1. Spirit Fanfics >
  2. Summer of 81' >
  3. Another show and sex?

História Summer of 81' - Capítulo 16


Escrita por:


Capítulo 16 - Another show and sex?


            -- Slash -- 

As luzes alucinantes marcavam presença por todo o local. A pequena platéia pulava e gritava tão intensamente que fazia parecer que tudo estava vibrando. De repente as luzes cessaram, apenas uma delas foi direcionada ao vocalista, o loiro deu suas últimas palavras esganiçadas,  com seu olhar de pantera e sorriso hipnotizador. Por fim, o guitarrista encerrou o show fazendo um solo, ajoelhado no chão e dando tudo de si. Logo após, todos os integrantes foram para a frente do palco e cumprimentam a galera juntos. 

O baxista, claro, não deixou de me lançar um olhar malicioso. Inclusive, ele estava espetacular com uma calça de couro, uma bota com um salto alto, umas correntes por cima de uma camisa vermelha. Um visual peculiar, mas agradável aos meus olhos. Assim que eles saíram do palco eu me levantei do bar, que ficava ao lado, e fui em direção ao camarim, como o Nikki me pediu para fazer.

Com um pouco de dificuldade, pois havia muita gente, cheguei até o local. Vi o moreno de olhos verdes conversando com um cara, que presumi ser o guitarrista, assim que me viu, ele sorriu para mim.

- Slash, vem cá - me aproximei dele, o mesmo botou seu braço em volta da minha cintura - Blackie, esse é o Slash; Slash, esse é o Blackie - o moreno, não tão simpático estendendeu a mão para mim.

- Bom, vou lá para dentro, o dever me chama - o guitarrista falou, antes de entrar no tal camarim.

- Você quer ir lá para dentro? - me pergunta. 

- Por que não? - deu de ombros e abriu a porta.

O pequeno cômodo  tinha um sofá e uma poltrona, paredes brancas, amareladas e pichadas. Uma mesinha no centro com  três  garrafas de Jack ( uma vazia), uma de vodca (pela metade), várias de cerveja e outras duas de algum whisky; umas cédulas de dólar, um espelho com um pouco de pó branco e um cartão em cima, camisinhas, e outras coisas não identificadas. 

Todos os integrantes da banda, menos o baterista, entavam lá, inclusive uns outros dois jovens que eu não identifiquei. Blackie estava no sofá com uma groupie loira no colo, cheirando duas carreiras de cocaína nos seus seios enormes e desnudos, uma mini saia de couro era a única peça que cobria seu corpo, poço jurar que ela estava sem calcinha, fiquei com um pouco de inveja dele. O vocalista também não ficava para trás, só que dessa vez, ele cheirava o pó em um espelho e com um canudo no nariz; estava conversando com um rapaz de pele um pouco escura e cabelos cacheados um pouco claros. O outro estava também agarrado com uma groupie sentado no chão e encostado na parede. Nada que eu já não tivesse visto.

- Cadê o baterista? - Nikki perguntou ao guitarrista,  se sentou ao lado dele em seguida. 

- Foi comer uma vadia em algum lugar, disse que já voltava - em seguida, o próprio lambeu o pó que tinha sobrado nos seios da moça, o baxista ri e olha para mim.

- Se senta aqui - bateu sua mão ao seu lado vazio no sofá. 

Eu me sentei onde ele pediu, abaixei um pouco minha camisa para disfarçar uma leve ereção que tinha se formado na minha calça. Não me leve a mal, fazia tempo que eu não via uma mulher nua tão de perto. A loira olhou para mim e sorriu.

- Quem é o garoto? - ela perguntou, com um olhar malicioso lançado para mim.

- Um amigo - Nikki respondeu rapidamente. 

- Hmmm ele é tímido - ela se inclinou para o lado e botou uma mão na minha coxa,  passando por cima de Nikki, eu fiquei paralisando - Mas tem cara de que arrasa na cama, o que essa boquinha deve fazer... - ela falava cada vez mais próximo, deu para sentir seu forte hálito de cerveja, meus olhos não se desprendiam de seu corpo.

- Se acalma Cherry, o rapaz tem namorada - o moreno ao meu lado bota a mão na clavícula da garota e a afasta de mim - E pode ter certeza que ela é bem braba - ele fala com irônia. 

- Tá me despresando? - o guitarrista perguntou á loira, ela sorri e começa a beijar seu pescoço. 

- Pelos deuses, isso daqui não é motel não,  vão para outro lugar - Nikki falou.

A loira pegou um pedaço de pano do chão, uma blusa regata azul claro, o vestiu, ainda deixando bem aparente sua melhor parte. O "casal" juntou as mãos e Blackie abriu a porta, mas antes de saírem, a tal Cherry sorriu e piscou o olho para mim.

- Nem pense nisso - o moreno sussurou no meu ouvido.

- Não te garanto nada - respondi provocativo para ele, que revira os olhos - Então, Blackie é o nome dele mesmo? 

- Não, é só um apelido carinhoso, o nome dele é Steven.

- Steven? Tenho um amigo com esse nome... ele ia amar sua banda - falo me lembrando dele.

- Ele morreu? - perguntou sem se importar. 

- Ai não, credo, ele só se mudou. Um loirinho sorridente, a gente vivia colado um no outro.

- Parece legal - ele fala com o olhar fixo em algum lugar, olho na mesma direção e vejo o Brian com o rapaz bem próximos, fico um pouco desconfortável.

- É... vamos sair daqui? - ele se levanta rapidamente e abre a porta, sigo o moreno até o bar, mas não antes de pegar uma garrafa de Jack, da mesinha de centro.

...

Eu já tinha bebido a garrafa inteira e posso dizer que já estava bem alterado, porém ainda não pretendia parar por ali. Estava obeservando Nikki de longe, ele estava em uma mesa com uns caras, apostando quem bebia mais shots de tequila com um loiro, que pelo que eu entendi era o baterista.

Senti vontade de ir ao banheiro, me levantei para procurar o local. Depois de ficar rondando por uns dois minutos por ali, finalmente encontrei uma porta com um símbolo de "masculino" em cima. Entrei ali e fui direto para uma das cabines, após acabar, saí de lá e fui lavar as mãos. Já fora do pequeno cômodo, sinto algo puxar meu braço para trás, fazendo eu voltar para o mesmo local, em seguida, tranca a porta atrás de mim. Tive uma surpresa e tanto ao ver que a pessoa era a loira que estava com o guitarrista minutos atrás.

- Agora você não me escapa - ela fala para mim e bota as mãos no cós da minha calça. 

- Espera, você não estava com o Blackie? - perguntei, ela revirou os olhos.

- Ele não deu conta, sabe como é, às vezes o sangue não é bem distribuído, mas aposto que você não me decepcionaria - enfia a mão por dentro da minha calça e aperta meu membro, ainda um pouco desanimado. 

- Mas...

- Não vem com essa de namorada, eu sei que você não se importa - ela começa a me estimular com uma das mãos - Não precisa fazer muita coisa, só me foder - pega minha mão e guia até o meio de suas pernas, encontro sua intimidade quentinha e molhada, confirmando minha teoria que ela estava sem calcinha, meu membro pulsa com aquilo - Viu? Ela está prontinha para você - fala no meu ouvido, e morde minha orelha de leve em seguida. 

Sim, eu estava me lembrando do Nikki, se eu tivesse sóbrio provavelmente a dispensaria, mas eu lembrei que ele sempre tentava me privar de ficar com outras pessoas, e isso fez meu espírito selvagem surgir. Rapidamente eu a peguei pela cintura e posicionei a mesma de costas para mim, ela empinou para mim, apoiada na pia. Fazendo isso, sua mini saia subiu um pouco, me dando uma visão que a tempos não tinha, uma bela bunda com uma bucetinha molhada. Desci minha calça, deixando minha ereção, que já estava 100%, aparecer. Levantei ainda mais a peça de roupa e dei um tapa de leve em uma nádega, fazendo ela gemer. 

Peguei na base do meu membro e guiei até o meio de suas pernas, "acariciei" sua entrada com minha glande, a loira gemeu novamente, falando algumas palavras indecifráveis. Não demorou muito para eu penetrá-la, matando um pouco minha vontade de foder alguma coisa, já que á tempos era eu que, bom... você sabe.

Comecei com movimentos leves mas aos poucos intensifiquei, também estimulei seu clitóris com um dedo, como sempre faço, as garotas vão a loucura com isso. Em menos dez minutos senti que estava próximo, ela também dava vários gemidos altos, logo deu um último, avisando seu ápice, eu parei com as estocadas. 

- Continua porra, pode gozar dentro, eu tomo remédio - eu sorrio com sua resposta e torno a realizar os movimentos. Fiz isso com um poco de pressa, pois já tinham alguns caras batendo na porta, pedindo para entrar. 

Um minuto depois eu libero meu esperma dentro dela, sentindo um alívio inexplicável. Saio de dentro dela e a mesma vai até uma das cabines, provavelmente se limpar. Eu apenas subo minha calça, abotoo e subo o zíper. Nesse mesmo momento, ela sai da cabine, já com a saia normal, e sorri maliciosamente para mim.

- É, você não me decepcionou - retribuo o sorriso e vejo a garota saindo pela porta.

Saio do cômodo no mesmo intante, recebendo alguns olhares furiosos de umas pessoas que estavam esperando a porta abrir, ignoro. Me viro para ir em direção ao bar.

- Slash?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...