1. Spirit Fanfics >
  2. Sunset >
  3. Extra: Você não está.

História Sunset - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, como estou com um lindo bloqueio criativo eu vi isso largado no meu bloco de notas e resolvi postar, isso pq era para ter sido colocado no primeiro capítulo (Eu tirei não sei pq)

Boa leitura:)

Capítulo 2 - Extra: Você não está.


3 anos se passaram, Katsuki estava formado, estava começando a trilhar seu caminho como um pro-hero, ele ajudou Izuku em sua recuperação, agora ambos tinham o plano de alcançarem a posição número 1 no ranking de heróis.

     Tanta coisa aconteceu nesses últimos anos, as vezes Katsuki só queria chegar em seu apartamento e ver Shouto lá, queira falar com ele... No início não pareceu tão doloroso, mas com o passar dos dias, semanas, meses, tudo parecia machucar, as lembranças super felizes de antes agoram vinham com uma dose pesada de nostalgia, saudade e muita, muita dor.

     Todos os dias depois da patrulha Katsuki é recebido pelo Chu' o gatinho que adotou, e pelas várias fotos de Shouto espalhadas pelo apartamento, ele quis deixar cada foto impressa, tinha medo de um dia esquecer como era o rosto dele, o sorriso. A voz de Shouto já estava desaparecido de suas lembranças, já teria sumido se não fosse pelos videos gravados ou pelos audios do bicolor murmurando alguma canção.

    As reuniões da turma pareciam tão vazias, tão melancólicas apesar dos sorrisos e abraços.

   3 anos e Izuku ainda tinha vontade de voltar no tempo, ele se culpava por não ter acordado antes, queria tanto ter visto Shouto, queria tanto ter falado com ele pela última vez.
- Izu, vai para a reunião hoje? - Ochako se arrumava  em frente ao espelho, era mais um encontro da 1-A. - Não, eu estou bem cansado, mas divirta-se. - ele selou os lábios da acastanhada e seguiu para o quarto, talvez fosse mais uma das noites em que ele se culparia por ter de alguma forma deixado Shouto partir triste.


    Estava tarde a noite estava estrelada, Katsuki ouvia o burburinho das ruas, respirava fundo a cada passo dado, a entrada do cemitério estava muito bem iluminada em contraste com o silêncio paroquial que fazia, ele caminhou em passos apressados até o túmulo de Shouto, em noites assim, quando ele se sentia sobrecarregado demais ele ia conversar com Shouto, era patético na visão dele, mas o aliviava.

    Katsuki sentou na grama colocou os fones, murmurava partes da letra enquanto seu cérebro era bombardeado de memórias e sua saudade se transformava em lágrimas. - Eu acho que estou sim dançando sozinho no escuro. - ele murmurou baixinho com o pesar na voz.  - Somos dois. - Katsuki levantou o olhar vendo Izuku parado a sua frente, seu sangue ferveu, fazia um tempo que ele não conversava com Izuku. - O que faz aqui Deku, não tinha reunião da turma hoje? - O esverdeado suspirou
- Eu não consegui ir. -  Izuku se sentou perto de Katsuki e acendeu um cigarro.
- Ele iria odiar isso. - O loiro resmungou e o esverdeado sorriu  - Sim ele ia. - ficaram em silêncio, um esperava que o outro falasse algo.

- Eu estou noivo. - O rapaz de olhos esmeraldas disse soltando a fumaça presa em seus pulmões  - Que bom, meus parabéns. - Katsuki respondeu sem nenhuma emoção na voz, nem sarcasmo, fazia um tempo que ele estava anestesiado. - Ochako quer que eu te chame para ser padrinho. - Katsuki respirou fundo e esticou a mão pedindo o cigarro, deu um trago  - Se quiser eu posso ser seu padrinho de casamento.

    E disso não saiu, falaram sobre mais coisas do dia a dia até Izuku ir para casa, Katsuki acreditava que não resgatariam a amizade tão cedo, ainda doia pensar que foi apenas um step, no fundo ele sabia que Shouto o amou sim, mas a dor assim co o o amor cega as pessoas, ele folheou o bloquinho de notas, releu cada palavra, sorriu e chorou com cada anotação, até que caiu uma folha rosada que ele nunca tinha visto antes, talvez pela pressa em ler nem viu que tinha esse bilhete extra.



   Katsuki, isso era para ter sido escrito na página final, mas não coube, então coloquei nessa folha extra. Isso pode soar bem estranho, mas de alguma forma eu quis deixar isso registrado, tenho certeza de que você pode pensar que eu não te vi do jeito que você queria ser visto, porém que fique bem claro que eu vi sim, cada gesto fofo, cada sorriso, cada demonstração de afeto que você me deu, eu vi, senti e amei. Eu me apaixonei por você, eu gostei de você... Não sei se quando a gente morre nós esquecemos da nossa vida, mas se não esquecer pode acreditar que eu ainda te amo muito, muito e se eu tiver esquecido da minha vida quando você chegar aqui, tenho certeza de que vou me apaixonar por você outra vez, outra vez e outras milhares de vezes.
~ Shouto (O que espera não te esquecer jamais)


    3 anos depois Katsuki achou essa folha perdida que tirou de vez todas as dúvidas que tinha, estava quase amanhecendo quando ele saiu do cemitério, naquele início de manhã que ele esbarrou em alguém e pela primeira vez em anos seu coração acelerou e seu estômago se encheu de borboletas, seus olhos avermelhados encontraram um par de olhos azulados como o céu em um dia sem nuvens.


     Katsuki formou sua família, conquistou várias coisas em sua carreira profissional, viveu cada segundo de sua vida, viu Izuku casar, ter seus filhos que com a bênção de algum ser divino não naceram a cara do pai, já que seria uma pena ver aquelas pobres criaturinhas fofas com a cara de bunda de Izuku, era isso que ele pensava, e quando o dia chegasse ele estava pronto para rever Shouto e dizer bilhões d vezes que o amava e se Shouto não lembrasse de nada ele estava pronto para reconquista-lo, Katsuki tinha dois amores e sua companheira de vida não tinha problemas em ouvir as histórias do garoto misterioso de cabelos bicolores que Katsuki amou no passado, na verdade ela adorava ver o sorriso do marido quando ele falava sobre Shouto.


    E depois de muitos e muitos anos, com grandes aventuras vividas, uma família que sentiria saudade, mas que estava feliz Katsuki se foi, suas rugas que tinham ótimas  histórias para contar haviam sumido, sua coluna que já não era tão ágil e sua memória meio falhada já não eram as mesmas, ele sentiu o vigor da adolescência voltar ao seu corpo, quando acordou estava em um jardim com o céu azul e poucas nuvens com um lago gigante a sua frente.

   Confuso era o seu estado atual, como chegou ali ele não sabia, onde estavam suas coisas, casa, amigos, ele tinha isso?

- Oh, é novo aqui? - Ele virou e viu um ser que mais parecia um anjo, cabelos divididos entre vermelho e branco, pele alva que parecia ser tão leve ao toque, os olhos biclores, um azul como o céu e o outro cinza como um dia de chuva. - S-sim eu acho. - Katsuki franziu o cenho - Eu te conheço de algum lugar. - O garoto bicolor também franziu o cenho  - Eu tenho a mesma impressão, engraçado, bem meu nome é Shouto, você lembra seu nome? - O loiro piscou algumas vezes, o nome Shouto ecoou em sua mente, ele nem respondeu só abraçou o rapaz a sua frente com um sorriso gigante. - Olha eu aprecio o gesto, mas... - Katsuki, meu nome é Katsuki. - Shouto abriu a boca para falar, mas nada saiu. - K-Katsuki! - Shouto abraçou o loiro de volta logo se desvencilhou do abraço e deu um tapa no pescoço do loiro. - Eu disse para viver muitos anos, idiota! - Katsuki olhou confuso para o bicolor. - Mas eu vivi, caramba! - Shouto olhou mais confuso ainda para o loiro. - Ãhn! - Katsuki rebateu o olhar - Ãhn!  - Os dois riram logo em seguida, Shouto se jogou nos braços do loiro e ambos caíram na grama. - Eu te amo Katsuki Bakugou! - Katsuki apertou o rapaz em seus braços  - Eu te amo Shouto Todoroki!

     Nenhum dos dois estava dançando sozinho no escuro, Katsuki falou sobre o que lembrou de sua vida e Shouto escutou tudo com um olhar bobo e um sorriso crescente nos lábios. - Para de olhar estranho pra mim. - Katsuki bufou irritado e Shouto riu  - Perdão, é que você fica fofo animado. - Katsuki encarou o bicolor e o puxou suavemente para perto, juntou os lábios, separam do beijo com uma reclamação  - Não na frente das crianças! - - Uma moça de cabelos longos com uma prancheta na mão apontou para o outro lado do lago, onde tinham crianças brincando. - Perdão. - Shouto murmurou e a moça sorriu. - É brincadeira! - Ela saiu rindo e os dois ficaram se olhando. - Ãhn?
- Ãhn?! - Shouto e Katsuki murmuraram ao mesmo tempo e caíram na gargalhada.

 


Notas Finais


Eu também não sei o que aconteceu aqui, eu não achei tão ruim e como não sei quando vou postar algo novo resolvi postar, nem foi revisado, é só um extra que não muda nada a primeira parte.

Bjs- 🔮❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...