História Superação. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 13
Palavras 11.314
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Personagens:
Fernando Falcão: Cabelo preto curto bem arrepiado, olhos castanhos, rosto afinado, altura de 1,76m, peso 71Kg. Adora esportes, tem medo de insetos, tem 17 anos, faz faculdade de engenharia, mora sozinho numa casa alugada.
Torce para o time de futebol do Aracruz.
Gosta de teatro, da Jade e esportes, joga league of legends, onde torce para keyd. Já fez curso de teatro quando pequeno.

Jade Rosa: Morena com cabelo longo liso com algumas mechas roxas na ponta, rosto afinado com nariz um pouco torto, olhos cor de lilás, tem 1.63m, peso 51Kg, peitos tamanho 48, corpo dos sonhos. Faz faculdade de engenharia, relaxada, emotiva, tem 19 anos, trabalha como atendente de loja de roupas, namora com o Pedro.
Fazia curso de teatro quando pequena, torce para o Flamengo.

Pedro Pipi: Loiro padrão volumoso,tem 1.8m, pesa 100kg (músculo), é fitness e só faz merda, tem 23 anos, trabalha como fisuculturista.

Em certo ponto da história, começam a existir fetiches sexuais bizarros e nojentos, caso não goste de práticas assim, recomendo lerem outras histórias que estou escrevendo.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Vou contar a história da minha vida, quando eu era garoto tinha uma menina chamada Jade, era dois anos mais velha que eu, nos conhecíamos desde criança, eramos vizinhos de porta e brincamos muito em uma parquinho do nosso bairro, além de fazer teatro juntos. Confesso que só fazia isso por conta dela. Quando fizemos doze anos ela se mudou para capital.

Apesar de estudarmos em diferentes escolas, acabamos estudando juntos na faculdade de engenharia. O único empecilho para eu poder namorar com ela era seu namorado, um brutamonte fisiculturista, era um tremendo de um babaca.

Ele tratava ela como lixo, batia nela e obrigava ela a fazer tudo, todo mundo da faculdade ficava revoltado com isso, mas ela parecia iludida, claramente não gostava do modo que era tratada, mas não fazia nada para mudar e não era por medo nem dinheiro, nem ameaça era por pena.

O tal namorado dela o Pedro, fracassou na vida, desempregado, sem casa, nem a família dele o ajudava, ele só tinha ela e acabou descontando tudo em cima do único suporte que tinha.

Jade apesar de ser bem relaxada e tranquila, sempre indo com a maré, não custumava faltar aulas, porém de um dia pro outro ela desapareceu. Conversei com o Pedro ele não sabia de nada, apesar de ser um babaca e escroto com ela, parecia preocupado. Assisti minhas aulas e voltei pra casa. Arrumei minhas coisa. Fiz a janta e ia deitar pra dormir. Até que escutei a campainha.

Era ela, a menina estava toda suja se arrastando pelo chão, seu cheiro não era muito agradável, mas ela parecia muito precisar de ajuda, coloquei ela pra dentro de casa, sua cabeça estava fritando, suas roupas estavam um trapo. Ela parecia fora de si, estava muito hostil e paranoica, achei muito estranho e por parecer que estava com febre a levei para o hospital.

Lá foi constatado vários hematomas nas costas e braços, e os médicos falaram que ela estava sob efeitos de drogas, por isso a mudança de comportamento, eles me pediram histórico médico e fizeram várias perguntas que não sabia responder, a única alternativa que tive foi entrar em contato com seus pais. Eles ficaram surpresos e foram correndo para o hospital, pensavam que ela estava viajando para São Paulo, mas na verdade estava se drogando.

Fiquei meio deslocado, mas preocupado com ela, duas horas depois da chegada dos pais no hospital, Jade começou a ter espasmos e insuficiência respiratória, efeitos claros do crack. Não estava acreditando na cena de horror que eu estava presenciando, meu modelo de mulher ideal naquele estado.

Os pais dela fizeram um interrogatório pra mim, várias perguntas não sabia nem como responder, mas por eles me conhecerem, souberam que eu não estava mentindo, quando disse que não tinha nada haver com isso e que também fui pego de surpresa.

Passado um tempo ela estabilizou e pediu para falar comigo. Quando eu entrei na sala ela já me perguntou

Jade: Fernando?

Fiquei feliz em escutar a voz de minha amiga e derramei um pouco de lágrimas.

Eu: Eu mesmo, flor (apelido que chamo ela desde criança por conta de seus sobrenome).

Jade: Tem como você me levar pra sua casa quando eu sair daqui?

Achei bem estranho essa pergunta, mas não pude negar seu pedido.

Eu: Seus pais vão aceitar isso?

Jade: Por favor não fale nada pra eles, estou desapontada comigo mesmo, não sei o que me fez fazer isso, eu só acabar com tudo.

Ela falou isso com uma voz tão triste, demonstrando estar arrependida de seus atos. Sai e conversei com os pais dela, eles acharam estranho meu pedido de levar ela para minha casa, mas concordaram, já que demonstrei que poderiam confiar em mim e que estaria mais próximo do ciclo de amigos dela.

Depois de três dias da moça no hospital se recuperando, ela recebeu alta, apesar da droga ser altamente viciante, conseguiu se retomar rapidamente as rédeas de sua vida e manter sua personalidade durante a estadia na enfermagem.

Chegando em casa me contou tudo que tinha ocorrido, ela e o namorado iam viajar pra São Paulo, mas por conta de uma briga eles terminaram e ele a espancou. Ela revoltada saiu de casa e acabou entrando no mundo das drogas.

Achei bem tensa essa história e me senti feliz por não ter entrado em contato com o Pedro.

Eu: Mas por que eu?

Jade: Bom, você é meu único amigo de verdade.

Seu dizer foi tão sincero e triste, me senti um bosta por não conseguir ajudar ela antes. Passei na casa dela peguei algumas roupas e coisas que ela poderia precisar, para pelo menos ela poder se sentir mais confortável e não ter que usar só as minhas coisas. Durante a noite escutei batidas fortes na porta.

GRITOS: DESCE AQUI AGORA! A puta da sua namoradinha me deve dinheiro.

Era os traficantes, desci e pedi pra eles se acalmarem falei que pegaria o que estava devendo e pediu pra não incomodar mais. Apesar dele ficar me encarando por bastante tempo, ele aceitou a oferta, mas disse que eu ia ter que pagar o dobro por conta dos juros, ou ia morrer ali mesmo.

Ele queria R$1.600,00 eu não tinha todo esse dinheiro e nem como arranjar, só não podia deixar ele perceber, foi então que ela apareceu e falou pega isso aqui e vaza. Ela entregou um malote de pelo menos R$5000,00 pro cara. O cara olhou espantado pegou o dinheiro e fugiu.

Eu: Como você arrumou esse dinheiro? Tem algo mais que preciso saber?

Jade: Era dele mesmo o dinheiro, ele foi tão burro que não conseguiu perceber que eu estava pegando o dinheiro deles. Não achei que ele iria me procurar desculpe.

Essa garota tinha armado isso tudo? Não sei como responder. O que devo fazer?

Jade: Vem cá deixa eu te mostrar um negócio. 

Ela me levou até meu quarto me abraçou e começou a chorar. Nunca vi alguém chorar tanto, estava com pena dela.

Jade: O que mais vou ter que passar pra você me notar?

Fiquei perplexo, ela estava fazendo tudo aquilo por mim? Eu? Um zé ninguém? Estava paralisado, sem saber o que pensar, muito menos que fazer. Coloquei minha mão em sua cabeça, comecei um cafuné para ver se conseguia acalmar. 

Eu: Ei, ta tudo bem eu to aqui com você.

Me senti mais bosta ainda, ela estava passando aquilo tudo por minha causa? Aguentando aquele merda de namorado que eu pensava que era por pena, mas na verdade era pra me fazer ciumes? Eu tava tentando acalma la, mas o choque de realidade foi tão grande e não aguentei e comecei a chorar.

Eu: Me perdoa não ter percebido seus sentimentos antes.

Sua cabeça balançou dizendo sim, ela me abraçou mais forte e com os olhos fechados me deu um beijo, seus lábios eram tão doces e gentis, seu toque foi suave e calmo, diferente de sua língua que parecia ter um desejo ardente contido que fora libertado. Quando acabamos de nos beijar, ela adormeceu,  tentando manter o controle levei ela pra cama e me preparei para dormir. Quando terminei de deitar, ela puxou meu braço e colocou sobre seu corpo magnífico, achamos nossa posição estava tão gostoso que não nos mechemos um centímetro durante a noite.

Ao acordar cedo, nos preparamos para ir a aula, seria nosso primeiro dia como um casal de namorados. Ela não foi minha primeira namorada, mas espero que seja a última. Conversando com suas amigas ela, já contou a novidade e pegou o conteúdo que havia perdido. Fomos para casa dela, conversamos com seus pais e explicamos juntos o que havia acontecido, bom pelo menos a parte que eu sabia. 

Ela me deu carona até em casa e foi pro trabalho. Fiquei jogando um pouco e por volta das sete horas ela chegou. Fiquei feliz que ela tava acertando a vida dela, e que estava saindo da depressão. Vi a mudança que eu fazia em sua vida. Mas ela não parecia compartilhar minha felicidade.

Eu: Flor, aconteceu alguma coisa?

Jade: Fui demitida.

Caraca, não tenho ideia de como consolar essa mulher.

Eu: Quer dar uma volta talvez isso te anime.

Mesmo eu não tendo carteira, sabia um pouco mais que o básico de como pilotar. Pegamos a estrada e fomos até Barra do Sayh, uma das praias de Aracruz. Isso alegrou bastante ela, fizemos castelinho de areia, brincamos na água foi bom pra mim também, sempre bom sair da rotina.

Quando estava amanhecendo resolvemos voltar pra casa. chegamos por volta das sete da matina, ela entrou no banheiro e eu fiquei lá no quarto de boa, só esperando o tempo passar. Não passou um minuto disso e ela saiu desfilando daquela porta ao som do "look what you madeira me do" da Taylor Swift, fazendo algumas caras safadas e rebolando fez minha cabeça explodir de tesão, e ficar duro como aço na parte de baixo.

Sua bunda balançava como dois pandeiros, sua camisa meio molhada e seu short sujo de areia faziam a parecer mais sexy enquanto rebolava, suas poses eram fascinantes e me deixaram louco, enquanto ela abaixava e passava a mão pelo seu corpo ainda vestido eu me perdia em suas belas curvas.

Ela começou a se aproximar e sussurrando em meu ouvido perguntou se queria que continuasse, disse que sim, com um sorriso safado ela se afastou e começou a retirar a camisa, não demorou muito e o short também estava no chão. Ela sentou no meu colo e começou a rebolar, não dava pra acreditar que dava pra ficar mais gostoso, foi então que ela levantou e se empinou de forma que dava pra ver ser enormes e fartos seios em um angulo perfeito.

Em voz baixa ela dizia coisas em meu ouvido, aquilo me excitava ainda mais, ela colocou as mãos pra traz e se afastou, ainda rebolando desamarrou o sutiã e ainda tapando os seios ficou balançando, já dava pra ver que sua bocetinha estava encharcada.

A música acabou e a próxima foi "starving" da Hailee Steinfeld. Particularmente não gostava desse som, mas caiu tão bem com o momento que mudei minha opinião. O calor do quarto aumentava cada segundo, quando finalmente consegui ver seus peitos reparei no suor sexy escorrendo pelo corpo dela.

Jade ajoelhou do meu lado e me deu outro beijo provocante.

Levantei e decidi tomar iniciativa, peguei ela coloquei em cima da cama, retirei sua calcinha e comecei a lamber sua boceta. Tinha um gosto inigualável, era uma sensação tão boa, melhor do que com as outras mulheres que tinha ficado.

Jade: Vai de, continua tá muito gostoso.

Não conseguia parar de lamber, até que ela acabou gozando.

Jade: nossa foi a primeira vez que gozei com alguém me chupando.

Eu: tá querendo me comparar com seus ex?

Ela ficou meio sem graça, meio que acabei cortando o clima sem querer, e ela respondeu meio tímida.

Jade: não não é isso, eu só não achei que era possível sentir tal sensação.

Eu: ficou surpresa só com isso? Te garanto que vou te fazer sentir bem mais.

Ela pegou meu pau e colocou dentro da boceta dela. Do nada senti algo estranho em volta do meu pênis, era sangue. Ela era virgem? 

Eu: ei tá tudo bem? Você tá sangrando.

Estava muito preocupado

Jade: tá doendo um pouco, mas deve ser normal, por que é minha primeira vez.

Nunca imaginei que ela seria virgem e estava se guardando pra mim, eu sou um idiota mesmo por não ter percebido isso antes.

Eu: vou tentar fazer com mais calma então.

Nossos corpos conectados se balançavam de uma forma tão gostosa, a fricção era intensa mais prazerosa, a Jade estava com uma cara tão fofa.

Sem perceber acabei aumentando um pouco a velocidade, estava tão gostoso, pra mim e para ela, foi então que cheguei no meu limite.

Eu: Jade vou gozar.

Ela me entrelaçou com suas pernas e começou a me apertar.

Eu: Jade é sério, vou gozar.

Ela levantou seu tronco da cama e me beijou. Aquele beijo me deixou maluco. Ao término do ato ela disse com sua voz sexy.

Jade: não seria uma má ideia ter um filho seu.

O quanto essa mulher me ama? Estou seriamente assustado. Mesmo assim continuei. 

Eu: não vá se arrepender depois.

Jade: não tem por que me arrepender.

Aumentei ainda mais a velocidade, fiz ela começar a gemer como uma puta, peguei em seus peitos e gritei então tenha meu filho. Gozei litros dentro daquela boceta. Na verdade eu não sei se quero que ela engravide, seria muita responsabilidade para dois desempregados e ela não parecia se preocupar com nada.

Jade: fica comigo pra sempre tá bom?

Eu: claro flor.

No dia seguinte ensinei ela a jogar league of legenda. Apesar de não saber nada sobre o jogo ela aprendia rápido. O problema que ela se viciou naquilo, em menos de uma semana ela já estava level 30. 

Como a gente só tinha um computador, acabei dando minha conta pra ela de aniversário de um mês de namoro. Minha conta era ouro três tinha quase todos os campeões do jogo, várias skins, isso deixou ela encantada e mais animada ainda pra subir de elo.

Ela já estava bem melhor que eu, achei inacreditável a velocidade que essa menina aprendia as coisas do jogo. Ela estava tão viciada que em três meses de jogo já estava no diamante. Achei inacreditável, foi então que ela me fez uma proposta.

Jade: fefe, eu quero virar jogadora profissional disso.

Eu: tem certeza? Se realmente for seu sonho eu te ajudo.

Jade: sim.

Decidi ficar de coach pra ela. Trancamos a faculdade e ficávamos todos os dias variando entre comer, jogar, transar, ver replays das partidas e jogar ainda mais. Sua habilidade melhorou exponencialmente. Ela fazia jogadas absurdas na soloQ.

Não demorou muito para a chamarem para ser reserva de um time. Ela virou reserva da keyd star. Com a seguinte Lane up: yang no top, revolta na jungle, capitão takeshi no meio, micao e esa na bot lane. Os reservas eram ela do meio, Juzinho é jokster no bot.

Na primeira temporada do campeonato ela não teve muita chance de jogar, na semifinal jogo keyd x CNB, seu time estava ganhando de 2x0, e dando um baile tático nos inimigos, ela pediu pra entrar no terceiro jogo e foi escalada.

Todo mundo achou estranho uma mulher entrando junto com os jogadores, ninguém estava acreditando que ia dar certo. Pra falar a verdade nem mesmo eu. O problema é que se ela perdesse, mesmo não sendo sua culpa, não seria provável ela ter outra chance.

Time da keyd: Irelia, kha zix, orianna, Twitch e rakan.

Time da CNB: Cho gath, sejuani, Sandra, Tristana e Janna

Com 5 minutos de jogo o JG e suporte inimigos vieram gankar ela, com maestria desviou de todas as magias e fez uma dupla eliminação no 1x3. Os narradores elogiaram muito a precisão que foi demonstrada.

Ela voltou base e já gankou o bot, dando doble Jill pro micao. Sua visão de jogo apurada fez com que o jogo terminasse em menos de 20 minutos. Suas jogadas rodaram o mundo, ela na elite do cenário brasileiro parecendo jogar contra prata, ela sabia todos os movimentos que precisavam ser feitos.

Na final, foi escalada como titular, carregou completamente o primeiro jogo contra os intrepidoz ( time de lol do INTZ), sua habilidade me surpreendeu muito. No segundo, não foi muito difícil, foi um baile tático. Seu KDA deixou todos emprecionados  em três partidas jogadas ao longo da temporada, ela estava com 48/2/67, isso é monstruoso. Não dava pra acreditar nisso. No terceiro jogo capitão takeshi, re assumiu o posto e acabou com a serie, apesar de ter sido um jogo mais emocionante a vitória foi da keyd.

Jade saiu para comemorar com a equipe, parei pra refletir e não é possível que essa mulher é louca por mim dessa forma. Ela deve estar tramando alguma coisa, uma parte de mim confia totalmente em sua fofura, mas não sou idiota de não desconfiar que possa ter algo por traz. Resolvi não conversar sobre esse assunto, ela iria disputar o MSI ( campeonato de meio de temporada, que os campeôes de cada região participam ), em algumas semanas e poderia acabar prejudicando seu desempenho.

Quando ela chegou eu já estava deitado, fingi estar dormindo para não entrar nesse assunto, ela deitou do meu lado, me abraçou e disse obrigado por ser o namorado perfeito. Minha desconfiança foi ao limite. Ela com certeza está tramando algo, eu nunca fiz algo por ela.

Parei de pensar nesse assunto e acabei caindo no sono, ao acordar, a moça já avia saído, fui escovar os dentes e vi uma marca de beijo de batom, achei bem fofo ela ter feito isso, comecei a falar comigo mesmo.

Eu: Ela não deve estar tramando algo, ela é tão fofa, perfeita.

Eu: É, mas não tem como nada ser tão perfeito, ela está escondendo alguma coisa.

Eu: Mas o que ela quer de mim? Não tem nada que possa servir pra ela.

Resolvi dar tempo ao tempo e resolver isso quando estivesse certo do que falar. Coloquei as coisas em ordem, dei faxina na casa, paguei o aluguel, e resolvi ir pra São Matheus ficar um pouco com minha família. No campeonato Jade entrou como titular incontestável, praticamente carregando o time chegou as quartas de final, mas acabou perdendo para Skt ( campeão Sul Coreano, considerado melhor time do mundo e campeão mundial quatro vezes em 2013,2015,2016,2017. ).

Não demorou muito para ela voltar pra casa, apesar de estar feliz em ouvir as histórias dela, fiquei pensando muito naquilo, sem transparecer muito, fiquei trocando ideia com ela, conversamos sobre assuntos diversos. Ela parecia tranquila, nem triste por ter perdido, nem feliz por ter ganhando, nem parecia que ela tinha participado de um campeonato de cunho mundial.

Fomos para uma churrascaria. Pedimos 1Kg de picanha, 3 pães de alho, arroz, tropeiro e farofa. Ela parecia mais feliz que antes.

Eu: Aconteceu alguma coisa?

Jade: Por que?

Eu: Você ficou feliz do nada, só achei estranho.

Jade: Bem é que se parar pra pensar em quatro meses de namoro essa é a primeira vez que estamos saindo.

Eu: Verdade, vamos aproveitar bastante então.

Comemos bastante e fomos pra casa.

Jade: Ai, to muito cheia, acho que vou estourar.

Eu: Com essa barrigona ai, acho que não.

Jade: Ta me chamando de gorda? (voz irônica)

Eu: Ué, você é minha gordinha linda ( voz de criança )

Abracei ela e acabei estragando o clima pedindo para conversar.

Eu: Flor, já pode me contar o que está acontecendo.

Jade: Han? Do que você ta falando?

Eu: Olha, você é linda, melhor jogadora de league of legends do país, esperta e maravilhosa. Você é perfeita, o que te faz querer um zé ninguém como eu?

Ela ficou assustada.

Jade: Você ta brincando né?

Eu: Você acha que eu to brincando? Eu sempre gostei de você, sempre quis ficar com você e do nada você aparece na minha porta quase morrendo e vira minha mulher? Ainda diz que estava namorando para me fazer ciúmes? E que tem dezenove anos e é virgem? Eu posso ser burro, mas trouxa não. Anda logo libera o jogo.

Ela desabou não chão em lágrimas.

Jade: Você que sempre me ajudou, a resolver os problemas, você era a única pessoa que se importava comigo que me tratava bem, que me passa segurança, eu só queria retribuir isso.

Ficamos quase que imoveis até que ela levantou e gritou.

Jade: Fernando eu te amo!

Estava tão fora de mim que minha reação foi rir. Ela olhou para mim com uma cara de nojo, eu realmente era o homem ideal dela? Se virou de costas e correu, deixando suas lágrimas pelo ar, foi ai que percebi a merda que tinha feito, não estragado minha vida, mas como a dela também.

Corri atrás e consegui alcançar.

Eu: Flor, me desculpa eu não sei o que deu em mim, eu... eu... eu também te amo, só que não consigo acreditar que você faz todas essas coisas por mim. Desculpe pela forma que falei isso, não queria ter gritado, muito menos te magoado, se depois disso você não quiser ser mais minha namorada, te suplico para pelo menos sermos amigos novamente. Por favor perdoa esse idiota.

Ela virou com uma cara seria.

Jade: Não, não consigo ser sua amiga.

Me senti arrasado por dentro.

Jade: Mas quem foi que disse que terminamos? ( falou enquanto limpava as lágrimas do rosto )

Eu: Prometo não duvidar de seus sentimentos de novo.

Voltamos para casa, e o clima romântico estava re-estabelecido.

Jade: vou provar que estava falando a verdade.

Ela abaixou minhas calças assim que chegamos no quarto, me jogou em cima da cama e começou a passar a lingua em volta do meu pau.

Eu: Então prova, linda, ahhh isso vai chupa.

Enquanto me masturbava com uma das mãos, colocava a pontinha da minha rola em sua boquinha, aquilo estava me matando, não demorou pra ela começar com a garganta profunda.

Ela me olhava com um olhar safado, enquanto chupava, eu só conseguia gemer e aproveitar até gozar.

Jade: isso joga esse seu leitinho gostoso na minha cara.

Ela ficou toda lambuzada com minha porra. Derrubei ela no chão e passei a língua em sua calça de forma que ela pudesse sentir o movimento em sua boceta.

Seu gemido foi tão fofo, tirei seus jeans e passei um tempo beijando suas belas coxas. Sua excitação deixava seu rosto ainda mais safado, parecia estar transbordando de prazer.

Resolvi tirar a calcinha, na hora que vi achei meio nojento, seus pêlos pubianos estavam aparecendo bastante. Não quis estragar o clima de novo e comecei a lambe-los, minha amada parecia estar gostando então continuei até perceber que já estava vazando bastante líquido de sua vagina.

Seus lábios pareciam maiores, antes de dar atenção ao ponto G, dei uma circulada em volta deles, para provocar um pouco mais dei umas leves mordidinhas em suas coxas e voltei a dar atenção aos lábios maiores.

Parecia que a estava enlouquecendo, agora vou pra cima desse clitóris, na mesma hora que passei a língua pela primeira vez, seu corpo tremeu e sua mão apoiou minha cabeça, só conseguia escutar seus gemidos sexys.Escutar isso é tão prazeroso.

Consegui fazê-la chegar ao orgasmo só com a boca. Ao ponto de não conseguir continuar com o sexo. Ela deixou que eu tirasse fotos para terminar sozinho no banheiro.

No dia seguinte apareceu um demônio lá em casa, gritei esteticamente, ele estava no banheiro, nunca vi um bicho daquele tamanho. 

Jade veio correndo para ver o que tinha acontecido, ela estava bem descabelada e tinha acabado de acordar, mas continuava linda.

Eu: Cuidado amor! O bicho vai te pegar.

Jade: sério isso você tá com medonho dessa barata?

Eu: ahhhhhh mata mata.

Jade: se eu matar ela você faz um favor pra mim?

Eu: sim qualquer coisa.

Ela pegou um chinelo e matou o bicho de forma rápida e cruel.

Jade: vem aqui comigo

Ela me levou de volta pro quarto e começou a mexer em suas roupas. Tirou um vestido mediu em mim, pegou algumas de suas camisas e fez a mesma coisa. Pronto essa aqui vai dar.

Eu: como assim?

Jade: Mor você disse que ia fazer qualquer coisa se eu derrotasse aquele terrível e maléfico inseto.

Eu: tá certo pode esperar que vai ter volta.

Tive que tirar minha roupa e vestir calcinha, sutiã, uma camisa baby look preta da Hurley, jeans azul claro e salto alto. Ainda por cima encher o sutiã com papel higiênico, mas confesso que fiquei gatinha.

Jade: então amiga onde você quer ir?

Eu: O que a gente vai sair de casa? Mas nem fudendo.

Jade: você vai quebrar sua promessa?

Forçado a sair vestido daquele jeito fomos primeiro a uma loja de perucas, escolhi um cabelo longo loiro que batia na cintura, modéstia parte fiquei gostosa pra caralho.

Depois fomos ao shopping, vários caras deram em cima de mim, minha namorada ficou até com vergonha. Parecíamos duas lésbicas andando por aí.

Ser olhado e desejado desse jeito era estranho, mas muito gostoso. Estava ficando excitado, na primeira loja de roupa que vi entrei, peguei algumas roupas femininas pra desfarçar e entrei na cabine junto com a jade.

Eu: vamos continuar de onde paramos ontem?

Jade: aqui mesmo?

Eu: não precisa de um lugar melhor.

Só abaixei a minha calça e a dela pra começar a meter. Tapei sua boca, com algumas calcinhas que tinha pego e continuei metendo.

Pelo espaço ser pequeno ela estava só apoiada na parede virada de costas pra mim. A sensação de fazer em "público" era muito boa. Sua boceta estava tão gostosa me sentia no céu.

Eu: flor vou gozar.

Tirei as calcinhas da boca dela.

Jade: vai eu também, ahhh ahh, goza dentro.

Espero não ter engravidado ela. Mais sair vestido de mulher assim era muito gostoso, comecei a passar batom e me maquiar, fazíamos isso todos os dias, sempre em lugares diferentes, restaurante, bar, parque , banheiro público, restaurante, praia, até na parte de trás do ônibus.

Estávamos viciados nisso, mas chegou um ponto onde tivemos que parar, pois os lugares que fazíamos e como fazíamos já não importava. Estávamos tão depravados que quanto maior a chance de sermos pegos, mais vezes a gente fazia. Apesar disso ela nunca deixou eu dar uma entrada na porta de traz, também não sou de pedir muito.

Aproveitamos que a segunda temporada que dava vaga para o mundial de League of Legends, ia começar e resolvemos parar com isso. Ajudei ela a deixar as coisas arrumadas, para quando tivesse que voltar para o centro de treinamento do time. Fomos dormir bem cansados, o sexo que fazíamos tinha ficado muito intenso.

De manhã bem cedinho recebemos um comunicado do time sobre propostas recebidas, tinham propostas de vários times de renome mundial como Royal ( China ), EDG ( China ), Samsung ( Coréia ), G2 ( Europa ) e Immortals ( América do Norte ). Não quis influenciar na decisão, mesmo ela torrando a paciência não abri a boca para falar um a.

Depois de escolher ela me chamou para conversar.

Jade: Fer, vamos fazer uma coisa estúpida que provavelmente vamos nos arrepender no futuro?

Aparentava ser uma coisa séria pela sua fisionomia. Deve ser algo sobre sua transferência, será que ela quer ficar no Brasil?

Eu: Claro, por que não, acho que já sei do que se trata, não me parece uma ideia tão ruim.

Jade: Você ta falando sério? Como descobriu?

Eu: Eu não sou qualquer um, sou Fernandinho Falcão.

Jade: Uau, não sabia que estávamos na presença de um deus aqui. Então vamos lá?

Entramos no carro, ela parecia tão feliz de eu ter aceitado a decisão de ficar no país. Até que...

Jade: Chegamos!

Eu: O que? já?

Jade: Sim, o que você vai tatuar? já escolheu?

Eu: Han? Do que você ta falando?

Jade: Ué? Você não disse que já sabia? Ahhhh pera aí, você não pensou que eu decidi ficar no país né?

Eu: Claro que não né Jade, isso nunca passou pela minha cabeça, mas e ai o que você vai tatuar?

Jade: Poxa... Eu perguntei primeiro.

Eu: Verdade, mas eu ainda não decidi.

Jade: Eu pensei em a gente tatuar algo com tema sexual, pra mostrar essa fase que a gente passou.
*PENSAMENTO DELA: Ele nunca vai aceitar algo assim, não sei nem por que tive essa ideia besta, até eu to achando estupida agora.*

Caraca, ela tá tão feliz, por que eu fui dizer sim sem saber do que se tratava? Bicho burro. Não da pra dar pra traz agora. Quer saber? Ta no inferno abraça o capeta.

Eu: Pode ser, achei legal.

Jade: O que? sério? Você ta bem? Tem certeza que não ta passando mal? 

Será que ela ta fazendo isso só pra ver se eu ainda ta desconfiando dela?

Eu: To bem sim, só achei fofo da sua parte querer fazer isso, a última coisa em casal que você propos eu achei que não fosse gostar, mas a gente passou quase duas semanas fazendo todo dia.

Jade: Ownnnn, é por isso que te amo, o que você achar de eu tatuar de lado na minha bunda passando pela costela " Deposito de porra do Fernando"?
*PENSAMENTO DELA: Que droga, isso era só pra testar ele, mas tenho certeza que ele não vai aceitar essa tatuagem.

Meu deus, ela deve estar gastando com certeza, mas eu vou até o fim nesse jogo.

Eu: Não sabia que você se sentia assim, mas já que você quer, me da uma ideia para o meu?

Jade: O queeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee, você aceitou assim de boa?

Eu: Sim, achei até bonitinho, o que você acha do meu ser "Brinquedo sexual da Jade Rosa?

Jade: Perfeito, parece até combinar.

Fizemos a tatuagem, apesar de ser um texto meio merda, e de achar que ela estava me testando, é uma forma saudável de demostrar amor e ficou até bonitinha. Ao chegar em casa, ela veio falar comigo.

Jade: Fernando, me desculpa, minha ideia não era fazer a tatuagem, eu queria te testar pra ver se você ainda achava que eu tava conspirando contra você.

Há há, eu sabia.

Jade: Fico feliz de termos feito, apesar de não querer fazer, eu gostei do resultado.

Eu: Eu também achei que era uma ideia meio merda, mas gostei bastante do resultado também. E aí achou uma proposta que lhe agrade?

Jade: todas são muito boas, mas a comunicação seria muito difícil na China ou na Coréia. E eu tô querendo um desafio, quero fazer um time norte americano campeão do mundial.

Eu: Uau, então você vai aceitar a proposta da immortals? 

Jade: não só deles como da Riot também vou ser garota propaganda do jogo. E te mais uma coisa que preciso te falar.

Eu: o que é?

Jade: você vai ser o coach do meu time, mas é pra ajudar a equipe e também vamos ter que parar um tempo com as nossas selvageria.

Eu: você tá falando sério? Como eles descobriram que eu te ajudei a treinar.

Jade: segredo.

Provavelmente ela deve ter contato, que treinava comigo. Peguei a no colo e comecei a girar, feito pião. Estava tão contente, agora eu poderia me tornar independente dela, mas continuar auxiliando em suas partidas e ganhando meu próprio dinheiro.

Fomos focados somente no campeonato, quem olhava pra gente não dizia que éramos namorados. Super concentrados e mantendo nossos esforços, conseguimos aumentar o nível da equipe.

Não foi difícil vencer o campeonato, ganhamos sem ter ao menos uma derrota. O mais difícil era conter os desejos sexuais. Porém ainda não tínhamos conquistado o objetivo de finalmente trazer um título mundial para a América do norte.

Em relação aos comerciais, jade se saiu super bem, ficou engraçado e bem divertido. Apesar de já ter um salário absurdo é sempre bom ter de onde tirar um pouco a mais.

O time estava confiante com o mundial, durante a fase de entrada estudamos todos nossos adversários, até mesmo os mais fracos.

Ainda invictos chegamos as semifinais, onde passamos por 3x1 da Royal, a SKT T1 ( considerado melhor time do mundo e único time que venceu mais de duas vezes esse campeonato, chegando a ter seus quatro títulos ), acabou caindo nas semifinais outro time coreano a ROX Tigers e os times brasileiros não foram mals, os dois passaram da fase de grupos.

Praticamente o mundo todo torcia, exceto a Europa, torcia pra gente, pois o primeiro campeão mundial era europeu e a única vantagem que eles tinham sobre o cenário norte americano era esse título.

O jogo contra a ROX, não foi muito diferente dos jogos da semifinais, sempre com as mesmas estratégias de finalização de partida, mesmo sabendo disso a diferença de nível entre a Jade e outros jogadores era imensa.

Já tinham acontecido quatro partidas bem intensas e disputadas, já era a melhor final de todos os tempos. No último jogo os adversários usaram todos seus bandana em cima dela é como começavam escolhendo já garantiram seu campeão da rota do meio, o problema é que nossa equipe não esperava uma estratégia dessa na fase de escolha e também tiramos alguns personagens da rota do meio.

Não tínhamos outro pick forte na rota, então decidimos inovar pegamos irelia meio ( campeã utilizada geralmente na rota superior ) e colocamos um Rumble no topo,  aproveitamos o jogo anormal e fizemos uma inversão, colocamos a dual Lane no meio e a Jade jogou contra dois no bot.

Criamos uma rápida vantagem, apesar de ser muito arriscada a estratégia ela deu certo e ganhamos o jogo sem dificuldades. Campeões mundiais, como isso estava acontecendo? Não dava pra acreditar.

Morrendo pouquíssimas vezes no campeonato inteiro, não tinha como considerar outra pessoa como MVP ( jogador(a) mais valioso(a) ) a não ser ela.

Todos os jogadores pediram pra desconsiderar o campeonato dissenso que ela tomava remédios e pediram um exame antidoping. Jade não se negou a fazer, mas a empresa diz não ter necessidade, ia pegar mal pra eles se a mulher propaganda e melhor jogadora do mundo quebrasse as regras do jogo.

Durante um dia inteiro a equipe inteira sofreu ataques de ódio, aquilo estava fazendo um mal absurdo para todo mundo, e a fazendo entrar em depressão novamente. Como eu poderia evitar isso?

Pensei e percebi que a única maneira era provar que todos estavam errados, conversei com o time e eles concordaram comigo. Chamamos o comitê olímpico e eles fizeram todos os testes.

O resultado deu negativo para doping, isso provava sua inocência, mas ninguém acreditou, todos pensavam ser uma farsa. Até que os mesmos jogadores e até atletas que não estavam envolvidos na polêmica a defenderam.

Depois disso os ataques cessaram e pudemos viver em paz novamente, ela não queria ter que passar por isso de novo e acabou decidindo sair do rumo de pro player e resolveu seguir caminho pelas streams, virando assim uma das streamers da keyd, time que começou sua carreira.

Suas visualizações eram disparadas as maiores de qualquer site de streaming, passando até gigantes como Yoda, além de continuar fazendo propagandas para Riot.

Ainda nos EUA eu comecei algumas faculdades de marketing, artes plásticas, uma de fotografia e outro de design gráfico. Consolidar todas era uma tarefa difícil,  e conseguir manter minha vida perto dos e-sports era impossível, então resolvi largar meu trabalho de coach e só estudar. Pelo menos várias matérias se cortavam durantes os períodos.

Jade não se importava em me bancar, não faltava dinheiro pra ela, pelo contrário, sobrava e muito. Não conseguíamos conciliar nossos horários, praticamente estávamos só nos vendo direito finais de semana e feriados.

Esses dias eram sagrados pra gente, combinamos de eu não estudar e nem ela jogar. Não dávamos muito mais atenção para o sexo, fazíamos coisas como almoço, ver filmes e sair para o shopping lanchonetes e praia.

Durante esse tempo, resolvi a voltar a fazer teatro, já que já tinha experiência e estava fazendo algumas faculdades que poderiam ter ligação com a área, poderia me ser útil no futuro.

Foram longos cinco anos de vida, porém nesse período, descobrimos que Jade tinha uma rara doença tratável, que a deixava infértil. O tratamento não era nenhum pouco complexo, quase não precisou de remédios fortes usou um ou dois durante alguns meses e teve de mudar a alimentação.

O problema era o efeito colateral do remédio, a deixava muito exitada e com vontade de transar. Por conta disso deixamos o tratamento para depois que eu me formar.

Com dois meses de tratamento ela já estava fértil novamente, o problema foi que voltamos a fazer sexo selvagem e depravado. Não que isso seja um problema, na verdade gostei bastante.

Nossos dias eram basicamente acordar, fazer sexo, comer, transar mais, comer de novo, fazer sexo no banho, trabalhar, fazer mais sexo, comer, fazer sexo na cama e dormir, mantendo o padrão de finais de semana sem trabalho e sem sexo.

Com trabalho eu digo as streams, enquanto ela jogava e interagia com o público eu ficava divulgando e trabalhando usa imagem, além de auxiliar a tomar conta das suas redes sociais, respondendo fãs e interagindo em fóruns.

Com essa rotina não demorou muito pra ela ficar grávida, sendo amiga de todo mundo, várias pessoas mandaram seus sinceros parabéns, fizeram doações de fraldas e roupinhas de bebê de cor neutra, pois não sabíamos se era menino ou menina.

Tentamos mudar bastante a rotina, mas não conseguimos então resolvemos ficar só com o sexo oral, para não acabar prejudicando a criança com nossas maluquices. Passados seis meses de gravidez, já no segundo trimestre, ela acabou pegando uma infecção urinária e perdendo o bebê, fazia tempo que não tinha visto ela tão triste.

O quarto já estava praticamente pronto só faltava a criança. Também fiquei bem abalado, mas como sabia o quão emotiva ela é tive que me manter forte.

Todos seus amigos de time e entidades famosas mandaram seu apoio, mas isso não a animou, na verdade acabou ficar ainda mais deprimida, por pensar ter decepcionado a todos. Em tentativa desesperada de ter outra  criança, acabou tomando várias doses do seu remédio, o que a transformou numa ninfomaníaca, querendo sexo todo dia.

Tive que intervir e colocar um pouco de juízo nela, ela continuou com aspecto ninfomaníaco, mas ao menos só dentro de casa quando a sós comigo.

O nível de depravação subiu absurdamente. Chegando ao ponto dela amar "chuva dourada" e pedir constantemente para eu mijar em seu corpo. Nas primeiras vezes achei bem estranho, mas por ela estar seguindo o combinado eu fiz, aquilo era tão nojento, mas tão nojento que acabou ficando gostoso.

Durante o sexo nossa sanidade se esvaía, éramos como animais feitos um para o outro. Mesmo assim não conseguimos ter um bebê, sendo que ela continuava fértil. Talvez fosse por conta da quantidade excessiva de remédio, que ela havia tomado.

Depois de mais de 7 anos de namoro, resolvemos nos casar, nos esforçamos juntos para substituir o tempo do sexo pelas preparações da festa. Em uma semana arrumamos as coisas e fomos para cerimônia. Foi até rápido, mas durante os cinco anos de investimento, ela escondida de mim já havia organizado boa parte e sozinha bancou a festa inteira.

Na igreja, ela estava tão bela, desfilando sob o tapete vermelho feito uma rainha, com seu vestido branco aveludado, a calda longa, que se arrastava pelo chão coberta de flores atiradas pelas damas de honra. Para fechar o acordo divino, nossos lábios se tocaram em frente de quase 50 mil pessoas presentes.

Na festa, falei com gente que fazia tempo que não via, o pessoal da faculdade, onde nós conhecemos, todos nós desejando felicidades, até mesmo o ex dela, que parecia até mais amigável com sua nova namorada. 

Contratamos um serviço espetacular, no buffet tinha cada camarão grande, não sabia que eles cresciam tanto, um caviar delicioso, os vinhos servidos, todos tinham descanso de pelo menos 20 anos. Não sei quanto ficou essa festa inteira, mas creio que só o jardim de rosas e lírios deva ter ficado por volta de sete mil reais.

No final quando todos já estavam bêbados, do palco central onde eu e jade estávamos, surge uma mulher loira. Demorei pra perceber quem era.

Eu: Taylor Swift?

A moça começou a cantar "look what you madeira me do", era realmente ela a Taylor. Agora eu realmente fiquei preocupado com o cachê, mas foi sem dúvidas o melhor casamento que alguém poderia imaginar.

Quando fomos pra casa depois da festa, Jade estava totalmente bêbada e eu não me aguentava em pé. Ainda vestida com boa parte do vestido de casamento, foi direto pro banheiro vomitar. Eu fui atrás curioso com o que estava acontecendo, quando entrei perdi totalmente o controle do meu corpo e apaguei.

Quando acordei, Jade estava toda vomitada, com minha cabeça em seu colo e sua boca na minha. Ela percebeu que eu tinha levantado, chorando me disse:

Jade: que bom que você tá bem.

Achei que ela tava falando do desmaio, mas percebi que quem tinha sujado ela daquele jeito tinha sido eu. Me levantei e ia me dirigindo para o vaso.

Jade: aonde você vai?

Ela me olhou com uma cara sexy, enquanto esfregava meu vômito no seu corpo, fiquei ainda com mais vontade de gorfar. Percebendo isso, se aproximou de mim e me beijou enquanto eu despejava a comida do nosso casamento em seu estômago.

Minha rola ficou muito dura com isso, sua língua envolvia a minha enquanto sugava os dejetos de dentro da minha boca. Estava tão molhado e excitante.

Virando de costas e abaixando se e ficando de quatro falou hoje vou finalmente deixar você comer minha bundinha. Pirei na hora, comecei a lamber aquele lindo buraquinho redondo, enquanto escutava seus gemidos safados eu me deliciava com o gosto do seu ânus.

Em todos meus pensamentos mais safados não imaginava que lamber minha a bunda de minha esposa, com vestido de casamento e coberta de vômito, enquanto com meus dedos dava atenção para  sua bocetinha e seus sinceros e altos gemidos seria o que mais sentiria prazer.

Perdi a noção do tempo que fiquei ali, sei que fiz ela gozar umas umas cinco vezes, tendo orgasmos múltiplos, com espasmos que pareciam estar a possuindo, chegando a ponto dela perder a consciência.

Resolvi parar assim que isso aconteceu, mas pelo menos descobri que ela sente muito prazer pela bunda. Dei banho nela e a coloquei na cama, fui tomar meu banho e parei pra pensar é assim que quero viver para sempre?

Ja estou com 24 anos, tenho uma mulher linda que consegue não só me sustentar, mas tem dinheiro de sobra e ainda me ama e adora sexo. A que ponto vale deixar minha vida de lado, com cinco faculdades completas, para cuidar da vida dela?

Sai de lá e resolvi colocar o tempo que investi no teatro em prática, nunca tinha apresentado uma peça para mais de 500 pessoas, mas já tinha formação em dois cursos e estava formado em artes e design, o que poderiam me ajudar bastante na hora de conseguir o papel.

Dei uma olhada nos horários dos testes de uma peça perto de casa, no mesmo teatro que pratiquei. Tinha um logo depois do almoço, como meu inglês já estava bastante evoluído resolvi tentar. Peguei algumas falas de personagens que já tinha apresentado no Brasil. Creio que ninguém aqui deva saber que eles são clássicos brasileiros.

Era o visconde do sítio do Pica-pau-amarelo, mas suas falas adaptadas foram boas para aquela peça, mas não iam me garantir o papel. Foi aí que Jade acordou e tive uma grande ideia. Falei pra ela o que estava acontecendo, mas sem contar o porque de querer fazer isso é pedi algumas roupas emprestada e peguei aquela peruca que usava para me vestir de mulher.

Pedi ajuda pra ela para trabalhar a voz, fiquei das seis da manhã até o meio dia me preparando. Minha esposa estava emprecionada dizendo que eu realmente estava parecendo uma mulher, o modo de falar e andar, acho que isso já deve bastar.

Almocei rápido e corri para chegar, pelo horário que cheguei acabei sendo o último a me apresentar. Improvisei qualquer coisa, fiz alguns passos de dança engraçado, mas o que imprecionou os jurados foi quando retirei a peruca e me mostrei como homem.

Todos ficaram surpresos. Parecendo nem dar bola continuei com a esquete, e mostrei que conseguia atuar como homem é mulher. No final todos me elogiaram e pediram para que espera-se um pouco. Aproveitei e coloquei o papo em dia com meus amigos que ainda faziam teatro e com os professores da academia. No final da tarde me chamaram.

Professora: Fernando por que você quer esse papel?

Eu: só quero provar pra mim mesmo uma coisa.

Professora: Mas porque não escolheu um personagem da peça?

Eu: bom pra ser sincero eu nem sei de qual peça vou participar.

Professora: é do Mulan Rouge, aquela do cabaré, a gente já trabalhou com ela.

Eu: beleza, eu consegui o papel?

Professora: então eu acho que consegui algo melhor para você.

Fiquei sem entender, até que saiu um cara, velho de trás da porta do camarim, era um dos jurados.

Velho: é disso que estamos precisando. Jovens com talentos.

Eu: muito obrigado, mas então tem como me explicar o negócio do papel?

Velho: você não tá me reconhecendo? Bom creio que não já sou bem velho não é mesmo?

Eu: que nada.

Olhei para cara da professora que se acabava de rir.

Velho: não precisa falar assim, sei que já estou com idade avançada, mas sou o criador da obra 007 e gostaríamos de tê-lo em meu próximo filme. Você aceita?

Eu: você tá falando sério?

Professora e velho: sim

Velho: seu talento para atuar como homem e mulher, fazem de você uma ótima escolha para um filme de espionagem, da até pra pensar em algumas cenas engraçadas. Bom as filmagens acontecem depois de amanhã, se quiser aparecer, vá para esse endereço.

Peguei o cartão, super feliz de ter passado.

Eu: é claro, pode contar comigo.

Correndo cheguei em casa e contei a novidade para Jade, que pulou em meus braços, parecia estar mais feliz que eu. Foi a primeira vez que percebi um brilho tão intenso nos seus olhos cor de violeta, eles brilhavam como estrelas encantados por mim. Agora eu podia ser um astro de cinema. 

Estavao dia inteiro sem ir no banheiro, então resolvi ir rapidinho.

Eu: amor vou no banheiro rapidinho.

Por que fui abrir a boca?

Jade: ham ham, pode fazer aqui, que sua cachorrinha tá esperando o suquinho dela já faz um tempo.

Disse isso enquanto apontava para sua boca.

Tirei as calças e começou a sair, tentei mudar na boca dela, ela engoliu boa parte, enquanto o que caia ela esfregava em seu corpo. Quando eu estava terminando, ela me olhou com uma cara safada e abaixou a cabeça, o jato do mundo ficou mais forte e foi direto em seu cabelo.

Jade: poxa amor, até no cabelo?

Assustado, falei.

Eu: você que abaixou a cabeça.

Ela levantou e me beijou. Fiquei estático.

Jade: eu sei novo, te amo muito.

Continuei parado, aquilo que eu tinha provado era o gosto do meu mijo?

Jade: ué o que aconteceu? Ah é verdade, essa é a primeira vez que você prova seu xixi. E ai gostou se quiser pode experimentar o meu.

Eu: só se for agora.

Derrubei ela no sofá, puxei suas calças e ela começou a soltar. Enquanto lambia sua boceta, seus jatos iam na minha cara, eu fiquei brincando com seus seios, sentindo o gostinho de seus líquidos. Aquilo era tão bom. Depois de provar bastante, coloquei ela de ponta cabeça, para que escorresse e ela pudesse sentir o mesmo que eu.

Começamos a nos beijar, era o beijo mais molhado que demos, nossas línguas se entrelaçavam de uma forma espetacular. Foi aí que o raio do relógio atrapalhou e nos mostrou que já estava bem tarde e de manhã eu teria que ir no local marcado.

Eu ainda queria continuar, mas fui impedido por minha mulher, não acreditei que ela estava me negando sexo pro meu bem, isso só provou que havia conseguido sair da depressão e que eu tinha feito a escolha certa para minha vida.

Ao acordar tomei um bom banho que valeram por uns vinte e escovei tão bem os dentes que pareciam marfim. Fui ao local marcado, e realmente gravamos o filme, não posso dar muitos detalhes do roteiro, mas eu era uma agente infiltrada que era aliada de James Bond. Me mantive calmo e confortável durante as filmagens, poucas vezes tiveram que repetir a cena por erro meu.

As filmagens foram muito divertidas e não ocupavam grande espaço do dia, já que podia ajudar Jade com suas streams dali mesmo, durante os intervalos. Inclusive algumas vezes levava ela para acompanhar a produção, que por ter mais experiência por conta dos comerciais, me ajudava bastante.

Passados seis meses, filme quase pronto, acabei conseguindo encaixar ela em um dos papéis do filme. Era uma espiã que aparecia uma vez, mas o importante é que era ela.

A crítica sobre o filme foi muito positiva, por eu ser desconhecido, tinha um cachê baixo, comparando com os outros coadjuvantes, várias propostas chegaram pra mim, mas nenhuma como algum personagem de relevância e de filmes que olhando para o enredo não iriam fazer sucesso. Bom era meu primeiro filme, apesar de não ter atuado mal, não iria ganhar papéis importantes e participar de vários Blockbuster do dia pra noite.

Finalmente eu conquistei o meu dinheiro sem ter que depender de minha esposa. Me senti finalmente liberto, era o dinheiro que tinha ganhado com meu esforço. Apesar de ser tão importante pra mim, eu não preciso disso. 

Resolvi dar o dinheiro para um hospital que trata de pessoas com câncer e depressão, doenças bem sérias, minha mulher me apoio nessa e deu uma quantia que se equiparação a minha.

O tempo passou, eu vivendo minha vida normal com a Jade, isso é se a nossa vida pode ser chamada de normal. Confiamos, transávamos, eu lhe ajudava com a streaming e imagem, enquanto começava a cuidar da minha e analisava propostas de próximos filmes. Até que aparece os indicados para o Oscar, onde eu fui qualificado como melhor ator coadjuvante.

Eu tava pouco me lixando para isso, apesar de ser uma boa chance pra alavancar minha carreira. O filme foi indicado a 13 estatuetas, sendo elas: melhor filme, direção, efeitos visuais, direção de arte, efeitos sonoros, montagem, figurino, som, trilha sonora, canção original, efeitos especiais, melhor ator e por último melhor ator coadjuvante. O problema que a Jade não queria me deixar quieto, dizendo coisas como você vai ganhar, ela virou a noite preparando um discurso pra mim.

Ela fez uns sete minutos de fala, gravei cada palavra, mesmo achando que não ia ganhar, fiz isso pra agradar, afinal ela pagou o curso de teatro, bancou minha quatro faculdades, era o mínimo que podia fazer. Recitava pra ela o discurso todas as noites e todas elas ela chorava de paixão.

No dia da cerimônia, ela já parecia saber que eu ia ganhar, estava toda animada, até fez as tarefas de casa que sobrariam para mim como limpar o chão e passar pano, arrombou o quarto, deixou tudo bem arrumadinho.

Fomos os primeiros a chegar, aproveitamos bastante a cerimônia, até que chegou o momento.

Apresentador: "And the Winner of The acadamy for best actor in a supporting rolê ia Fernando Falcão, for the participation on the 007's movie.

Estava chocado, realmente ganhei. Fui ao palco fazer o discurso, já pronto, onde contei parte de minha história de vida e como cheguei até ali. Emendei seu discurso em algumas palavras minhas que vieram do coração.

Eu: Muitos diziam e ainda dizem que foi um erro termos nos casados, somos jovens ainda muita coisa pra viver, mas tudo que temos apoio um do outro da certo, bom a maioria das coisas na verdade. Vamos provar pra essas pessoas que elas estão erradas, não conseguiria nada disso sem você. Espero ser pra você o que você é pra mim. Jade Rosa, eu te amo muito do fundo do meu coração.

Todos no local ficaram emocionados, mas só conseguia prestar atenção em uma pessoa, minha amada que chorava feito uma garotinha da quinta série, sua maquiagem escorria junto suas lágrimas de felicidade e paixão.

Chegamos em casa mortos, não estávamos muito bêbados, mas bem cansados, ficamos muito tempo sentados e aproveitando daquela delícia de festa.

No dia seguinte apareceram várias propostas, nenhuma como ator principal, mais a maioria deles de filmes de primeira mão que antes de saírem do papel já estavam entre os favoritos para o Oscar. Jade recebeu um convite para participar do lady's night, programa da Tatá Werneck no multishow.

Sem pensar muito ela aceitou o convite, resolvi ir junto dela para o Brasil, aproveitar e ver minha família que não via desde o dia do meu casamento.

Resolvi não anunciar que estava voltando para casa, para pegar todos de surpresa, mas o preço que pagamos por ser famosos é aparecer o tempo todo na imprensa. Assim que chegamos em solo brasileiro, foi anunciado " Ator ganhador de Oscar volta ao país depois de quase seis anos.

Me despedi de minha mulher e peguei um vôo para o Espírito Santo, ainda bem que não fui reconhecido dentro do avião. 

Fui direto para casa, dei um baita susto em minha mãe que não tinha visto o jornal ainda e não sabia que eu tinha vindo.

Mãe: e então muleque, quer dizer que você, virou ator? Parabéns pelo prêmio lá, o tal de Oscar.

Eu: valeu mãe e ae o pessoal tá em casa?

Mãe: vixe, o seu irmão foi pescar com seu tio, só devem voltar semana que vem pra ver o jogo do Aracruz.

Eu: vai ser contra quem o jogo você sabe?

Mãe: pó menino logo você que era viciado nisso sabia todos os jogos.

Eu: pó mãe qualé, da um desconto faz tempo que eu não consigo acompanhar o time. Se pá eu fico aqui pra ver.

Mãe: É a final do campeonato contra o Rio Branco, vai ser no domingo.

Eu: beleza, acho que vai dar pra ver.

Peguei o histórico do clube e comecei a estudar táticas e formações, o time estava ganhando tudo, no 4-2-3-1, peguei a lista de jogadores relacionados e me surpreendi. Pedro Pipi, era o atacante central e artilheiro da competição disparado com 13 gols, era sem dúvidas a melhor campanha da equipe.

Fui para meu antigo quarto, estava mais ou menos do jeito que eu tinha deixado, meus atingia brinquedos, meus álbuns de figurinhas.

Eu: sério que você guardou isso tudo?

Mãe: do jeitinho que você deixou.

A nostalgia bateu, olhei página por página de todos eles, tinha do Pokémon, Harry Potter, copa do mundo de 2006, 2010 e 2014, além de muitos outros todos completos.

Passei o restante do dia vendo essas minhas coisas antigas, até receber a ligação da minha querida falando que a entrevista tinha ido super bem e que estava indo dormir.

No dia seguinte, ajudei minha mãe a arrumar casa, e fazer o almoço, comprei dois ingressos um pra mim e outro pra Jade e dei uma analisada nas propostas, eram todas muito boas, mas nenhuma que me encantasse. Fui dormir e acordei com uma mensagem era uma mensagem de minha esposa, dizendo estar saindo do aeroporto.

Já era um novo dia, acordei rápido peguei o carro com minha mãe e fui, era a primeira vez que dirigia em solo brasileiro dentro da lei.

Peguei ela e fomos visitar sua família. Seus país ficaram tão feliz de nos ver. Estavam tão alegres com nossas conquistas. Fizeram um banquete para gente. Acabamos de nos empanturrar e pegamos a estrada.

Ao chegarmos em casa, minha mãe já tinha terminado de arrumar o quarto e Jade deitou para dormir. Fiquei mexendo no meu antigo computador que agora era do meu irmão, fiquei lá até ficar bem tarde e fui dormir sem jantar nem nada.

Me juntei a minha mulher, que dormia feito uma pedra, mas roncava igual a uma porca. E então era finalmente domingo. Nem esperei meu tio, já acordei e fui logo para o estádio, aquele lugar tinha mudado muito pouco.

Eu e Jade fizemos um passeio pela cidade, que tinha mudado muito, mas continuava com o ar agradável de sempre, fomos comer num bar ali perto do estádio, o bar do seu Jorge.

Jorge me reconheceu no momento que pisei no estabelecimento.

Jorge: Fernandinho quanto tempo hein. Vai ver o jogo hoje? E quem é essa aí?

Eu: claro não perco por nada, ah essa é a Jade, minha esposa.

Jade: ei prazer.

Jorge: Caraí, parabéns hein. Vai levar ela no jogo?

Eu: e aí mor, vai no jogo hoje?

Jade: eu vou? Sou bem pé frio.

Jorge: ihhhhh, melhor nem ir.

Eu: que nada essa aqui é meu amuleto da boa sorte.

Ela ficou coradinha e com vergonha, em 8 anos ao seu lado eu nunca tinha visto ela com esse rostinho de tomate.

Eu: você faz quatro marmitas especiais pra gente?

Jorge: claro, mas ela come tanto assim?

Eu: kkkkk, nada meu tio e meu irmão tão colando aqui.

Jorge: aahh, boto fé, já tá saindo.

Não demorou muito e eles chegaram, comemos e fomos direto ao jogo, no caminho contei pra ela que o Pedro tinha virado jogador de futebol e era o artilheiro da competição.

Ela ficou feliz em ouvir que ele realmente achou um caminho e endireitou sua vida. Assistimos a partida, foi um verdadeiro drama, a partida estava mais disputada que final de liga dos campeões.

Até que no último segundo de jogo, Pipi marcou o gol da vitória, foi um gol chorado, mas o suficiente para fazer o Aracruz campeão.

Saímos do jogo direto para o aeroporto, Jade tinha de gravar um comercial no dia seguinte. Passamos na minha casa só para pegar as coisas e fomos voando para Califórnia.

Chegando lá recebi uma proposta por e-mail, o valor era muito abaixo dos outros, mas era um enredo de futebol, como eu podia recusar?

Deixei ela resolvendo suas coisas e fui ver o projeto, o estúdio era muito bom, só não tinha nenhum filme que chamou atenção, encontrei com alguns amigos que atuaram comigo antes no curso.

A ideia do filme era fazer um jogador que veio de um time desconhecido e que se tornaria o melhor jogador do mundo. E que time melhor para isso que o Aracruz que tinha uma história de tentar se salvar do rebaixamento do Capixabão e acabou se tornando campeão do estado?

O direito aceitou, mandei mensagem para o presidente do clube, que já conversou com o técnico e os jogadores. Todos acharam uma boa ideia. Falei pra Jade voltar pra casa, que eu ia viajar pra fazer outro filme.

Voltei ao Brasil, gravamos as cenas iniciais do filme, colocamos vários trechos de partidas oficiais que tinham ocorrido e vualá a primeira parte do filme estava pronta. Entramos em contato com vários times europeus, e o Real Madrid foi o primeiro a aceitar.

Fizemks algumas cenas nos treinos e o filme finalmente estava pronto, foram longos quatro meses longe de minha esposa, eu estava com muita saudade. Só conseguia falar com ela por mensagem. Voltei correndo para casa.

Acabei me surpreendendo com seu nível de relaxamento, a casa estava uma bagunça, mal dava pra andar, várias coisas espalhadas. Fui pro quarto morrendo de raiva, mas logo ela foi embora, quando vi meu amor deitada dormindo.

Não dava pra ficar irritado com um anjinho desses. Me deitei ao lado dela e apaguei. Na hora que acordei, era o horário da sua streaming, não quis atrapalhar, então fiquei deitado, esperando terminar.

Assim que ela desligou a câmera, dei um salto e voraz pelo seu corpo, me acabei em seus lábios. Sem cerimônia começamos a tirar a roupa um do outro, ainda nos beijando coloquei minha mão em sua boceta, estava transbordando.

Seu corpo parecia ainda mais belo do que antes, me aproveitei de cada centímetro, não esqueci de nenhum local, já conhecia aquele corpo com a palma da minha mão. O gosto do seu suor era tão doce, nenhum de nós aguentava mais precisávamos fazer a conexão de corpos.

Sua boceta estava apertadinha, parecia a primeira vez que estávamos transando, só que dessa vez com um sexo rebelde e animal. Eu metia nela de forma bruta, enquanto era arranhado e tinha meus ouvidos lambidos e mordidos.

Seus gritos ensurdecedores de prazer me levavam a loucura. Não me contentei em gozar apenas uma vez, mas pelo menos umas quinze dentro de sua boceta, vi que ela ainda não estava nem um pouco cansada e resolvi finalmente tirar sua virgindade anal.

A coloquei de quatro e meti bala, provavelmente estava doendo, pois ela estava ficando muito vermelha e tentando segurar seus gritos mordendo a fronha do travesseiro. Inclinei meu corpo sobre o dela é fiquei lambendo seu pescoço.

Ao retirar meu pau de dentro do cu dela, percebi que estava sujo de bosta, ela se virou por conta própria e esfregando seus seios em me corpo ajoelhou até ficar numa altura ideal para limpar, parecia estar muito gostoso.

Era chupado feito um picolé de chocolate, não demorou muito e já estava todo limpinho, foi quando ela começou a sugar minhas bolas enquanto batia uma punheta. Gozei em menos de um segundo, enchi sua cara de porra.

Me abaixei e beijei a, o gosto da merda dela era tão saboroso, ela pra me provocar estava me masturbando com o pés, eles eram tão delicados e macios. Acabei gozando e não conseguia mais continuar.

Jade se levantou parecia estar irritada por meu pai ter amolecido, me pegou pelo braço e me jogou na cama.

Jade: você não gosta do que vê? ( Falou enquanto rebolava pra me seduzir ).

Eu: eu adoro.

Revoltada do meu pênis não levantar, ela posou em minhas bolas com muita força, aquilo estava doendo tanto, mas naquele momento já tinha me rendido ao praxes, depois de achar coco com um gosto maravilhoso eu não tinha concerto.

Cuspindo na minha cara e continuando a golpear minha rola, ela me dominava de uma forma tão sexy, não consegui evitar, minha piroca ficou dura, mas dura como nunca havia ficado antes.

Eu: então é assim sua cachorra?

Peguei ela e coloquei contra a parede, ela me olhou com uma cara safada, então tive a certeza de poder continuar, entrei com tudo na boceta dela, eu apertava seus seios com uma intensidade absurda. Não sei como ela adquiriu toda essa resistência, mas não acho que eu tenha virado corno.

Durante esse sexo brutal colados na paredes, começamos a nos beijar, o beijo foi tão intenso que junto ao sexo nos fez desmaiar.

Acordamos quase que ao mesmo tempo, foi quando percebemos o que havia acontecido. Ficamos assustados com a bagunça, a quantidade de porra espalhada pelo quarto era imensa. Arrumamos o quarto e aproveitamos para ajeitar a casa.

Assim que terminamos me deu vontade de ir ao banheiro.

Eu: Flor, tô com vontade de minar, você quer um suquinho?

Jade: Oba!!!! Quero sim mor.

Tirei meu pau pra fora da calça e comecei a mijar, no início fui morando na boca dela, mas passado um tempo meu foco mudou para o cabelo, mijei no cabelo dela todinho, fiquei uns dois minutos ali.

Jade: Olha como você me deixou.

Eu: tô vendo, te deixei molhadinha.

Nós rimos, peguei ela no colo e dei uma cheirei seu cabelo. Podia ficar ali o dia todo, mas tínhamos coisas mais importantes para fazer. Eu tinha me tornado um pervertido de nível extremo. 

Conversei com ela e resolvemos juntar nossas redes sociais, para ficar mais fácil responder os fans. Enquanto ela fazia o almoço eu cuidava das respostas. Nossa box, não parava de ficar cheia, sempre chegava mensagens de gente desesperada que queria nos conhecer.

Pouco tempo depois, o filme de futebol foi lançado, foi avassalador nas críticas, com baixo custo e nenhum ator de peso, ninguém tinha dado moral, mas provamos do que somos capazes.

O clube do Aracruz recebeu um grande acréscimo na sua renda graças ao direito de cinco por cento das arrecadações. Peguei minha parte do dinheiro, juntei com o que eu e Jade tínhamos guardado, e comprei uma mansão, com piscina, quadra de futebol, basquete, tênis e vôlei, uma Lan house, duas saunas e uma churrasqueira, mas a parte interior não ficava pra traz não, uma sala enorme com televisão, mesa de jantar, piano cheia de tapetes persas e quadros lindos, vários enfeites de cristal.

Uma cozinha com armários lindos, uma grande bancada de mármore, fogão embutido, geladeira grande duas portas, lava louças e uma pia com decoração metálica. Na área de serviço, duas máquinas de lavar e uma secadora, uma bancada para passar roupa, grandes prateleiras para serem usadas como dispensa.

Tinham dois banheiros, com banheira de hidromassagem, um chuveiro todo enfeitados, uma privada que era super confortável, tinha até porta copos, portas toalhas com acabamento de deixar qualquer um impressionado.

Os quartos eram imensos, o principal tinha suíte e dois closets, a suíte era maravilhosa, com todos os privilégios dos banheiros normais, mais melhor trabalhada e arrumada. Os outros quatro quartos eram enormes, então decidimos fazer um de escritório, deixar o outro pra Jade streamar e deixar o terceiro como academia, já que fazíamos exercícios todos os dias pela manhã, deixamos um quarto livre, caso tenhamos outro bebê.

No porão decidimos que íamos fazer um calabouço do amor, colocar uns objetos de torturas, umas camas com algemas, no esquema pra rolar aquele sexo gostoso.

Todos os cômodos sem exceção tinham ar condicionado, aquilo era um sonho de garoto se realizando. Aos poucos começamos juntos a mobiliar a casa, começamos pelo nosso quarto, depois sala, cozinha, banheiros, até tudo ficar impecável. Virou a casa dos sonhos.

Na premiação do Oscar, acabei ganhando outra estatueta, mas dessa vez como ator principal. Apesar de ter me rendido cama e bastante dinheiro, resolvi sair do ramo artístico e curtir mais a vida com minha esposa.

Agora com dois computadores em casa, comecei a streamar também e fazer isso deixou nossos horários flexíveis, fazendo com que a gente ter tempo pra tudo o que queríamos fazer.

Agora com o calabouço montado, podíamos realizar todos os nossos fetiches, desde a clássica fantasia com enfermeira ou professora, até um dominatrix, que era bem mais pesado, Golden shower era direto. Mas o que mais gostava era quando ela fazia um ballsburting com sua punheta, ahhhh só de pensar nisso já vem subindo um prazer.

Não era só ela que dominava não, também a tratava da mesma forma, até que as tatuagens vieram a fazer sentido, adorava soltar peidos feridos em frente daquele doce rostinho.

Estávamos a tanto tempo na mídia, mas ninguém nunca descobriu esse nosso lado. O problema que acabamos enjoando de fazer essas coisas, por que arrumar tudo depois, para esconder todas as provas dava um trabalho do cão.

Ficamos presos nessa fase durante quase doida anos. Jade já estava com quase trinta anos. Parando pra pensar não somos muito de comemorar aniversário, tá se é uma boa surpresa pra ela.

Mas aonde levar ela no aniversário? Bom eu ia gostar de ver o jogo do meu time, mas não sei se ela gosta de futebol. Comecei a stalkear minha esposa, e acabei descobrindo que ela era flamenguista quando criança.

Levar ela ao jogo não só me daria pontos com ela por conhecer sua vida, mas também poderia deixá-la feliz e alegre. Por coincidência tinha um jogo contra o Botafogo, final da Copa Guanabara no mesmo dia da comemoração.

Comprei dois ingressos camarote VIP para ver o jogo. Sem falar nada, coloquei ela no avião, sem nem imaginar pra onde estávamos indo. Ao chegar ela não acreditou.

Jade: como você descobriu isso?

Eu: segredo, já falei que sei de várias coisas sobre você.

Ela não poderia nem sonhar que eu tinha olhado na sua linha do tempo no Facebook de 2008. Mas o importante foi ela ter gostado. Saindo da partida, ganha pelo time da Gávea, fomos para um hotel.

Chegando lá, fizemos amorzinho gostoso, sem os fetiches bizarros que já tinham enjoado. Entramos em consenso de decidimos que precisamos ter uma segurança financeira melhor, então voltei a atuar.

Ela continuo no estilo simples e tranquilo, mas isso não incomodava. Duas semanas depois do jogo, finalmente conseguimos ter outra criança.

Fiquei bem animado e fiz todos os preparativos para que nada desse errado dessa vez. 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...