1. Spirit Fanfics >
  2. SuperCorp one-shot's >
  3. Burning

História SuperCorp one-shot's - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Iai pessoas tudo joinha ?
Demorei mas voltei, este cap é continuação do anterior, espero que gostem do capítulo, ele vai ter mais uma parte provavelmente .

Capítulo 13 - Burning


Por Lena

Andava de um lado para o outro em meu laboratório sem saber o que fazer, sim uma das mentes mais brilhantes da Terra está de mãos atadas, o meu projeto foi bem sucedido, a tecnologia se adaptou bem e a inteligência artificial conseguiu se ligar as máquinas o problema é que eu não tenho mais total controle sobre eles, o governo se “apossou” do projeto fazendo eu ter apenas um controle mínimo, eles ainda não o colocaram em ação mas eu tenho medo do que vai ocorrer quando isso vai acontecer. Pra piorar quem está no comando do DOE agora é a Lucy, ela está fazendo uma tremenda bagunça, ele não conseguem controlar os Aliens sem extrema violência, fora que eles estão doidos atrás da supergirl e dos outros Kryptonianos .

Neste momento eu estava tentando encontrar a Kara, faz mais de 6 meses que ela simplesmente desapareceu, não tenho mais notícias dela, já tentei rastrear o nome e sua assinatura de calor elevada mas não encontro nada, pedi ajuda a Brayni mas ele não fez muita questão, com certeza ela pediu pra ele não a encontrar ou ele só não saiba mesmo, as vezes eu me esqueço de como ela tem uma inteligente sob humana também, claro que se ela não quer ser encontrada não vai ser fácil achar .

Tentei contato com Alex mas ela disse que faz meses que não vê a irmã, as vezes ela liga de qualquer lugar aleatório no mundo, mas nada duradouro ou que tenha informações, ela é esperta, nas primeiras ligações Lucy consegui rastrear os poderes dela até onde ela estava mas logo ela sumia. Foram 4 países diferentes até eles perceberem que ela podia ir para onde quiser em segundos, nunca conseguiriam rastrear ela assim, no fundo fico feliz por isso, não sinto uma boa intenção deles com relação a ela estão obcecados até recompensa já ofereceram para quem saber a verdadeira identidade dela .

Como não tinha muito o que fazer resolvo tomar um whisky e relaxar um pouco, não venho dormindo muito bem isso me deixa extremamente cansada, quando sonho Geralmente tenho o mesmo sonho, na verdade são lembranças da noite que a Kara se foi, eu sou orgulhosa mas não tem como negar que me arrependo de ter recusado o abraço dela. Agora estou aqui sem nem saber se ela está viva ou se esta bem, ela realmente foi embora, era isso que eu queria mas por que não me sinto bem ?

No fundo eu sabia a resposta mas era arrogante demais para admitir, não posso voltar atrás assim tão fácil ela mentiu e me traiu, mas eu fiz o mesmo, eu me vinguei dela mas isso não fez eu me sentir melhor. Acho que no fim Lex consegui o que queria ele tirou tudo que eu tinha, quando eu estava começando a ficar bem e ter amigos ele tirou tudo de mim outra vez, ele me fez ter raiva da minha melhor amiga, a pessoa que mais me apoiava e me incentivava e eu caí no jogo dele, deixei minha raiva e orgulho me cegar agora não sei o que fazer para trazer ela de volta, sei que Kara tem um coração bom mas eu pude ver nos olhos dela na última vez que ela estava cansada.

Cansada de sempre ter que provar para as pessoas que ela era boa, cansada de me pedir para ouvir seus motivos, cansada da ingratidão da humanidade, cansada de sempre ter que salvar as pessoas e mesmo assim receber críticas, cansada de vir atrás de mim e só receber frieza e indiferença. No começo ela tentou de tudo para que eu a perdoa-se comprou minhas comidas preferidas, me pediu 1000 desculpas, até me levou na fortaleza da solução que é super secreta, fora as vezes que me salvou, perdi as contas de quantas vezes ela esteve lá por mim como Kara ou como supergirl, eu a pedi pra me deixar conhecer a Kara Zor-El mas pra ser sincera eu já conhecia, ela era a minha Kara, eu sempre notei como ela me tratava diferente , seu carinho, seu cuidado, seu olhar, como eu queria ter tudo aquilo outra vez, eu sempre senti algo diferentes por ela mas tinha tanto medo de estragar tudo, com o histórico que tenho isso não seria difícil de acontecer, então eu preferi me calar, mas eu via nos olhos dela que aquele sentimento é recíproco e eu devia ter lutado por ele mas deixei a mulher que amo ir embora .

Juro que já tentei de tudo para saber algo sobre o paradeiro dela, em um momento de desespero e muito álcool até acionei o relógio de emergência que ela me deu, pra minha surpresa logo alguém veio tentar me salvar mas não era Kara, era apenas alguns agentes da DOE, eles acharam que eram um alarme da L-corp e vieram imediatamente, tive que inventar alguma desculpa, não foi difícil afinal eu sofro atentados quase o tempo todo.

Recebi um e-mail da capitã chatice me mandando ir até o DOE provavelmente devem estar querendo fazer alguma atualização nos sistemas, eu só ajudo porque quero ficar sabendo do que estão fazendo, por isso o mais fácil é ficar perto deles mesmo que eu não ajude muito, tento ao máximo dar informações preciosas para eles, no máximo falo algumas coisas para despistar. Não tinha muitos opção então me dirigi até a base em que fui solicitada, eu já tinha crachá de entrada então fui até a sala da Lane, ela esperava com alguns agentes.

Lena- Então posso saber qual a necessidade da minha presença? – cruzei os braços a olhando de com arrogância, ela me olhava da mesma forma, a gente não se suportava se eu pudesse já teria dado um jeito de sumir de perto dessa mulher mas infelizmente a L-corp está ligada a esse projeto me merda.

Lucy- Última chance pra você me dizer quem é a supergirl . – ela se aproximou de mim me desafiando, apenas ergui uma sobrancelha e sorri debochada, se ela estava achando que vai me convencer esta muito enganada, posso estar brigados com a Kara mas nunca revelaria o segredo dela.

Lena- O que te faz achar que eu sei quem ela é?

Lucy- Simples ela corria atrás de você feito um cachorrinho.

Lena- Você deve ter algum problema, não sei do que está falando- antes de me irritar se vez resolvi sair logo dali já estou de saco cheio dessa perseguição deles com a Kara.

Lucy- Eu tenho problemas ? Quem é amiguinha da inimiga da família aqui não sou eu- Meu sangue gelou com o deboche dela, ela sabia, não sei como mas ela descobriu sobre Kara, vou tentar despistar ela talvez ainda dê tempo .

Lena-Do que está falando? – tentei jogar com ela .

Lucy- Não se faça de sonsa, eu já sei sobre sua amiguinha repórter/super heroína, e olha que coincidência eu descobri quem ela é por umas imagens antigas de quando você foi envenenada e ela sobrevoou a metade da cidade sem o uniforme para salvar a sua vida, foi até fofinho ela te carregando nos braços até a sede só DOE, ela nem lembrou de tirar os óculos e sinceramente aquele disfarce nem é tão bom assim .

Senti um arrepio na espinha, o que eu não queria aconteceu, agora que sabem o nome da supergirl vão caçar ela ainda mais, fora que ela não vai poder voltar aqui, seria suicídio.

Lena- Por que esse interesse todo nela ?

Lucy- Está com ciúmes da namoradinha Luthor ?

Lena- Não viaja, só quero entender porque essa fixação na supergirl ela sumiu a meses, não era o que você queria? Ela não está mais aqui fazendo bagunça oi causando danos se era esse o seu problema por que ainda está no pé dela? – cruzei os braços e fechei a cara para ela, não vou cair nas gracinhas dela, essa perseguição deve ter algum motivo.

Lucy- Não se faça de inocente, o governo quer a Supergirl, se controlar ela quem vai ousar ficar contra nós? Ela é um símbolo de força, nem o próprio Superman consegue vencer ela então nos vamos ter ela .

Lena- Você só pode estar louca, ela não é uma arma e não vai ser capacho de vocês- Não tem perigo da Kara obedecer a esses lunáticos, ainda mais depois deles praticamente terem expulsado ela daqui .

Lucy- Ela vai sim.

Lena- O que te faz pensar isso ?

Lucy- Eu tenho meus planos, agora eu quero que você me diga onde ela está, você sempre soube quem ela é deve saber onde ela esta também .

Lena- Não sei onde ela está e se soubesse também não diria.

Lucy- Você vai descomprimir uma ordem do presidente ? – ela se aproximou de mim tentando me intimidar, se ela soubesse como eu tenho vontade de esfregar a cara dela nessas mesas do DOE.

Lena- Eu sou uma Luthor não recebo ordens de ninguém.

Sai dali em dali sem olhar para trás, ainda estava um pouco assustada por ela saber o segredo da Kara, vou ter que dar um jeito de avisar ela, se não a encontrar irei falar com Alex. Mas antes de ir procurar ela vou dar uma olhada no que o DOE anda investindo, Lucy tinha muita certeza que a Kara trabalharia pra eles, com certeza ela tem alguma carta na manga contra ela, preciso saber o que é.

Já no meu laboratório consegui acessar os documentos do DOE demorei alguns minutos para entender o projeto que estavam trabalhando, a inteligência artificial ainda seria a que criei, não conseguiram mudar ela, mas os robôs estavam muito diferentes do que eu planejei, eles tinham armas bem mais potentes e pelo que pude analisar eles eram projetados para afetar qualquer Alienígena já conhecido, incluindo os Kryptonianos já que tem um estoque de Kryptonita, não sei onde eles a conseguiriam já que a Kara sumiu com a que eu tinha, se eles mesmo que fizeram ela pode ser extremamente perigosa devido às misturas. Se antes eu estava preocupada agora estou 2 vezes mais, também estou intrigada quem fez essa Kryptonita pra eles?

Não era um processo fácil, tinha que conhecer bastante a anatomia dos Kryptonianos entender bem sobre os matérias do planeta deles, vou tentar descobrir quem está por trás disso, espero que não seja o Lex, depois que a gente voltou da crise ele sumiu, não ouvi mais falar dele, ele está muito quieto isso já demonstra que lá em problemas por aí.

Um problema de cada vez né, acho melhor ir atas da Danvers ela pode me ajudar com isso com certeza ela pode entrar em contato com a Kara, e também pode me ajudar a proteger a Sam, acho que eles ainda não sabem que ela era a Regia mas se descobrirem iram atrás dela na certa, não posso deixar que machuquei ela ou a Ruby, achei melhor avisar ela sobre tudo que estava acontecendo para que ela tome cuidado. Acabei de resolver tudo que precisava na L-corp e peguei o jatinho rumo a Londres, não podia conversar com Alex por telefone mesmo ela sendo do FBI pode estar sendo vigiada.

Demorou menos que 4 horas para chegar ao meu destino, aproveitei o vôo pra descansar e tomar um whisky, essa é a única coisa que me relaxa nos últimos tempos, já faz meses que venho sentindo uma sensação ruim no peito, como se algo muito ruim esteja prestes a acontecer mas ainda não sei exatamente o que, está tudo calmo por enquanto, não quero nem ver quando chegar a tempestade.

Quando cheguei em Londres era madrugada então decidi ir para um hotel descansar um pouco, iria falar com Alex amanhã de manhã, já tinha mandando uma mensagem para ela de um jeito que não é possível rastrear, não quero que a megera militar descubra que estou aqui, tomo um banho e tento dormir um pouco, não é novidade nenhuma pra mim acordar assustada no meio da noite com algum pesadelo com Kara, depois que ela se foi posso contar os dias que não sonho com ela.

Fui até o local marcado com a Danvers bem cedo, ela já estava lá me esperando, estava diferente, seu cabelo estaca maior e tinha uma aparecia mais tranquila, acho que lidar apenas com os monstros humanos está fazendo bem para ela, assim que viu ela se levantou e me deu um abraço rápido me pegando de surpresa ainda não sou muito acostumada com esse carinho e proteção das Danvers.

Alex- Então o que devo a honra da visita?

Lena- Então eu preciso falar com a sua irmã- fui direta, ela fez uma careta, acho que não seria tão fácil como imaginei até pedi um café, essa conversa iria ser longa .

Alex- Eu não sei onde ela está Lena- Ela deu um suspiro triste, deve estar sendo muito difícil pra ela ficar longe da irmã assim, ela era praticamente o Porto Seguro dela, mantida hora que resolvi ajudar o governo e escutar o Lex.

Lena- Ela não te manda notícias?

Alex- As vezes ela liga, quando contei que Kelly esta grávida ela veio me ver e dar os parabéns, não disse muita coisa mas passou um dia comigo.

Lena- Como ela está?- Eu não queria me preocupar mas não adiantava me enganar eu me preocupava com a situação dela, não queria que nada de mal acontece-se com ela .

Alex- Eu não sei te falar, ela estava tão diferente, calada, não sorria mais, ela ficou feliz por mim e me disse que estava bem mas que era melhor ficar um tempo sumida .

Lena- Sinto muito Alex.

Alex- Tudo bem, você estava chateada mas ela não merecia isso tudo Lena, agora ela não tem mais nada, perdeu os amigos, emprego, não pode usar os poderes mais, ela tenta disfarçar mas sei que está muito triste com essa situação toda, enquanto isso tudo não acabar ela não vai poder ter a vida de volta.

Lena- A gente precisa falar com ela, Lucy conseguiu descobrir a identidade dela, eles estão obcecados e elas precisam dela, não podem pegar ela, é perigoso .

Alex- O que estão planejando ?

Lena- Não sei exatamente mas tenho medo que peguem a Kara ou o primo dela e a Sam, eles são mais difíceis de encontrar por terem uma assinatura de calor muito menor que a da Kara mas não custa nada prevenir.

Alex- Acha que podem machucar eles ? – ela se remexeu na cadeira preocupada, me olhando sério agora não posso negar que esse olhar penetrante dela as vezes me assusta .

Lena- Infelizmente podem, eles têm Kryptonita, não fui eu que criei então não sei a real potência.

Alex- Tudo bem quando ela entrar em contato eu aviso ela .

Lena- ok

Alex- E como você está? Me parece cansada.

Lena- As coisas não estão fáceis em Nacional City .

Alex- Imagino, a L-Corp está dando muito trabalho?

Lena- Não com ela está tudo bem, o problema é a sua amiguinha militar.

Alex-Ela é um pé no saco mesmo, vive me perseguindo também mas eu dou pistas falsas para ela perder tempo além de que ela não pode mexer facilmente com uma agente do FBI .

Lena- Muito esperta, como você está?

Alex- Muito bem, as coisas são bem mais simples aqui, a Kelly está feliz também ela já está de 4 meses, vão ser gêmeos, não sei nem explicar como me sinto, queria que minha irmã estivesse aqui, ela seria uma tia coruja .

Lena- Sinto muito por ter feito parte disso .

Alex- Você se arrepende ? Pode falar comigo, ainda sou sua amiga Lena, sei que você não queria causar tudo isso e creio que minha irmã pense o mesmo ela só não aguentou essa situação toda e preferiu se afastar.

Lena- Se pudesse eu faria diferente sim, eu me deixei cegar pelo rancor e pela ideia de tentar mudar o mundo, agora perdi minha melhor amiga e ainda ajudei as pessoas erradas . – era difícil admitir isso pra alguém em voz alta mas eu preciso tirar isso do peito um pouco.

Alex- É complicado mas quando tudo isso passar faça a coisa certa.- ela falou calma pegando na minha mão por cima da mesa, eu sentia falta desse jeito de irmã mais velha que ela tinha.

Lena- Tipo o que ?

Alex- Dizer o que realmente sente, vocês tem uma ligação muito forte, não perca isso por orgulho, minha irmã é bem teimosa quando está magoada mas ela sabe perdoar se você realmente querer isso .

Lena- A gente era só amigas Alex .

Alex- Sério? Você desenvolveu uma arma milionária e se aliou ao governo só porque estava chateada com uma simples amiga ? Não tente se enganar Lena, a Kara movia céus e terra por você, aceite o que sente e corra atrás se não vai passar o resto da vida com essa sensação de que sua felicidade escapou por entre seus dedos.

Não soube o que responder, afinal ela estava certa mas eu ainda não estava pronta para admitir isso pra mim mesma, voltei para National City e resolvi ficar na L-corp não tinha muito o que fazer, vou apenas ficar de olho neles até entender o que estão fazendo .

8 meses depois

Ouço mais uma triste notícia jornal, as coisas vão de mal a pior nessa cidade, Lucy conseguiu o que queria estão tocando o terror dos Aliens, a maioria fugiu da cidade na primeira oportunidade, eles cercaram eles por todos os lados, eles espalharam os leitores por toda a cidade e os humanos como mesquinhos que são não chegam nem perto dos aliens, tudo que acontece errado colocam a culpa neles, agem como se fossem Santos agora. Essa ainda não é a pior parte, os robôs são umas máquinas que destroem tudo que tocam, pra capiturar um simples alienígena eles destroem quarteirões, pra piorar a Catco apoia e solta altas matérias tendênciosas, o novo administrador é outro que defende que se nos somos os donos da Terra ninguém mais pode morar aqui.

A Cidade está uma tremenda zona, tem pessoas brigando com as pontas, a criminalidade subiu uns 50%, os poucos aliens que sobraram não conseguem emprego e tem que roubar as coisas para sobreviver, estão saqueando super mercados, lojas, isso só contribui para o discurso escroto do presidente, a DOE agora se tornou uma instituição que caça os alienígenas como ratos. Pelo que sei eles estão tentando recriar Fort Rozz querem mandar praticamente todos os alienígenas que vivem aqui pra lá.

Tentaram me obrigar a participar dessa construção mas eu não aceitei e garanti que nenhum equipamento da L-Corp seja encaminhado para lá, Estou ajudando da forma que posso, tentando achar uma fraqueza nessas máquinas ou uma forma de enganar os leitores de vibração, também ajudei alguns aliens a fugir e a se esconder mas isso não adiantará por muito tempo. Já sofri mais 3 atentados nesses últimos meses, escapei por sorte, quase nem saio mais do laboratório estou com medo do que podem fazer.

Os problemas não se resumem somente ao ódio aos extra-terrestres o governo também está usando os robôs como uma espécie de mercenários, eles fazem o trabalho sujo da polícia, a maioria das pessoas que se manifestava contra logo recebia um chá de sumiço, eu tentei reverter isso mas eu já não tinha controle nenhum sobre a Inteligência artificial que criei, isso confirma minha teoria que existe alguém grande por trás, provavelmente o meu irmão, só ele conseguiria mudar as minhas programações, tenho que dar um jeito nisso tudo mas sozinha não consigo, preciso de ajuda a pessoa que pode me ajudar não está nem olhando para minha cara, ela tentou me avisar e não sei se ela tinha noção que aconteceria tudo isso mas ela estava certa e agora ela não quer me nem pintada de ouro, Karma é uma droga não é mesmo ?

A primeira coisa que eu tinha que fazer era achar a Kara coisa que não seria fácil mas eu não tenho muita opção, depois tenho que achar uma forma de convencer ela a me ajudar, provavelmente isso será mais difícil que achar ela então vou precisar de ajuda, terei que dar algumas ligações e partir para os pontos fracos dela.

Pov Kara

Acordo mais um dia no meio da noite com mais um pesadelos, lembranças da zona fantasma ainda cercam a minha mente e me assombram quase todas as noites, talvez seja esse lugar que resolvi me esconder, aqui me lembra lá, escuro, frio e silencioso as vezes parece que posso ouvir o eco dos meus pensamentos, me levanto e resolvi tomar um banho para tirar o suor do corpo, mesmo estando extremamente frio meu corpo está quente e soado, esses pesadelos são terríveis, quando morava com Alex ela que me abraçava e me acalmava mas agora não tenho mais isso .

Falando em Alex eu estou morrendo de saudade já faz muito tempo que não a vejo, os bebês dela já devem ter nascido, não pode vê-los ainda pois estou sem meus poderes a alguma tempo, por isso escolhi essa ilha para morar ou me esconder, ainda estou em dúvida, Estou na Ilha Jan Maysen ela pertence a Noruega mas fica afastada de tudo, só tem 19 habitantes nela, a maioria trabalha com pesca ou toma conta de uma estação meteorológica e de telecomunicação, essa ilha é muito conhecida por só ter a presença de sol pouco mais de 30 dias por ano, o clima aqui é extremamente frio e nublado, isso enfraquece meus poderes dificultando a vida de quem pretende me rastrear.

Não foi tão difícil conseguir um trabalho aqui afinal quem quer morar em um fim de mundo desses? Tive que ir atrás de uma pessoa que me devia alguma favores mas consegui entrar aqui com um nome diferente, não quis usar o meu de registro oficial, não posso dizer que as coisas aqui são animadas ou legais porque não são, eu basicamente fico monitorando mudanças de nuvens ou alterações na maré. A única coisas divertida que faço é assistir alguns jogos com uma das minhas colegas de serviço, ela é legal e sempre me trás cerveja, não conheço muito sobre a história dela, pelo que sei ela também foge de um passado que prefere não comentar, não julgo também não faço isso .

Nunca falamos muito sobre nossas vidas, geralmente apenas assistimos TV, tomamos cerveja e ficamos de olho nos navios caça baleias que passam aqui de vez enquando no fundo torcemos para eles afundarem, as vezes a gente até fica mas nada que envolva sentimento é apenas carência, uma distração, pra mim e para ela que também aceita isso de boa, acho que desenvolvemos um lado forte de amizade,no fundo ainda penso no meu passado sinto falta da minha vida, era tão bom a sensação e ter uma casa, amigos, poder voar, sentir o vento batendo no meu rosto, era tão libertador eu me sentia livre .

As vezes vejo na tv o que acontece ao redor do mundo mas procuro evitar não quero me preocupar com isso, eles podem se virar sozinhos, nesse tempo que passei aqui sozinha, esquecida pelo mundo tive certeza que não fazia sentido tentar ajudar os humanos, eu gostava de representar a esperança mas pra que ? Não importa o quanto eu tentasse eles sempre acabavam voltando a brigar e a se matar, é disso que gostam, eles são sempre cheios de ganância e ódio, todo mundo que tenta ajudar acaba sendo rejeitado, então resolvi deixar que se resolvam sozinhos, irei ficar alguns anos aqui depois procurar um lugar menos chato para se viver.

Shelly- Viajando mais uma vez garota do tempo – levo um susto, essa é minha “amiga" e colega de casa, ela adora me assustar quando estou viajando nas minhas memórias, o senso de humor dela é duvidoso, dessas pessoas debochadas, no começo eu não suportava agora já me acostumei, acho que até já aprendi um pouco, ela é uma mulher até bonita, pele clara, olhos e cabelos castanhos escuro, tem um estilo meio roqueira mas nada muito exagerado apesar do jeito meio louco tem um coração bom e é muito carinhosa comigo.

Kara- As vezes acho que você tem problemas- disse de mal humor me sentindo para tomar café, não que eu esteja afim, meu apetite diminui bastante mas se não comer depois não aguento ela me enchendo o saco e me dando sermão, ela sabe ser bem persuasiva quando quer.

Shelly- É claro que eu tenho problemas, se não o que eu estaria nesse lugar abandonado por Deus, mas diz aí teve outro pesadelo?- ela se sentou do meu lado no sofá me fazendo deitar a cabeça em suas pernas e começou um cafuné.

Kara- Como sabe?

Shelly- Já acordou com cara de cu, não comeu quase nada, resmungou a noite toda, tentei te acordar mas seu sono estaca muito pesado, você só fica assim quando dorme mal ou quando está sentindo falta da sua paixão.

Kara- Que paixão?

Shelly- Lena – arregalei os olhos, como ela sabia sobre Lena ? Não me lembro de ter falado pra ela sobre isso, será que ela é alguém do governo disfarçada?

Shelly- Não me olha assim como se eu fosse da Cia só escuto você chamar sempre esse nome anoite quando tem pesadelos e você disse que só tem uma irmã, Alex se não me engano então presumi que era uma namorada devido ao seu sentimento.

Kara- E por que acha que sou apaixonada por Lena ?

Shelly- Sua cara conta né, você vivi na bad, chora vendo aqueles clichês ridículos, chama a mulher dormindo, seus olhos contam que você esconde muita dor ai dentro a forma como você chupou abalada e quebrada aqui dá a entender que alguma coisa grave aconteceu.

Kara- Não quero falar sobre isso.

Shelly- Tudo bem vampirinha mas se quiser conversar ou precisar se um abraço só me chamar.

Kara- Tudo bem .

Ficamos mais um tempo ali só aproveitando o silêncio confortável até dar a hora de trabalhar então nos levantamos fomos pegar nossos casacos, a pior parte desse trabalho é ter que fazer ronda, tínhamos que ir para os pontos demarcados, eu adorava voar mas velejar me deixava enjoada, não era legal tudo balançando daquela forma mas eu tinha que ir, felizmente a Shelly é espeta e resolve tudo rápido assim eu sofro menos.

No barco escutamos os noticiários, as coisas não estavam legais nas cidades grandes, um jornal reportava o que estava acontecendo com os Aliens, me dói o coração saber que estão tratando eles assim, como lixo, mas não a nada que eu possa fazer, se eu aparecer serei tratada como eles e com os poderes fracos e sem treinamento seria massacrada, contanto que Alex esteja em segurava tudo vai ficar bem .

Shelly- Deve ser muito difícil pra eles serem caçados assim sem ter ninguém pra ajudar.

Kara- Com certeza.

Shelly- Onde você acha que ela está? – ela me olhava nos olhos as vezes eu tinha q impressão de já conhecer ela, mas não me lembrava de onde, mas a forma que ela me olhava era diferente eu sentia uma adoração vindo dela, ela me olhava como as pessoas me olhavam antigamente, com esperança, eu só não entendo o porquê.

Kara- Ela quem?

Shelly- A supergirl horas, se ela estivesse lá as coisas não estariam assim, ela lutaria contra eles

Kara- Como o governo detesta ela ?

Shelly- E desde quando o governo quer o melhor para o povo mesmo? Ela é uma super heroína não precisa deles.

Kara- O que está dizendo ?- cruzei os braços tentando entender onde ela quer chegar, por que parecer que está me dando um sermão se nem me conhece.

Shelly- O governo só pensa em dinheiro, poder, votos etc nunca pensam No que o povo realmente precisa, as pessoas precisam se revelar contra isso, elas tem que aprender a se impor, ela os inspirava a isso mesmo com tantas críticas ela era forte e justa de todos se esperassem nela o mundo seria um lugar melhor.

Kara- Ela não era tudo isso.

Shelly- Como não ? Ela salvou milhares de pessoas, não era a função dela mas ela fez, por causa dela muitas famílias não perderam seus entes queridos, ela simbolizava a esperança é disso que o povo precisa.

Kara- Ainda acredita nela, já faz mais de um ano que ela sumiu ? Como ainda tem esperança?

Shelly- Ela vai aparecer .- Sua determinação e confiança é admirável, se tem uma coisa que ela não faz é mentir ou esconder o que pensa então se ela diz que acredita é porque realmente acredita.

Kara- Como tem tanta certeza, você vê o futuro agora ?- perguntei debochada sorrindo irônica, ela fechou a cara, parece que o feitiço virou contra a feiticeira .

Shelly- Ela vai voltar e vai saltar a todos, é isso que ela faz, talvez esteja meio descrente agora mas tenho certeza que uma hora ela vai acordar e vai derrubar esse projeto de ditadura de merda

Ela não disse mais nada, me deixou lá sozinha e foi chegar a boia marítima que fazia as leituras de maré, fiquei pensando no que ela disse, eu não sei mais no que pensar, tenho certeza que se Alex estivesse aqui ela me diria a mesma coisa que ela, me convenceria a ajudar as pessoas porque é isso que meu coração pede pra fazer, mas ainda não acho uma boa ideia voltar para National City não sou bem vinda lá, nem pelo DOE nem por Lena, não quero encarar ela novamente depois de tudo que aconteceu.

Nesse tempo que fiquei longe ainda não consegui tirar ela da minha cabeça, ainda sinto falta dela, das nossas conversas, de como ela era gentil do jeito dela, da forma que ela me olhava surpresa quando eu esquecia que precisava disfarçar minha inteligência e acabava encarando ela de igual para igual, sinto falta de tudo isso mesmo que tente evitar. Mas não tinha o que fazer eu dei chances a ela para se arrepender e me procurar mas ela não, muito pelo contrário ela trabalhou com o inimigo contra, a essa altura eles já devem saber quem eu sou e talvez ela esteja ajudando eles a me achar .

Fizemos tudo que precisamos e resolvemos voltar para ilha já estava quase na hora do almoço então temos que ir fazer hoje é minha vez de cozinhar infelizmente, odiava cozinhar, talvez eu consiga fazer manhã e a Shelly cozinhe pra gente, ela é ótima é o contrário de mim que sou péssima, com certeza tarefas domésticas não são para mim, fomos para a casa, senti uma sensação estranha antes de entrar, parecia um frio na barriga não entendi um muito bem e abri a porta me assustando ao encontrar uma pessoa parada na sala olhando as minhas coisas.

Shelly- O que faz aqui Luthor? – ela quebrou o silêncio parada do meu lado, olhando para Lena de cima abaixo, não sabia que ela a conhecia, do outro lado da sala Lena apenas colocou as mãos nos bolsos do termo preto que ela usava, suas bochechas estavam vermelhas pelo frio, acharia isso fofo se não estivesse tentando entender o que diabos ela faz aqui.

Lena- Você pintou o cabelo ?- Sério depois de tanto tempo essa é a primeira coisa que ela me diz, o olhar dela percorria todo meu corpo como se estivesse tentando saber se sou eu mesmo .

Kara- O que?- A gente se olhou por alguns segundos até sermos interrompidas por uma gargalhada do meu lado, olhei para minha amiga que estava se divertindo o clima péssimo do ambiente, eu odiava como ela nem disfarçava quando as situações estavam constrangedoras.

Shelly- Não me olha feio Supergirl ninguém mandou vocês terem um gay pânico duplo bem na minha sala, é muito boiolagem.

Lena- Não tive um gay pânico- ela tentou se defender aderindo aquela postura de CEO poderosa, o que não adiantou muita coisa já que minha amiga não ligava nem se abalava com isso, muito pelo contrário ela se divertia afrontando as pessoas.

Shelly- Claro que não, eu que tive gênio, a baba quase escorreu-falou super debochada, tive que conter a risada a situação não era legal mas a cara da Lena está bem cômica.

Lena- Não gosto de pessoas debochadas.- falou rude cruzando os braços ficando vermelha, acho que alguém está brava, ela é tão controlada geralmente.

Shelly- Sério? Tenho certeza que elas também não gostam muito de você- ela deu de ombros com um sorriso sacana no rosto, está sendo um embate interessante mas preciso entender a situação.

Kara- Sem briga agora vamos por partes, primeiro como me achou e o que faz aqui? – falei apontando para Lena, que revirou os olhos e se sentou, a outra tentou sair pela lateral mas eu a arrastei pelo colarinho da camisa a fazendo se sentar também.

Kara- Nada de fugir mocinha sério que você me chamou por um nome falso por quase 1 ano sabendo quem eu sou? – tentei fazer cara de brava mas com ela não colava, ela só riu e se levantou me dando um beijo na testa .

Shelly- Longa história, depois te conto, agora vou fazer almoço antes que sua amiguinha lance um laiser pelos olhos em mim.- ela saiu me dando um olhar culpado me deixando sozinha com Lena, pelo menos quando elas estava soltando farpas eu não precisava encarar meu passado .

Kara- Não me respondeu, atravessou o mundo para ficar me encarando?

Lena- Claro que não Karoline Turner, sério precisava vir parar nesse fim de mundo, tá se escondendo até da sua irmã . – deu ênfase em meu nome falso, não tive muita criatividade mas deu para o gasto até agora, levantei uma sobrancelha pra ela e me escorei sem dar uma palavra, se tem uma coisa que aprendi aqui foi ficar em silêncio.

Lena- Ok, eu vim até aqui porque preciso de sua ajuda.

Kara- Acho que você pode voltar então, não vou fazer nada .

Lena- Você está sem os poderes ?

Kara- Sim, aqui quase não tem sol e eu tenho um pouco de Kryptonita- mostrei meu anel com uma pedrinha verde brilhante, no começo era horrível o enjoo e fraqueza, agora está mais fácil aguentar, isso ajuda a inibir meus poderes .

Lena- Isso explica porque não conseguimos achar sua temperatura, você já é praticamente humana aqui, você soube se esconder.

Kara- Acho melhor você ir. – falei simples olhando nos olhos dela, ainda via um pouco de mágoa ali mas tinha algo diferente, sentia o cansaço dela, ela estava abatida .

Lena- Eu não posso sair daqui sem você, você deve ter ouvido como as coisas estão se acabando lá fora, se você não ajudar os Aliens vão ser extintos da Terra, os humanos também estão morrendo, muitos inocentes você precisa voltar.

Kara- Eu preciso ? Vocês praticamente me expulsaram agora quer que eu volte e salve o dia ? Você só pode estar brincando. – falei brava, ela abaixou a cabeça e suspirou fundo.

Lena- Olha eu sinto muito por tudo que aconteceu, eu sei que errei com você mas se você não ajudar as coisas vão ficar catastróficas, mais que já estão então se não for por mim faça pelo inocentes ou pela sua irmã, você não quer um mundo melhor pra ela e os gêmeos?

Kara- Não faça chantagem emocional, por que você mesma não acaba com isso afinal foi você quem começou.

Lena Agora a culpa é minha? – ela disse mais alto se levantando e começando a andar de um lado para o outro .

Kara- E não é? O projeto foi seu, a inteligência artificial é sua e adivinha só de quem foi a ideia ? Você não colocou nenhuma chave de segurança ou sei lá nos robôs – me exaltei e também comecei a andar, estava com raiva e magoada, ela não pode praticamente me mandar embora depois voltar aqui como se nada tivesse acontecido me pedindo pra voltar.

Lena- Eu tentei, abandonei o projeto na metade mas eles devem ter achado o Lex pois não consigo mais acesso ao projeto, não tenho mais poder sobre eles, eu tentei raquear, mudar os códigos mas nada da certo.

Kara- Deixa eu adivinhar te traíram e depois roubaram seu projeto ?

Lena- Regimento foi isso.

Kara- O Que te faz achar que eu conseguiria derrotar eles ? Até porque eles têm minha fraqueza.

Lena- Eu posso te ajudar, fazer um traje novo pra você.

Kara- Como me achou?- mudei de assunto pra ter um tempo de pensar melhor, claro que na minha cabeça tem um NÃO gigante gritando mas as coisas não são tão simples assim, tem mais vidas em jogo.

Lena- Não foi fácil, demorei quase um mês tentando usar identificador de imagem, meio que cheguei até sua ficha de trabalho mas no começo estava confusa por causa do cabelo preto, não tinha muita escolha então resolvi vir.- ela tentou se acalmar se sentando outra vez no sofá, passei as mãos no rosto tentando organizar meus pensamentos.

Kara- Não acho que isso seja uma boa ideia, não quero voltar para National.

Lena- Eu sei que você está chateada mas as pessoas precisam de você, eu fui injusta com você Kara, devia ter te ouvido e não deixado a minha mágoa ser maior que nossa amizade, eu sinto muito Kara se pudesse eu teria feito diferente.

Kara- Meio tarde pra se arrepender né ?

Lena- Só me dá uma chance. – ela pediu suplicante, meu coração olhou a batida por olhar mais uma vez naqueles olhos verdes tão de perto, no fundo eu queria ceder mas sabia que não podia, não aguentaria de ela me engana-se outra vez .

Kara- Eu não posso te ajudar. – Me levantei e virei as costas para ela, isso tudo é tão difícil, como a nossa amizade desceu até esse nível? Nós éramos tão próximas, tinha tanto carinho, cuidado eu sei que menti mas a gente podia ter resolvido isso de uma maneira mais amigável sem se tornar duas estranhas.

Lena- Eu espero que algum dia você me perdoe por isso tudo, hoje em dia eu me arrependo de ter mentido pra você e te traído, era justamente que o meu irmão queria, ela conseguiu me afastar da pessoa que eu mais admirava e amava na vida, isso me destruiu e sei que machucou você também, espero que algum dia a gente posso se resolver .- senti Seus dedos em meus ombros, e depois seu corpo se colou as minhas costas, ela estava me abraçando, mesmo que de forma desajeitada fez meu coração quase sair do peito de tão acelerado, como eu sentia falta daquele toque, daquele cheiroso, daria tudo pra ouvir o coração dela agora, senti ela se afastando e indo rumo a porta .

Lena- Já que você não vai por mim vou ter que chamar a cavalaria- Não entendi muito sobre o que ela estava falando, mas deixei pra lá, suspirei limpando alguns lágrimas que desviam pelo meu rosto, senti mais uma presença e me virei abraçando minha amiga .

Shelly- Vai ficar tudo bem vampirinha- ela fazia carinho nas minhas costas eu me sentia bem nos braços delas, por muitas vezes eu acordei chorando e ela se deitava comigo e me fazia carinho até amanhecer, talvez ela seja um dos motivos de eu não ter lutado e tentado ir para em outro planeta.

kara- Vai me contar como sabia que eu não era a Karoline mesmo ? – ainda estava curiosa sobre isso, talvez isso ajudasse a me distrair.

Shelly- Você me salvou uma vez, o idiota do meu padrasto bebia demais e fez um enorme acidente em uma ponte, o carro caiu na água, eu não sabia andar e tinha ficado presa nas ferragens, já estava quase desistindo da vida quando você arrancou a porta e me tirou de lá, me lembro da forma que me olhou, nunca esqueceria aquele olhar, não conversamos você me deixou com o bombeiros e sumiu mas assim que bati os olhos em você eu reconheci, fiquei calada para não te deixar desconfortável .

Kara- Não sou mais essa heroína.

Shelly- É claro que é, ser heroína é a sua essência, você é bondosa e justa. – abracei ela mais uma vez, mesmo me vendo na bad e em situações de extremo fracasso ela ainda acredita em mim, ainda tem fé em mim, tivemos que nos separar porque a porta foi aberta com brutalidade, nem tive tempo de pensar quando um furacão loiro entrou na sala .

Cat- Agora eu entendo porque a Luthor parece quer matar alguém, não perde tempo né Kiera- ela disse debochada olhando pra gente, fiquei meio de boca aberta, logo atrás dela estava uma Alex com uma cara nada boa, corri para abraçar ela, estava morrendo de saudade .

Alex- Sério que me largou pra ficar nesse fim de mundo? Esse lugar fede a peixe. – mal acreditei quando vi minha irmã nem ali na minha frente, não estava entendo nada mas estava feliz por ver ela me levantei correndo e fui pular nos braços dela.

Cat- Tá bom está tudo muito lindo mas nós estamos com pressa, não sei de você sabe mas tem uns robôs enormes destruindo cidades, a vaca militar está se achando a rainha de nacional City, os alien estão vivendo como baratas e a Catco me dá vergonha então é melhor você sair da crise existencial e nos ajudar .

Kara- Você saiu de Washington pra vir até aqui me convencer?

Cat- Você achou que eu ficaria trabalhando paro o troglodita do presidente e apoiando chacinas? É claro que não né.

Kara- Não acho que seja uma boa ideia eles vão me vencer facilmente.

Alex- Não me venha com alto piedade você é o ser mais poderoso da Terra, e não se preocupe a Luthor já fez um traje pra você que o Batman teria inveja, acho que esse é um dos jeitos dela de pedir perdão, cabeça dura como sempre.

Cat- Você é a única que pode salvar a todos nós, hoje eles estão botando os aliens pra correr amanhã serão as outras minorias, não podemos deixar isso acontecer, eu entendo que as coisas não estão fáceis Kara mas Supergirl faz parte de você, salvar as pessoas é o que você ama fazer, levante dessa fossa e recupere a sai vida, não passe o resto da vida nesse fim de mundo, você nasceu pra ser diferente e para mudar o mundo, use isso.- eu chorava feito um bebê escutando que ela dizia, essa não era a Cat megera que deixava todo mundo louco, era a Cat mulher, mãe, a pessoa que sempre me viu como repórter mas que deixou eu escolher por mim mesma, e a minha mentora.

Alex- Quando você chegou na terra eu tinha tanto medo que você roubasse meus pais e a atenção de todos, afinal você era diferente, você parecia um raio de sol e mesmo que a gente sempre te indicasse que não usasse seus poderes e se esconde-se você ainda quebrava todas as regras se alguém estivesse em perigo, você me ensinou a te amar e a não viver sem você, nesses últimos meses tudo que eu queria é ter a minha irmãzinha de volta, queria que meus filhos pudessem conhecer a tia super heroína deles, então se a gente precisa lutar para conseguir sua liberdade e dos demais vamos fazer isso, só te pessoa pra ser a Supergirl mais uma vez maninha, eu não pediria se não fosse importante .

Minha cabeça estava um bagunça, eu não podia decepcionar minha irmã, minha mentora nem todas as pessoas que acreditavam em mim, eu tinha que me erguer e lutar por eles e por mim, olhei para minha amiga em busca de uma opinião, ela entendeu pois veio até mim e segurou as minhas mãos e começou a falar olhando nos meus olhos .

Shelly- Precisam de você e você precisa disso também, precisa ser quem você nasceu pra ser, chega de se punir nesse lugar idiota, você nasceu pra ser grande então seja .

Kara- Você vem comigo ?

Shelly- Claro, não vou ficar assim sem o motivo das minhas piadas diárias, não teria graça.

Estava com medo de me arrepender dessa decisão mas eu já estava cheia de fugir, isso tem que acabar para eu conseguir uma vida nova, um novo emprego, um novo apartamento, chega me de esconder está na hora de mostrar para eles que a Supergirl não pode controlada .

Arrumamos nossas coisas rapidamente, não teríamos que levar muito já que aqui é quase o Alasca nossas roupas não iriam servir lá, pegamos tudo que tinha pra pegar e comemos alguns besteiras antes de sair, tratei de tirar o anel de Kryptonita e o joguei bem longe, estou louca para sentir meus poderes de volta outra vez , fomos para o jatinho nada discreto da Lena, não sei como ela consegui pousar essa coisa em uma Ilha. Ela estava nos esperando e não disse nada quando entrei, seus olhos estavam vermelhos como se estivesse chorando, eu ainda sentia vontade de proteger e abraçar ela mas tentei evitar este sentimento.

Lena- Tudo pronto?- todos assentaram e sentaram em suas cadeiras, ela veio até perro de mim e me integrou uma pulseira esquisita.

Kara- O que isso faz?

Lena- Isso vai liberar raios UV em você, vai te ajudar a trazer seus poderes, quando já estiver recarregada ela irá pegar mais energia solar assim se alguém tentar tirar seus poderes você pode sempre recarregar, ela também libera um traje que te deixa protegida contra Kryptonita, ainda não é o melhor traje mas já serve de precaução enquanto você não estiver 100%.

Kara- Obrigada – foi tudo que consegui dizer, não esperava que ela fosse se preocupar tento assim, ainda não entendi se ela está fazendo esse esforço todo porque realmente quer ajudar as pessoas ou se apenas senti culpa, claro que não é ela que controla tudo mas ajudou inicialmente nessa loucura.

Shelly- Nem saímos da maldita ilha e você já ganhou presente- ela estava me zoando, não acredito que ainda fico vermelha com as brincadeiras dessa idiota.

Kara- Nem começa.

Shelly- Qual é? Agora entendo porque o você chamava tanto ela em sonhos, a mulher é o sonho de todo mundo, sei que vocês tem uma história conturbada mas pelo olhar que ela te deu e o desprezo que ela me trata você devia pensar seriamente em perdoar, não deixa um mulherão desses passar só de olhar já da vontade de sentar e não levantar mais – dei um tapa forte no braço dela, que reclamou pelo jeito meus poderes já estão voltando, mas ela mereceu, ninguém mandou ser boca grande.

Kara- Não seja tarada, não vou perdoar ela só porque ela é uma Deusa.

Shelly- Que tal perdoar porque ela é louca por você ? Ou por que ela andou o mundo atrás de você? Talvez por que ela te olhe como de você fosse o mundo dela .

Kara- Não é tão simples, por que veio com essa história agora?- perguntei brava, odeio quando ela me dá conselhos que eu não quero ouvir mas que não são verdade, ela dificilmente fala sério comigo mas quando falar também é pior que a Cat.

shelly- Por que eu vejo nos olhos das duas que vocês se amam e estão com o coração quebrado, não estou dizendo que você te que se declaram pra ela e tentar um relacionamento, não agora, vocês tem tanta mágoa guardada que não daria certo mas talvez dê uma chance para a amizade, foi assim que tudo começou, a confiança foi quebrada mas vocês podem retomar ela, você merece ser feliz Ka, e no último ano você esteve tão quebrada aposto que Lena não esteve diferente, as duas erraram não deixem que a vida de vocês se perca por um jogo de egos.

Kara- Como sabe que ela não está me usando outra vez ?

Shelly- Se estivesse você acha que a sua irmã e Cat ajudariam ? Se elas estão aqui é porque a situação é grave .

kara- Tudo bem eu vou pensar no que me disse .

Shelly- Já é um começo, sabe que se precisar estarei aqui por você.

Kara- Eu também, fico feliz em ter você do meu lado .

Shelly- Eu também, agora vamos descansar e torcer para toda poderosa não ser tão ruim como pilota como é conquistando mulheres e mantendo amizades.

Kara- Você não presta, mas mudando de assunto não te assusta mudar assim sem nem saber pra onde vai?

Shelly- Eu odiava aquele trabalho, na verdade eu quis sair na segunda semana mas uma certa morena falsa extremamente atrapalhada chamou minha atenção então resolvi ficar enquanto ela estivesse lá.

Não falamos mais nada, fico feliz que ela tenha ficado lá por mim, acho que teria surtado sem ter ninguém pra conversar, mesmo não sendo completamente sincera sobre minha história eu era verdadeira com ela, isso me ajudou a não me perder de quem realmente sou. Como não tinha muito o que fazer até chegar onde Lena estava nos levando resolvi fazer como minha amiga que me usava de travesseiro e dormir, não faria mal descansar um pouco as coisas não seriam fáceis daqui pra frente mas eu estava conseguir resolver tudo e ter minha vida de volta.


Notas Finais


Iai o que acharam? Comentem aí pra eu saber .


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...