História Supermodel - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Abandono, Anorexia, Jacquelyn Jablonski, Moda, Modelo, Victoria's Secret
Visualizações 8
Palavras 2.342
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 33 - A Verdade Sangra


Fanfic / Fanfiction Supermodel - Capítulo 33 - A Verdade Sangra

- O que?! Meu filho não vai fazer a cirurgia? Como assim? Ele conseguiu a medula! Ele tem que fazer a cirurgia! – Liz bateu o pé no chão.

-Amor, eu preciso te contar algo ...aproveitando que Charles está dormindo em repouso, olha preciso que você não surte...por favor... – Samuel a segurou pelos ombros com cuidado.

-Você está me assustando...o que aconteceu? Cadê a Rita? Ela tem que fazer o transplante hoje... cadê a Rita?! – Liz olhou pelos lados.

-A Rita não é a verdadeira mãe do Charles...aquela época quando ela estava no estacionamento...a RITA É A MÃE DELE, MAS EU SOU A VERDADEIRA MÃE!

-A Rita roubou a criança, Charles nasceu em Amsterdã, e seu nome verdadeiro era Rafael...olha eu vou pedir que você fique calma....a Lolla é a verdadeira mãe do Charles....

-Espera...aquele filho que você teve com ela, que você disse que morreu... é o Charles? Você é o pai verdadeiro dele?! – Liz não pensou duas vezes e acertou um tapa em Samuel – Não fale mais comigo. – Ela viu Lolla passando no corredor do hospital com Luigi e saiu correndo atrás dela – OLHA AQUI SUA VAGABUNDA!

Lolla ouviu um grito feminino em sua direção e sentiu um puxão de cabelo – Aí...o que? – virou para trás e viu Liz – O que é isso? Está maluca?!

-Você não vai roubar meu filho de mim! O Charles é meu filho! – Liz estava descabelada não se importando com o barraco – Ele é meu Lolla! Meu!

Ela deu uma risada irônica e prendeu os cabelos – Seu?...Seu marido amado me abandonou grávida com ele, ele se desfez da criança e jogou em cima para eu cuidar, quando não tinha condições...eu pari ele sozinha no chão do meu quarto...aí a vagabunda da minha irmã roubou ele de mim e te trouxe! Sabe o que eu acho Elizabeth? Que foi você que mandou roubar meu filho e incendiar aquele orfanato – Ela alterou a voz chamando a atenção de todos ali, inclusive de Luigi que tinha ido assinar a alta dela na recepção e veio correndo.

-Lolla! O que está fazendo?! – chegou correndo.

-E daí?! Lolla você tem inveja porque o destino ME escolheu para ser mãe dele! É você que tem inveja sua maldita! Mas eu vou dizer a coisa, ele é meu, a guarda dele é minha e eu não vou te devolver, a culpa é sua de ter perdido ele, sua irresponsável, não presta nem para ser mãe, você fez isso com seu filho!

-O que?! – esse foi o pico da raiva que fervilhava em Lolla – VOCÊ NÃO PRESTA NEM.PARA GERAR O SEU FILHO E VEM ROUBAR O DOS OUTROS!

-MALDITA! – ela perdeu o controle e voou em cima de Lolla, a agredindo no rosto – MORRE!

Luigi entrou no meio e empurrou Liz para longe que foi agarrada por Samuel – Não bate nela! Minha esposa está grávida!

Ela se levantou descabelada, enquanto assistia Lolla se recompondo e rindo – Está rindo? Está grávida? Do Luigi? ...

Ela começou a rir alto – Sabe o que é engraçado disso? Você me chama de invejosa, mas eu casei com o cara que te abandonou no altar...eu sou a verdadeira mãe do filho que você roubou para criar porque você não pode ter filhos! Eu estou grávida do mesmo cara que te abandonou no altar e que é o mesmo cara que era pai da criança que você perdeu – bateu palmas – Eu sou tudo que você não é!

Liz lacrimejou ao ouvir palavras tão cruéis e saiu do lugar da briga se escondendo em um dos quartos.

Luigi agarrou Lolla pelos braços e olhou nos olhos da moça bem fundo – O que é isso Lolla?! Palavras tão cruéis?! Essa não é você! Você perdeu seu filho igual a Liz! O que é isso?!

Algumas lágrimas escorreram do rosto da moça que continuou a olhar nos olhos de Luigi, ela finalmente estava soltando toda aquela dor que estava sentindo, uma descoberta cruel atrás da outra, de como ela foi vítima de uma série de jogos contra ela – Cansei de ser enganada...de ser a bobinha da história...cansei disso Luigi...

-Lolla...Lolla meu amor... – ele acariciou os cabelos dela afagando o choro da mesma – Coloca para fora ...essa mágoa toda...

Samuel tinha deixado a briga lá atrás e saiu correndo atrás de Elizabeth que havia se trancado dentro da sala de remédios do hospital – Elizabeth ... Abre a porta...sou eu...o Samuel...amor...abre a porta...por favor...Lolla não tinha direito de ter feito aquilo contigo... – escutou a tranca da porta girar e abrir, quando ele entrou viu ela sentada no chão apoiada na parede – Amor? – abaixou até ela, e só conseguiu ver as lágrimas da esposa. – Amor...

Ela soluçava de tanto chorar – O que ela disse, é verdade...porque você ainda insiste em mim? Você tem um filho com a Lolla...e ele está bem vivo...porque você me quer? Não posso te dar um filho...

-Não pode? Eu te amo Elizabeth... – Ele limpou as lágrimas da esposa – Tudo bem que não possamos ter filhos, mas eu quero você...naquela noite em que te conheci...não foi eu que te salvei...foi você que me salvou...

Flashback – 9 anos atrás

Sussex – Hotel Gardênia

-De fato Mr.John, Inglaterra é de uma vasta beleza, a faculdade de Oxford me chamou muita atenção, ano que vai estar tudo certo, e eu finalmente vou me mudar para Inglaterra, agradeço por todo o tempo gasto em mim, Mr John... – O sotaque espanhol de Samuel naquela época, era forte e puxado, tão forte que entregava na hora que ele tinha nacionalidade latina.

O homem de terno de inglês britânico bem charmoso, era David John, o futuro tutor de Samuel – Fique a vontade, a piscina fica no andar de cima...tenho um compromisso agora...

-Bom...vou aproveitar ... – Subindo a escadaria ele se deparou com a grande piscina, ficou parado ali por um tempo admirando a vista, até notar uma moça na sacada de um dos prédios, pronta para despencar – Hum? Droga... – Samuel saiu correndo em direção a moça, e quando se aproximou notou os cabelos loiros da moça voarem na brisa gélida do hotel – Moça...

Ela estava de cabeça baixa, a maquiagem borrada de tanto chorar, e acariciando a barriga – Eu o perdi...perdi tudo...

-A vida não é assim...vai ter momentos que você vai querer desistir, mas eu te garanto, a vida tem mais a oferecer...muito mais a oferecer para você...

-O que ela tem a me oferecer? Perdi tudo! – ela soluçava enquanto olhava o chão – Ninguém vai sentir minha falta...

-Não! Eu vou sentir moça! Te conheci agora, e foi como ver um anjo... – Samuel foi se aproximando lentamente -Você é importante...me atraiu até aqui como um ímã, moça não faz isso...a vida não acabou...

Ela olhou para Samuel, de cima a baixo, e ficou segundos o olhando e caminhou para trás se ajoelhando enquanto chorava – Me desculpa!

-Não! Não... – ele saiu correndo e a abraçou apertado – O mundo não acabou para ti.

Atualmente

-Você me salvou aquele dia amor, e eu vou te proteger... – ele a abraçou apertado, e sentiu a mesma cair em seu ombro – Liz? – ele a olhou e percebeu o vidro de remédio vazio na mão da mesma – Amor...você não fez isso comigo....droga! – Samuel a pegou no colo e saiu correndo.

Outro quarto do hospital

Ele abriu os olhos e percebeu que estava deitado numa cama de hospital, sentiu uma dor forte no rosto e tentou usar a mão para apalpar, percebeu que foi bloqueado e quando olhou, estava algemado – O que? Me soltem!

O homem de cabelos pretos e rosto branco, acompanhado de um maxilar marcado e um sotaque britânico puro, estava de terno e um distintivo – Antony Kaleo Malimoa, o senhor está preso, por estupro, chantagem, tráfico de drogas e agressão.

- O que? Preso? Com que provas?! Você sabe com quem você está falando?! Ricos nunca vão presos! Eu tenho dinheiro! E eu não fiz isso!

-Não tente resistir senhor, Zarina Zereke foi internada a alguns dias, com overdose, após uma denuncia contra o senhor, vasculhamos a casa dela e a casa do Senhor, muitas provas de que o senhor estuprou e agrediu a mesma, além de induzir a mesma ao uso de drogas...

-É mentira! Isso é uma farsa contra mim, sou dono de uma das maiores empresas de moda do mundo! Aquela oportunista!

-Estamos avaliando se o senhor fez mais vítimas ao longos o tempo, mas que seja vai aguardar julgamento na prisão, podem entrar. – os guardas entraram algemado Antony se preparando para levar.

-Esperem um minuto! – Sven interrompeu – Preciso falar com meu pai antes disso...

-Pelo menos alguém com senso aqui, Sven explica para eles que isso foi um engano!

-Engano? Foi eu que te denunciei, e encontrei todas as provas, você vai morrer atrás das grades, pai! – cruzou os braços segurando as lágrimas, de decepção, de rancor, de ódio – Eu te amo pai, mas você vai pagar...vai pagar...por tudo o que fez com a Diana...levem ele...agora me diz uma coisa pai... – encarou ele nos olhos sem piscar uma única vez. – a mãe sabe disso?...

37 anos atrás – Honolulu

Ele estava assistindo o primeiro desfile da Lithium na capital do Havaí, na época era ascensão da modelo mais nova da Lithium a alcançar o topo das passarelas, Raquel Schwitz com 18 anos, loira de lábios carnudos e alemã, naquela lingerie sensual, tendo feito aquela parte no desfile, ela seguiu para os bastidores e encontrou o havaiano moreno de olhos azuis, com 24 anos, que a agarrou em um beijo intenso, o sotaque dos dois se misturavam a medida que se beijaram.

-Antony...Antony pare por favor – tentou se afastar dele, mas sem sucesso.

-Eu li a carta que me deixou, você não vai ir embora para criar nosso filho sozinha...vamos para a Alemanha, ele vai nascer lá e vamos dar tudo para ele...

-Antony, você disse que nunca ia se casar comigo porque você estava perto de assumir a Lithium e queria curtir a fama...

-E eu não mudei de opinião, não vou me casar com você, mas você é a mãe do meu filho, eu tenho o dever de te proteger para todo o sempre, e eu prometo a você Raquel, nunca vou trair o que nós construímos juntos.

Atualmente

Ele escutou a pergunta do filho e viajou no passado, parou no tempo, lembrando daquela promessa que tinha feito a 38 anos atrás, a idade do seu filho Sven.

-E então pai...a mãe sabe de tudo isso? Ela está metida nessa sujeira?

Antony balançou a cabeça e olhou para Sven – Não...Raquel não tem nada a ver...

O loiro cruzou os braços e se enfureceu – Podem levar.

Os policiais arrastaram Antony para fora do hospital até a viatura.

Hotel Gardênia

Lolla tinha sido convocada a ir ao hotel para confrontar a advogada de Rita, que estava lutando contra um processo para escapar, ao chegar lá, ela entrou no quarto e viu a moça parada ali na frente – Não pode ser....

A morena, mais velha, vestida socialmente virou o rosto para Lolla – Como você está crescida...eu a vi nas fotos, mas...como você está uma mulher linda, formada...que orgulho ... – o sotaque puxado fez parecer familiar.

-Madre... – ela respirou fundo...

-O que é esse corte na boca? Andou jogando chá na cara de outra pessoa e essa pessoa revidou? Pare de se comportar como aqueles bandidinhos de San Juan, você é famosa.

-Quem é você para me dar ordens? Minha mãe?! – ela riu alto mais batendo palmas, sim, Lolla estava no limite de seus sentimentos de decepção.

-Eu sou sua mãe sim...você devia ter mais respeito comigo...

-Minha abuela me criou, a SUA mãe me criou porque você me abandonou e foi para Venezuela e casou com um cara, e teve um filho...chamado Rafael que hoje tem 13 anos! Aliás um irmão que você nunca me apresentou!

A mãe dela olhou para o lado e ajeitou os cabelos – Eu tenho que te dizer a verdade...

-Que verdade? Que você traia meu pai? Que você tinha uma filha fora do casamento?! Que você me abandonou com meu pai para morar na ARGENTINA com SUA família nova? Que ele nunca morreu de overdose, e sim que ele também tinha ido embora? Argentina madre? Você disse Venezuela! Sabe porque na mídia eu me chamo Lolla? Por sua causa, porque eu tinha esperanças de um dia reencontrar você! Mas descubro que você tem uma filha chamada Rita!

-Quem não erra nessa vida Luciana?! Eu errei, mas não vou pedir desculpas, eu escolhi correr atrás da minha felicidade...

-E para escolher atrás da sua felicidade, você acabou com a minha! Me diz, porque me chamou aqui?...

-Bom... – suspirou – Preciso que retire a queixa contra a sua irmã...quanto mais ela fica na cadeia...mais chances a interpol TEM de pegá-la...

-O que? Espera...você está pedindo para eu soltar a desgraçada que roubou meu filho de mim! Ela sumiu com meu filho por 8 anos e fez eu acreditar que ele estava morto!

-Eu só quero proteger, eu sou mãe, protejo meus filhos..

-E ONDE VOCÊ ESTAVA QUANDO EU PRECISEI! – ela bateu a mão no peito gritando com a mãe.

-A deixei com a minha mãe porque pensei que seria melhor para você... – abaixou cabeça.

-Madre...volte para Argentina, porque eu não vou soltar a Rita.

Apartamento de Cambridge

Era um quarto discreto, não muito chamativo, Raquel tinha acabado de se hospedar ali com o nome de Magda Montréal, ela sabia que o cerco estava se fechando para cima dela, sentou na cama e mandou uma mensagem – Rita está presa....Antony acabou de ser preso e descoberto....e agora Diana está quase recuperando a memória...droga! – respirou fundo e peguei uma caixa colocando na cama, ouviu seu celular apitar e foi olhar, era um vídeo que ela precisava, Elizabeth batendo em Lolla na frente do hospital – ela pegou a outra caixinha e colocou na cama também, sem seguida abriu a caixa maior olhando a 38 carregada – Lolla, eu sinto muito, mas se você descobrir, acaba com a minha carreira...Liz infelizmente é você que vai ter que pagar no meu lugar... – abriu a outra caixinha olhando a seringa – E Diana, você vai rodar....antes você, do que eu....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...