História Sunshine (Jikook) TERMINADA! - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias (G)I-DLE, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, EXO, TWICE
Personagens Baekhyun, Chaeyoung, Chanyeol, Dahyun, Jeon Jungkook (Jungkook), Jihyo, Jung Hoseok (J-Hope), Jungyeon, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Mina, Momo, Nayeon, Park Jimin (Jimin), Sana, Sehun, Seungri, Shuhua, Soojin, Suho, Tzuyu
Visualizações 66
Palavras 1.688
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, LGBT, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - 03


Fanfic / Fanfiction Sunshine (Jikook) TERMINADA! - Capítulo 4 - 03

O que está acontecendo comigo? Eu não estava me lembrando de nada, era quase como se fosse uma amnésia...
_____________

   Como eu não me lembrava de Jungkook? Eu i chamava de sunshine no colégio, andávamos semore juntos, mesmo que o álbum de fotos não mostre, pois odiavamos perder tempo com as câmeras, gostavamos de se divertir, ao invés de capturar momentos em uma máquina que talvez pudesse quebrar do nada, criavamos o nosso próprio mundo, nossos momentos. Jungkook sempre me ajudava, apesar de minha família se dar bem comigo hoje, no passado eles me chateavam muito. Com o tempo, fomos aprendendo e convivendo um com o outro. Eu precisava andar em cada parte daquela cidade, descobrir de tudo que eu não lembrava, tudo de bom que minha mente bloqueava, com certeza, era doentio pensar que eu estava louco e lúcido da cabeça. Fui dormir pensando na possibilidade de Jungkook me achar retardado por não lembrar de nada, na verdade, no início, ele também não lembrava.

   — Bom dia, bela adormecida.

   — Jungkook? O que você ta fazendo aqui? — falo enquanto o vejo abrir as cortinas, fazendo com que eu feche meus olhos pela dor da claridade.

   — Você acha que vai passar suas férias toda dormindo? Desculpa, mas jeon jungkook não vai deixar. — diz sentando na minha cama. — quero te levar pra conhecer minha namorada.

   — Interessante, queria vê-la. — digo coçando os olhos por conta do sono. — Ah, mas jungkook, posso comer antes? — digo com bico.

   — Claro que sim, garoto — fala rindo. — também não vou te matar de fome.

   — Garoto? Eu sou mais velho que você, respeito. — digo com cara de debochado e saio da cama, descendo as escadas.

   — Desculpa aí, idoso. — sussurra

   — Eu escutei isso, jeon jungkook!

Minha mãe fez o café da manhã, assim pudemos conversar mais e jogar papo fora, enquanto estava m preparando psicologicamente para conhecer a namorada do Jungkook. Depois de tomarmos o café, continuaram todos na mesa enquanto eu subi para me trocar. Eu estava disposto a conhecer a menina, ver como ela era e me tornar parte disso tudo, que, pelo o que vejo, jungkook queria que eu fizesse parte, então eu não ia fraquejar, ia conhecer a mulher. Alguns minutos depois eu já estava pronto, então, seguimos caminho para o carro.

   — Bom, vamos com que carro? — pergunto a jungkook.

   — Vamos com o meu, já andei no seu.

   — Tá falando que eu dirijo mal? — pergunto.

   — Claro que não, Senhor idoso. — diz rindo.

   — Me chame de Hyung, já fico satisfeito.

   — Ok, Senhor Hyung idoso. — fiquei com cara de chateado, mas alguns segundos depois rimos — então, vamos.

  Entramos no carro e falamos coisas normais e aleatórias do tipo, o clima, as pessoas que passavam na rua, os prédios, sobre nossos trabalhos... até que chegamos no restaurante em que sua namorada estava.

   — Hyung... — digo "hu?" e ele continua — ela é muito especial pra mim, mas creio qur isso não é correspondido.

   — Como assim, Jungkook? — falo rindo e tirando o cinto.

   — Você vai ver. — saímos então do carro, em direção a mesa da sua namorada.

   Ela era muito linda, de beleza inabalável e incompreendida, seu perfume rondava o restaurante todo.

   — Ohh, vocês estão aí! — ela da um abraço no Jungkook assim que nos vê, logo depositando um beijo nele, e eu fiquei encomodado, não sei por que.

   — Sim, é... Bom querida, esse é o Park Jimin.

   — Jimin, já ouvi tanto sobre você, jungkook vive falando de ti. — fala me dando a mão.

   — Sério? — pergunto e ela acena que sim com a cabeça — É por que ele me ama. — rimos e sentamos na mesa.

   — Então Shuhua, do que você trabalha? — pergunto para descontrair.

   — Sou Designer e trabalho como modelo. — isso ecplica muita coisa, como por exemplo, a beleza. — mas e você?

   — Bom, eu sou...

   — O melhor advogado de Seul. — fiquei petrificado por um instante, olhando de Jungkook para Shuhua, espantado por ela dizer. — Desculpe, eu sei tudo sobre você, e não foi o Jungkook quem me disse.

   — Okay, agora eu estou com medo. — falo.

   — Me desculpe, não foi a intenção — riu. — se eu não fosse modelo, seria detetive.

   — Você é boa nisso, amor. — jungkook disse colocando um copo de água na mesa, com um toque de brutalidade e eu pude perceber sua chateação.

   — Obrigada meu bem. — diz com um sorriso cínico. — então, Jimin, você está em dúvida sobre a sua sexualidade? — pergunta e me olha fixamente.

   — Shuhua... — jungkook diz tentando para-la.

   — Jungkook te disse isso também? — dou risada.

   — Descobri sozinha.

   — Você é do tipo que não tem segurança do macho que carrega né? — digo de saco cheio.

   — E você é daqueles que não leva desaforo pra casa né? — diz aumentando o tom.

   — Chega logo ao ponto vadiazinha.

  — Jimin? — fala jungkook.

   — Me deixa eu ver o que essa psicopata quer de mim. — digo o olhando fixo e ele recua.

   — Primeiro eu quero que você fique longe de Jungkook, pois ele também tem um lado gay e eu não quero perder ele pra você.

   — Porque? Por que eu sou uma concorrência melhor?

   — Claro que não! Por que você é homem. Me poupe, já pensou que vergonhoso seria se isso acontecesse?

   — Pois bem Shuhua, quem decide a vida é Jungkook, se eu sou gay o problema é meu, se eu me sinto atraído pelo o Jungkook ou vice-versa, o problema é nosso. Agora vai do Jungkook decidir se quer ficar com uma vadia, metidinha, preconceituosa, ignorante, psicopata, sem confiança e podre. Passar bem, foi bom te conhecer. — assim, me levanto e saio do restaurante.

   — Hyung!! — ouço jungkook me gritando eufórico — Jimin! — ao ver que não conseguia chamar a minha atenção, ele começou a berrar. — PARK JIMIN! — e então, viro pra ele pra ele parar de berrar.

   — O que foi Jungkook?

   — Desculpa, ela é ...

   — Uma vadia? Eu sei disso.

   — Descontrolada, eu queria dizer.

   — Ahh, qual é jungkook? Me poupe! Você viu o que faz com você, viu o que ela falou de você e de mim e ainda coloca ela como a boazinha? — falo descontrolado.

   — Desculpe, eu queria te avisar sobre ela.

   — Então por que não falou isso antes? Se eu soubesse, nem viria. — falo cruzando os braços.

   — Eu precisava de uma opinião sua, podemos conversar em outro lugar? — digo que sim e assim andamos pela rua.

  Jungkook tentava me destrair do acontecido, falando coisas aleatórias e me mostrando alguns brinquedos e jóias que eram vendidos na rua, mas eu não cedi, e vi que o chateei, que era o que eu não queria. Jungkook decidiu parar em um shopping, que no dia não estava tão lotado. Sentamos em um dos bancos da praça de lá, ele respirou fundo e continuou. 

— Ela é assim desde quando descobriu que eu saía pra algumas baladas, ficava mais que bêbado e às vezes eu nem voltava pra casa. — o olhei.

   — Mas isso não explica o por que dela investigar a sua vida e aos que estão ao seu redor.

   — Explica, por que eu fazia isso quando estava com ela. — respirou fundo e continuou — toda essa paranóia dela, é culpa minha. Eu saía por que ela é desinteressante, e muito chata, chega a ser agoniante. Ela não é igual você, que tem humor, e é animado pra tudo. Com ela eu não faço nada, é bem raro a gente sair, nunca mais fizemos sexo depois de alguns encontros. E antes que você pergunte, não, eu não a trai. Sério, eu não sei o que estou fazendo ainda com ela. Tenho medo de a deixar e ela continuar atrapalhando a minha vida.

   — Olha, se ela atrapalhar a sua vida, eu dou um chute naquela bunda dela. — ele riu e então continuo, — sério Jungkook, que você vai deixar ela atrapalhar a sua vida? Olha pra você, — ele abaixa a cabeça — você é um homem, um homem que tem tudo na vida, mas isso não é nada para uma pessoa que se deixa cair por uma mulher que é doida! — ele ri — tenta, pelo menos uma vez, eu prometo te ajudar. — ela fala um ok, e seguimos o passeio.

   Passamos o dia todo fora, comendo, jogando alguns jogos, lendo, dançando e cantando, foi um dia muito legal, nunca vou me esquecer.

   — É, amanhã veremos o colégio reunido de novo. — diz procurando a chave nos bolsos enquanto andavamos pelo estacionamento.

   — Será que vão estar todos lá? — pergunto.

   — O que importa? Se você estiver lá, ta tudo ótimo. — jungkook diz abrindo o porta-malas, para colocar as nossas compras.

   — Jungkook...? — ele diz "hu?"enquanto estava destraido pegando as sacolas da minha mão e colocando no carro. — Sente algo por mim? — ele para por alguns instantes, fecha o porta-malas e para bem enfrente a mim, tão perto que dava pra sentir a sua respiração.

   — Isso responde a sua pergunta? — e de repente, sinto suas mãos geladas envolvendo o meu rosto, o acariciando de uma forma confortável, os seus olhos estavam fixados aos meus sem ao menos piscar, meu coração se acelerava a cada toque que as mãos dele fazia em meu rosto logo passando para os meus cabelos, o que me fez arrepiar na hora, ele vendo que eu estava arrepiado, puxou a minha cintura para perto do seu corpo, nos permitindo sentir o corpo quente um do outro, e quando menos esperava, Jungkook juntou as nossas bocas, um beijo calmo e cheio de desejo nos preencheu por inteiro, nos fazendo ficar ofegantes apenas por um beijo, ficamos assim por um longo tempo, até o meu celular tocar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...