1. Spirit Fanfics >
  2. Surpresa >
  3. Único; Especial aniversário da Mikasa

História Surpresa - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oiee, bem eu to um pouco atrasada com essa história porque pensava que o aniversário dela era hoje e deixei tudo em cima da hora pra fazer.
Eu acabei de concluir ela então ainda deve ter alguns erros que deixei passar. Peço desculpas por isso hehe
E esse especial também é um presente de aniversário para a batatinhaoli ok? Parabéns bb kkk to atrasada nisso tbm pq foi dia 31 mas a gente releva.

Capítulo 1 - Único; Especial aniversário da Mikasa


Mikasa suspirou pesadamente enquanto passava pelo setor de roupas femininas em uma loja.

Sério que ninguém deu parabéns para ela? Nem sequer seu namorado teve a decência de mandar uma mensagem a ela.

Nem mesmo sua mãe a desejou um feliz aniversário. Poxa, ela estava fazendo dezoito anos, ela tinha atingido a idade adulta e nem sequer a parabenizaram?

Ela estava muito emburrada. Havia vindo no shopping pra relaxar, mas a cada peça de roupa que ela vestia na loja sentia mais raiva. Porque primeiro, seu namorado havia prometido que ia levar ela pra jantar fora hoje, mas já era de noite e nada dele. Segundo, Zeke disse que ia levar ela num bar e comprar várias bebidas para ela – Mikasa estava super animada com isso, poxa -,mas seu irmão sequer comentou algo. E terceiro, Sasha e Annie falaram que iam passar a tarde no shopping e cadê?

Talvez puta seja pouco para descrever a raiva de Mikasa.

Ela respirou de novo, e resolveu sair da loja de roupas e ir numa joalheria ali perto. Já que ninguém havia dando presente para ela, ela iria se presentear. Ela quase não tinha dinheiro, mas ao menos trabalhava em alguns locais e isso rendia grana para ela.

Enquanto andava até a joalheria, passou por um petshop e teve que usar seu maior controle mental para não ir lá e adotar um cachorro. Se permitiu soltar um muxoxo, Levi havia prometido que ia dar um doguinho para ela, mas não deu também.

Ela cerrou os punhos, ela voltaria ali amanhã e pegaria um cachorro. Não estava nem ai pro namorado ou as brigas que sua mãe faria quando ela aparecesse com um cachorro em casa.

Foi ate a joalheira, se mantendo controlada. Quando ia pisando na entrada uma mão a puxou pra trás.

- Mas que...

- Mikasa! Ainda bem que eu te achei! – Era Zeke.

Mas que porra ele estava fazendo lá?

- O que foi? Eu estava indo comprar um presente pra mim...

- O Levi te traiu!

- Mas... que? – Perguntou, visivelmente confusa. Nem sabia o que pensar. – Serio?

- Vem comigo!

Ele saiu puxando ela pelo o shopping. Poxa, ela havia realmente perdido a chance de comprar uma joia e o possivelmente o namorado?

- Você veio de que? – Ele perguntou.

- Uber... mas me conta essa história direito, Zeke. Eu não tô entendendo. – Franziu as sobrancelhas.

Ele levou ela ate o estacionamento e praticamente jogou dentro do carro. As pessoas ao redor pareciam assustadas. Com total razão, aquilo parecia um sequestro.

Quando Zeke sentou no banco do motorista e respirou fundo enquanto ligava o carro. Mikasa franziu mais ainda o cenho. Ele manobrou o carro e saiu.

- Zeke, o que diabos aconteceu?

- Então, amada. Ele te traiu.

- Mas como assim?! – Perguntou estressada enquanto colocava o cinto de segurança.

- Ele disse que ia te convidar pro jantar, certo?

- Certo.

- Então... – Falou sugestivo.

- Então o quê, porra?

- Ele te traiu, caralho!

- Zeke, me traiu com quem? – Nem sabia esboçar reação. Estava descrente.

- EU JÁ DISSE! – Gritou. – Meu deus, você é burra?

- FALA DIREITO ENTÃO, CARALHO!

Suspirou fundo.

- Ele não te con...

- Você já disse isso. – Passou a mão pelo cabelo estressada.

- Me escuta! Ele te convidou, mas não te levou certo? Então, ele te traiu.

Mikasa fechou a cara e seus punhos ao mesmo tempo. Respirou fundo e contou ate três quando ouviu a risada do Zeke.

- Ai. Eu preciso fazer isso mais vezes. Você entendeu? – Gargalhou, sem olhar para ela. E virou o carro pra esquerda. – Ele te traiu porque disse que ia te levar pro restaurante depois não levou...

- Eu entendi, Zeke. Eu entendi. – Vociferou. – E eu só queria saber onde se encaixa traição nisso, seu pau no cu.

- Uai, amada. Mentir e considerado uma traição. Além do mais, ele cometeu uma traição ao não te levar lá.

Mikasa respirou fundo e com um sorriso forçado disse:

- Pode me deixar aqui mesmo. Eu vou voltar pro shopping.

Zeke a olhou incrédulo.

- Não.

- Zeke, deixa eu sair.

- Não.

- Zeke.... – Vociferou. – Eu quero voltar pro shopping.

- Você não vai.

- Eu vou me jogar do carro.

- Tu é louca?

- Eu tô falando serio.

- Calma, po.

- Zeke, eu quero voltar pro shopping.

- Calma.

- Zeke!

- Calma!

Mikasa colocou a mão na porta do carro.

- Eu vou me jogar no carro em movimento.

- Eu duvido...

Ela ergueu a sobrancelha de maneira sugestiva.

- Meu deus, só se acalma...

O celular do Zeke tocou. Mikasa esticou a mão para pegar, mas o loiro freou o carro de uma vez. Eles dois foram para frente e a Ackerman quase bateu a cabeça.

- ZEKE, VOCÊ É LOUCO! EU NÃO ANDO MAIS DE CARRO COM VOCÊ. EU QUERO DESCER!

- Calma.

Ela arregalou os olhos, pronta para da na cara dele, mas seu olhar voltou pro telefone. Ela rapidamente pegou ele e atendeu ao ver que se tratava de Karla.

- Zeke, cadê você e a Mikasa? Os con...

Zeke fez drift com o carro e o celular caiu da sua mão. Nesse momento, Mikasa nem tinha raiva, tinha era medo. Faltava chorar.

- ZEKE! Você quer me matar é isso? Por que está no rumo certo.

- Ca....

- NÃO MANDA EU FICAR CALMA! EU QUERO DESCER!

- CHEGAMOS! OPA!

Ela olhou ele. Tirou o cinto e voou nele.

- EU VOU TE MATAR! ME EXPLICA PORQUÊ TU ME TROUXE PRA CASA SENOD QUE EU DISSE QUE QUERIA FICAR NO SHOPPING?!A

Ele pulou do carro. Correndo em direção a porta. Mikasa foi atrás, tirou o tênis esquerdo e jogou nele. Ele conseguiu se esquivar.

Ela pegou o outro tênis, quase caindo no processo, e jogou mirando na cabeça.

- AÍ, MIKASA! ESSA PORRA DÓI!

Ele caiu e ela pulou em cima dele.

- VOCÊ QUASE ME MATOU!

Zeke jogou ela pro outro lado, correndo em direção a porta.

- VOLTA AQUI! VOLTA AQUI! EU VOU TE DÁ UMA CABEÇADA!

Ele subiu as escadas e ela estava atrás. Zeke abriu a porta e jogou ela dentro da casa.

Ela se virou pra pegar ele, mas várias luzes acederam dentro da casa e confetes estavam no seu cabelo.

A Ackerman se virou lentamente.

- Surpresa? – Karla falou.

Zeke entrou depois dela, a prima mais nova dos dois se assustaram ao ver ele todo sujo.

- Mas que...

*

- Então ele te disse que eu trai você? – Levi perguntou.

Mikasa apenas assentiu bebendo refrigerante. Sua mãe não havia comprado bebidas alcóolicas.

- Ce e louco. Por isso os gritos dentro do carro? – Eren perguntou. – Todo mundo ouviu na ligação.

- Isso foi porque ele fez drift.

- Ah... – Sasha disse.

A maioria das pessoas já tinham saído, mas alguns amigos ainda ficaram. Alguns pediram desculpas e disseram que foram contra ignorar ela esse dia, mas a ideia foi totalmente do Zeke.

- Ei, meus amigos.

- Diga, Zeke. – Levi disse virando o copo com Coca-Cola.

- Olha o que eu tenho aqui. – Levantou uma sacola. – Eu tinha dito que ia levar a Mikasa num bar, mas não deu certo. Então trouxe o bar para a Mikasa.

Os olhos dela brilharam.

- Você comprou! – Abraçou o irmão pegando a sacola com vodka.

Karla fez cara feia.

- Não é pra você beber, Mikasa.

- Relaxa, Karla. Mikasa já está adulta. – Grisha disse.

Colocou as seis garrafas na mesa rodeada de amigos.

- Experimenta esse primeiro. – Kenny apontou.

- Depois esse. – Levi disse.

Grisha franziu o cenho pro Levi.

- Tudo bem ela beber, mas não influência também. – O Yeager disse.

O Ackerman riu.

Mikasa colocou um pouco da vodka no copo e virou. Já estava acostumada então não fez careta.

Karla tocou o ombro da menina.

- Por que você não fez careta? – Perguntou, com um sorriso forçado.

Mikasa se engasgou.

- Ah... uh... porque....

- Olha, mistura esse dois que fica top. – Hanje disse.

Todos franziram o cenho vendo a Mikasa fazer exatamente o que a Zoe disse.

- Você não vai... – Eren disse assustado.

- Mikasa, não faz... – Levi falou, tentando tomar o copo da namorada.

Mas já era tarde demais.

*

Mikasa se remexeu na cama e abriu os olhos lentamente. Uma forte dor de atingiu sua cabeça. Ela sentia a garganta seca e o corpo pesado.

Bocejou tentando lembrar alguma coisa da noite passada.

Vários flashes dela bebendo álcool e dançando sertanejo vieram na sua cabeça, mas com certeza a pior lembrança foi ela misturado bebida e bebendo. Passou a mão no cabelo, por que diabos ela misturou bebidas? Essa era a regra principal de não poder fazer quando for beber álcool. Não tinha a mínima ideia de como não deu pt em casa.

Respirou fundo e resolveu sair da cama. No segundo passo que ela deu tropeçou em algo e caiu. Ela virou seu olhar para o corpo do seu namorado em cima de um colchão no chão.

Ele se remexeu e abriu os olhos.

- Mas que merda, Mikasa. – Murmurou levantando do chão.

Ela se levantou também, passando a mão no rosto.

- Que merda eu bebi ontem, Levi?

Ele riu, negando com a cabeça.

- Não sei como você não foi parar no hospital, sério. Você desmaiou na sala e eu te trouxe para cá. Karla e Grisha estão uma fera com você. – Coçou o olho.

- Oh, merda. – Murmurou. – Será que eles vão brigar comigo?

Ele abraçou ela pela cintura e deu um beijo no pescoço dela.

- Com certeza.

Mikasa deu um rápido selinho no namorado e se afastou.

- Eu vou pegar algo para beber e tomar um remédio. Você quer também? – Perguntou.

- Sim, por favor.

Ele se jogou na cama dela.

A Ackerman saiu do quarto de fininho, tentando fazer o mínimo barulho possível. Ao entrar na sala ela se assustou. O local estava uma bagunça. O sofá maior estava caído, o protetor dele estava no chão. Eren estava deitado em cima da mesa de jantar. Zeke estava deitado todo torto no sofá de dois lugares. Hanje e Smith estavam na sala também, mas a diferença era que estavam deitados num colchão. E por último, o Armin. O loiro parecia bem confortável em cima do Eren.

Uma coisa que Mikasa não sabia era como a mesa aguentou o peso dos dois.

Deu de ombros e seguiu para a cozinha que era separada da sala por apenas um balcão. Pegou o celular que estava no balcão da cozinha, posicionou ele e tirou uma foto dos amigos dormindo na sala e colocou no grupo “Bonde do Sasageyo" com a legenda: a noite foi boa haha. Riu baixinho e guardou o celular no bolso do short.

Pegou um litro d’água e remédios para a dor de cabeça e voltou para seu quarto. Tomando cuidado para não pisar nos corpos dos amigos.

Fechou a porta devagar, colocou o litro, o remédio e o celular em cima do criado mudo depois de tomar o analgésico. Olhou em volta do quarto tentando achar o namorado, mas como a porta do banheiro estava fechada deduziu que ele estava lá. Resolveu ir no banheiro do corredor e banhar logo também.

Deu uma rápida corrida com a toalha em seu ombro e se trancou lá. Tomou um bom banho gelado para ver se tirava o cansaço. Aproveitou para lavar o cabelo que só fedia a bebida alcoólica também. Depois de terminar de se banhar, ela penteou o cabelo e escovou os dentes. Se enrolou na toalha e seguiu de volta para o quarto.

Ao entrar deu de cara com o namorado com a toalha em volta da cintura e sentado na cama. Deu um sorriso bobo olhando ele. Que sorte a dela, Levi era um gostoso.

- Mikasa, você tem roupa minha aqui?

- Tenho sim. – Assentiu indo ate o guarda roupa. – Você tomou o remédio que eu trouxe?

- Não. É esse do criado mudo? – Perguntou.

- Sim.

Ela se ajoelhou no chão e se enfiou dentro do guarda roupa caçando a roupa dele. Quando achou, jogou a roupa para trás sem olhar.

Depois, pegou a primeira blusa que viu. Era uma que antigamente era do Zeke, mas ela havia pegado para si. Vestiu ela e não viu necessidade de colocar um short por baixo já a blusa ficava um vestido. Colocou a calcinha por último.

Enquanto passava perfume uma mão rodeou sua cintura a trazendo mais para perto.

Colocou o objeto de volta no guarda roupa e se virou de frente para ele. Levi vestia um calção jeans e estava sem a blusa. Um verdadeiro gostoso.

- Você é muito bonita, sabia? – Ele disse, esfregando seu nariz no pescoço dela.

Ela soltou um risinho abafado pela mão.

- Você é muito mais. Alguém já disse que você é uma delícia? – Ergueu a cabeça dele e beijou seus lábios.

Ele pediu passagem com a língua e ela cedeu. As mãos da garota foram para o cabelo do namorado recém lavado, e fez um leve carinho lá. As vezes ela ficava chocada com o cabelo dele. Era muito macio e cheiroso, e mesmo ela usando o mesmo shampoo e condicionador dele o cabelo dela não ficava assim. Ela soltou uma risada entre o beijo.

Ele a trouxe ainda mais para perto -mesmo eles já estando colados um no outro. Suas mãos caminharam da cintura até o bumbum da jovem. Se separaram somente porque o ar era necessário. Ambos estavam ofegantes.

- Eu não te dei meu presente ainda, né? – Ele sussurrou no ouvido dela. A voz extremamente rouca e sexy.

Meu deus, Mikasa poderia morrer de excitação só com a voz dele.

- Eu estou ansiosa para receber meu presente. – Sussurrou de volta.

Ela empurrou ele delicadamente até a cama – quase caindo no processo por causa do colchão no chão.

Ele se sentou na beirada da cama e a trouxe para sentar em seu colo. Levi levantou um pouco a blusa dela para ter acesso a sua bunda. Ele deu uma leve batida ali, sorrindo de maneira safada.

Mikasa riu, mordendo os lábios e voltou a beijar o namorado. Ela rebolou em seu colo, aproveitando o atrito de sua intimidade coberta e o calção do rapaz. Ela gemeu de uma maneira alta, e tampou a boca, tentando se controlar.

Quando Levi se inclinou para tirar a blusa dela, a porta foi aberta de supetão.

Eles conseguiram se afastar por pouco. Karla e Grisha entraram desconfiados. E o Yeager parecia bravo. Isso com certeza não era bom.

Mikasa deu um sorriso sem graça e Levi puxou o travesseiro e colocou no colo dele.

Os dois com um sorriso forçado.

- Vocês tavam... – Karla perguntou, sugestiva.

Mikasa parecia um pimentão de tão vermelha. Ate Levi estava sem graça dado ao olhar mortal do pai dela.

- Não! Claro que não!

- Eu ouvi um barulho...

Mikasa ficou mais vermelha ainda.

- Não sei do que vocês estão falando. – Levi disse, rindo.

- E esse travesseiro aí no colo, rapaz? – Grisha perguntou. Mikasa tremeu dos pés a cabeça.

- Tá frio. – Ele respondeu.

- E tá sem blusa por quê?

Levi engoliu seco.

- Não achei uma. A outra está suja.

Karla abafou uma risada vendo a cara da filha.

- Depois o Grisha diz que é eu que sou superprotetora.

- Mas, Karla, esse rapaz quer tirar a castidade da minha filha...

Levi até engasgou.

- Em todos os casos, a Mikasa que e a pervertida da rela... – Ele foi interrompido por um travesseiro na cara. 

- Esse Levi é doido mesmo, né? – Mikasa riu sem graça. – Tomou seu remédio hoje, Levi? – Perguntou forçando o sorriso. – Tadinho. Ignorem ele. Não está muito bem esses dias.

- Mikasa! Sua impura! Próxima semana você vai pra igreja. – Karla disse, convicta.

A Ackerman abriu a boca, chocada. Ela nem era tão pervertida.

- Nem dá, Karla. Próxima semana ela vai passar lá em casa. Pode ser?

- Por quê? – Grisha perguntou, não gostando do rumo da conversa.

- Ah, que isso Grisha. Nem tem nada. Pode sim. – Karla disse, sorrindo. Mikasa achava engraçado que sua mãe confiava plenamente em Levi e o seu pai nela.

- A minha mãe vai passar próxima semana em casa. – Levi coçou a parte de trás do pescoço. – Eu queria que a Kuchel visse a Mikasa, já que faz tempo que elas se encontraram.

- Não. A Mikasa não vai dormir...

Karla bateu no braço do esposo.

- Pode, sim. Quiser levar ela pra morar fica a vontade. Ela não faz nada aqui mesmo.

- Nossa, mãe. – Mikasa disse pegando o celular para ver a hora. – Eita. Já são seis horas da noite.

- Sim, vocês dormiram demais. – Grisha disse.

- Que tal irmos jantar fora? – Levi ofereceu.

- Não sei... você podia ir embo....

- Pai! – Mikasa repreendeu. Grisha realmente não gostava do namorado.

- Claro, seria ótimo.

- Sim, sim. Pode deixar que eu pago.

- Vai chamar o pessoal que está dormindo na sala?

- Óbvio. Só tem que acordar eles...

- Eu acordo! – Karla disse. – Vem Grisha.

O Yeager estava com mau humor. Foi emburrado até a porta e ficou olhando os dois.

Karla já tinha descido.

Mikasa abraçou o namorado e deitou a cabeça no ombro dele.

Grisha semicerrou os olhos, com os punhos fechados. Ah, mas ele iria lá...

- GRISHA! VEM ME AJUDAR AQUI! - Karla gritou.

Grisha deu uma última olhada no casal e desceu.

Levi riu.

- Seu pai é bem bravo, né?

- Só com você.

Ela deu um selinho nele.

Levi sorriu. Era um sorriso tão fofo.

- Eu. – Ela deu outro selinho nele. – Te. – E outro. – Amo. – E mais outro.

- Hm... – Ele beijou o pescoço dela.

- Kuchel só vai passar um dia lá em casa. – ele disse. – Eu menti.

- Eu sei. Você já tinha me falado.

- E o Kenny vai viajar. – Ele deu outro beijo nela. – Seu presente de aniversário vai ser longo, hein?

Ela riu. Estava ansiosa pelo presente de aniversário.


Notas Finais


Uma curiosidade: O aniversário da Mikasa é perto do meu huahuahua ela faz dia 10 e eu dia 13 hehe

Um aviso um tanto quanto importante: próximo mês eu pretendo começar a postar uma fanfic com uns 25 capítulos. E só um aviso msm pq eu sempre faço coisas pequenas mas dessa vez to super empolgada!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...