1. Spirit Fanfics >
  2. Surpresa de Natal -Imagine Draco Malfoy . >
  3. Amor ,mais amor e igual a amor

História Surpresa de Natal -Imagine Draco Malfoy . - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Último capítulo dessa pequena história.
Obrigada as pessoas que apoiaram , a minha querida leitora @rmsmoitie que me deu a ideia inicial para escrever sobre o Draco e família e as pessoas que estão favoritando e lendo .
Espero que gostem do final , um beijo e Até outras histórias.

Boa leitura!!!

Capítulo 3 - Amor ,mais amor e igual a amor


Fanfic / Fanfiction Surpresa de Natal -Imagine Draco Malfoy . - Capítulo 3 - Amor ,mais amor e igual a amor

 

 

Leiam as notas iniciais , Por favor. :)

.....

4 anos depois do nascimento de Thomas Lay Malfoy

 

Visão por Draco Malfoy:

 

Depois de muito tempo sem realmente aproveitar aquela data, era novamente natal trazendo aquele espírito de alegria sobre nossa casa novamente.

Lembro que quando conheci ela eu nunca imaginei ver alguém tão apaixonada pela data quanto ela era e ainda é!Como uma criança no parque pela primeira vez, ela ficava feliz por poder compartilhar o dia com todos que amavam. Com o passar dos anos em que namorava-mos eu ansiava para que o natal chegasse e eu pudesse sentir sua alegria novamente.

O tempo passou e desde do nascimento do meu melhor presente no mundo, eu comemorava como se fosse devoto fiel da data natalina, tinha muitos motivos para comemorar e ser grato, mas o real motivo era minha família.

A casa dos meus pais estava uma movimentação só, no dia seguinte tanto a família de S/N quanto nós três pegamos a estrada para ajudar nas preparações na casa dos meus pais, não era muita gente porém cozinhar para tantas bocas exigia tempo. Eu tinha acabo de arrumar a sala enquanto a mãe da minha linda esposa e a minha mãe guardavam as sobras em uma conversa baixa porém animada. Respirei fundo sentindo os braços um pouco dormentes pelo esforço de prender coisas tão altas pela sala, Thomas era ainda pequeno é todos cuidados foram pensados para não acontecer nem um acidente,meu pai via um filme na televisão parecendo preste a pegar no sono,meu sogro ainda jantava na poltrona olhando para a tela entretido,um sorriso involutório apareceu em rosto ao pensar que finalmente estava tudo se encaixando, eu estava feliz e certamente todos também estavam. Pensando nisso decidir subir para dar uma olhada nos amores da minha vida, S/n tinha subido para por Thomas para dormir já que como a mãe ele era simplesmente fanático pela data e só dormiu porque o cansaço lhe venceu.

Subi as escadas em direção ao meu antigo quarto o qual eu, s/n e Thomas estava-mos dormindo juntos, ao chegar perto ouvi a voz baixinha de Thomas cansada disparando milhares de perguntas para a mãe que o tinha deitado acima do seu abdome, abraçados com o menino mexendo no cabelo da mãe.

Bati na porta antes de entrar tendo a atenção de ambos para mim.

 

- Temos algum problema? Por que ainda está acordado filho? Você não quer ganhar seus presentes amanhã?- Disse fechando a porta e sentando na beira da cama

 

 

—Papai, porque existe o natal?

 

Eu troquei um olhar com S/n vendo a mesma rir baixinho. Aparentemente ele estava na fase das perguntas e por isso ainda não tinha dormido.

 

-Bom….é uma longa história filho, mas tudo se resume em amor.

 

- Amor?- O pequeno levantou a cabeça curioso enquanto a mãe ainda o segurava.

 

– Vem aqui com o papai-o chamei enquanto deitava na cama, vi o pequeno engatinhar pela cama até mim que o acolheu carinhosamente.

 

- Querido- S/n chamou enquanto se levantava- se importa de começar sem mim ? Estou apertada.

 

—Sem problemas, amor.

 

Ela sorriu e desceu da cama dando a volta, antes de entrar na suíte ela deixou um selinho em meus lábios e acariciou os fios claros de Thomas.

 

 

 

A observei entrar no banheiro e voltei a olhar Thomas que me encarava curioso.

 

- Beijo é amor ?- Ele perguntou. Tinha que fazer uma nota mental sobre beijar na frente dele.

 

—Sim meu filho, mas existem vários beijos e na sua idade só mamãe e o papai pode beijar você.

 

—Mas é o vovó e o vovô não pode mais?

 

- Pode filho, mas só se você quiser ok ?- ele afirmou com a cabeça me olhando- Vêm ,d eita do meu lado, vou contar pra você porque existe o natal.

 

Rapidamente ele deitou sobre meu braço e eu puxei a coberta para espantar o frio que entrava pelo pequeno espaço da janela aberta.

 

—O natal é uma época que é para unir as pessoas, os amigos, a família…

 

- A gente veio para a casa da vovó pela família ?- as vezes eu me espantava com a inteligência dele.

 

- Sim filho, viemos comemorar porque temos amor aqui. Eu , você e a sua mãe Somos uma família , mais os seus avôs a família aumenta e com isso temos muito mais

 

—Amor!

 

—Isso, você é tão esperto-beijei o tomo da sua cabeça – Você puxou a sua mãe, cheio de vida e super-inteligente.

 

—A mamãe também gosta do natal?

 

-Sim, ela ama o natal. Foi ela que me ensinou o real significado, por isso é tudo sobre amor.

 

—Você me ama papai?

 

-Mais que isso filho, eu sou apaixonado por você – acariciei seu rostinho inocente e cheio de brilho observado a mistura dos traços entre mim e s/n – Você foi um dos meus presentes mais lindos que eu já ganhei no natal.

 

—O papai noel me embrulhou? - seus olhos se arregalaram e eu ouvi a risada da mulher mais linda do mundo.

 

—Não filho, eu dei você de presente para o seu pai.

 

—É porque você me deu?

 

—Porquê seu pai me deu amor e o amor gerou você e ele só soube no dia do natal que teríamos você.

 

—Puxa!

 

—Pois é … Agora, está na hora de você dormir ou vai ficar cansado para brincar amanhã com seus novos presentes.

 

Com um pouco de esforço conseguimos o fazer dormir, agora estava-mos o observando carinhosamente.

 

—Draco…

 

Olhei s/n que me olhava com ternura enquanto ainda afagava os fios de Thomas.

 

—Obrigada por hoje, acho que esse é o melhor natal da minha vida.

 

Me levantei de onde estava e a puxei para sair da cama. Com carinho a puxei para meus braços e a beijei apaixonadamente. .Quando separamos a olhei e fiz um carinho em seu rosto.

 

—Todos os meus natais com você foram os melhores da minha vida, eu amo você.

 

Um sorriso lindo se expandiu em seus lábios.

 

—Eu amo você.

 

A tomei nos braços novamente e voltamos a nós beijar.

 

—Com calma querida, acho que o Thomas não vai querer um irmãozinho agora.

 

—não é bem isso que ele vem pedindo pra mim…

 

- Ele pediu um irmão? - a olhei surpreso e ela afirmou com a cabeça- Thomas é tão inteligente, pensei que ele jamais pediria isso.

 

—Bom, acho que o seu pai interferiu, mas realmente ele é inteligente e vamos dizer que convencedor …

 

—O sangue Malfoy … mas como convencedor?

 

Ela separou de mim e foi até o banheiro e voltou com algo nas mãos.

 

—Acho que teremos outro pequeno Malfoy pela casa-ela disse me entregando o teste-Parabéns, amor seremos quatro.


Notas Finais


Obrigada gente, até meus próximos contos. Fiquem bem e se cuidem !!
Atéeeeee~~~~~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...