História Suicide - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá! Acho que demorei um pouquinho para atualizar, mil perdões.
Obrigado por esperarem, a escrita dos capítulos talvez não esteja tão parecida pois os anteriores são antigos, mas espero que não seja algo incômodo. Bem, boa leitura

Capítulo 3 - How you fucking know me?



Durante toda a manhã a chuva foi incessante, deixando que o clima melancólico se espalhasse pela casa silenciosa. O pesadelo da noite anterior ainda assombrava o doutor, fazendo com que ele não dormisse durante toda a noite, permanecendo de vigia no quarto alheio. Cochilou em alguns momentos, mas sempre acordava às pressas para checar o rapaz que dormia tranquilo, era como se sua consciência estivesse limpa, como se o ato que iria cometer não significasse nada. Sebastian iria mentir se dissesse que não estava abalado e que manteve a calma durante o episódio, ficou tão assustado quanto nos seus primeiros dias na faculdade de medicina.

Sonolento, seus olhos carmesim focam no movimento suave de Ciel, assistindo ele abrir seus olhos bicolores e se sentar na cama, bocejando de forma alta enquanto o encarava entediado.

"O que faz aqui?" Seu tom irritado se fez presente, o fazendo suspirar em descaso, iria ignorar aquela pergunta, não sentia que precisava responder.

"Como você está?"

"Como você acha?" Ciel sorriu sarcástico para o mais alto, mas logo soltou uma risada baixa e se deitou novamente. Observou enquanto Sebastian se aproximava para se sentar nos pés de sua cama, tentando manter a calma para perguntar da sua saúde. "Por que você está me ajudando mesmo? Você nem ao menos me conhece"

"Na verdade, eu conheço você sim".

O moreno respondeu com simplicidade, vendo o menino se sentar novamente e se aproximar, curioso por sua resposta inesperada, ele queria saber onde Sebastian o conhecia e quem era ele. Talvez algum conhecido de seus pais ou até mesmo a clientela estranha que entrava em sua casa, naquele momento o medo se instalou em si, o alertando do possível perigo que aquele homem poderia representar. Ninguém abriria espaço em sua casa para acolher um desconhecido, nem havia sequer feito perguntas básicas sobre sua vida ou parentes, algo ali não se encaixava e Ciel temia estar certo.

"Você… é um dos clientes do papai não é?"

"O que? Não. Ciel, acho que não se lembra, mas você já visitou o hospital onde eu trabalho" explicou rapidamente, seus olhos pesavam em cansaço porém queria se manter acordado, pois ainda não confiava totalmente no garoto a sua frente e no que ele era capaz de fazer. Precisaria trabalhar em algumas horas de toda forma, Sebastian só tinha duas opções: ou ele ficava acordado ou dormia pelo pouco tempo que restava.

Optou pela segunda opção e cedeu aos poucos, deixando seu corpo repousar na cama, queria dormir o quanto antes, sentiu seu corpo relaxar e logo um leve tapa ser deferido em sua bochecha. Respirou fundo antes de abrir os olhos e observar o rapaz ao seu lado. Seu semblante estressado era perceptível, entretanto não parecia intimidar Ciel e toda a sua confusão mental.

"Me explica isso, Sebastian. Mesmo que eu tenha ido no hospital, isso não justifica você me acolher e ser tão receptivo comigo, você é um daqueles personagens que são legais com a protagonista para depois prenderem elas? Um stalker? Joe Goldberg"

"Quem é Joe?" Seus olhos se fecharam novamente, suspirando pesadamente enquanto sentia o indicador alheio cutucando sua bochecha. "Ah, você foi com sua mãe, se não me engano, há uns três meses atrás. Você estava muito fraco e Mey, a mulher que te atendeu, notou os cortes no seu pulso, além do comportamento estranho da sua mãe. Mey falou para alguns de nós que talvez você estivesse sofrendo maus tratos em casa, mas não tinha como termos certeza"

"Então era por isso que eles me encaravam...?" O azulado mordeu o lábio inferior, se afastando sutilmente do médico ao abraçar seus joelhos numa tentativa de se sentir mais seguro. Sua mente explodia em teorias estranhas sobre o que tinha acabado de ouvir, agora os olhares estranhos que recebia no hospital faziam algum sentido. Eles realmente desconfiavam de algo, não iria julgar, era nítido que algo não estava certo, mas não imaginava que uma consulta aleatória em um hospital poderia levar ele a tal ponto.

"Sim, é meio difícil esquecer alguém que parecia precisa de ajuda, admito que o cabelo azul e sua heterocromia também me ajudaram a te reconhecer. Foi por isso que não insisti em te levar para casa. Eu pensei que fosse apenas um boato qualquer, mas quando vi seu estado entendi que Mey e todos os outros estavam falando sério e nem sabiam"

O garoto assentiu, escondendo sua cabeça nos joelhos para processar tudo o que Sebastian tinha dito, seu coração estava aliviado por saber que ele não tinha contato com Vincent, mas parte sua sentia vergonha por ele acertar em suas dúvidas, sentia-se vulnerável demais para soltar alguma piada sarcástica ou mudar o assunto sem parecer forçado. Queria poder ficar sozinho e aliviar seus sentimentos em lágrimas, mas não faria nada enquanto Sebastian estivesse por perto, já tinha dado uma recaída perto do mesmo e não estava em seus planos deixar acontecer novamente.

"Quer que eu saia?"

"Quero.."

Em silêncio, ele se levanta e sai do quarto, fechando a porta atrás de si e seguindo para seu próprio quarto. Sentia o clima pesar novamente, como se uma nuvem de inquietação fosse instaurada em toda a casa para agitar seus sentidos, mesmo que o sono ainda estivesse presente e seu corpo pedisse por um descanso o mais rápido possível, não deixava de se preocupar com o garoto e agora que suas suspeitas haviam sido confirmadas ele não sabia mesmo como agir. Seria fácil ligar para a polícia ou para o conselho tutelar para que tomassem as providências, entretanto precisava pensar em Ciel e no pai dele também, já que a palavra 'clientes' não estava querendo sair de sua mente. Não ousou perguntar a que tipo de pessoas se referia, sabia que não iria obter uma resposta tão cedo e não iria forçar nada, mas aquilo o deixava inquieto, apenas a família sabia do que se tratava o termo. E Sebastian era um mero desconhecido que estava tentando ajudar.

Respirou fundo antes de adormecer, exausto pelos ocorridos, não deveria pensar em grandes atitudes no momento, o sono apenas iria deixar tudo mais confuso. Sabia que iria precisar tomar cada decisão com calma e cautela, não adiantaria fazer algo drástico se não estivesse em plena consciência de que conseguiria lidar com as consequências de suas ações. Felizmente, Sebastian nem sempre era tão imprudente ao tomar decisões.

{ Horas mais tarde}

Eram exatas 19:30 quando Sebastian terminou o jantar, o cheiro da sopa se espalhava pela cozinha fazendo com que ele tivesse orgulho de si mesmo. Conseguiu voltar um pouco mais cedo para casa e se apressou para fazer algo para comer junto de Ciel, o mesmo estava sentado a mesa o observando com uma feição entediada. Passado uma boa parte do dia sozinho fez um certo bem ao azulado, estava mais calmo já que o outro tinha respeitado sua vontade de estar sozinho por algumas horas, seus pensamentos não estavam totalmente organizados, mas a bagunça de antes parecia menor no seu ponto de vista.

"Nossa janta está pronta" anunciou em alegria, colocando o prato com sopa na frente do menor, seu sorriso de lado tomando conta de seu rosto.

"Sopa não é janta, Sebastian"

Uma breve risada sarcástica foi solta pelo Michaelis ao se sentar, seu coração até errou a batida por escutar novamente uma piadinha alheia, não iria responder de volta. O jantar ocorreu sem maiores problemas, vez ou outra eles se falavam para soltar piadas irônicas ou para comentar algo aleatório, sem tocar em assuntos mais profundos e pessoais. Ao final Ciel o ajudou a limpar tudo e logo correu para tomar um banho, Sebastian esperou pacientemente o banho demorado que ele resolveu tomar para que pudesse ir depois, tudo em si desejava um banho e sua cama macia pelo resto da noite.

Não conseguiu evitar se perder em pensamentos, porém todo o seu raciocínio fora tirado quando Ciel chegou perto de si as pressas, trajando as roupas que usava no dia em que chegou em sua casa.

"Hey, eu preciso voltar ’pra casa" Ciel falou sério enquanto arrumava os cabelos com as mãos, bagunçando levemente para que ficassem do jeito que gostava.

"Você tem certeza?"

"Ah, obviamente não, mas preciso", suspirou pesadamente ao observar o homem se levantar para pegar a chave do carro, explicou o caminho enquanto o seguia até a garagem. Seu coração apertou e todo aquela calmaria ia embora dando lugar ao vazio rotineiro que sentia, agradecia mentalmente pelos 2 dias ali que serviram como uma folga de algumas coisas. "Pode parar ali"

"Mas sua casa fica mais na frente, está muito perigoso para você ir andando até lá"

"Acha que eu quero ir andando? Eu tô prezando a sua segurança e um pouco da minha, acredite em mim, você não vai querer ir até lá." Riu brevemente, sorrindo torto quando o carro parou, observou a feição preocupada do homem ao seu lado e tudo que fez foi dar tapinhas em seu ombro. "Eu vou ficar bem, obrigado por esses dias, de verdade"

"Espera, pega, fica com isso e me liga se acontecer qualquer coisa" entregou seu número ao azulado, precisava tentar ajudar ou fazer algo, não queria deixá-lo sem ao menos ter certeza de que poderia intervir caso precisasse. Observou o mesmo guardar o papel em seu bolso e assentir como se tudo fosse realmente ficar bem.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, deixem suas opiniões caso queiram. Eu tenho uma indicação muito boa para vocês!

https://www.spiritfanfiction.com/historia/como-sequestrar-um-youtuber--google-pesquisar-15722070

Recomendo muito a fanfic da moça, é super bem escrita e o enredo simplesmente te prende de todas as formas possíveis.

Então é isso, bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...