História Sure Thing - Capítulo 4


Postado
Categorias Black Pink
Personagens Jennie, Jisoo, Lisa, Rosé
Tags 2eproject, Chaelisa, Jensoo
Visualizações 211
Palavras 3.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, Ellen aqui! Perdoa a demora e não desistam da fanfic aushishsis
A partir desse capitulo as coisas vão começar a acontecer então prestem atenção nos detalhes!! Espero que gostem, o cap ta grande e cheio de interação. Favoritem a fique, comentem, divulguem auhsuhushs na verdade nós, Eduarda e eu, só queremos trazer um conteúdo legal pra quem gosta de blackpink e no caso de red velvet também, nós amamos escrever sure thing e esperamos que vocês gostem de ler! Até o próximo e boa leitura.

Capítulo 4 - Aquele capítulo onde: Um mais um é igual a pegação


Irene

Estávamos Seulgi e eu no meu quarto. Depois do horário do clube de dança e dos meus últimos períodos de aula encontrei minha namorada me esperando no portão do colégio para que pudéssemos ir para casa, todos os dias depois da aula Seulgi me deixava em casa na sua bicicleta amarela com detalhes de flores cor-de-rosa. Dessa vez não fora diferente, mas assim que a morena parou em frente ao jardim da casa dos meus pais eu pedi para que ela entrasse comigo, estava cansada e só queria o colo do meu ursinho. Ela pediu para tomar um banho já que sempre havia algumas peças de roupas dela pelo meu armário, logo depois de fazer o mesmo me joguei ao seu lado na cama e me aconcheguei no seu corpo quentinho.

— Você não sabe quem apareceu na sala de dança hoje pela manhã, Ddeulgi. — Abracei sua cintura enquanto ela fazia um carinho em meus cabelos.

— Quem, Hyunnie?

— A Lisa, amor. Acredita que ela veio pedir pra voltar às aulas? Achei que depois do que houve aquela vez, ela nunca mais apareceria. — Ri ao lembrar do dia em que a tailandesa acabou passando mal de nervosismo, no dia todos ficaram preocupados, mas hoje a gente só consegue rir quando fala disso.

— Estranho, a Jisoo veio falar comigo hoje também — a mais alta começou a falar e eu me virei para encará-la, mas sem deixar de estar nos braços dela. — Ela veio me pedir para entrar no time de beisebol, eu estranhei na hora até porque não é todo dia que vemos a Jisoo querendo praticar algum esporte, não é mesmo? Mas ela parecia extremamente empenhada em conseguir isso, aí eu pedi que ela me encontrasse na quadra no final da aula para que eu avaliasse-a, quando eu achei que ela não iria mais chegar, ela me aparece quase morta e tropeçando nos próprios pés, percebi na hora que ela estava realmente afim de entrar no time e já ia aceitar, mas para castigá-la pela demora eu fiz com que ela conseguisse pegar algumas bolas.

Eu ri na maior parte da fala da minha namorada, mas que era estranho essas duas procurando entrar em atividades assim do nada, era sim.

Olhei para Seulgi e a vi fechando os olhinhos devagar e me abraçando com mais força, ela estava cansada do treino com o time de beisebol e sabia que se deixasse, ela dormiria durante toda a tarde ali, na minha cama. E eu precisava aproveitar aquele momento pois quando o ano terminasse e eu fosse para a Yonsei, eu não teria a minha garota por perto. Logo me aninhei em seus braços e em questão de minutos já estava sonhando.

Depois de duas horas, Seulgi e eu acordamos, ela foi pra casa pois tinha alguns deveres escolares e trabalhos para fazer. Após jantar com os meus pais e estudar por algumas horas, eu estava outra vez abraçada ao travesseiro que antes a Kang havia dormido nele. Seulgi e eu namorávamos há 3 anos, foi realmente amor à primeira vista, nos aproximamos e logo estávamos juntas, porém por ser 1 ano mais nova do que eu, eu iria para a universidade primeiro que ela, o que faria com que ficássemos todo esse tempo longe uma da outra. Seria difícil, extremamente difícil ficar longe da minha Seulgi, porém era o meu futuro, e eu precisava dele se quisesse ter uma boa carreira e poder estar com o amor da minha vida depois.

(...)

Após chegar no colégio e não encontrar nem Seulgi e nem Yerim, a dongsaeng que ficou de me encontrar antes do início do primeiro horário escolar para que organizássemos a matéria sobre a competição do grupo de dança, encontrei Jisoo terminando de guardar seus materiais.

— Bom dia, Jisoo-ssi — cumprimentei-a, vendo a mesma assustar-se.

— Omo! Que susto! Bom dia, unnie — falou a mais nova com a mão no peito e depois riu. — Posso lhe ajudar em algo?

— Você viu a Yerim pelo colégio? Eu não sei se ela já chegou. — Às vezes Yerim conversava com Jisoo, na maioria delas para pedir um favor.

— Ela deve estar na sala do Jornal, unnie. Você poderia ir lá porém ali vem a Seulgi-unnie e eu acho que ela está procurando por você — ela falou apontando com a cabeça para a direção atrás de mim e eu me virei sorrindo ao ver minha namorada correndo em minha direção. — Eu posso ir procurá-la para você e a aviso que você está procurando por ela, tudo bem?

— Sim, Jisoo. Você me faria um favor enorme! Obrigada, diga a ela que estou a esperando em frente à sala dela. Tenha um bom dia. — Falei ao ver a mais nova se afastando.

— Obrigada unnie, eu terei um bom dia, obrigada por cuidar de mim! — Falou alto e logo saiu correndo. Ela é uma boa garota.

(...)

Jisoo

— Yerim-ah, a Joohyun-unnie está te procurando. — Abri a porta da sala do jornal escolar e quão grande não fora a minha surpresa? Em questão de segundos senti meu queixo encostando no chão, meu santo Mário Bros. Yeri estava sendo pressionada na parede enquanto Park Sooyoung atacava os lábios da menor que, por sua vez, tinha os braços ao redor do pescoço da mais alta.

— Jisoo-ssi! — Falou a Park ao se afastar abruptamente da outra garota e tentar arrumar sua roupa, Yerim me encarava com os olhos arregalados.

— U-unnie não é nada disso, nós apenas- a gente estava apenas conversando e... — Comecei a rir histericamente observando as duas.

— Yerim, me perdoa por entrar aqui dessa forma, não imaginei que encontraria vocês duas... Bem, vim aqui para te avisar que a Joohyun-unnie já chegou e está te procurando. Parece ser algo importante. — Falei tudo enquanto controlava o riso.

— Não, está… tudo bem — passou os dedos pelos cabelos, arrumando seus fios desgrenhados. — Apenas não conte nada do que viu aqui para ninguém ou você estará morta, Kim Jisoo. — Me olhou ameaçadoramente.

Logo depois só vi a menor sair correndo e gritando algo do tipo “a unnie vai me matar” enquanto limpava a boca borrada de batom. Olhei para Sooyoung que continuava ali olhando para a parede, ela percebeu o meu olhar em cima dela.

— O que foi? — Perguntou. Apenas comecei a rir e saí da sala do jornal indo em direção à minha, teria aula de história agora e não poderia perder, além de ter um crush fortíssimo na sra. Min, que de senhora não tinha nada, eu também tinha aquela aula com ninguém menos que Jennie Kim.

Ao chegar na sala vi ela sentada conversando com uma colega nossa, Son Seungwan, me sentei algumas cadeiras a frente e tentei prestar atenção e ouvir o que elas falavam sem que ninguém percebesse, até que, para minha decepção, elas estavam conversando em inglês.

Seungwan, ou Wendy, era uma aluna de intercâmbio que veio do Canadá para terminar os estudos na Coréia do Sul. Ela, Rosé e Jennie fizeram amizade rapidamente e sempre que se encontravam, só se ouvia a língua estrangeira, o que para mim era um pesadelo pois as únicas frases que saiam da minha boca em inglês eram “Good boy”, “Sorry”, “Did you see that” e “Mc Morning” pois era o meu café da manhã nos finais de semana com Lisa e também porque eram as únicas que sabia o significado.

Depois que a professora entrou na sala, toda a minha atenção era dela e eu não sabia que História poderia ser uma matéria tão interessante. Ou talvez o interessante fosse a mulher que a explicava.

(...)

No intervalo encontrei Lalisa sentada na nossa mesa de sempre, com seu lanche intacto me esperando para comer, era assim desde que nos conhecemos, ela sempre me esperava para comer.

— Nallalisa, bom dia! — Cumprimentei a mesma depois de pegar a minha bandeja com o que iria comer e me sentar ao seu lado.

— Kim Chichyu! Onde você esteve durante toda a manhã? Não te vi em momento nenhum!

— Eu… — Pensei bem antes de respondê-la, não poderia contar sobre o trauma que sofri na sala de jornalismo. — Eu estava com muito sono e dormi em quase todas as aulas — Bingo! — Você sabe, maratonei Friends a madrugada inteira.

— E me deixou sozinha nos pequenos intervalos, unnie. Você é um monstro — dramatizou, colocando a mão sobre o coração. — Mas e aí? Você conseguiu? - Perguntou eufórica, parecia mais entusiasmada do que eu.

Olhei para ela e abaixei a cabeça, fingindo estar triste. Era fácil enganar Lalisa assim, ela não tinha um bom sensor para pegadinhas.

— Eu já imaginava — senti sua mão por cima da minha. — Não fica assim Chichyu, eu sei que você está triste por ser péssima e não ter conseguido a vaga no time mas terá outras oportunidades e-

— Como assim já imaginava?! Lalisa, ao invés de me ajudar você só piora as coisas! — A olhei indignada. — E para sua surpresa eu consegui sim e ainda rebati uma bola da Seulgi-unnie.

Lalisa arregalou os olhos e sua boca se tornou um perfeito O. Ela parecia orgulhosa de mim e eu não queria tirar isso dela falando que perdi outras 9 bolas.

— Mas e você? Dançou muito? — Mordi meu sanduíche.

A Manoban começou a falar sobre tudo que tinha acontecido e do “papo” que bateu com sua paixonite Park Chaeyoung. Juro que nunca vi ela tão animada quanto agora e eu estava muito feliz por finalmente vê-la assim. Parecia que finalmente o mundo estava conspirando ao nosso favor e eu não deixaria que isso terminasse tão cedo.

(...)

Antes que acabasse o intervalo, Seulgi veio falar comigo e disse que fosse para a quadra de beisebol no final da aula para que ela pudesse me explicar algumas coisas e que eu soubesse em que posição ficaria no time, e, dessa vez, sem me atrasar, aqui estou eu chegando perto da arquibancada onde Seulgi e Irene-unnie estavam sentadas e trocando carícias, hoje era o dia de todos os casais mostrarem afeto na minha frente e me lembrarem que eu não tenho ninguém? Isso é deprimente.

— Nyeongan! — Falei após largar minhas coisas em cima dos bancos por ali e me aproximar das mais velhas que logo me cumprimentaram e Seulgi começou a explicar algumas coisas sobre o esporte, como: o jogo não tinha uma hora certa para acabar, era definido por 27 eliminações e divididos por entradas e turnos, sendo cada jogo com 9 entradas e cada entrada com 2 turnos. Ela falou por mais um tempo e depois disse que o resto eu pegava vendo os treinos e até mesmo assistindo jogos na televisão.

Depois de me mandar aquecer dando uma corrida em linha reta de uma ponta à outra das arquibancadas, Seulgi disse que iria testar minhas habilidades para saber em que posição eu ficaria.

Após me fazer correr passando por todas as bases do campo e me deixar agonizando no chão implorando para morrer igual a cena do Dumbledore ajudando o Harry a conseguir pegar a horcrux verdadeira enquanto bebia aquela poção estranha, a  Kang viu que eu não tinha capacidade para ser uma Pitcher igual a ela.

— Vamos lá, quero ver se você dá certo como uma Catcher, eu sou a Pitcher do grupo, eu lanço as bolas, o Catcher precisa pegá-las sem que o rebatedor jogue-as para longe.

Eu precisaria pegar as bolas de Seulgi, mesmo ela sendo a melhor Pitcher do time, era agora que eu iria morrer.

— Não temos um rebatedor bom no momento então fica mais fácil para você, Jisoo. Eu realmente espero que você consiga pegar alguma dessas bolas porque você é horrível tanto como rebatedora, quanto como Pitcher. Se você não se sair bem aqui, sinto lhe informar, mas você só vai poder entrar no time como mascote.

Concordei rapidamente enquanto terminava de fechar a luva na mão direita e logo me imaginei dentro daquela fantasia horrível de touro azulado, aquele bicho era horrível e eu não queria passar por aquela situação constrangedora, sem contar o cheiro de queijo azedo. Inclinei um pouco o corpo e apoiei minhas pernas firmemente no chão.

A primeira bola veio e eu arregalei os olhos com a velocidade da mesma, Seulgi queria me matar, tinha acabado de comprovar isso.

— Bola fora, ponto da Bear! — Ouvi Joohyun gritar da arquibancada. A imitei baixinho forçando uma voz irritante, se Seulgi soubesse que eu estava fazendo aquilo aí sim eu estava oficialmente fora.

— Jisoo você não pode fugir da bola, você tem que pegá-la. Vamos outra vez.

E assim seguimos, pra falar a verdade até que eu tava saindo bem como Catcher, de 26 bolas que Seulgi lançou, eu consegui pegar 22. Era um bom número para quem era completamente desastrada como eu, mas eu precisava dar o meu melhor para estar nesse time, e eu sabia que a garota era bem melhor do que demonstrava. Ela estava me ajudando.

Seulgi se preparava para lançar a bola mais uma vez quando eu a vi, ao lado da Bae, que estava nas arquibancadas, com seu uniforme das cheerleaders e uma cara que conseguia expressar todo o seu descontentamento por ver que eu estava fazendo o meu teste para entrar no time, Jennie Kim, a minha única razão para estar ali. A saia branca com detalhes azuis nas laterais ia somente um pouco acima do meio de suas coxas. Seu cabelo estava preso em um rabo de cavalo, e meu Deus, como ela conseguia ficar cada vez mais linda!

Ao depositar toda minha atenção na mais nova eu não vi que a Kang tinha lançado uma bola em curva que acertou em cheio o lado da minha cabeça, a última coisa de que eu me lembro é da mesma gritando o meu nome e tudo ficando escuro.

(...)

Lalisa

Quando as aulas terminaram eu fui direto para a sala de dança, precisava treinar por todo o tempo que perdi fora se quisesse acompanhar o ritmo da turma e me igualar no nível deles. Por mais que meu talento fosse natural, precisaria me esforçar para conseguir surpreender.

Fazia alguns passos que Joohyun-unnie passou para o grupo no último ensaio, observando pelo espelho o movimento do meu corpo e procurando melhorar no que fosse preciso, queria dar 100% de mim para que tudo aquilo valesse a pena no final.

Me assustei quando ouvi a porta da sala espelhada ser aberta e observei uma cabeleira loira entrar na sala, era uma das alunas, Moonbyul Yi.

— Hey Lalice, não sabia que você estava aqui, achei que a sala estaria vazia e vim treinar um pouco. — Disse ela enquanto largava sua mochila em cima de um banco comprido que ficava no canto da parede, tomou um gole da água dentro da sua garrafa e se aproximou enquanto prendia os cabelos em um coque.

— Então tivemos a mesma idéia, unnie. Também achei que ninguém viria aqui esse horário então pensei que poderia vir praticar algumas coisas, você sabe, eu voltei a ter aulas de dança e preciso recuperar o tempo perdido. — Falei para a mais velha e enxuguei o suor que escorria pela minha bochecha esquerda com uma toalhinha.

— Pois então vamos lá, você deve voltar ao trabalho.

Ela disse em um tom animado e logo estávamos as duas repassando uma coreografia de algum grupo de hallyu, mudamos alguns movimentos e inserimos os passos que Joohyun nos ensinou anteriormente para que ficasse mais original. Depois de alguns bons minutos eu percebi que estava com dificuldade em certo movimento. E pelo visto não fui a única.

— Não Lisa, você tá colocando o pé esquerdo primeiro, mas o correto é o direito estar na frente e o esquerdo apoiando o seu corpo pra depois você conseguir trocar a posição sem tropeçar nos próprios pés — disse Moonbyul se posicionando atrás de mim e segurando minha cintura. — Você mexe esse pé primeiro, assim — e empurrou meu pé pra frente. — E depois você troca o pé, então você faz o movimento contrário, como se estivesse fazendo os passos de trás pra frente — senti ela me puxar pela cintura e minhas costas encostarem no seu peito, não era nada demais, afinal ela só estava me ajudando.

Então um alto barulho na porta foi ouvido e pelo espelho à minha frente eu pude ver ninguém menos que Chaeyoung nos encarando e logo saindo às pressas pelo corredor. No mesmo momento, o alto falante fora ligado e uma voz já conhecida por todo o colégio:

“Oi gente, é a Yerimmie e eu vim trazer um anúncio. Como vocês sabem, anualmente temos a festa de Halloween do nosso colégio, então desde já o banner do evento será colocado no mural e avisos serão colados pelos locais para que ninguém se esqueça, e não é como se eu não fosse importuná-los colocando um lembrete em todas as edições do Jornal da Escola até o dia da festa, que, como sempre, será realizada no dia 30 de outubro. Fiquem atentos para qualquer mudança.”

(...)

— Então é isso. Agora você já conseguiu pegar toda a coreografia. Não foi tão difícil assim.

Passado cerca de quarenta minutos desde que começamos a praticar, eu já havia pegado precisamente os movimentos que antes eu tinha tanta dificuldade. Mas ainda pensava na reação de Chaeyoung, será que ela havia pensando coisas erradas sobre mim e Moonbyul?

Agradeci à mais velha pela ajuda e me encaminhei ao vestiário, estava doida para me limpar antes de ir pra casa, a esse horário era provável que poucos alunos ainda estivessem por ali.

Depois de um banho demorado, coloquei outra vez o uniforme do colégio, penteei os cabelos e coloquei minha gravata. Estava terminando de calçar meus tênis quando uma cabeleira negra adentrou o vestiário. Eu logo me levantei e arregalei os olhos.

— O-oi. O que você-O que você ‘tá fazendo por aqui? — Perguntei automaticamente, olhando para ela.

— Nada — deu de ombros. — Eu só tava ajudando a Sooyoung a arrumar umas coisas pra rádio e sem querer vi você e a Moonbyul na sala de dança.

Ela começou a se aproximar lentamente, e foi inevitável eu começar a me afastar dando passos para trás. Que meu santo Goku me ajude a segurar essa barra que é ficar perto desse monumento sem passar mal.

— A-ah, é que... — Pigarreei a fim de limpar minha voz e não demonstrar todo o nervoso. — A Byul-unnie estava me ajudando com a coreografia nova.

Ela continuou se aproximando até que estivesse  poucos centímetros longe de mim. Que Deus tenha piedade da minha vida porque ela claramente não tinha.

“Byul”? Vocês tem essa intimidade toda agora? — Perguntou a morena tocando a minha gravata.

— N-não! É só q-que todo mundo chama a u-unnie assim. — Eu não a devia explicações, mas mesmo assim preferi a responder. A garota chegou mais perto ainda, colocando as mãos na gola da minha camiseta, prendi o ar. — O-o que você t-tá f-fazendo Chaeng-Chaeyoung?

A mais alta só aproximou seu rosto do meu, sua respiração encostando na minha pele. Até que sua boca encontrou a direção do meu ouvido quando ela falou:

— A sua gravata. Estava torta.

Ela arrumou a mesma e depois de dar um tapinha no meu ombro saiu do vestiário com um sorriso no canto da boca e me deixou lá sozinha novamente, me perguntando o que havia acabado de acontecer.

Passei a mão na testa e me encostei no armário, tentando respirar novamente.

— Meu Pikachu tá dando choque. 


Notas Finais


Eduarda in your area! (quis fazer referência mas não deu certo, ok)

Espero que tenham gostado bastante do capítulo, porque eu gostei hehe. A culpa do atraso dessa vez não foi minha gente ;) mas é compreensível já que a Ellen tinha que ir fazer enem (FIGHTING UNNIE VOCÊ VAI CONSEGUIR UMA NOTA BOA). Se não acontecer nenhum imprevisto o próximo capítulo sai domingo, vamos torcer para que sim!

Ah, desculpe estar postando sem banner, é que ele não estava pronto porém irei adicioná-lo mais tarde.

Até o próximo capítulo 💕

twitters: @blackpinkids (eduarda) @chaengseulbear_ (ellen)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...