1. Spirit Fanfics >
  2. Surpresas >
  3. Um presente bem adiantado

História Surpresas - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Então, eu sei que eu deveria parar de vagabundar e de ter ideias absurdas e nada haver com nada, mas eu queria muito escrever pra passar o tempo, e bom, fiz isso aqui no impulso. Então deve estar bem ruim. Juro que vou parar de ter esses surtos do nada Hheheheheheheh Depois apago!

Capítulo 1 - Um presente bem adiantado


Mal humorado.

Era a palavra perfeita para descrever o estado do capitão dos Piratas do Coração, Trafalgar Law. Mas, não que todos já não estivessem acostumados com a típica cara emburrado do tatuado, o verdadeiro problema, era que nesses últimos meses ele estava pior. Qualquer coisinha o estressava, a maior parte do tempo ele passava em seu quarto; ou em qualquer canto do submarino. De cara fechada, olhando para o nada. E isso aconteceu desde que se separaram dos Piratas do Chapéu de Palha. Por um motivo ainda desconhecido pelas duas tripulações.

Já faziam dois meses desde que se separaram da tripulação de Luffy, e desde então, o humor de Law mudou drasticamente, deixando toda a tripulação bastante preocupada.

- Ele deve estar com TPM. – Penguin disse, olhando de longe o capitão observando seu chapéu como se, a qualquer momento o fosse o rasgar de tanta raiva que parecia sentir.

- Não né, ele nem menstrua. E ele é o nosso médico, já teria se curado se fosse algum tipo de dor ou doença. – Sachi resmungou. – Eu acho que ele deve estar com fome. Não o vejo comer nada faz um tempo.

- Talvez ele esteja assim por que está chegando o aniversário dele. – Penguin murmurou. – É dia dezesseis, né?

- Eu acho que é dia vinte. – Sachi parecia pensativo.

- Eu acho que é dia seis. – Bepo murmurou, recebendo olhares dos dois amigos. – D-Desculpa! – Curvou o corpo para frente, envergonhado.

- Não, não. – Sachi negou. – Tenho certeza que é dia dezesseis mesmo. Ele sempre fica irritado quando o aniversário dele está chegando.

- Ei, podíamos fazer uma surpresa! Assim ele melhora o mal humor, né.

- E o que faríamos?

- Sei lá. Pão na chapa?

- Ele te jogaria no mar sem pensar duas vezes, se você chegar com um pão na frente dele, Sachi. – Penguin rolou os olhos. – Vamos tentar agradar ele de outra forma!

- Vamos fazer vários Oniguiris para ele, que tal?

- Ele não é de comer muito, seu burro. – Sachi estapeou a cabeça do companheiro. – Mas, se bem que podíamos fazer alguma coisa para ele comer mesmo. Ele está pálido e desnutrido.

- Por que não convidamos alguém que ele goste? Ou fazemos um bolo? Uma festa surpresa.– Bepo murmurou, recebendo olhares dos dois amigos. – D-Desculpa...

- O capitão não gosta de quase ninguém nessa vida e...- Sachi parou de falar assim que sua mente voou longe, para um grupo específico. – Oh...

- Você pensou o mesmo que eu?! – Penguin abriu um enorme sorriso.

- Com toda a certeza do mundo, sim! Caralho Bepo, você é um gênio. Certeza que, com essa ideia, o capitão fica melhor por descontar a raiva em outra pessoa e não na gente!

- Desculpa...- Bepo novamente curvou o corpo para frente, desculpando-se com os dois presentes ali.

- Você deveria nos dizer outra coisa...- Ambos resmungaram juntos.

- Então, temos o presente perfeito. Agora só precisamos saber como vamos trazer essa coisa para cá. – Sachi tocou o queixo com a mão esquerda, pensativo.

- Vamos primeiro fazer uma ligação! – Penguin disse, correndo até o Den Den Mushi, realizando uma ligação para a tripulação de piratas mais bagunceiros que conheciam.

E claro, a pessoa que atendeu foi exatamente a quem eles queriam.

 

[...]

 

 A noite havia caído mais rápido do que o esperado. Eles haviam parado na primeira ilha que avistaram. Caminhando por todo o submarino, Law pode perceber que, o local estava mais vazio. Provavelmente a tripulação toda saiu para fazer alguma coisa inútil pela ilha. Estava disposto a ir direto para o seu quarto, a fim de descansar, no entanto, acabou sendo barrado na porta por diversos balões e confetes coloridos.

- SURPRESA, CAPITÃO! – Sachi, Penguin e Bepo gritaram em uníssono.

Law não estava entendendo absolutamente nada.

- Mas o que diabos vocês estão fazendo?! - A confusão estava estampada em sua face.

- Ué, estamos te parabenizando pelo seus vinte e oito anos.

- Como? – Perguntou, ainda mais confuso. – Não estou completando aniversário hoje.

- É claro que está! Achou que não fôssemos lembrar, né capitão? – Sachi brincou. – Tá ficando velhinho. Aqui ó, seu presente. – Amarrou o fio vermelho no dedo de Law. – É só seguir a linha vermelha que chegara até ele!

Law rolou os olhos, irritado.

- Eu não estou completando ano hoje. – Murmurou, a voz carregada de irritação. – Eu só completo ano no dia seis de outubro.

A boca dos três abriram em um perfeito O. Estavam surpresos e confusos. Law rolou os olhos.

- Ah, tá vendo? Eu disse que não era hoje, Sachi!

- Você não disse porra nenhuma!

- Desculpa, Capitão...- Bepo murmurou.

- Vocês são idiotas? – Law murmurou.

- Ah capitão, é que você andava tão mal humorado ultimamente, que achamos que era por causa do seu aniversário.

- É, é, você parecia que iria matar o primeiro que aparecesse na sua frente! – Sachi resmungou. – Só queríamos ajudar, né.

- Tsc, vocês são um bando de idiotas! – Rosnou. – Sumam da minha frente antes que eu corte os três no meio.

Assustados, os três saíram correndo pelos corredores do submarino. Law estava mais irritado ainda. Olhou para o fio vermelho amarrado em seu dedo. Curioso, abriu a porta do próprio quarto e seguiu o fio vermelho até sua cama, onde tinha uma enorme caixa, com detalhes amarelos e uma enorme fita vermelha.

Law franziu o cenho, confuso. Sentou-se sobre o coxão e começou a puxar a fita vermelha, jogando-a no chão. Puxou a tampa da caixa, ainda receoso. Seus olhos cinzas se arregalaram em total surpresa quando viu o que tinha ali dentro, ou melhor, quem estava ali dentro.

- Mugiwara-ya? – O chamou pelo nome, ainda surpreso por quem ele mais desejava ver, estar justamente ali dentro de uma caixa, enrolado com uma fita vermelha, devorando o restante do bolo, que parecia ser de baunilha com cobertura de morango.

- Oi, Torao, quanto tempo! – O sorriso gigante e iluminado que Luffy deu para o tatuado, o deixou com as bochechas avermelhadas. – Você sumiu do nada e nem disse nada! Nossa aliança por acaso acabou?! Olha ela só vai acabar quando eu quiser, e isso será nunca, nunca, ouviu?!

- Não! Eu só...deixa para lá okay. – Sorriu sem graça. - O que faz aqui? – Perguntou, vendo o capitão dos Chapéus de Palha sair da caixa.

- Não sei, seus companheiros que me ligaram e disseram para eu vir para cá! Quando vi, já estava enrolado com essas fitas, dentro de uma caixa. Também tinha esse bolo, com algumas letras que não lembro o nome! – A risada que o moreno deu, foi música para os ouvidos de Law. – Ah! Torao, eu senti tanta a sua falta! Você sumiu sem nem falar comigo! – Luffy o abraçou fortemente, sem se importar se estava sujando Law de bolo ou se ele não gostava dos abraços sufocantes do moreno.

Era fato que, estava com muita saudades de Luffy também. Haviam se separados por um pequeno desentendimento, ou melhor, ciúmes, por parte de Law. E ele acabou por, se afastar da tripulação por um certo tempo. O que foi uma péssima ideia, já que Law não tirava a imagem de Luffy da sua cabeça e nem conseguia controlar a vontade de ver o outro capitão.

Não pode conter o mínimo sorriso de felicidade e alívio que se formou em seus lábios. Luffy estava ali, e era isso que importava, afinal. O viu lamber tão empolgado os dedos sujos com o glacê, Law odiava aquela doçura toda que continha no bolo. Era tão enjoativo e grudento. Mas em Luffy parecia ficar tão mais delicioso e mais doce. Um doce que talvez Law esteja louco para provar. Embora tenha medo de ser rejeitado ou até mesmo, assassinado pelos companheiros de Luffy.

Mas...pensando bem. Eles estavam sozinhos, certo? E o Luffy é seu presente, okay?

- Você está todo sujo, Luffy-ya. – Law se aproximou sorrateiramente do menor. Luffy estava estático, observando a aproximação de Law. O tatuado tocou as bochechas de Luffy com os dígitos de seus dedos, dando uma leve lambida no glacê preso na pele pálida no canto da boca de Luffy.

Luffy piscou os olhos várias vezes, confuso com o contato tão íntimo de Law. As bochechas se aqueceram e ganharam uma cor vermelha. Estava certo que gostava de Law, um gostar de querer estar perto o tempo todo do maior e até mesmo o abraçar por bastante tempo. Um gostar de não querer se separar nunca mais dele.

Havia gostado daquele tipo de contato, algo dentro de si se acendeu ferozmente, ardendo todo o seu peito e incendiando todo o seu corpo.

- Faz de novo, Torao. – Pediu, manhosamente, a voz rouca e carregada de satisfação e curiosidade.

- O que você quer que eu faça de novo, Luffy-ya? – Perguntou.

- Isso que você fez!

- Posso fazer algo melhor, Mugiwara-ya. Se você quiser, é claro.

- Eu quero! Se for pra sentir você mais perto do meu rosto de novo. - Murmurou baixinho, sentindo uma leve vergonha de dizer tais palavras para Law.

Law sorriu divertido, não esperava que Luffy pedisse por mais, ainda mais pelo que ele tanto desejava fazer. Mas assim o fez, jogou seu corpo pesado sobre o diminuto de Luffy. Avançando seus lábios sedentos nos de Luffy, encaixando perfeitamente as bocas uma na outra. O beijo foi simples e bem desajeitado por parte dos dois. Ambos não tinham experiência , mas estavam certos de que aprenderiam juntos. As mãos grandes de Law circularam a cintura delgada de Luffy, o apertando contra si.

No final, não foi uma má ideia ter um feliz aniversário no dia errado. Havia acabado de ganhar o presente que tanto desejou, com brinde de um beijo desajeitado e um abraço quentinho. Pensaria se depois agradeceria para os companheiros sobre tal erro, sobre trazerem de alguam forma desconhecida por Law, o capitão dos Chapéus de Palha dentro de uma caixa.

 

É claro, pensaria nisso depois de aproveitar bem o seu presente adiantado.


Notas Finais


HEUEHEUEUUEU Eu nem revisei e nem quero ver o estrago.
É isso ai, beijos e só volto com o capítulo novo da minha outra fic. NÃO AGUENTO MAIS SER AMEAÇADO, VIU?!

Beijos, princesos e princesas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...