História Supernatural - O Negócio da Família - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Dean Winchester, Personagens Originais, Sam Winchester
Tags Dean Winchester, Donna Hanscum, Fanfic, Ficção Adolescente, Jared Padalecki, Jensen Ackles, Original, Sam Winchester, Spn, Supernatural
Visualizações 125
Palavras 1.184
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Lamas e Fantasmas


Fanfic / Fanfiction Supernatural - O Negócio da Família - Capítulo 2 - Lamas e Fantasmas

A lanchonete tranquila com um casal e uma criança um menino com uma arma de brinquedo ele está brincando de policial ao invés de comer.

— Dean é como eu disse, você pode pegar o impala e voltar pro bunker, ou se divertir na boate e pegar umas "gostosas".

Dean mastiga a batata parece pensar na proposta, mas logo retoma seus pensamentos para Sam, que pela cara está procurando por aventura e ação, que provavelmente pode terminar em morte.

— Já disse NÃO. Você mocinho vai colocar seu traseiro no quarto vai arrumar suas coisas que amanhã dedo vamos embora.

Sam não acredita no que acabou de vê Dean bancando o pai, sempre assim. Quando John winchester não estava por perto Dean se tornava o pai, as vezes até melhor que John, mas desta vez está pegando pesado demais.

— Não Dean. - Sam retrucou em um resmungo, ele olha para fora e vê que é noite.

— Vá se divertir eu vou seguir com o caso.

Sam tirou o dinheiro do bolso e pagou sua parte.

— Tá coração ferido. DRAMÁTICO! depois não me procure quando estiver ferido.

Sam deixou a lanchonete Dean morde seu hambúrguer com bastante raiva, a garçonete se aproxima para limpar a mesa.

— Vocês terminaram não é. - Ela comentou.

— O quê? Não ele..

— Shh! Tudo bem, mas acho que você pegou pesado demais com ele.

A garçonete deu às costas para Dean que ficou confuso de boca cheia, ele volta a mastigar refletindo.

— Eu, hein!. Maluca. - Dean resmungou enquanto retoma atenção ao hambúrguer.

*

Sem pistas alguma, Sam seguiu pela rua com as mãos no bolso do casaco segurando uma lanterna, na cintura uma pistola com balas de sal.

Sam para em frente a cerca de trepadeiras atrás da mansão ele olha ao redor aproveitando que ninguém está olhando abre uma breca na cerca e então entra. Assim que pisa no jardim maltratado dos fundos da mansão se depara com barro molhado pelo sereno e o tempo húmido, ele se abaixa toca a lama e volta a postura reta sentindo a textura da lama humida entre os dedos.

— Eu sabia!

Ele lembra da pesquisa que fez e que o filho de Hilda o Frank era um menino incrível que amava a mãe mesmo com ela o odiando.

A madeira da cerca bate no traseiro de Sam, que assustado imediatamente virou para trás pronto para atirar. Mas seu susto passou ao se deparar com Dean.

— Ih qual é Sammy.- Dean cochichou rindo da cara dele.

— Tá com medinho do Gasparzinho. - Dean debocha rindo.

— O Quê? Não.. Esqueceu que pode ser um caso de psicopata.

Sam explicou prosseguindo ao lado de Dean que está reclamando das botas sujas de lama.

— É.. eu tinha me esquecido. - Dean retrucou.

Ele retira um medidor EMF do bolso e aponta enquanto anda pelo jardim com flores secas, árvores mortas.

Dean quase escorrega na poça de lama ele segurou na maçaneta da porta dos fundos.

— Merda! Cuidado está escorregando. - Dean alertou Sam.

Dean abre a porta Sam liga a lanterna e aponta enquanto Dean tranca olhando a volta atento, as paredes com teias de aranha, as paredes descascadas e rabiscados com caneta e

O piso range, mas isso não interessa o que realmente interessa é por que tem som de adolescente na cozinha?

Dean faz sinal para Sam, que tira o revólver da cintura.

Os irmãos pisam na cozinha e a cena que vê é horripilante a fantasma velha com olhos e boca escorrendo barro ela está alimentando dois adolescentes com barro.

— Ei come isso aqui!

Sam não pensa duas vezes e dispara contra o fantasma que desaparece, mas óbvio que vai retornar.

— Cuida dos pirralhos. - Dean indagou segurando uma barra de ferro salgado.

Sam desamarra os dois adolescentes sem esperar que bem no canto da janela ao lado de fora assustado está Frank Smith ele chora lagrimas de barro.

— Sam! - Dean gritou.

Sam virou bruscamente a sua frente e se deparou com Hilda com sua boca jorrando lama, ela atravessou sua mão na barriga de Sam e que repente começou a vomitar lama.

— Sam! - Dean gritou vendo seu irmão de joelhos vomitando lama.

Dean não pensa duas vezes e dispara contra o fantasma que desaparece, o adolescente mais novo ajuda o amigo.

— Ei. Sammy olha pra mim. - Dean resmungos dando tapas no lado esquerdo do rosto do irmão mais novo, Sam pousou a mão em seu ombro.

— E-Eu estou legal! - Sam disse levantando.

— Ta legal. Todo mundo pra fora! - Dean gritou.

Os adolescentes vão na frente enquanto os Winchesters vão atrás mirando, atento e finalmente deixam a mansão.

— Posso saber o que estavam fazendo lá dentro? - Dean perguntou para os adolescentes que estão ainda com boca suja os dentes ainda tem capim. O adolescente de óculos encarou o metido a emo com unhas pintadas de preto.

— A gente estava conversando com o Frank pelo tabuleiro.. Temos tudo aqui no vídeo.

Sem paciência o Winchester mais velho, empurra os adolescentes e Sam saindo por onde entraram. Sam retira o celular do bolso sua roupa está suja de barro.

— É convenção dos nerds- Dean pensou bolado, ele sente um pouco de ciúmes quando Sam se enturma.

Ambos seguem em direção ao impala entram, mas o que passa na cabeça dos irmãos é: VAMOS DESENTERRAR OS CORPOS, SALGALOS E QUEIMAR.

O impala para no meio fio Dean lança seu olhar para os adolescentes o mesmo olhar que usa em Sam quando ele faz algo errado.

— Ôh se voltarem lá ou divulgarem o vídeo.. O bicho vai pegar pro lado de vocês! - Dean falou em tom grosso.

Os meninos concordaram e seguiram cada um para sua casa com o rosto coberto de lama.

Dean olhou Sam a boca dele está ainda com lama ele deu tapa no ombro de Sam.

— Limpa a boca está sujo com lama de esgoto.

Dean indagou.

*

Sam deixa o banheiro secando os cabelos com seu jeans surrado e camisa desabotuada ele observa Dean ao celular.

— E você tem certeza disso? - Dean perguntou sério com o celular colado na orelha.

— Ok. então, se souber de mais alguma coisa me ligue.

Dean desligou o celular se voltou para Sam e então sentou na poltrona pensativo.

— Quem era? - Sam perguntou abotuando a camisa.

— Problemas maninho, problemas. - Dean indagou abrindo uma cerveja que havia pegado no isopor do carro.

— Hum. E qual é o "problema" ?

Sam pega uma das três cervejas abre confuso e toma um gole.

— Ao que parece Hilda Smith enterrou o filho no jardim, e ela foi enterrada no porão.

O queixo de Sam caiu, afinal ele leu e releu lendas e fatos sobre a família Smith.

— Está brincando? E o lance das lendas e..

— No celular era Brendon Smith sei lá quantos" Tatara" da velha fã de máscara de lama. Ele disse que Hilda tinha problemas mentais e disse a família que ela implorou pra família enterrar ela porão.

Dean partiu para outra garrafa tirou a tampa e mandou pra dentro um gole.

— Uau! Eu..eu me sinto idiota em cair em uma lenda.

Dean encarou Sam com seus ombros caídos.

— Mas você é idiota. Vadia! - Dean indagou.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...