História Sunday Morning - Calzona History - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Grey's Anatomy
Personagens Alexander "Alex" Karev, Amelia Shepherd, April Kepner, Arizona Robbins, Calliope "Callie" Torres, Margaret "Maggie" Pierce, Meredith Grey, Richard Webber, Sophia Robin Sloan Torres
Tags Arizona Robbins, Callie Torres, Calzona
Visualizações 75
Palavras 2.832
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Two


Callie caminhou até o parque com Sofia, que arrastou Daniel para o balanço para que ele pudesse empurrá-la. Ela se sentiu um pouco horrível pela maneira como falou com Penny, mas não havia manuais sobre como reagir a coisas assim. 

Arizona era sua pessoa. 

O amor da sua vida.

Isso não ia mudar. 

Mas isso não significava que Penny também não poderia ser sua pessoa, certo? 

Callie suspirou derrotada e sentou-se em um dos bancos. Barbara se juntou a ela. Elas assistiam Sofia brincar com o avô. 

-Isso deve ser difícil para você também.-disse ela calmamente.-Eu sei que você e Arizona estão separadas, mas não pode ser fácil.-Os olhos de Callie se fecharam com força, imagens de Arizona caindo apareceram antes que ela os abrisse novamente. 

-Eu estava lá com ela.-ela murmurou, sua voz trêmula.

-Oh? Você estava ... Ela não disse que vocês estão tentando ficar juntas.-Barbara disse confusa. Callie balançou a cabeça. 

-Nós não estamos. Eu não sabia que ela estava lá até eu chegar lá. Tivemos um jantar na Meredith. E...-ela fez uma pausa, sem saber como continuar.-Estávamos todos lá e achei que seria uma coisa boa para apresentar minha namorada aos meus amigos.-Se Barbara ficou chocada ou surpresa, não deixou transparecer. 

-E eu suponho que minha filha não era a pessoa mais sóbria da jantar?.-Uma risada escapou dos lábios de Callie. 

-Não. Eu não sei oque eles conversaram, eu estava de plantão e tive que ir trabalhar, mas quando voltei todos estavam muito sérios e havia muita tensão. Então eles me disseram que essa mulher que eu namoro estava envolvida na morte de Derek. Bem, não estava envolvida. Ela era uma dentre os médicos dele. E ele morreu porque não recebeu os cuidados adequados. E eu conversei sobre ele com ela, mas ela nunca disse nada, acho que me senti traída. E o terraço do prédio sempre foi tão tranquilo e eu precisava de um tempo para mim. 

-Você sabe que não estou te julgando.-disse Barbara.-Arizona disse que você está namorando de novo. Não há nada de errado nisso.-Callie deu de ombros. 

-Sinto que está errado. Quero dizer, Arizona ainda não seguiu em frente. E ela poderia. Mas eu gosto de Penny, as coisas têm sido fáceis com ela. Até agora.

-Honestamente, Arizona não estava esperando que você terminasse com ela. Ela me ligou no dia da sessão final de terapia e estava realmente empolgada. Ela me contou algumas coisas. Sobre vocês duas terem se reconectado.-Callie corou, seu olhar caindo no chão.-Ela ficou tão arrasada quando você disse que queria terminar. Mas ela entendeu. E para Arizona dizer que ela entendeu essa decisão tão dolorosa, isso significa muito.

-Eu não planejava nos separar naquele dia.-Callie disse calmamente, brincando com as próprias mãos.-Mas quando chegamos lá, ela começou a falar e nós duas estávamos chorando e eu percebi quanta dor nós acidentalmente causamos uma a outra, simplesmente não parecia justo para nenhuma de nós.

-Mas querida, a dor deve ser sentida.-murmurou Barbara.-Você não está sofrendo quando sabe que não tem nada a perder. Lembro-me há quase 20 décadas atrás quando Arizona saiu de casa para estudar e Timmy saiu para servir o país e, pela primeira vez, éramos apenas eu e Daniel. Eu estava acostumada a ele ter ido embora, mas ele foi promovido e teve que tirar uma folga. Foi depois de um tempo muito ruim também. Então ele começou a beber.-disse Barbara enquanto olhava para o marido, mas não havia acusação em sua voz.-Ficou tão ruim que eu quase chamei a polícia uma noite. Quando ele levantou a mão para mim e percebeu que o que estava fazendo estava errado. Então, ele se inscreveu nas reuniões de AA. E Dan não é uma pessoa que apenas faz as coisas. Ele ficou sóbrio, mas até hoje ele ainda se desculpa por isso. Você é a primeira pessoa que conto isso.-Callie assentiu, sua visão ficando embaçada enquanto lágrimas ardiam em seus olhos. Ela riu e rapidamente enxugou as lágrimas.

-Eu não sei por que estou chorando.-ela se desculpou sem jeito.

-Tudo bem ainda amá-la. E tudo bem amar duas pessoas ao mesmo tempo.-Barbara disse como se soubesse exatamente como Callie estava se sentindo.-Mesmo se você estiver separada de uma.-Callie olhou para Sofia para se certificar de que estava jogando bem.

-Como você pode amar duas pessoas ao mesmo tempo?.-Ela não tinha certeza se ela amava Penny ainda.

-Você nunca esquece seu verdadeiro amor.-Barbara disse e sorriu.-Dan e eu éramos bastante jovens quando nos casamos. E ele foi enviado para uma missão logo após o casamento, então fiquei sozinha por quase dois anos. Um jovem bonito se mudou para uma casa ao lado e, como boa vizinha, fiz uma torta para ele, e o trouxe para minha casa para dar as boas-vindas ao novo vizinho. Ele era uma pessoa legal. E muito tranquilo.-brincou Barbara e piscou para Callie.-Passamos muito tempo juntos, geralmente apenas conversando. E nos apaixonamos. Agora, não nos beijamos ou nada porque eu já era casada e os tempos eram diferentes naquela época. Mas tínhamos uma conexão maravilhosa e naquela época eu só podia conversar com Dan através de cartas. Assim, quando a data de retorno de Daniel se aproximava, eu estava com medo de que ele voltasse e eu não sentisse mais o mesmo por ele. Eu estava tão errada. Quando ele voltou, eu fiquei tão feliz. E percebi que enquanto ele estava fora, fiz quase uma cópia dele. E que o vizinho simplesmente me lembrou do meu marido.-Callie lembrou-se do que disse a Alex. Como Penny era Arizona antes do acidente de avião.

-Eu gostaria que você viesse visitá-la com mais frequência.-disse ela.-Sofia está tendo dificuldades ultimamente. Ela parece tão feliz hoje.

-Eu posso entender isso. Ela tem uma vida difícil para uma garotinha.-Barbara murmurou.

-Quando a ambulância saiu e um policial começou a fazer perguntas, ele me perguntou se ... se ela era suicida. Se ela queria cair do telhado. E isso parece tão errado. Ela ama a vida. Não parece certo dizer que ela iria desistir das coisas.-admitiu Callie.

-Eu gosto de acreditar que minha filha lutaria. Irá lutar. Pela Sofia. E você.-Callie assentiu. 

-Espero que sim.-ela murmurou. Sofia correu em sua direção e um pequeno sorriso apareceu em seu rosto quando Sofia pulou em seus braços.-Você se divertiu brincando com o vovô?.-Sofia sorriu, assentindo com entusiasmo.

-E ele prometeu sorvete.-Callie sorriu para Daniel, que limpou a garganta e começou a olhar em volta para que ele não fizesse contato visual. 

-É melhor tomarmos aquele sorvete antes que comece a chover.-disse ela, pegando a mão de Sofia e se levantando.

 

Uma semana se passou sem alterações significativas nas condições de Arizona. Ela ainda era crítica, mas seus ferimentos físicos estavam se recuperando lentamente e sua pressão arterial estava estável. Depois de três dias, seus pais foram embora e Callie voltou ao trabalho como se nada tivesse acontecido. 

Mas não ajudou saber que Arizona estava na UTI pela qual ela passava a cada hora. Ela ainda não a tinha visto. 

Sofia também sentiu febre por causa de um resfriado que pegou e ficou muito infeliz por sua mãe não estar lá para confortá-la. Callie também não estava muito feliz em deixá-la com uma babá. 

-Estarei em casa rapidamente.-prometeu a filha doente e beijou a testa.

-Mamãe?.-Sofia fez beicinho.

-Ela está melhorando.-disse Callie. Não era uma mentira total. Arizona não estava piorando pelo que  tinha ouvido.-Eu te amo pequena princesa.

-Também te amo.-Sofia murmurou sonolenta. Callie colocou a filha na cama e sorriu para a babá antes de sair para o trabalho. Isso a despedaçou e ela mal teve tempo para Penny. Antes, as coisas eram mais fáceis. Elas se viam quando podiam, conversavam ao telefone todas as noites, mandavam mensagens constantemente. Mas agora a mente de Callie estava mudando entre Sofia, Arizona e seu trabalho. No entanto, ela não podia evitar Penny no carrinho de café.

-Calliope.-Penny disse com um sorriso hesitante. Callie sorriu de volta, tão nervosa. 

-Oi. Desculpe não ter ligado ontem à noite. Sofia ficou doente e eu tive que passar por seis filmes de animação e depois houve uma situação de vomito.

-Eu entendo.-disse Penny.

-Como está o trabalho?.-Callie perguntou de repente, bebendo seu café quente. Penny deu de ombros. 

-Desconfortável. Mas é compreensível. Como está uhm ... Arizona?.-Callie lambeu os lábios. 

-Eu não sei. Ainda não fui vê-la e só estou esperando ela acordar ou algo assim.-Ela lembrou quando Mark acordou. E então ele começou a ficar mais fraco até falecer. O pager de Callie disparou e ela suspirou. 

-Vejo você no almoço?.-Penny assentiu e Callie se inclinou para um rápido beijo nos lábios. Callie se vestiu rapidamente e entrou na sala de trauma 2. Meredith já estava trabalhando em um homem mais velho que foi atropelado por um carro enquanto tentava atravessar a rua. 

-Quais são os ferimentos dele?.-Meredith não disse nada. Na verdade, ela nem olhou para ela. A mandíbula de Callie se apertou. Então agora Meredith estava brava com ela? Ela bufou e deu uma olhada nos machucados. 

-Oh, ele definitivamente vai precisar de cirurgia. Seu quadril está completamente esmagado. E seu joelho também parece ruim.-Ela olhou para Meredith, esperando por qualquer coisa.-A sério?.-Callie exalou alto.-OR 1.-disse ela à enfermeira.

-OR 2.-Meredith a corrigiu.-Eu não quero a galeria.-Callie cerrou os dentes. 

-Bem, eu quero OR 1.

-Ele tem um diafragma rompido e há um sangramento.-Meredith assobiou. Os olhos de Callie ficaram quase pretos de raiva. Ignorando os olhares e sussurros, Callie fala firmemente.

-Bem, quando você terminar sua cirurgia, divirta-se dizendo que ele está perdendo a perna porque o suprimento para a perna direita está sendo cortado.-Callie tirou as luvas, um gemido alto escapou de sua garganta assim que ela saiu da sala de trauma. Ela queria quebrar as coisas. Chutar alguma coisa. Maggie viu Callie saindo da sala de trauma feito um furacão.

-Ei, por que você está tão chateada?

-É sua maldita irmã.-Callie cuspiu com raiva.

-Oh.-disse Maggie, dando um passo para trás. Callie exalou alto. 

-Desculpe, não é você. É só que ... Não é minha culpa que Penny estava lá quando Derek morreu. Eu não sabia disso até depois de todos vocês. E eu odeio ser julgada por isso.

-Você falou com Mer sobre isso?.-Maggie sugeriu.

-Oh, como é que eu não pensei nisso? Claro que tentei, mas ela me ignora.-disse Callie, seu tom ficando mais alto. Meredith levou o paciente para fora da sala de trauma. 

-Or 1. Esteja lá em dez minutos.-ela ordenou, olhando passar por ela. Maggie sorriu. 

-Viu? um passo de cada vez. Ela disse alguma coisa. Agora você se acalma e diz alguma coisa para ela.-Callie revirou os olhos. 

Ela observou Meredith pegar o elevador enquanto descia as escadas. Elas estavam se comportando como duas adolescentes que gostavam do mesmo garoto. Exceto agora que Callie tinha o potencial de se apaixonar por uma mulher que Meredith acusou ter tirado a vida do marido. Callie entrou na sala de lavagem e não disse uma palavra. Ela esfregou em silêncio, a tensão quase a deixando louca. Callie entrou na sala de cirurgia e se vestiu. Ela nem esperou Meredith. Ela simplesmente começou sua parte.

-Por que você não me esperou?.-Meredith gemeu. 

-Ele já está perdendo sangue.-Callie fechou os olhos por um segundo, nem uma única palavra saindo de sua boca.

-Oh, então agora você está me dando o tratamento de silencio?.-A mandíbula de Callie se apertou. 

-Bem, parece funcionar para você.-Ela soltou uma lufada de ar antes de se concentrar no paciente. Sua parte da cirurgia duraria cerca de 3 horas. Callie não tinha ideia de como dividir este quarto com Meredith por tanto tempo em silêncio. O coração do homem de 80 anos começou a ceder e sua pressão arterial estava no fundo do poço.

-O que você fez?.-Meredith perguntou. Callie gemeu. Isso estava um inferno. Ela verificou a pélvis do homem e depois o resto da perna direita. 

-Ele está sangrando na parte interna da coxa. Pendure outra unidade de sangue.-E então Callie fez sua parte. Ela passou o bisturi ao longo da coxa dele e um jorro de sangue derramou sobre ela e seus sapatos. Ela não se importava. Mas Meredith sim.

-Você não poderia me avisar?.-Callie riu, mas não foi porque ela pensou que suas situações eram engraçadas. Era mais como um sopro rápido de ar pelo nariz. 

-Não é como se alguém tivesse me avisado.-E de repente Meredith percebeu que não estavam mais falando em cirurgia. 

-Você a trouxe para minha casa. Minha casa. Onde meus filhos sem pai moram. E ela é responsável por isso!

-Você acha que ela não sabe disso? Você acha que ela gosta de ser atacada assim? E eu não sabia. Todo mundo sabia antes de mim. E não é como se eu não tivesse falado com ela sobre meus colegas de trabalho e amigos.-Callie começou a explicar com raiva, enquanto trabalhava no quadril do homem.-O nome Derek Shepherd não deveria ter sido estranho para ela. Mas nem uma vez ela disse que o conhecia. Ou você. Porra.-ela rosnou, usando sua força para quebrar a barra de metal ao meio. 

Os olhos de Meredith se arregalaram. Callie zangada era uma Callie perigosa e ela não queria mexer com alguém que sabia como usar um osso. 

-Então, talvez não tenha sido sua culpa. Mas para trazê-la para o hospital e agora tenho que ser sua mentora? Não posso ensinar a pessoa que matou meu marido. E você deveria saber disso Arizona está em coma.

-Isso é diferente. Arizona e eu estamos separadas. E ela está recebendo os melhores cuidados médicos do país.-disse Callie.-Você está dizendo que nunca cometeu um erro? Porque se bem me lembro, você deixou cair um rim. Felizmente, o paciente viveu. Isso poderia acontecer com todos.-Meredith olhou para Callie. 

-A primeira coisa que eles ensinam na faculdade de medicina é sempre procurar lesões na cabeça e na coluna vertebral. Porque não importa se o baço está sangrando ou se você quebrou a perna quando entra lentamente em coma ou paralisa ou ferimentos no pescoço.-Callie balançou a cabeça. 

-Estou cansada demais para discutir isso. Aconteceu. Não posso trazer Derek de volta e nem Penny. Ele também era meu amigo. Passamos muito tempo juntos nos últimos meses. É certo que discutimos principalmente mas ele era meu amigo. Ele era um de nós. Ele é um de nós. 

-Eu não posso ensiná-la.-Meredith disse, sua voz mais calma agora.-Porque toda vez que olho para ela, fico com muita raiva. E penso nos meus filhos. E simplesmente não posso ensiná-la. Não posso ser sua mentora.

-Eu entendo.-Callie murmurou.-Eu não sei por que ela foi transferida. Eu não sabia que ela estava vindo trabalhar conosco.-E quanto mais ela pensava sobre isso, mais parecia que Penny tentava se aproximar de Meredith e não dela.

-Chega de discutir sobre Penny?.-Callie assentiu. 

-Chega de discutir sobre Penny.-ela concordou, com os ombros tensos caídos. Houve um longo silêncio. Mas desta vez à vontade enquanto trabalhavam na paciente antes de Meredith falar novamente. 

-E Arizona? Você não foi vê-la ainda.-afirmou. Callie olhou para ela chocada.

-Você foi?.-Meredith assentiu. 

-Todos nós fomos. Como você disse, ela é uma de nós. Ela parece melhor se isso ajudar. E ela está viva. Ela só precisa acordar. Você quer que ela acorde, certo?

-Claro que sim! Temos uma filha juntas. E não é como se eu parasse de me importar com ela. Eu sempre vou me importar.-disse Callie. Houve murmurinho na galeria e as duas olharam para cima. Callie xingou baixinho enquanto vislumbrava Penny antes de desaparecer da galeria. Callie parecia relutante. Ela estava quase terminando sua cirurgia, mas ela realmente precisava falar com Penny. Seu pagers disparou.

-Doutora Torres, é seu.-a enfermeira disse. Callie virou a cabeça para olhar para o pager.

-Tudo bem. É uma emergência?

-É a doutora Robbins.-disse a enfermeira. Callie olhou para as mãos ensanguentadas e depois para a paciente antes de olhar nos olhos de Meredith. Meredith sentiu sua hesitação. 

-Vá. Vou trazer Wilson aqui embaixo. Ela fez essas coisas com você. Ele vai ficar bem.-ela a encorajou.

-Ok.-Callie suspirou antes de tirar as luvas e mal teve paciência suficiente para derrubá-la e jogá-la na lixeira. 

Ela correu para a UTI, correndo nas escadas, o elevador iria demorar muito. Seu coração começou a bater mais rápido e ela ficou cara a cara com Amelia. O rosto de Amelia estava sério, seus olhos preocupados. Callie sentiu seu coração bater com força.

-O que houve?

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...