História Summer Romance - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Tags Colegial, Jinsoo, Jirose, Liskook, Yoonie
Visualizações 146
Palavras 2.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOCÊS
VIRAM?
FJKDFKLAFDJKADFJKADFJ
Eu mudei a capa da fic KSJDKSDJ
Falando serião, a capa tá chavosan né? ❤

Anyway, eu queria me desculpar pela demora. E quando digo demora, me refiro não só a demora pra atualizar, mas também pra responder alguns comentários de vez em quando. Eu estudo e vou pro cursinho todos os dias (felizmente ele acaba sábado, na véspera da última prova do enem) E pra complicar mais, eu comecei a trabalhar meio-período na loja de artesanato da minha sogra. Embora eu entre aqui no SS (por alguns minutinhos apenas) quando a loja tá sem movimento e tals, ainda tô completamente fodida e sem tempo nenhum, já que eu também tenho uma vida e tenho que estudar.

Esse capítulo tava meio escrito desde a data que eu postei o anterior, mas eu tava sem tempo pra finalizar. Felizmente, segunda feira foi feriado aqui na minha cidade, e eu consegui terminar um pouco dele, além dos dois capítulos de liskook e jirose, (não vou postá-los agora porque preciso desenvolver um pouco mais a fic pra que eles façam sentido.) Mas enfim, esse capítulo tá bem pequeno, mas foi simplesmente porque eu não tinha mais ideia do que colocar, mas prometo que no próximo capítulo vem mais, que eu acho que até o final da semana que vem tá aí, só pra compensar a demora kjhdsjhasdjadh.

AVISINHO IMPORTANTE LEIA AQUI: A primeira quebra de tempo se passa ANTES do começo do capítulo (sei que é confuso, mas NÃO CONFUNDAM POR FAVORZINEO)

Tá, agora chega de ficar tagarelando sobre a minha vida e afins, desejo a vocês uma boa leitura. ❤

Capítulo 4 - Too Pure


Fanfic / Fanfiction Summer Romance - Capítulo 4 - Too Pure

Jisoo piscou repetidas vezes, só para ter certeza de que aquilo não era algum tipo de miragem.

E então pode concluir por si própria:

Aquele momento era real.

Uma tensão embaralhada de fatos e contra fatos havia pairado no cômodo, deixando uma áurea confusa e tanto quanto estranha. O corpo letárgico e inerte da morena permanecia-se imóvel, e pareceu ter levado um baque fortíssimo. E já Jin, levantou-se em um completo supetão, sentando na maca da enfermaria em solavanco.

Os dois estavam praticamente hipnotizados um pelo outro. Tão inebriados que não conseguiam sequer pronunciar algo, muito menos pensar em outra coisa.

 Como se estivesse recuperando-se de um choque, a morena respirou de forma pausada, acelerando de leve seus batimentos e secando a garganta. Tossiu duas vezes e engoliu a saliva em seco.

— Jin?

— J-Jisoo?

As perguntas foram completamente retóricas, mas pronunciar aqueles nomes era como o soar de uma bela melodia. Eles tinham saudade até de chamar um ao outro.

Os dois sorriram.

Uma pequena lágrima solitária escorreu do olho direito da garota, e tal qual logo foi amparada por seu dedo indicador. E, sutilmente, por apenas um segundo fugaz, ela sorriu radiantemente nostálgica.

Aquele singelo estender de lábios fora o suficiente. O suficiente para indicar a Jin que ela ainda se lembrava daquele verão, e nunca se esqueceria dele.

Envergonhada, a jovem caminhou em passos lentos até o ex-namorado, sentando-se cuidadosamente sobre o tecido branco que envolvia a maca. Novamente, o silêncio reinou. Os olhares mantinham-se baixos, e ambos não encaravam nada mais que os próprios pés. Todavia, os olhos de Jisoo cravaram na bandagem que se estendia por sua perna direita.

— Oh, meu Deus, só percebi seu machucado agora! — entoou preocupada, fitando a panturrilha do moreno — Como você se machucou? Está doendo muito? — indagou apreensiva, deslizando os dedos sobre a gaze amarrada na perna.

— Eu caí enquanto fazia um home run... — explicou, presumindo que a garota ainda se lembrava do fato de ele ser um integrante do time de beisebol— E sim, eu estou bem... A senhorita Moon cuidou do meu machucado, não se preocupe. — praticamente murmurou, concentrando-se na sensação de leveza que sentia, ao reconhecer os dedinhos da garota acariciando o machucado.

— Ah! — suspirou aliviada — Que bom... Eu estava com medo de ter acontecido algo mais sério.

— O que faz aqui? — as palavras esvaíam da boca de Jin calmamente. A sentença foi sibilada em seu típico tom de vagareza. Aquela voz era o som que mais trazia paz a ela.

—  Vim pegar uma aspirina para uma amiga. — respondeu, massageando a perna do moreno lentamente.

 — Não perguntei nesse sentido... — riu divertido, fazendo a outra sorrir — Eu... Pensei que você fosse voltar pra Seoul.

— Bom, eu cheguei a voltar. Mas houve uma mudança de planos. — fitou-o, relatando com um sorriso sereno — Eu sou a aluna bolsista que você deve ter ouvido falar por aí.

 Acho que eu lembro... Taehyung comentou algo do tipo, mas eu não prestei muita atenção. — concordou passivamente.

— Por que você nunca me disse que estudava aqui? — inquiriu curiosa

Ah, não sei... Você nunca perguntou o nome da minha escola, e eu não me lembrei de falar. Afinal, a gente tem que esquecer tudo relativo a escola durante as férias, né? — riu acanhado, vendo a moça sorrir timidamente.

Ficaram em silêncio por alguns momentos.

Jin prestava atenção no movimento dos ventos, que vez ou outra, entravam pela gretinha da janela, embaralhando algumas mechas não trançadas do cabelo da mais nova. Quando uma delas posicionou-se sob o olho esquerdo dela, estendeu a mão diminutamente, colocando os fios morenos por detrás da orelha.

Jisoo abaixou a cabeça, envergonhada.

Bendita timidez...

Ele mantinha um sorriso alegre, ainda não acreditando que ela estava diante de seus olhos. Por dentro, o coração de ambos aceleravam, mas por fora, eles simplesmente exibiam sorrisos meigos e simpáticos um para o outro. Jisoo ainda mantinha a cabeça abaixada, porém, seus lábios não conseguiam parar com aquele sorriso.

Era tudo tão... Simples.

Você... — o moreno começou, enquanto tamboreava os dedos sobre o colchão — Sentiu minha falta?

— Honestamente, eu pensei em você e em nossas memórias durante cada segundo em que estivemos separados. — sorriu diminuta — Eu não pude evitar... Foi aí que percebi que aquela velha lenda praieira tinha razão... — deu um riso soprado.

“Uma vez que a areia de Jeju toca seus pés, seu coração e sua alma jamais retornaram para o lugar de onde vieram” — recitou a crendice popular, um pouco confuso — Mas, o que isso tem a ver com nós dois? — riu minimamente.

Jisoo respirou fundo.

— Meu coração foi deixado à beira mar. — dedilhou o lençol, até alcançar a canhota do garoto, agarrando-a com firmeza, e plantando um delicado selar nas costas da mão — Isso porque meu coração sempre vai estar aonde você estiver... E minha alma também...

E eles —, de olhos levemente marejados, — mais uma vez sorriram um para o outro. Mas esses sorrisos não eram como os meramente amigáveis e carismáticos. Eles sorriram apaixonadamente, como se pudessem compreender um ao outro em apenas um relance.

E, de fato, eles se compreendiam. Eles se entediam. Eles se amavam.

Lentamente, aproximaram-se, entrelaçando as mãos mais intensamente a cada movimento que faziam. Os corações batiam em sintonia, e a mão de Jin se separou da dela, apenas para acariciar uma das bochechas coradas da jovem.

Chegaram perto o suficiente um do outro, colaram seus corpos e roçaram seus lábios docemente, juntamente com as pontas geladas dos narizes logo em seguida. As respirações dos dois já se mesclavam em uma só.

Parecia surreal imaginar que as bocas se selariam novamente, como sempre costumam se entrelaçar em todos aqueles dias de verão, e em todas as belas juras de amor sob as estrelas...

— Saeng, você acredita que eu preenchi os papéis errados?! —Somin tagarelou, entrando na enfermaria com os olhos fixados nas folhas que carregava. Ao não obter uma resposta, dirigiu seu olhar para o jovem, que naquele momento, estava em “quase-beijo” com Jisoo. A enfermeira ruborizou-se instantaneamente, completamente envergonhada por ter atrapalhado aquele momento tão íntimo. — A-ah! Eu sinto muito! Estou atrapalhando? — perguntou em tom de embaraço, quase que retoricamente.

Ela sabia que havia atrapalhado o momento, mas não queria pensar muito naquela hipótese.

— N-não, senhorita... — leu o nome da mulher no pequeno crachá, que estava preso em seu busto — Somin. — completou — Eu já estava de saída mesmo. — Levantou-se apressadamente. Jin segurou seu pulso com firmeza, olhando-a de uma forma que parecia implorar para que não fosse embora. Ji lhe lançou um olhar confuso, declarando que ela precisava ir para evitar problemas. Delicadamente, soltou seu pulso da destra do moreno.

Seguiu até a pequena caixa encostada em cima de um dos balcões, que possuía uma plaquinha escrito “Aspirinas para uso dos alunos”. Abriu-a, agarrando uma pequena cartela com um único comprimido dentro.

— Peço desculpas pelo incômodo. — fez uma reverência — Jin, depois nos falamos, tudo bem? — disparou, e sem nem ouvir uma resposta, saiu da enfermaria apressadamente.

— Ei! Jisoo! Espera! — gritou, tentando chamar a atenção da garota.

Tentou levantar-se e ir atrás dela, mas não obteve muito sucesso. A perna fraquejou completamente, e o moreno teria caído no chão se Somin não tivesse corrido até ele e segurado-o firmemente. A mulher pegou-o pelo antebraço, ajudando-o a se deitar novamente na maca.

Hey, Jin, depois você conversa melhor com ela, ok? Você não está em condições pra correr atrás de alguém agora, hum? — soltou um riso sem humor.

O moreno bufou, se dando por vencido.

Por que sempre em momentos como aquele, alguém tinha que vir atrapalhar?

 

↞ ✖ ↠

 

— Hey, garotas! — Hirai Momo — , uma jovem japonesinha de madeixas azuis, — acenou do outro lado do corredor, aproximando-se das quatro meninas com um sorriso radiante estampado no rosto — E aí, como vocês tão? Animadas com a volta às aulas? — perguntou  com um sorriso — Ah, me desculpe, não me apresentei direito a você. — a azulada sacudiu a cabeça, referindo-se a Jisoo — Eu sou a Momo, mas pode me chamar de Mo. E eu tenho quase certeza que você é a...  Jihyun? — chutou, estreitando os olhos.

— Na verdade, meu nome é Jisoo. — ela riu, corrigindo a japonesa, que havia se constrangido por ter errado o nome da novata.

— Ah, perdão — desculpou-se envergonhada — Mas enfim, eu vim aqui pra confirmar a presença de vocês na minha festa hoje à noite. Vocês vem, ?

— Claro que a gente vai! — Lisa sorriu fofa para a outra, que a respondeu da mesma maneira — Eu sempre fico muito animada com às festas de volta às aulas.

— Eu não sei se vou... Tô me sentindo um trapo. — Jennie suspirou pesadamente, enquanto fechava seu armário azulado com certa força, já agarrando o livro de Geografia em mãos. — Minha cabeça tá me matando.

— Ah, se você quiser, posso ir na enfermaria pegar um comprimido para você — Jisoo ofereceu-se, abrindo um pequeno sorriso sem mostrar os dentes.

— Faria isso por mim?  — Jennie inquiriu, recebendo um aceno de cabeça positivo da morena — Obrigada mesmo. A enfermaria não é muito longe daqui, é só virar o corredor, seguir até o fim, virar a direita, e entrar na terceira porta à esquerda. As cartelinhas estão dentro de uma caixinha em cima da bancada, é só pegar uma e voltar. — instruiu.

— Tudo bem então. — concluiu sorridente, girando os calcanhares e seguindo o caminho que Jen indicara.

— Bom, Jen, espero que você fique bem logo... Quero muito que você venha. — Momo disse com um olhar consolador — Mas Chae e Lisa, eu vou contar com vocês! — disse empolgada, fazendo com que seus olhinhos escuros se encolhessem em um eye-smile.

— Com certeza a gente vai, Mo. Podemos levar a Ji? — Chaeyoung perguntou.

— Se você quiser pode levar até o seu primo esquizofrênico, sei lá. Não se esqueça: Mi casa és tu casa, você trás quem quiser.

— Valeu Mo. Então é certeza que eu e a Chae vamos. — Lisa prometeu risonha.

— Não esquece, hein? Hoje á noite, começa as dez e termina só quando o Sol dar as caras. — Momo proferiu contente, afastando-se das três jovens com um sorriso.

Assim que a azulada se retirou, Chaeyoung fitou Jennie, com o cenho franzido.

— Tem certeza que tá tudo bem? Não quer ir pra casa? — perguntou, arqueando as sobrancelhas

— Na verdade, eu não tô com dor de cabeça, foi mais uma mentirinha branca. Queria conversar com vocês sobre a Jisoo.  —  bufou — Ela é boazinha demais pra recusar ajudar uma "amiguinha doente" . — fez sinal de aspas com o dedo.

— A Ji? O que ela fez, afinal? — a ruiva perguntou, torcendo o nariz.

— Nada. É só que, embora ela seja uma garota legal e tudo mais, eu acho que ela me parece ser pura demais pra andar com a gente.

— O que quer dizer com isso? — Lisa franziu as sobrancelhas.

— Simples. Ela nunca foi pra cama; é com certeza a menina mais estudiosa que esse mundo já viu; e nem bebe ou fuma. A Jisoo é boazinha, mas ela simplesmente não tem nada em comum com a gente, e eu acho que essa amizade não vai rolar tão cedo. — cruzou os braços

— Jennie, você tá brincando, né? — a tailandesa riu cinicamente — O que diabos isso tem a ver? Se ela é uma "santinha", ou o caralho a quarta, isso simplesmente não é da nossa conta. Ela é uma garota super fofa, e eu gosto dela. Não vejo sentido em afastar alguém só por causa disso. — franziu as sobrancelhas.

— Jen, dessa vez eu vou ter que concordar com a Lisa. — Chae se pronunciou, tomando partido da loira — Poxa, a garota é novata, não conhece muita gente, e com toda certeza tá bem perdida com a troca de escola. Do mesmo jeito que a gente acolheu a Lisa quando ela chegou de Bangkok, a gente deveria dar uma força pra Ji.

Jennie revirou os olhos.

Se vocês dizem....

↞ ✖ ↠

Assim que a professora, senhora Song, sorteou as duplas para um trabalho, Chaeyoung quis correr de lá.

Sra. Song lecionava Geografia, uma matéria que a ruiva nunca gostou e não prestava muita atenção. Mas agora, com essa proposta, ela quis acabar com aquela aula.

Dessa vez, Chaeyoung não conseguiu disfarçar a surpresa. Droga, droga, mil vezes droga. De todos os alunos, por que aquele loiro insuportável? Ela fechou a cara. Não podia ser. Não era possível ter tanto azar assim. Não era mesmo.

Ela olhou para o grande relógio que ficava acima do quadro e viu que faltavam apenas cinco minutos para o final da aula. Respirou fundo, tentando focar no fato de que depois ela poderia voltar para sua casa e descansar propriamente.

A professora disse que os minutos restantes eram para as duplas se ajeitarem e distribuírem funções. A ruivinha estendeu a mão e pediu para ir ao banheiro desesperada. Tudo para evitar Park Jimin.

— Ei! Rosé! – gritou alguém antes que ela levantasse da cadeira. A garota fechou os olhos e respirou fundo. Só cinco minutos....

Park Jimin levantou. Ele tinha tanta pose que acabava parecendo mais alto do que realmente era. Exibido, ele se aproximava caminhando entre o corredor que dividia as duas primeiras filas.

— Posso me sentar aí? – apontou para a cadeira vazia ao lado da carteira da garota.

— Faça o que quiser...

Jimin respirou fundo, tentando manter seu autocontrole firmemente.

— Você já tem alguma ideia? – ele indagou, cruzando os braços e assoprando sua franja para que não caísse sobre os olhos.

— É óbvio! Eu passo o tempo todo pensando em temas pra um trabalho de geografia. Quem não faria isso? – Ele realmente a irritava.

— Nossa – Jimin sorriu, mostrando que a reposta de Rosé não o atingira. – Sabe, eu sempre pensei a mesma coisa!

Rosé revirou os olhos. Como ele tinha se tornado um ridículo!

— Que tal adiantarmos o trabalho? – sugeriu – Podíamos ir pra biblioteca assim que a aula acabar.

O garoto não se lembrava de ter frequentado a biblioteca nenhuma vez sequer nos últimos cinco anos. Se fossem outros tempos, ele com certeza aceitaria a proposta de prontidão, já que costumava ser um rapazinho estudioso e centrado.

Chacoalhou a cabeça. Aquele tempo ficou no passado, assim como a presença de Rosé em sua vida.

— Você quer passar nosso tempo livre de hoje fazendo um trabalho? – ele riu. – Porra, você não pode tá falando sério, o prazo é pra quinta-feira que vem. E sem falar que eu tenho treino de baseball depois da aula, então vamos seguir o meu roteiro.

— Ah, é claro... –  sorriu sarcástica – Esqueci que o príncipe maromba da escola tem prioridades, e tá cagando pra todo mundo.

— Do que me chamou? – ele riu anasalado, fitando a expressão desdenhosa da ruiva – Eu não tenho culpa se amadureci.

Amadureceu e virou um filho da puta... – reclamou baixinho, somente para si. Ouviu o ressoar do sino, sinalizando que a aula havia acabado – Ótimo, salvos pelo gongo – sorriu mordaz.

— Legal. Vamos fazer esse trabalho depois. Te vejo terça-feira na minha casa, Rosé. – levantou-se, pegou a mochila, e saiu da sala sem mais nem menos, deixando uma Chaeyoung indignada para trás.

Rosé...

Sempre gostou daquele apelido, mas passou a odiá-lo desde o momento que ele se afastou.


Notas Finais


EAE O QUE ACHARAM?
Somin, como sempre, uma estraga-prazeres. Eu mesma não gosto dela, mas é aquele velho ditado, se não tem treta, não tem história ❤
E essa cena jirose no final? Palpites pra backstory deles ou o como o couple vai desenvolver? Ah, e aquietem o fogo no rabo, prometo que tem liskook nos próximos.
E sim, jennie tá uma puta babaca. Sem querer dar spoiler mas já dando, (EU ADORO FAZER ISSOOO) Uma grande reviravolta tá chegando pra ela, e ela vai se arrepender bastante de ter dito aquilo da jisoo huehuehueheuheuhe

Ah, eu tô escrevendo uma fanfic interativa sci-fi *momentinho devulgação*. Aqui pra quem quiser participar/ler: https://spiritfanfics.com/historia/omikron-46-3--interativa-10845072

Postei e saí correndo, pau no cu de quem tá lendo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...