História Survive Will Be Just The Beginnin (BTS) - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 45
Palavras 1.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Survival, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, amores. Tudo bem com vocês?

Aqui estamos nós para mais um capítulo.

Tenham uma boa leitura. ❤

Views em Epiphany wow

Capítulo 39 - Explosão


Fanfic / Fanfiction Survive Will Be Just The Beginnin (BTS) - Capítulo 39 - Explosão


CAPÍTULO 39


O shopping center limpíssimo e iluminado era completamente diferente da vida dura e sem leis dos Youngers, que têm que ir atrás de prédios abandonados para morar. Guardas de segurança Olders mantinham a vigilância do lado de fora das lojas, examinado cada Younger que passava com um olhar duro feito aço. 

Este Lugar era um shopping de classe alta mesmo antes da guerra de esporos que ampliva a divisão entre ricos e pobres. Embora nem todos os Olders fossem ricos e nem todos os Youngers fossem pobres, era assim que as coisas apresentavam ser.

Os Youngers adotados que viviam em mansões como eu, sempre consegui os distinguir das pessoas como eu. Que receberam tratamento de cosméticos no banco de corpos.  Os "Metais", disse aquela garota. Esses Youngers do shopping eram bonitos porque tinham condições financeiras para isso. Tinham os melhores dermatologistas, dentistas e cabeleireiros, e todos os cremes e produtos de beleza que seus avós podiam comprar. A guerra dos esporos não chegou a afetar seu seus hábitos de consumo.

Parei e fiz um exame de consciência. Ali estava eu, julgando aqueles Youngers, mas eles também perderam seus pais. Talvez seus avós não os tratassem tão bem, poderiam ser frios e cheios de ressentimentos ao ver, todos os dias, aqueles rostos que os lembravam dos filhos e filhas que perderam.

A guerra dos esporos transformou todos nós.

Cocei a parte de trás da cabeça e olhei ao meu redor, esperando encontrar uma loja de calçados. Jimin me disse que eles iriam comprar sapatos. Combinamos de nos encontrar na praça de alimentação, mas com a minha missão de alimentar os pobres falhou, eu estava adiantada. Engoli em seco, pensando naquilo. Jimin eu tinha razão. Eu não devia ter ido sozinha. Deveria ter me lembrado do que aprendi nas ruas: Nunca tire a mão da sua bolsa. Nunca fique de costas para a entrada. Esteja sempre pronta para brigar. Todo aquele trabalho para alimentar apenas dois Youngers, que saíram correndo sem sequer agradecer. 

Concentrei minha atenção na aerotela de informações localizada no meio do shopping.

_Loja de sapatos. - disse ao microfone Invisível.

O sistema destacou a loja no mapa e projetou um holograma. Era a única loja de artigos esportivos do shopping. Conhecia Namjoon muito bem e sabia que ele estava experimentando todos os modelos da loja. Eu precisava socorrer Jimin. 

Fui em direção à loja e, no caminho, passei por uma avó Older que se apoiava no braço de uma bela Younger, provavelmente sua neta.

Ela é um colírio para os olhos.

Parei no lugar onde estava.

Era aquela voz artificial e eletrônica na minha cabeça, e me fez ranger os dentes. 

O velho.

Olá, S/N. Sentiu saudades de mim?

_Não. Nem um pouco. - disse, me esforçando para falar de maneira tranquila. _Longe dos olhos, longe do pensamento.

Esperta.

Me lembrei de que ele era capaz de ver através dos meus olhos. Coloquei as mãos atrás das costas para que ele não pudesse vê-las tremendo. 

Duvido. Tenho certeza de que você pensou em mim o dia inteiro. A cara hora. A cada minuto.

_Você tem que se intrometer em tudo, não é? - senti vontade de gritar com ele, mas os guardas pensariam que eu era louca.

Olhei para os guardas. Será que olhavam para mim porque eu estava falando sozinha? Não, eu poderia estar usando um microfone ligado a um fone de ouvido. Talvez tivessem percebido meu nervosismo. Não que pudessem fazer alguma coisa para me ajudar. 

_O que você quer?

Quero sua atenção, completa e irrestrita. E você vai querer que eu a tenha.

Senti um calafrio correr pelo corpo.

Olhe à sua esquerda e me diga o que está vendo.

_Lojas.

Continue olhando.

Virei para a esquerda.

_Bem... uma loja de chocolate, uma joalheria, uma loja que está fechada.

Você não está olhando com atenção. O que mais?

Dei alguns passos.

_Pessoas fazendo compras. Olders com alguns netos, alguns Youngers...

Sim. Youngers. Continue olhando.

Meus olhos examinaram a área. Será que ele quer que eu encontre algum Younger?

_Estamos brincando de está quente, está frio? 

Na verdade, estamos brincando de que está quente, está quente. Mas daqui a pouco você vai perceber que não estamos brincando.

Fiquei parada no meio do shopping, e tanto Youngers quanto Olders tinham que se desviar de mim. Ele queria que eu visse algum Younger. Havia vários deles.... mas qual? Foi então que eu vi uma garota de longos cabelos vermelhos. Eu a conhecia.

Jihoo.

Ela era a doadora que minha guardiã, Sook, alugou para procurar por sua neta. Me lembrava de Jihoo como uma amiga, mas a amiga, é claro, era Sook. A verdadeira Jihoo não me conheceria, porém, eu tinha muitas coisas para lhe dizer.

_Jihoo! - Eu a chamei.

Estava linda como sempre, com um vestido estampado curto e sapatos com salto não muito altos. Me esquivei das pessoas para me aproximar dela. Ela estava a cerca de três metros mais adiante quando parou e se virou.

_Sou S/N. - disse, me aproximando, e as pessoas iam e vinham ao nosso redor. _Você não me conhece, mas eu conheço você.

Ela me olhou de um jeito muito estranho, nunca vi coisa igual. O canto da sua boca se ergueu num meio sorriso, mas não foi um movimento fluido. Foi algo mais... mecânico.

Tinha alguma coisa errada.

Ela rapidamente me deu as costas e se afastou.

_Espere! - gritei.

Mas ela continuou dando. Um Older caminhava logo atrás dela. Normalmente, eu não repararia naquele homem, mas ele tinha uma tatuagem enorme na lateral do pescoço. A cabeça de um animal. Não consegui visualizar direito o que era. Um leopardo, talvez.

_Era Jihoo, não era? Você queria que eu a visse? 

Eu sempre posso contar com você, S/N. 

Será que Jihoo sabia que o Older com a tatuagem de leopardo estava seguindo ela? Eu não tinha certeza. Quase correndo, ela entrou em uma loja. Ele foi até a seguinte loja, fingindo estar interessado nas gargantilhas de pérolas expostas na vitrine.

 Dei um passo em direção a loja.

Não. Deixe Jihoo em paz.

Ela saiu minutos depois, e o homem com a tatuagem de leopardo continuou a segui-la. Fique para trás, mas continue os seguindo e observando.

_Ela está em perigo. - disse ao velho.

Você verá.

Uma sensação horrível de pavor tomou conta de mim.

_Tem alguém dentro dela? 

O banco de Corpos foi destruído, mas o velho tinha acesso a mim. Ele poderia estar dentro do corpo de Jihoo também. Só de pensar nisso meu estômago embrulhou. Aquela voz eletrônica. A tatuagem de leopardo. O corpo de de Jihoo sendo usado.

A loja de calçados esportivos ficava mais adiante, bem na frente de Jihoo. Namjoon e Jimin estavam entrando. 

_Jimin! - gritei no meio do shopping,  esperando que ele me ouvisse em meio às pessoas e à música. Havia seis ou sete lojas entre nós. Ele parou e olhou ao redor, mas não me viu. E entrou na loja.

Jihoo deve ter me ouvido porque ela se virou e olhou fixamente para mim. O homem tatuado a alcançou. Ele disse algo em seu ouvido e ela balançou a cabeça negativamente com um movimento artificial. Ele a tocou no braço e ela, ou a pessoa que estava dentro do dela, se desvencilhou

_O que está acontecendo? - Eu estava paralisada, lutando para resolver esse enigma bizarro. _Me diga.

Você destruiu a BH, mas isso não significa que me destruiu. Não era minha única base. Ainda posso acessar qualquer chip.

Jihoo se afastou do homem e correu em direção à loja de sapatos. 

E posso transformá-lo em uma arma.

_Não. - eu disse para ele, para mim mesma, para todas as pessoas a minha volta.

O tempo parou, prendi a respiração. Tudo aconteceu rápido demais. A multidão à minha volta se tornou um borrão congelado no tempo e eu saí correndo em direção à loja. Parecia que eu estava correndo debaixo da água, não conseguia me mover rápido o bastante. 

Eu estava a duas portas de distância da loja quando, como uma bala disparada por um revólver, um Younger de cabelos escuros com uma jaqueta de couro veio em minha direção.  Consegui ver seu rosto de relance. Queixo forte,  olhos penetrantes. Ele se atirou contra mim, jogou os braços ao redor do meu corpo e me arrastou para trás o mais rápido que pôde. 

Antes que reagisse, houve uma explosão horrível, ensurdecedora, no lugar onde Jihoo estava. Enquanto voávamos pelo ar, só vi um clarão branco e ofuscante.


Notas Finais


Eta porra.

O velho não para, meus amigos.

Espero que tenham gostado e até o próximo capítulo (Views em Epiphany)

Beijooos❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...