História Sui Generis - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Hoseok, J-hope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Kookmin, Mpreg, Namjin, Namjoon, Seokjin, Sope, Suga, Taehyung (v), Yoongi, Yoonseok
Visualizações 15
Palavras 1.657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem apareceu?
Sim, fui eu... rsrs
Vida corrida, mas como quem é vivo sempre aparece...
Mais um capítulo para vocês.

Capítulo 10 - Lembranças


Fanfic / Fanfiction Sui Generis - Capítulo 10 - Lembranças

Capítulo anterior

Hoseok havia ficado chateado com sua avó por ela ter inventado um aniversário para convidar Dr. Yoongi à sua casa com a intenção de reaproxima-lo de si.

Mas enquanto tomava seu banho conseguiu relaxar um pouco e até pode imaginar de maneira prazerosa Dr. Yoongi mais à vontade fora de seu consultório. Ao perceber seu descuido com tal pensamento, repreendeu-se. Não havia conseguido esquecer as palavras duras, que ouviu com indignação, do médico.

 

Capítulo atual

FLASHBACK ON:

Numa lanchonete...

-Você vai ser engolido pela aquela gente cruel, que massacra as pessoas sem dó e sem piedade! –Dr. Yoongi passou as mãos pelos cabelos, nervoso.

-Fala baixo, Yoongi... –Hoseok olhou a sua volta para conferir se mesmo no canto que haviam escolhido sentar, chamavam a atenção.

-Eu estou falando baixo. –Não estava. Neste instante é que abaixou o tom de voz.

-É a minha carreira! Eu preciso tentar! Há muito tempo eu venho sonhando com isso. Veja, você se formou em medicina, tem seu consultório... Eu quero ser feliz também... –Não conseguiu concluir a frase.

-Você quer ser feliz? –O médico o perguntou indignado.

-Sim...

-Eu não represento nada em sua vida?! Você quer sair daqui para ser feliz? –O médico já estava com o rosto vermelho pela exaltação. Era muito contraditório aquilo, pois naquele lugar foi que Dr. Yoongi havia encontrado a felicidade e a paz de que precisava.

-Yoongi, você é muito especial pra mim mas, quero vencer na vida! O que eu vou conseguir aqui nesse fim do mundo?!

-Nem que isso comprometa o nosso relacionamento? –Falou com pesar em suas palavras e com um olhar fixo para as orbes aflitas de seu namorado.

-Yoongi, é em Seul... Não vou para outro planeta!

-Eu só quero o seu bem!

-Não, você está é me empatando!

-Hoseok, você não entende... –Falou contido e quase entre os dentes.

-Não, eu não entendo mesmo! –Suspirou cansado da tempestade que o médico fazia sem fundamento algum e continuou mais calmo: -Eu venho te ver... ou você pode passar uns dias comigo e quem sabe abrir um consult...

-Nunca! –Bateu as mãos na mesa, fazendo Hoseok se encolher. –Nunca na minha vida quero estabelecer vínculo com essa gente! –Perdeu o controle que vinha mantendo até àquele instante.

-Pra que isso? Porque isso tudo?! –Para o moreno de feições delicadas era incompreensível aquele comportamento.

Dr. Yoongi nada respondeu, respirou fundo, levantou-se da cadeira e seguiu em direção à saída do estabelecimento, carregando consigo os seus motivos. Os quais prometeu a si mesmo que jamais contaria para ninguém. Estabeleceu-se naquele vale e fora muito bem recebido pela população. Sua profissão ajudou, e ajuda até hoje, a muitos. Em consequência disso eles são pessoas muito gratas à Dr. Yoongi. O tratando sempre com respeito e lhe oferecendo a melhor das virtudes, a simplicidade. Valorizavam a natureza e o contato humano. Essa conduta fez com que o médico se apaixonasse pela cidadezinha e esquecesse seu passado tão triste e aterrorizante. E para acrescentar ainda mais alegria em sua vida, ele conheceu a Hoseok, um jovem de princípios e de muito bom coração. Ambos juraram amor eterno em uma noite de céu estrelado. Mas Hoseok o fez estremecer com aquele comunicado de que iria procurar emprego em um grande centro urbano. Temeu realmente pelo seu bem estar e sentiu como só ele estivesse apostando naquela relação até agora.

-Yoongi! Você vai embora?! –Acompanhou o trajeto do outro com os olhos.

-Não te interessa, assim como não te interessa saber como eu me sinto. –Parou e respondeu sem olhar para seu interlocutor.

-Me interessa sim, por isso estamos conversando sobre a minha decisão. –Levantou-se da cadeira também e ficou de pé junto à mesa.

-Quer saber de uma coisa? A vida é sua, faça dela o que bem entender! –Retrocedeu alguns passos e se virou sobre os calcanhares, encarando-o.

-Você vai me deixar aqui sozinho? –Com uma expressão chorosa quis saber.

-Você não precisa de mim. Esqueceu que quem vai embora é você? –E mais uma vez seguiu rumo à porta.

-Yoongi, para com isso! E tudo que nós vivemos? –Os olhinhos puxados de Hoseok já lacrimejavam e ele não se preocupava mais se algum cliente acompanhava aquela briga.

-O que nós vivemos? Ilusão? –Aquela pergunta chocou o mais novo. Não havia significado nada para ele? -Foi tudo uma ilusão! Hoseok, você me iludiu!

-Assim você me ofende! Eu te amo de verdade!

-Não vou mais alimentar meu coração com algo que não existe.

-Você está terminando comigo?! –Nunca imaginou que um dia seu relacionamento pudesse ter um fim precipitado e traumático.

-Você já não vem sonhando com isso há muito tempo? Então já sabia que ia embora... Não tem como terminar o que nunca teve começo! –Desta vez bateu a porta e partiu.

O aspirante a jornalista sentou-se novamente, abalado com o que ouviu, chorou ali mesmo. E recebeu auxílio de uma garçonete que lhe ofereceu guardanapos para secar sua face.

Hoseok até tentou contato antes de partir para Seul mas, Yoongi negou suas chamadas.

FLASHBACK OFF

 

Durante o jantar Dona MinSuh era a mais animada. O médico, muito gentil com a senhora, dava-lhe toda atenção. Deu uma atenção especial também para Hoseok, pois observou as olheiras e um pouco de desânimo no rapaz. Orientou uma visita ao médico o que fez todos rirem. Mas Hoseok riu de nervoso, não conseguia relaxar. A presença de Yoongi mexia com ele. De vez em quando os olhares se cruzavam e ambos ruborizavam. A senhora, fingia nada perceber e vibrava internamente com cada minúscula troca de palavras entre os rapazes.

-Agora chegou a hora da sobremesa. –Cantarolando, trouxe em um pirex grande de vidro um pudim.

Os meninos comeram o doce com os olhos quando este foi depositado sobre a mesa. A senhora serviu cada um com prazer. Sorriu com satisfação ao vê-los começarem a comer e logo em seguida desejou boa noite aos dois.

-Ué, a senhora não vai comer? –Dr. Yoongi perguntou.

-Não posso comer doce, lembra, doutor? –A senhora falou sério.

Nada mais surpreendia Hoseok. Já tinha entendido todo aquele teatro arquitetado por sua avó.

-Não se preocupem, ninguém está com pressa aqui... agora vou dormir. Estou muito velha para acompanhar o ritmo de vocês. –Assim deu às costa e seguiu pelo corredor, radiante por ter conseguido deixar os dois sozinhos.

Mas ainda faltava uma parte do plano que dependeria apenas deles e é claro que ela não iria dormir direito até saber o que realmente aconteceu entre os dois.

Um silêncio sepulcral se instalou naquele ambiente. Quem teria coragem de emitir a primeira palavra?

 

 

(...)

 

 

-Desculpa por isso tudo... –Foi Hoseok quem falou. Sua face estava corada. O que levou o médico a apreciá-lo.

-Você está falando sobre me deixar aqui no vale, quebrar a sua cara e voltar?... –Usou um costumeiro tom de voz grave e linear. Isso irritava o ex-namorado, por saber que só o empregava quando sentia-se em posição superior.

-Não, DOU-TOR Yoongi... –Expressou-se de forma debochada. –Por se achar tão esperto e ser enganado por uma velhinha. –Viu a postura do outro se desfazer e ficou satisfeito por conseguir diluir aquele ar soberano.

-Não entendi...

-Hoje não é aniversário da minha avó.

-Ah... –A surpresa inicial deu lugar a uma fisionomia confiante. –Já sei. -O doutor apertou os olhos.

-Sabe o que?

-Você inventou tudo isso porque queria me ver.

-Eu?! –Ficou surpreso

-É. –Foi simplista.

-Da onde você tirou esta história maluca?!

-Não precisa ter vergonha... Dona MinSuh me contou.

-Ah, não... minha vó tá esclerosando, cara! Eu não falei nada disso! –Hoseok, agitado, levantou-se da mesa e levou sua tigela de sobremesa para a cozinha. Com a torneira aberta e esfregando a esponja de maneira desajeitado no utensílio, resmungava.

-Lava o meu também. –O médico encostou no portal, com a peça na mão.

-Lava você! –O moreno falou ríspido e ao passar pela porta da cozinha esbarrou naquele que, propositalmente não cedeu espaço para que ele passasse.

-Eu sou visita. –Sem afetar-se pelo tratamento que recebeu, apoiou a tigela na beira da pia e foi atrás do jovem que havia saído para a varanda.

-Eu não sei por que ela me expõe desta maneira! –Hoseok falou mais para si mesmo e ficou a observar o céu escuro.

-Ah, então é verdade? –Dr. Yoongi perguntou no momento em que juntou-se ao outro na varanda.

-Não! Não é verdade!

-Então você não queria me ver? Se você pudesse, então optaria por nunca mais olhar na minha cara?

O mais novo ficou mudo. Aquilo não era o que ele queria dizer.

Yoongi se aproximou e pelos ombros virou o mais novo para si. Um pouco aturdido pela pequena distância que mantinham, Hoseok suspendeu sua respiração, enquanto o doutor ficou levemente ofegante. Este com os olhos cravados nos lábios rosados e bem delineados do jornalista, foi se aproximando lentamente, até que os sentiu. Um explosão de sentimentos invadiu o peito de Dr. Yoongi, fazendo-o empurrar as costas alheias contra à parede. Não sentiu resistência e ficou feliz por isso, porque por mais que o outro negasse, notou que ele ainda tinha uma chance. Um beijo lento e afetuoso aconteceu, faziam o reconhecimento daquele momento que por muitas vezes compartilharam.  Lábios e línguas quentes saboreavam-se sem pressa. Com seus corpos tão colados, um pode sentir o coração do outro acelerado.

Entorpecido, o médico foi trilhando um caminho de beijos úmidos desde o maxilar até o pescoço alvo e macio de Hoseok. O cheiro daquela região o remeteu ao passado... “Você é delicioso!” Sussurrou aos ouvidos do jovem, que já havia inconscientemente inclinado a cabeça levemente para o lado dando espaço a Yoongi. Não conseguiu conter um gemido baixo e manhoso. Foi o suficiente para que o médico experimentasse uma sensação de descontrole sobre seus atos. Depois de sentir seu membro palpitar, abriu a boca num gesto automático e passou a língua nos dentes caninos que ficavam cada vez mais pontiagudos.

Continua...

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Um super beijo no kokoro de vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...