu morava.

- Uau! Temos um profissional então. – o sorriso de Jimin novamente encantou Jungkook. Era tão bonito e tão fofo, que era impossível não se derreter.

- Não é pra tanto. – riu um pouco constrangido diante do comentário.

- E de onde você veio? – Jimin aproveitou o rumo da conversa para saber mais a respeito do Jeon.

- Busan.

- Não acredito! Eu também sou de Busan!

A partir dali foi fácil estabelecer um diálogo com Jungkook. Que aos poucos e sem se dar conta ia desconstruindo a imagem ruim que criara a respeito de Jimin. Não era mentira que ele era metido a gostosão só por ser o típico alfa bonito, inteligente, carismático e bom em tudo, mas também era verdade que ele não era tão babaca quanto achou que fosse.

Jungkook percebeu que Jimin já estava ficando bem soltinho, pois enquanto dançavam juntos na sala adaptada para uma pista de dança, o alfa estava sempre com um copo de bebida na mão. Talvez por isso estivesse tão descontraído daquele jeito.

- E ainda diz que não é profissional. – disse Jimin o elogiando.

- Mas eu não sou. – riu um pouco envergonhado; provavelmente estava corado agora, já que sentia suas bochechas quentes. – Só gosto de dançar.

- Eu vi. Você realmente se entrega. É muito bom te observar dançando. – tá! Agora sim estava realmente envergonhado.

Se não fosse pela pouca disponibilidade de luz no local, Jimin com certeza teria visto o quão vermelho Jeon estava agora.

- Você também dança muito bem.

- É porque eu fiz ballet.

- Uau! Um alfa que fez ballet. Estou realmente surpreso. – Jimin nunca tinha falado aquilo para alguém.

- Foi na época que eu ainda morava em Busan. Trabalhei por um tempo em uma escola de dança, e acabei ganhando uma bolsa para estudar lá.

- Que legal. – Jungkook estava realmente impressionado com tudo que vinha descobrindo do Park.

- Se contar isso pra alguém eu te mato. – Jimin se aproximou de Jungkook, pronunciando aquelas palavras bem pertinho de seu ouvido; o que fez com que o ômega se arrepiasse por completo.

Aquela aproximação repentina, despertou em Jungkook a mesma vontade que sentira quando esteve a sós com Jimin em seu quarto. Sabia que ainda precisava realizar o restante de sua tarefa, mas estava com tanta vontade de beijá-lo novamente, que quase precisou gritar consigo mesmo para tomar uma atitude, pois estava seriamente dividido entre beijar ou não Jimin.

Tinha bebido, mas não o suficiente para alegar que estava bêbado, então não poderia usar a desculpa de que tinha feito aquilo apenas porque estava sob efeito do álcool.

Yoongi o havia dito que não poderia passar de um beijo, certo? Mas o que fazer se ele queria mais?

Contra sua própria cabeça, Jungkook decidiu ignorar um pouco toda aquela história de missão e aproveitar aquele momento.

Ele queria ficar com Jimin. Quis desde o momento em que foi para seu quarto. Então por que não aproveitar pelo menos um pouquinho daquela noite como realmente desejava?

E foi contra o que seu líder havia dito, que Jungkook cedeu de uma vez por todas à sua imensa vontade de se envolver nos braços do Park; se deixando dominar pela incrível sensação de prazer que aqueles lábios fartos lhe proporcionavam.

Aquele beijo era bom, o que parecia tornar aquilo tão certo. Sentia seu corpo todo se aquecer quando tinha os lábios de Jimin junto aos seus, e aquilo era gostoso demais. Ele queria sentir mais do alfa, que ao contrário das várias coisas ruins que pensou, demostrava ser uma pessoa bem legal.

- Aquilo é parte do plano? – Minhyuk perguntou para Yoongi assim que viu Jungkook aos beijos com Jimin.

- Até onde eu sei... não. Mas desde que faça o que pedimos, também não me interessa. – deu de ombros e depois ignorou a cena; tentando não acreditar que Jungkook tinha caído no papo de Jimin.

Os dois se beijavam como se estivessem a sós; mas nem de longe estavam. Precisavam ir para um quarto antes que aquilo ficasse mais inapropriado.

- O que acha... de irmos lá pra cima? – Jimin perguntou depois viu que as coisas estavam começando a ficarem mais quentes entre eles.

Talvez ceder à Jimin fosse uma péssima ideia, mas de qualquer jeito precisaria leva-lo para o quarto, ou então não conseguiria fazer aquilo que tinha sido instruído a fazer ali. Mas Jungkook sabia que naquele momento, não era exatamente por este motivo que agora estava se deixando levar para o quarto do alfa.

- Tudo bem. – depois de dizer aquilo, o ômega segurou na mão de Jimin e foi com ele de novo para o andar de cima.

Assim que entraram e fecharam a porta, o Park voltou a beijar Jungkook; na mesma intensidade de minutos atrás.

O beijo de Jimin era intenso, assim como tudo nele. Sua língua era atrevida, e deslizava sobre a do mais novo com uma habilidade incrível. Seus lábios fartos sabiam bem como se encaixar nos finos lábios de Jungkook, de um modo tão perfeito que pareciam terem sido feitos um para o outro.

Jimin o conduziu até sua cama, calmamente colocando seu corpo por cima do de Jungkook, sem deixar de beijá-lo.

As mãos do menor rapidamente foram de encontro ao ômega, tocando o corpo bem definido por baixo daquele fino tecido; não demorando muito para que Jungkook desejasse arrancar logo aquela blusa de si. Mas preferiu deixar que Jimin fizesse aquilo.

Uma das mãos de Jungkook se agarrava os cabelos da nuca do Park, puxando-o cada vez mais para perto de si; enquanto a outra deslizava por sua cintura, até encontrar a barra da calça, que Jungkook desejou que não estivesse ali; só para poder alisar a bela bunda que ele tinha.

Jimin interrompeu o beijo brevemente, apenas para poder facilitar mais as coisas. Tirou sua camisa, tirando a de Jungkook logo em seguida.

Logo o mais velho já estava com os lábios presos ao do ômega outra vez. Podendo agora sentir mais do corpo abaixo de si.

Jimin era tão gostoso quanto Jungkook havia imaginado, e seu cheiro cítrico de yuzu era quase entorpecente quando sentido de tão perto.

Quando o menor começou a percorrer seu pescoço, deixando por todo ele uma trilha de beijos, chupões e lambidas, Jungkook teve certeza de que terminar sua tarefa não seria nada fácil; não com Jimin o enlouquecendo daquele jeito.

O alfa já estava arrancando gemidos de si que nem se deu conta em que momento eles passaram a sair. Mas também não era como se pudesse evita-los, já que Jimin fazia aquilo de uma maneira tão gostosa.

E quando se aproximou de seu ouvido, deixando uma mordida no lóbulo de sua orelha, foi que Jeon não resistiu mesmo. Gemeu arrastado, tão entregue à Jimin, que aquilo fez brotar um enorme sorriso de satisfação em seu rosto.

Quem diria que no fim acabaria escolhendo ficar com o líder dos alfas por livre e espontânea vontade. Jimin também não achou que se interessaria tanto pelo novato da Yang Delta.

- Você tem certeza que quer fazer isso? – Jimin disse, pois sabia que depois o ômega poderia se arrepender de ter ficado com o líder dos alfas, devido a má fama que possuía dentro da casa que Jungkook integrava.

- Não estaria aqui se não quisesse. – de qualquer forma estaria sim, já que ainda precisava cumprir o resto de sua tarefa; mas daquele jeito era bem melhor.

- Tem certeza de que depois não vai se arrepender de ter ficado com alfa que seus amigos odeiam?

- Eles não te odeiam. E não; eu não vou me arrepender.

Depois de ter certeza que Jungkook queria mesmo estar ali, ele voltou a beijá-lo, do jeito que o maior tanto gostava. A voracidade com que ele atacava seus lábios e seu pescoço lhe deixavam louco.

E enquanto Jimin percorria seus lábios sobre a pele macia do ômega, este sentia cada pelo seu se arrepiar, de um modo tão gostoso, que ele sabia que precisava de mais; muito mais.

Bastou Jimin descer um pouco mais seus lábios, para que um prazer ainda maior o invadisse.

Ter os lábios do alfa estimulando seus mamilos era uma das melhores sensações que já pudera experienciar na vida.

A língua áspera e quente circulando seus botões, enquanto os dentes mordiam seus biquinhos, era de uma perfeição quase de outro mundo. Aquelas poucas carícias que vinha recebendo foram mais que o suficiente para deixar ambos duros feito pedra. O maior já sentia seu membro pulsar dentro da calça de couro; não via a hora de poder se ver livre da peça e liberar sua ereção. E quase como se Jimin pudesse ler seus pensamentos, o alfa começou a descer seus beijos pelo abdome do ômega, indo em direção à sua pelves. Com calma e delicadeza, ele abriu o cós da calça do maior, finalmente a tirando dali; libertando o membro duro de Jungkook.

Aquela visão o fez salivar. Jungkook era de todo lindo e irresistível. Realmente tinha sorte pelo ômega ter decidido ficar consigo. O alfa levantou e também terminou de tirar a própria roupa; dando a Jungkook a visão que estava ansioso para ter.

Apesar de não ter tanta estatura, o alfa não era pequeno, e também era grosso. Jungkook gostou muito do que viu.

Assim que Jimin voltou para a cama, foi a vez de Jungkook se deliciar um pouquinho daquele corpo tão gostoso. Pôs-se por cima do corpo pequeno do mais velho, trilhando seu pescoço com diversos beijos e mordidas. Fazendo questão de chupar seus botõezinhos escuros, um a um. Descendo os beijos por todo seu abdome, até se deparar com o membro de Jimin ereto a sua frente.

Sem tirar os olhos de Jimin, o teve por completo na boca. Não se demorando em subir e descer sua cabeça naquele pau. Que com uma habilidade incrível chupava freneticamente.

Jungkook era de fato a perfeição em pessoa. O ômega que qualquer alfa desejaria marcar para chamar de seu.

O lobo dentro de Jimin gritava por Jungkook. Desejava-o como nunca desejou a nenhum outro ômega; e olha que Jimin já havia conhecido vários. Mas nenhum se igualava a Jungkook, o ômega de cabelos cor de cereja.

Jimin teria deixado Jungkook continuar aquele magnífico oral, mas ainda pretendia sentir o maior de um jeito ainda melhor. Então lhe puxou pelos cabelos, trazendo-o para até sua boca. Sentia seu gosto em Jungkook, e aquilo era ainda mais excitante para o alfa, que pôde ver o quão dedicado o maior estava em chupá-lo. 

O mais velho, depois de pegar um preservativo na gaveta de seu criado mudo, voltou até Jungkook. Pôs-se então entre as pernas do ômega, já sentindo o cheiro de sua lubrificação natural. Aquele doce aroma encantava as narinas de seu alfa, que a cada segundo parecia render-se ainda mais à Jungkook.

Seu cheiro e seu gosto de cereja eram levemente doces, o suficiente para que desejasse chupá-lo mais e mais.

Jungkook já fincava as unhas curtas nos ombros do alfa, enquanto inutilmente tentava dizer algo em meio aos seus gemidos. Não via mais a hora de poder senti-lo dentro de si. Lhe penetrando com força, até suas pernas fraquejarem.

- Vem logo Jimin! E-eu... preciso de você aqui. – abriu as pernas, proporcionando ao outro uma linda visão.

Não sabia como tinha conseguido dizer aquilo, já que sua mente estava completamente nublada de tanto prazer, lhe comprometendo até mesmo o raciocínio.

Jimin então o chupou; afundou seu rosto entre as nádegas do maior, penetrando sua língua no buraquinho quente e apertado. Levou dois dedos ao seu interior, apenas para facilitar sua dilatação. Entrou e saiu com seus dedos por alguns minutos, aproveitando os roucos gemidos de prazer que saiam da garganta do mais novo.

Finalmente atendendo ao desejo de Jungkook e ao seu, tirou seus dedos de dentro do ômega; colocou o preservativo e devagar foi se colocando sobre o corpo do ômega, perdendo-se lentamente em seu íntimo.

O maior gemeu alto e logo ao que finalmente sentiu o pênis de Jimin completamente dentro de si. Ser preenchido daquela maneira lhe proporcionava um prazer que jamais poderia se igualar a qualquer outra coisa que julgasse prazerosa.

Não demorou muito para que seu interior estivesse completamente relaxado e pronto para acomodar Jimin.

O menor não teve a menor pressa, pois queria aproveitar o máximo daquela incrível noite. Quando sentiu que Jungkook estava pronto, aí sim começou a mover-se dentro dele, metendo fundo e com força; levando Jungkook ao delírio.

Aquele calor que agora vinha de Jimin, aquecia seu interior de um modo que parecia querer lhe consumir de dentro para fora, ficando mais intenso a cada vez que ele ia e vinha dentro de si com rapidez e força.

O ômega entrelaçou suas pernas na cintura do Park, permitindo que fosse ainda mais fundo em si, podendo sentir incontáveis vezes lhe tocar no lugar certo. Mas Jimin queria tornar aquilo ainda mais ensandecedor. Então soltou as pernas de Jungkook, levantando uma delas a uma altura que lhe permitia estoca-lo com ainda mais precisão e força.

Jungkook torcia para que o som da música ainda estivesse alto o suficiente do lado de fora para impedir que seus gemidos fossem ouvidos pelo resto da casa. Àquela altura, já era impossível manter o controle de sua voz.

Sentia que já estava perto de seu ápice, então levou uma mão até seu membro negligenciado. Mas logo Jimin o impediu de continuar.

- Ainda não Jungkookie; eu ainda não pedi que gozasse. – maldito! Não aguentaria por muito mais tempo. Precisava daquilo.

- E-eu... não consigo mais. Por favor. – céus! Como aquilo era torturante.

Depois de ouvi-lo pedir tão necessitado daquela maneira, Jimin levou sua mão até o pênis de Jungkook e passou a masturba-lo no mesmo ritmo em que o fodia; arrancando dele gemidos e sorrisos de puro deleite e satisfação.

Jungkook se desfez na mão de Jimin, e este alguns segundos depois em seu interior; sentido seu nó se expandir, atando-os ali por alguns minutos.

Naquele pouco tempo em que esteve literalmente preso ao ômega, Jimin aproveitou para contemplar mais uma vez seu tão belo rosto e beijá-lo gostoso como não conseguiu fazer direito durante o sexo.

Depois que seu nó se desfez, retirou-se de dentro dele e deitou ao seu lado.

O maior rapidamente se aninhou nos braços de Jimin, sentindo mais de perto seu cheiro cítrico tão refrescante.

- Você pode passar a noite aqui comigo; se quiser, é claro.

- Pelo visto a festa não vai acabar agora, então acho que não vai ter problema se eu ficar. – um sorriso discreto enfeitou seus lábios; o suficiente para Jimin acha-lo ainda mais fofo.

- O que acha de um banho? – disse com um sorriso sugestivo, que Jungkook não se atreveu a negar.

[...]

Depois do banho à dois, Jimin lhe deu roupas para que pudesse dormir confortável. E não ficaram pequenas no Jeon porque o alfa costumava usar roupas de números maiores que o seu.

Como Jimin havia bebido bastante, não demorou para que pegasse no sono profundo, com Jungkook em seus braços.

O mais novo se soltou de seu abraço e começou a andar de um lado para o outro dentro quarto, tentando decidir o que fazer.

Tinha aceitado fazer parte do plano dos ômegas para se vingar do líder dos alfas, mas agora, depois de tudo que tinha acontecido entre eles aquela noite, e de ter o conhecido melhor, Jungkook estava realmente em dúvida se devia ou não dar prosseguimento em sua missão.

Com que cara olharia para Jimin depois que Yoongi divulgasse as fotos constrangedoras que ele próprio tiraria dele? Com que cara chegaria para Yoongi e Minhyuk se dissesse que foi um fracote e não conseguiu tirar as fotos?

Sua missão era clara: – “Você vai embebedá-lo, e depois que ele te levar pro quarto, vai fazê-lo usar estes acessórios, tendo no corpo apenas a cueca. Depois que tirar as fotos, nós a divulgaremos pelo campus.” – Não queria desapontar seus líderes, sua nova família, mas também achava que Jimin não merecia aquele tipo de humilhação.

“Merda! O que eu faço? Pensa Jungkook... pensa.” – decidir o que fazer nunca tinha sido tão difícil para o ômega que sempre teve tão claro em sua cabeça as escolhas que deveria tomar.

É... Jungkook estava em um impasse bem mais complicado do que parecia.

No fundo, Jimin nunca pretendeu que a pessoa escolhida para o beijar realmente o fizesse por causa da condição, e isso havia ficado claro para Jeon. O alfa pareceu bem sincero em suas palavras, e até admitiu ter começado aquela disputa infantil apenas para enfezar os ômegas. Mas Jungkook não sabia se Jimin ainda estaria disposto a acabar com aquilo.

Se Jeon entregasse as fotos para Yoongi, aí sim aquilo jamais teria fim. Mas também se não o fizesse, quem lhes garantiria que os alfas não aprontariam outra de suas brincadeirinhas?

Pelo sim e pelo não, Jungkook decidiu que tiraria as fotos, mas não as entregaria a Yoongi sem antes ter a chance de falar com Jimin.

Passou uma mensagem para Yoongi pedindo que lhe trouxesse os acessórios.

Alguns minutos depois, o líder avisou que já estava na porta do quarto. Jungkook foi até ele e pegou a mochila.

Taehyung estava com ele, mas sequer desconfiou que o que havia ali dentro não eram “roupas para Jungkook”, como Yoongi havia dito, e sim lindos acessórios de animais que os ômegas usaram na última festinha do pijama que haviam dado em sua casa.

O alfa aparentemente tinha o sono bem pesado, pois parecia quase uma pedra de tão imóvel que estava. Talvez o álcool ou o sexo intenso o tenham ajudado a relaxar por completo.

Com um pouco de esforço e cautela, Jungkook conseguiu tirar suas roupas, deixando-o apenas de cueca.

A cada acessório, uma foto era tirada. E se fosse reunir todas elas, Jimin seria quase um zoológico.

Depois que conseguiu tirar as fotos, o vestiu com as roupas que estava, guardou os acessórios na mochila, pedindo para que Minhyuk desse um jeito de sumir com ela dali; e depois deitou-se com Jimin novamente.

A grande quantidade de peso na consciência quase não o deixou ter uma boa noite de sono. Fazendo com que demorasse a dormir e cedo estivesse de pé.

Jimin teria se assustado por acordar com Jungkook o encarando, se aquela não fosse a visão mais bonita que já tivera em todas suas manhãs.                  

- Bom dia. – disse-lhe o alfa com um pequeno sorriso nos lábios.

- Bom dia.

- Nossa... eu apaguei. – riu um pouco sem graça.

- Eu percebi. – o maior riu também. – Jimin... eu posso te perguntar uma coisa?

- Claro.

- É sobre essas brincadeiras que vocês fazem. Pretende realmente leva-las a diante? Digo... vocês deram uma festa e nos proibiram de entrar só para nos provocar. E também teve a brincadeira do beijo...

- Pensei que tivesse entendido que nunca tive a real intenção de te beijar por causa da brincadeira. – Jimin tentou deixar claro que aquela não era sua intenção com o ômega.

- Sim, eu entendi essa parte. Mas acontece que vocês estão sempre arrumando um jeito de continuar com isso.

- Porque seus amigos também fazem o mesmo. – e com isso se sentiam na obrigação de não deixar barato.

- Então se nós dissermos que vamos parar, vocês também vão?

- Sim. Pra falar a verdade, eu já vinha pensando sobre isso e pretendia que essa fosse a última brincadeira.

- Me daria mesmo sua palavra de que esta foi a última? – se estivesse mesmo falando a verdade, então falaria com Yoongi para que também dessem um fim àquilo.

- Sim. Mas só se eu tivesse certeza de que os ômegas fariam o mesmo. – Jimin não entendia o porquê de todo aquele interesse de Jungkook naquele assunto. – Mas por que está preocupado com isso? Quer selar a paz entre nossas casas? – riu um pouco desconfiado.

- Quero. Acho que toda essa briga de crianças já deu. – queria sim acabar com aquilo, mas queria principalmente não precisar entregar as fotos para Yoongi.

Agora que ouviu que os alfas estariam de acordo em acabar com aquela rivalidade, Jungkook teria que arrumar um jeito de convencer Yoongi a fazer o mesmo.

- Mas eu só faço acordos se for com o seu líder.

- Vou conversar com ele. Acho que vai gostar de saber disso. – Jungkook deu um enorme sorriso. – Bem... eu preciso ir. Ainda tenho que arrumar um monte de coisas no meu quarto, antes que o Hoseok escolha a cama longe da janela.

- Tá bem. – o alfa foi até ele e lhe deu um selinho. – Me dá seu telefone.

Por um momento Jungkook gelou com o pedido, e ficou o encarando um pouco assustado.

- Seu número. Me passa; não quero ter que pedir pro Taehyung conseguir pra mim. – riu um pouco sem graça, achando fofa a carinha de espanto de Jungkook.

- Ah... sim. – depois de entender o pedido, rapidamente deu seu número para Jimin. – Anota aí.

[...]

Jungkook estava agora diante de Yoongi, lhe contando sobre a missão e tudo que conversara com Jimin.

- Eu tô falando sério. Ele disse que essa seria a última brincadeira. E que estaria disposto a parar se você também concordasse em fazer o mesmo. – Jungkook explicava para Yoongi, enquanto tentava o convencer de que Jimin falava a verdade sobre acabar com aquilo.

- Não seja ingênuo Jungkook. Ele só falou isso porque gostou de você e tá afim de te pegar mais vezes. Eu conheço o Jimin, e ele jamais abriria mão do seu orgulho de alfa.

- Ele parecia falar sério.

- Você chegou agora, e já pegou o barco navegando. Você não conhece o Jimin.

- O que você precisa pra acreditar nele? – Jungkook estava realmente decido a mudar o pensamento de Yoongi.

- Não preciso de nada, porque já o conheço. Mas se você insiste, me diga um motivo pra que cogite a possibilidade de ir falar com ele.

- Bom... – Jungkook nem sabia ao certo o que falar, mas tentou confiar em sua intuição. – Lembra quando eu tive que ir beijá-lo?

- É claro que lembro. Como esqueceria aquela condição idiota?!

- Então... ele não quis me beijar. Na verdade, ele disse que nunca teve a intenção de me beijar sem que eu quisesse. Que só tinha colocado aquela condição pra ver se nós iríamos ceder à seus termos.

- Você é inocente demais Jungkook. Não vê que ele só fez isso pra te fazer acreditar que não passa de um canalha?

- Talvez eu realmente não o conheça como você acha que conhece, mas eu acho que você deveria pelo menos considerar a chance do acordo de paz.

- Tudo bem Jungkook. Eu prometo que vou pensar. Agora preciso que me envie as fotos.

Agora Jungkook estaria realmente fodido, porque não iria dar as fotos para Yoongi, e sabia que aquilo poderia lhe gerar consequências.

- Desculpe, mas eu não posso.

- Como assim Jungkook?

- Não posso deixar que você destrua a imagem dele só por causa dessas brincadeiras infantis.

- Você perdeu a cabeça né? Ficou com ele só uma vez. O que te faz pensar que ele se importa com você?

- Não se trata disso. Eu só acho que se nós fizermos isso, essa guerrinha nunca vai ter fim. Tá na hora disso acabar.

Yoongi quase não podia acreditar no que estava ouvindo, ainda mais de um calouro.

- Não sei por que tem tanta raiva assim dele. O Taehyung e o Jooheon também são daquela fraternidade, e mesmo assim você e o Minhyuk namoram com eles. Por que não colocam logo um ponto final nisso e selam a paz? Seria bem melhor pra todo mundo.

O líder ouvia aquelas palavras com atenção; tentando realmente cogitar aquela possibilidade. Talvez seu orgulho já estivesse falando tão alto que não o permitia mais pensar direito, e ver que talvez Jungkook tivesse razão no que dizia.

- Não pense que este assunto está encerrado.

- Por favor. Só considere, o que eu te disse.

- Vou pensar Jungkook.

- Tudo bem.

O ômega não queria que as coisas com Yoongi fossem daquele jeito. Mas queria pelo menos tentar mudar aquilo. E se pra isso era preciso ir contra algumas regras, então que fosse.

Agora tinha pelo menos a esperança de que talvez a relação entre as duas fraternidades poderia mudar. Só não sabia ainda se seria para melhor ou pior. Tudo dependeria do que Yoongi decidisse ao final.

[...]

Hoseok era o mais próximo que Jungkook tinha de amigo ali dentro. Simpatizou com ele assim que este lhe deu seu primeiro sorriso, então não se importou em desabafar um pouco com ele. Precisava falar sobre aquilo com alguém antes que ficasse louco de vez.

- Eu não acredito que você fez isso? – Hoseok nem sabia ao que regia.

- Qual parte? A que eu tirei fotos do Jimin seminu depois de ter transado com ele? Ou por não ter obedecido à uma ordem do nosso líder?

- Tudo isso. Você tem mesmo muita coragem. – O Jung só não sabia se Jungkook era de fato corajoso por ter conseguido tirar as fotos ou por ter batido de frente com o líder.

- Eu sou é um idiota. Mas ele me pareceu tão sincero, não acho que estava mentindo. Eu não deveria ter transado com ele, não é?

- Por que? Foi ruim? – o outro ainda queria saber mais detalhes.

- Não, pelo contrário. Foi maravilhoso. Mas e se o Yoongi tiver razão e ele não for o que eu achei que fosse?

- Não pense tanto nisso. Pelo menos você curtiu; e foi bom né? – o Jeon afirmou com cabeça que sim, junto de um pequeno sorriso ao lembrar da noite. – Então não precisa ficar se lamentando. Se ele for mesmo um babaca, então você então só finge que nunca aconteceu.

- Impossível. Ele é tão boooom de cama... tô até pensando em repetir a dose. De preferência várias vezes se possível.

- Nossa Jungkook. Não sabia que você era assim. – Hoseok não se conteve e riu alto. – Se você quer... então vai em frente. Tire suas próprias conclusões sobre o Park. Depois vai descobrir se ele serve ou não pra você.

- Você tem razão. Eu preciso conhece-lo por mim mesmo, e não pelo que os outros dizem.

Talvez Jungkook estivesse sendo ingênuo como Yoongi dizia? Talvez. Talvez estivesse sendo idiota por julgar Jimin pela a opinião dos outros? Talvez também. Mas Jungkook só poderia dizer o que realmente achava de Jimin depois de ele mesmo o conhecer e chegar às suas próprias conclusões.

Pelo pouco que conversou naquele sábado da festa com Jimin, sabia que ele não era tão horrível quanto Yoongi e Minhyuk fizeram parecer ser. Nada mais justo então que ele dar uma chance ao Park para conhece-lo melhor.

[...]

Pela noite, quando Jungkook estava no quarto que decidiu dividir com Hoseok, sentiu seu celular vibrar. Era Jimin, com a mensagem – “Apareça na janela.” – Jungkook por um momento quis até rir. Park Jimin não poderia estar na janela de seu quarto àquela hora da noite, poderia?

Jimin realmente estava em sua janela, o que fez com que o ômega sorrisse por achar aquilo tão incomum, vindo das coisas que ouvira a respeito do alfa.

- Tá ocupado? – Jimin perguntou lá de baixo.

- Não.

- Tá afim de dar uma volta? Prometo te trazer de volta.

- Me espera aí que eu já desço.

Jungkook rapidamente foi trocar de roupa; quando ouviu seu celular apitar novamente. – “Vista um casaco, está uma noite fria”. – Daquele jeito seria impossível não achá-lo adorável.

Hoseok apenas assistia à cena, se divertindo com aqueles dois.

- Não volte tarde. Amanhã acordamos cedo. – Hoseok disse com um sorriso travesso.

- Eu sei Hobi. Pode deixar que eu não demoro. – deu-lhe uma piscadela e saiu.

A casa estava quieta, quase todos estavam em seus quartos. Então tentou não fazer barulho para não chamar a atenção do líder.

Assim que saiu, viu Jimin sentado no degrau da porta de entrada. Então cutucou seu ombro, tendo rapidamente o olhar do alfa sobre si.

- Como está? Já estava indo dormir? Não estou te incomodando né? – eram tantas perguntas que Jungkook não sabia a qual delas responder primeiro.

Talvez Jimin tenha metralhado aquelas perguntas por estar nervoso em ver o ômega outra vez.

- Estou muito bem, obrigado por perguntar. Eu ainda não pretendia dormir, então não; você não está me incomodando. – acabou rindo, pois achava fofo o nervosismo que o mais velho demostrava quando estava perto de si.

- Eu não conseguia dormir, então vim te chamar pra dar uma volta. Não sei se você já conhece as redondezas, mas tem um lugar muito legal aqui perto que eu gosto bastante de ir. E não se preocupe porque não é um bar. – os dois acabaram rindo.

- Hum... se você estiver me levando para um matadouro, saiba que eu fiz taekwondo, e não vai ser fácil me dominar como pensa. – Jungkook era divertido. Um ômega bonito, fofo, engraçado e ao que tudo indicava, também inteligente, já que morava na casa dos ômegas mais brilhantes de toda aquela universidade. Realmente o pacote completo, sem contar que era um espetáculo de gostoso também.

- Parece que alguém sabe ler mentes. – Jimin também brincou. – Acho que preciso pensar em outra coisa agora. O que acha de observar o céu? Garanto que vai estar seguro.

- E existe algum lugar calmo nessa cidade que dê para fazer isso? – pelo que já tinha observado, nada parecia calmo e tranquilo por ali, nem mesmo durante a noite.

Mas Jimin conhecia um lugar quase secreto, atrás do prédio das artes, onde havia uma trilha que, depois de passar por entre algumas árvores, dava acesso a um campo de grama verde com a vista do céu em sua plenitude. Sem prédios, torres de telefonia ou qualquer outra coisa para atrapalhar.

Jungkook nem precisou dizer que concordava, afinal, já estava ali justamente para se deixar guiar pelo o que o alfa tinha em mente. E se surpreendeu quando chegou ao local.

A vista era mesmo linda e surpreendente. E mesmo com um céu levemente nublado, era possível apreciar as lindas estrelas e a lua crescente que agora lhes presenteavam com aquela linda visão.

Jimin estava conseguindo surpreender a Jungkook, e estava gostando disso.

O alfa, ao contrário do que ouviu, parecia alguém bem mais romântico e sensível. Talvez um pouco convencido por suas qualidades, mas ainda assim alguém muito interessante para se conhecer mais à fundo.

- O que achou? É lindo, não é?

- Muito lindo.

- Durante o dia, algumas pessoas costumam vir aqui pra fazer piquenique e outras coisas de casal. Mas a noite, no melhor horário, ninguém aparece. – o alfa logo se sentou na grama, não tardando em deitar-se nela, fitando o lindo céu estrelado.

- Deve trazer todos da sua lista aqui, né? – Jimin riu da coragem do ômega em lhe dizer aquilo.

- Sabia que o Taehyung que costumava fazer isso? Inclusive, foi ele que me falou desse lugar. Disse que era ótimo pra namorar. Mas nunca vim aqui com alguém. Sempre costumava vir sozinho, quando queria olhar o céu pra lembrar de onde eu morava. Você é a primeira pessoa que trago aqui. – não mentiu em nada do que dissera.

- Busan é realmente um ótimo lugar para morar. Já estou sentindo saudades. – acabou deitando na grama também, do ladinho de Jimin.

Os dois ficaram deitados ali por um bom tempo, apenas observando o céu, enquanto partilhavam das coisas que gostavam e costumavam fazer quando ainda moravam na cidade natal.

- Sabe de uma coisa? – Jimin disse lhe chamando a atenção. – Assim que eu te vi, senti algo diferente. Senti como se... de alguma forma já te conhecesse. E mesmo se você não tivesse sido a pessoa que Yoongi escolheu pra me beijar, teria ido atrás de você. – ouvir aquilo fez Jungkook fraquejar. O coração acelerou, e se duvidar, Jimin era capaz de ouvir.

- Ele não me escolheu. – confessou. – Eu me ofereci a fazer aquilo.

- Então você quis beijar um estranho mesmo sem conhecer? – o olhar de reprovação, fez Jimin levar um escorão.

- Eu decidi fazer porque ninguém quis. E achei até divertido.

- Então foi divertido ficar comigo? – agora ele fez questão de encará-lo.

- Bom... divertido não seria bem a palavra certa. O desafio de topar te beijar foi; mas a noite de ontem foi bem mais que divertida. – o alfa lhe fitava com atenção.

- Vou considerar que você quis dizer que foi top.

- Você dizendo isso faz parecer que foi o contrário disso. Acho que ficaria melhor se dissesse que foi uma noite incrível.

- Tem razão. Agora melhorou. – a risada de ambos era a confirmação de que agora assim estavam de acordo com o conceito escolhido.

Os dois continuaram ali, deitados sobre a grama, contemplando o lindo céu estrelado. Tudo ali estava perfeito. Nenhum dos dois precisava dizer nada, pois aquela visão e o momento falavam por si sós.

A visão do rosto lindo e sereno do ômega, para Jimin, era o que tornava aquilo tudo ainda mais perfeito. De fato, nunca havia conhecido alguém como Jeon. Tão autêntico, seguro de si e de pensamento próprio; a ponto de não se deixar influenciar pelas milhares de coisas ruins que provavelmente já deviam ter dito a seu respeito; ou então não estaria ali em sua companhia agora. E por isso talvez valesse a pena tentar ao menos uma vez não ser o alfa galinha que sempre era; talvez valesse a pena entrar em uma possibilidade nova, dar uma chance ao desconhecido e ver no que pode dar. Sem grandes expectativas ou falsas esperanças. Apenas tentar e ver o que poderia sair dali.

Incomodado por aquela típica sensação de estar sendo observado, Jungkook decidiu virar para o lado, encontrando o doce olhar do menor sobre si. Sorriu um pouco constrangido, mas sentia ao mesmo tempo que aquilo era bom.

Fez o mesmo que ele, ficou lhe contemplando e deixou que fizesse o que ambos ali desejavam; aproximando-se o suficiente para que Jimin selasse seus lábios, de um modo tão calmo e suave, que o ômega julgou ser impossível não desejar se render à um simples selar.

Também sentiu algo diferente quando conheceu Jimin. Sentiu que ele era mais que toda aquela máscara de aparências que parecia sustentar apenas por acreditar ser tudo aquilo que diziam que era. E talvez fosse por isso que Jimin tenha se interessado tanto por Jungkook; porque ele era diferente e não o julgou pelo o que os demais diziam; o olhou de um jeito apenas seu, um jeito que nunca recebeu de ninguém.

- O que acha... – Jimin se separou dele apenas para lhe propor algo. – de sairmos na sexta? Eu posso te levar pra conhecer Seoul e os lugares legais que me fizeram me apaixonar por essa cidade em tão pouco tempo.

- Por mim tudo bem. Eu estava mesmo pretendendo sair pra conhecer a cidade; e ter alguém pra me fazer companhia é melhor que ir sozinho.

- Combinado então. – deu mais um beijo em Jeon e depois ambos voltaram a contemplar o céu.

[...]

Assim que Jungkook voltou para casa, se deparou com Yoongi e Hoseok sentados no sofá da sala, os ômegas estavam aproveitando o resto da noite de domingo assistindo a um filme.

- Voltando tarde, Jungkook? Onde esteve? Fiquei preocupado. – disse o líder.

- Só fui dar uma volta, caminhar um pouco. – tentou não dar muita importância aos questionamentos de mais velho.

- Não fique andando por aí sozinho de noite. É perigoso. – Yoongi havia até perguntado de Hoseok se sabia onde seu amigo estava, mas este negou dizendo que não sabia de nada.

- Não se preocupe. Eu não estava só. – merda! Talvez não devesse ter revelado aquilo. Agora Yoongi o faria ainda mais perguntas.

- Não me diga que estava com Jimin? – é óbvio que já sabia a resposta daquela pergunta.

- Não foi nada demais. Ele só me chamou pra dar uma volta e conversar.

- Bom... se você quer descobrir por si mesmo quem ele é, então vá em frente. Vai chegar à mesma conclusão que já te disse antes.

Sem dizer mais nada, Jungkook apenas subiu as escadas e foi para seu quarto; Hoseok foi logo atrás dele; pois queria saber as novidades do pequeno rolê com o líder dos alfas.

[...]

Enquanto isso no andar de baixo, Yoongi foi até Minhyuk que preparava um lanche na cozinha.

- Tenho uma missão pra você. – disse-lhe assim que viu que estavam completamente a sós.

- Diz aí.

- Você vai pegar o celular do Jungkook e conseguir as fotos que ele tirou do Jimin. – Yoongi não estava disposto a desistir de concluir seu plano apenas porque Jungkook tinha dado para trás. – Acha que ainda consegue fazer aquilo?

- Desbloqueio o celular dele tão rápido quanto faço um miojo.

- Ótimo; porque você vai fazer isso hoje assim que ele dormir.

- Tá.

Minhyuk fez então conforme o melhor amigo lhe dissera; indo durante a madrugada até o quarto dos dois calouros e confiscando o celular de Jungkook que estava sobre o criado mudo ao lado de sua cama.

E mesmo que Jungkook tivesse arquivado as fotos em uma pasta onde apenas ele sabia o nome, Minhyuk as conseguiu encontrar facilmente, afinal, Jungkook não escondeu tão bem, pois não pensou que teria seu celular hackeado.

As salvou em seu computador, deixando para mostrar a Yoongi pela manhã, já que o líder acabou indo dormir, decidindo não o esperar. Depois voltou ao quarto dos mais novos e deixou o celular do jeitinho que encontrara, tomando o máximo de cuidado para não fazer nenhum barulho e correr o risco de os acordar.

Minhyuk deu boas risadas, e tinha certeza que Yoongi daria ainda mais; não apenas ele, mas toda a universidade se dependesse daqueles dois.

Pela manhã, Yoogi já esbanjava satisfação, não apenas por possuir as fotos, mas também por elas estarem simplesmente magníficas. Faria vários cartazes, um para cada animal que Jimin estava fantasiado.

- E quando pretende divulgar?

- No início do semestre.

- Quer dizer nessa próxima segunda-feira?

- Exato. Vai ser um ótimo início de semestre para os alfas e seu líder tão idiota. Não acha?

- É claro.

[...]

Sexta-feira

           

- Acha mesmo que estou bonito? – Hoseok já estava ficando irritado de ouvir aquela pergunta tantas vezes, e sua cara de tédio mostrava bem o quão sem saco já estava de Jungkook. – Okay.

- Relaxa Jungkook. É só o Jimin.

- Eu sei. É só que... sei lá! Faz tanto tempo que não tenho um encontro de verdade com alguém. – deu ênfase àquela palavra que já parecia ter sido excluída de seu vocabulário frequente.

- Só relaxa Jungkook, que vai dar tudo certo.

- Obrigado Hobi.

- De nada. Agora vaza daqui antes que eu te dê um soco.

Como no domingo, Jimin estava em frente à casa dos ômegas, apenas esperando por Jungkook. E por mais que não demonstrasse, nem mesmo para Taehyung, que era seu melhor amigo, estava tão nervoso quanto Jungkook.

- Vamos? – o ômega lhe chamou.

- Vamos!

A cada vez que via Jungkook, Jimin se perguntava quantas novidades mais ainda descobriria sobre ele. Sua beleza parecia se renovar a cada vez que o via. No decorrer da semana, acabou encontrando com o Jeon algumas vezes pelos corredores da universidade quando entregavam alguns documentos à secretaria; sendo inevitável não trocar olhares e alguns sorrisos com este, que sempre lhe retribuía.

E agora ali, ainda esperava o mais que havia para conhecer dele.

Eles caminharam bastante por diversos lugares, quase sempre com Jungkook pedindo para pararem em alguma barraquinha de comida. Jimin o levou a diversos pontos turísticos da cidade que tanto sonhou conhecer e só agora tivera a oportunidade graças a seus estudos.

Encerraram o passeio andando de bicicleta, que alugaram por trinta minutos para passearem no parque.

- Ansioso para o início do semestre? – estava bem mais que isso.

- Ansioso, nervoso, empolgado, com medo...

- Vai ver que logo se acostuma. – lhe sorriu gentilmente. – Os ômegas da sua fraternidade costumam dar todo o suporte necessário aos calouros que acolhem, então não precisa se preocupar tanto; porque tenho certeza de que vai se sair bem.

- Tomara.

Depois da divertida tarde que passara com Jimin, Jungkook mais uma vez tinha a certeza que ele poderia ser tudo, menos o completo idiota que Yoongi desenhara pra si. Conversaram bastante, e ambos partilharam muitas coisas sobre suas vidas, e por mais diferentes que parecessem ser, tinham muito mais coisas em comum do que apenas o talento para uma foda gostosa.

[...]

O final de semana passou praticamente voando, e Yoongi mal podia controlar sua ansiedade por finalmente ter sua tão doce vingança.

- Os cartazes estão prontos. Tem mesmo certeza que vai fazer isso? – Minhyuk, por mais que achasse divertida a ideia de fazer Jimin passar aquela vergonha, não sabia mais se era mesmo uma boa continuar jogando gasolina naquela chama.

- Não vou parar agora. Não vou parar simplesmente porque ele disse que pararia, porque eu sei que não vai. Então não me pergunte isso outra vez, okay?

- Okay! Você que sabe. – deu de ombros e apenas concordou.

- Amanhã de manhã, quando todos os alunos pisarem naquela instituição, verão como o líder dos alfas, o tão exibido e metido a gostosão, Park Jimin, é quando não está sendo um idiota.

[...]

Finalmente era chegado o dia em que oficialmente dariam início às suas vidas como acadêmicos da tão grande e renomada Seoul National University. Imaginando o nervosismo que os calouros de sua fraternidade deveriam estar sentindo, Yoongi os reuniu na sala, apenas para lhes falar umas palavras de incentivo. Logo todos estavam reunidos e atentos aguardando ao que tinha a dizer.

- Bom dia meninos. Nós apenas gostaríamos de lhes desejar um ótimo início de semestre. Que vocês consigam sucesso em tudo que fizerem e que seus dias aqui sejam os melhores de suas vidas. Então... tenham uma boa aula e divirtam-se no seu primeiro dia como alunos da Seoul National University. – depois de ouvirem o pronunciamento do líder, todos aplaudiram.

O dia seria cheio de emoções e novidades, Jungkook só não esperava que o seu teria uma dose a mais de emoção.

O ômega de cabelo cereja foi para o campus acompanhado de Hoseok, já que ambos cursariam medicina e teriam as mesmas matérias, juntos pelo menos tinham certeza de que não se perderiam dentro do enorme prédio.

Assim que começaram a percorrer os corredores, podiam ver as pessoas super empolgadas, dando altas risadas, que ainda não sabiam por qual motivo estavam sendo provocadas; mas bastou caminharem um pouco mais para verem do que se tratava.

“Não! Não! Não! Merda! Isso não pode estar acontecendo. E-eu... eu não dei as fotos pro Yoongi. Então, como elas vieram parar aqui?” – Jungkook era o único que não conseguia rir ali.

Estava nervoso a um ponto de não conseguir ouvir com clareza seus próprios pensamentos.

- O Yoongi é bem malvado quando quer. Não sabia que você tinha dado as fotos pra ele. – Hoseok disse baixo próximo de seu ouvido.

- Mas eu não dei. – Jungkook ainda estava incrédulo daquilo tudo. – Eu não dei Hobi. – olhou para o amigo e seus olhos já estavam marejando.

- Calma Kookie. Vamos falar com o Yoongi.

- Não vai adiantar Hobi. A merda já tá feita, e agora ele vai me odiar.

- Você ainda nem sabe se ele viu. – e bastou seu amigo dizer aquilo para o olhar de Jungkook encontrar o de Jimin, que vinha em sua direção no corredor.

Sua cabeça lhe dizia para sair correndo dali o mais rápido que pudesse, mas suas pernas simplesmente não obedeciam.

- Não fala nada. – Jimin o interrompeu assim que viu a boca do ômega se abrir na tentativa de dizer algo. – Eu pensei que você era diferente. Mas pelo visto é só mais um dos soldadinhos do Yoongi, que cumpre sem hesitar as ordens dele. Pensei que tinha sido sincero comigo, porque eu fui com você; de um jeito que nunca fui com ninguém na minha vida. Mas que bom que me mostrou que realmente não vale apena eu tentar algo com você, porque no final, você não passa de um cachorrinho do Yoongi. E a propósito... meus parabéns pelas fotos, conseguiram o que queriam. Diga ao seu líder que vocês venceram.

Jungkook nem percebera em que momento suas lágrimas começaram a descer, e por mais que quisesse dizer que não havia sido ele, que tinha dito ao seu líder para não fazer aquilo, sabia que no fundo tinha uma grande parcela de culpa. Queria ao menos dizer que também tinha sido sincero quando estiveram juntos, mas as palavras simplesmente não queriam sair de sua boca. Não conseguia dizer nada, e se dissesse, tinha medo de tornar tudo ainda pior.

O ômega o viu passar por si, mas não conseguiu fazer nada. Jimin foi embora e ele não conseguia pensar em como desfazer um pingo de toda aquela merda.

Hoseok o levou para um lugar com menos pessoas, para tentar acalmá-lo. Se conheciam a pouco tempo, mas eram o que tinham ali dentro, um ao outro. E ficaria ao seu lado nesse momento.

- Toma. Bebe um pouco de água. – estendeu sua garrafinha a ele, com um olhar carinhoso, de conforto.

- Eu não quero. Eu juro que não queria que isso tivesse acontecido. Eu disse pro Yoongi que não daria as fotos, porque ele me disse que estava disposto a parar com essas disputas idiotas. Mas eu nem devia ter aceitado me meter nisso. Eu não devia ter tirado aquelas fotos.

- Jungkook, você não é o maior culpado por isso. Eu não sei como ele conseguiu as fotos, mas foi ele quem publicou e espalhou pela universidade. Se o Jimin tem que ficar com raiva de alguém, então esse alguém é o Yoongi, e não você. Eu sei que se você tentar falar com ele depois, quando ambos estiverem mais calmos, ele vai te ouvir e vai conseguir te desculpar por ter feito parte disso.

- Não vai não Hobi. Ele não vai me perdoar, porque confiou em mim e sacaneei ele. – Jungkook continuava a chorar.

- Você só vai saber se tentar. Agora vem. Você vai lavar esse rosto porque ainda temos um longo dia pela frente.

- Eu não sei se consigo.

- É claro que consegue! Você veio do outro lado do país pra isso.

Sem dizer mais nada, Jungkook levantou do chão e fez o que seu amigo sugerira.

Tentou não se abalar com aquilo, mas lembrar de Jimin magoado, não com raiva, mas realmente decepcionado consigo, lhe machucava demais. Tinha acabado de conhecer o alfa, mas o sentimento que carregava por ele não precisou de muito para surgir e se tornar significativo.

Saiu do banheiro decidido a tirar satisfações com Yoongi, ele não tinha o direito de fuçar seu celular sem sua permissão, certo?

Nem assistiu à sua primeira aula do dia, foi logo atrás do líder.

- As fotos só estavam no meu celular. Por que você mexeu nele sem minha permissão? Você não tinha esse direito Yoongi. Eu entendo que você seja o líder, mas isso vai além de sua autoridade como tal.

- Tínhamos um acordo Jeon, e você não cumpriu. Eu só terminei o que não conseguiu. Você deveria me agradecer, porque eu tô te fazendo um favor te livrando do Jimin, ele não é bom o suficiente pra você.

- E o que te dá o direito de achar que pode decidir o que é melhor pra mim? Você não sabe nada sobre mim, e também estava errado sobre ele. – e lá estava Jungkook chorando novamente.

- Olha Jungkook, eu sei que realmente não posso decidir nada por você. E se você quer mesmo seguir com isso, então não vai ser eu a te impedir. Quer que eu fale com ele diga que a ideia foi toda minha? Tudo bem, eu falo. Quer que eu diga que te forcei àquilo? Tá, eu digo. Mas eu não garanto que isso vá mudar, porque ele é cabeça dura e sei que não vai querer acreditar. Mas se isso vai te deixar melhor, então eu faço. Mas acredite em mim, se ele realmente gostar de você, então não vai ser isso que irá mudar seus sentimentos por você.

Depois daquilo, Yoongi deu as costas para Jungkook. O ômega então saiu pelos corredores e começou a tirar todos os cartazes que encontrou. Não que aquilo fosse mudar muito as coisas, pois era bem provável que aquelas fotos já estivessem rolando soltas nas redes sociais. Mas aquilo o ajudava a se sentir um pouco melhor.

[...]

- Você não acha que tá exagerando um pouco? Foram só umas fotos bestas. Além do mais, agora pelo menos todo mundo sabe o quanto você é gostoso. – Taehyung tentava melhorar o ânimo do amigo, mas aquilo não estava funcionando muito.

- É só por alguns dias. Não tô com saco pra ouvir os deboches daquele pau no cu que tu come.

- Vai perder o início do semestre? Vai levar faltas; sabe disso né?

- Eu sei Taehyung. Relaxa que eu ainda não vou fugir do país não. É só uma semana, no máximo duas.

- Não acha que deveria ouvi-lo antes de ir?

- Eu não tenho nada pra ouvir. Ele é igualzinho a eles.

Jimin não queria mais ver nada, nem ter que ouvir nada.

Escutou tudo que Yoongi tinha a lhe dizer, cada palavra. O parabenizou por ter conseguido sua vingança e disse que agora que a vitória era deles, não pretendia mais seguir com aquilo.  Pois o que realmente atingiu Jimin não foram aquelas fotos, e sim crer que poderia ter dado certo com Jungkook, mas este o sacaneara, ou pelo menos estava certo de que Yoongi contara com seu trabalho no dia da festa para aquilo. Não queria mais olhar pro rosto do ômega e sentir raiva, decidiu então que se afastaria dali por um tempo. O suficiente para tentar esfriar a cabeça.

Ignorou as ligações, as mensagens no Kakao talk e qualquer outra tentativa que Jungkook tenha usado para falar consigo. O ômega recorreu até mesmo a Taehyung, pedindo que convencesse Jimin a escutá-lo, mas o alfa estava realmente irredutível em sua palavra, e não queria ouvir Jungkook.

E assim o alfa partiu, com a cabeça e o coração cheios de dúvidas.

[...]

Jungkook não conseguia parar de pensar em Jimin, e em tudo o que tinha lhe dito. Depois de três dias ainda não tinha nenhum sinal do alfa. Queria pelo menos ter a oportunidade de ser ouvido também, mas nem isso tivera.

- Por favoooor Taehyung. Me diz onde ele tá.

- Ele não quer falar com você Jungkook. Foi mal.

- Eu sei que errei em ter tirado as fotos, mas nunca quis que Yoongi tivesse feito isso. Ele me disse várias coisas, e eu não pude dizer nada. Ele precisa pelo menos ouvir o que tenho a dizer, e se mesmo depois disso ele não quiser mais falar comigo, então eu desisto. Mas ele precisa me ouvir. Por favor, me diz pra onde ele foi. – aquele pedido era tão sincero que Taehyung não resistiu e cedeu.

- Anota aí o endereço. – Jungkook pegou o celular no mesmo instante e aguardou por Taehyung.

Depois de conseguir a localização do alfa, ele voltou para casa e rapidamente arrumou algumas roupas dentro de sua mochila. Hoseok não estava entendendo nada, Jungkook mal chegara e já estava de saída.

- Eu prometo que volto rápido. Não se preocupe.

- E se o Yoongi perguntar por você.

- Sei lá... Fala que eu fui... pra casa do caralho, pra puta que pariu, tanto faz.

- Tá bem.

- Tchau Hobi.

- Boa sorte.

- Valeu.

Jungkook pegou a mochila e saiu. Foi até a rodoviária e comprou uma passagem para a cidade vizinha em que Jimin estava. Em uma hora chegou ao seu destino. A cidade também era bem movimentada, menos que Seoul, mas ainda assim bem agitada. Jungkook começou então a andar em busca do hotel que Taehyung havia lhe dito.

Assim que encontrou, foi até a recepção e fez seu check in. Deixou a mochila em seu quarto e saiu a andar pelo hotel na tentativa de encontrar Jimin.

Foi até a piscina, mas ele não estava. Tentou também o bar, mas nada do baixinho. Já estava circulando a um tempo e nem sinal dele; talvez teria que ficar plantado na entrada do hotel até que este aparecesse. Torcia para que Taehyung estivesse mesmo certo e que Jimin estivesse mesmo ali.

Jungkook tentou mais uma das áreas do hotel: a quadra de esportes. Sabia que Jimin era estudante de educação física, então talvez houvesse a possibilidade dele estar ali, certo?

Sua intuição nunca esteve tão certa. Finalmente encontrara o alfa.

Estava Jogando basquete, e inutilmente tentando colocar a bola dentro do aro, mas nenhuma entrava.

Jungkook pegou uma bola e arremessou de trás dele, fazendo-a passar por dentro do aro, finalmente chamando a atenção de Jimin para si, que até então ainda não tinha se dado conta da presença do outro ali.

Jimin ficou surpreso por vê-lo, e sabia que Taehyung era um grandessíssimo filho da puta por ter entregado ao ômega sua localização.

- O que veio fazer aqui? – perguntou tentando parecer indiferente.

- Vim falar com você, já que não me atende, nem responde minhas mensagens e nem me deixou tentar explicar.

- O Yoongi já me disse tudo. Não tenho o que ouvir de você.

- Tem sim, porque eu não vim até aqui à toa; então você vai ouvir o que tenho a dizer e depois eu vou embora.

O mais velho não disse nada, apenas esperou que Jungkook dissesse logo de uma vez o que tinha a dizer e fosse embora dali.

- Eu topei fazer aquilo, é verdade. Tirei as fotos e me arrependo por isso. Eu não quis que ele te expusesse, tanto que não entreguei as fotos a ele, mas ele pegou meu celular e as conseguiu mesmo assim. Eu sei que pra início de conversa nem deveria tê-las tirado, mas eu não te conhecia, e achava que você era mesmo o alfa babaca que ele tanto falou. Mas desde o dia em que te conheci, eu soube que você não era o que ele dizia. E bastou eu te conhecer um pouco mais pra saber que você era uma pessoa legal. Eu sei que você talvez não acredite em mim, mas eu juro que quando eu te beijei naquele quarto, quando transamos, quando saímos e conversamos, e mostramos quem realmente éramos, eu juro, que em cada um desses momentos eu fui cem por cento sincero com você. Eu quis aquilo, quis estar com você, conhecer você, beijar você... e tudo que eu quero agora é que você acredite em mim e seja capaz de me perdoar, porque eu também estou sendo sincero como nunca fui com ninguém na minha vida.

Por alguns minutos ponderou cada uma daquelas palavras. Ficou em silêncio assimilando-as.

- Quer dizer então que você sai por aí atrás de um alfa que conheceu a pouco mais de uma semana só pra lhe pedir desculpas? – um sorriso pequeno começou a surgir em seus lábios.

- É que ele precisava saber que é importante o suficiente a ponto de me fazer ir atrás dele. Mas acho que ele não está interessado nas minhas desculpas, então vou ter que ir embora. – Jungkook se virou de costas fingindo estar indo.

- É... acho que ele não está mesmo interessado em desculpas, porque prefere dar um beijo no ômega que veio atrás dele só pra dizer isso.

Quando Jungkook percebeu, Jimin já estava puxando seu braço, virando-o para lhe beijar e finalmente acabar com aquela angústia.

Os lábios se movimentavam como se experimentasse daquele beijo pela primeira vez, em um misto de sensações que só conseguiam dizer ser incrivelmente bom.

Passaram aquela noite no hotel e pela manhã voltaram para Seoul.

[...]

Jimin e Yoongi já haviam concordado em por fim àquela rixa de crianças, e as coisas pareciam finalmente darem certo, já que o convívio de um ano em total paz entre ambas as fraternidades estava demonstrando ir muito bem.

O início do primeiro ano letivo de Jungkook na Seoul National University foi realmente um momento marcante de sua vida, pois descobriu em Seoul coisas que nunca imaginou viver em toda sua vida.

Jamais iria esquecer sua primeira festa de universitário, pois foi graças a ela que conheceu o alfa com quem agora já completava oito meses de namoro. Jamais se esqueceria da restrição que dizia – “Ômegas da Yang Delta estão barrados!” – , pois aquilo era uma Sugar Free Party. Mas sempre lembraria dela com carinho, junto das demais lembranças dos momentos que construiu e dos que ainda iria construir durante aquela sua longa jornada.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e se divertido. Então compartilhem comigo o que acharam, isso me ajuda bastante a estar trazendo mais conteúdo pra vocês.

Estes são links de outros trabalhos meus, caso tenham interesse:

Quero matar meu (adorável) chefe! - Long fic Jikook AU
https://www.spiritfanfiction.com/historia/quero-matar-meu-adoravel-chefe-10802616

A Fórmula - Long fic Jikook AU - colegial (minha com a @Kimik182)
https://www.spiritfanfiction.com/historia/a-formula-12459606

Um Presente do Céu - Long fic Jikook AU - ABO
https://www.spiritfanfiction.com/historia/um-presente-do-ceu-13822914

Jimin, um staff não! - Short fic Jikook CANON+ABO
https://www.spiritfanfiction.com/historia/jimin-um-staff-nao-12117422

Os homens são de Marte e é pra lá que eu (não) vou! - Oneshot Jikook AU
https://www.spiritfanfiction.com/historia/os-homens-sao-de-marte-e-e-pra-la-que-eu-nao-vou-13035480


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...