1. Spirit Fanfics >
  2. Sun and Moon - (Fushiguro Megumi) >
  3. Capítulo - 04

História Sun and Moon - (Fushiguro Megumi) - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oi.
Boa leitura.
Desculpa os erros, e a demora.
É fiquem com o capítulo.

Capítulo 4 - Capítulo - 04


Fanfic / Fanfiction Sun and Moon - (Fushiguro Megumi) - Capítulo 4 - Capítulo - 04


Fushiguro On


S/n – Ficou bom...De fato, está muito bom. – Fala enquanto se preparava para tirar várias fotos minha, com uma câmera que ela conseguiu com a Yuu. Abaixo a cabeça um pouco envergonhado, com a roupa que eu estava. Eu tinha perguntado a ela o que eu poderia fazer para ela ficar um pouco mais animada, ainda não sei o que aconteceu com ela mas logo ela me dirá. Tava com roupa de empregada, mas sendo feminina. Com um laço no pescoço, e alguma coisa em minha cabeça, S/n só deixou eu vestir a roupa e depois me ajudou com o laço. E s/n tirando várias fotos minhas, dizendo que ficou muito bom e que tinha achado incrível. Mas como se o universo não estivesse colaborando comigo, alguém bate na porta.


– Como posso te ajudar a ficar mais animada?! –Pergunto, vendo a mesma olhando para o teto pensativa. E depois me encarando com um sorriso nada bom e caminhando em direção ao seu quarto dizendo pra eu acompanhá-la. 


S/n – Vem Fushiguro, eu vou te mostrar como você pode me deixar mais alegre. – Diz e acompanho ela meio desconfiado. Entramos em seu quarto, e s/n pega uma caixa. 


Yasuko – Eii, S/n! Abra aqui! Sabemos que você está aí! – Grita atrás da porta, e s/n começa a caminhar em direção a porta mas para olhando para mim tentando conter um sorriso.



S/n – Como você é a empregada da casa, poderia por favor abrir a porta. – Diz, enquanto olho para ela desconfiado mas me levantando e caminhando até a porta. É só uma porta... Não é por causa da porta e sim minha roupa, era para eu ter pedido a s/n para ela vestir também a outra para eu não passar isso sozinho. Com a mão na maçaneta da porta, mas parando ao ver a mão de S/n. Eu estava tão concentrado e com um pouco de receio em abrir a porta que a s/n conseguiu trocar de roupa vestido a mesma que eu, De fato ela conseguiu fazer isso mais rápido. – Eu te disse que conseguia vestir isso mais rápido do que você.


Yuu – S/n... Ficamos sabendo o que aconteceu. - Diz enquanto as duas abraçavam s/n que sorriu fraco, mas logo batendo levemente nas costas das meninas dizendo que estava tudo bem com ela. – Sinto muito. 


S/n – Tudo bem... Eu estou bem. – Diz se afastando das duas que suspiram parecendo lembrarem de algo, Yasuko ia falar mas para ao ver o que s/n estava vestindo. Depois percebendo a minha presença.



Yasuko – Fantasias Sexuais?! – Pergunta, olhando para minha roupa e a de s/n. Logo levanto um tapa no pescoço, dando alguns passos para frente. S/n olhava para ela com uma cara nada boa, enquanto Yuu brigava com ela para parar de falar essas coisas. Mesmo entendo pouco disso... Fantasias Sexuais...? Tá eu entendo algumas coisas, mas fantasia? Vou perguntar a s/n depois. A mesma corre para trás de s/n, apertando mais o laço. E s/n erguendo o seu corpo ao sentir ela aperta. – Pronto.


Yuu – Certo...Vamos Yasu-chan. Você já tá atrapalhando muito. S/n, caso queira conversar estarei de esperando. – Fala e empurra Yasuko para fora, e s/n fecha a porta sem entender muita coisa, parecendo um pouco surpresa.



– Você vai me contar, Agora?! – Pergunto e ela caminha em direção a sala, enquanto tento acompanhá-la pois não queria rasgar essa roupa só por ter corrido. Ela senta no sofá dando batidinhas no lugar perto dela, vejo ela suspirar começando a tremer um pouco.


S/n – Os meus pais morreram... E ainda por cima a pessoa disse que foi uma atividade paranormal. Cê acredita nisso?! –Pergunta fechando os olhos, e suspirando novamente, ela está tentando demonstrar que é forte o suficiente para não chorar. O que será que eu digo a ela?; Penso e toco o seu ombro.



– Você não está sozinha, Eu estou aqui para você. – Falo e a mesma cora um pouco desviando o olhar, me abraçando enquanto sinto algo quente em meus ombros. Vendo o Shiroi, se aproximar para perto de nós. Pulando, e nos separando. 



S/n - Ciúmes? Não precisa ter ciúmes, Pois sou amiga dos dois. – Diz e abraça ele, que me como se tivesse debochando da minha cara. Enquanto meu rosto parecia um pouco desanimado após ouvir as palavras que a s/n falou, será que isso é tão ruim assim? Afinal somos amigos. – Tenho que ir, ao um lugar. Então chegarei tarde hoje, Megumi-kun.


– Certo...– Falo e a mesma se levanta colocando o Shiroi em meus braços, caminhando em direção ao seu quarto. Eu ia perguntar para onde ele vai, mas achei melhor não falar nada. Hoje vou passar o dia todinho sozinho, tenho que pensar em algo para fazer. Talvez... Trocar de roupa?; Penso indo em direção ao quarto, vestido uma blusa branca e um calça preta. Escuto s/n gritar que já vai e dizendo para não fazer bagunça. Sento no sofá, pensando em algo para fazer. Pego o celular, que s/n me deu. Ela disse que tinha guardado e não usava, então me entregou esse. Eu podia assistir algo na televisão ou escutar música, ou tentar fazer comida, Jogar videogame. Bem... Posso fazer isso tudo bora testar. Ligo uma televisão, ligando o videogame. Com um pouco de dificuldade, pois nunca joguei algum jogo. Olhando para os vários jogos que tem aqui, Esse tal de Grand Theft Auto Five, me chamou atenção. Aperto no botão, esperando carregar.


?? – Já pro chão! – Grita um personagem do jogo, isso é... Um assalto?! Já começa assim?! Espere... Um assalto? Já não sei como jogar, e ainda começa assim? Que perigo... 


?? – Certo, se todo mundo prestar atenção, ninguém se machuca. – Acho que é um assalto mesmo, espera... Em que botão eu aperto? 


?? – Abra a porta ou eles vão ficar bem machucados! Anda logo! – Fala outro personagem, enquanto apontava a arma para o guarda. Espere... Eu sou esse personagem, Certo. O que eu faço?

           

  (Alguns minutos depois)


– Morri...– Falo após ver o personagem que eu estava controlando morrer, aparecendo "se fudeu". Eu tenho cara de palhaço? Vou jogar de novo. De novo?! Morri, de novo. Bom... Sempre quis aprender a cozinhar, sabe? 


Vou em direção a cozinha e me surpreendo com algo que eu vi, a s/n lavou a louça? Só pode ser o fim do mundo; Penso, caminhando em direção a geladeira para ver se tem algo para comer. Isso que está na cozinha não é comida... Pelo menos tem maçãs. Acho que vou pegar um dinheiro "emprestado", que s/n me deu para comprar algo. Agora que eu pensei direito posso fazer um jantar, para ela.


S/n – Fushiguro, caso precisar de dinheiro. Pode pegar, mas somente o necessário. Ou eu vou arrancar sua cabeça. – Fala após me mostrar onde estava o dinheiro, arregalo os olhos após suas palavras. 


– Isso é uma ameaça?! – Pergunto surpreso por ela ter falado isso, será que ela confia em mim?! Não seria estranho já que tem uma pessoa que ela se quer conhece em sua casa. 


S/n - Não. É um aviso. - Fala firme, e depois rindo da minha cara. 




Vou colocar essa mesa mas para cá, a que ficava no centro da sala, colocando algumas almofadas ao seu redor. Indo para cozinha, escolhendo pratos e copos em tamanhos, formas e cores diferentes, mas combinam entre si, e que davam um efeito diferente ao visual da mesa. Vendo que ela chegará daqui a pouco, ela saiu às cinco horas da tarde. Vai dar seis, então dará tempo de fazer algo para ela. Vou em direção a geladeira novamente, vendo que tinha algumas coisas que posso fazer para a mesma comer, uma forma de agradecer por mim deixar ficar aqui. Outra pessoa com certeza não iria deixar, ia ligar para uma ambulância quando me visse machucado, ou para a policia após me ajudar. 


Temaki de salmão com cream cheese e cebolinha, acho que ela vai gostar desse prato pois ela me disse que gostava de Temaki. Cortando cebolas, e o salmão para depois poder misturar com cream chesse. Tinha uma folha de alga, que são vendidas no supermercado. Tem vários pois ela ama Temaki, vou deixá-lo como sobremesa. Espalho o arroz pela alga, pelo menos em uma metade. Coloco o recheio que fiz com o salmão com cream chesse e cebolas em cima do arroz e segurando a ponta inferior no lado esquerdo da alga começando a enrolar o Temaki. Bom não ficou parecendo, um daqueles que compramos em algum lugar daqui de Tóquio. Também peguei uma bebida chamada, Amazake. Tem várias na geladeira, então s/n teve gostar desse. Já sei o que fazer... 


            Fushiguro Of

  

                 S/n On 



 – Você é o Senhor Satoru Gojo?! – Pergunto, Para as pessoas que estava de costas para mim. Eu sair de casa, por isso após vim do crematório. Quando me ligaram ouvir alguém no fundo falar esse nome, depois de um tempo descobri quem era. Havia um garoto rosado, e uma outra garota, aposto que estavam esperando alguém. Escuto sussurarem perguntando quem eu era, enquanto Satoru se virava para mim. 



Satoru – Sim? – Diz, é percebo que ele usava um tipo de faixa no rosto não conseguindo ver os seus olhos. Enquanto as pessoas atrás do mesmo nos olhava atentamente.



– Eu sou S/s S/n... Filha do casal que morreram. – Falo sem expressão, enquanto ele parece um pouco surpreso mas logo abrindo um sorriso. E as pessoas atrás de si, sussurravam surpresos. – Eu quero saber o que aconteceu... Quando vocês descobrirem, Claro.


?? – Nós não podermos dizer nada para você. – Responde a garota, que parecia ser muito arrogante e acreditar ser superior.


?? – Calma kugisaka, Ela só quer saber o que aconteceu com os seus pais.


– Então...? – Pergunto para Satoru, sem ligar para o que eles estavam falando.


Satoru – Bem, eu acredito que você deva saber. Há uma maldição, que é um tipo de "impostor". Ela "mata" as pessoas pegando o corpo, e aparência da mesma. Então acreditamos que foi isso que aconteceu, e que você seja a próxima vítima ou... – Diz mas não continua, já sei o que ele quer dizer com isso ...


 

– Ele quer algo comigo...? Vingança? – Pergunto enquanto ele sorri, e os outros ficam surpresos com o que havia conseguido pensar em pouco segundos. – Ou ele pode está atrás de algum objetivo, e para conseguir ele terá que fazer algo comigo.


Kugisaka – Isso faz sentido, Você não é tão idiota como parece. – Fala e se levanta caminhando em minha direção e começando a fazer várias perguntas. – E se você for essa maldição? É está nos enganando para algo maior?! Como poderemos confiar em você?



– Eu nunca pedi para confiarem em mim, e se você pensa que eu estou te enganando. É problema seu, não te devo explicações. Sabe não tenho motivos para matar os meus pais...


Kugisaka – Claro que você tem, você é...


Satoru – Nobara... Não precisa se preocupar com isso, vamos tentar fazer o possível para não acontecer nada com você. – Fala, é me viro sem falar mais nada. 


...



  (Itadori On Temporalmente) 



Kugisaka – S/n... É ela?! – Pergunta vendo a garota sair sem menos falar um até mais tarde. – Deveriamos matá-la.


– Ela parece legal, acho que ela se daria bem com o Fushiguro. Vocês viram ele está meio estranho, desde daquele dia que ele apareceu. – Falo, me lembrando que ele estava estranho nesses dias. – Ela, O quê? Matar? Matar um inocente?!



Gojo - Nobara, esse assunto é só com os professores. Você ouviu alguma conversa?! – Pergunta, é kugisaka se assusta um pouco com a pergunta.



Kugisaka – Um mês ou dois meses atrás, eu e Fushiguro estávamos passando e ouvimos a conversar nós não queríamos ouvir. Mas foi na hora que vocês falou o nome dela. 


Gojo – É que nós não falamos isso, Para vocês. Estávamos pensando se diria, ou ficávamos para nós. – Fala se virando para encarar eu e kugisaka, olho para os mesmo curioso. – Bem... Ela é... 


                (Itadori Of) 

                 

  (S/n On temporalmente)  



Pego o meu celular rápido tremendo levemente, ao ver o escuro que estava na rua. Ligando para a pessoa que morava por perto. 


– Ei!! Venha aqui, agora. Tem alguém me seguindo. – Desligo o celular, começando a correr escutando os passos não muito longe de mim, aumentarem. A pessoa também está correndo, olho para trás vendo que havia uma sombra. Vendo um sorriso diabólico aparecer no rosto do desconhecido, Eu preciso sair daqui; Penso correndo mais rápido, mais já era tarde demais. 


... 

   

           Autora On



S/n – Cheguei. – Fala, sentindo um cheiro delicioso pela casa toda.


Fushiguro – O quê?! – Pergunta estranhando a roupa que a mesma está vestindo, e porque ela não gritou "cheguei caralho"; Se perguntava Fushiguro..


S/n – Fushigurooo! Cheguei, Caralho!  – Grita, quase derrubando a porta 


S/n – Eu não sou a S/n, Eu sou... 


Continua... 



Notas Finais


Acho que ficou muito curto, mas não tive muitas ideias para esse capítulo.
Mas vou tentar ter várias para o próximo capítulo, Ok? Então é ela mesmo?!
Obrigada pelos favoritos, até a próxima.
Bye<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...