1. Spirit Fanfics >
  2. Sunshine - Bellamione >
  3. Capítulo 1

História Sunshine - Bellamione - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo 1


Harry e Rony conversavam sobre estarmos na mira dos observadores (sequetradores), enquanto eu estava polindo a espada de Godric só para ter algo para fazer.

- Alguns deles são tão maus quanto comensais da morte – disse Rony – Gui disse que muitos deles são realmente perigosos, eles falaram isso no Potterwatch.

- Onde? – perguntou Harry

- No Potterwatch, eu não contei como é chamado? O programa da rádio que eu vivo tentando ouvir, é o único que fala a verdade sobre o que está acontecendo. Eu realmente queria que você ouvisse, mas não me lembro como...

Rony passou noite após noite usando sua varinha para sintonizar na estação da rádio, mas sempre sem sucesso.

Harry e eu estávamos sentados na frente da barraca, quando Rony veio gritando de dentro.

- Eu consegui! – disse ele – a senha era Albus, entrem aqui.

Nós entramos correndo e paramos perto do rádio.

"... desculpem por nossa temporária abstinência do ar, mas muitos bruxos fizeram denúncias avisando os comensais da morte sobre nossa localidade..."

- É o Lino Jordan! – comentei

- Eu sei – disse Rony – legal não é?

"...agora nos encontramos em outro lugar seguro e tenho o prazer de dizer que dois fantásticos rapazes se juntaram à mim está noite..."

"Boa noite, River"

- River é o Jordan, eles usam codinomes, mas nós reconhecemos pela voz...

- Cala a boca, Rony. Queremos ouvir. – falei irritada

"...lamentamos informar que o corpo de Bathilda Bagshot foi encontrado em Godric's Hollow e a ordem da fênix afirma que seu corpo continha marcas e feridas causados por magia negra. Gostaríamos de convidá-los à ficar em silêncio pela morte de Ted Tonks, Dirk Cressweld, Gornuk e por último, mas não menos importante, a família de trouxas..."

O desespero tomou conta do meu corpo, senti a ansiedade sugar todo o ar dos meus pulmões, senti que iria desmaiar... até que ouvi o sobrenome da família, não era a minha. Não pude evitar de sorrir, é egoísmo da minha parte ficar feliz em saber que não foi a minha família? – rapidamente me repreendi

"...e nós vamos chegando ao final de outro Potterwatch, faremos de tudo para transmitir novamente, mas fiquem tranquilos nós voltaremos, a próxima senha é Olho Tonto, mantenham um ao outro seguros, tenham fé, adeus..."

O rádio parou de tocar e ficou mudo, as luzes atrás do painel se apagaram. Mantivemos nossos sorrisos por ouvir aquelas vozes familiares, durante todo esse tempo de isolamento eu tinha esquecido que outras pessoas estavam resistindo à Voldemort, foi como acordar de um sono profundo.

- Bom não é? — perguntou Rony

- Excelente — disse Harry

- É tão bravo da parte deles, se eles forem encontrados... – falei apreensiva

- Mas eles não ficam parados, eles continuam se movendo, não é? – disse Rony

- Vold... – Harry ia falando quando o interrompi com um grito após ver um grupo de saqueadores – Harry, não! – Harry parou de andar e me olhou assustado

- Eu te disse, eu disse, temos que colocar uma proteção em volta de nós – eu estava me tremendo de tanto nervosismo – AGORA MESMO! Como eles nos encontraram?

- Temos meia dúzia de varinhas apontadas para vocês, é melhor não tentarem nada! – Minha reação foi azarar Harry para que ele ficasse irreconhecível. Ele caiu no chão em agonia, incapaz de enxergar. Em segundos mãos desconhecidas os seguravam. Rony resistiu e levou um murro. – Não! Deixe-o em paz, deixe-o em paz!

- Seu namoradinho vai ter algo bem pior se ele estiver na minha lista – disse uma voz assustadoramente familiar – Garota gostosa, um prazer, aprecio e muito suavidade da sua pele... – meu estômago revirou, reconheci a voz, Fenrir Greyback, o lobisomem que foi permitido como comensal da morte.

- Revistem a tenda! – disse uma outra voz enquanto Harry era jogado de bruços no chão seguido de Rony. – Agora vamos ver o que temos aqui, disse Greyback olhando para Harry – Vou precisar de cerveja amanteigada para superar a feiúra desse aqui. O que aconteceu com você?

- Picado – Harry murmurou – Fui picado.

Greyback se aproximou de Harry desconfiado e tirou o cabelo do mesmo da testa, revelando a sua famosa cicatriz de raio.

- Ora, ora. Parece que encontramos o Potter! E você só pode ser Hermione Granger, a sangue ruim nojenta – disse Greyback apontando para mim – E você, ruivo, cara de bocó. Um Weasley, ou melhor, Ronald Wessley. – disse ele sorrindo – Imagino o quão agradecido o Lorde das Trevas ficará.

Eles desaparataram, nos levando. Abro meus olhos e vejo que estamos em um lugar estranho, parecia uma fortaleza. Um dos sequestradores foi até o portão e o balançou. O portão começou a se contorcer, tornando-se des suas formas abstratas em um rosto amedrontador., que falou numa voz sinistra: Diga seu propósito!

- Nós temos o Potter – disse Greyback triunfante – Nós capturamos Harry Potter e os seus amigos! – então os portões se abriram e nós fomos empurrados através do portão em direção à entrada.

- O que é isso? – perguntou uma mulher

- Nós estamos aqui para ver o Lorde! – rosnou Greyback puxando Harry pela camisa, ele falou: - Eu sei que ele está inchado, senhora, mas é ele! Se você chegar um pouco mais perto verá a cicatriz. E essa aqui – ele puxou meus cabelos – Essa garota é a sangue ruim que estava viajando com ele. Não há dúvidas de que é ele. – A mulher se aproximou e Hermione pôde reconhecê-la, Narcissa Malfoy, mãe do Draco.

- Sigam-me – disse Narcissa

Chegamos em uma luxuosa sala, onda verde e prata eram as cores predominantes. Por que será né? Hermione não deixou de rir com o pensamento. Duas pessoas levantaram de poltronas diferentes.

- O que é isso? – ouvi a voz de Lucius Malfoy e senti vontade de vomitar, não sei quem é o mais nojento dessa família.

- Eles dizem que pegaram o Potter. Draco, confira se é ele mesmo. Se isso for verdade o Lorde das Trevas nos perdoará por todas as nossas falhas. – disse Narcissa olhando para Draco. Olha só o babacão do Draco é um comensal? Já sabia.

- Bem, Draco... É ele? É o Potter? – perguntou Lucius

- Eu não... Não tenho certeza – A porta da sala abriu-se atrás de mim, uma mulher falou e o tom da sua voz fez meu corpo estremecer.

- O que é isso? O que aconteceu, Cissy? – então eu pude ver, era Bellatrix Lestrange, ela estava com um vestido preto rendado. E por Merlin, ela estava tão linda. Eu não consegui evitar o meu coração de bater tão rápido. Bellatrix andou lentamente e parou na minha frente, me olhou e seu olhar parecia que conseguia penetrar na minha alma. – Essa garota é a sangue ruim? Essa é a Granger?

- Sim, essa é a Granger! – exclamou Lucius – E junto dela achamos o Potter! Potter e seus amigos, finalmente capturados.

- Potter? – disse Bellatrix virando-se para Harry – Você tem certeza? Bem, então o Lorde das Trevas tem que ser informado de uma vez por todas! – ela puxou a manga esquerda e pude ver a marca negra queimada em sua pele, eu sabia que ela estava prestes a tocá-la, quando ela disse: O que é isso?

- Espada... – falou um dos sequestradores

- dê-me isso!

- Não é sua, senhorita, é minha, fui eu quem achou!

Houve um barulho e um flash de luz vermelha; eu sabia que um deles tinha sido estuporado. Houve um rugido de raiva dos amigos dele: Scabior pegou a varinha.

- Como ousa apontar uma varinha para sua senhora? – gritou Bellatrix – Estupefaça! Estupefaça!

Eles não eram páreos para ela, mesmo que houvesse quatro deles contra ela. Ela era uma bruxa e pelo que eu sei, com uma habilidade prodígiosa e sem consciência. Os sequestradores caíram de onde estavam, todos exceto Greyback, que foi forçado à se agachar, seus braços foram estendidos. Bellatrix apertou firmemente a espada de Gryffindor e perguntou: Onde você pegou essa espada? Ela estava no meu cofre em Gringotes!

-Ela estava com eles! – falou Greyback – Liberte-me, eu digo!

Bellatrix levantou-se ofegante, olhou para a espada, examinando o cabo. E disse: Se esse é o Potter, ele não pode ser ferido. O Lorde das Trevas quer dar um fim ele mesmo ao Potter, mas eu preciso saber... Eu tenho...Eu tenho que saber. – Voltou-se para sua irmã – O prisioneiro tem que ser colocado na cela, enquanto eu penso no que fazer!

Narcissa então disse: Leve esses prisioneiros para a cela, Greyback!

- Espere... – disse Bellatrix violentamente – Todos exceto... A sangue ruim. – Eu sorri. Hermione, o que está acontecendo com você? Ela é sua inimiga, ela odeia você. Você é nascida trouxa!

- Não! – ouvi Rony dizer – Você pode ter a mim! Fique comigo!

Bellatrix acertou a face de Rony e o barulho da bofetada ecoou pela sala.

- Se ela morrer enquanto a interrogo, pegarei você – falou – Traidores de sangue são depois dos sangue ruins pra mim!

Então Greyback veio em minha direção e me libertou. Agarrou meus cabelos e me levou até Bellatrix, notei Bellatrix sorrindo malignamente para mim, meu corpo estremeceu.

- HERMIONE! HERMIONE! – Rony e Harry gritaram enquanto eram levados para a cela. Meus olhos encheram de lágrimas. Todos saíram da sala, Bellatrix e eu estávamos sozinhas.

- Olá, querida. Vamos nos divertir? – disse Bellatrix sorrindo enquanto caminhava lentamente em minha direção.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...