História Summertime - Suga BTS - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Colegial, Fluffy, Hentai, Imagine, Jimin, Longfic, Romance, Sexo, Yoongi
Visualizações 28
Palavras 4.432
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem voltou depois de quase um ano??????? isso mesmo, pretendo não abandonar essa história de novo, deus queira. E como pedido de desculpas, uma capítulo de 4mil palavras. Não sei se vão gostar desse capítulo mas... vejo vocês nas notas finais :)

Capítulo 4 - Paradise


Barulho de porta batendo e gemidos vindo do banheiro foram os culpados por eu ter acordado as 11:30 da manhã.

 Meu objetivo nesse domingo era justamente não acordar cedo e passar o dia dormindo, o que obviamente, não aconteceu.

 Olhei para a cama do lado e Liz não estava lá e agora que me lembrei, ela não estava lá também quando eu fui dormir e não vi quando ela chegou, mas claramente ela estava ali agora e não estava muito bem. Eu, como uma boa amiga que eu deveria ser, me levantei da cama e caminhei até a porta do banheiro, batendo-a três vezes e encostei na parede ao lado da betente, esperando resposta. Ouvi o barulho da descarga e logo em seguida ouvi a voz de Liz lá de dentro.

 - Eu to bem, é só ressaca. - Suspirei e voltei quase me arrastando para cama. Deveria ter imaginado que seria esse o motivo.

 Eu não tinha vomitado e nem iria, a única coisa que restava era uma dor de cabeça forte. Queria saber qual o estado de Chloe e Tae agora, eles não deviam estar diferente de Liz.

 Me joguei na cama e me cobri, me encolhendo. Já estava de olhos fechados quando ouvi a porta do banheiro ser aberta e ouvi os passos de Liz. Ela passou direito por sua cama e foi em direção a cômoda, procurando por roupa. Ela não disse uma palavra e eu também não iria, mas tive um estalo e lembrei que Liz tinha sumido lá pelas tantas e só agora eu estava vendo-a de novo. A curiosidade dentro de mim era gritante e eu ficaria inquieta caso não perguntasse.

 - Liz, onde você foi quando sumiu da festa ontem? - Rolei na cama mas ainda não podia vê-la do ângulo que estava.

 - Me divertindo ué, Hoseok e Jin estavam, eu também posso.

 - Claro que pode, só queria saber, pensei que tivesse acontecido alguma coisa.

 - Não aconteceu. - Ouvi a gaveta ser fechada. - Quer dizer, aconteceu, mas não no sentido ruim. - Ela riu maliciosamente e eu dei um sorriso, voltando a me virar e fechar os olhos. - Não vai almoçar?

 Almoçar? Não era nem pra eu estar acordada a essa hora. Não pretendo sair desse dormitório hoje pra nada.

 - Não, vou ficar por aqui mesmo, to meio sem fome, sabe? - Ela respondeu um "uhum" e o silêncio voltou a reinar no quarto.

 Não demorou muito para ouvir os passos de Liz em direção a porta, mas antes de sair ela parou perto da mesma, que estava aberta e a luz do sol forte vindo de fora clareou o quarto, fazendo eu cobrir meu rosto. Lá fora deveria estar um calor enorme, mas aqui dentro, eu estava sentindo frio e por isso estava coberta.

 - Vê se sai desse quarto alguma hora, o dia está ótimo pra piscina e outra, amanhã vamos ter gincana o dia todo então temos que aproveitar bastante o dia de hoje. - Ela disse animada e eu não respondi, não deu tempo, assim que terminou de falar, Liz saiu do quarto e eu pude ouvir a porta ser fechada. Estava sozinha finalmente.

 Meu objetivo agora era apenas voltar a dormir, mas eu já tinha me levantado o que me despertou parcialmente. Uma vontade louca de fazer xixi me invadiu e eu me vi obrigada a levantar e caminhar até o banheiro e culpava mentalmente Liz por ter me acordado.

 Eu não iria sair do quarto nem tão cedo, mas enquanto estava no banheiro, me lembrei que não tinha tomado banho ao chegar da festa e quando me dei conta, percebi que ainda estava vestida com a mesma roupa de ontem, por isso decidi tomar um banho e talvez, assim, eu pudesse voltar a dormir, limpa e com roupas mais leves.

 Mas eu fui ludibriada pelo destino. Ao sair do banheiro enrolada na toalha, já que estava sozinha e não via problema nenhum nisso, após quase meia hora de banho, eu me deparei com uma figura loira sentada em minha cama e dei um pulinho de susto e coloquei uma mão no rosto suspirando.

 - Deus o dibre, Jimin. O que você ta fazendo aqui? - Perguntei ainda com o coração acelerado pelo susto e ao ouvir minha voz, Jimin que antes mexia alguma coisa em seu celular, me olhou e logo vi um sorriso brotar em seus lábios.

 - Vim te ver, Liz disse que você não iria almoçar e eu quis saber qual seu estado. Tá melhor que Chloe e Tae se me permite dizer. Tae na verdade parece que está morto, nem acordou quando fui lá vê-lo e Chloe está vomitando até as tripas. - Ele jogou o celular na cama e se ajeitou na mesma.

 - Eu estou bem, obrigado, não bebi tanto quanto aqueles dois. Só estou com dor de cabeça e queria ficar sozinha, mas o universo não está disposto a colaborar hoje. - Eu disse já caminhando em direção a cômoda para pegar minhas roupas.

 - Não sabia que iria encomodar. Só achei também que seria a oportunidade perfeita pra me desculpar por não ter vindo no ônibus com você e por não ter te esperado. Eu prometi que faria. - O seu tom de voz mudou completamente para malicioso e eu parei o que estava fazendo, ainda de costas para ele, procurando uma resposta a altura. Eu ainda estava com raiva de Jimin por ontem.

 - Ta bom, já de desculpou, pode sair. - Foi a única resposta que consegui pensar na hora, mas eu estava nervosa, não era exatamente isso que queria dizer, eu adimito que estava adorando esses joguinhos e estava com medo de ele me obedecer pela primeira vez e sair sim do quarto. Mas é de Park Jimin que estamos falando.

 - Não foi desse jeito que eu disse que iria me desculpar e você sabe disso. - Ouvi ele se levantar da cama e senti sua aproximação a mim. - Qual é, vai me ignorar até quando? - Ouvi ele dizer baixo próximo ao meu ouvido e me arrepiei instantâneamente.

 Eu ainda estava de toalha e meu cabelo molhado caia nas minhas costas, pingando, até que senti as mãos de Jimin em meu cabelo, jogando-o calmamente sobre meu ombro, deixando minhas costas completamente a mostra para ele, e não demorou muito para eu sentir sua boca macia e quente depositar beijos na região nua dos meus ombros. Eu não deveria ceder pra ele assim, ele provavelmente ficou com uma garota ontem e agora quer ficar comigo? Mas a questão é que essa não seria a primeira nem a útima vez que isso aconteceria. Pode parecer ridículo mas sou fraca quando se trata de Park Jimin e quando ele me toca. Mas acredite, eu me odeio por isso e grito internamente que esse amor que sinto por ele passe logo porque não aguento mais ser assim por ele.

 Seus beijos foram subindo até meu ombro descoberto, até minha nuca e logo, ele mordia o lóbulo da minha orelha. Eu já estava totalmente entregue agora, não que tenha tentado impedi-lo em algum momento. Suas mãos agora também trabalhavam em meu corpo, elas passeavam livremente das minhas coxas até meu quadril, por cima da toalha, levantando um pouco a mesma e agora eu sentia a poupa da minha bunda aparecendo. O fogo que sempre surgia quando Jimin me tocava já se fazia presente no meu corpo e aquilo já estava ficando lento demais pra mim, queria me virar logo e tomar aqueles lábios carnudos pra mim de um modo nada delicado, mas deixei que Jimin ditasse o ritmo.

 Senti sua mão apertar forte meu quadril e me puxar para trás, colando meu corpo ao seu e Jimin agora parecia estar impaciente com toda aquela sua delicadeza já que mordia e dava chupões fortes em meu pescoço. Vez ou outra eu arfava em resposta e sua respiração quente em contato com minha pele só aumentava mais meu desejo. Finalmente Jimin me virou de frente para ele e por uma fração de segundos ele ficou olhando em meus olhos, antes de ele tomar minha boca com um desejo enorme e eu não demorei muito a retribuir. Sua língua macia dentro da minha boca, em contato com a minha, as mordidas que ele dava em meu lábio entre o beijo, eu nunca me cansaria do beijo dele.

 Suguei seu lábio inferior com força e pude sentir um sorrisinho brotar em seus lábios. Agora Jimin dava passos para trás, a procura da minha cama e eu o ajudei, guiando-o até lá e ao chegar, o empurrei fazendo ele cair deitado e logo subi em cima dele, sentando bem em seu membro coberto pela calça, mas que já estava bastante desperto.

 - Quem disse que você ia comandar hoje? - Ele disse colocando as mãos na minha bunda e apertando meu corpo mais contra seu membro. Minha intimidade descoberta roçava em sua calça e aquilo estava me dando um prazer enorme.

 - Se você quer que eu te desculpe... - Fui interrompida quando Jimin balançou seu quadril embaixo de mim e fez com que eu soltasse um gemido baixo. Ele sorriu com isso.

 Minhas mãos desceram até a barra de sua blusa e eu comecei a tira-la com uma rapidez incrível com a ajuda dele. Eu já não estava mais com paciência para essa lerdeza em que estávamos, tudo que eu queria era Jimin dentro de mim e ouvir os gemidos roucos dele.

 Arranhei seu peitoral já descoberto e senti as mãos do rapaz ir até onde minha toalha estava amarrada, desfazendo o nó rapidamente. Eu estava totalmente nua e só a calça de Jimin, a peça mais importante, me separava do meu objetivo. Ele subiu suas mãos pela parte interna de minha coxa, dando leves beliscadinhas ali eu observava tudo quieta porém internamente impaciente. Normalmente Jimin é o eufórico da situação, mas hoje estava sendo o contrário e parecia que ele tinha percebido isso, pois parecia que ele estava nessa calma propositalmente.

 Senti dois de seus dedos acariciar minha intimidade já molhada e seu dedão fazer movimentos circulares lentos em meu clítoris. Eu queria socar a cara de Jimin por essa lerdeza mas me manti firme. Logo seus dedos entravam e saiam da minha intimidade mas por Deus, os movimentos aumentaram a velocidade. Eu mordia meus lábios com força e rebolava contra seus dedos e Jimin parecia que havia recebido um pouco da minha impaciência, pois seus movimentos agora eram rápidos e eu gemia manhosa querendo mais e mais.

 Depois de alguns minutos eu sentia que estava próxima do meu orgasmo, mas Jimin não parou, ele continuou os movimentos circulares em meu clítoris e eu apertava e arranhava seus ombros e peitoral, ele sabia que eu estava próxima e quando joguei minha cabeça para trás e soltei um gemido alto, meu líquido escorreu por todo o dedo do mais velho que lentamente foi parando os movimentos e tirou seu dedo de mim, levanto até sua boca e lambendo-os.

 - Já estou perdoado? - Ele perguntou enquanto ainda lambia seus dedos e eu abri meus olhos, o encarando. Ele tinha um sorriso safado nos lábios.

 - Se você quiser continuar nesse estado... - Rebolei em seu membro e logo ele entendeu o que eu quis dizer.

 O loiro inverteu nossas posições e agachou na cama, com as pernas me prendendo embaixo de seu corpo e começou a desabotoar sua calça. Jimin foi rápido e abaixou a cueca junto com a calça com certa dificuldade, agora ele estava completamente nu.

 Jimin se abaixou novamente e me beijou. Eu sentia seu membro roçar em minha intimidade a cada movimento que fazíamos. Ele levou uma mão até minha coxa e a apertou com vontade fazendo o contato das nossas partes mais presente. Eu queria sentir Jimin dentro de mim imediatamente, eu abaixei minha mão até seu membro, arranhando toda a extensão de seu abdômen e o apertei, fazendo ele gemer.

- Jimin, por favor, vamos logo com isso. - Pedi manhosa contra sua boca e ele arfava enquanto sentia eu apertar seu membro de leve.

Segurei seu membro com vontade e pincelei minha intimidade com ele. Fechei os olhos sentindo aquela sensação gostosa mas não por muito tempo, Jimin segurou meu quadril com força e me penetrou com violência, fazendo tanto eu quando ele gemermos alto. Minhas unhas arranhavam Jimin onde eu conseguia alcançar enquanto ele estocava forte dentro de mim. Ele gemia rouco e mantinha os olhos fechados. Ele ficava lindo daquele jeito e seus gemidos eram como música pra mim, adorava vê-lo daquela forma.

 Vez ou outra tentávamos nos beijar mas gemíamos muito e acabava saindo um beijo desajeitado. Jimin jogou sua cabeça para trás e fechou os olhos, me penetrando cada vez mais forte, ele não estava muito longe de gozar e eu não estava muito atrás. Com certa dificuldade inverti a posição, ficando por cima dele e vi ele sorrir maliciosamente e comecei a mexer meu quadril, rebolando com vontade. Joguei meu cabelo para o lado deixando um dos meus ombros completamente exposto e Jimin levantou seu tronco, mordendo e chupando aquela região minha. Eu rebolava cada vez mais rápido, não cavalgava, apenas rebolava e sentia ele em cada canto de dentro de mim e aquilo me dava um prazer enorme. Eu gemia cada vez mais e Jimin gemia contra minha pele também. Ele apertou meu quadril com vontade e fechou os olhos e logo eu senti seu líquido me preencher, mas eu não havia alcançado meu ápice ainda então continuei meus movimentos. Senti um espasmo passar pelo meu corpo e me abaixei até Jimin, selando nossos lábios e o beijei com vontade quando finalmente deixei que meu líquido escorresse por seu membro.

 Saí de cima de Jimin e me deitei ao seu lado na cama, encostando minhas costas na parede gelada e me aconcheguei em seus braços, enquanto recuperava o fôlego.

 - Eu tinha acabado de sair do banho. - Disse baixo e pude ouvir ele rir.

 - A gente pode tomar um se quiser. - Ele me olhou e eu levantei a cabeça para encara-lo, ele tinha um sorriso safado nos lábios.

 Eu amava Jimin com todas as forças mas ver ele me olhando assim depois do beijo com Jungkook e a conversa que tive com Liz me fez sentir uma certa raiva de mim mesma.

 - Não, Jimin. Você vai se levantar e ir para seu quarto tomar seu banho e eu farei o mesmo aqui, então por favor. - Me sentei na cama e ele me olhou com os olhos arregalados, não acreditando no que eu tinha dito.

 - Mia? O que que eu fiz agora? - Ele se ajeitou na cama e claramente ele estava preocupado e não era pra menos, eu estava evitando olha-lo e no momento eu estava com meu pensamento longe e com raiva, não queria encara-lo para que ele não percebesse mas ele não era idiota.

 - Nada Jimin, é só uma coisa comigo, eu quero pensar por um tempo. - Passei por cima de suas pernas e me levantei da cama, pegando minha toalha.

 - Ah. - Ele disse com tom de riso. Por que ele estava sorrindo? - Isso tem alguma coisa a ver com o beijo que você deu no meu amigo ontem? - Ele se sentou na cama e eu o encarei assustada.

 - O quê?

 - É, Mia. Tem ou não?

 - Como... O quê? - Eu estava totalmente perdida. Como diabos Jimin tinha ficado sabendo daquele beijo? Não acredito que Jungkook tinha contado para ele. Não. Jungkook não tinha cara de quem faria isso. Ou faria? Ele pode não saber do meu rolo com Jimin e contou por acaso. Não, ele com certeza sabia. Eu tinha dado um nó na minha cabeça agora e eu não sabia o que dizer. Jimin só ficava parado, me encarando e eu tinha uma expressão assustada e confusa. O sorriso dele tinha sumido completamente e me arrisco a dizer até que ele tinha um ar de raiva.

 - Mia, por Deus, você acha que eu sou idiota?

 Silêncio.

 - Eu vi o beijo, então você não precisa mentir. Mas relaxa, eu não estou bravo, ou pelo menos estou tentando não ficar. Eu não tenho esse direito.

 - Você viu? - Agora eu tinha me sentado na cama de Liz que ficava ao lado da minha. Eu precisava me sentar porque ainda não estava entendendo como tínhamos chegado naquele assunto.

 - Eu fui levar Taehyung para o quarto, ele estava péssimo. Quando voltei, Hoseok disse que você e Jungkook tinham levado Chloe para vomitar em algum lugar então eu esperei, mas você não voltava, então resolvi vir até seu quarto e ver se tava tudo bem e caso você não tivesse aqui eu estava disposto a esperar. Por uma grande coincidência do destino, você e Jungkook estavam chegando ao mesmo tempo que eu e eu não sei porque eu senti que não deveria ir até vocês e resolvi deixar que ele fosse embora, foi quando vocês se beijaram. Eu só não sabia mais o que fazer depois disso e sabia que você também não saberia, então eu só voltei para a festa. Na verdade eu nem iria tocar nesse assunto mas poxa, Jungkook mexeu com você com apenas um beijo pra você ficar estranha comigo depois de transarmos?

 - Não é bem assim, Jimin. – Disse suspirando e controlando minhas emoções que agora passava de raiva, desentendimento e decepção.

 Desde que me declarei para Jimin e isso faz um ano, ele nunca tinha dito o que sentia, nunca assumiu o que éramos e nós nunca tocávamos no assunto, era mais, estamos transando e é isso, quando não tiver ninguém eu te procuro e vamos seguir assim. Eu era uma idiota, nunca tinha pensado desse lado até certo tempo atrás, estava tudo perfeito pra mim assim, eu tinha ele pra mim de certo modo e gostaria de continuar assim.

 A conversa com Liz e o beijo com Jungkook foi só mais um gatilho que eu precisava pra esclarecer o que já vinha martelando na minha mente: Eu realmente não preciso passar por isso com Jimin porque gosto dele, eu mereço tentar achar alguém que realmente goste de mim.

 Não ia ser fácil, não vai ser fácil, mas beijar Jungkook ontem me fez pensar o quanto tem outros garotos por ai lindos e legais e eu presa a um garoto que nem sequer saber o que quer da vida no sentido de relacionamentos.

 Mas a parte de mim que gostava de Jimin gritava o que eu não queria ouvir. Eu gostava do Jimin a muito tempo e agora eu consegui um pouco do que eu queria e essa parte de mim não queria deixar eu jogar tudo fora. Essa parte de mim também gritava que dependendo do jeito que isso terminasse, seria o fim da nossa amizade e pensar nisso me deixava péssima porque de nenhuma maneira eu queria deixar de ser amiga dele.

- Então é como, Mia? – Ele perguntou sério sentado na cama a minha frente enquanto eu só encarava o chão, tentando pensar qual parte de mim eu ouviria.

 Eu não ia conseguir mais. Eu precisava que Jimin me desse uma explicação.

- Jimin, que direito você acha que tem de pedir explicações a mim de quem eu beijo ou deixo de beijar? – Eu disse ainda sem olhar em seu rosto mas eu não soei firme ou rude o suficiente como deveria.

 - Como assim que direito eu tenho?

 - Que direito você ACHA que tem, foi essa pergunta. – Finalmente o encarei e pude perceber que ele tinha uma expressão completa de confusão em seu rosto que quase fez eu desistir do que estava prestes a falar. – Desde que eu me declarei pra você, você nunca me disse o que você sentia, você nunca me deu uma explicação do que a gente realmente tinha aqui, a gente nunca mais conversou sobre isso porque eu nunca fui atrás, você não deu a mínima importância sobre o que eu te disse e sobre os sentimentos que eu tenho por você. Eu nunca fui prioridade pra você e você ainda acha que eu não sei. Eu simplesmente cansei disso Jimin.

 Disse tudo praticamente despejando as palavras em cima dele de uma vez só, quase ficando sem ar e quando parei de falar sentia minha respiração desregulada, minhas mãos tremiam e uma vontade de chorar enorme crescia dentro de mim. Jimin me encarava com a boca entreaberta como se estivesse digerindo tudo o que eu havia dito e ele não mexia nenhum músculo.

 O silêncio reinava. 1 minuto. 2 minutos.

 Eu já estava ficando impaciente quando finalmente Jimin disse alguma coisa e sua próxima frase foi mais uma gota de raiva dentro de mim.

 - Isso foi por causa do beijo do Jungkook?

 - Você sequer ouviu uma porra de uma palavra que eu disse? Você é idiota ou se faz? Puta que pariu Jimin você é um idiota, um completo idiota. – Me levantei com raiva e segurei a toalha com força para que ele não percebesse minhas mãos tremendo. – Não foi pelo beijo do Jungkook, não foi por nada além de você. Você é o problema aqui. Por que você simplesmente não admite que me usou esse tempo todo e me iludiu pra eu poder seguir em frente? É só isso que eu preciso Jimin. – Minha voz já estava trêmula o suficiente e uma lágrima já escorria pelo meu rosto. – Eu só preciso que você quebre meu coração.

 Eu já não sabia mais decifrar o rosto de Jimin. Não conseguia distinguir qual era o sentimento dele ali naquele momento mas o choque ao ouvir minhas palavras se fez presente ali. A tensão no quarto era real e eu não controlava mais minhas lágrimas. Eu só estava esperando que ele me falasse com todas as palavras o que eu precisava ouvir.

 Eu não sei bem ao certo quando me apaixonei por Park Jimin. Talvez eu já gostasse dele no momento em que nos conhecemos, amor a primeira vista? Ou talvez tenha sido com o tempo? O fato, é que amar esse garoto foi um erro, um completo erro. Eu amo ele, eu amo a amizade que tenho com ele e amo ter ele eu amo tudo relacionado a ele, mas tinha um único modo que eu não podia amar, o modo mais errado. Agora eu sei como Eva se sentiu quando comeu a fruta proibida. Foram tantos avisos e tantos alertas. A curiosidade dela foi maior, a diferença é que ela teve escolha, amar Park Jimin não foi uma escolha. Aconteceu, mas assim como tudo tem uma consequência, Eva foi expulsa do paraíso e eu, ignorando todos os sinais do meu corpo, do meu coração, posso ser expulsa do meu paraíso.

 O meu paraíso não é o amor por Jimin, é minha amizade com ele, esse é meu verdadeiro paraíso. Antes de tudo, era sempre Jimin, era sempre ele que estava ali por mim, sempre ele que me ajudava, ele que estava ali por mim quando meus país se separaram. Vendo por esse lado e toda a situação, eu estrava prestes a perder o meu melhor amigo, prestes a ser expulsa do meu paraíso e eu não conseguia me imaginar sem ele mais.

 - Eu nunca, Mia, nunca, quis te magoar. – Ele disse pela primeira vez depois de algum tempo mas logo fez uma pausa longa novamente. – A minha intenção com isso tudo era exatamente o contrário. Sabe o que eu senti quando você se declarou pra mim? – Ele olhou em meus olhos como se esperasse resposta mas sei que foi uma pergunta retórica. – Desespero, sabe por quê? Porque eu sabia Mia, que eu nunca seria capaz de ser o seu Jimin do jeito que você queria, por mais que eu te ame, e acredite, eu te amo mais que amo a mim mesmo, eu não ia ser capaz porque você merece o mundo e eu não ia conseguir te dar. Esse tempo todo, eu tentei, eu juro que tentei, eu não estava brincando com você, a última pessoa que eu faria isso era com você mas Mia eu não consegui e eu me odeio por isso porque, porra é você Mia e você é perfeita em todos os aspectos e eu só não conseguia te deixar, eu – ele fez uma pausa e eu não conseguia parar de chorar em nenhum momento e eu pude perceber que sua voz estava ficando trêmula. Ele se levantou e caminhou até mim e eu queria me afastar mas não conseguia. – Eu te amo Mia, mas não sou eu quem você precisa e isso pode parecer a desculpa mais esfarrapada do mundo mas é isso que eu posso te dar agora. Me desculpe por deixar isso chegar tão longe por pensar apenas em mim, eu sou sim um completo idiota e eu estou quebrando seu coração, mas por favor, me perdoa. – Ele colocou as mãos em minhas bochechas e limpou as lágrimas com os polegares.

 Eu não conseguia me desprender do olhar de Park Jimin, era tudo que eu menos conseguia fazer. Eu não queria acreditar que esse momento finalmente aconteceu e está sendo mais doloroso que eu achei que fosse.

 Eu sempre imaginei esse momento como Jimin sendo Jimin e simplesmente dizendo pra mim que ele realmente não gostava de mim e que foi apenas um momento e nada mais que isso, mas ver ele assim, naquele estado de desespero, sendo tão sincero e falando todas aquelas coisas, foi como uma facada no meu coração.

 Eu não queria faze-lo sofrer quando comecei com esse assunto, era um tiro no meu próprio pé, apenas eu sairia machucada disso tudo, não esperava que Jimin fosse dizer tudo isso e que ele se sentia dessa forma.

 Eu dei de ombros e sacudi a cabeça em afirmação por não conseguir dizer uma palavra, eu não conseguia sequer me mexer. Jimin deu um sorriso fraco e tirou as mãos e meu rosto, indo em direção a porta do quarto, abrindo-a e saindo pela mesma, sem sequer me olhar.

 Era isso então. O que quer que Jimin e eu tínhamos, acabou. E o que mais me deixava triste nisso tudo é que nem sequer sei como vai ficar nossa amizade daqui pra frente. Foi um erro. Assim como Eva cometeu o erro e teve que pagar pelo seu pecado.

 Amar Jimin foi o meu pecado, agora eu fui expulsa do paraíso e teria que arcar com o sofrimento como consequência.


Notas Finais


EAI? o que acharam??? Comentem para eu saber, shippam Jimia?
Desculpem qualquer erro não revisei esse capítulo ainda.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...