1. Spirit Fanfics >
  2. Summer Vibes - Markson >
  3. - as melhores férias de verão -

História Summer Vibes - Markson - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - - as melhores férias de verão -


Fanfic / Fanfiction Summer Vibes - Markson - Capítulo 1 - - as melhores férias de verão -

Ah, o verão, a estação preferida das pessoas que moram nas regiões litorâneas, parece que a praia fica cada vez mais bonita nessa época. Os surfistas, banhistas e turistas adoram, mas claro, o clima é perfeito de todas as formas possíveis.

E mais uma vez, os dois estavam juntos. Por insistência do chinês, Jackson Wang, o casal foi para a praia, ou melhor, para a casa de praia da família Tuan, a casa na Califórnia. O mais novo estava animado para passar suas férias com o namorado, e claro, com a família reunida. Era divertido ver os pais de Mark, suas sobrinhas e irmãos, era extremamente divertido brincar com as pequenas, e beber algumas com eles.

- Jackson, você trouxe as bonecas? Se tivermos esquecido na Coreia você vai levar um soco! - falou entrando no banheiro enquanto tirava suas roupas por conta do calor, estava realmente quente naquele dia.

- claro que eu trouxe, acha que esqueceria delas?! Eu sou responsável, e nunca esqueceria dos presentes para nossas sobrinhas - parou atrás de namorado e colocou seu queiro no ombro alheio, enquanto se olhavam no espelho.

- ah, que bom, estou orgulhoso de você, cabeça de vento - riu anasalado, adorava provocar.

- parado, não sou assim! - fez bico e abraçou a cintura do outro

- eu sei que não é, faço isso só pra ver sua 'carinha de bravo - colocou sua mão sobre a dele.

- engraçadinho... - deixou beijos na bochecha alheia - será que as pequenas já chegaram?

- acho que não, Tammy me disse que chegaria apenas de tarde, só Grace que já está aqui, ou melhor, está surfando, e a minha cunhada deve estar com a mamãe - se virou de frente para Jackson, colocando suas mãos no rosto dele - está bem animado, não é?

- bastante - olhou a banheira e depois seu olhar voltou aos olhos castanhos de Mark - banho?

- Uhum - murmurou, enquanto se soltava do outro, e em movimentos lentos e calmos, entrou na banheira

- por que tão... gostoso? - Jackson provocou, enquanto entrava na banheira também, o corpo do mais velho era uma perdição aos olhos do chinês, ficava louco para tocar no mesmo.

- pare com isso, seu pervertido! - falou rindo, enquanto jogava um pouco de água no namorado

- como posso parar? Você é como... o pecado em pessoa, impossível não ter pensamentos impuros, hyung - se aproximou mais dele, ficando entre suas pernas

- trate de se controlar, ainda temos um dia inteiro de diversão pela frente - sorriu, deixando um beijo rápido nos lábios avermelhados de Wang

- hum... mas e se começarmos a diversão por agora? - se sentou, puxando Mark para seu colo

- nada disso, eu sei bem onde você que chegar, senhor Wang - riu e deu língua, pegando a esponja e passando pelos braços musculosos de Jackson - vamos apenas tomar banho, como pessoas normais fazem

- pessoas normais transam no banheiro - disse brincalhão

- pervertido, se controle! - continuou a espalhar todo o sabão, fazendo o corpo de Jackson se encher de espumas branquinhas

- está bem, chato - deu língua, e os dois caíram na gargalhada.

Eles adoravam esses momentos juntos, apenas curtindo a presença um do outro, da sua maneira. De certa forma, era invejável a forma como o casal era apaixonado, e único, pois eles compartilhavam tudo, de carícias e abraços, até calor corporal e seus problemas e ocupações.

Após o banho, voltaram para o quarto, conversando animadamente sobre o que aconteceu durante a viagem. O voo havia sido engraçado, sentaram perto de um casal de velhinhos, que ficavam brigando um com o outro mas depois já estavam dormindo juntinhos, foi uma viagem longa e engraçada.

Jackson pegou uma bermuda de banho, e também uma sunga, por cima colocou uma blusa térmica, iria tentar surfar, pediria ajuda à Grace, irmã de Mark. Estava bem animado, seriam férias maravilhosas, tinha certeza disso. Mark pegou sua bermuda preta, que era até um pouco curta, colocou uma blusa branca e por cima um kimono vermelho com algumas flores. Por fim, seu óculo de sol, e caramba, estava maravilhosamente lindo, e não passaria despercebido.

- você não cansa, não é? - disse Jackson, olhando cada detalhe pertencente de Mark, vendo os cabelos do acastanhado pouco bagunçados, e a cintura perfeitamente desenhada.

- hum? Cansar de quê, amor? - estava confuso, às vezes ele era bem inocente

- provocar seu namorado, olha isso! Você diz para não ser pervertido, mas é impossível com você se vestindo dessa forma, é definitivamente impossível não te olhar! - tentou parecer alterado, mas estava mais para um garoto necessitado.

- ah, Jackson, como eu disse antes... se controle! - falou rindo

- não seja malvado, que tal... uma rapidinha? - chegou mais perto

- não não - balançou seu dedo indicador de um lado para o outro, em negação - se insistir outra vez, eu não vou fazer isso nem agora e nem depois - cruzou os braços

- está bem, eu paro - suspirou derrotado

- muito bem, agora vamos, tenho que matar a saudade da comida da minha mãe! - sorriu animado e foi até a porta - ah, meu pai queria falar com você, então, vamos logo!

- c-comigo? - engoliu em seco, por mais que Raymond fosse um homem divertido e simpático, Jackson ainda assim tinha medo de falar com seu sogro.

- sim, ainda tem medo do meu pai, Jackson? - Mark não pôde conter a risada, e o outro apenas fez um bico chateado

- yah! Não ria, claro que eu tenho, vai que ele não foi com minha cara, e não quer que eu seja o genro dele, e se ele quiser separar a gente - disse preocupado e Mark riu novamente, só que mais exagerado

- Jackson, todos vão com sua cara, e ele não pode nos separar, eu já sou adulto e você também, faço o que quiser da minha vida - deu de ombros parando de rir - não precisa ter medo dele, ele adora você, bobão

- se você fala - sorriu animado e os dois foram para a cozinha, ao chegarem, lá estava Dorine, Patrícia e Joey.

- oi família - Jackson disse correndo até sua sogra, que levou um pequeno susto, mas que sorriu e o abraçou.

- finalmente, achava que iriam morar no banheiro - Joey falou brincalhão, indo até o irmão e o abraçando forte.

- oi maninho - os dois sorriram, enquanto compartilhavam daquele abraço caloroso - estava com saudades

- e de mim? Não tem? - Patrícia, cunhada de Mark, se levantou de sua cadeira e foi até os dois - estava com saudade de ti!

- eu também, Pati - sorriu e a abraçou de volta

- como está bonito - Dorine disse, olhando Jackson de cima à baixo - meu filho sabe bem como escolher, hein

- mãe! - Mark corou, se soltando do abraço dos dois - não me envergonhe, nem o Jackson!

- estou sendo sincera, meu amor - deu de ombros, voltando a abraçar Wang. - vai surfar, querido?

- oh, sim, só que estou um pouco enferrujado - Jackson proferiu rindo - onde está Grace?

- me deixei adivinhar! - Mark fingiu pensar e colocou a mão no queixo - surfando?

- acertou em cheio! - dessa vez, Patrícia disse - ela não cansa, ah, se for surfar, Jack, acho melhor ir logo, agora as ondas estão mais calmas

- obrigado pelo conselho, acho melhor ir logo mesmo

- não vai antes de falar comigo, Wang - Raymond apareceu na porta, com um avental, luvas e uma espátula, voltava da área de churrasco

- S-senhor Tuan, olá - se curvou, enquanto os outros quatro riram

O mais velho caminhou até o chinês, em passos lentos, e forçando um semblante sério, parou em sua frente. Jackson engoliu em seco, com medo do que viria. Mas ao contrário do que imaginou, Raymond abriu um lindo e grandioso sorriso, e o abraçou, enquanto o outro estava um pouco confuso, mas mesmo assim o abraçou de volta. E quando se soltaram, o mais novo apertou sua própria mão, contendo a alegria.

- ele me abraçou... - falou emocionado - eu vou chorar de felicidade

- Jack! - Mark riu, e o abraçou de lado - não seja bobo

- e você, huh? Não lembra da existência dessa velho aqui? - o Tuan mais velho disse

- claro que lembro, e você não é velho, papai - o americano falou, e o abraçou bem forte - estava com saudades, vocês quase nunca vão na Coreia nos ver

- bem, nós até poderíamos ir, mas sua mãe não quer deixar a agência dos imóveis - revirou os olhos e soltou o filho

- a culpa não é minha, a Tammy ainda é nova demais para carregar tanta responsabilidade sozinha - cruzou os braços, Dorine ainda tratava os filhos como crianças.

- mãe, ela não é mais criança, é casada e tem  três filhas, por que vocês dois não tiram umas férias juntos, e vão visitar Mark e Jackson em Seul? - Joey disse, era sensato

- nisso temos que concordar - Raymond caminhou até a esposa e a abraçou de lado - poderíamos fazer isso, minha velha

- você me respeite, idoso - brincou ela, e riu, se afastando dele - agora, trate de terminar o churrasco, daqui a pouco as crianças chegam e você sabe como nossas netas são gulosas

- tem razão, estou indo, e Jackson, mais tarde vamos conversar, okay? - sorriu e ele assentiu - divirtam-se - saiu dalí, voltando para a parte de fora da casa, onde ficavam a churrasqueira e a piscina.

- bom, acho que agora posso ir - Jackson falou se curvando

- vai sozinho? - Mark cruzou os braços

- ahn... se você quiser ir - sorriu

- achava que não iria me convidar - sorriu também, e caminhou até a porta - tchau gente, voltamos antes do almoço

- tchau! - os outros disseram juntos

O casal saiu pela porta, e seguraram na mão um do outro, passaram pelo portão e sentiram a areia da praia em seus pés, a sensação era maravilhosa e única. Caminharam um pouco até mais parto do mar, enquanto conversavam animadamente sobre como essas seriam as melhores férias que teriam juntos.

- onde ela deve estar? - o mais novo olhou pelo mar, procurando Grace

- se for Grace, alí está - apontou para uma garota que saía do mar com sua prancha de surf debaixo do braço, seu sorriso radiante estampado no rosto, sorriso esse igual ao de Mark.

- oi garotos! - acenou chegando mais perto dos dois, soltou sua prancha no chão e correu para os abraçar

- noona! - Mark a abraçou, estava com tanta saudade

- Grace! - Jackson fez o mesmo, e os três se abraçavam animados.

- finalmente vieram para cá, achava que só veria vocês no próximo século - riu anasalado, se soltando dos dois - e então, como estão?

- bem - responderam juntos e sorridentes

- que ótimo! - olhou para os dois - pela minha suposição, Jackson vai surfar e você... vai tomar um sol

- acertou - Mark respondeu

- pode me ajudar? Eu meio que não prático faz tempo - coçou a nuca

- sim! Vamos, as ondas estão ótimas - pegou sua prancha - ah, vamos pegar uma prancha pra você com meu amigo Lucca

- okay! Tchau, amor - sorriu e beijou a testa do americano

- tchau, vou ficar te observando daqui - acenou, e os dois foram até uma barraca de venda e troca de pranchas

Mark foi até um pequeno lugar de espreguiçadeiras, com alguns coqueiros ao redor, onde haviam duas garotas tomando um sol. Se sentou em uma e cumprimentou as duas. Colocou seu óculos agora em seus olhos, e respirou fundo, sentindo aquela brisa gostosa bater em seu rosto, com toda certeza, a praia é seu lugar preferido.

Jackson pegou uma prancha, e os dois entraram no mar, indo cada vez mais fundo, seu coração palpitava forte, estava ansioso para se sentir dentro de uma onda novamente.

- bom, lembra, é só ficar de pé e controlar com seus pés, não tenha medo - sorriu de forma fofa, a irmã de Mark era realmente legal de todas as formas.

- okay - o mesmo sorriu de volta.

- toda sua, garotão - apontou para a onda que se formava, vindo para mais perto dos dois.

Ele então começou a ir mais fundo, e ficou de pé sobre a prancha, até que ele e a onda fossem um só, entrou nela, de forma desajeitada por falta de prática. Grace dava algumas gargalhadas, e Jackson sorria todo bobo, sempre gostou de entrar em contato com a água.

Com pouco tempo, já estava conseguindo surfar muito bem, como nas outras vezes que fazia isso, se sentia um surfista profissional. E quando se despediu da onda, um pouco de tristeza habitou seu coração, Jackson era sentimental demais até com pequenas coisas.

- foi muito bem! - a garota gritou

- que bom - sorriu

- minha vez agora, quer vir junto, podemos pegar uma onda juntos - falou simpática e animada

- claro! - o outro se animou e logo voltaram a ir cada vez mais fundo no mar.

Horas se passaram, Mark já estava dormindo na espreguiçadeira, enquanto Grace e Jackson saíam do mar, devidamente cansados, mas felizes, havia sido bem divertido. Os dois caminharam até o americano, que agora estava sozinho, já que as duas garotas já haviam saído.

- Mark? - Jackson o chamou chegando cada vez mais perto, e pôde ver a boca levemente entreaberta do mais velho - está dormindo

- acorda ele então - deu de ombros

- mas... é tão fofo - fez um bico se sentando próximo dele - eu devo acordar?

- sim - deixou a prancha alí - temos que ir, Tammy está chegando daqui a pouco

- está bem - chegou perto do ouvido do outro - Mark hyung? Acorde

- o que? - falou sonolento

- temos que voltar pra casa, vamos, amor - fez carinho em seus cabelos

- okay... - bocejou, se sentando ainda sonolento e olhou os dois - se divertiram?

- bastante! - Grace respondeu

- que bom - se levantou

E então foram, voltando para casa, um carro estava na garagem, era Tammy, seu marido, e suas três filhas lindas e um tanto quanto inquietas. Entraram, e foram surpreendidos pelas garotinhas que estavam de pé os esperando. Correram até os três, Mark ganhou um forte abraço da mais velha, Jackson um da irmã caçula e Grace da filha do meio.

- Tio! Vamos brincar? - a caçula falou, enquanto mexia nos fios castanhos de Jackson

- claro, pequena. Querem brincar também vocês duas?

- sim! - as outras garotas responderam juntas, indo para Jackson

- okay, vou ver se o almoço está pronto - Grace disse indo até a cozinha

- eu vou cumprimentar Tammy e meu cunhado, e também pegar os presentes - sorriu o Tuan mais velho, vendo as garotinhas o olharem com semblantes curiosos

- presentes? - a do meio perguntou, totalmente entretida com sua fala

- é pra gente? - dessa vez a mais velha se pronunciou

- hum... talvez, mocinhas - Mark riu,indo até a porta também, que daria passagem até as escadas que iriam ao quarto.

- do que vamos brincar, huh? - Wang perguntou colocando a mais nova no chão

- esconde-esconde! - gritaram as duas mais velhas, e a caçula bateu palminhas animadas

- okay! Eu conto e vocês se escondem - sorriu, correu até a parede mais próxima e ficou alí

- não vale, espiar, tio Jack! - a mais velha saiu correndo, indo se esconder, juntamente com as outras que fizeram o mesmo

Mark entrou no quarto, andou até a sua mala, ou melhor, uma de suas malas, a abriu e tirou três caixas grandes e embrulhadas. Todas com um laço rodeando sua extensão, pegou as três e saiu do quarto, voltando para o andar de baixo, e indo até a saída, onde viu Jackson andando em passos lentos pelo local.

- esconde-esconde? - perguntou, vendo o mais novo dar um pulinho de susto

- Uhum, shh! - andou um coqueiro, onde era possível ver a mais nova das duas atrás - achei!

- tio! - a garoto riu, enquanto Jackson a pegava no colo, a mesma olhou Mark e seus olhos ficaram brilhantes - p-presentes?

- sim! - Mark sorriu indo até lá, e logo as outras duas saíram de seus esconderijos

- eba! - comemoraram juntas, Tuan olhou os nomes das caixas, e entregou para cada uma - espero que gostem, tio Jackie ajudou à escolher elas

Sorridentes, abriram seus presentes, e foram saltitantes abraçar os dois. Estavam bastante animadas, e felizes, agradeceram e correram para ir mostrar o presente para seus pais e avós.

- acho que elas gostaram - riu anasalado o americano, se sentando na ponta de uma cadeira

- também acho - sentou atrás de si - ainda está cansado da viagem? - fez uma breve massagem nos ombros do rapaz

- um pouco, acho que eu gostaria de relaxar - respirou fundo, sentindo seu corpo ficar cada vez mais entregue aos toques

- acho que nós dois deveríamos relaxar - sussurrou descendo suas mãos pelas costas do acastanhado

- Uhum... vamos esperar um pouco pelo almoço, estou morrendo de fome - riu e se levantou - papai já terminou de assar a carne, vamos lá

- vamos - sorriu, e segurou na mão do outro

Seguiram para a cozinha, onde estavam todos reunidos, as meninas brincavam com as bonecas no chão, e os outros estavam na mesa conversando animadamente. Eles se juntaram aos outros e continuaram a conversa. O almoço foi servido, as crianças também se juntaram à mesa e todos comeram, tendo um diálogo calmo e divertido. Raymond Tuan se levantou após terminar o prato e olhou todos.

- Jackson Wang, meu genro - falou sério, enquanto o chinês prendeu a respiração.

- sim, senhor? - se levantou também e o olhou

- para de me chamar de senhor, não sou tão velho assim - riu, acabando com o clima sério - o que eu quero dizer é... que você cuida muito bem do meu filho, e já estão juntos a quase quatro anos, meu filho se mudou definitivamente para a Coreia por sua causa, então, você está fazendo um ótimo trabalho

- pai... - Mark falou envergonhado, e Jackson sorriu de canto

- o que eu realmente dizer é que... você já é parte da família, e quero te dar um presente - os olhos do chinês brilharam como duas estrelas em um céu

- presente? - perguntou animado e os outros da mesa riram

-na verdade, é um presente para os dois - sorriu e Dorine se levantou

- eu e Tammy somos donas de imóveis, e em família resolvemos dar um para vocês dois, o ao lado daqui - apontou para a janela - quando quiserem passar as férias, e trazer amigos também

- s-sério? - em sua boca se formou um perfeito "o" e Mark sorriu

- sério mesmo? - o americano perguntou

- claro, agora, é todo de vocês, se quiserem já podem inaugurar hoje - Tammy deu uma piscadela para os dois

- nonna... - Mark a repreendeu envergonhado

- está bem, bom, espero que gostem do nosso presente - ela sorriu

- eu adorei! - Jackson deu alguns pulinhos animados, arrancando risadas altas dos dois - nós vamos hoje para lá, não é, hyung?

- oh, sim, claro - sorriu e se levantou após comer

- vamos levar as crianças para a praia, enquanto isso vocês podem ir colocando as malas lá, voltamos em algumas horas, ou melhor, voltaremos quando essas três se cansarem - o marido de Tammy disse

- não vou cansar! Quero brincar muito! - a filha mais velha falou animada

- okay, vamos para a praia! - Dorine se levantou pegando sua neta no colo e todos se levantaram animados. - Andrea já chegou?

- só amanhã - Joey disse

- certo, vamos crianças, a vovó vai arrumar vocês

- eba! - elas falaram animadas e Dorine as levou para o quarto

- aqui, a chave - Raymond entregou para Jackson e o chinês o abraçou forte

- obrigado, Ray - Mark não conteu sua risada

- de nada, e olha, continua cuidando do meu príncipe, okay? - riu também e Jackson o soltou

- pode deixar! Vamos príncipe - segurou na mão do mais velho

- vamos! - os dois subiram as escadas

Jackson estava animado, na verdade, os dois estavam eufóricos, havia sido um grande presente para eles. Foram até o quarto e pegaram algumas malas, enquanto os outros familiares se arrumavam para curtir uma tarde de sol naquela praia maravilhosa.

O chinês também estava animado para inaugurar a casa, não apenas olhar tudo, mas também, aproveitar aquele dia ensolarado da forma dos dois. Mark conseguia captar certas intenções nas falas do mais novo, que parecia querer o provocar com apenas palavras.

Entraram no imóvel, olharam tudo e sorriram, havia uma piscina grande, uma sala de estar enorme, cozinha, cinco quartos, banheiros e closet's. Colocaram as malas no closet do quarto principal, que seria dos dois, e Mark se jogou na cama.

- dá pra acreditar que essa casa gigantesca é nossa? - falou animado

- pra falar a verdade, eu ainda estou processando que meu sogro me deu essa mansão - se jogou na cama também - às vezes eu acho que sua família é de descendência da rainha da Inglaterra - os dois riram

- não seja bobo, conquistamos tudo isso por nosso mérito - disse orgulhoso

- eu sei - sorriu, e abraçou a cintura do mais velho - agora que temos uma casa aqui... e que ninguém vai se incomodar... nós poderíamos... - passou seu nariz pelo pescoço do acastanhado o causando vários arrepios

- Jackson - falou arrastado e manhoso - agora..?

- é, agora, o que acha? - deixou alguns selares alí

- hum... depende, se você deixar uma fazer uma coisinha - passou a língua entre os lábios

- o que? - olhou o mais velho

- dessa vez... Eu vou estar no comando, e você vai seguir minhas ordens - empurrou sem força o mais novo e subiu em seu colo

- wow... - falou surpreso, e o mais velho prendeu suas mãos uma à cada lado do corpo

- e então? - deitou sua cabeça no ombro de Jackson e passou seus lábios finos pelo pescoço alheio

- está bem, eu deixo, eu quero tanto você - sussurrou, mordendo seu lábio inferior, e respirando fundo

- ótimo... - Mark sussurrou também, e se arrumou no colo do outro, fazendo questão de pressionar sua bunda na intimidade alheia

Olhou Jackson de forma intensa, e em movimentos lentos, começou a tirar sua roupa, peça por peça, até só restar aquela boxer. A sensação que Jackson sentia era surreal, aliás, ele estava prestes à ficar excitado apenas em ver seu namorado seminu. Tentou levar suas mãos até a cintura do mais velho, mas foi impedido por ele, que afastou sua mão.

- lembre-se, eu estou no comando por hoje - o mais novo não respondeu, não precisava, apenas tirou sua mão e voltou a admirar o corpo perfeitamente desenhado de Tuan

O americano começou a tirar aquela roupa pouco molhada que vestia o mais novo, jogou ela em qualquer lugar, não importava agora, nada importava agora, apenas estavam querendo sentir um ao outro o mais rápido possível. Levou sua mão até o membro de Jackson e o massageou lentamente, ouvindo suspiros baixos do namorado.

- Mark... - gemeu sôfrego, fechando seus olhos, enquanto sua intimidade ficava dura.

Ele sorriu de canto, satisfeito por ver o quanto seus toques afetavam Jackson, e por sua vez, apertou sem usar tanta força o membro dele, escutando um arfar pouco alto. Riu anasalado, até que era realmente divertido estar no comando, poder ver cada expressão, cada detalhe, e escutar cada gemido, respiração e arfar que Wang soltava, estava sendo maravilhoso.

- ah, qual é? Vai ficar apenas me provocando mais e mais? - o chinês perguntou baixo, enquanto Mark parava com os toques

- calma, apressadinho, esse é só o começo - ficou de joelhos, e começou a tirar sua roupa íntima, com calma e fazendo breves movimentos com a cintura. - não é isso que você fala pra mim, amor? - outra vez, sem resposta, não era necessário também.

O mais novo estava completamente hipnotizado com cada movimento feito por seu hyung, poderia delirar alí mesmo, e ter um orgasmo naquele momento só em ver como aquelas coxas se moviam junto com os movimentos da cintura. Mark saiu do colo do outro, jogando sua boxer no chão, ao lado da cama. Segurou na barra da cueca alheia e a tirou, sem muita enrolação, fazendo com que os dois já estivessem nus em segundos.

- dessa vez, não toque em meu corpo, nem faça nada que eu não pedir, eu mando em você por agora, okay? - o mais novo assentiu rapidamente

Tuan se sentou em seu colo novamente, dessa vez de costas para ele, e se apoiou na cama, segurando nos lençóis. Fez movimentos lentos alí, como uma dança, rebolando lentamente, sem pressa, apenas para provocar, mostrando tudo o que Jackson queria ver. Estava funcionando, mais e mais o outro parecia implorar por ter aquela bunda sentando em seu pau, e poder bater e apertar aquelas nadegas branquinhas até ficarem vermelhas e com marcas de seus dedos longos.

- oh... sinto ele aqui... - falou mordendo seu lábio, continuando mais e mais com os movimentos, tendo uma reação positiva vinda do mais novo.

- claro que sente... estou tão necessitado - respirou pesado, sentindo um calor e excitação subir cada vez mais em seu corpo - ah, está tão quente

- muito quente, papai - ditou sôfrego, acabando mais uma vez com o psicológico de Jackson, era seu apelido preferido.

Pararam de falar, e apenas foram ouvidas as respirações levemente descompassadas e os arfares arrastados dos dois. A cada segundo o calor parecia aumentar, por mais que o ar condicionado do quarto estivesse ligado, não estavam com calor na temperatura, mais sim seus corpos, estavam quentes, diriam que estavam em fogo.

- Jackie... eu não vou aguentar mais - parou de rebolar e pressionou sua bunda na região sensível alí - eu estou tão excitado

- faça seu trabalhinho sujo... sabe bem do que estou falando - Mark assentiu, realmente sabia do que ele falava.

Aquela era uma expressão usada pelos dois para acabar com as delongas, provocações, era como dizer para passarem ao ponto "B", ir logo ao sexo romântico e pouco agressivo que tinham. O acastanhado assentiu e levantou um pouco seu corpo, procurou por poucos segundos o membro alheio, até o posicionar em sua entradinha rosada, já com lubrificante natural. Respirou fundo, e por fim, fez seu trabalho, sentou um pouco, colocando pouco a pouco dentro de seu interior.

- caralho, Mark - era inevitável não soltar arfares satisfeitos, e também, não iria conseguir por muito tempo não tocar aquele corpo

- oh... ah... - revirou seus olhos, o prazer subia cada vez mais - Jackson

Era o que conseguia dizer, na verdade, apenas conseguia gemer o nome de seu parceiro, enquanto descia lentamente. Quando sentou por completo, ficou alguns segundos parado, gemendo baixinho, o chinês não o questionou, era costume dar algumas pausas para que o outro se acostumasse e ficasse confortável. O casal sempre prezava pelo bem-estar dos dois, e tinham seu tempo, sem pressa, apenas para curtir a presença física e espiritual do outro.

- hyung, eu não vou aguentar ficar sem te tocar - aproximou lentamente sua mão da bunda do outro e fez um carinho alí - eu posso?

- pode... Eu quero você... - desistiu de sua pose controladora, e sentiu um aperto não tão forte em sua nadega esquerda - hum, assim...

- eu adorei ver você rebolando aqui - falou baixo, passando suas mãos pelas costas alheias, e com os dedos indicadores, massageou os mamilos do mais velho

- jacky... - suspirou, e respirou pesado mordendo os lábios

Os sorrisos maliciosos sempre estavam no rosto de Wang, que adorava ver como seus toques enlouqueciam o outro, Mark também adorava isso, era inevitável dizer que isso lhe trazia um prazer imenso. Seu corpo se moveu em modo automático, fazendo algumas movimentos alí, deixou que a excitação tomasse conta de todo seu corpo, e nesse momento, ele não ligava para mais nada, só queria sentir todo o prazer que Jackson poderia dar a si.

Sem perder tempo, Jackson continuou a estimular os mamilos de Tuan, que se mexia de forma lenta sobre o colo do mais novo. Os movimentos foram acelerados, tanto por Mark, quanto por Wang, que o ajudou com os movimentos, estocando de forma não tão lenta. O quarto ficava cada vez mais quente, igual ao corpo dos dois.

- sabia que eu estava com saudades de te foder? Eu.. adoro estar dentro de você - disse sussurrando, e apertando aquele círculo rosado de Mark

- e-eu também gosto... ah... oh Jackson - não conseguia formular uma frase comum, pois sua mente não conseguia pensar naquele momento.

O chinês parou e segurou na cintura de Mark, o virou de frente para si, queria ver todas as expressões que o outro faria. Mark sorriu de canto e voltou a se movimentar, quicando lentamente no membro de Jackson. Apoiou suas mãos na cama e passou a rebolar com rapidez no colo do mais novo. Jackson ficava com a boca entreaberta, soltando gemidos roucos e aproveitando aquela sensação maravilhosa de sentir a bunda do acastanhado em contato com seu membro duro.

- vamos trocar de posição, huh? Eu quero aproveitar um pouco mais dessa sua bunda - mordeu o próprio lábio, apertando a cintura do mais velho

- s-sim - parou com os movimentos, e com cuidado, retirou o membro de Jackson de sua entrada

Engatinhou lentamente até o meio de cama, e parou, ficando de quatro, empinou um pouco. O outro o olhou, com os olhos famintos, sedento por foder aquela entradinha apertada. Ficou de joelhos, por trás do outro, e fez uma breve massagem pelas costas de Tuan. Mark sabia que aquela era a posição preferida de Jackson, ele adorava, os dois gostavam, na verdade.

- está fazendo isso para me agradar, baby? - levou sua boca até a nuca do acastanhado e deixou alguns beijos

- sim, eu sei que gosta quando eu fico assim... e eu também gosto - suspirou se arrepiando com os beijos

- eu já posso... - insinuou, vendo o outro assentir lentamente e encostou mais seu corpo no de Mark

Segurou em seu próprio membro, fazendo movimentos como pinceladas entre as nadegas fofinhas do outro. O passivo não pôde evitar soltar gemidos necessitados, também não ligava se parecia um louco sedento por sexo, ele realmente queria aquilo, precisava daquilo. Jackson penetrou lentamente, ouvindo aqueles malditos gemidos gostosos de Mark.

Apenas a penetração foi lenta, pois as estocadas começaram furiosas, rápidas e bastante fundas, Wang estava tão necessitado quando Tuan. Os gemidos ganharam mais volume, visto que a cada movimento um gemido mais alto ecoava pelo quarto. As investidas que Jackson fazia eram de surpresa, adorava ver as expressões nada puras que seu parceiro fazia.

- Jackson! Oh! - quase gritou, entre uma estocada e outra, o mais novo havia encontrado seu ponto mais sensível - um pouco mais... um pouco mais...

- é aqui? - estocou outra vez, vendo o corpo de Mark estremecer por completo e um gemido alto ser soltado.

- sim! Ah! De novo... - falou manhoso, enquanto seu membro pulsava de tanto tesão

- claro que sim - voltou a estocar, só que apenas alí, apertando com força as coxas fartas de Tuan e estapeando sua bunda.

Aquele clima quente de verão era favorável para os dois, que ficavam cada vez mais quentes, os corpos se chocavam com força e rapidez, e aquela era sua forma preferida de comemorar algo, e agora, sua forma preferida de iniciar as férias. Transaram por muito tempo, pouco mais de uma hora, Jackson já havia gozado mais de quatro vezes, enquanto Mark ja havia perdido a conta de quantas vezes tinha feito isso.

Os dois respiraram ofegantes, e Tuan se sentou no colo alheio, mas sem nenhuma penetração, olhou o namorado por alguns instantes e segurou em seu próprio membro, e também no de Wang. Passou a língua entre os lábios, um hábito comum mas charmoso que ele tinha.

- o que está fazendo, amor? - perguntou arrumando ele em seu colo

- para finalizar... - se calou, e sem muita demora, começou uma masturbação lenta e provocante nos dois membros.

Logo os gemidos e arfares começaram novamente, e Mark parecia delirar apenas em ver Jackson gemendo rouco perto de si. O mais novo movimentava seu corpo para cima, estocando a mão de Tuan, com o intuito de aumentar a fricção dos dois. O outro entendeu o recado, e a masturbação ficou mais rápida, fazendo com que em poucos segundos, já tivessem se desfeitos nas mãos do mais velho. Mark gemeu sôfrego e arrastado, soltou os dois genitais e se deitou sobre o tronco de Jackson.

- acho que você se cansou... Eu também estou bem cansado - beijou a testa de seu namorado - aposto que estas serão as melhores férias de verão de toda a minha vida

- eu... tenho certeza que sim - disse ofegante, sentindo o corpo abaixo de si se deitar em um movimento - eu amo você, Jackson, e meu pai está certo, você cuida muito bem de mim, e me prova a cada dia que eu quero estar contigo.

- eu também amo muito você, hyung, e se depender de mim, vou cuidar de você pro resto da vida, e vou garantir que você seja meu até lá - riu anasalado, fechando seus olhos

- bobo... - deixou um selar no rosto do outro, e fechou seus olhos também, pronto para algumas horas de sono.

Os dois dormiram rapidamente, e foi assim que o verão começou. E era verdade, Jackson estava certo, aquelas seriam as melhores férias de verão...

         

                            ...Fim...


Notas Finais


Bem, ficamos por aqui kkk
Espero que tenham gostado, e tem mais fanfic's por vir
Até a próxima ^^💛⛅


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...