História Surrender - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Avenged Sevenfold
Personagens Johnny Christ, M. Shadows, Personagens Originais, Synyster Gates, The Rev, Zacky Vengeance
Tags Avenged Sevenfold, Drama, Romance, Traição, Zacky V
Visualizações 55
Palavras 2.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Fazendo essa colagem, deu vontade que esse casal voltasse... Me julguem!

Anteriormente:

Fechei meus olhos para as lagrimas escorressem um pouco, depois sequei com papel toalha. Meu rosto ainda estava vermelho, saí do banheiro, respirei fundo, cheguei o balcão e pedi para que chamasse um taxi para mim. O barman atendeu o meu pedido. Olhei ao lado, Zacky estava discutindo com a mulher loira, varias pessoas apareceram para se meter.
O barman avisou que meu taxi havia chegado, agradeci e saí do bar rapidamente. Vi o carro amarelo, entrei e sentei no banco de trás. Pedi para que ele me levasse a universidade, deitei a minha cabeça no vidro enquanto ele acelerava. Fechei meus olhos e comecei a chorar compulsivamente, eu era uma boba que ainda que acharia o príncipe encantado.

Capítulo 3 - Apologizes and jealous


Fanfic / Fanfiction Surrender - Capítulo 3 - Apologizes and jealous

            Dias se passaram, as coisas continuavam as mesmas. Eu trabalhava meio período, estudava no outro. Os professores pegaram pesado, passando muitos textos para ler, além de um trabalho sobre um aspecto da mente humana. Eu resolvi escolher explicar como funcionava os ciúmes na mente humana. O sentimento de posse sobre uma pessoa que obviamente não pertence a você.

            Fui a biblioteca, fazer a minha pesquisa, enquanto eu pegava os livros para ler, eu pensei em Zacky, pela primeira vez, desde do encontro desastroso. Era melhor que eu percebesse que nunca daria certo entre nós, obvio que ele ainda amava aquela mulher loira, ainda bem que eu vi isso antes que estivesse apaixonada por ele.

            Resolvi afastar aqueles pensamentos da cabeça, não me faziam bem. Mexi nos meus cabelos, folheei um dos livros sobre mente humana quando Dany apareceu na minha frente me dando o maior susto. Coloquei as mãos no peito, ela se sentou à minha frente.

 

- Sei que desde que você chegou chorando do encontro, você não diz nada, contudo sou sua amiga e quero saber o que aconteceu naquele encontro. – Dany me olhava com ternura.

- Ah, Dany... Resumidamente, nós estávamos curtindo, jogando sinuca quando de repente ele viu a ex, esqueceu que eu existia e foi arrumar encrenca com ela porque ela estava com outro, sendo que ele me chamou para sair. – Fechei o livro, não tinha mais clima para estudar.

- Não acredito nisso, não fica triste... Foi melhor assim, pelo menos, você descobriu que ele não queria nada com você, antes de estar com ele. – Ela segurou as minhas mãos. – Por isso, hoje você vai largar esses livros enormes e vamos sair por ir.

- Preciso entregar esse trabalho para mês que vem, eu odeio fazer trabalho em cima da hora. – Tentei dar desculpas para não sair. – Acabamos de sair de férias, estou cansada, trabalhei a semana inteira.

- Pare de dar desculpas! Você precisa sair para beber e sabe o que mais você precisa. – Dei de ombros. – Beijar na boca. – Revirei meus olhos. – Precisa de um macho te colocando atrás de uma parede, enfiando uma língua e...

- Nem termina isso. – Corei de vergonha. – Eu não preciso de homem, preciso terminar o meu trabalho, gostosa.

- Você que sabe. Nem todos os homens são o Zacky ou Stan, existe pessoas boas no mundo, Sammy. – Dei de ombros.

- Só que eu não estou com mínimo interesse de conhece-las, estou muito bem sozinha com meus livros. – Dany ficou chateada comigo.

- Ninguém é uma ilha.

- Mas eu sou uma enorme ilha do pacifico sul. – Abri o livro novamente e Dany se levantou.

- Cuidado para que um tsunami não te pegue. – Não entendi o que ela queria dizer com aquilo, ela saiu de perto de mim.

 

            Mais tarde, coloquei meu pijama, pedi uma pizza de muçarela com uma coca para poder estudar. Dany e Meaghan saíram como faziam todas os finais de semana, eu abri o livro, o meu laptop. Abri o word e comecei a digitar a introdução do trabalho sobre o efeito dos ciúmes na mente humana, como era perigoso.

            Peguei o meu celular e procurei a definição de ciúmes no google. Encontrei rapidamente, entrei num site de definições, quase um dicionário online. Ciúme: é um estado emocional do ser humano, provocado pela falta de exclusividade do sentimento, da dedicação e do cuidado da pessoa com quem se gosta. Ele se apresenta como uma reação complexa de qualquer indivíduo a uma ameaça perceptível a algo que este possua, como uma relação valiosa ou que tenha apreço.

            Copiei e colei no inicio do meu texto, comecei a desenvolver o tema quando bateram na minha porta, imaginei que fosse a pizza. Salvei o texto por via das dúvidas, abri a minha bolsa e tirei 30 dólares para pagar a pizza. Coloquei meus chinelos de dedos, peguei a chave e abri a porta rapidamente, era Zacky comendo a minha pizza. Ele me deu um sorriso e eu revirei os olhos.

 

- O que você faz aqui e ainda comendo a minha pizza? – Eu quase gritei.

- Vim falar com você, sobre a pizza, eu encontrei o entregador e ele me deu a pizza. – Cruzei os braços. – Sei que devo desculpas pelo que aconteceu no nosso encontro, não pensei.

- Não quero saber das suas desculpas, você me humilhou quando resolveu brigar com sua ex-namorada. – Zacky ajeitou o boné na cabeça. – Você esqueceu que eu estava lá.

- Ela era minha ex-esposa. – Fiquei surpresa, não imaginava que havia sido casado. – Eu acabei de me divorciar, tipo o meu divorcio saiu há poucos dias. – Bufei de ódio, ainda mais que ele me fez de step. – Não queria me envolver, não quero, vou ser sincero com você, eu ainda amo a Gena. – Aquilo me magoou ainda mais.

- Se você veio aqui para me dizer que ainda amava sua ex, que me usou de step. Quero que você vá embora, eu tenho um trabalho para terminar. – Arranquei a pizza das mãos dele, tinha perdido a fome.

- Mas gostei de você, poderíamos ser amigos. Eu não me sinto bem como me senti quando nos conhecemos. – Devolvi a pizza. – Queria me retratar, te chamar para sair novamente.

- NÃO! EU NÃO QUERO QUE VOCÊ APAREÇA AQUI, NUNCA MAIS.  – Gritei, ele ficou triste. – Não quero fazer parte do seu joguinho de ciúmes com sua ex-mulher.

- Não posso te obrigar a nada. – Comecei a chorar, ótimo ele tinha estragado o resto da minha noite. – Não chore por mim, eu não valho a pena.

- Pelo menos, você sabe. Eu não controlo meus dutos lacrimais, sabe. – Ele deu um beijo no canto da boca, me irritando ainda mais.

 

            Zacky foi embora, acabei dando a pizza para ele, tranquei a porta, voltei ao trabalho. Tentei não chorar em cima dos livros da faculdade, solucei um pouco, era uma boba de ficar chorando, sendo que ele mesmo pediu para eu não chorasse por ele.

            Continuei a ler e a digitar o meu trabalho, depois de alguns minutos, por causa de falta de comida, cansaço, meus olhos acabaram pesando. O sono estava me dominando, deveria ter feito café. Coloquei as mãos em cima do queixo, mas o sono ficava cada vez mais forte.

            No dia seguinte acordei, estava com o rosto sobre o livro, babando. Cocei meus olhos, levantei a minha cabeça, ajeitei meus cabelos bagunçados, Dany e Meaghan estavam dormindo em suas camas. Resolvi ir ao banheiro, lavei o meu rosto, resolvi dar uma volta pela cidade, esfriar a cabeça.

            Peguei um vestido preto soltinho, meu tênis all star rosa, usei. Prendi meu cabelo curto num rabo de cavalo, só que meu cabelo escapava. Nem liguei, coloquei meu relógio de pulseiras coloridas, aqueles que trocavam de pulseiras. Escovei os dentes, peguei a minha bolsa e saí.

            Resolvi ir a uma padaria tomar um café da manhã, depois ir ao shopping dar uma volta. Chegando a padaria, pedi um café com leite, um cupcake de chocolate. Comi rapidamente, depois eu tomei o café quentinho. Depois saí da padaria, fui ao metro e peguei um para o centro da cidade.

            Chegando a estação, andei até o shopping center. Poderia ir ao cinema, comprar roupas, mas o meu dinheiro estava limitado. Respirei fundo, passei as mãos no cabelo, estiquei os braços e andei. Vi uma loja de instrumentos musicais, me apaixonei por um piano de madeira só que eu não tinha grana para comprar. Pensei que quando me formasse teria condições de comprar um daqueles, ou melhor, poderia comprar um piano de cauda apenas para colocar porta-retratos no meio da minha sala.

            Depois dessa viagem mental, saí de perto da loja, voltei a andar, subi as escadas rolantes, suspirei profundamente. Me senti cada vez mais pobre, a cada loja que entrava. Vi uma mulher de costas cheia de bolsas de lojas famosas, senti um pouco de ciúmes dela. Quando ela se virou de frente, senti mais ainda, era tal Gena, a ex-mulher do Zacky.

            Mesmo que eu olhasse para ela, ela não saberia quem eu era, afinal Zacky foi arrumar encrenca antes que fossemos apresentadas. Pelo menos, foi isso que pensei, mas ela deu um sorriso falso a me ver, cara ela era muito linda, me senti ainda mais arrasada.

 

- Ah, era você que estava com o Zacky no Johnny’s Bar? – Dei um sorriso sem jeito.

- Não, você deve estar me confundindo com outra pessoa, desculpa. – Resolvi me virar de costas, esperava que ela acreditasse na minha mentira.

- Era você que estava com ele sim, espero que perceba que não vai gostar de você porque ele me ama. – Cara, ela estava com ciúmes de mim? Pensei.

- Por mim, você pode ficar com ele, ele é todo seu. Ah, eu sei que ele te ama, ele mesmo disse para mim. Porque vocês não voltam e vivam seu conto de fadas. – Gena ficou surpresa com a minha resposta. – Eu tenho mais o que fazer que bancar a cena ridícula de novela.

 

            Os meus olhos traiçoeiros queriam encher de lagrimas, mas eu não permiti. Saí de cabeça erguida, como se aqueles dois loucos não me afetassem. Não ia chorar mais, aquela história tinha acabado. Pelo menos, desde daquele encontro no shopping, eu nunca mais vi a Gena. Não posso dizer o mesmo de Zacky, pois ele me procurou no dia seguinte.

            No dia seguinte, eu estava finalizando o meu trabalho sobre ciúmes, estava uma bosta, mas eu entregaria assim mesmo. Depois eu recuperaria a nota, Dany abriu a porta do quarto, deixou uma cesta com biscoitinhos amanteigados em cima da escrivaninha. Eu comi rapidamente pois estava cheia de fome.

            Finalmente terminei o trabalho, salvei e coloquei para imprimir. Peguei um saco transparente para colocar o trabalho impresso, coloquei em cima da mesa, esperando terminar de imprimir. Naquele dia a impressora resolveu colaborar, isso era sinal de azar, palavras de Dany, não as minhas.

            Dany ficou com medo, pegou as suas cartas de tarot para ler a sua sorte, revirei meus olhos. Ela se sentou no chão e espalhou suas cartas. Cocei a minha orelha, sinal que alguém falava de mim, minha orelha estava quente. Quanta superstições!

            Bateram na porta, Dany recolheu suas folhas e meu trabalho terminou de imprimir, coloquei dentro saco, abrindo a minha mochila e o deixei lá em segurança. Dany abriu a porta, era Zacky, ela revirou os olhos e fechei a expressão. Desde momento em diante, eu acreditei em superstições.

 

 - O que você quer agora? – Disse num tom forte.

- Por que você disse para Gena que eu a amava? – Dany me abraçou por trás.

- Porque você não disse que isso era um segredo. – Respondi ironicamente. – Não sabia que era um segredo.

- Vocês, mulheres são todas iguais! – Fingi espanto.

- Eu digo o mesmo dos homens, vocês são egoístas e só pensam em si. Talvez seja por isso que ela tenha te deixado. – Eu o peguei desprevenido com a minha resposta. – Você só valorizou quando a perdeu, idiota. – Cruzei os braços.

- Você não me conhece para ficar falando merda. – Apontou o dedo para mim, dei um tapa no dedo dele.

- Abaixa seu dedo, não sou suas negas! Segundo, eu não quero conhecer uma pessoa ruim como você que chama uma garota para sair, fica correndo atrás da ex, igual a um cachorrinho. – Zacky foi embora e bateu a porta. – Sei que peguei pesado, mas precisava.

- Você gostou dele, está com raiva dele por não gostar de você. Está agindo como uma criança, Sammy. – Dei de ombros para que Dany disse.

- O que você quer que eu faça? Peça desculpas. – Os meus olhos se encheram de lagrimas.

- Sim, cada um segue seu rumo. – Dany abriu a porta. – Corre antes que ele vai embora, nunca mais se vejam.

 

            Corri para fora do quarto, corri pelos corredores, então vi Zacky empurrando Stan, ele gostava de saco de pancadas. Sendo que ele tinha o dobro do tamanho de Zacky, consegui alcança-lo. Segurei o braço dele, nos olhamos, ele soltou o seu braço.

            Eu segurei novamente, o arrastando de volta ao quarto, Dany saiu do quarto, praticamente o joguei dentro do quarto. Zacky estava bravo comigo, mas não importei com ele, pediria desculpas e ele faria o quiser com elas.

 

- Queria te pedir desculpas por ter dito aquelas coisas. – Zacky ficou me analisando. – Você me magoou, eu queria te dar o troco. Olha, senão quiser acreditar em mim ou não me desculpar, isso com você.

- Para o inferno com suas desculpas, Sammy. Você não pode machucar as pessoas e pedir desculpas como se fosse nada, você pode ser inteligente como todos falam, no entanto não sabia lidar com pessoas. Você vai ser uma péssima psicóloga. – Cara, isso me doeu.

- Eu já te pedi desculpas. – Disse chorando. – Estou com a minha consciência limpa, para o inferno com que pensa de mim.

 

            Zacky foi embora do quarto, chorei muito, fiquei com muita raiva dele, queria nunca mais olhar para a cara dele. Só que infelizmente, ou felizmente, não era a ultima vez que nos víamos naquele dia.


Notas Finais


Será que eles vão parar de brigar?
O que vai acontecer depois para eles se encontrar?
Beijos e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...