História Suna Love - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kankuro, Temari
Visualizações 126
Palavras 2.960
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


VOCÊS NÃO ESPERAVAM POR ESSA HEIN???

Tia Cho está de volta para terminar mais um fanfic. Pra ser bem sincera eu nem estava pensando nisso, mas a Arê me subornou com mais Kinder Ovo e agora estamos aqui.

Suna Love foi a escolhida por estar mais próxima do fim. Então, aproveitem esse capítulo de muito amor e pegação!

Obrigada a todos que não desistiram da fanfic e estiveram aqui torcendo pra que eu criasse vergonha na cara.

Aparentemente, a última vez que eu postei um capítulo aqui foi em julho de 2012, então... Eita porra... hahahahaha

Capítulo 15 - Capítulo 15


Neji queria saber porque ainda perdia o seu tempo. Era óbvio que todo mundo em Suna estava louco, provavelmente no cio. Queria saber porque estava se deixando levar desse jeito por Ino!

Devia ter esperado algo do tipo. Ino nunca o deixaria sair impune, não depois que ele a beijou e saiu andando. Devia ter esperado, mas não tinha se preparado.

Não devia sentir-se daquele jeito por causa de Ino. Aquilo não ia terminar bem. Ele ia ser mais um dos casos dela e ela ia... Provavelmente esquece-lo no segundo seguinte.

Não que isso o preocupasse. Neji não tinha nada com a Ino. Não queria ter nada com Ino. Absolutamente nada.

Nem sexo.

Muito menos sexo.

Nem ia ser tão bom assim.

Provavelmente.

-Nii-san, você está bem?

Ele percebeu que estivera encarando sua xícara por um bom tempo. E estava franzindo o cenho.

Ótimo, tudo o que precisava na vida. Ainda bem que apenas Hinata estivera ali para ver o deslize.

Neji respirou fundo, antes de virar-se para a prima.

-Eu estou... -algo segurou o “bem” em sua garganta. Por algum motivo a palavra não saiu.

Hinata estava olhando para ele, levemente preocupada. Provavelmente sua prima estava chocada de vê-lo demonstrando qualquer tipo de emoção.

-Eu não sei. -ele admitiu por fim.

-O que aconteceu? -Hinata perguntou preocupada, colocando a mão no seu braço.

-Ino. -ele viu-se admitindo.

Os olhos de Hinata se arregalaram de um jeito que deixava bem claro que ela não estava esperando aquela resposta. Bom, nenhum dos dois estava esperando nada, porque Neji não acreditava que tinha dito isso para sua prima!

-Esqueça o que eu disse. -ele falou rapidamente.

-Não, Neji. Espera. -Hinata falou docente -Espera. Explica com calma. As vezes eu posso te ajudar.

Neji suspirou.

-Eu não sei se quero ter essa conversa com você. -ele admitiu por fim.

Hinata arqueou a sobrancelha.

-Por que? -ela quis saber -Por que eu sou sua prima?

-Também. -ele respondeu, porque não via razão para mentir a essa altura do campeonato -Você é minha prima, amiga da Ino... Não parece certo.

Hinata revirou os olhos.

-Eu posso ser amiga da Ino, mas eu sou sua prima antes. -ela indicou -E eu me importo com você, Neji. Eu sei que você tem essa coisa macho de...

-Ei!

-...fingir que você não sente nada. -ela continuou ignorando o protesto dele -Mas não você não precisa fingir comigo.

Neji massageou suas têmporas.

-Ela me beijou ontem. -ele admitiu.

-De novo? -Hinata perguntou surpresa.

-Eu nem vou perguntar como você sabe da primeira. -Neji bufou -Mas sim, de novo.

Hinata pressionou os lábios e fez um som de entendimento. Neji olhou para a prima confuso, porque ela estava começando a ficar vermelha, como se estivesse tentando segurar algo e falhando miseravelmente.

-Hinata-Sama?

-Foi bom? -ela solto de uma só vez.

-HINATA!

-Desculpa, mas eu tive que perguntar. -ela defendeu-se, corando fortemente -A Ino tem fama de quem beija muito bem.

Neji não acreditava no que estava ouvindo.

-Esse nem é o problema. -ele falou.

-Então qual é? -Hinata quis saber.

-Ela está brava porque eu a beijei e saí andando. -ele falou rapidamente, como se isso fosse fazer a situação inteira menos bizarra -Então isso foi que para dar o troco. Ela disse que “está longe de estar terminado”, ou algo do tipo.

Hinata suspirou.

-Bom... Eu nem sei o que dizer. -ela admitiu.

Neji não estava esperando que ela resolvesse seus problemas, nem sabia porque tinha contado isso para ela.

-Eu só posso dizer “boa sorte”. -Hinata terminou -Você vai precisar.

-Hinata-Sama!

-É verdade. -ela deu de ombros -A profissão da Ino é seduzir pessoas, Nii-san. -lembrou-o -Mas...

-Mas o que? -ele quis saber, curioso pela expressão da prima.

Era uma expressão que nunca vira no rosto de Hinata antes. Ela estava pensando em alguma coisa travessa.

-Mas... -ela alongou a palavra -Se você atacar primeiro vai pega-la de surpresa.

-Oi?

-Ino-Chan provavelmente acha que você vai se esconder dela, ou dificultar a coisa toda. -Hinata indicou -Se você der o primeiro passo, vai pega-la de surpresa.

Isso fazia muito sentido. Mas...

-Eu não quero ficar brincando de pega-pega com ela o resto da minha vida, Hinata. -Neji falou.

-E quem disse que eu estou falando disso? -ela perguntou.

Demorou um pouco demais para o suposto gênio entender o que Hinata estava insinuando. Porque, nem em mil anos, Neji ia esperar que sua doce prima fosse sugerir algo desse tipo. Para ele.

-HINATA-SAMA!

-Nós estávamos indo muito bem sem o sama. -ela falou para ele com um pequeno sorriso.

-Você não está sugerindo que eu...

-Transe com a Ino? Eu estou sim.

-Quem é você e o que você fez com a minha prima? -Neji exigiu saber.

-Neji... -ela revirou os olhos -Eu já trabalho no Esquadrão de Sedução tem um tempo, sabe? Eu não sou tão...

Neji cobriu os próprios ouvidos.

-Não quero saber.

Hinata tentou conter a risada, mas ver seu primo (normalmente tão contido e estóico) fazendo birra não estava ajudando.

-Neji. -ela pegou a mão dele -Eu só estou tentando ajudar. -deixou a voz ficar melada e dramática demais, só para ele saber que ainda era brincadeira -Eu me importo com você, meu amor.

Neji estreitou os olhos na direção dela, mas antes que pudesse responder alguém limpou a garganta.

-Gaara.

O sorriso no rosto de sua prima com a chegada do Kazekage quase fez Neji rosnar para o ruivo. Não tinha esquecido a última “conversa” que os dois tiveram. Ainda duvidava muito das intenções dele com Hinata.

Mas conhecia Hinata.

Quantos anos a observara de longe?

Mesmo quando insistia em odiá-la e planejava um dia se libertar da família, Neji vigiava Hinata. Era, na época, uma das poucas pessoas (senão a única) que sabia do que ela sentia por Naruto. Neji conhecia Hinata como a palma de sua mão.

Por isso mesmo sabia que ela estava apaixonada por Gaara.

Por isso mesmo Neji se preocupava o dobro. E se Gaara não amasse sua prima?

Bom, Konoha podia ia se preparando para uma guerra, porque o gênio dos Hyuuga ia matar o Kage de Suna.

XxX

Hinata entrou no quarto de Gaara sem bater na porta. Ele mesmo tinha dito que não era necessário.

Se bem que... Gaara estivera tão silencioso durante o jantar que Hinata se preocupara. Será que algo tinha acontecido? Agora temia que Neji tivesse conseguido incomodar Gaara de verdade com toda aquela conversa de leva-la de volta para Konoha. Talvez Gaara estivesse repensando toda essa relação deles agora que a família de Hinata se envolvera.

Porque, de qualquer jeito... Qual era exatamente a relação deles? Hinata sentia que os dois tinham conversado, mas não tinham exatamente esclarecido coisa alguma. Ela queria ficar, ele queria que ela ficasse, mas... E daí?

“Porque eu acho que te amo.”

Hinata ainda não tinha certeza se isso fora um sonho ou não. Tinha momentos em que se convencia de que fora sua imaginação, mas em outros... As vezes se perguntava se era apenas seu próprio desejo se manifestando.

O ruivo estava sentado em sua cama, olhando para as próprias mãos.

-O que houve, Gaara? -ela perguntou suavemente.

Ele virou apenas a cabeça para olha-la.

-Você ama o Neji? -ele quis saber.

-Amo. -ela respondeu simplesmente -Do mesmo jeito que eu amo a Hanabi. Que é diferente do jeito que eu amo a Ino-Chan, o Kiba-Kun e o Shino-kun. E o jeito que eu amo todos eles é diferente do jeito que amo meu pai.

Gaara não falou nada.

-Amor não é uma coisa universal, Gaara. -ela falou gentilmente, se aproximando com cuidado -Existem vários tipos de amores e nós sentimos eles de formas diferentes. O jeito que você ama seus irmãos é o mesmo que você ama Suna?

Gaara voltou os olhos para o chão.

-Eu nunca disse para os meus irmãos que os amava. -foi a resposta dele.

-Eu imagino que não. -ela deu um sorriso triste -Mas você faria tudo eles? Lutaria por eles, se sacrificaria por eles?

-Claro que sim. -ele virou a cabeça para ela de novo.

-Isso é amor. -ela indicou -E eu acho que eles sabem que você se sente assim. Mas, se um dia você puder, diga a eles que você os ama. Mesmo quando a gente sabe, é bom ouvir as vezes.

Ele levantou-se e andou até ela.

-E o que eu devo fazer se eu não souber se é amor? -ele quis saber, parando a poucos passos dela.

Hinata respirou fundo.

-Você tem que se perguntar o que você faria por essa pessoa? Quanto ela é importante para você. Você quer estar junto? Quer cuidar? A felicidade dessa pessoa é importante pra você? Mas você também tem que tomar cuidado. Querer prender, querer possuir e consumir alguém não é amor. Amor é entender que a outra pessoa é diferente de você e que ela também quer coisas.

-E se você amar alguém que não te quer? -ele deu mais um passo pra frente.

-A gente aprende a aceitar. -ela falou baixo -Porque as vezes amar é deixar a pessoa ir embora. Mas a gente não deve assumir: é melhor dizer “te amo” e ouvir “não” do que passar o resto da vida se perguntando.

Gaara pousou sua testa contra a de Hinata e fechou os olhos.

-Eu acho que te amo. -ele falou baixo -Mas eu tenho medo de estar enganado e te magoar. Eu quero que você fique por mim, não por nenhum outro motivo. Quero ficar perto de você o máximo possível.

Hinata sentiu um tremor percorrer seu corpo.

-Eu quero ficar com você. -ela sussurrou de volta -E eu sei que te amo. O resto a gente vê como fica.

Gaara respirou fundo.

-Eu não mereço você.

-Eu escolho quem me merece. E eu escolhi você.

Gaara afastou-se apenas o necessário para olhar nos olhos dela.

-Eu vou passar o resto dos meus dias te provando que eu mereço sua confiança.

Hinata jogou os braços em volta do pescoço dele.

-Você pode começar me levando pra cama. -ela propôs.

-Como sempre, seu desejo é uma ordem pra mim.

XxX

Neji não tinha ideia do que se passava em sua cabeça, muito menos de porque estava considerando a sugestão de Hinata de “atacar Ino primeiro”. Isso não resolveria nada entre eles, ou sequer mudaria a situação em si.

Seria fantástico? Muito provavelmente, mas ainda assim não resolveria nada.

Mas talvez... Talvez essa não fosse uma questão a ser resolvida. Talvez esse fosse apenas o momento de agir e no próximo dia ele veria o que devia fazer. Se é que faria alguma coisa.

Seria tão terrível assim parar de pensar um pouco e simplesmente agir?

Talvez ele precisasse de uma segunda opinião.

Tenten! Tenten ia ajudar.

Foi até o quarto da amiga e bateu na porta. Esperou um pouco, mas não houve resposta alguma, então bateu de novo.

A porta foi finalmente aberta.

Por Kankuro.

Sem camisa.

-Posso ajudar? -Kankuro perguntou.

-Esse é o quarto da Tenten. -Neji falou.

-Muito observador da sua parte. -Kankuro bocejou -Ela ta no chuveiro, você quer alguma coisa?

-Não. -Neji falou, já se afastando -Acho que eu já entendi.

-O que? -Kankuro perguntou confuso.

Neji nem respondeu. O Universo estava dando todos os sinais e Hinata estava certa: já não ia mais se esconder, era hora de partir para o ataque.

XxX

Ino estava considerando se devia bater na porta do quarto de Neji. O problema era que, talvez, ele estivesse esperando por algo do tipo. O gênio pentelho provavelmente estaria de prontidão, esperando o próximo ataque dela, então teria que ser cuidadosa.

Ela seduzia homens no trabalho, podia muito bem...

Alguem bateu na porta do seu quarto e Ino bufou antes de ir abrir. Talvez fosse Hinata procurando por um par de algemas ou algo do tipo.

Ela não esperava Neji ali quando abriu a porta. Aliás, ele se aproveitou do choque inicial dela para entrar no quarto e fechar a porta atrás de si.

-O que você...

Neji não a deixou terminar a frase, puxou-a pela cintura e beijou Ino de um jeito que, anteriormente, ela acreditava que o gênio fosse incapaz.

Os lábios dela estavam formigando quando ele se afastou.

-O que foi isso exatamente? -ela perguntou, ainda meio sem ar -Se isso for outra gracinha...

-Chega de ‘gracinhas’, chega de jogos. -ele falou sério, as duas mãos pousadas na cintura dela -Eu e você, aqui e agora... Sim ou não?

O QUE? Ele não podia estar falando sério! Neji nunca ia chama-la na chincha desse jeito.

-Ino. -a mão dele apertou a cintura dela, fazendo-a voltar a atenção para ele -Sim ou não, é fácil assim.

-Isso não é um truque? -ela perguntou desconfiada.

-E eu perderia meu tempo com um truque desses? -ele perguntou seco.

Não, porque para ele fazer algo desse tipo ele teria que ter um senso de humor, e todo mundo sabia que os Hyuugas tinham o senso de humor cirurgicamente removidos (menos Hinata). Obviamente Ino decidiu não falar isso, porque ela não ia deixar uma piadinha atrapalhar o momento.

-Então por que você ainda está vestido? -ela quis saber.

Neji revirou os olhos antes de beija-la mais uma vez. Ino sabia, pelas outras vezes, que o pentelho beijava bem, mas isso não deixava de choca-la. Não fazia sentido que alguém tão tenso beijasse com tanto ímpeto.

Ou talvez fosse exatamente isso: Neji era um gênio, mas também era dedicado. Talvez a dedicação dele se estendesse em outras áreas.

Ino estava torcendo para que fosse isso.

Neji pegou a loira no colo e carregou-a para cama sem parar de beija-la. Ino esparramou-se na cama.

-Eu estou tendo deja vu. -ela comentou -Você não vai virar as costas e sair andando agora né?

-Eu já falei que não. Você vai me perguntar o tempo todo?

-Me faz gritar seu nome que eu não vou ter como perguntar. -ela desafiou.

O olhar dele naquele momento... Se Ino fosse uma mulher ajuizada, ela fugiria.

Mas Ino não era famosa pelo bom senso.

Neji colocou as mãos no cós do short de Ino, e a loira levantou o quadril para ajuda-lo na tarefa. E ele não era chamado de gênio à toa, porque a calcinha dela foi junto na mesma puxada.

Os dedos dela estavam coçando para tirar a camisa dele (pra começo de conversa), mas ele não deu a chance. As mãos dele correram pelas pernas dela, então Ino sentiu os lábios dele na parte interna da sua coxa...

Oh.

Oooooh...

A respiração dele atingiu uma parte de Ino que estava muita interessada nessa coisa toda, mas a loira se recusava a implorar. Já era meio vergonhoso como estava empolgada com a situação, não precisava alimentar o ego dele pedindo.

Porém, Neji parecia decidido a acabar com a raça dela. Ele beijava bem demais, talvez Ino devesse ter previsto que ele também era muito bom com a língua em outros lugares.

O primeiro toque da língua dele foi só uma provocação, mas o corpo todo de Ino arrepiou-se. No segundo toque Neji já não estava mais brincando com ela; a língua dele mergulhou no corpo dela e as costas de Ino arquearam na cama.

O foco dele era incrível. Neji usou tudo que tinha para deixar Ino louca: lábios, dentes, língua, dedos... Quando ele finalmente penetrou-a com um dedo, Ino já estava se agarrando aos lençóis e gemendo sem se importar se alguém podia ouvi-la ou não.

O primeiro orgasmo a fez chamar o nome dele sem um pingo de vergonha. O moço merecia pela dedicação.

Mas ele não parou ai. Mal deixou Ino se recuperar do primeiro orgasmo, ele começou a puxa-la para o segundo, dedos trabalhando intensamente ainda dentro dela. Ino estava tentando respirar, mas parecia ser impossível. Então ele sugou o clitóris dela em sua boca, e Ino teve certeza que ela tinha visto o Paraíso.

Ou possivelmente morrido.

-Mais algum comentário, Ino? -ele perguntou e não tinha como esconder o orgulho na própria voz.

-Tira a roupa agora! -ela ordenou, embora sua voz não tivesse saído tão durona quanto ela gostaria.

Ela ignorou o risinho sonso dele e apenas levantou a cabeça para admirar o espetáculo. Sabia que Neji tinha um corpo sensacional, agora apenas teria a chance de confirmar.

Quando ele finalmente estava completamente nu (Kami abençoe esse mundo ninja deles), Ino sentou-se rapidamente e livrou-se de sua blusa (é, ela ainda estava usando a blusa).

A loira empurrou Neji, até ele estar esparramado na cama.

-Minha vez. -ela declarou montando-o.

-E o que você vai fazer? -ele desafiou.

-Fazer você gritar o meu nome. -ela prometeu, segurando o membro dele e alinhando-o, antes de descer lentamente, até que ele estivesse totalmente dentro dela.

E ele chamou o nome dela sim.

XxX

-Eu acho que isso foi um empate. -Ino declarou, horas depois.

Neji bufou.

-Eu acho que você está ofegante demais pra chamarmos isso de empate. -ele retrucou.

Ok, talvez ele estivesse certo. Ino tinha quase certeza de que não ia conseguir levantar da cama pelas próximas 24 horas, mas também não ia falar isso pra ele.

-Escuta aqui, Hyuuga... -ela se virou para olhar para ele -Uma noite não muda nada.

-Uma noite e seis orgasmos, você quer dizer, né? -ele arqueou a sobrancelha.

-Eu não estava contando. -ela teimou.

-Eu estava. -Neji assegurou-a.

Ino considerou dar um tapa nele, mas... Bom, seis orgasmos.

-Mas vamos ser honestos, Passarinho... -ela falou, um sorriso nos lábios -Foi você quem não aguentou esperar.

Neji revirou os olhos.

-Admite. -ela provocou.

Neji virou-se rapidamente, ficando por cima de Ino.

-Não, eu não aguentei. -ele falou, sua respiração contra os lábios de Ino -E agora você que tem que aguentar.

-Eu fui treinada pra isso. -Ino respondeu antes de beija-lo.


Notas Finais


E ai? Deveríamos contar o que o Kankuro estava fazendo sem camisa no quarto da Tenten??? hahahaha

COMENTEM, por favor!

B-jão


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...