1. Spirit Fanfics >
  2. Super Spy: the great wedding >
  3. Capítulo 1

História Super Spy: the great wedding - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Não sei oq comentar, apenas espero que gostem :). Desculpe qualquer erro, os três na foto são os personagens principais.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Super Spy: the great wedding - Capítulo 1 - Capítulo 1

Já passa muito das oito horas quando eu chego na agência de detetives particulares onde trabalho. Eu me apresso até a sala do meu chefe.

Jerry não é apenas meu superior e encarregado pelo departamento, mas também é meu mentor.

 

- Quanta gentileza sua nos honrar com sua presença, Dianna – Jerry sorriu brevemente

 

- Desculpa, Jerry. Me atrasei um pouco hoje... – preciso acertar meu relógio biológico

 

- Nem precisa dizer nada. Tenho um novo trabalho pra você. – disse neutro

 

- Maravilha! – Desde o ‘grande fora’ eu fico feliz de estar ocupada. Me estremeço só de pensar no meu ex namorado me dando um puta toco no meu aniversário..

 

Depois de um ano, Simon me deixou para procurar alguém menos ambiciosa. Queria entender o que isso quer dizer?!

 

Lembrar do quanto eu investi nesse relacionamento, a dor da traição me atinge direto no coração... Foi apenas uma desculpa esfarrapada pra ele cair fora..

 

- Olha eu sei que você teve alguns... problemas pessoais recentemente – Jerry me olha com o semblante triste – Só quero dizer, agente, não deixe isso derrubar você. Você é uma mulher muito talentosa e ele é um idiota por terminar com você.

 

Fico feliz que Jerry se preocupe comigo.

 

- É, eu estou bem. Não adianta se lamentar e chorar por um idiota, certo? – Embora esse idiota tenha partido meu coração...

 

- Ele só pode ser louco pra deixar você escapar, agente. - sorriu de forma acolhedor

 

Ah... o Jerry pode ser super fofo, às vezes...

 

- Esse caso pode ser... talvez... um pouco desconfortável para você – disse se ajeitando mas confortável em sua cadeira

 

- Por quê?

 

- Ele envolve ir a um encontro... com um cara – Ah, grande dia hein..

 

- Quem é ele? – o olhei arqueando a sobrancelha

 

- O nome do sujeito é John Ryman. À primeira vista ele parece ser normal. Ele trabalha como gestor de uma empresa de seguros.

 

- Você acha normal, eu acho chato – decidi me sentar na cadeira que estava de frente pra mesa dele

 

- Nós fisgamos o sujeito em um site de namoro utilizando fotos suas como isca. A esposa suspeita que ele pode estar enganando ela – A princípio a ideia dele ter usado fotos minhas num site desses não me agradou porém sou uma agente, esqueço disso às vezes.

 

Argh, e a última coisa que quero fazer é ir à um encontro... especialmente com um babaca.

 

- Parece que o tal chato não é tão chato assim, né?.. - bufei enquanto falava

 

- Bem, é isso que você precisa descobrir. Você tentará seduzi-lo. Tente fazer ele trair a esposa para podermos confirmar se as suspeitas dela estão corretas ou não.

 

- Se ele é um traidor inútil, eu adoraria desmascará-lo – Pelo menos eu posso me distrair com outro assunto que não seja meu ex

 

- Você é uma verdadeira profissional, Dianna. E eu não ia querer ninguém mais nesse caso – posso ver o contentamento de Jerry à quilômetros de distância – Aqui está o resumo dos traços da sua personalidade... ou os que o sujeito acredita que são – ele me entregou uma prancheta com algumas informações, mesmo que eu estivesse lendo, Jerry fez questão de falar

 

- Você é uma estudante brilhante de 19 anos da Universidade de Nova York, no curso de Letras. Você gosta de ler embaixo do cobertor em dias frios..

 

- Ah, uau, você não estava brincando. Estou surpresa que 'fazer trilha' não esteja no perfil...

 

- Eu não terminei, você passou o último verão em Paris e acabou de voltar de um intercâmbio no Canadá. Seu nome é Kim.

 

- Caramba, ok. Mais patricinha do que isso, impossível – pus a prancheta em cima da mesa dele e apenas o observei atentamente

 

- Você vai encontrar o sujeito para jantar no Top Cuisine.

 

- Mentira?! O restaurante da moda que abriu semana passada? 

 

- Eu não tenho ideia de quais são esses lugares badalados, mas fico feliz por você saber. – Ele dá um pequeno suspiro e vira a folha na prancheta

 

- Então, como é esse cara? – pergunto curiosa

 

- Dê uma olhada. – Jerry me entrega novamente a ficha e me mostra agora com uma foto e as descrições do homem logo abaixo, ele tem cara de ser trapaceiro de primeira categoria

 

- Você precisará causar uma ótima impressão. Não adianta aparecer em trapos quando você está tentando seduzir o cara.

 

Sedução é a última coisa em minha mente, mas eu consigo, né?

 

- Vá se produzir e chegue no Top Cuisine às 20h em ponto. Estarei por perto, vigiando o casal. Lembre-se, você está tentando seduzir esse cara. É importante ter uma boa aparência e conquistá-lo.

 

- Entendi. – levantei e o olhei, assentindo com a cabeça logo em seguida

 

Se tem uma coisa que eu amo no meu trabalho são todas as roupas maravilhosas à minha disposição.

 

Vou até o vestiário e escolho um vestido bem justo que acentua bem minhas curvas e que vai até metade de minhas coxas, passo uma maquiagem leve e resolvo deixar minhas madeixas soltas. Assim que saio do vestiário Jerry acena com aprovação. É ótimo vê-lo satisfeito com minha escolha.

 

- Você vai parar o trânsito de Nova York, Dianna. – ele cruzou os braços e exibiu um grande sorriso que poucos poderiam e teriam chances de presenciar

 

- Obrigada, Jerry! Isso é um grande elogio... vindo de você. – sorrio e inspiro profundamente. Essa roupa me dará o impulso extra necessário para atrair totalmente o alvo para minha armadilha.

 

----x----

Nova York – 20:00 p.m.

Restaurante Top Cuisine

 

Pontualmente às 20h, eu entro no Top Cuisine. O restaurante é bastante movimentado, e o som de risadas alegres e da música de fundo cria um ambiente agradável. Casais e solteiros se reúnem em torno de um bar impressionante ou ficam sentados em uma das muitas mesas espalhadas pela área de jantar.

O ponto no meu ouvido está disfarçado de maneira inteligente para que eu possa manter contato com Jerry, que está posicionado fora do restaurante.

 

Tudo pronto, Dianna. Pode me ouvir alto e claro?”

 

Eu ajusto discretamente o ponto brincando com meu cabelo, respondendo Jerry em um sussurro baixo.

 

- Eu nasci pronta, Jerry. Vou tirar isso de letra! – apesar de estar um pouco nervosa. Olho ao redor, procurando por John Ryman

 

- Eu não estou vendo ele, Jerry. Chegar primeiro não é NADA sexy. – digo levemente irritada

 

Ok, você consegue. O que você me disse do poder do seu sorriso?

 

- Muito engraçado Jerry. Acredite, não era assim que eu pensava que as coisas iam acontecer. Estar elegantemente atrasada me colocaria em vantagem aqui. – não consigo não demonstrar certa raiva ao dizer isso.

 

Você está falando demais, agente. Você não quer parecer uma louca conversando consigo mesma. Você já tentou...

 

A fala de Jerry é abafada por uma agradável voz masculina que de repente surge atrás de mim.

 

- Você parece ainda mais bonita em pessoa, Kim. – Maldição, eu odeio ser surpreendida, especialmente por um alvo!

 

-John? – disse tentando não demonstrar nervosismo, lançando um pequeno sorriso

 

- O primeiro e único. É um prazer conhecê-la. – ele estendeu a mão para que eu o cumprimentasse, imitei seu movimento porem ele pegou minha mão e a beijou

 

- Também é um prazer conhecê-lo. – percebo que ele me olha com aprovação

 

- Adorei sua roupa. Isso realmente mostra sua... aparência jovial. – ele diz me olhando lentamente com desejo

 

Sabia que seria um nocaute vestir essa roupa. O sigo até uma mesa escondida num canto e oculto para a minha decepção, já que sentar em um canto isolado não é muito favorável para me comunicar com Jerry pelo ponto no ouvido.

 

- Você gostou da minha escolha de restaurante? – pergunta me lançando um olhar questionador

 

- É ótimo!

 

- Fico contente que você esteja feliz – ele puxa a cadeira para que eu me sente e logo se senta à minha frente e sorri com simpatia.

 

A garçonete chega e pergunta que bebida ele quer e ele habilmente pede vinho

 

- Espero que não se importe por eu ter pedido vinho para nós.

 

-Não, de forma alguma. Eu ficaria perdida. – realmente, o cardápio de bebidas aqui devem ser bem variadas

 

- Não se preocupe, tenho tudo sob controle. Então, já esteve em Paris, hein? Me conta sua experiência por lá. – pôs os dois cotovelos sobre a mesa apoiando a cabeça com as mãos, demonstrando grande interesse em me ouvir

 

- Sempre sonhei em ir pra lá. Sabe, parecia tão romântico nos filmes. – manter o papel de riquinha clichê não cai bem no meu currículo

 

- Então você é romântica?

 

Me pergunto o que ele quer ouvir...? - Posso ser se você quiser.. – o olhei de forma brincalhona

 

- É bom saber... – ele sorri ao ouvir – Em qual hotel você ficou durante sua visita?

 

A voz do Jerry repentinamente ecoa no meu fone de ouvido

 

"Le Petit Chomel"

 

- Le Petit Chomel.

 

- Acho que lembro dele. Eu estive em Paris muitas vezes.

 

- Mesmo? Que legal.

 

- Qual sua parte favorita de Paris?

 

"A beleza gótica da Catedral de Notre-Dame."

 

- A beleza gótica da Catedral de Notre-Dame.

 

A garçonete interrompe a conversa enquanto serve o vinho para nós dois. Ele pega seu copo e o estende para mim, pronto para fazer um brinde. De repente sinto que meu ponto começa a falhar.

 

"... testando, testando...."

 

Há um silêncio ensurdecedor no rádio.

 

Ah não, Jerry.. não vacila agora...

 

- Ah, você acha que o rio, hmm, oh, por favor, me ajude. O rio perto da Catedral de Notre-Dame? Como se chama?

 

Estou sem palavras, onde diabos está Jerry?! A conexão do meu ponto de ouvido está morta e enterrada!

 

- Você deveria saber, sendo fã da Catedral... O rio famoso onde ela está localizada?

 

Cristo, se não me engano é o Sena.. ah.. não me lembro... que se dane vou na sorte 

- O rio Sena.. – o olho esperando alguma reação positiva, ele ficou sério de repente...

 

- Sim, você está certa! O rio Sena - parece que ele está impressionado com minha resposta, suspiro internamente, aff, quando que isso virou uma prova de Geografia??

 

A garçonete volta colocando os cardápios em nossa frente, há movimentação no meu ponto de ouvido, consigo ouvir a voz de Jerry novamente

 

"Testando, testando. Dianna, consegue me ouvir?"

 

Limpo a garganta em resposta

 

"Desculpe por isso. A conexão caiu."

 

- Está gostando do Cabernet Sauvignon?

 

- Sim, adoro vinhos tintos secos.

 

- Ah, então você conhece um pouco sobre vinho? Por isso amo a França. Eles produzem alguns dos melhores vinhos do mundo, em minha humilde opinião.

 

"Esta conversa está me entediando, Dianna. Tente mudar o assunto."

 

- Então, vinho é a única coisa de que você gosta? – no mesmo instante vi os olhos de John brilharem

 

Definitivamente tem algo errado com esse cara. Meu sexto sentido me diz com certeza absoluta de que ele é um traidor descarado. Se pudesse falar com Jerry agora, diria a ele para chamar os reforços, o jogo acabou... Mas acho que o meu palpite não é prova suficiente.

 

- Bem, não. Tenho algumas atividades extracurriculares que gosto – sinto a malícia nas sua fala

 

- Por exemplo? – olho para ele sedutoramente enquanto tomo um gole de vinho. Os olhos dele estão fixos em mim enquanto passo a língua por meus lábios lentamente.

 

Ele está caindo num dos meus truques mais previsíveis. Que amador!

 

- Bem, conhecer... garotas sedutoras como você – ele sorri de canto de boca

 

"Bingo!"

 

- Está dizendo que sou sexy?

 

- Estou.

 

"Vamos fazer disso uma festa particular, agente. Precisamos pegá-lo em flagrante."

 

- Eu sinto muito, mas de repente eu perdi o apetite. Na verdade eu me sinto... um pouco cansada. – faço uma expressão tristonha afim de convencê-lo

 

- Papai pode... quero dizer, hum, eu posso te ajudar a se sentir melhor? – ele sabe bem o que quero dizer com isso.

 

- Eu tenho que descansar ou deitar em algum lugar...

 

- Entendi... Porque não vamos pro meu apartamento? Posso colocar o seu filme favorito... e envolvê-la em um cobertorzinho.

 

O QUÊ?! Me envolver num cobertorzinho? Minhas tarefas estão ficando cada vez mais estranhas, juro.

 

A voz se Jerry corta meu desgosto

 

"Provavelmente não é o apartamento dele, mas de um amigo. Ele tomaria cuidado com a esposa. Estamos quase pegando ele, agente."

 

Sorrio tímida, mas sedutoramente - Parece perfeito.

 

- Vamos lá, minha novinha. – Ele sorri abertamente

 

Meu Deus, que pervertido. Quanto mais cedo ele for pego, melhor.

 

A primeira parte da minha missão ocorreu sem problemas... como Jerry queria. No entanto, sair do restaurante com John Ryman está me fazendo me sentir mais desconfortável do que o normal. Quero que ele confesse o mais rápido possível, para sair do radar dele.

 

----x-----

Nova York – 22:32 p.m.

Apartamento do John

 

Um tempo depois, chegamos ao que John afirma ser seu apartamento. Depois de ficarmos à vontade, John pega uma garrafa de vinho cara.

 

- Eu estava esperando para abrir essa garrafa. É de uma safra de 1966. – ele sorri para a garrafa e depois me observa

 

- Uau, e você vai abri-la por minha causa?

 

- Alguém tão especial como você merece apenas o melhor. – os olhos dele brilham de pura luxúria... nada agradável.

 

- Isso é tão gentil..

 

-Não precisa me agradecer. Você está me dando muito prazer... e espero continuarmos a noite na mesma linha. – Ele serve o vinho e depois me entrega uma taça. Enquanto ele vira as costas para colocar a garrafa de volta na mesa, eu jogo o vinho fora sem ele ver

 

- Está gostando do vinho, minha novinha? – Ele se vira com um sorriso de orelha a orelha

 

- Sim, é muito bom. – parei para observá-lo e percebi que ele estava segurando um cobertor do "My Little Poney".

 

Porra! Tá de sacanagem comigo? Qual é o problema desse cara?

 

- Tenho algo fofinho para te aquecer – ele gentilmente colocou o cobertor sobre meus ombros e depois sentou ao meu lado. Eu estou lutando contra o meu desejo de chutá-lo entre as pernas..

 

- Então, eu percebi um jeitinho travesso em você lá no Top Cuisine..

 

-Foi? – Eu conheço esse tom. Essa cobra está pronta pra dar o bote

 

Ele pôs a mão na parte superior da minha perna e acariciou lentamente a parte interna da minha coxa. A voz de Jerry soa no meu ouvido.

 

"Vá com calma, agente. Nós estamos quase lá."

 

- Vou contar pra você um segredinho. Eu adoro brincar de papai com garotinhas como você. Especialmente com as malcriadas.

 

- Ah! Então... como isso funciona? – Caindo como um patinho...

 

- Bem, vamos fingir que você foi uma garotinha muito má e que papai precisa te ensinar uma lição – Ele enfatiza suas palavras apertando repentinamente a carne macia da parte interna da minha coxa. Estremeço um pouco, mas permaneço composta.

 

- Há quanto tempo você tem essa sua... fantasia sexual? – Sinto a pressão do dedo dele que começa a circular cada vez mais perto da minha calcinha

 

- Muito pouco para o meu gosto. Mas tenho experiência mais que suficiente por nós dois.

 

- Experiência? Então, houve outras antes de mim? – Estou quase pegando você, trouxa! Continue assim e eu voltarei para casa assistir Netflix logo logo.

 

- Ah, novinha. Lamento falar isso pra você, mas eu gosto de novidade. Essas coisas ficam chatas bem rápido. Mas vamos aproveitar enquanto dura, tá?

 

Jerry onde caralhos você tá? EU REALMENTE não quero esse doente se jogando em mim!

 

"Pegamos ele. Agente, temos todas as provas que precisamos. A esposa de Ryman está a caminho. Esteja pronta pra isso."

 

John avidamente se inclina para me beijar – Ah, você é tão gostosa..

 

Logo depois, a porta do apartamento se abre. Mia Ryman entra, com Jerry logo atrás.

 

- John! Como você pôde!? Você é um doente!

 

- Mia!!

 

- Está tudo acabado entre a gente! Se eu soubesse dessas suas fantasias doentias, teria te deixado há muito tempo! – Mia esbofeteia seu marido no rosto. Eu aproveito e me levanto rapidamente, aliviada por finalmente aquilo ter terminado.

 

Mia Ryman se vira pra mim, seu corpo está tremendo de raiva, e suas bochechas estão úmidas das lágrimas. – Agente, obrigada..

 

- Estava apenas fazendo meu trabalho, senhora Ryman.

 

As palavras de Mia Ryman significam mais pra mim do que eu deixo transparecer. É tão bom fazer justiça no caso dela. Esses momentos são exatamente a razão pela qual eu amo meu trabalho.

 

John Ryman com sua raiva ao extremo parte pra cima de mim - Sua vadia! Eu devia saber que você era uma farsa!

 

- Cala a boca, John! Foi você que se meteu nessa roubada querendo se dar bem! – Mia esbravejou sobre John que agora estava desanimado e sem palavras – Graças a essa agente, eu tenho todas as provas que preciso para dar entrada no nosso divórcio.

 

- Mia, querida, vamos falar sobre isso...

 

Mia corta a fala do marido - VOCÊ, John Ryman, não fale comigo nunca mais! Você é desprezível!

 

Enquanto Mia continua a dar a John o sermão de sua vida, Jerry se aproxima de mim.

 

- Bom trabalho, agente. E... lamento que isso tenha tido que ir tão longe

 

-----x------

New York – 00:12 a.m.

Agência Especial de Nova York

 

Depois de sair de casa e voltar para agência, eu vou direto ao escritório de Jerry.

 

- Mais uma vez, agente, você fez um ótimo trabalho essa noite.

 

- Estou feliz que a esposa desse safado saiba o que ele está fazendo.

 

- Que pervertido, hein? – Jerry balança a cabeça juntamente comigo enquanto rimos incrédulos. Nesse momento, minha colega, agente Sam Calman, entra.

 

Ah, ótimo, minha arqui-inimiga chegou

 

- Por que você está de tão bom humor? – ela pergunta franzindo o cenho aparentemente irritada com nosso humor

 

- Por que não estaria? Acabei de resolver um caso com sucesso.

 

- Pensei que você ainda estaria chorando porque largaram você no seu aniversário.

 

Sério?! Ela está querendo mexer nesse vespeiro?!

 

- Não que eu culpe seu ex.. Estou surpresa que ele tenha ficado com você por tanto tempo.

 

Jerry limpa a garganta - Estávamos conversando sobre o excelente trabalho da Dianna no caso. Ela forneceu as evidências concretas de que precisávamos.

 

- Estou feliz que conseguiu suas provas, Jerry, mas na minha opinião, você correu um grande risco enviando essa desorientada pro campo. – apontou pra mim com desdém

 

Essa vaca tá me irritando!

 

- Eu acho melhor você começar a maneirar nos fastfood hein, a vaca tá passando do peso ideal pro abate.

 

- Que porra você quer dizer com isso?

 

- Vamos apenas dizer que o peso extra não está favorecendo seu rosto e.. – olho pra ela de cima à baixo – outros lugares.

 

- Pelo menos não fui largada por alguém melhor do que eu – solto uma risadinha extremamente irritante

 

- Como você seria largada por alguém se nem consegue um namorado?

 

- Senhoras! Por favor! – pediu Jerry com um tom estressado

 

- Não tenho tempo pra isso. Qual a posição do próximo trabalho, Jerry?

 

- Agente Calman, discutirei o caso quando eu estiver preparando. – até mesmo Jerry estava se irritando com ela. Ele pôs a mão em sua testa a massageando

 

- Que grande trabalho é esse? – perguntei curiosa mesmo sabendo que isso é confidencial..

 

- Bem, agora que a agente Calman abriu a matraca... É um trabalho secreto envolvendo um bilionário da alta sociedade que vai se casar em breve. As suspeitas são de que sua futura noiva possa estar traindo ele.

 

- Um bilionário maravilhoso, Jerry. -Jerry lança um olhar irritado para Sam

 

- Dianna, sugiro que você tire um tempo pra descansar. Você merece depois de cumprir essa missão.

 

----x----

Nova York – 08:10 a.m.

Apartamento da Dianna

 

Na manhã seguinte eu acordo quando a luz do Sol batendo em meu rosto o aquecendo.

A solidão de repente bate em mim com toda a sua força. Algumas semanas atrás, meu namorado estava deitado ao meu lado na cama. Era um ritual matinal acordar e logo ser seduzida por ele.

Começo a me lembrar de como ele saia da cama e meus olhos deslizavam sobre a bela paisagem do corpo poderoso dele

 

- E ele olhava pra mim com seu lindo sorriso antes de desaparecer no banheiro para o seu banho matinal.

 

Eu seguia o som da cascata de água e entrava na cúpula de prazer envolta em vidro, como ele tão eloquentemente a nomeou

 

- Ele podia ser tão engraçado às vezes. Mas era como entrar numa fantasia repetidamente

 

As mão de Simon passavam sobre as gotas de água que se espalhavam em meu seios e ele os apertava, como se quisesse testar o meu desejo

 

- E eu inevitavelmente suspirava com o quão agradável aquilo era

 

À medida que a tensão entre nós aumentava, o membro dele roçava contra mim

 

- Não sei do que eu vou sentir mais falta. Simon ou sua maravilhosa masculinidade.

 

Meus desejos internos despertam com a memória e minha mão se move lentamente por baixo da minha calcinha

 

- Ah.. O chuveiro...

 

~FlashBack On~

 

Simon empurra minhas costas contra a parede do chuveiro. A frieza dos azulejos é acentuada pelo contraste com minha pele febril. Os lábios dele buscam os meus, reivindicando minha boca com avidez, enquanto os dedos dele permanecem entre minhas pernas.

 

"O toque de Simon transcende os limites do prazer físico."

 

Com o toque dele me provocando, me fazendo gemer, ele me desliza pela parede do chuveiro, levantando minhas coxas; me ajustando para que nossos corpos se moldem perfeitamente um ao outro. O âmago do desejo dele desliza em mim, como se ele estivesse testando minha reação e, então, ele começa a me penetrar com um ritmo lento e deliberado que atiça o fogo dentro de mim.

Minhas mãos estão emaranhadas nos cachos molhados dos cabelos dele, a água bate em seus ombros largos e se espalha por todo o seu rosto.

 

"Ele adorava ver meu rosto. É como se os sinais de prazer criados por sua penetração invocassem um fogo furioso dentro dele"

 

Meu alcance se torna mais profundo, e ele entra em mim com força e velocidade cada vez maiores. Cada investida aumenta todos os meus sentidos; enviando ondas de choque e prazer que percorre meu corpo.

À beira do êxtase, minha respiração pesada é interrompida por um gemido trêmulo e eu sinto a liberação da paixão dele disparar através de mim, os espasmos de sua ereção latejante prolongam o meu prazer intenso.

 

~Flashback Off~

 

Recordando o momento exato em que eu o segui em êxtase, eu estremeço de desejo no meu clímax atual.

 

A campainha interrompe de repente meus pensamentos. No caminho pra abrir a porta, eu passo pelo espelho e percebo que minhas bochechas estão vermelhas de desejo

 

- Agente, sinto muito por incomodá-la. – me surpreendo ao me deparar com Jerry em frente à minha porta

 

- Jerry, que surpresa.

 

- Sim, desculpe pela intromissão, mais aconteceu um problema.

 

- Um problema?

 

- A agente Calman... Ela sofreu de intoxicação alimentar.

 

- Que bom! Odeio essa mulher. – Jerry limpa a garganta. É compreensível que ele precise permanecer neutro quando se trata de seus funcionários

 

- Ela precisa se recuperar, obviamente. Ela comeu algumas asas de frango estragadas... –não consigo evitar de sorrir perante essa informação

 

O que dizem sobre o karma instantâneo?

 

- Eu disse a ela para dar um tempo no fastfood. Tomara que fique gorda.

 

- Agente... – Jerry me olha me repreendendo

 

- Ah, qual é, Jerry? Ela não está aqui. Você PODE concordar comigo, especialmente se for verdade.

 

-... Agora que você mencionou... eu mal posso acreditar que ela está se enchendo com essas porcarias.

 

- Né?!

 

- Bem o motivo da minha visita à sua casa não é discutir os hábitos alimentares da agente Calman. Estou aqui para informá-la de que estou enviando você para sua próxima missão secreta.

 

- Ah, sério? – espero que seja algo bom..

 

- Quero que você saiba que minha escolha não foi feita apenas por causa de umas asas de frango estragadas. Eu tenho uma tremenda fé em suas habilidades, Dianna. E, cá entre nós: Acho você perfeita para o trabalho. Você sempre foi minha primeira opção. Então... estou colocando você no caso do bilionário.

 

Embora as notícias seja inesperadas, uma excitação estranha toma conta de mim ao ecoar as palavras anteriores de Sam Calman.

 

- Um bilionário maravilhoso, Jerry.

Deve ser a expectativa de uma nova aventura que faz meu pulso acelerar a mil quilômetros por hora.


Notas Finais


Novamente, desculpem qualquer erro, eu me empolguei enquanto escrevia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...