1. Spirit Fanfics >
  2. Survive! Or die! >
  3. Live or dead?

História Survive! Or die! - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Live or dead?


•Wycleffe On.

Eu me encontrava zonzo acho que foi o efeito do sedativo, após finalmente conseguir abrir meus olhos, eu me via em uma maca, e o local parecia um quarto de hospital, exceto por ter várias coisas de testes, tinham papéis nas paredes tinham número, dias, "X" e umas caveiras, então eu cheguei a conclusão de que eu estava em um laboratório do Cruel. Olhei desesperado por todo o quarto, até que meus olhos pararam em uma menina, especificamente uma Hinata cansada, ela estava acordada, mais estava ferida, perto do peito.

Hinata– há! Oi baixinho!– a mesma parecia exausta demais.– você demorou pra acordar...

Wycleffe– Como assim eu demorei pra acordar?

Hinata– Você dormiu por quase dois dias... Sorte a sua, eles já começaram os testes em mim– a última frase foi basicamente sussurrada, não pude ouvir direito.

Wycleffe– Hinata, o que você quis dizer exatamente? Eu não ouvi direito a última frase.

Hinata– Eles começaram a testar a cura em mim... Espero que achem logo, não quero que você sinta a sensação das agulhas te perfurando....É.... É torturante! O processo deles! Eles te drogam, te amarram em uma maca e injetam em ti, e eles continuam sem resultados positivos– Se eu olhasse bem pra Hinata eu podia ver o desespero nos olhos dela, ela parecia traumatizada, e seus olhos já estavam sem vida.

Wycleffe– Então, eles basicamente nos usam como cobaias involuntárias?– ela assentiu, logo passos ecoaram no piso, e pudemos ver dois homens fortes vindo em nossa direção.

X– Finalmente o garoto acordou! Agora temos mais um para os experimentos! Vamos os dois, levantem e não tentem nenhuma gracinha– A voz dele era ríspida– Você sabe o que aconteceu da última vez né garota?– olhei pra Hinata e só então reparei que ela tinha marcas de dentes e roxos pelo corpo. Logo eles nos pegaram pelos braços e foram nos arrastando pelos corredores, até chegarmos em uma sala cheia de agulhas, macas com cintos presos as mesmas, facas e vários tipos de coisas que não sei descrever.

•Hinata On.

Eu me arrepiava só de saber que eu teria de passar pelo mesmo processo. Logo somos postos em macas eu já sentia as lágrimas descerem pelo meu rosto, logo sinto meus pulsos e pernas serem presos por cintos na maca, e procuro Wycleffe e vejo que o mesmo se debatia suplicando para que o soltassem, vejo que eles dão tapas no mesmo para que ele se calasse, depois ele começou a lagrimar, sinto alguém segurar meu braço e olho pro indivíduo, vejo que era o mesmo homem da última vez.

XX– Oi docinho! Vejo que ainda tem marcas, da sua rebeldia– ele dizia aquilo sem emoção na voz, mais ainda sim era nojento cada som que ele emitia.

Hinata– Você tem muita sorte por eu estar incapaz de te estraçalhar, começa logo com essa merda! Eu não me importo com nada com tanto que poupem ele! Ele é uma criança! Pode não ter a mentalidade de uma na maioria do tempo, mais porra ele não tem resistência como eu e você seu merda!– após eu dizer a última palavra ele aperta meu maxilar com força.

XX– Você cale sua boca vadiazinha! Se não será que nem dá última vez!– ele dizia a centímetros do meu rosto, depois pôs uma mordaça em minha boca e me furou com uma agulha grossa, depois eu senti o líquido entrar em mim, e a dor tomou conta do meu corpo, ele tirou a agulha e se afastou, eu tinha a sensação de que meu corpo queimava, logo eu ouvia gritos e choros, olhei agoniada com a visão embaçada pelo lugar e vi um menino inocente e loiro passando pelo mesmo processo que eu, me cortava o coração saber que ele devia sentir o dobro da dor que eu sentia – a imunidade dos mais novos é maior então  eles usam uma injeção mais intensa, assim sendo mais dolorosa – eu comecei a tentar  gritar pedindo que parassem de torturá-lo, porém foram tentativas falhas, eu fiquei agoniada tentando me soltar e a dor não parava, minha cabeça rodava, me sentia drogada e incapaz de proteger uma criança, senti braços me segurarem me impedindo de movimentar o meu corpo, depois senti minha pele ser perfurada novamente e senti meus olhos pesarem e eu tinha a sensação do meu corpo ter ficado pesado de repente, e logo eu desmaiei.

║ 30 minutos depois ║

Eu acordei e eu estava presa por quatro correntes, duas nos pés e duas nas mãos, pude ver Wycleffe com roxos na cara e preso a uma cadeira

Hinata– Wheller? Wheller acorda!!– Eu chamava o mesmo que se remexia. Eu não acreditava que eu estava naquele lugar de novo, e se eu estava lá junto do Wycleffe, era pq ele ia sofrer junto de mim.

XX– Finalmente acordaram! Agora podemos começar a diversão!– Um sorriso sacana e sádico brincava em seus lábios.

Hinata– Vai me dizer que você vai machucar ele também?– digo me referindo ao mais novo.– Porque se for, por favor deixe ele de fora! Eu levo por mim e por ele! Mais por favor não machuque ele!– Ele havia parecido gostar da ideia, então concordou. Após isso eu olhei para o mais novo e comecei a chamá-lo pelo seu sobrenome.– Wheller! Acorde! Por favor.– após isso ele murmurou alguns resmungos e levantou a cabeça um tanto desnorteado, depois de supostamente focar sua visão ele fez uma cara de espanto, depois sua face assumiu uma expressão de dor.

Wycleffe– Aí! Tudo em meu corpo dói!– ele tentando se mexer, o que foi em vão pois o mesmo está amarrado a cadeira.

XX– Anda garoto! Você vai ver como nois nos divertimos por aqui.– após ele dizer isso foi para trás do mais novo e puxou sua cabeça, assim o fazendo olhar para mim, ele tinha uma expressão de dor no rosto, seus hematomas deviam doer. Dois homens entraram dentro do local, e eles tinham objetos que eu não consegui distinguir por conta da fraqueza, meus olhos pesavam.

XX– Agora você!– Ele disse vindo em minha direção, depois pôs a sua mão direita em meu rosto de uma forma bruta, a qual me causou dor– Hansel traga meu Soco-inglês, vou precisar dele...– Ele sorriu de uma forma um tanto.... sádica. Após ele dizer aquilo, eu arregalei meus olhos, ele iria fazer o que eu pensava?

Hinata– Comece logo com isso! Por favor! Quanto mais rápido melhor!

XX– Ô meu anjo... Eu gosto de fazer as coisas com calma, sabe? Você devia ter aprendido isso!– Agora ele segurava meu rosto com a ponta dos dedos, suas unhas eram grandes o suficiente para machucar meu rosto a ponto de perfura-lo. Logo depois um cara chegou com um... Soco-inglês e uma faca com a ponta afiadíssima, depois passou para o cara a minha frente, o mesmo se afastou de mim e me avaliou da cabeça aos pés, logo depois pôs a faca em suas mãos e começou o que ele chamava de "diversão", ele passou a faca delicadamente pelo meu corpo, a faca era gélida, o que me causou arrepios, ruins de preferência, logo depois ele pressionou ela contra a pele de meu braço, assim fazendo um corte no mesmo, ele começou a escrever coisas... Coisas que eu não conseguia ver com clareza, mais eu sabia que eram frases totalmente ofensivas. Depois fez a mesma coisa no meu outro braço, depois pernas, barriga e costas, eu me contorcia em meio a dor e agoniação, tamanho era meu sofrimento. Então eu pude ver ele sorrir, estava claro que era prazeroso para ele ser o autor do sofrimento dos outros, então ele pôs um Soco-inglês em cada uma de suas mão, e começou a desferir socos com uma força dilacerante em meu corpo, eu gritava em meio a uma dor agonizante, ele parecia se divertir com meu sofrimento e eu ouvia choros atrás dele, era o Wheller mais novo... Chorando. Minha visão começou a ficar turva novamente, minha audição ficou distorcida de repente, e quanto mais eu gritava de dor e chorava agoniada mais ele me socava, eu sentia meu sangue escorrer por todo meu corpo.

Wheller On.

Eu me encontrava em prantos naquele momento, o "cara" socava Hinata com o Soco-inglês sem dor nem piedade, ele parecia se divertir com a situação e o cara que segurava minha cabeça também "gostava" da cena a sua frente.

       Escorria sangue por todo o corpo de Hinata tamanha eram os cortes, perfurações e o sofrimento na mesma, logo depois ela foi... Foi parando de gritar e se agonizar, ela estava ficando fraca o suficiente para não conseguir continuar consciente, logo ela ficou inconsciente e ele parou com sua "diversão" e foi embora. Eu chorava muito por saber que ela havia sofrido por ela e por mim, ela me protegeu de tamanho o sofrimento, Hinata foi muito corajosa, ela e nem eu, nem ninguém que estava sendo aprisionado nesse local merecia estar aqui, eu queria sair dali... Vivo se possível, mais não sabia como, e nem quando. Então no momento eu me encontrava em um galpão abandonado olhando uma pessoa importante pra mim sofrer por ela e por mim, aquilo era horrível de se ver a cena era  horripilante! Lágrimas acumuladas desciam sem permissão por minha face, então eu senti uma possível "agulha" perfurar meu ombro violentamente.

XX– Agora pirralho, você vai sofrer! Não na mesma intensidade da mocréia alí! Óbvio, mais vou adorar te ver sofrer!– A voz feminina atrás de mim dizia tudo de uma forma com ressentimentos e ódio, ela parecia não gostar de mim e ter ressentimentos e ódio direcionados a Hinata, eu não sabia qual era o motivo de tanta....raiva.

       Logo senti tudo vindo de uma forma intensa, tontura, enjôos, dores, náuseas, delírios e etc. Aquilo devia ser um tipo de droga forte, heroína talvez, eu não entendo de drogas, só sei do que meu pai já havia comentado certas vezes, como cocaína, maconha, heroína, crak êxtase e etc. Minha visão foi ficando distorcida, risadas e vozes descompassadas iam se misturando em minha cabeça, logo eu via coisas sem sentido, como três olhos, cinco mãos, corpos–como gêmeos siameses– fundidos e várias outras coisas.

––––––––––––––––––––––––––––––––

Olá! Quem é vivo sempre aparece né? Desculpa ter sumido por éons! Assumo que a preguiça me comssumiu junto com minhas crises, mais eu já estou melhor! Bem, aqui está um novo capítulo! Ele está muito curto! Sinto muito por isso gente! Sinto muito mesmo! E mil desculpas por qualquer erro ortográfico! Bem, boa noite/tarde/manhã!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...