História SuperCorp - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Supergirl
Personagens Alex Danvers, Cat Grant, Eliza Danvers, James "Jimmy" Olsen, J'onn J'onzz "John Jones" (Caçador de Marte), Kara Zor-El (Supergirl), Lena Luthor, Maggie Sawyer, Winslow "Winn" Schott Jr.
Tags Lenaluthor, Supercorp, Supergirl
Visualizações 760
Palavras 1.502
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem.
Não esqueçam de comentar se está bom, se esta uma bosta, o que falta, o que esta demais e etc aushdsa
bjs <3

Capítulo 14 - Rage


Sinto uma forte pontada na cabeça, a dor é sufocante e faz até meus pensamentos sumirem. Tento abrir os olhos, mas minhas pálpebras estão pesadas e não consigo mantê-los abertos por mais de poucos segundos. 

 

- Kara?! Kara sou eu, aguente firme. – Escuto a voz de Lena e forço meus olhos a abrirem e vejo rapidamente seu rosto me olhando apreensivo. Ela está chorando? 

- Le... – Não consigo completar seu nome. 

- Shiuu... está tudo bem. Eu estou aqui com você. – Ela acaricia meus cabelos e me beija a testa. – Alguém por favor ajude! Eu a encontrei. – Ela grita e ouço barulhos de passos apressados e é o último som que escuto antes de desmaiar novamente. 

 

... 

 

- Vocês deveriam ter nos avisado! Avisado a ela! – Escuto a voz alterada de Lena. – Ela arriscou sua vida sem saber de nada, aliás, todos arriscaram. 

- Senhorita Luthor eu peço que se acalme. – A voz de J’onn soa tranquila pelo ambiente. – Nós também estamos preocupados com ela.  

- Eu fiquei por todo esse tempo com aquele material altamente perigoso em meu prédio, arriscando minha vida e de todos que trabalham lá! – Ela suspira. – Mas ok, por agora não gostaria de falar sobre isso. Ficarei aqui até ela acordar. 

 

Escuto passos saírem da sala e alguém fecha a porta, ouço barulho de cadeira ao meu lado e seu perfume inebriante chega até mim. Sinto sua mão suave e quente segurar a minha me passando tranquilidade. 

 

- Espero que você acorde logo...eu...eu estava planejando um passeio para nós. Acho que você nunca conheceu Paris não é? Eu poderia te mostrar restaurantes incríveis... – Escuto ela respirar pesadamente. 

- Na verdade eu conheço, mas gostaria de conhecer novamente com você. Principalmente os restaurantes. – Digo fraco e abro os olhos para encarar aqueles lindos olhos verdes me encarando. 

- Você é impossível Kara Danvers. – Ela fica de pé ao me lado e me beija suavemente, por Rao a sensação de ter seus lábios nos meus era revigorante. Faço menção em me levantar, mas ela me impede. – Não, não. Fique ai deitada e eu vou chamar a Alex. 

 

Tento resmungar, mas nada a impede de sair porta a fora para chamar minha irmã. Logo vejo as duas entrando e Alex chega apressada ao meu lado. 

 

- Kara que bom que está bem. – Ela me abraça. – Me desculpe por não te proteger, eu não consegui chegar a tempo e... 

- Não se preocupe ok? Está tudo bem agora. Apenas me diga quando poderei ir para casa e sair desse lugar. – Minha voz soa um pouco mais raivosa do que gostaria, Alex me olha intrigada, mas não fala nada. 

- Você está liberada, seus exames estão todos ok, mas só se ficar de repouso absoluto até estar completamente revigorada. E eu disse absoluto.  

- Oh não se preocupe com isso, eu irei garantir que ela ficará quieta. – Lena diz e me faz abrir a boca em espanto, essas duas já estavam de complô contra mim. 

- Desde quando vocês estão assim próximas? 

- Desde que você está dormindo a... – Alex chega seu relógio. – 15 horas. Tivemos tempo para uma pequena conversa, sabe já que ela é sua namorada agora eu precisava me certificar sobre algumas coisas. 

- Nós não estamos namorando. – Eu e Lena falamos juntas, o que faz Alex fazer uma expressão do tipo “me enganem que eu gosto” e rir. 

- Alex... – Digo suplicando para ela não fazer nenhuma brincadeira. – Agora me conte o que aconteceu depois que eu desmaiei no laboratório de Lena. 

- Nós falaremos disso quando você estiver melhor. – As duas se encaram com expressões tensas e Alex volta a olhar para mim. – Você precisa descansar agora. Não se preocupe, nós já estamos lidando com as coisas por aqui. 

 

Sem dizer mais nada ela beija o topo da minha cabeça e sai da sala, deixando Lena e eu sozinhas. 

Não sei por que, mas algo me diz que tudo é pior do que posso imaginar por trás do que aconteceu. Lena se aproxima de mim fazendo meus pensamentos derreterem instantaneamente, por Rao que poder é esse que ela tem sobre mim? Ela segura minhas mãos e beija cada uma com delicadeza. 

- Já que Alex te liberou você poderia levantar para irmos para casa. – A frase ficou perfeita saindo de sua boca. “Irmos para casa” faço uma nota mental para nunca esquecer disso. Me levanto ainda um pouco fraca e paro a sua frente, prontamente ela me beija os lábios de forma carinhosa e gentil. – Vamos para minha casa.  

- Q-Que? – Me engasgo o que faz ela rir. 

- Isso mesmo que ouviu Supergirl, você vai para minha casa hoje.  

- Okay. – Digo sem conseguir raciocinar direito. Eu iria conhecer a sua casa, seu refúgio, sua cama... pelo menos eu acho que conheceria. 

 

Caminho lentamente até o vestiário do DEO sendo acompanhada por Lena, todos ali nos olhavam com curiosidade. Eu como bela curiosa que sou uso de minha super audição para verificar o que estavam cochichando.  

“Olha só, uma Super e uma Luthor juntas. Quem diria.” 

“Elas são um belo casal”  

 

Essa frase me fez corar de vergonha, como eles sabiam? Somos tão obvias assim? 

 

“Ela nem deveria estar aqui, ela é uma Luthor” 

“ Ela deve ser igual ao irmão” 

 

- Se mais alguém falar algo de ruim sobre Lena eu vou garantir que essa pessoa tenha uma viagem só de ida para a Lua! – Digo alto e todos param espantados, até mesmo Lena me olha com espanto. 

- Hey babe. – Ela acaricia meu braço chamando minha atenção para ela. – Está tudo bem, agora vamos hun? 

 

Já no vestiário eu me limito a apenas trocar de roupa, minha cabeça não está muito boa para conversas e Lena parece perceber isso. Coloco meu traje dentro da minha mochila e saio pela porta, sento no banco e calço meu tênis confortável. 

- Alex já havia providenciado algumas roupas para você, elas já estão todas no meu carro. Você pode tomar uma ducha lá em casa se quiser. 

- Obrigada Lena. – Me viro para ela e seguro seu rosto entre minhas mãos, lhe dando um beijo mais longo. 

Já andando pelas ruas da cidade em seu carro extremamente caro e esportivo, nós vamos em silêncio, mas não o do tipo constrangedor. É um silêncio confortante, que acalma e traz paz a mente. Vou cantarolando a música que começa a tocar na rádio e vejo os olhos de Lena caírem sobre mim. 

- Você canta muito bem, você tem algum defeito? – Ela brinca e me faz rir. 

- Eu tento cantar bem. 

- Não, você realmente canta bem. – Oh Rao minhas bochechas estão fervendo, devo estar um pimentão. – Se nada der certo pode ter certeza que eu vou te patrocinar como cantora. 

 

Nesse momento meu estomago ronca alto me fazendo ter vontade de sair voando de tanta vergonha. 

 

- Acho que o monstro que habita seu estomago acordou. Que tal passarmos em algum mercado para pegar algo? Aposto que o que tenho em casa não é agradável ao seu paladar. 

- Oh não, não quero incomodar, já esta tarde e eu como qualquer coisa. 

- Você come granola? – Acho que minha cara de desgosto responde sua pergunta já que ela ri. – Portanto vamos ao mercado miss Danvers. 

 

... 

 

- Acho que já está bom. – Olho para o carrinho de compras cheios de besteiras. – Isso da para uns três dias. 

- Essa é minha intenção. – Ela pisca para mim. O que? Ela quer que eu fique todo esse tempo na casa dela? Oh Rao.. 

- Ora se não é a CEO mais famosa da cidade, que surpresa ver a princesinha em um mercado.– Um brutamontes aparentemente bêbado se aproxima de nós. Meus sentidos ficam altamente alertas. – Você é gostosa gracinha, que tal um beijo? 

- Obrigada, mas eu estou acompanhada e pode ter certeza que eu já peguei mais mulheres que você em toda sua vida até agora.  

- Ora sua vadia... – Ele ergue o braço para dar um tapa em Lena, mas sou rápida e agarro seu pulso o apertando com força. Posso escutar seus ossos estralarem e ele grita de dor. 

- Peça desculpas agora! – Ele me olha espantado, com se perguntasse como uma garota comum poderia segurá-lo. – Ande. – Aperto mais ainda seu pulso. 

- Ok... Ok... me desculpe gracinha; - Aperto sua mão para que ele peça direito. - Por favor... me desculpa. 

-Kara já chega! Solte ele por favor. - Leva me olha receosa. Solto o cara e ele sai correndo. 

-Me desculpe, eu...eu...não sei. Não sei o que deu em mim, quando vi ele erguendo a mão pra você não pensei duas vezes.  

-Tudo bem babe, vamos embora agora. 

 

Seguimos para o caixa sem dizer mais nada, mas eu não consigo para de pensar o que eu teria feito com aquele cara se Lena não tivesse junto. Rao o que está acontecendo? Quando dou conta Lena está me esperando para irmos até o carro. 

-Está tudo bem? - Ela pergunta preocupada. 

-Sim, só estou cansada. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...