História Surtos - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ansiedade, Depressão, Surtos
Visualizações 13
Palavras 1.031
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Poesias, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 28 - Reflexão


Eu cansei de pensar sempre as mesmas coisas. "Eu queria simplesmente sumir" "tenho tantas coisas e ainda quero isso" "deixar tudo de lado é mesmo a melhor resposta?".

Não importa o quanto eu tente escrever algo novo sempre sai essas mesmas coisas, é como se sempre fosse sobre mim, isso me irrita. O mundo não gira ao meu redor, e se eu não me esforçar agora estarei mais que fudida no futuro. Mas quer saber? Eu quero tentar pelo menos parar de pensar nisso e escrever sobre mim, reclamar sobre tudo, e que se foda.

Acordei à pouco tempo porque dormi depois que cheguei da escola, a minha dor de cabeça estava insuportável, e eu estava morrendo de calor, portanto fui tomar um banho. No meio do barulho do chuveiro e da música que coloquei de fundo eu comecei à refletir, e não de uma maneira boa. Eu me perguntava o que eu estava fazendo, "se eu tivesse escolhido isso aquela hora, como estaria agora?". Me perdi em pensamentos e quando acordei vi que mal se passaram 5 minutos.

O barulho do chuveiro irritava, meu corpo estava quente como a água, eu queria aquele conforto da água quente, mas ao mesmo tempo não queria, não entendo porquê, às vezes apenas penso assim, apenas não quero como também quero as coisas. Não liguei e continuei no banho, mas aquilo era desgastante, a música doía meus ouvidos mas eu precisava dela ali, se não essa solidão se propagaria e eu acabaria chorando.

Percebi que não gosto do silêncio, pelo menos não quando eu percebo ele. Quando chego da escola estou sozinha em casa, e a única coisa que tenho são meus frutos imaginários, que a cada dia que passa parecem se esvair mais. Tenho medo de que eles sumam um dia, sem isso o que será de mim? A insegurança provavelmente criaria morada aqui, e eu me sentiria horrível à cada dia, provavelmente acabaria me matando.

Sentir isso é uma merda, hoje eu entendo o significado do famoso "peso nas costas", realmente parece isso. Parece que meu corpo pesa, dificulta meus movimentos, talvez isso só seja questão da minha saúde mesmo, foda-se. Me irrita também o fato de não estar saudável fisicamente, eu consigo sentir que estou fraca, que falta alguma coisa no meu corpo, mas eu não pareço me esforçar nem um pouco pra mudar isso, é como se vivesse outra pessoa dentro de mim que não liga, ela não quer se esforçar, e a vontade dela é maior que a minha de melhorar, portanto eu perco essa discussão e acabo deixando os problemas de lado, e o tempo vai passando, ela vai cada vez possuindo mais de mim, e um dia eu serei ela por completo.

Mas eu odeio ela...

Parando pra pensar agora deitada, minha cama nunca pareceu tão desconfortável como hoje. Meu quarto nunca pareceu tão pequeno e sufocante. Sinto falta do passado...

Mas me lembro de que desde que me considero como gente não sou feliz, tentei me matar com 6 anos kkkkk, eu não sabia de nada e isso é como uma piada pra mim, odeio pensar nisso como se fosse engraçado, talvez eu seja considerada louca, mas não no meu mundo imaginário. Como meu primeiro amigo imaginário disse "aqui você pode ser quem você quiser", desde aí meu quarto é o meu lugar favorito creio que do mundo.

Comecei à acreditar que a minha imaginação é a única coisa que eu preciso, mas ainda me inspiro no mundo real. Talvez eu necessite dela apenas pra me manter emocionalmente e psicologicamente, ter amigos que preenchem esse silêncio, são vozes da minha cabeça, elas aliviam a minha insegurança e o meu medo de quase tudo, elas sempre me apoiam, estão do meu lado. Mas só restou uma agora...ele parece ser tudo pra mim, é estranho eu dizer que dependo de um fruto imaginário, eu criei isso, parece um ato narcisista.

Mesmo que eu passe 80% do meu dia no meu mundo imaginario, comecei à gostar mais do mundo real, agora eu tenho amigos, bastante inclusive, e tenho certeza disso, antes eram sempre as meninas, eu não gostava das suas ações e aquilo parecia me prender. Com os meus amigos de agora eu me sinto livre quase sempre, eu posso ser a retardada que sou porque eles são como eu...ou quase isso.

No passado era mais fácil ignorar as coisas, a minha tristeza, o silêncio. Tudo era fácil antes. Viver não era um peso. Viver não deveria ser um peso pra mim, afinal, eu tenho tudo, sou uma privilegiada, claro que não sou rica, mas tenho pais que trabalham e se esforçam pra mantermos uma vida estável e ainda me darem presentes; tenho um irmão que sempre tenta ser uma boa pessoa comigo, que se esforça pra me ajudar e me fazer rir; tenho amigos maravilhosos; uma família de três gerações até que bem unidas. Mas sempre tem que ser eu.

Eu sou mais egoísta do que pensei...

De repente meu orgulho de mim mesma se tornou desprezo. Eu sabia que não deveria ser tão convencida, não sou tudo aquilo que me dizem. Mas a culpa não é dos outros, é minha, e somente minha por ser fraca e permitir que esse lado meu que eu odeio se propague. Por me deixar ser assim, por ser tão relaxada.

Consigo ver claramente nesse texto as minhas duas "personalidades", quando tenho empatia e sou egoísta ao mesmo tempo, quando ponho a culpa nos outros e logo em seguida me culpo. Antes pensei que eu era apenas confusa, indecisa, mas agora é como se eu visse a minha mente em constante conflito. Talvez seja apenas uma maneira prática (pra mim) de eu organizar as coisas, separando em metáforas malucas; pode ser também só uma maneira de eu aliviar o peso disso. Mas eu claramente não sei mais o que sou.

Não faço a mínima ideia de onde quero chegar com esse textoDe qualquer maneira foi apenas uma reflexão, e se alguém leu isso até aqui, é isso. Apenas isso. Costumo gostar de poder ser sincera, mas não sinto que posso ser aqui, mesmo assim escrevi isso e irei postar...

 


Notas Finais


Não sei se fez algum sentido mas é isso aí. Postei isso separado mas quis colocar aqui também, faz mais sentido, eu acho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...