História Supernatural no Brasil - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Bobby Singer, Castiel, Chuck Shurley, Crowley, Dean Winchester, Gabriel, John Winchester, Lúcifer, Mary Winchester, Personagens Originais, Sam Winchester
Visualizações 6
Palavras 1.819
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Rafael aparecendo para organizar as coisas entre Dean e Nise, ou será que ele vai bagunçar um pouco mais.
Vamos ler.

Capítulo 12 - Capítulo 12: Nada que um Ex não resolva o problema.


Fanfic / Fanfiction Supernatural no Brasil - Capítulo 12 - Capítulo 12: Nada que um Ex não resolva o problema.

Alguns dias haviam passado-se, Nise completará seis meses de gravides, Dean estava reconquistando sua mulher pouco a pouco, Nise já se deixava tocar por seu companheiro, ainda não havia voltado a transar pois, ela foi verdadeira, disse a ele tudo que sentia, e não queria voltar a ser realmente de Dean em quanto, ela não senti-se que ele realmente a merecia.
- Sammy, ainda não consegui nada com a minha mulher, não sei se ela ainda me ama, ela já me deixa deitar a seu lado, a abraça-lá, ate a beijar, mais não passamos disso, sempre que tento ela foge. Será que ela não me ama mais? -Dean pergunta aquilo, no meio de uma caçada no famoso Teatro da Paz no centro de Belém, um fantasma resolveu aparecer ali de repente.
- Dean, irmão eu te amo, mais sinceramente, se eu fosse a Nise te dava um soco na cara e um chute no meio das tuas pernas, por te traído, e sim, e claro ela está ferida, sentimentalmente, afinal ela foi Traída. Sam fala a ultima palavra, um pouco mais alto e o fantasma aparece no palco do teatro indo já em direção aos dois, e Sam e Dean acertam tiros de bala de sal no fantasma feioso, que se dissipa.  
- Temos que ir ao fundo desse caso,o fantasma do trabalhador que morreu aqui, tem que sumir vamos. Fala Dean, e os dois caminham para o lugar indicado. Assim os dois irmãos procuram e encontram o que tanto procuravam e finalmente terminaram com o fantasma que assombrava o Teatro, no fim de mais aquele trabalho, Dean e Sam voltaram para casa, Assim que chegaram Sam foi logo para seu apartamento e convidou seu irmão para tomarem  uma cerveja ali e continuarem a conversar.
No apartamento de Dean e Nise, uma visita inesperada pega Nise de surpresa.
- Oi, Nise, eu precisava te encontrar, afinal de contas sou o seu primeiro namorado, não é mesmo. Fala Rafael, sorrindo para a ex.
- Rafael, nós tínhamos apenas treze anos, aquilo era coisa de criança. Nise fala sorrindo em quanto observa Dulce que estava comendo e Gabriel dormia tranquilamente.
- Minha querida, começamos a namorar com quatorze e ficamos até poucos dias antes de você conhecer o seu atual marido. Mais não se preocupe amor, se vocês se separarem eu cuido de você e de toda a sua prole. Rafael sorri cínico.
- Você, não presta Rafa, e cuidado com o que você fala eu não vou deixar meu marido, amo muito aquele idiota, e não sei como você soube onde nós morávamos, realmente, o que ficou no passado é passado, eu amo minha família.
Em quanto eles conversavam, Jhonata não estava gostando nada daquele papo e resolveu alertar o pai.
Entrou voando na casa dos tios, e lembrou que sua tia estava em algo na escola com os seus primos. Ele foi até a cozinha e ali estava seu tio e seu pai tomando uma cerveja e comendo amendoim.
- Pai, acho melhor o senhor ir lá para casa. E tio acho melhor o senhor ir junto. Solta de uma vez Jhonata.
- O que está acontecendo filho? - Dean entra em alerta e continua. É sua mãe, com seus irmãos?
- Não é nada sobrenatural pai. É que chegou uma visita, lá em casa. Uma visita que pode mexer com o coração da mamãe. Fala Jhonata, coçando a nuca.
- Que? - Como assim, quem está lá na sua casa? - Pergunta Sam, curioso, em quanto Dean já demonstrava todo o seu estresse amassando a lata de cerveja em sua mão derámando todo o líquido.
- Bem... Jhonata olha de seu tio para seu pai que já estava travando os dentes, pronto para explodir. Bem, bem...
- Fala de uma vez Jhon! -Exclama Dean já estressado.
- Calma Dean, deixa o menino falar, fala garoto. Antes que seu pai tenha um infarto, aqui na nossa frente. Fala Sam já tocando o ombro do irmão.
- Bem, pai eu vi ele algumas vezes, sei que ele é advogado, a mamãe precisou dele algumas vezes, e também sei que se conhecem desde criança, e que bem, Jhonata volta a coçar a cabeça, ficando vermelho, e isso deixa seu pai mais irritado, já imaginando o que ele queria falar, ou de quem.
- Bem, o cara já foi o namorado da mamãe. Jhonata fala e se espanta com a reação do pai, que dá um soco na mesa de Sam que é de vidro e estoura. Fazendo um barulho enorme, cortando um pouco a mão dele que logo sangra, mais isso não o impede de se soltar de Sam e sair correndo para sua casa.
- PAI!
- DEAN!
Exclamam Jhonata e Sam ao mesmo tempo e já saindo correndo atras de Dean que entra feito um tornado de grau cinco na sua casa, ele gritava chamando o nome de Nise, espantando assim Gabriel que dormia e acorda já chorando e a pequena Dulce que se engasgou com a sua comida que ele estava comendo em quanto Nise e Rafael tentavam acudir a menina que já chorava pelo susto, assim entra Jhonata corre até o quarto dos bebês e pega Gabriel já o acalentando, em quando Sam tenta segurar seu irmão que vai a cozinha e observa Nise segurando sua menina no colo e Rafael pegando um copo de aguá para a pequena. 
- Que diabos, esse filho da puta tá fazendo aqui? Dean, tenta ir para cima de Rafael, que o olha sério, mais com um brilho nos olhos de saber que pode fazer com Dean Winchester, o idiota que estragou seus planos com a pequena Nise, agora não tão pequena assim. Mais que mesmo assim ainda era muito importante na sua vida.
- Dean para de gritar se tá doido? - Pergunta Nise tentando acalmar sua filha.
- Calma pai!
- Calma irmão. Sam Fala segurando Dean.
- Como calma, eu estou aqui na MINHA casa e encontro, o filha da puta que queria foder minha mulher aos quatorze anos, isso não é o suficiente pra querer matar o idiota.
- Para com isso cara... Rafael começa falar, mais é interrompido por Dean que se solta de Sam e vai para cima do cara, já lhe dando um soco, fazendo sua filha chorar e gritar, assim como Gabriel que está no colo de Jhonata, e Nise que não pode fazer nada por causa da gravides, e com sua pequena no colo, em quanto Dean agredia e era agredido por Rafael.
- PARA, PARA! - Todos gritavam, foi quando Castiel e Crowley apareceram para separar os brigões. 
- Mais que loucura é essa? - Fala Castiel, segurando Dean, junto com Sam.
- Meu garoto, como é isso, o ciúme é hilário. Fala Crowley segurando com o seu poder, o tal Rafael.
- Mais que inferno de onde vocês apareceram? - Pergunta Rafael, preso a parede em quanto Dean é segurado por Sam e Castiel.
- Isso, meu querido, inferno é meu lar, e o do carinha ali é o céu. Fala Crowley apontando para Castiel. E mais se você não for embora agora é bem capaz do esquentadinho ali te mandar para lá para encontrar com o papai logo, logo. Então vamos eu te levo, e bem é melhor se cuidar, sabe que essa família é muito importante para ambus os lados. Falando isso Crowley estala os dedos e ele e Rafael somem. Fazendo assim Castiel e Sam soltar Dean.
- Desculpa, mais é que esse cara me tira do sério. Fala Dean se aproximando de Nise que nesse momento passou Dulce para Castiel, que de modo estranho acalmou todos os filhos do casal Dean e Nise.
- Dean, você não pode machucar as pessoas assim por ciúmes, pelo amor de Deus, eu sou sua mulher. Nise falava nervosa, tremendo, e chorando.
- Desculpa amor, eu não consigo com tudo que tá acontecendo, na verdade com tudo que não está acontecendo entre nós, eu tó com medo que você me deixe, e ver esse filho da puta aqui me tirou do sério. 
Naquele momento todos haviam saindo do cozinha e já estavam na casa de Sam.
- Seu idiota cabeçudo, olha só você tá machucado, sangrando, suado, e... Nise estava incrivelmente atraída por seu marido, mesmo com a mão sangrando, o lábio inferior ferido, o suor em sua testa, a roupa amarrotada, ela não iria resistir.
- Eu te amo tanto que só de pensar em outro cara te tocando, te beijando, te amando eu fico doido. Dean fala agarrando Nise que estava com os cabelos enormes e um vestido bem bonito, que mostrava sua gravides. 
- Seu idiota! Fala Nise passando as mãos pela nuca de Dean alisando e arranhando ali.
- Cabeça dura! Fala Dean, enrolando os cabelos de Nise na mão.
- Esquilo! Fala Nise roçando seu nariz no de Dean.
- Baixinha! - Fala Dean, já com a outra mão livre abrindo o vestido de Nise.
- Cabeçudo. - Fala Nise beijando  Dean de modo avassalador.
O beijo só parou depois de um certo tempo por falta de ar dos dois.
- Cabeçudo é, isso você conhece bem, estamos no quarto e quinto filho agora não é mesmo. Fala Dean já retirando a roupa de sua amada, que estava linda com uma lingeri feita para mulheres naquele estado interessante.
- UAU... Você esta muito sexy amor. Fala Dean, sorrindo daquele jeito que leva qualquer pessoa a loucura. Nesse momento Nise puxa pela gola a camisa de Dean e a rasga com desespero, revelando o peito nu de seu marido, que ao passar dos anos ficava mais definido.
- Dean, cala a boca e me faz tua mulher de novo. E ali se foi a razão de Dean e Nise, que logo estavam em uma transa, louca ali mesmo no chão da cozinha.
Em quanto isso na casa de Sam, Michelle havia acabado de chegar com os seus meninos, e se assustou com a cena da sua cozinha, e logo estava pedindo explicação. Que Sam logo as deu.
- E como é que você deixa o doido do seu irmão só com a Nise lá. Do jeito que eles estão pode acontecer algo pior. Fala Michelle agoniada.
- Ou eles podem estar se resolvendo de vez. Fala Sam, sorrindo maroto.
- Sam, pelo amor de Deus, se acha que eles estão transando agora? Michelle fala baixo porque  nesse momento Dulce, Samuel e Luan passam correndo pela varanda onde o casal conversava.
- Acho, e sinceramente, devemos ficar com as crianças hoje, vamos deixar os nossos irmãos se entendendo. Sam fala abraçando Michelle que o abraça, então fala.
- E a mesa, o que vamos fazer? 
- Amanhã a gente vê o que faz, agora vamos pedir pizza e refrigerante para todo mundo. Uma noite não vai fazer mal. Responde Sam, e é isso que eles fazem.
Continua...


Notas Finais


Isso ai até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...