História Supernatural- A imperatriz - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Chuck Shurley, Dean Winchester, Jody Mills, Lúcifer, Mary Winchester, Personagens Originais, Rowena MacLeod, Sam Winchester
Tags Dean, Jack, Romance, Sam, Yaoi
Visualizações 49
Palavras 2.923
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heeey sugars! My lovers! I'm back! kkkkk Então, eu voltei trazendo uma nova fic pra vocês! Ela é mais descontraída que a outra, eu espero que gostem! Bjjs de nuvem! E boa leitura!
(leiam as notas finais!)

Capítulo 1 - Recordação foda!


Fanfic / Fanfiction Supernatural- A imperatriz - Capítulo 1 - Recordação foda!

Dakota p.o.v.

Dover, Delaware

Agora.

Ele me olhava como se realmente não soubesse de nada, mas não caio nesse truque duas vezes, qualquer um fingi dizer a verdade quando se esta acorrentado a uma cadeira.

eu-Onde ele esta?!-coloco minha faca sobe o seu coração.

xxx- Eu não sei! Já disse que não sei de nada!-diz desesperadamente.

eu-Certo, eu vou acreditar no que você disse. Até porque você mentiria não é? E então. qual é o seu nome mesmo?!-tento distrai-lo.

xxx- Wybe!- nervoso, tenta se acalmar respirando lentamente.

eu-Escute Wybe, meu tempo esta acabando e meu chefe esta no meu pé, então colabora comigo e me diz onde ele esta!?-debocho, forçando a faca em seu peito.

Wybe- Ele não esta com agente!-diz nervoso.

eu-Ele esta com quem estão?-digo com raiva, tentando intimida-lo.

Wybe- Eles não me disseram, e mesmo se dissessem, eu nunca diria nada pra você, uma humana repulsiva!-diz irritado tentando se soltar

eu-Esta bem. Demorou mais você me disse onde ele esta!-digo com um sorriso de deboche, indo na direção da cozinh.

Wybe- O que? Como assim?-diz confuso.

eu-Você bebe Wybe?!-descontraída pego uma garrafa de cerveja na geladeira.

Wybe- Por que isso agora?!-diz impaciente.

Vou na direção dele ficando em sua frente.

eu-Eu vou te matar agora. Eu não preciso mais de você, já me disse tudo de que preciso. Pensei que gostaria de estar bêbado nesse momento! Não estou certa?!- despreocupada debocho.

Wybe- Do que você esta falando? Eu não te disse nada!-diz desesperado.

eu-Como é tolinho! Esta errado! Você disse que "eles não disseram" isso quer dizer que os seus amiguinhos sabem onde a minha "encomenda" esta. Entendeu agora?!

Wybe- Não pode ser! Isso esta errado!-diz nervoso.

eu-Pois é! E é tudo culpa sua. Eu declaro um bride em seu nome, já que foi tudo muito fácil graças a você, Wybe!-digo de deboche levantando a garrafa de cerveja pra cima e logo dando um gole.

Wybe- Escute aqui, o garoto pertence ao nosso rei, Lúcifer. Ele vai voltar e vai acabar com você! Você já esta morta sua vadia!-diz tentando se soltar, irritado.

eu-Eu duvido muito disso. Nunca tive medo de vocês demônios! E pode ter certeza, eu quero que Lúcifer volte!-perfuro a minha faca por dentro de seu coração. Seu corpo começa a brilhar e logo morre.

eu-E meu nome é Imperatriz e o garoto é meu!

Limpo a minha faca na camisa, e vou em direção a cozinha pegando os meus pertences.

 Assim que abro a porta da casa levo as minhas coisas até o carro, e volto pra pegar o "peso morto", e o coloco no porta-malas. Entro no carro e penso no meu próximo passo.


18 anos antes...

Escuto um barulho atrás da porta. Tenho a leve impressão de ser gemidos. "Isso deveria ser normal?". Abro a porta lentamente, e me deparo com a imagem que com certeza eu não vou querer me lembrar.

"Meu namorado na cama trasando com uma líder de torcida do nosso colégio."

eu-Dean?!-digo incrédula.

Ele se assusta, mas antes que ele pudesse dizer qualquer coisa, eu saio e tranco os dois no quarto, e corro rapidamente tentando inutilmente segurar as lágrimas.

Quando eu conheci Dean winchester, já sabia da sua fama de canalha e mulherengo, mas...Estávamos ficando a dois meses, o que é muito pro seu histórico de relacionamento. Só queria acreditar que Dean havia mudado, por mim, talvez! Por nós quem sabe?!

Assim que chego em casa, tento me impedir de derramar uma lágrima se quer, sabendo que isso podia acontecer em qualquer momento, mas não consigo, eu sou teimosa até comigo mesma.


Agora.

Estaciono o carro na garagem de casa. Pego o "peso morto" no porta-malas e o carrego até dentro de casa, o colocando sentado encima do sofá. Volto pra pegar minhas coisas, e logo vou na direção do meu quarto.

Eu estou fedendo a morto, hora perfeita pra se tomar um banho!

Assim que entro no banheiro, fico um tempo de baixo d'agua dentro da banheira. Não consigo parar de pensar aonde o garoto, o tal de Jack poderia estar. Isso me intriga! Odeio querer e não poder!


18 anos antes... Continuação

Depois de um tempo no meu quarto, decido mandar uma mensagem pro meu melhor amigo Gregory, ele sempre me da ótimos conselhos, sempre o considerei como um irmão que eu nunca tive.

 Já que eu sou órfã, e a única família que eu tinha, era meu irmão mais velho Simon, mas ele havia ido embora a muito tempo, me deixando sozinha. Então eu nunca tive uma família, mas mesmo assim greg ocupava esse lugar por mim.

msg:

"Hey greg! Por favor não vem aqui em casa! Não quero te ver! Até depois!"

msg:

"OK. Até depois!"

Greg e eu tínhamos uma forma diferente de conversar um com o outro. Sempre escrevíamos o contrário do que estávamos sentindo, como se fosse um código só nosso. Como somos estranhos!

Depois de um tempo me dou conta que Greg me encarava parado enfrente ao meu quarto.

eu- Estava aí a muito tempo?

Greg- Não muito. Fala aí o que houve!?

Fico constrangida. As palavras não conseguem sair da minha boca. Sabendo disso, ele se aproxima da minha cama e se deita ao meu lado. Eu apoio minha cabeça em seu peito enquanto ele me envolve em seus braços e a carência meu cabelo.

Greg- Como você não consegue falar agora, já sei até o que houve, tem haver com o Dean, estou certo?

Eu só confirmo com a cabeça.

Greg- Sabia! Mas por que esta assim? Você nunca se importou com o que ele faz, por que agora esta agindo desse jeito?

Me levanto, olhando fixamente pro seus olhos, com raiva.

eu- Ele estava com uma puta qualquer, que ainda é do mesmo colégio que a gente. Então?! O que você tem a dizer sobre isso?!

Greg- Que flho da puta!- diz rindo.

Eu não me controlo, e acabo rindo juntamente com ele. Eu adoro o greg por esse motivo, ele sempre me faz rir. Não quando eu quero, mas sim quando eu preciso.

eu- Okay, mas e agora?! O que eu faço?

Greg- Flor, você já não sabia que o Dean não prestava?!

eu- Eu sei! Me atire logo uma pedra, ta bom! Vai me dar um conselho ou não?!

Greg- Agora só tenho dois conselhos pra te dar: Ou você ignora como você sempre faz, ou esquece ele logo de uma vez!

eu- Talvez eu faça mesmo a segunda opção.-digo com raiva.

Greg- Esta mentindo, eu sei!

eu- Ah cala a boca. Mesmo se fosse verdade, isso não muda nada.

Greg- Ta brincando? Isso muda tudo.

eu- E se ele ficou com aquela vagabunda, pra me avisar que ele não esta mais afim?!

Greg- Teimosa de corpo e alma!

eu- Você não entende. Eu imaginava o momento em que ele me pediria oficialmente em namoro, mas agora eu não tenho mais certeza disso.

Greg- Não diga isso. Como você não me ouvi só digo uma coisa: Saberá o que fazer quando estiverem juntos de novo!


Agora.

Saio da banheira, me enrolando na toalha indo na direção do armário. Visto uma camisa preta qualquer que algum cara, fã de Nirvana esqueceu comigo.

Acho melhor checar se o morto esta bem!

Vou até a sala despreocupada, mas assim que olho para o sofá fico surpresa ao perceber que o corpo não estava mais alí. Fico em silêncio, andando devagar em direção a escrivaninha da sala, abrindo a gaveta e pegando meu revolver 24k.

eu- Então quer brincar de pique-esconde?! Tudo bem esta comigo!

Não ouço nada, até surge um barulho na cozinha. Vou rapidamente pra lá, dando de cara com algo escrito de sangue no chão.

"Seu tempo esta acabando, e minha paciência esta no limite"

eu- Encheção de saco, do caralho!


18 anos antes... Continuação

Segui os conselhos do greg, e fui pro colégio normalmente. O sinal tinha acabado de bater pro final da aula, eu ainda não tinha visto o Dean desde quando eu cheguei no colégio, o que só me fez pensar no pior, até chegar na conclusão de que ele esta me evitando.

Quando alguém se importa de verdade com a outra ela sempre volta por ela. Então decido ignorar, e seguir enfrente indo em direção ao Parque das Rosas Brancas, meu lugar preferido pra pensar.

Estava um pouco vazio, decido me sentar na colina onde ficava uma árvore cerejeira. Fico alí olhando pro horizonte até certo tempo, e logo decido ir pra casa antes do sol se por.

 Assim que me levanto vou calmamente em direção da saída, passando pelos bancos vazios perto do chafariz do parque, de repente escuto alguém dizendo alguma coisa, decido ignorar, mas havia ficado cada vez mais perto, me possibilitando escutar o que era.

Xxx- Colin! Colin!

Me lembro nesse momento que a única pessoa que me chamava de Colin era o Dean, e acabo travando, até que percebo que alguém estava atrás de mim.

 Me viro lentamente ficando nervosa, ao ver Dean que fica a poucos centímetros do meu rosto. Algumas pessoas do parque tentam disfarçar mas acabam ficando com os olhos fixados em nos dois.

Dean- Colin, sobre ontem, eu... Eu não sei nem como te dizer. Não sei como aquilo aconteceu. Eu estou um pouco confuso, o meu corpo esta doendo e minha cabeça esta louca! Não sei como te explicar!

Dean parecia preocupado. E se ele realmente não se lembra como aquilo aconteceu?! Isso é muito estranho! Mas tanto faz agora! Eu não paro de pensar que ele veio até a mim se explicar, isso quer dizer que ele se importa comigo, nem que seja só um pouco! Greg tinha razão desde o início.

Eu seguro seu rosto com as minhas mãos.

eu- Dean, eu não me importo.

Ele me olha surpreso.

Dean- O que? Como assim?

eu- Não me importa o que você faz ou fez, eu não quero saber se só tem eu na sua vida, ou se nunca teve. Eu só quero que acima de tudo você volte pra mim depois de tudo, e que meu nome seja sempre o primeiro da sua lista!

Nesse momento todo mundo fica espantado ao ouvir aquelas palavras saírem da minha boca.

Dean- Você ta falando sério?!

Diz ele com um olhar de deboche com um sorriso malicioso, colocando suas mãos sobe a minha cintura.

eu- Nunca fomos namorados, esqueceu!

Dean- Bom. Faz pouco tempo que eu estou querendo mudar isso.

Por que ele esta me dizendo isso agora? Dean nunca toma atitude quando me quer.

eu- O que isso quer dizer?

Dean- Que eu cansei de acordar e você não esta mais na minha cama!

Ele sorri.

eu- Para de graça, seu bobo! Eu to falando sério.

Dean- No ponto eu vi o quanto tempo passou, mais ou menos uns dois meses, e que você nunca contrariou as coisas que eu faço, o que é novo pra mim já que eu não valho porra nenhuma!

eu- Bom é melhor transa sincera do que um sentimento forçado!

Nós dois começamos a rir nesse momento.

Dean- Isso é verdade, mas agora eu quero oficializar essa transa sincera, e te pedir em namoro!

O que eu acabei de ouvir? Não creio. Sinto meus olhos se dilatarem, e meu coração começando a parar.

eu- Para Dean!

Digo incrédula.

Dean- Eu não pensei no que dizer e não tenho um anel pra te dar, mas vai ser assim mesmo. Dakota Collins Harmon, depois desses dois meses mais loucos da sua vida passando com alguém como eu Dean winchester, percebi que você é a mina mais loka que eu já vi. Então você gostaria de ser a minha mina loka, e namorar comigo, oficialmente?!

Meu mundo parou nesse instante, não acredito que essas palavras saíram mesmo da boca dele, só pode estar brincando comigo, mas também que se dane, o amor é um jogo.

eu- Você ainda me pergunta, é claro que eu quero namorar com você Dean winchester!


Agora.

Estou pesquisando pistas sobre onde poderia estar a minha "encomenda" Jack, quando simplesmente o telefone toca.

Ligação on.

eu-Alô, aqui é Amy manchine! Quem é?

xxx-Jura? Eu tinha certeza que seu nome era Dakota!

eu-Ah é você, Simon! Então o que você quer?

Simon-Tenho uma informação sobre o paradeiro do garoto!

eu-Então diz logo!

Simon-Só se pedir com educação!

eu-Vai se fuder, sabe que eu não preciso mesmo da sua ajuda.

Simon-Mas a informação que eu tenho é sobre quem esta com o garoto, achando ele você acha o Jack!

eu-Okay, me fala logo qual é o nome do demônio!

Simon-Bom. Ele é Dean winchester!

eu- Que? Você só pode estar brincando!

Simon- Não, por que? Você o conhece?

eu- Eu... Eu gostaria de não ter conhecido!

Ligação off.

Assim que escuto aquelas palavras deixo o telefone cair. Fico a pensar, que aquilo não pode estar acontecendo, não é possível! Como aquele canalha ainda consegue surgir na minha vida assim.


18 anos antes... Continuação

Já estava tarde. Dean e eu ficamos o dia todo na minha casa. Ele tava mais grudento que o normal, toda hora dizendo coisas que ele não costumava dizer, o que só me deixava intrigada cada vez mais.

Dean- Colin?!

eu- Fala.

Dean- Eu... Podemos conversar agora?!

eu- Okay, mas já não estamos conversando?!

Dean- É sério. Me escuta por favor!

Nesse momento ele segura meu rosto em suas mãos olhando fixamente nos meus olhos.

eu- Ta bem! Você ta me deixando nervosa!

Seguro a mão dele e o levo na direção do sofá da sala. Ele fica um tempo olhando pro chão pensando no que queria me falar.

eu- Então? Fala logo!

Ele se levanta e olha pra mim.

Dean- Eu vou ter que viajar de novo.

eu- Okay. Nossa, você quase me matou do coração seu idiota! Então? Quantas semanas vão ser?

Dean- Olha, é complicado.

eu- É complicado o que?

Ele segura a minha mão e a carência.

Dean- Talvez eu fique mais de umas semanas.

eu- Como assim?

Dean- Eu vou ser direto. Vou ficar um ano fora.

Me levanto rapidamente, incrédula.

eu- Um ano? Isso é muito tempo Dean!

Dean- Não é muito tempo. Vai passar mais rápido do que você imagina!

eu- Será? Como eu vou conseguir dormir sabendo que você não vai esta ao meu lado?!

Dean- Você vai conseguir, acredite.

eu- Então é assim? É só isso que você vai me dizer?

Dean- Vou sentir sua falta. Sabe que eu amo o seu corpo!

Ele ri de leve, me fazendo rir também.

eu- Ta bem então. Bom, eu terei que encontrar algo para passar o tempo. Me sentirei tão sozinha e desesperada por afeto!

Digo fazendo manha.

Nesse momento ele se aproxima rapidamente ficando em cima de mim, me beijando de repente. Estavamos quase caindo do sofá, mas eu nem me importava. Seu beijo me prendia em um transe profundo.

Dean- Eu tenho que ir agora.

eu- Agora?

Dean- Infelizmente.

eu- Não comece o que não vai terminar!

Ele sorri, logo se levantando indo em direção da porta. Eu o sigo.

eu- A gente se vê em um ano, certo?

Ele estende a mão fechada.

Dean- Eu tenho algo pra você. Feche os olhos.

Enquanto fecho os olhos ele me puxa pra mais perto dele.

Dean- Pode abrir!

Assim que abro os olhos, fico sem palavras ao ver ele segurando um anel. Ele tinha uma pedrinha verde, que me lembrava seus olhos.

eu- Pra que isso Dean?

Dean- Bom. Estamos namorando a muito tempo...

o interrompo.

eu- Tipo, uns nove meses?

Sorrio de sarcasmo. Ele retribui com um sorriso bobo.

Dean- É! E eu ainda não tinha te dado um anel. Então, Aqui esta!

eu- Ele é lindo!

Dean- Olhe dentro dele! O que você vê?

Ele aproxima o anel até mim.

"Dean e Dakota, casal de loucos"

Não vou conseguir segurar as lágrimas por muito tempo.

eu- Dean, eu... Eu amei! Não sei nem o que dizer!

Dean- Eu sei o que você tem que fazer.

Ele segura a minha mão, colocando o anel no meu dedo direito. Eu o beijo suavemente, sem presa, só sentindo o gosto do seu labio.

Dean- Não faz isso, eu não posso ficar!

eu- Esta bem. Vou te deixar ir, "namorado"!

Dean- Quando você menos imaginar, eu vou aparecer num por-do-sol!

eu- A gente se vê!


Agora.

Nesse momento você já deve ter imaginado o que aconteceu, ele não voltou. Por muito tempo eu fiquei acreditando que ele iria voltar pra mim, mas não aconteceu.

 Segui enfrente, me formei no ensino médio e tive uma vida normal por algum tempo, mas a raiva por dentro de mim me fez uma pessoa impetuosa.

Até que um dia simplesmente eu estava sendo acusada de um crime que eu não cometi. Disseram que eu havia matado uma família da minha vizinhança, e que eu tinha sido gravada fazendo isso.

 Eu tive que fugir, até arranjar um jeito de provar minha inocência.

Eu vivia em motéis de estrada até que fui acolhida por Missouri, uma grande amiga minha. Ela me disse tudo que eu precisava saber sobre o sobrenatural.

"eu- Okay. Vamos fingir que eu acredite no que você esta dizendo sobre monstros e tals. Por que esta me dizendo isso?

Missouri- Por que foi um metamorfo que te incriminou e tomou sua aparência!

eu- Calma aí, como você sabe disso?

Missouri- Já disse que sou vidente. Agora você precisa ir, seu destino a espera!

eu- Como assim?

Missouri- Você reencontrará alguém que fez parte do seu passado, e que fará parte do seu futuro.

eu- O que? De quem você esta falando?

Missore- Não posso. Ainda não esta no tempo certo. Você tem que ir!

eu- Espera, e se você estiver errada?!

Missuori- Eu nunca erro!"

Não acreditei é claro no que ela disse, fui em busca da pessoa que me incriminou. E foi aí que finalmente​ encontrei o mestre pra quem eu sirvo hoje, Joheros conhecido como Mr. J.

"eu- Quem é você?

Mr. J- Bom. Eu quero ser seu mestre.

eu- Você quer ser meu mestre?!

Mr. J- Eu aceito!"

Nesse momento eu me tornei a pessoa, ou melhor, a máquina de matar que eu sou hoje, conhecida como "A imperatriz", o braço direito do Mr. J. Ele me treinou e me torturou, me deu um lar e um propósito: Servir acima de tudo a ele!

Ele me ajudou a encontrar o metamorfo que havia me incriminado, dando início a minha jornada rumo ao sobrenatural.

Mr. J era muito mais do que apenas um mestre, ele era um cientista "louco", que fez de mim uma cobaia de seu projeto experimental de fazer alterações no DNA humano, no que resultou em mim: Uma mutante.

Bom, essa é minha história! Caçar e servir é quem eu sou, A imperatriz!





Notas Finais


Então gente?! O que acharam? Comentem! Me desculpem os erros de ortografia!

Não se esqueçam de favoritar e colocar a fic na lista de leitura! Bjjs de nuvem! Até o próximo cap!😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...