História Sunshine (Jikook) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias (G)I-DLE, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, EXO, TWICE
Personagens Baekhyun, Chaeyoung, Chanyeol, Dahyun, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jihyo, Jung Hoseok (J-Hope), Jungyeon, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Mina, Momo, Nayeon, Park Jimin (Jimin), Sana, Sehun, Seungri, Shuhua, Soojin, Suho, Tzuyu
Visualizações 13
Palavras 1.180
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, LGBT, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - 07


Fanfic / Fanfiction Sunshine (Jikook) - Capítulo 8 - 07

— Ahh... Uhm... — acordo com uma dor infernal. — Aonde eu tô?

   — Parece até que desconhece a minha casa.

   — Ah, é você Jungkook. — falo com um tom de chateamento. — Eu morri e tô pagando meus pecados no inferno?

   — Até parece que eu sou a última pessoa que você queria ver. — fala se sentando ao meu lado.

   — Na verdade não parece, é. — falo rude e ele me olha confuso. — Da pra você falar o que eu tô fazendo na sua casa?

   — Primeiro, bom dia Jimin! — falou animado esperando uma resposta minha, mas apenas cruzei meus braços e arqueei a sombrancelha. — Bom segundo, você foi ao bar ontem com o Tae, bebeu mais do que devia beber, foram pra uma boate, Tae dançou com algumas mulheres enquanto você continuava bebendo, uma mulher se aproximou de você, você beijou ela, ela te arrastou pra um quarto, vocês continuaram se beijando, até você dar uma louca e desmaiar.

   — Meu Santo Deus

   — Terceiro, uma delas pegou seu telefone e ligou para o primeiro número que encontrou, fui buscar vocês, mas o Tae já acordou e foi pro Hotel onde está hospedado.

   — Foi só isso ou tem um quarto? Pelo amlr de Deus já passei muita vergonha.

   — Bom, tem um quarto sim, com nós dois — diz rindo

   — Ai pronto. Solta a bomba logo.

   — Quando a gente chegou, o Tae desmaiou no sofá e você queria dormir comigo. Mas tu tava fedendo puro álcool, então te coloquei no banho, preparei algo pra você comer e te coloquei pra dormir. — quando ele fala isso, vejo de baixo da coberta que eu não estava com roupas minhas, provavelmente dele, então, ele não tava mentindo. — Então, Jimin?

   — Uh?

   — Por que esta estranho comigo?

   — Ah mas será porque você não ficou com aquela menina?

   — Desculpe mentir pra você.

   — Aí, sério Jungkook. Sei que não temos nada, mas não precisa mentir pra mim pra dar escapadas com as mulheres com quem você sai. — digo mais calmo e ele sorri.

   — Que bom saber que posso contar contigo.

   — Você sempre pode contar comigo.

   — Então, está inseguro sobre eu ficar com outras pessoas depois de eu ter falado o que sinto pra você? — diz ele se deitando do meu lado.

   — Não, Ju-ng-kook, é- q-ue...

   — Ta gaguejando por que? Eu te amo Park Jimin. — e de novo ele estava passando as suas mãos macias pelo meu rosto, me olhando de um jeito que nem eu sabia explicar, selando nossas bocas como a combinação mais perfeita que existe. Por mais que já tenha falado cada detalhe do beijo de Jungkook, eu ainda não parava de aprecia-lo, e me dava vontade de sentir, mais e mais.

   — Jimin... — fala depois que subo em seu colo, fazendo com que os nossos corpos ficassem unidos, pude sentir a sua mão firme sair de minha cintura e descer até minha bunda. Eu não estava certo do que estava fazendo, mas queria mostrar a Jungkook que poderia ser bem mais que um bebê que ele cuida a todo momento. — Uuh, Jim-in... — ele ficava cada vez mais eufórico a cada beijo que eu dava no seu pescoço e subia até sua boca.

   — Espero que isso te faça desistir das outras pessoas. — e saio de cima dele.

   — Que? — fala ele ao me ver ir embora — Você me bagunça e vai embora?

   — Foi isso que você fez quando ficou com aquela garota. — dei um sorriso e peguei meus pertences enquanto o via soado com as mãos na cabeça, em cima da cama — Se quiser mais, faça por merecer.

  Desde ai eu pude ter certeza de que eu estava no controle. Antes Jungkook poderia fazer qualquer coisa que eu virava seu bebê, a quem ele sempre cuida. Mas agora as coisas são diferentes, ele é o meu bebê e eu queria deixar bem claro, pra que ele não se sentisse no controle por mais que eu gostasse dos seus mimos e carinhos. Eu estava com uma cara muito feia e ainda tonto por conta da ressaca, mas mesmo cambaleando e com dor, eu fui pra casa.

   — Filho? — fala minha mãe ao me ver entrar. — Ta tudo bem?

   — Ta sim mãe, só preciso de um banho e um chá bem quente. — falo sorrindo dando um beijo em sua testa.

   — Okay filho, pode deixar que faço um bem gostoso pra você. — fala apertando minhas bochechas.

  Eu estava cansado, com cheiro de perfume de mulher e bebida, por mais que Jungkook tenha dito que me colocou no banho, o cheiro impregnado não saiu. No chuveiro, eu me esfregava tão forte que minha pele ficava vermelha em baixo da água quente, quando menos percebo, sinto lágrimas rolar em meu rosto, eu não sabia por que estava chorando, mas eu realmente desabei a chorar no chuveiro, talvez por que me sentia fraco e indefeso, inseguro e frágil. Eu estava chorando pelo fato de não o ter por perto? Pela Shuhua ter dito palavras de ódio contra mim? Pelo Jungkook ter ficado com outra pessoa? Eu não sabia, mas todas essas questões levavam a uma única pessoa: Jeon Jungkook. Ele me levava a sentir alegria, tristeza, paz, ódio, confuso, furioso e seguro. Ali, naquele chuveiro, com metade do meu corpo vermelho, a dor no coração e o choro, eu tive certeza de que eu amava Jungkook. 

   — Filho... Você não tem mais dúvidas sobre aquilo que conversamos? — fala minha mãe me dando o chá.

   — Não, não tenho mais dúvidas, tenho certeza do que sou. Mas, tenho medo que isso pode acabar me prejudicando.

   — Por que?

   — Porque eu me sinto mais vulnerável, mais quebradiço e sensível. Sinto que quero estar com uma pessoa, mas ao mesmo tempo não porque ele me faz me sentir vivo, porém, por não estar com ele, eu estou abrindo mão de tudo isso e entregando ele de bandeja para outras pessoas.

   — Jiminzinho, você está amando. — fala pegando na minha mão — Mas o que eu não entendo é, por que não assume tudo isso? Não assume ele e o amor que vocês tem?

   — Porque eu tenho medo das pessoas me apedrejarem, falar que sou isso ou aquilo.

   — Nada na vida é fácil, ninguém gosta das mesmas coisas que você, ninguém aceita as mesmas coisas que você. Arriscar, lutar e conseguir são coisas que você tem que fazer. Não foi assim que fez quando se tornou advogado? — digo que sim com a cabeça, e ela continua — O que estou querendo dizer é, arrisque pelo amor de vocês, lute mesmo que seja pra perder tudo na vida ou talvez a própria vida, nunca se sabe o que vai conseguir no final. — passa a mão no meu rosto. — Ninguém falou que seria fácil, meu bem. Filho, não desista e lute pelo o que te faz bem.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...