História Survivors - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Daryl Dixon, Personagens Originais, Rick Grimes
Tags Daryl Dixon, The Walking Dead
Visualizações 771
Palavras 1.444
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha eu aqui, obrigado pelo apoio

Capítulo 2 - O começo do desastre


Fanfic / Fanfiction Survivors - Capítulo 2 - O começo do desastre

     Paloma Grimes 

 

  

 

 Acordo, com com a luz forte do sol no meu rosto. É domingo e o Rick resolveu ir trabalhar. Ai eu penso comigo...Quem gosta de trabalhar, em dia de domingo? Mas analizando bem as coisas no cafofo Grimes, dá até para relevar. 

As brigas de Lori com Rick, estão mais intensas, então entendo o que ele tá fazendo, para se manter longe de casa. Acabou, que sobrou para mim, aguentar o mal humor diário de Lori. Na boa! Eu nunca fui muito com a cara dela, desde que se casou com meu irmão, mas fazer o que né, era escolha dele e mesmo que alguém falasse algo, Rick a defendia com unhas e dentes. 

Me levanto descabelada da cama, a contra gosto e sigo até o banheiro, para fazer minha higienes matinais necesssária, para ter um ótimo dia. Depois de pronta, eu desço para tomar café da manhã, na esperança de não olhar para cara de Lori. O primeiro que eu vejo na cozinha, é o Carl. 

-Bom dia! -Ele diz, até muito feliz pro meu gosto, porque no caso, os pais dele brigaram ontem e ele viu. Só assim, para aqueles dois prestarem atenção em Carl.  

-Bom dia! Cade sua mãe? -Pergunto, percebendo que ela não estava no comodo.

-Foi ao mercado. As coisas entre ela e meu pai, não estão boas não é? -Me pergunta na lata e eu fico sem saber o que fazer. Ele não é burro e entende pelo menos um pouco, das coisas.

-Olha Carl, não sou a melhor pessoa para conversar com você, sobre isso. -E realmente eu não era. Não faço ideia de como começar a falar sobre, não tenho o mínimo de experiência, no assunto. 

-Acha que eles vão se separar? -Tem um pouco de ansiedade, na voz e também preocupação.

-Não. - Tentei convence -lo. 

Então o telefone começa a tocar alto, na parede da cozinha, onde estava preso. Eu corro para atender, pensando ser alguma emergência ou Rick querendo saber de Carl, mas era apenas o meu  namorado Josh, do outro lado. 

-Oi amor. Como você tá? -A voz dele era tranquila, a não ser pela música alta de festa, no fundo, que no caso eu não liguei. 

-Você falou comigo ontem à noite. -Digo, praticamente descontando nele os problemas de casa. E também, não me importava com isso. 

-Nossa!! Paloma. Acordou virada, hoje. -Sinto, que ele estranha meu comportamento, um tanto agressivo. 

-Ah...Desculpa. É que eu ando estressada, com os problemas de casa. -Me sento na cadeira, ao lado de Carl. 

-Então, porque não vem aqui em casa. Tenho um método, que vai te relaxar rapidinho. -Eu entendi qual era o método e com certeza NÃO.

-Desculpa amor, mas não. Amanhã tem aula e o Rick não deixa eu dormir na casa de ninguém. -Tentei colocar o Rick no meio, para ele parar. Eu não estava pronta ainda, era virgem e sinceramente, não estava com a menor vontade.

-Tá! Então deixa. -Vi a frustração dele, só pela voz. -A gente se vê na escola, amanhã.

-Tchau!!

Eu desligo o telefone e finalmente posso tomar um delicioso café da manhã, com achocolatado e nutella. Sei que é muito chocolate, mas eu adoro. Admito que sou chocólatra. Carl me olha, com seu sanduíche natural nas mãos e ri, de como eu como. Não resisto à chocolate bem na minha frente. 

Já quase acabando de comer, meu celular resolve tocar, me dando até um susto. É Pedro do outro lado. Menos mal, pelo menos não vou ser induzida ao sexo ou receber sermão. 

-Oiii Miss Jackson. -Ele fala empolgado. Como sempre, quando está comigo. 

-Oi. -Repondo simplesmente, rececendo até os olhos de Carl, sobre mim.  

-Cara, que bicho te mordeu? -Pergunta, um tanto preocupado. Meu desanimo de hoje, está batendo o recorde.

-O bicho de sempre, Lori e Rick. -Pisco para Carl, que rir do meu comentário. 

-Ata...Mas Paloma, precisa parar de se martilizar por isso. Vai acabar velha mais cedo. - Me diz rindo, feito um idiota, mas é um ótimo amigo. 

-Sabia que você é um idiota? - Digo, sem humor nenhum.

-Sabia. Seu namorado fez questão de dizer isso sexta, quando me praticou bullying.-Desaprovo isso, mas dar uma bronca em Josh, é igual a falar com uma parede. Se duvidar, a parede ainda me escuta melhor. 

-Ele tem ciúme. Você é mais próximo do que ele, de mim. - Tento amenizar a situação, mas dou razão a Pedro. 

-Ele só quer te comer e largar, igual fez com as outra. Aposto que já te pediu, pra ir hoje, na casa dele. -O jeito dele, mostrava a indignação, porque ele é meu melhor amigo e se preocupa comigo, igual Rick. 

-Acertou, mas larga pra lá. Ele já viu que eu não sou tão fácil.

-Tá...vou aproveitar o domingo sozinho. Meus pais viajaram. Até amanhã.

-Até ...

Eu desligo o telefone, mas ainda fico encarando o aparelho. Vejo Carl jogando video game e resolvo subir, para escutar música e estudar. Fico o dia todo no quarto, nem para almoçar eu deço. Ver o clima tenso, durante a refeição, tira o apetite de cada um.

 

 ***


 Dia segunte ...

 

 

Levanto da cama, com Evanescence tocando no alarme do celular. Cambaleante, vou tomar banho e ponho uma regatinha preta, com calça jeans e bota marrom. Deço e encontro com todos tomando café, em silêncio mortal. Não digo uma palavra e nem sento para comer, mas meu irmão resolve puxar assunto.

-Ei...Como você tá? Dormiu bem?

-Vai levar eu e o Carl na escola?- Pergunto seca. Meu humor é negro, de manhã e o clima não estava bom, a muito tempos.

-Vou, vamos Carl. -Ele ignorou meu mal humor e beijou minha cabeça apenas. 

Abraçei de lado meu sobrinho e fui caminhando até a porta da frente. Nem mesmo comi ou falei com Lori. Entrei no banco ao lado de Rick e Carl atrás. Passamos o caminho inteiro, em total silêncio. Esse nunca tinha sido nosso clíma habitual. 

Chegando no colégio, eu beijo o rosto do meu irmão e sinto, que pode acontecer alguma coisa ruim, mas saio do carro mesmo assim. 

Carl corre para perto dos amigos e eu vou para o meu armario, localizado na área do ensino médio. Como normalmente acontece nos dias de aula, os corredores estão lotados de alunos arruaceiros. Apenas pego minhas coisas e o meus livro, no tempo que Josh chega, carregando o time atrás. 

-Oi gatinha. -Chega já me beijando, na frente de todo mundo. -Tá melhor hoje? -Ele continua me segurado pela cintura, me mantendo perto.

-To. -Respondo. E realmente eu estava. O beijo com muita vontade, pois estava precisando relaxar. 

O sinal logo bate e eu caminho com Josh, até a sala de aula. Até agora, não vi Pedro por ai, nem ao menos sua sombra. Quando eu entro na sala, ele já está sentado e olhava torto, para Josh. 

Eu sento ao seu lado e meu namorado, com uns amigos do time. O professor logo chega e assistimos à aula chata de geografia, que chega a dar sono. 

Depois, saimos para o intervalo. Eu e Pedro sozinhos, mas ele completamente quieto do meu lado, desde a aula. Josh passar pela gente e me beija no rosto, Pedro olha torto, como sempre, mas não fala nada. 

-Seu jeito quieto, tá me assustando. - Digo sem rodeio.  -Aconteceu alguma coisa?

-Não. Só estou quieto por esse momento. -Dá de ombros e eu fico cada vez mais intrigada, com esse garoto. 

-Tá ... vou fingir que acredito.

- Não é nada, juro.

-Não tem nada a ver com Josh? -Pergunto desconfiada, mas não vejo expressõe, que respondessem as minhas perguntas. 

Pedro me encara e não diz nada. Pego meu lanche, com a mulher da cantina, e procuro por uma cadeira e uma mesa vazia. Ele puxa uma do meu lado, ainda quieto. Esse menino tá estranho. 

Depois de comer, a gente volta para a aula e somos liberados no final do dia. Eu me despeço de Pedro, que segue seu caminho e procuro Carl, na ala do fundamental. Ando ao seu lado, até a saída, onde esperamos por Rick, ele sempre vem nos buscar. Não o vejo, só Lori e Shene - o melhor amigo de Rick -, conversando. Ela parece aflita e quando nos vê, deixa o lado de Shane e se aproxima.

-Preciso dizer uma coisa, terrivel, que aconteceu. -O tom dela não me agradou, nem um pouco. -Com o Rick... -Ai, já me assustei e me alterei.

-LORI, PELO AMOR DE DEUS, FALA DE UMA VEZ!!!! -Eu assustei até o Carl, que começou a chorar.

-O Rick tomou um tiro...

Não meu irmão não.

 


Notas Finais


Obrigada por lê


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...