1. Spirit Fanfics >
  2. Survival Guide For A Zombie Apocalypse >
  3. Regra III: Não se distraia e não pense

História Survival Guide For A Zombie Apocalypse - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


o terceiro capítulo finalmente saiu :)) desculpem a (mini) demora e boa leitura

Capítulo 3 - Regra III: Não se distraia e não pense


Fanfic / Fanfiction Survival Guide For A Zombie Apocalypse - Capítulo 3 - Regra III: Não se distraia e não pense

Bang Chan já havia passado por muita coisa antes de se tornar o estudante de Robótica que era agora, o divórcio conturbado de seus pais quando ele tinha apenas seis anos, a briga judicial pela sua guarda e a de seus irmãos, as diversas brigas e discussões entre ambos quando tentavam juntar a família para que os irmãos pudessem se ver, uma em específico ficou gravada na mente do australiano para sempre, quando durante o Natal os pais tiveram uma briga tão feia que acabaram atingindo o rosto de Chris com uma faca e ele foi parar no hospital. Os momentos não tão agradáveis com sua família corriam por sua mente junto com os minutos que se passavam naquela madrugada onde ele simplesmente não conseguia dormir. O vidro da janela fez outro pequeno estalo fazendo Chris saltar e olhar para fora do prédio, a rua completamente deserta e fria era a única coisa do lado de fora daquelas paredes de concreto, suspirou pesadamente e deitou novamente sem conseguir dormir mesmo seu corpo implorando por isso, sua guarda não baixava pelo pânico e o vidro estalando continuamente sem razão era um teste a sua sanidade. 

Levantou de manhã dolorido e tão cansado  quando estava na noite anterior, flashes de tudo que ocorreu ainda vibravam em sua mente fazendo sua cabeça doer de forma insuportável. Desceu as escadas frias descalço e sorriu quando seu olhar encontrou o de Minho, que parecia ter conseguido dormir tanto quanto ele 

— Você tá horrível Chris. 

O moreno falou em um tom brincalhão e voltou a cortar a panqueca em seu prato, Jisung sorriu e apontou para a cafeteira pedindo para que se juntasse aos dois amigos. Alguns minutos depois Johnny apareceu enérgico porém sério, se servindo de café e alguns pães contando sobre suas impressões sobre as criaturas da noite anterior, o estômago de Chan revirou enquanto ele ouvia ao mais velho e engolia uma panqueca cheia de melaço ao mesmo tempo. 

— E a Jiwoo estava horrível também, cheia de feridas e ela cheirava muito mal. 

— Entendi Youngho, obrigado pelo agradável papo durante o café da manhã… 

Jisung fez uma careta afastando o prato e olhando irritado para o mais alto que deu de ombros e voltou a atenção para Minho que parecia mais interessado nas descrições estranhas e desagradáveis de Seo. 

— Ia desejar bom dia mas hoje vai ser pior do que ontem, sobraram apenas dois canais de notícia e eles estão trancados nos estúdios e as únicas informações que eles tem vem das câmeras espalhadas pela cidade, ou seja, me fudi. 

Changbin entrou tagarelando e se aproximou de Jisung roubando uma panqueca do citado, que ameaçou bater no mais baixo

— Você não pode me bater, faz mal pro bebê. 

— Que bebê, seu ladrão bastardo? 

— Eu. — Jisung socou o braço esquerdo de Changbin que parou de sorrir e se sentou ao lado de Jisung e Minho 

— Bem, vamos terminar de comer e então montar um plano para sobreviver… Claro, depois de um banho e uma revisão, eu quero garantir que não existem infectados aqui. 

O olhar de Chris parou em Minho que parecia cansado e preocupado, como todos ali, o mais novo ergueu a cabeça e olhou para Chan, sorrindo ao perceber que a atenção do mais velho já estava nele. E como se lessem a mente um do outro ambos chamaram ao mesmo tempo 

— Changbin. 

O citado ergueu as sobrancelhas encarando os dois amigos com a boca cheia de panqueca

— Você tem alguma teoria? Quer dizer, sobre os zumbis. — Minho falou com a voz levemente quebradiça e Changbin ajeitou a postura limpando dos lábios sujos de açúcar 

— De acordo com os meus conhecimentos sobre Apocalipses zumbi e até mesmo algumas teorias reais… 

— Nerd, aquilo definitivamente não era coisa de filme. 

O mais baixo olhou para Chris que mantinha uma expressão impassível e os braços cruzados, passando para Minho que concordou levemente em um menear

— O que vocês dois descobriram ontem? 

— Bin, quando eu fui salvar o Youngho eu fui meio idiota e chutei a cabeça do zumbi, mas deu certo e ela voou pra longe… Mas depois quando eu cheguei aqui e conversei com o hyung ele me disse que também arrancou a cabeça de um deles, mas ele continuou vindo. 

Changbin franziu o cenho e Chan resolveu prosseguir 

— Fora que, nosso dormitório é no nono andar e eu nem ouvi o zumbi subindo, e ele subiu Changbin, o cara subiu nove andares sem nenhum tipo de apoio. 

Changbin suspirou frustrado e olhou para Jisung que encarava as mãos levemente trêmulas, sentiu o coração pesar quando o mais novo ergueu a cabeça e os olhos grandes e estrábicos se encheram de água 

— E o que vocês acham sobre isso?! 

Chan deu de ombros e voltou a brincar com os pedaços remanescentes de panqueca que estavam mergulhados no melado, Minho cruzou os braços e encarou todos no cômodo soltando um suspiro em seguida 

— Eu não faço ideia, Bin. Mas aqueles bichos não eram nada como nós imaginávamos, como nós fantasiamos… Sei lá eu só tô preocupado. 

Changbin suspirou e segurou a mão pequena de Minho sobre o balcão, tentando passar segurança para o mesmo 

— Não se preocupe, nós vamos dar um jeito. 

— Que jeito?! — todos olharam na direção do Seo mais velho que encarava Changbin com um misto de raiva e medo — Que jeito nós vamos dar?! O mundo inteiro tá infectado com essa merda e esses bichos não morrem, então me diz que jeito a gente vai dar?! 

— Binnie… 

Changbin que estava com os punhos cerrados e a expressão sombria se acalmou levemente ao ouvir a voz fraca de Jisung chamando ele

— O Johnny tem razão, isso tem alguma solução? 

— Mas é claro que tem Sung, não se preocupe, nada é definitivo e a gente vai sair dessa. 

O mais alto bufou e saiu da cozinha levando dois pães e subindo as escadas rapidamente, Changbin soltou um suspiro e logo todos começaram a sair da cozinha aos poucos, deixando apenas Chan e Minho para limpar o local 

Se passaram dois dias daquela forma, o grupo apenas se juntava para comer e logo voltavam para os seus respectivos quartos, exceto Jisung e Chan que passaram a se refugiar nos quartos de Changbin e Minho. 

Minho sentia as energias e a sanidade se esvaindo aos poucos, até o mínimo ruído era razão para que todo seu corpo se arrepiasse e sua mente recordasse do terror que passou durante uma madrugada inteira. 

No terceiro dia Youngho não desceu para o café, o que preocupou a todos, durante todo o dia não havia nenhum som saindo do quarto onde o rapaz dormia perturbando a Minho que deixava a mente girar entre todas as possibilidades possíveis. E se ele estivesse infectado esse tempo inteiro? E se ele estiver morrendo? E se ele tiver fugido? 

Depois de tanto pensar o moreno finalmente resolveu invadir o quarto do mais velho do grupo, vendo o rapaz encolhido entre a cama e o armário, as mãos trêmulas puxavam os fios morenos longos e soluços dolorosos ecoavam por todo o cômodo 

— Youngho… 

O rapaz levantou a cabeça rapidamente revelando o rosto inchado e molhado pelas lágrimas, ele parecia aterrorizado e ao mesmo tempo envergonhado 

— O que houve?

O garoto engoliu em seco e soluço novamente, soltando aos poucos os fios de seus cabelos e deixando os braços penderem para os lados, como se houvesse perdido o controle daqueles membros. Se aproximou cuidadosamente e se sentou no colchão próximo as pernas no americano

Sua mão foi em direção ao joelho do garoto e repousou ali, um sorriso fraco e acolhedor em seus lábios como se encorajasse o mais velho a desabafar.

— Eu tenho um namorado, ou tinha… 

O garoto soluçou baixinho novamente e as lágrimas voltaram a escorrer por seu rosto, Minho segurou uma das mãos oferecendo uma carícia mínima 

— Eu planejava pedir ele em casamento depois da formatura, que estava até próxima… Eu realmente amo ele, mais que tudo. Eu estou aqui trancado, desesperado enquanto ele está lá fora e eu nem sei se ele está contaminado ou se ele também tá escondido… Eu me sinto tão fraco, tão inútil. Eu só queria que ele estivesse bem, mesmo que eu precisasse morrer pra isso. 

Minho não sabia o que dizer então apenas se agachou em frente ao mais velho com os braços pouco abertos oferecendo um abraço, que foi prontamente aceito. As lágrimas de Youngho molhavam a camisa que o Lee usava, mas ele não se importou com aquilo. 

Após alguns longos minutos no quarto em completo silêncio, exceto pelo som do choro de Johnny, Minho finalmente sentiu o mais alto se soltando de si, tentou sorrir para o mais velho para acalmá-lo, recebendo um sorriso pequeno de volta. 

— Eu sei que isso não ajuda nesse momento, mas se ele estiver vivo nós vamos encontrá-lo e eu prometo que vou salvá-lo mesmo que custe minha vida. 

Johnny sorriu para Minho e agradeceu, se dirigindo para o banheiro para tentar se livrar da tensão e sensação horrível que o consumia. Minho acompanhou o mais velho com o olhar até que a porta batesse e ele estivesse sozinho, uma sensação pesada e dolorosa apertou seu peito e ele sentiu os olhos se encherem de lágrimas. Não era só Johnny que estava preocupado, sua mãe e seus amigos eram constantemente um pesadelo durante a madrugada, estariam eles bem? Ou estariam infectados? Tudo aquilo doía e ele já estava cansando de tentar parecer forte, Johnny havia desabado em três dias quanto tempo será que ele duraria até entrar em colapso. 

Não sabia quanto tempo passou ali, preso em seus pensamentos sabotativos paralisado na mesma posição, apenas se deu conta quando sentiu seu corpo sendo envolvido pelos braços grandes e quentinhos de Chan, que o encarava com preocupação. Um sorriso grande e adorável se formou iluminando o rosto pálido do loiro e fazendo as covinhas aparecerem, Minho sentiu o coração derreter com a visão adorável do mais velho e se aconchegou no abraço, encostando sua cabeça no peitoral do Bang 

— Vai ficar tudo bem, ok?! Nós vamos sobreviver e ficar famosos por termos sobrevivido, seremos ricos e nossos filhos vão ser populares no colégio. 

Minho riu das palavras de Chan e sentiu o abraço apertar, soltou um grunhido pelo aperto e logo Chris o soltou e olhou em seus olhos com a expressão um pouco mais séria 

— Minho, a gente vai sair dessa e eu sei que tudo vai ficar bem. Não desaba, o Jisung precisa de você e eu também, eu preciso de você, Minho. 

— Obrigado por estar aqui, sem você eu já teria desabado. 

Chris sorriu e ambos se levantaram para sair logo do quarto de Youngho, desceram as escadas juntos e Minho se sentou ao lado de Jisung, que lia e escutava atentamente o plano de fuga de Changbin. Logo todos do grupo estavam ali reunidos para armar o plano de sobrevivência, mas um barulho alto interrompeu o discurso de Youngho e todos os cinco pares de olhos se dirigiram para a janela grande da sala. Do outro lado, no terraço do prédio a frente, alguns zumbis se preparavam para terminar de invadir aquele prédio, Changbin agarrou com um pouco de força a mão de Han, estavam paralisados e desesperados com a ideia de que aquela região deixara de ser segura, o prédio vizinho continuava sendo depredado pelas criaturas asquerosas quando um barulho chamou a atenção de Jisung 

— Bin. Binnie. Changbin! 

Na terceira tentativa Changbin dirigiu o olhar para onde Jisung também encarava e arregalou os olhos, dois zumbis se arrastavam com destreza pela escadaria principal fazendo grunhidos nojentos ecoarem pelo cômodo principal. 

O primeiro tinha ambas as pernas reviradas e torcidas, suas costelas estavam aparentes e feridas de aspecto infeccionado estavam espalhadas por todo seu rosto. Já o outro nem ao menos possuía pernas, seu braço esquerdo estava torto, sua mandíbula estava partida fazendo com que metade de sua boca estivesse caída. O cheiro pestilento impregnava o ambiente fazendo o estômago de Chan revirar e o almoço de Minho fazer o caminho reverso por sua garganta. 

— E agora senhor Changbin, como a gente escapa daqui?!


Notas Finais


wassup mates :) como vcs estão? tem se alimentado direito?
Obrigada por todos os favs e por acompanharem a história, até o próximo cap <3

Se quiserem ler mais histórias podem entrar no meu perfil q tem várias, e me digam tbm no wattpad (msm user) tem até algumas histórias exclusivas de lá


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...