História Surpresas da Vida - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 8
Palavras 1.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero apenas que vocês gostem. Boa leitura! Os primeiros capítulos serão um pouco pequenos, não será assim fiquem tranquilos.

Capítulo 1 - Início de tudo


Fanfic / Fanfiction Surpresas da Vida - Capítulo 1 - Início de tudo

Tempo para mim era algo que passava rápido, rápido até demais, depois de Guilherme achei que tudo em minha volta passaria agora em câmera lenta, mas não, sua morte fiz tudo correr. Hoje é meu último dia nessa escola, meu último dia no Brasil, estou indo morar nos Estados Unidos, minha tutora (sou adotado, ou melhor, mais ou menos adotado, estamos apenas em processo de tutela, e não é minha mãe, sua função principal é apenas me preparar para a vida adulta, até meus 18 anos ela é obrigada devido a o processo de tutelar e ser minha guardiã até minha maior idade. A decisão de morar fora partiu dela, fiquei sabendo disso uma semana atrás, ela recebeu o convite de uma amiga dela que mora lá, não me interessei em saber quem era ela. No fundo, eu sabia que essa idéia de morar em outro país era apenas para me afastar de meus fantasmas que me assombram. Meus amigos reagiram bem quando lhes disse a notícia de talvez eles nunca mais me ver.

-Antônio, você está prestando atenção no que eu estou dizendo? Tenho cara de palhaço aqui?! Como pode, vocês, os jove...: essa foi a apresentação de Augusto, meu professor de Historia/E.Religio pra mim, como podem ter percebido, ele é um amor, nossa e como. Ao invés de falar de República Velha, ou algo assim ele simplesmente fala de uma citação na Bíblia. Tudo haver.

-É Marcos professor: falo totalmente entediado, naquele momento já não tinha forças para alimentar minha irritação com o fato de ele assim como muitos outros terem errado um nome tão comum como o meu, ele nem me ouviu ainda por cima.

....

Marcos, ei, está tudo bem?

Ah, sim, está tudo bem, só quero sair logo dessa escola

Esse é o João Victor, dono das coxas que tanto amo, do pau também, embora nunca tenha visto. Já perdi a conta de quantas vezes vi ele de pau duro dentro da sala, até então normal a barraca armar assim, mas queria muito saber o que passava na cabeça dele durante um de seus "episódios". João era branco, tinha 1m e 69cm, ele tinha os olhos castanhos claros, uma boca de lábios de um rosa tão claro que chegava a ser branco, eu pegaria ele, nossa seria sua puta, tinha muita vontade de sentar naquele pau, nossa rebolar gostoso, gemer alto, arranhar aquele abdômem definido pelo esporte...senhor!!! Aquele pau, aquelas coxas, costas, barriga, peito....eu quero tudo nele

-Eu também: dizia ele

-Vamo falar a verdade aqui, tu vai sentir minha falta, num vai?

-Hm, até parece...: ele estava meio emotivo hoje, ou melhor, essa semana ele estava, não queria admitir, mas estava.

-Marcos Antônio você pode vim se sentar aqui nesse lugar vazio?

-Oi? Mas por que? Eu tô quieto!!!

-Vai logo! Não ouviu?!: dizia João se deliciando com a cena.

-Eu sei, só quero você aqui perto de mim: foi nessa hora que os garotos que sentavam todos atrás, disseram algo que o professor não conseguiria ouvir:

-Hmmm, comeu em!!! Tu pega Marcos?

-Eu? Mas é claro, que NÃO!!! Sou um viado exigente: digo eu com nariz empinado

-Marcos, vem logo!!!

-Tô indo

Enquanto me dirijo para me sentar no lugar dito por Augusto, sinto uma mão apertar minha bunda, tal apertada que eu conhecia bem seu dono, João.

-Nossa hein, vou sentir saudades, bora uma mais tarde? kkkkkkkk: dizia depois que me sento no lugar

-Quem sabe: respondo

Ele era até então inofensivo, ficávamos flertando um com o outro, assim como eu fazia com 50% dos garotos dessa escola, as meninas também se incluíam, era 90% delas, eu era um viado diferente dos outros, gostava de "provocar" as meninas com passadas de mãos ali, outros aqui, beijos no pescoço, elas sabiam que eu era gay, toda a escola sabia, mas eu era um viado que não tinha como ser ignorado, era extremamente conhecido, poderia dizer que eu era popular.

Comparado com histórias de outros homossexuais, principalmente os gays, o meu fundamental foi bom, não tive muitos problemas com homofobia, com piadinhas, toda vez que aparecia alguém querendo mexer comigo eu dava conta dele, ou então algum amigo meu entrava na frente por mim. O fato curioso de mim, é que só tenho amigos heteros, já nas mulheres têm uma grande presença de homossexuais, principalmente bissexuais, não tenho amigos homossexuais iguais a mim, não me dou bem com outros como eu.

....

-Bom gente, é só isso...tenham boas férias, e lembrem-se, lá vocês vão ter que se empenhar muito, não será como o fundamental: dizia minha professora de Ciências, um doce de pessoa

-É, me disseram o mesmo quando passei do 5 para o 6

-Mas agora é sério, foquem nos estudos, não esqueçam do ENEM

-ENEM, é cada coisa, nossa, odeio provas assim, aff

O sinal bate e me encontro com uns amigos no refeitório, estou em uma mesa com um grupo, alguns não são do mesmo ano que eu, estão apenas querendo saber para onde iríamos depois dali

-Ei Marcos! Para que escola você vai...quando chegar nos USA: pergunta minha amiga Livia, tinha me afastado dela depois que fui para o 9, nas sempre que podíamos jogávamos conversas fora.

-Só vou saber quando chegar lá

-Hmmm, pelo jeito vai conhecer muitos meninos!!!: ela dizia com empolgação

-Puta

-Não sou puta, sou apenas apreciador de diversos gostos

-ATA KKKKKKKKK

Depois de muitas fotos, me dispenso de todos crendo que poderia ser a última vez que os via.

...


Finalmente me encontro em casa. Me sento na cama e olho minhas coisas escolares espalhadas pelos cantos e penso que não irei usar nada daquilo novamente, livros, cadernos, uniforme...tudo isso seria devolvido ou jogado fora, ou então entregue pata alguém que poderia usar pra sei lá o que. Me deitei na cama, fazia sol, a luz entrava pela janela e iluminava meu quarto, fiquei ali por um bom tempo até ouvir Marina me chamar, minha tutora. Quando desço encontro ela na cozinha

-Comprei, uns salgados pra você, depois arrume tudo, para podermos ir logo: minha tia era morena, tinham cabelos pretos meio cacheados, olhos pretos, era baixa, ela era muito inteligente, eu admirava muito ela por isso.

-Como foi o último dia de aula?

-legal

-Nenhum namorado?

-Oi?

-Ué, namorado: levei um susto com a pergunta, ela não era de perguntar nada relacionado.

-Ah, não, nenhum, quem saiba eu consiga um no ano que vem

-É, você tem que achar um pra se casar, imagina só, eu morando com você pelo resto da vida? Nossa, que pesadelo, ache logo alguém é se case por favor

-Pode deixar

-Ok

Ela era fogo, logo depois disso arrumei a cozinha e ela foi dormir, era ainda 12:34 da tarde, ela trabalhava numa casa de acolhida de noite, dia sim, dia não. Assim como o meu hoje foi seu último dia no trabalho.

Depois de tudo pronto fomos arrumar nossas coisas, não estava acreditando que ainda hoje eu estaria nos Estados Unidos, um lugar novo, casa nova, escola nova, amigos novos. Essa parte dos amigos não seria tal novidade, eu tinha uma amiga que por coincidência moraria perto de minha casa, ela se chamava Gabriela (a Gaby). Seria minha primeira vez em um avião, eu estava em pânico.

...

-Pronto: diz minha tia assim que o avião levanta voou

-Sim, nova vida né?

-Sim, uma nova vida para nós dois

Depois de um tempo, permito me relaxar ouvindo Chandelier e passo a admirar a paisagem, um medo misturado com fascínio. Logo coloco meus fontes e fecho meus olhos, dormir era algo fora de questão, ao contrário de Marina que já dormia ao meu lado. Logo eu iria conhecer Gaby pessoalmente, ela me disse que esperaria em frente à minha nova casa, estava doido para conhecer ela.


Notas Finais


Olá Leitores!

Sou um novato neste ramo, a inexperiência está evidente em minhas palavras. Peço a compreensão de vocês. Desde já muito obrigado. Procurarei postar frequentemente durante a semana.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...