História Summer Love - Lee Felix - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Lee Felix
Visualizações 27
Palavras 4.343
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey hey! Aqui está a parte final, me perdoem pois ficou ENORME, não estava nos meus planos ficar tão gigante assim, mas aconteceu né kkkk
espero de coração que gostem! Não se esqueçam que este imagine é baseado na música "Summer Love" do One Direction

Capítulo 2 - The End


[04 de Janeiro]

O casal dividia os lençóis, suas pernas se encontravam entrelaçadas, quase como se impedisse um dos dois de fugir daquela posição. Aquele momento não exigia muita conversa, aproveitavam apenas a presença um do outro, o calor de seus corpos e a maneira como conseguiam sentir seu encaixe perfeito sem o incômodo de roupas.

Naquela posição, ela conseguia encarar cada detalhe do garoto a sua frente, era impossível ele esconder alguma coisa, não apenas pelo fato de sua nudez, mas também por que estava completamente adormecido.

As pequenas constelações que suas sardinhas formavam eram incrivelmente fofas na visão da mais nova, ela deixou a ponta de seus dedos fazerem desenhos aleatórios pela pele do australiano, juntando cada sarda em um formato desconhecido. Seus olhos desceram para a boca do mais velho, sem dúvidas aqueles lábios perfeitamente vermelhos eram a melhor parte de beijar, eram tão convidativos... Ela queria conseguir se esticar para alcançá-los, mas os braços de Felix a impediam de conseguir se movimentar sem acordá-lo.

Por fim ela apenas sorriu constatando que estava apaixonada. Não admitiria isso em voz alta tão cedo, doeria demais depois para deixar aquele sentimento para trás se deixasse aquilo ser mais real do que já era. A morena deixou sua cabeça descansar no travesseiro e ajeitou seu corpo fechando os olhos, estava cansada, mas não queria perder para o sono, queria apenas apreciar o loiro, mas seus olhos já começavam a traí-la.

Adormeceu com um sorriso gigante em seus lábios, sentia-se feliz, agradecia, estranhamente, por quase ter se afogado. Seus sonhos foram preenchidos por momentos que ela e Felix haviam vivido e alguns que eles ainda planejavam viver antes do final do verão.

[05 de Janeiro]

Naquele dia decidiram que voltariam a praia, ainda não tinham aproveitado a areia da maneira correta, tinham se preocupado tanto com passeios que se esqueceram que estavam bem de frente para a praia.

- Sabe que dia é hoje? - a menor perguntou mexendo em sua bolsa a procura de um protetor solar.

- Dia cinco talvez? Eu estou de férias! - Felix riu esticando uma toalha na areia.

- Se lembra que dia você me salvou? - o mais velho a olhou por alguns segundos e riu, aquele passeio não era proposital, pelo não por sua parte. - Seu babaca, você esqueceu?! - ela fingiu estar chateada, mas logo sorriu. - Hoje faz um mês que nos conhecemos...

O clima por algum motivo se tornou estranho, já tinha se passado um mês, eles tinham poucos dias até terem que se despedir. Eles tentaram continuar sorrindo, deveria ser um momento feliz, mas no fundo, sofriam por antecipação.

- Você vai nadar hoje? - o loiro perguntou se sentando. - Vai se afogar de novo hoje?

- Larga de ser idiota! - a morena riu lhe empurrando. - Eu vou colocar os pés na água, mas prometo não ir muito fundo, assim você não vai ficar muito preocupado.

- Eu posso ir com você até onde quiser ir.

- Você não é muito mais alto que eu Felix, se eu não aguento muito, você também não. - ela protestou lhe entregando o frasco de protetor solar.

- Pelo menos eu sei nadar, não vou me afogar se decidir ir até o fundo.

As pequenas mãos do australiano alisaram as costas da garota, lhe causando um arrepio involuntário, era como se fosse a primeira vez que era tocada pelo mais velho. Sorriu com esse pensamento e decidiu ficar em silêncio apenas sentindo o leve toque em sua pele.

- Acho que você também precisa passar protetor nessa cara branca! - a brasileira sorriu se virando de frente para ele. - Imagina só se você sair daqui parecendo um camarão? - ele sorriu com a piada, já estava acostumado.

Os dedos da mais nova deslizaram pelo rosto do garoto, novamente formando pequenos desenhos entre suas sardinhas, estes que agora podiam ser vistos pelas linhas formadas pelo produto branco.

- Já acabou Picasso? - Felix a abraçou pela cintura, aproveitando que ela estava ajoelhada a sua frente. - Achei que era só passar o protetor, não fazer uma obra de arte.

- Seu rosto já é uma obra de arte perfeita, não tem muito o que fazer nele. - ela sorriu ao ver o mais velho ficar vermelho, não sabia receber elogios sem ficar tímido.

- Você é incrível... - ela sorriu e lhe deu um selinho antes de começar a espalhar o produto. - Incrivelmente chata.

- Idiota. - não estavam falando sério, por isso ambos mantinham os sorrisos nos rostos, se divertiam daquela maneira. - Prontinho, obra de arte finalizada.

- Você não me deixou parecendo um fantasma, deixou? - ele questionou.

- Prometo que não, mas deixa no seu nariz, suas sardinhas não podem queimar muito. - a morena se esticou na toalha o olhando. - Vai nadar?

Felix apenas discordou com a cabeça e se deitou ao seu lado, ela deixou seus dedos procurarem pelos dele e os entrelaçou. Ficaram naquela posição e em silêncio por diversos minutos, não se importavam muito com o “tempo perdido”, só de estarem juntos e felizes já era o suficiente para criar memórias.

- O que você vai fazer quando o verão terminar? - o garoto quebrou o silêncio, brincando com os dedos da outra.

- Voltar pra casa, pra minha realidade... Estudar, arranjar um emprego... Sabe, ter uma vida normal... E você? - ela perguntou, mesmo que soubesse a resposta.

- Debutar. - ele suspirou encarando o céu. - Sempre foi o meu sonho, eu passei por maus bocados até finalmente conseguir isso... E agora eu estou com medo...

- Medo de que? Você canta e dança super bem! Vai se dar muito bem, com certeza.

- Medo de não dar certo... De eu não ser o suficiente, de eu não me esforçar o suficiente e ser substituído por alguém melhor...

- Se alguém te substituir, com certeza estarão fazendo a coisa mais estúpida de suas vidas! - ela se sentou, forçando-o a olhá-la. - Você é incrivelmente lindo, divertido, talentoso, sua voz é maravilhosa, você dança muito bem e eu consigo ver o seu esforço gigantesco em conseguir aprender coreano... Não existe nenhum motivo plausível para não dar certo.

Ele ficou em silêncio, queria confiar em todas as palavras da mais nova, mas de qualquer jeito ainda ficava receoso de não conseguir atender às expectativas dos garotos ou da empresa.

- Vem, vamos nadar e esquecer isso. - a morena se levantou e esticou a mão, indicando que ele a seguisse, o que fez.

- Por favor não se afogue. - ele sorriu a abraçando pela cintura enquanto caminhavam até a água alcançar seus ombros com as ondas.

Agora eles estavam de frente um para o outro, o sol deixava o trabalho de se olharem um pouco complicado, mas ainda assim conseguiam notar detalhes em seus rostos que ainda não tivessem notado.

- Você tá com uma espinha bem aqui. - a menor tocou um ponto perto da testa do mais velho e riu da careta que ele fez.

Como brincadeira, Felix a empurrou, de surpresa a soltando de seu corpo. Ela, por sua vez, querendo assustá-lo, decidiu fingir que havia escorregado na areia e estava se afogando novamente.

O coração do australiano quase perdeu o ritmo ao ver a garota se debatendo de novo na água e se afastando, com um rápido movimento ele a puxou pelos braços e a prendeu em seu corpo, sentindo a respiração rápida dela bater em seu peito nu.

- Me desculpa... - seus olhos estavam marejados e todo seu corpo fora tomado por preocupação. - Eu não queria que você escorregasse...

- Ei! - ela se separou dele rindo. - Está tudo bem, eu estava fingindo. Não tem nem como eu me afogar, a água não passa nem da metade dos meus braços.

- Não me assusta assim! - Felix reclamou cruzando os braços. - Eu quase morri sabia?

- Teste de coração meu amor! - ela sorriu e o abraçou pelo pescoço. - Você passou, não precisa ir ao cardiologista!

- Idiota.

- Eu também te amo. - ela confessou e o beijou, rápido o suficiente para que ele não processasse a informação.

[15 de Janeiro]

- Qual o seu maior sonho? - Felix perguntou deixando seus dedos deslizarem pelos braços nus da garota.

- Não sei... - ela confessou fechando os olhos. - Acho que viajar pelo mundo, conhecer diversas cidades, comer várias comidas diferentes...

- É um bom sonho. - ele sorriu puxando os lençóis embolados debaixo de seus corpos. - Já pensou em não voltar pro Brasil?

- Muitas vezes... Eu reconsiderei ficar por aqui... Mas eu não tenho dinheiro, não tenho visto, nada. - a morena se ajeitou, deixando seu corpo ser coberto pelo pano fino.

- Podíamos arrumar tudo... - o australiano verbalizou, estava pensando naquilo há alguns dias, esperava que ela concordasse.

- Não posso Lix... Eu tenho uma família no Brasil, eu tenho minhas coisinhas lá... Não posso abrir mão de tudo assim, sem mais nem menos.

- Não é sem mais nem menos... Ficaríamos mais próximos.

- Eu conheço uma agenda de uma pessoa famosa Felix, você não vai ter tempo nem mesmo pra dormir, imagina ter tempo pra outra pessoa. - ela suspirou. - Combinamos que nosso lance não passaria do verão.

- Acontece que eu não quero ter só um lance de verão... Eu quero mais, mais tempo com você, mais momentos, mais memórias...

Ela se calou, no fundo, sabia que também era o que desejava, mas não podia ter, não se daria ao luxo de sonhar, não daquele tamanho. Não arriscaria tudo por um amor de verão, pelo menos, não naquele momento.

- Se for para ser, um dia, nós vamos nos reencontrar, e nosso amor ainda será real, e aí então podermos tentar. - a menor abraçou a cintura do garoto e ajeitou sua cabeça em seu peito, ouvindo seu coração acelerar.

- Tudo bem... - Felix decidiu deixar aquilo de lado, não queria estragar seus últimos dias juntos.

[20 de Janeiro]

O fim do verão começava a se aproximar e com isso, a viagem da garota também. Eram seus últimos dias no apartamento na praia, assim como os últimos momentos que teria na brisa da costa e por fim, havia o garoto que tinha conhecido e se esbarrado diversas vezes por todo o verão.

Os encontros na areia tornaram-se almoços, que depois viraram boates em conjunto e logo passavam quase o dia inteiro juntos. Aqueles diversos momentos que os dois passaram juntos acabaram se transformando em sentimentos maiores que amizade, e em menos de cinco dias estavam em um relacionamento não definido e sem compromisso muito profundo.

Aquela era a última noite que eles iriam compartilhar, na próxima tarde ela pegaria o voo de volta para casa, seria aquele dia que finalmente seriam obrigados a verbalizar o tão temido “adeus”.

Ela se olhou no espelho do quarto, gostava da roupa que tinha escolhido, lhe caia bem e não era chamativa, apenas uma calça jeans clara e uma regata preta, com certeza a temperatura na rua ainda seria muito alta e se cobrir completamente com roupas estava fora de possibilidade.

Seu celular vibrou em cima da cama, estranhou o aviso vir por meio de uma mensagem, Felix costumava subir até seu apartamento para buscá-la, mas naquela noite apenas enviou um “já estou aqui”. O caminho do elevador pareceu ser feito ainda mais rápido do que o normal, fazendo com que o seu encontro com o loiro não demorasse. Felix vestia suas típicas roupas pretas, porém uma camisa colorida e divertida lhe dava um ar leve.

- Boa noite. - ele estendeu a mão para puxar a garota para perto de si depositando um leve selar em seus lábios. - Você está incrivelmente linda, ainda mais do que os outros dias.

- É só porque é nossa última noite. - essa frase arrancou o sorriso do rosto do mais velho que suspirou e abaixou a cabeça.

- Podemos esquecer isso por um tempo? - ele pediu entrelaçando seus dedos nos da brasileira, que apenas assentiu e seguiu os passos do mais velho.

- O que vamos fazer? - a morena perguntou parecendo um pouco mais animada.

- Primeiro vamos jantar aonde você quiser, e depois eu já tenho tudo planejado.

- Não estou com fome...

- Vai por mim, é melhor você comer agora. - Felix deu um sorriso sugestivo, que arrancou uma risada alta da mais nova. - Espero que você tenha trazido roupa de banho...

- Você não avisou nada. - a morena fez bico. - Mas não tem problema, a gente dá um jeito. - ela sorriu lhe dando um selinho.

- Onde vamos comer? - o loiro questionou vendo o farol abrir para os pedestres.

- Burger King. - o mais velho riu, era o fast food que eles mais haviam comido nos últimos dias apenas por ser barato.

Aquela noite deveria ser no mínimo divertida e perfeita, por isso ele não discutiu e apenas continuou a guiar o caminho enquanto mantinha uma conversa calma com a garota. Eles tentavam convesar sobre tudo menos sobre a futura separação, estavam animados o suficiente para que aquilo não os incomodasse no momento.

O pedido foi feito e em pouco tempo eles já tinham comido, mesmo que conversassem e dessem risada acabavam comendo sempre rápido. Logo estavam em seu caminho para a praia, o lugar parecia vazio, sempre estava durante a noite, mesmo no verão as pessoas pareciam preferir aproveitar a água apenas durante o dia. E exatamente por esse motivo Felix havia planejado ficar ali com a garota.

- Podíamos comprar alguma coisa pra beber. - ela comentou apontando para os pequenos quiosques fofos que continuavam abertos de noite.

Assim foi feito e logo os dois se encontravam sentados na areia e descalços, cada um segurando uma latinha de cerveja enquanto encaravam o mar que estava extremamente calmo e quieto. Todo o barulho da cidade parecia ser silenciado naquele momento, era como se os dois tivessem sido fechados em sua própria bolha e ninguém poderia os incomodar naquele momento, tudo estava perfeito, exatamente como nos outros dias.

- Desde quando você decidiu que queria seguir carreira de cantor? - ela perguntou brincando com o lacre de sua latinha.

- Acho que desde pequeno, meus pais sempre escutaram muita música e eu e minhas irmãs fomos criados nesse meio... - ele deu de ombros ainda olhando pra frente. - E você, gosta de música?

- Óbvio! Eu sou uma ótima ouvinte, mas uma péssima cantora. - ela riu.

- Dúvido... Canta alguma coisa, por favor. - Felix pediu a encarando, mas ela apenas discordou com a cabeça. - Tudo bem, me acompanha? - ele esticou a mão.

- Onde vamos agora?

- Você vai ver. - ele novamente entrelaçou seus dedos e a guiou até umas pedras mais afastadas da área onde todos ficavam na praia. - Aqui é mais reservado, já que você não trouxe biquíni.

- Lee Felix, o que você quer que eu faça? - ela perguntou vendo o mais velho tirando sua camiseta.

- Não me olha assim, não estou pedindo pra você ficar pelada no meio da praia. - ele riu a puxando pela cintura. - A menos que você queira.

- Você é um completo idiota mesmo. - a brasileira deu risada empurrando o mais velho.

- Pelo menos eu faço você dar risada. - ele continuava sorrindo, próximo ao rosto da menor.

- Não se sinta tão especial, eu dou risada de tudo. - ela sorriu achando uma pedrinha a qual pudesse deixar sua latinha de cerveja sem cair e sua bolsa.

- Mas eu sou o único que está te fazendo rir agora, já vale de alguma coisa. - o australiano parou por um segundo para ver a garota tirando a própria camiseta.

- Perdeu alguma coisa aqui foi? - a morena questionou.

- Talvez, posso procurar? - ele deu um passo à frente, puxando-a pela cintura.

- Sai daqui Felix! - ela falou falsamente brava e o empurrou e dobrou sua camiseta, deixando-a em cima da bolsa. - Tá, e agora?

Nenhuma outra palavra foi dita por nenhum dos dois, como se fosse uma decisão mútua seus lábios se juntaram em um beijo rápido fazendo com que os braços da morena se apoiassem nos ombros do mais velho, enquanto o mesmo a aproximava mais de seu corpo. Com um movimento rápido Felix se separou da morena buscando por ar, facilmente os lábios de ambos encontravam-se vermelhos.

Por sua vez a menor bagunçava os cabelos do australiano, era uma mania que ela tinha enquanto o encarava, os fios fora de ordem o deixavam ainda mais sexy. Parecia uma cena congelada, naquele momento o que importava era apenas os dois e nada poderia atrapalhá-los, exatamente naquele momento queriam ter um botão para que pudessem congelar aquela cena e nunca mais sair dela.

Porque você foi minha durante o verão

Agora sabemos que está perto do fim

Parece neve em setembro

Mas eu sempre vou lembrar

Você era o meu amor de verão

Você sempre será o meu amor de verão

 

Queria que nós pudéssemos nos sentir sozinhos agora

Se nós achássemos um lugar pra nos esconder

Fazer da ultima vez como a primeira

Apertar um botão e voltar

Felix deu um passo para trás soltando a cintura da menor, logo depois tirando sua calça e caminhando em direção à água.

- Você não vem? - ele questionou sorrindo enquanto deixava as ondas acertarem sua canela.

- Você me fez arrumar maquiagem e cabelo pra entrar na água? Não é nem doido.

- Então pra que tirou a blusa? - o loiro fez seu caminho de volta até a garota, puxando-a pela mão.

- Não me puxa Felix! Eu não tenho outra roupa pra ir embora.

- Então tira a calça e vem de lingerie mesmo. - o loiro sorriu esperando que a garota fizesse o que lhe foi pedido.

- Não vou molhar o cabelo, me deixa aqui, pode ir.

Sem nenhuma outra palavra o australiano pegou a menor pelas pernas, colocando-a em seu ombro sem muita dificuldade e caminhou até a água bater em sua cintura com a mesma gritando e tentando bater nele.

- Se você molhar a minha roupa, você vai ter que secar. - ele não terminou de ouvir a ameaça antes de colocá-la na sua frente novamente, a morena soltou um grunhido por conta do leve frio e também por raiva do garoto não ter a deixado tirar a calça.

- A gente dá um jeito depois. - ele sorriu sapeca.

Ela não deixou que ele fizesse mais nada, rapidamente saiu da água com cara emburrada e logo tirando a roupa agora molhada, mantendo apenas a calcinha.

- Eu realmente te odeio demais! Não tenho como ir embora agora. - ela cruzou os braços se sentando em uma das pedras e olhando o loiro vir em sua direção.

 - Quem te disse que nós vamos embora tão cedo? - Felix se colocou entre as pernas da mais nova, puxando-a pela cintura.

- E quem te disse que eu vou deixar você fazer alguma coisa comigo depois disso? Se você tá achando que vai, é muito... - ele não deixou que ela terminasse sua frase a beijando.

Os lábios de Felix desceram pelo busto da mais nova até alcançarem um de seus seios, deixando uma marca na área, fazendo com que a morena levasse suas mãos até o cabelo do mais velho, forçando-se a manter-se quieta, mas o que tornou-se quase impossível assim que as mãos do maior escorregaram pelas coxas da mesma, arrancando um arfar involuntário dela.

Os dentes da brasileira se cravaram em seus lábios ao sentir um dos dedos do garoto adentrar sua calcinha, a estimulando levemente enquanto a olhava, esperando o momento que ela iria ceder, sabia que isso aconteceria cedo ou tarde, um mês tinha sido o suficiente para descobrir cada pequeno detalhe dela.

O quadril de morena procurava por mais, ela tentava rebolar nos dedos do mais velho e o mesmo sorria de soslaio diminuindo ainda mais o seu ritmo e recebendo algumas reclamações. Ao sentir seus dedos serem engolidos pela intimidade da menor ele se retirou dela e a beijou de novo, sentindo seu lábio inferior ser mordido.

As mãos da menor escorregaram pelas costas claras do australiano, deixando diversas marcas vermelhas que poderiam doer se naquele momento não fossem prazerosas. O loiro deu dois passos para trás dando espaço para que a brasileira tirasse sua última peça enquanto ele fazia o mesmo, logo voltando a sua posição, à procura de maior contato com Felix, a garota segurou os ombros do maior, puxando-o para mais perto e fazendo com que seus corpos ficassem colados, dando a oportunidade do australiano apertar sua cintura sem muita delicadeza, enquanto deixava a cabeça de seu membro roçar na entrada da outra.

Ela ainda tentava manter-se em silêncio, mas os arfares e gemidos reprimidos por beijos eram frequentes, esperava que ninguém resolvesse dar um mergulho naquela noite. Felix segurou o rosto da morena com uma de suas mãos e sorriu deslizando para dentro dela, cada careta de prazer que ela fazia enquanto sentia ser preenchida pelo australiano era ainda mais prazerosa para ele, sabia que só ele conseguia arrancar isso dela.

Com sua outra mão o loiro estimulava o clitóris da menor, sua fricção não era forte, mas arrancava diversos espasmos da mais nova, que naquele momento só conseguia morder os lábios com força para tentar se calar. Era indescritível a maneira que seus corpos se encaixavam perfeitamente.

 O interior da morena começava a apertar o membro de Felix, indicando que ela estava próxima de seu orgasmo, o que fez com que ele a beijasse novamente e diminuísse seus movimentos esperando que seu ápice se aproximasse também. Logo os dois encontravam-se suados e ofegantes, se olhando e tentando normalizar a batida de seus corações.

Suas testas continuavam coladas e um sorriso era sustentado pelos dois, tinham transado em muitos lugares desde que começaram aquela relação não definida, mas a praia era a primeira vez.

- Ainda não deu tempo das minhas roupas secarem. - a morena falou engolindo seco, ainda sem forças para se mexer.

- A gente resolve isso rápido. - Felix colocou sua calça e entregou para a menor sua blusa mais comprida. - A gente anda rápido, ninguém vai ver nada.

- Eu não vou andar pela rua como se estivesse acabado de acordar. - ela reclamou lhe estendendo de volta a camisa colorida.

- Por que não? Você sempre fica fofa com as minhas camisas. - o loiro fez um bico enquanto ainda segurava a peça na frente da mais nova.

- Tá, mas vamos rápido.

Os dois praticamente correram pelas ruas até o local onde o apartamento da garota ficava, seria uma cena que provavelmente depois eles iriam rir demais, assim como já estavam rindo.

Rapidamente se enfiaram no chuveiro e deixaram que a água lavasse toda aquela areia em seus corpos e também o suor, em momento nenhum eles conseguiram quebrar seus olhares interessados, era como se quisessem aproveitar cada segundo se encarando.

Ela fez menção de falar alguma coisa, mas sentiu o dedo indicador de Felix a impedir de verbalizar qualquer coisa. Ele queria apenas aproveitar aquele momento em silêncio.

Não diga as palavras que estão em seus lábios

Não me olhe desse jeito

Só prometa que você vai lembrar

Quando o céu é cinza

 

Porque você foi minha durante verão

Agora sabemos que está no fim

Parece neve em setembro

Mas eu sempre irei lembrar

Você foi o meu amor de verão

Você sempre será o meu amor de verão

 

Então, por favor, não torne as coisas mais difíceis

Nós não podemos prolongar isso

E eu sei que não há nada que eu queira mudar, mudar

[...]

As lembranças atingiam a garota como se fosse um pedaço de ferro a batendo. Era doloroso demais se recordar do que havia acontecido no último verão, era horrível lembrar que por mais perfeito que tivesse sido, havia chego ao fim.

Algumas fotos e vídeos continuavam guardados no celular da mesma. Não tivera coragem de apagá-los, não queria se esquecer, nos queria fingir que não havia acontecido. Havia sorrido demais, se divertido demais, e talvez, tivesse se apaixonado demais.

Ainda podia sentir os dedos do garoto percorrendo sua pele, podia sentir o cheiro do perfume que o loiro usava, conseguia até mesmo se lembrar claramente da posição de suas sardas espalhadas pela bochecha do mesmo. Tinha feito o árduo trabalho de notar cada pequeno detalhe do garoto em sua memória, sabia que isso seria um motivo para sorrir quando sentisse muita saudade.

Com um suspiro pegou o celular mais uma vez. Tinham prometido que não fariam nenhum tipo de promessa, não prometeriam ligar, ou escrever, ou manter contato. Mas naquele momento, no meio do aeroporto, tudo que ela queria fazer era ligar, ouvir sua voz uma última vez antes de partir para o outro lado do mundo novamente. Os dedos da morena correram pelos contatos, pressionando por alguns segundos o nome brilhante do australiano, não tinha certeza do que falaria, ou se falaria alguma coisa.

Deveria ligar?

Ao fim dessa batalha interna, enfiou o aparelho novamente no bolso da calça e desistiu de dar ouvidos ao seu coração, pelo menos naquele momento. Não queria ficar cega de amor e acabar pegando um avião para a Coreia ao invés de ir para casa.

Não podia largar tudo para ir atrás de um amor de verão. Com certeza aquilo era passageiro. Sem sombra de dúvidas aquilo seria passageiro, tinha que ser passageiro.

Porque você foi minha durante o verão

Agora sabemos que está no fim

Parece neve em setembro

Mas eu sempre irei lembrar

Você foi o meu amor de verão

Você sempre será o meu amor de verão

Você sempre será o meu amor de verão

Você sempre será o meu amor de verão


Notas Finais


Bom, é isto! Espero muito que tenham gostado, não esqueçam de deixar um comentário dizendo o que acharam ok? Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...