História Super Nova - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Ballet, Heterocromia, Lgbtqi, Musica, Romance, Romance Gay, Transsexual
Visualizações 31
Palavras 2.063
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais uma 'OneShot' !

Capítulo 1 - Ao Vivo e a Cores


Fanfic / Fanfiction Super Nova - Capítulo 1 - Ao Vivo e a Cores

Bernardo

Eu estava encantado vendo ela dançar. Posso ficar horas vendo ela fazer isso. Entro mais na sala, só tinha ela dançando, ia ter uma apresentação daqui uns dias e ela tava ensaiando. Pelo espelho gigantesco ela me olha e sorri. Ficando nas pontas das sapatilhas, levantando os braços e dando alguns giros ela chega ate mim, seguro na sua cintura. Rimos juntos. Ela ainda na ponta das sapatilhas, ela vai abaixando os braços devagar até pousar nos meus ombros.

- Oi!- Ela diz.

-Olá!- Eu digo. Tendo dar um beijo nela, mas ela me empurra, com um sorriso travesso no rosto, e sai fazendo movimentos pela sala, ao som da música.

Eu continuo observando ela sorrindo, olhando dentro daqueles olhos bicolor. Um castanho e outro era castanho mesclado com azul

Pra algumas pessoas eles são feios, mas pra mim eram os olhos mais lindos que já vi. Sem contar que a pele dela era perfeita, macia, quente e morena e fazia contraste com a minha que era branca, áspera e gelada .. Gostava de toca-la.

Continuava observando ela dançar, até que ela veio ate mim pegou nas minhas mãos, colocou na sua cintura, virou de costas pra mim, subiu nas pontas das sapatilhas ergueu uma perna, esticou e dobrou. Ela bambeou e segurei mais forte sua cintura. Ela girou de frente pra mim sorrindo. Desceu da ponta dos pés, segurou minhas mãos e começou a me guiar, no ritmo da musica, eu todo duro.

- Não sei dançar!- eu disse. ela apenas sorriu e continuou me guiando e mostrando o que eu devia fazer.

Nos minutos finais da musica, ela me olhou nos olhos, que é diferente dos dela, os meus eram verdes, ela disse:

- Todos sabemos dançar, mesmo que seja dois pra lá e dois pra cá.-disse sorrindo. Esse sorriso dela me encantava. Aproximando nossos rostos, posso sentir a respiração dela, abraço mais a sua cintura colando nossos corpos e ..

-Júlia, como esta as novas sapatilhas?- Uma moça entra na sala, distraída mexendo celular e colocando a bolsa num canto e vindo em nossa direção. No mesmo instante eu e Júlia nos afastamos e olhamos pra ela assustados, que parou no mesmo instante e perguntou:- Ta tudo bem? Atrapalho?- alternando o olhar pra mim e pra Júlia.

- Não, que isso Marcella. Estava só mostrando a ele como se dança.-Júlia fala sem graça.

- E você quem é?- Marcella pergunta olhando pra mim, sorrindo.

-Esse é o Bernardo. De quem eu te falei ..- Julia me apresenta, eu estendo a mão pra Marcella sorrindo.-Essa é a Marcella minha melhor amiga e parceira de dança.

Marcella olha pra mim meia confusa, apertando minha mão.

- Bernardo... Bernardo..- Como se dentro da cabeça dela desse um 'click', ela arregalou os olhos e abriu a boca, dizendo - AAAAAAA AQUELE BERNARDO!! Nossa, como ele é bonito.- Disse me olhando da cabeça aos pés. Fiquei sem graça, com certeza tava vermelho.-Vem cá me da um abraço, ouvi falar de você por quase 5 meses ... Nossa, como é forte .. e cheiroso também..- Ela disse, me soltando e me avaliando. Virou pra Júlia e disse:- Se deu bem ein amiga!!

- MARCELLA!!!- Júlia fala dando um beliscão nela. Ela resmunga esfregando o local onde a Júlia apertou. Eu sorrio com isso. Ela senta no chão e tira as sapatilhas:- As sapatilhas estão um pouco duras, acho que tem que quebrar mais um pouco.- Em seguida levanta e vira pra mim.- Bê vou pegar minha bolsa pra gente ir!- Ela entrega as sapatilhas pra Marcella e eu aceno com a cabeça. E ela sai andando.

Marcella vem pro meu lado e começa com um interrogatório:

- Então Bernardo, é da onde mesmo?

- Sou de Brasília.-Falo.

- Hum .. E veio ao Rio a trabalho?- Ela pergunta, com mão no rosto.

- Também. E rever a Júlia. Nos conhecemos em Brasília.- Digo, sorrindo me lembrando de como eu e Júlia nos conhecemos. Ela continua me olhando e me avaliando.Continuo.- Aproveitei que vinha ao Rio pra uma reunião da empresa e quis dá um oi.-Termino olhando pra Júlia falando ao telefone e entrando na sala com a bolsa no ombro.

-Sei.. Dá um 'oi' ..-Ela diz com o olhar semi cerrado e eu rio do jeito que ela me olha.

-Vamos Bê, meus pais ligaram e disseram que ja estão voltando e deve chegar em 2hs por causa do trânsito. Que tal darmos umas voltas enquanto eles não chegam?- Júlia diz vindo até mim, colocando o celular na bolsa.-Podemos ir ao cinema ou ir naquele barzinho que te falei outro dia.-Olho pra ela confirmando. Ela solta os cabelos que estavam amarrado em um coque e coloca o casaco, estava um pouco frio nesse dia.

-Tudo bem. A Reunião é só amanha, então podemos aproveitar hoje.-Digo. Júlia me olha com aqueles olhos diferentes e eu mergulho de cabeça no castanho que me dá uma sensação boa, e me perco no mesclado de castanho com azul que mexe comigo, me deixando em um furacão de sentimentos. sorrio. Ela sorri de volta.

- Quer um babador amigo?! Por que você molhou a sala inteira.: Marcella diz e me deixa sem graça.

-MARCELLA!!: Júlia repreende ela.

-Desculpa. É que ela é muito bonita. E esses olhos dá um toque especial. Mexe com a pessoa que olha pra eles.-Falo olhando de Marcella pra Júlia. Ela fica sem graça.-Vamos!

-Obrigado. Voce também é muito bonito. E esses olhos verdes deixa qualquer um sem jeito. Vamos!-Ela diz e pega na minha mão.-Dá um jeito na minha sapatilha por favor Marcella.-Ela diz andando até a saída.

-Ta bom, quero os detalhes sórdidos depois dona Júlia.-Marcella fala com um sorriso malandro no rosto e Júlia lança um olhar mortal pra amiga antes de sair da sala.

Quando chegamos do lado de fora caia uma chuva forte. Nos molhando em questão de segundos. Dei vários sinais pra taxis e nenhum parou.

- Droga!!-Digo dando sinal pra mais um que passa direto.

-Vamos pra minha casa. Eu moro a duas quadras daqui. De lá a gente pode tentar ligar pro UBER ou esperar meus pais chegarem que eu pego o carro deles e te levo ao seu hotel.-Júlia diz.

- Tudo bem, vamos.-Digo.

Fomos a pé e de baixo de chuva até a casa aonde Júlia morava. Depois de um tempo chegamos no condomínio onde ela morava com os pais e o irmão mais novo.

-Nossa que chuva.-A Júlia fala abrindo a porta e entrando ela da passagem pra mim entrar e fecha a porta. -Vem, vamos subir tirar essa roupa, se não vamos pegar um resfriado. Depois eu te mostro a casa.

Subimos e ela me mostrou seu quarto e saiu. Tinha uma cama, que tava bem arrumada, uma mesinha com notebook, era por onde nós falavamos, nas paredes tinha alguns cartazes de compania de dança e fotos com os amigos.

-Aqui Bê, coloca isso enquanto eu coloco suas roupas pra secar. O banheiro fica ali.-Ela volta ao quarto com uma peça de roupa que acredito que seja do seu pai e uma toalha. Eu rio.- Que foi? Foi a única coisa que eu achei que eu acho que dê em você.- Ela diz pegando outra toalha e enrolando no seu cabelo molhado.

   

- Ta bom.-Digo indo pro banheiro. Entrando no banheiro eu tiro a minha roupa me seco e coloco a calça de moleton e fico sem blusa saio do banheiro.- Jú a calça ficou boa, mas a blusa ficou apertada. - Entrego a blusa a ela. Que agora estava vestindo um roupão, Ela olha meu corpo e demora um pouco no meu peitoral.- Jú? Ta tudo bem?-Pergunto.

-Ta sim! Desculpa me distraí.-Fala e aponta pra minha mão que segurava as minhas roupas molhadas- Sua roupa pra mim colocar pra secar.-Ela diz e eu entrego minhas roupas pra ela e sai. Vou até a janela, olhando o mundo cair la fora.

Não demora muito ela volta falando ao telefone:

-Tá mãe.. tudo bem.. vamos ficar em casa. ta bom. Tchau, mãe.-Ela desliga.-Minha mãe ligou, disse que não vai poder vim embora agora por que a rua da casa da minha tia está alagada e meu irmão está passando mal.-Ela diz e vai até o Notebook, colocando no Netflix.

-Mas, ta tudo bem com ele, né?- Pergunto e vou até ela chegando bem perto.

-Ta sim, foi alguma coisa que ele comeu e não fez bem a ele.-Ela diz e vira de frente pra mim.-Podemos ficar em casa, assistir alguma coisa na Netflix.-Ela diz e eu confirmo dando um passo na direção dela.

-Tudo bem. Vamos procurar alguma coisa pra vermos.-Eu digo bem perto do seu rosto, sinto a respiração dela ficar mais pesada. Eu olho nos olhos dela 'Que olhos' penso. Dou um sorriso de lado e faço um carinho na sua buchecha ela fecha os olhos sentindo o meu carinho.-Posso te beijar agora? Já que lá no estúdio você não deixou.-Digo rindo e ela abre os olhos sorrindo e confirmando com a cabeça.

Seguro seu rosto com as minhas duas mãos e a beijo. De começo um beijo calmo, cheio de carinho e amor. Coloquei uma mão na sua nuca e a outra na sua cintura. As mãos dela foram parar no meu pescoço. O beijo foi se intensificando, ficando cada vez mais necessitado, desci um pouco o seu roupão fui descendo meus beijos pelo seu pescoço e ombro, ela gemeu baixo perto do meu ouvido. Me arrepiei quando aos mãos dela foi descendo devagar pelo meu peitoral e chegando perto da minha barriga ..

-Jú..-chamo segurando sua mão. Estavamos ofegante. Ela me olha um pouco confusa.

- Que foi Bê? Ta tudo bem..- Ela diz entre laçando nossas mãos e dando um pequeno sorriso. Respiro fundo e fecho meus olhos e sento na cama.

-É que você sabe que que eu sou..

-Bê, ta tudo bem. Nós já conversamos sobre isso. E eu quero.-Ela diz e desfaz o nó do roupão devagar enquanto anda até mim. Ela desenrola a toalha do cabelo, eu sorrio e me ajeito melhor na cama, ela deixa o roupão cair no chão junto com toalha e fica nua pra mim. QUE MULHER!! Sorrio ainda mais. Ela vem e senta no meu colo e me beija. Com uma de minhas mãos eu seguro sua nuca e a outra eu passo pelas suas costas e ela sorri durante o beijo.

Vou descendo meus beijos pelo seu pescoço e ombros, seguro um de seus seios, que se encaixam perfeitamente em minha mão. vou massageando, ela geme baixo no meu ouvido e começa a rebolar no meu colo. As mãos delas me arranham de leve as minhas costas, eu me levanto com ela em meus braços e a deito na cama, ficando por cima dela. Olhando-a nos olhos, faço um carinho no rosto dela. Eu neim precisei perguntar ela confirmou com a cabeça, deixei um selinho em seus labios e voltei a beijar seus ombros, fui descendo chupei e dei uma mordidinha de leve em cada um de seus seios, que gemeu e arfou quando fiz, continuei descendo e beijando sua barriga, até chegar na sua vagina.

- Por favor Bernardo..- Ela diz com uma voz manhosa.

Então, eu dei um beijo e logo em seguida dei uma línguada que ela gemeu, chupei e continuei lambendo. Levantei minha mão e segurei em seu seio e magiei, e apertei o bico do peito e seus gemidos se intensificaram. Continuei fazendo isso por alguns instantes e senti ela apertar minha cabeça com as pernas.

-Bê, tô quase..- quando eu senti um gosto salgado e bom na boca e vi que ela tinha gosado. Subi beijando e tocando seu corpo, beijei sua boca.-Nossa Bernardo, se eu soubesse que você era bom nisso tinha feito isso contigo antes.-Ela fala e morde minha orelha, eu me arrepio e sorrio. Ela me empurrou e subiu em cima de mim, beijou meu pescoço e puxou a calça que eu estava pra baixo. Ela deu um chupada no meu 'packer' e sentou e cima dele. Aos poucos ela começou a cavalgar em cima de mim.

-Ahh..-Gememos juntos.

-Continua Jú..-Digo E ela continua a cavalgar.

E depois de alguns minutos assim, chegamos ao orgasmo mais uma vez. Ela se joga do meu lado ofegante.

-Quero ser fodida assim todo dia Bernardo.-Ela diz.

-Quero te fuder todo dia assim Júlia.-Eu digo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, ME PERDOEM QUALQUER COISA e até proxima :* :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...