História Suicide - Capítulo 3


Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Suicide
Visualizações 108
Palavras 929
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Poesias
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Mãe, eu me corto


* Carta on * 


Oi mãe,  não sei muito bem,  por onde começar a falar, tenho certeza que vou dar voltas e voltas, e nunca chegar ao real assunto, é que sei lá cansei talvez, cansei de guardar meus sentimentos, minhas mágoas, cansei esconder a verdade, já procurei de todas as formas, contar essas coisas pra você, mais é que seisei lá sabe,  você não iria entender. Você sempre me fala que eu posso te contar tudo, mais tem umas coisas, que você não sabe sobre mim mãe, são coisas minhas,  coisas que na verdade,  eu nem gostaria de compartilhar comigo, são: pensamentos, idéias, sentimentos,  que eu não gostaria que ninguém soubesse, muito menos eu. Sabe aquela hora, que você não tem como esconder as coisas, que tudo fica difícil, e você cansa de tentar esconder, tá vendo,  eu disse que iria dar voltas e voltas, e não chegar a nenhum lugar,  não se dai de onde você está lendo, mais se tiver,  se prepara, porque talvez você não goste das minhas  palavras, sabe, já me falaram, que quando a gente mais caí, mais a gente fica forte, eu acho irônico isso, a gente caí uma vez, deveremos aprender a não cair mais, porque se caimos de novo, estaremos fracos e não fortes,  tem aquilo também sabe, aquela coisa que as pessoas chamam de tempo,  eu não acredito muito nele, sei lá se o tempo curasse, a gente não teria cicatrizes,  não é mesmo?  Bom eu penso assim,  é cada coisa que acontece, e o efeito domina, e quando você pensa que tá tudo bem, acontece alguma coisa e pronto,  o mundo desaba, você fica mal, se sente sozinha, acha que nada, nem ninguém vai curar essa dor, é bem assim não é mesmo?  Pois é de uns tempos pra cá, todas as minhas noites, tem sido como uma tempestade de água, de lágrima, lágrimas de sangue, pode  até parecer um pouco forte, eu sei é forte sim, eu não tenho culpa de ser assim, complicada. Isso é como uma droga, que vai construindo, meu corpo, a minha alma,  eu grito de socorro, e estão sendo abafados por julgamentos, talvez eu tenha perdido o controle da situação, talvez eu nunca tive o controle em minhas mãos, todas as noites eu ouço cautelosamente,  o barulho do vento em minha janela, ouço sem nada ouvir, oque eu sinto sobre tudo e todas as coisas, e aqui nessa noite, sei que vou chorar outra vez, sei que vai doer outra vez, sei que me acha tão perfeita outra vez, sei que amanhã meus olhos acordaram secos e inchados por causa do choro, sei que isso se repetirá amanhã, depois de amanhã, semana que vem, a cada segundo. Não queria me magoar, e magoar as outras pessoas também, não estou conseguindo suportar, tantas coisas, tantas brigas, tanta inveja, sinto uma lágrima cair dos meus olhos, descendo sobre minha face e senti o amargo que ela têm, descendo até meus lábios, não sei se vale apena sentir essa dor, e sentir sempre o amargo sabor das lágrimas, só sei que até, essas lágrimas pararem de cair, eu ainda vou continuar fazendo isso?  Mãe vai minta pra mim, fale que tudo vai ficar bem, você não vai ser a ultima a dizer isso pra mim, eu acho que não é oque as pessoas pensam, oque falo agora, sou eu, é eu, já me falaram de tudo, que não vai adiantar, que não vai para sarar a dor, que eu estou querendo me matar, é saber que muita dessas palavras machucam, e não só machuca por dentro, machuca por fora também, cada briga que tive com todos me ensinou uma coisa, nunca deixe ninguém pisar em cima de você, é fácil falar, agora quero ver fazer. As palavras falatam, e então se diminuiu, as mentiras se desaparecendo, eu já pedi ajuda pra Deus, eu fui, tentei só que, sou muito fraca pra isso, isso não é uma droga, Mais você acaba viciando,  e se torna um escravo, essa coisa vai te consumindo cada vez mais, e você fica fraca e vai caindo, e dificilmente consegue ver a luz, eu me sinto muito mal fazendo isso, mais sei lá essa sensação, de morrer por alguns segundos é muito boa, tudo fica em paz, ninguém nunca entendeu, oque dizem sobre isso, nem entendo porque, sabe eu acho uma coisa tão besta, Mais quando você pega em momento difícil, isso parece ser a única saída, será que se eu não fizesse isso, tudo ficaria melhor, ou pior?  Eu quero parar, Mais pessoas que fazem, não conseguem parar, essas palavras, atitudes, pensamentos, tudo me faz crer, que essa é minha única saída? Na cara é um sorriso falso, por dentro eu estou chorando, morrendo aos poucos, já disseram que, me admira por eu estar mal? É mesmo assim está sorrindo? Quem sabe isso não é bom? De manhã está tudo bem, a noite está péssimo, meus olhos não aguentam mais as lágrimas, meu coração fica, cada vez mais apertado, eu havia prometido que nunca mais, iria fazer isso, me desculpa, tive que quebrar minha promessa, precisava me sentir aliviada, isso é um alivio pro meu corpo, a minha alma, minha cabeça está em turbulência, minhas mãos tremulas prometo que vou tentar, evitar essa situação, e que as palavras, apenas não machuca por dentro, mais elas também machuca por fora, e calmamente essa dor interna se torna, dor externa, remédio para alma a droga pro meu corpo, é a dor pro meu coração. Mãe, eu me corto. 

* Carta off * 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...