1. Spirit Fanfics >
  2. Survival Guide For A Zombie Apocalypse >
  3. Regra IV: Os planos mais idiotas são os melhores

História Survival Guide For A Zombie Apocalypse - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Regra IV: Os planos mais idiotas são os melhores


Fanfic / Fanfiction Survival Guide For A Zombie Apocalypse - Capítulo 4 - Regra IV: Os planos mais idiotas são os melhores

Encurralados. Essa era a única palavra existente para definir como os cinco se sentiam no meio daquele cômodo fechado com dois zumbis asquerosos vindo em suas direções em posição de ataque, talvez fudidos também definisse bem, mas não era o momento de pessimismos. Minho se encolheu levemente ao ouvir o grunhido de um deles, o mesmo avançava rapidamente contra o mais velho do grupo, sua única reação foi se jogar na direção do mesmo e empurrá-lo para o chão, iniciando uma reação em cadeia.

A segunda criatura avançou o mais rápido que conseguia com seus braços, deixando um rastro de sangue e secreção malcheirosa pelo chão, Chan e Jisung correram para trás do sofá e Changbin saltou pela mesa pequena da sala de estar, Johnny puxou o garoto acima de si e finalmente subiu as escadas, trazendo em sua cola o primeiro morto-vivo correndo em uma velocidade alarmante.

Minho sentia os pulmões queimarem pela corrida ao mesmo tempo que seu corpo foi praticamente arremessado pelo Seo dentro do quarto que ele usava sozinho, tentou recuperar o fôlego ao que a porta foi trancada, tentando se recordar das instruções de segurança de Changbin.

Youngho jogou uma arma em sua direção e o Lee arregalou os olhos enquanto segurava o objeto metálico

— Desde quando você tem isso?!

— Todos tem, uma das medidas de segurança... O Binnie avisou.

Ah sim, o Changbin avisou enquanto ele estava concatenando sobre sua quase morte e ele nem ao menos reparou que cada quarto tinha pelo menos três armas, sejam brancas ou de fogo, para caso de invasão.

— Temos que descer, rápido!

Chan segurava a porta com toda a força que conseguia fazer, sendo ajudado por Jisung, Changbin digitava rapidamente sobre o teclado do computador pessoal, seus olhos correndo com a mesma agilidade pela tela iluminada. Soltou um suspiro pesado e se sobressaltou com o baque forte na porta que apenas estava fechada pelos esforços de seus amigos

— Fudeu... Fudeu muito!

— Corta o drama e diz o que houve, hyung!

— Cheonan era o local mais próximo daqui com zona de contenção do "vírus", mas foi invadido! Agora é só em Daegu ou Busan.

— Que ficam do outro lado do país.

Changbin fechou o computador e suspirou, tentando entender como iriam sair de dentro do cômodo que estavam sendo que nem tinham armas, mas seus pensamentos foram interrompidos quando Chan tirou as mãos da porta com uma expressão confusa

— Parou. — ele sussurrou e Jisung também soltou a porta — Que estranho...

Um estrondo alto fez os três se abaixarem, uma fumaça estranha e de repente um som de vidro se estilhaçando precedeu os sons de tiro. Os grunhidos altos se tornaram gritos finos ao mesmo tempo que sons de passos começaram a surgir de repente.

Jisung se sentia tonto, os sons altos, o cheiro de queimado e de podre, o prédio tremia ao seu redor e ele não conseguia se mover, logo os sons estavam baixos e distantes, apenas sussurros incoerentes chegavam aos seus ouvidos, sentiu o corpo amolecer por completo e a cabeça girar, e antes de apagar apenas conseguiu ver a porta da despensa ser arrombada e uma silhueta desconhecida invadir o local.

— Isso não foi um pedido!

— Definitivamente não foi, você é um imbecil que só sabe mandar!

— Preferia que eu te deixasse lá pra morrer?!

— Preferia, melhor do que te aturar... Maninho.

Jisung sentia os ouvidos vibrarem enquanto o falatório irritante prosseguia, sua cabeça doía como nunca e o gosto metálico na sua boca não cessava. Queria abrir os olhos, mas suas pálpebras pareciam estar revestidas de chumbo, ao final na terceira tentativa ele apenas apertou os olhos e sentiu o corpo tensionar quanto uma mão afagou os seus cabelos com delicadeza

— Acho que seu amigo está acordando, Binnie.

Ouviu a movimentação apressada, sabia que o moreno estava vindo em sua direção aos tropeços, e aquele pensamento o fez rir de forma quase que imperceptível, tentando ignorar toda a dor que sentia. Quis levantar a cabeça, porém sentiu a mesma ser empurrada para baixo com delicadeza e repousar sobre algo macio

— Não se levante agora, você bateu a cabeça.

A voz desconhecida soou e Jisung se esforçou ainda mais para abrir os olhos, a imagem desfocada de um rapaz de cabelos azuis acima de si sendo a primeira coisa que viu, Changbin o encarava logo a sua frente e o Han conteve o sorriso ao ver a pontinha vermelha do nariz do mais velho

— Não precisa se esforçar agora... Ah, meu nome é Jaemin.

— Jisung.

O moreno tentou mais uma vez se levantar, e seria impedido novamente nessa tentativa, se não fosse por Changbin ter puxado seu braço e lançado um olhar ameaçador para o garoto de cabelos azulados atrás de si. Jaemin sorriu e deu de ombros, se levantando e indo em direção ao motorista do veículo onde todos estavam.

— Sung, você tá bem?

Minho finalmente falou e tocou na mão do mais novo, que sorriu e abraçou o amigo

— Eu tô bem sim, só zonzo.

— O que é perfeitamente normal... Me admira aliás você não ter sido contaminado.

Todos os olhares foram em direção ao rapaz parado a frente deles com os braços cruzados

— Como assim contaminado? — Chan foi o primeiro a ter a palavra

— Ele não foi mordido pelo que lembro...

Johnny murmurou e o azulado revirou os olhos, se aproximando e agachando a frente de Jisung

— Vocês 'tão achando que estão em um filme... — Jaemin disse em um sorriso e começou a brincar com uma mecha da franja do Han — Mortos vivos soltam uma toxina que nós ainda não terminamos de estudar, mas se ficarmos muito tempo no mesmo ambiente que eles em contato com isso, nossos genes se apodrecem e modificam.

Todos os cinco arregalaram os olhos assustados, Jisung se agarrou mais ainda a Changbin se sentindo aterrorizado e o mais velho apenas o abraçou, vendo Jaemin se afastar do grupo com um meio sorriso, Minho se aproximou de Chan e sussurrou

— O que faremos?

— Máscaras?! É uma boa... — O mais novo desferiu um tapa no braço do loiro e o encarou bravo — Não há o que fazer, Minho, vamos torcer pra não ficar mais de vinte minutos em um mesmo cômodo que zumbis.

— Eu tô falando sobre o grupo. Eles estão com medo, e se desistirem?

— Minho... — O Lee se contraiu ao sentir os braços do mais velho se fechando em torno de seu corpo em um abraço apertado — Não vamos conseguir salvar todo mundo, se alguém acabar desistindo no caminho não vamos conseguir arrastá-lo.

— Mas...

— Você tava cursando psicologia, certo?! Então use seus conhecimentos para impedir que nossos amigos desistam quando esse dia chegar.

Minho cerrou os olhos e assentiu se sentindo subitamente preocupado, havia aquela sensação palpável, pelo menos para si, de que algo estava prestes a acontecer. E aconteceu.

O carro em uma velocidade insana freou de repente e rapidamente Jaemin, um garoto de cabelos escuros e um outro com aparência infantil desceram correndo do veículo puxando armamento pesado e munições, após um sinal do líder daquele grupo o carro voltou a na mesma velocidade de antes, ou talvez até mais rápido. Changbin sentia o coração doer de tão rápido que batia, seus olhos agitados correndo pela paisagem que sumia tão rápido quanto surgia em borrões, olhou para o melhor amigo e engoliu em seco ao perceber que não era o único com aquela sensação de que algo estava prestes a explodir

— Para esse maldito carro! Você é louco?

Jisung gritou se sentindo enjoado e tentando falhamente se aproximar do motorista completamente maluco

— Não sou louco, apenas preciso chegar do outro lado em menos de dois minutos. Não se preocupem, vão ficar bem...

O mais novo do grupo arregalou os olhos e apertou se contra o corpo de Changbin, sentindo o café da manhã apressado que tomaram prestes a fazer o caminho reverso. Youngho parecia assustado mas não demonstrou, algo dentro de si dizia que aquilo não era pior coisa que estava para acontecer.

— Jisung, feche a porta!

O Han arregalou os olhos ao ouvir Jaemin chamando por si enquanto saltava novamente para dentro do carro, mas relaxou ao ver o garoto de aparência infantil fechar a porta correndo e jogar a arma sobre o banco.

— Minhyung, corre logo daqui!

O líder falou e novamente o carro começou a se mover em uma velocidade não recomendada, mas tudo pareceu tão lento naquele momento

— Para o carro! Para agora!

Johnny falou se levantando em meio a tropeços e forçando a trava da porta para abri-la novamente, sendo impedido pelo rapaz de cabelos negros

— Me larga, agora.

— Ei, cara o que aconteceu?

Changbin se aproximou e olhou pela janela vendo uma horda de zumbis correndo em direção ao carro, mas os olhos cheios de lágrimas do mais velho denunciavam que não era só isso. Minho também se aproximou e empurrou o chinês que ainda tentava puxar Johnny, olhando pela janela e segurando a mão do Seo mais velho

— É ele?

— Sim, é ele... Parem essa porra de carro.

A voz saía embargada pela garganta do mais alto enquanto todos encaravam o trio com repúdio, porém jaemin se aproximou

—Saiam de perto dessa porta a não ser que queiram que eu dê vocês de comida pra esses monstros.

Grupo esse que se afastava cada mais do carro, Johnny não se importava de se tornar um morto vivo, desde que ele estivesse junto com o rapaz contaminado que corria atrás do carro. Minho se virou com fúria estampada em sua expressão e segurou o colarinho do azulado

— Escuta aqui filho da puta, eu acho melhor você não ameaçar.

— Ou vai fazer o quê?

— Você se arrepender de não ter deixado eu morrer lá naquele prédio. Abre essa porta agora.

Jaemin e Minho se encaravam com os rostos tão próximos que as respirações chegavam a se mesclar, era possível sentir a tensão que pairava entre ambos e Chan tocou o braço do Lee tentando acalmá-lo, sabia que uma briga dentro se um carro a mais de 100 quilômetros por hora não era o que queriam

— Chenle, solta o cara e abre a porta, Minhyung para o carro.

Jaemin finalmente falou após alguns segundos e sentiu o aperto da mão do coreano em volta do colarinho diminuir, o carro desacelerou e a porta foi aberta, Johnny saiu correndo para fora e olhou para o grupo de mais de dez zumbis correndo em uma velocidade absurda vindo em sua direção, Minho o acompanhou e Chan o seguiu preocupado com o que poderia acontecer. Changbin se virou para o mais novo que ainda estava sentado encarando o grupo de amigos com os olhos arregalados, e pigarreou recebendo a atenção do mesmo

— Nós vamos?

Jisung encarou o grupo de criaturas que se aproximavam aos poucos e tremeu, mas não queria abandonar seus melhores amigos. Se levantou e tentou se aproximar do Seo, sendo impedido ao ser puxado pelo braço

— Se você for com eles, estará colocando sua vida em perigo... Fique comigo, é mais seguro.

Jaemin disse olhando nos olhos do mais baixo, que tensionou os músculos se sentindo pressionado e assustado, não sabia o que fazer.

— O que nós vamos fazer, Johnny?

Minho apertava os punhos dentro do bolso se sentindo ameaçado e perdido

— Eu não sei, mas eu não vou deixar ele... Nunca.

Minho assentiu e olhou ao redor, parando o olhar em uma loja cujo o vidro ainda estava intacto, havia 50% de chance de todos ali saírem mortos e havia 50% de chance de eles conseguirem sair dali vivos e com o zumbi. Minho suspirou e balançou a cabeça, era a única chance que tinham.

— Qual de vocês dois sabe escalar? — perguntou e viu Johnny erguer a mão — Ótimo, então sigam-me, Changbin! Eu espero você e Jisung.

O Seo assentiu e voltou a encarar Jaemin e Han, que tremia e encarava tanto o garoto de cabelos azuis quanto a ao moreno.

— Jisung, eu não posso obrigar você a vir comigo, mas eu espero que você venha, nós somos os seus amigos.

— Amigos esses que vão morrer por pura irresponsabilidade, vocês são idiotas de achar que vão conseguir sair dessa com vida.

Jisung suspirou e tocou a mão do Na, que bufou irritado e largou o braço do mais novo com delicadeza

— Sinto muito, Binnie.

O moreno foi para o fundo do carro e se encolheu ali sentindo o coração se partir em milhões de pedaços ao ver a expressão desapontada no rosto de Changbin

— Tudo bem, Ji... Espero que sobreviva pra gente se encontrar de novo por aí.

Jaemin riu fraco e fechou a porta novamente quando o Seo saiu, mas não sem antes lançar um olhar desafiador e sarcástico para o mais velho

— No fim eu sempre consigo as coisas que quero, maninho.

Changbin deu uma risada amarga e olhou para trás, saltando para trás ao ver um zumbi se jogar sobre si, em uma rápida olhada conseguiu ver Minho no segundo andar da loja ao seu lado e correu para lá aos tropeços, fechando a porta bem a tempo de impedir que o zumbi de aparência pútrida entrasse junto consigo. Subiu as escadas aos tropeços e foi recepcionado com um abraço apertado e cheiro doce mascarado pelo cheiro de gasolina, aquele era Chan e Changbin nunca se sentiu tão grato por aquele abraço

— Cadê o Jisung?

Minho perguntou fazendo um nó duplo em uma corda grossa e sentindo a garganta travar quando o Seo abaixou a cabeça

— Entendi... Me ajude aqui, eu vou arremessar o Youngho hyung e depois nós vamos descer para avenida.

Changbin arregalou os olhos e negou

— Pra avenida não, ela tá lotada...

— É a saída mais rápida, o carro do Jaemin também tá indo pra lá.

— Eles tem um carro. — falou em tom óbvio

— Nós também temos.

Minho apontou para o furgão atrás do mais alto, e Changbin sorriu fraco ao perceber que estavam em uma concessionária, começou a ajudar Minho a preparar Johnny

— Ok, esse é o plano mais estúpido e com chances de dar errado que a gente já fez — Chan falou enquanto testava as chaves no carro

— Tem algum melhor, capitão?

Chris negou em um sorriso e sorriu ainda mais quando Minho devolveu o ato, gostava do sorriso do Lee. O moreno ajeitou o nó e acenou para Johnny

— Preparado?

— Pra morrer? Sempre estou pronto pra isso.

Minho riu e mandou Changbin arrancar o vidro da janela principal, e abriu a boca assustado ao ver que já haviam alguns zumbis escalando, o lado positivo era que eles não eram tão ágeis em escalada. Ofereceu uma parte da corda para que Changbin também puxasse e viu o mais velho saltar para fora do prédio, com uma mão segurava a corda com cuidado para que não escapasse e com a outra agarrava objetos pesados para jogar nas criaturas, vendo algumas caírem de volta para o chão.

E em uma sequência de eventos tão rápida que era difícil de explicar tudo pareceu explodir ao redor de Minho. Chan sorriu largo quando o motor roncou e os faróis se acenderam, Changbin gritou quando um zumbi pulou em sua direção e acidentalmente puxou a corda, Johnny desviou de um ataque do zumbi e o puxou com pouca força pelo braço, o imobilizando e tapando a respiração. Minho sorriu fraco e puxou a corda enquanto o Seo mais novo chutava o morto vivo para fora do prédio, Youngho grunhiu de dor ao sentir o corpo ser puxado repentinamente e flutuou sobre a horda de criaturas, parando em frente a Minho, que o puxou rapidamente para dentro do carro e começou a amarrar o zumbi com a mesma corda que Johnny havia sido amarrado. Desviava o máximo que conseguia dos ataques do morto vivo, se sentindo zonzo pela falta de ar.

Chan acelerou e avançou para fora da loja, Minho enganchou a corda na porta e entrou o mais rápido que conseguiu, sentindo a adrenalina nublar sua mente enquanto o carro voava sobre o tsunami de zumbis, todos seguindo o furgão assim que o mesmo pousou no chão com um tranco forte.

Minho e Johnny seguravam a corda enquanto Changbin mantinha a porta entreaberta, Chan pensava que o motorista do grupo anterior era completamente louco, mas percebeu que na verdade ele estava mais do que certo em dirigir naquela velocidade insana. A adrenalina e o medo percorrendo suas veias ao mesmo tempo que o velocímetro marcava 180km/h e uma curva fechada se fez presente na estrada, só mais aquela curva e eles estariam na estrada principal próximo a avenida.

— Se segurem!

Chan avisou e fez a curva sentindo o carro quase tombando para o lado, mas não aconteceu e ele soltou um grito animado por aquilo, escutando Minho fazer o mesmo enquanto exibia um sorriso largo, porém ele havia gritado pois mais da metade das criaturas que os perseguiam haviam caído para fora da estrada, restando apenas quatro mortos vivos perseguindo o furgão cinza.

O carro tomou ainda mais velocidade e Chan esbugalhou os olhos ao ver o velocímetro ultrapassar os 200km/h, a avenida clara e larga finalmente despontando no final daquela rua, pisou ainda mais forte no acelerador, o cheiro de gasolina se tornando ainda mais forte e sentiu um tranco ao passar com tudo sobre três mortos vivos que estavam bloqueando a rua. Os quatro amigos suspiraram aliviados ao passarem pela extensão da avenida sem mais nenhum zumbi por ali.

A rua começou a se tornar deserta, haviam poucas criaturas, sejam mortas ou vivas, ou os dois. Johnny soltou o ar com força sentindo os olhos arderem pelas lágrimas que se formavam enquanto o corpo inconsciente de seu namorado contaminado pendia para fora do furgão, Changbin relaxou finalmente depois daquela fuga insana e Minho afrouxou o aperto doloroso na corda grossa que ainda segurava. O carro desacelerando aos poucos e ainda assim em uma velocidade considerável. Chan sorriu fraco ao passar por uma placa e olhou pelo espelho retrovisor para ver o trio de amigos na parte de trás do carro

Estamos saindo de Seoul.


Notas Finais


Wassup mates
Capítulo revisado mas eu sou disléxico então pode ter passado algo

Interajam pra saber o que vocês acham da história 🙏 e até o próximo capítulo (q é o último capítulo pronto que eu tenho, ou seja, vai começar a enrolação e a demora) peço que não desistam de mim, eu demoro mas entrego
Beijos e até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...