História Sussurro (Ateez) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias 2NE1, 4Minute, ATEEZ, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Cl, Ga Yoon, Hongjoong, Hyun A, Jeon Jungkook (Jungkook), Ji Hyun, Ji Yoon, Jongho, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Mingi, Minji, Park Bom, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, San, Sandara Park, Seonghwa, So Hyun, Wooyoung, Yeosang, Yunho
Tags 2ne1, 4minute, Ateez, Bangtan Boys (BTS), Fantasia, Ficção
Visualizações 43
Palavras 4.361
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hoy lindezas <3

Voltei mais cedo, mas só porque estava mega empenhada a escrever :v
Ainda estou tentando detalhar todos os personagens, mas eu confesso que está sendo muito difícil!
Eu que lute 😔
O que deu em mim de colocar tantos personagens de uma só vez?

Eu espero que curtam este capítulo do início ao fim e me desculpem pelos errinhos :3

Capítulo 3 - Capítulo 2


A princesa parecia estar paralisada na frente do jovem príncipe, mas um pigarreio de seu pai acabou fazendo que o mesmo a soltasse lentamente e voltasse ao seu lugar perto de seu tio. Lys o seguiu com os olhos enquanto recuava para o lado de seus pais e de sua irmã, que agora já se encontravam no pé da escadaria. O rei Kim Namjoon olhava para a filha com desgosto, via Lys como um fardo e total distração para a herdeira do trono, mas não lhe deu muita importância no momento. Ele tinha que manter a sua compostura, pois estava frente a frente com os líderes dos pilares continentais e não queria lhes causar uma má impressão.

A rainha Hyuna olhava fixamente para o rei a sua frente. Este possuía de um corpo esbelto e musculoso, uma vez que havia treinado a sua vida inteira para se tornar não apenas um grande rei, mas também um forte cavaleiro. Suas mãos eram grandes e os seus cabelos eram brilhantes como de fios de seda. A rainha do reino Anil nunca havia se sentindo tão estranha diante de um homem em toda a sua vida. Podia sentir o seu coração bater mais rápido e suas mãos suarem ao vê-lo se aproximando cada vez mais. “O que está acontecendo comigo?” a rainha se perguntava. O rei Namjoon tirou os seus braços do enlace que estava a fazer com a sua esposa e logo começou a se aproximar de seus convidados para a devida recepção:

– Sejam todos muito bem vindos ao palácio Coral! – sua voz firme era muito bem escutada por todos ao seu redor. O rei andava calmo afim de poder olhar para todos os seus convidados com cautela. Ele tinha um ótimo sexto sentido e conseguia avaliar muito bem as pessoas apenas pelas suas vestimentas e reações ao escutá-lo. Não era à toa que suas filhas o achavam tão minucioso – Eu espero que tenham tido uma boa viajem! – com essas palavras foi visto, quase que instantaneamente, todas as cabeças balançarem em concordância – Como reis, rainhas, príncipes e princesas que são, o general e as minhas duas filhas estarão lhes mostrando os seus respectivos aposentos no palácio. – ele se virou e deu uma breve olhada para as filhas ao lado da mãe. Lya deu um sorriso orgulhoso para o pai, ela estava ansiosa para tal responsabilidade, mas Lys apenas abaixou a sua cabeça pois ainda estava envergonhada de seu descuido há minutos atrás – Nós nos encontramos no jantar na sala ao norte, e só então, teremos a nossa reunião e demais pautas necessárias. – o rei se virou mais uma vez para voltar ao lado de sua esposa enquanto todos começaram a cochichar sobre os seus aposentos e devido descanso – Por agora, descansem bastante e não relutem em pedir qualquer ajuda ou serviço que mereçam. Muito obrigado por virem! – o rei e a rainha se curvaram em silêncio e seguiram para a esquerda, enquanto o general Seokjin tomou frente e começou a fazer as divisões dos reinos para levá-los aos seus aposentos.

A princesa Lya, que estava extremamente animada, se ofereceu para levar dois reinos ao invés de um. O general havia ficado relutante no início mas logo cedeu a princesa o reino Cobalto e o reino Turquesa. Ambos os reinos concordaram e seguiram para a ala oeste com a princesa Lya como guia. Agora, restando apenas dois reinos, o general resolveu permitir que Lys fizesse a sua escolha, já que a sua irmã teve este direito. A mais nova olhou para as pessoas a sua frente e percebeu que o príncipe, no qual não estava dando a mínima importância para as palavras de seu pai, ainda permanecera ali, então escolheu o reino Violeta. Iria se juntar ao príncipe que lhe salvou mais uma vez, mas pelo menos não iria ter que lhe dar com pessoas frias e desinteressadas. O general concordou com a princesa e começou a guiar o reino Anil para o sul enquanto Lys virou para o outro lado, guiando os Violeta para a ala leste.

[∞∞∞∞♦♦♦∞∞∞∞]

Ao oeste do palácio, a princesa Lya mostrava calmamente todo o caminho que estes traçavam até chegar aos aposentados dos reinos Cobalto e Turquesa. O príncipe Hongjoong estava encantado com tamanha beleza de Lya assim como os outros quatro príncipes do reino Turquesa, mas nada podiam fazer com os seus pais por perto. Rainha Minzy, ainda encantada com cada canto do castelo e com as lembranças que tinha de sua infância com a rainha Gayoon, nem se deu conta de que seus filhos e marido já estavam tramando algo para o jantar daquela noite. Yeosang, e seu pai Taehyung, estavam pensando em soltar um rato durante o jantar para poder dar uma animada no castelo. Ambos não gostavam da seriedade que fora imposta pelo reino, afinal de contas, uma viagem deveria ser divertida e memorável. Bem, era isso que o rei e seu filho pensavam. Com o plano todo em mente, Taehyung pede para Yeosang contar para os seus irmãos assim que tivesse tempo. Sandara olhava para o pai e o irmão aos cochichos, mas preferiu não dar muito importância. Para a princesa, eles só sabiam conversar sobre garotas e lutas que talvez nunca iriam enfrentar na vida. Esta tinha o seu foco na princesa Lya que poderia ser a sua pretendente perfeita para se tornar a sua nova melhor amiga. O rei Park Jimin e seus dois filhos vinham atrás em silêncio, mas estavam gostando do castelo e do pequeno 'tour' com a princesa do reino Coral.

Ao chegarem em um corredor estreito, a princesa para de caminhar e se vira para que todos possam vê-la de frente:

– Muito bem, aqui será o quarto do rei Park Jimin. – a princesa apontava para uma grande porta de madeira que continha uma bandeira do reino Cobalto tecida com delicadeza, pendurada ao lado – Espero que seja de seu agrado alteza! – a princesa se curva para o rei a sua frente e este assente com a cabeça de forma respeitosa – Seus filhos, príncipe Hongjoong e princesa Park Bom, tem os quartos um de cada lado do seu! Preferimos não separar os familiares, por isso deixamos vocês no mesmo corredor desta ala. – Lya mostrava as outras duas portas nas duas extremidades dos aposentos do rei – É com grande respeito que eu lhes desejo um bom descanso. O jantar será servido após o descanso do Sol, iremos nos certificar de que os serviçais os chamarão quando der a hora! – o rei Park Jimin agradece a princesa e se direciona para o seu quarto, a princesa Bom não lhe dá muita importância e segue diretamente para o seu quarto e o príncipe Hongjoong, ainda fascinado pela princesa, demora para sair de transe mas logo pega a mão de Lya depositando um beijo demorado no qual faz a princesa ficar corada enquanto seus olhos não desviam do príncipe. Após tal ato, Hongjoong segue para o seu quarto e Lya respira aliviada. Ainda tinha que levar o reino Turquesa para os seus quartos, não podia se distrair por um jovem bonito que já não saia de sua mente.

Enquanto isso, do outro lado, a princesa Lys guiava o reino Violeta para os seus quartos. O rei Hoseok não gostava do silêncio que lhes sufocava enquanto caminhavam, então a todo momento cutucava o seu sobrinho para puxar algum assunto com a princesa, mas o jovem não sabia o que falar e muito menos se a princesa queria se pronunciar após o ocorrido. O rei Yoongi deu um alto bocejo fazendo com que todos se virassem para ele no mesmo instante, o que gerou um leve desconforto do mesmo, mas todos conseguiram escutar as palavras “me desculpe” em um tom quase nulo vindo do rei. A princesa, que estava completamente tensa, resolve acabar com o silêncio para que estes não a achassem que ela era muda ou mal educada:

– Sinto muito pela transtorno que lhes causei mais cedo. – a princesa soltou em um tom baixo, mas de cabeça erguida e costas alinhadas como aprendera a fazer com sua mãe – Mas eu lhes prometo que os seus aposentos serão ótimos e que poderão obter uma boa vista de seus quartos! – a princesa havia mencionado isso porque adorava olhar para o jardim antes de qualquer reunião ou atividade que tinha que fazer. Isso a ajudava a clarear a mente, então pensava que poderia ser uma boa informação a ser dada para os reis e para o príncipe.

– Pra onde exatamente daria esta vista minha jovem? – perguntou o rei Hoseok que andava devagar atrás da princesa. Ele gostava de conhecer pessoas novas, por isso não deixou a oportunidade de conversar e conhecê-la melhor, ir embora. Seu sobrinho lhe lançou um olhar afim de repreendê-lo, mas o rei soube o ignorar no mesmo instante. A princesa ficou feliz pelo rei ter perguntado, sentia que ele poderia gostar realmente da vista calma do jardim.

– A vista dá para o nosso jardim alteza. – Lys o respondeu com um sorriso discreto formando em sua face – Ele é repleto de camélias e fica próximo ao estábulo, então provavelmente vocês também poderão ver o treinamento dos nossos cavalos pelas manhãs! – a princesa respondia lembrando de quando podia escovar os seus cavalos prediletos, mas agora já não era possível. O rei Hoseok olhou para Yoongi com um brilho nos olhos. Iria adorar ter uma vista tão linda ao lado do seu amado. Isso poderia, de certa forma, amenizar todo o peso que eles traziam pela afronta dos Cinzas rebeldes. O príncipe San, que gostava muito de cavalos, acabou soltando uma pergunta sem ao menos se dar conta de ser respondido ou não.

– Poderíamos andar a cavalo enquanto eu estiver hospedado em seu castelo? – sua pergunta pegou todos de surpresa. Yoongi e Hoseok olharam fixamente para San e a princesa parou de andar bruscamente sem se dar o trabalho de virar o seu corpo para o príncipe. Lys não sabia como respondê-lo. Sua pergunta, ora muito direta, também havia sido muito subjetiva. “Poderíamos”. Será que o príncipe se referia apenas aos dois? Um passeio a cavalos como um casal? E se ela fosse pega com o príncipe no estábulo, o seu pai poderia lhe trancar por ter se oferecido há alguém que mal conhece? Muitas perguntas deixaram a cabeça da princesa confusa. Ela já não conseguia se mover e não conseguia parar de pensar em todas as possibilidades ruins que poderia ocorrer se ela respondesse com um simples “sim”. O príncipe não havia entendido o porque de tal comportamento, então mais uma vez, quebrou o silêncio perturbador em que eles se encontravam – Está tudo bem princesa?

– Não! Não podemos ir ao estábulo, meu pai não permitiria! – a princesa soltou estas palavras rapidamente saindo de transe, dando continuidade aos seus passos que deveriam levá-los aos seus quartos. Os reis já haviam entendido que a princesa Lys era completamente má compreendida pelo pai e que ela já havia sofrido muito por isso, então continuaram seguindo a princesa em silêncio, enquanto San ainda se questionava mentalmente.

Ao chegarem onde queriam, a princesa lhes mostrou a tão esperada vista ao jardim pelo quarto dos reis e estes lhe agradeceram com sorrisos calorentos e fortes abraços. Disseram que a princesa havia sido muito gentil na recepção e que esperavam vê-la com mais frequência. Lys se sentiu muito bem acolhida por eles. Era a primeira vez que havia visto um casal entre dois homens, mas sentiu que estes transbordavam amor e gentileza. Sabia que seriam ótimos aliados futuros e até grandes amigos. O quarto de San ficava ao lado esquerdo, a princesa o deixou lá e resolveu se retirar rapidamente para que não pudesse obter mais pensamentos impuros, mas ele não estava gostando da maneira em que a princesa estava se afastando dele, por isso decidiu segui-la sem que esta o visse.

Ao sul, o general Seokjin não obteve muito trabalho para levar o reino Anil aos seus aposentos. A rainha Hyuna e seus filhos não lhe fizeram uma única pergunta e também não interromperam quando ele estava lhes mostrando alguns lugares do palácio. Hyuna não estava com a cabeça no lugar. Ela não parava de pensar no homem magnífico que vira mais cedo, o rei Kim Namjoon. Estaria ela ficando louca ao desejar tanto um homem casado? Para ela isso pouco importava, pois sempre teve aquilo que desejava e com o rei não seria diferente. Jongho tentava se concentrar no caminho para não ficar dependendo dos serviçais a todo instante. Queria ser livre e sair para fazer pesquisas quando quisesse sem precisar pedir ajuda. Seonghwa estava tenso, pois não conseguia parar de pensar na princesa que o fitava diretamente e que havia caído da escada. Ainda não sabia o seu nome e nem o porque dela o olhar daquela maneira, mas tudo isso só havia o deixado extremamente curioso. Quando Seokjin chegou em frente aos quartos, todos se separaram e entraram batendo as suas portas com força. Seokjin soltou um “Muito obrigado pela recepção!” em um tom debochado. Era só o que ele queria ter escutado, mas pelo o que havia visto, dava pra perceber que o reino Anil ainda lhe traria muito trabalho.

Seonghwa se sentou na cama grande com lençóis de algodão e cetim. Não queria ser perturbado tão cedo já que tinha apenas duas horas de descanso. Virando o seu olhar para uma escrivaninha, o príncipe viu que ao pé dela já se encontravam as suas bagagens todas organizadas. Por mais que achasse toda essa viagem uma grande perda de tempo, tinha que aceitar que os serviços do reino Coral eram muito eficientes. O príncipe se levantou e seguiu para as suas bagagens afim de encontrar algo no qual pudesse usar para se distrair, mas ao se agachar avistou uma carta com um selo do reino Coral. Seonghwa a pegou e começou a ler a carta que possuía uma escrita formal com letras cursivas e quatro assinaturas no final:

É uma grande honra tê-lo em vosso reino. Por favor, acomode-se da melhor maneira possível e fique a vontade para pedir ajuda aos nossos serviçais caso seja necessário. Eles estão por todo o castelo com aventais no tom Coral. Caso o seu atendimento não for requerido de forma eficaz, nós iremos nos certificar de tomar as devidas providências. Atenciosamente Rei Kim Namjoon. Rainha Gayoon. Princesa Lya. Princesa Lys. – Seonghwa lia calmamente cada uma das assinaturas abaixo com letras cursivas, porém muito diferentes uma da outra. Pelo o que conseguiu decifrar, o resto da carta havia sido escrito pela rainha Gayoon, mas o que mais lhe intrigava era descobrir qual das duas princesas que não saia da sua cabeça. Lya ou Lys? Ele estava doido para descobrir. Foi então que o mais velho resolveu sair de seus aposentos a procura de um serviçal.

       [∞∞∞∞♦♦♦∞∞∞∞]

Lys andava devagar em direção a cozinha. A princesa achava que uma boa xícara de chá poderia acalmar os seus nervos. O príncipe San andava logo atrás da princesa mantendo uma boa distância para que esta não o notasse, e mesmo sendo visto pelos demais serviçais e guardas ao redor, em momento algum San fora repreendido. Lys desceu mais um lance de escadas até chegar em uma área onde só se via Cinzas trabalhadores. Faxineiras, cozinheiras, lavadeiras, costureiras e muitas outras funções de segundo nível que era oferecido aos mesmos. O rei nunca permitira que suas filhas fossem até o local, mas Lys se sentia mais “comum” no meio deles. Mesmo possuindo de vestidos finos e joias caras, a jovem princesa preferia estar com pessoas sem poderes, pois só ali poderia ser quem ela realmente gostava de ser. O príncipe não entendia o por que da jovem se encontrar em um lugar tão “diferente”. Achava que ela iria se encontrar com os seus pais ou fosse para o seu quarto, mas na verdade viu a princesa se juntar há um aglomerado de cozinheiras enquanto pegava um avental e colocava em sua cintura.

Lys gostava de preparar o próprio chá e como já havia feito amizade com a chefe da cozinha, Sra. Him, podia simplesmente entrar quando quisesse sem ser questionada por ninguém. Somente a sua irmã sabia que Lys às vezes vinha para a cozinha relaxar, pediu para a mais velha manter segredo de seus pais, pois era o único prazer que ela tinha e que eles ainda não haviam descoberto. Lya havia estranhado o que ela chamava de “prazeroso” mas não iria deixar a irmã na mão, então aceitou manter o segredo de seus pais.

O príncipe Seonghwa encontrou um dos serviçais pelos corredores e pediu para que o mesmo o levasse até a cozinha por estar com sede. O serviçal estranhou o fato do príncipe querer sair e ir até a cozinha, até o ofereceu para lhe trazer um suco ou uma água mas o príncipe já estava decidido. Queria sair e dar uma caminhada, pensava que poderia encontrar a tal princesa pelos cômodos do castelo. Não sabia direito o que estava acontecendo com ele, mas precisava encontrá-la. Não querendo ter problemas com o rei, o serviçal se curvou para o príncipe e o guiou até a área desejada.

San se escondeu entre umas prateleiras para poder vigiar Lys de longe. Ela estava com um sorriso no rosto enquanto colocava folhas dentro de uma panela que possuía água fervente. O príncipe do reino Violeta a observava e podia sentir o seu coração palpitar quando ela abria ainda mais o seu sorriso enquanto conversava com algumas cozinheiras ao seu lado. Ele estava fascinado com tamanha bondade e disposição que a jovem tinha. “Seria ela a escolhida para mim Celiatis?” o príncipe se perguntava. Quando Lys estava pra tirar a panela do fogo e despejar tudo em uma jarra, San viu o príncipe Seonghwa se aproximando sendo guiado por um dos serviçais.

Lys estava concentrada na panela que virava para que o líquido fosse despejado com cuidado, mas acaba se assuntando quando levanta o seu olhar e avista o príncipe ignorante e desinteressado. O príncipe que a havia feito escorregar da escada. Parte do chá vasa para fora da jarra e a princesa logo a põe no balcão e se vira para pegar um pano e poder limpar a mesa. Seonghwa virou o seu rosto para a direita e ao ver a princesa de avental não pode conter de dar uma risada baixa e abafada. A jovem pode escutá-lo muito bem, mas preferiu não lhe dar ouvidos:

– Quer dizer então que agora princesas trabalham para a realeza? – Seonghwa perguntou ironicamente enquanto se aproximava da mesa que Lys se apressava para limpar com um pano gasto. Ela não queria respondê-lo e acreditava que se não desse corda o príncipe iria embora sem contar nada para ninguém. – É falta de educação não responder as pessoas sabia? – o príncipe levantava a sua voz afim de fazer com que a princesa o escutasse desta vez, mas ele logo se deu conta de que ela o ignorava propositalmente. Sem querer dar muita importância, Seonghwa chamou uma cozinheira com um gesto de mão e lhe pediu água. A cozinheira se curvou e desapareceu em meio as outras, mas voltou rapidamente com uma taça de água para o príncipe. Ele pegou a taça e começou a beber a água devagar enquanto olhava a princesa trabalhar. Lys, que já havia seco toda a mesa, se dirigiu há um balde com água para poder limpar o pano. Ela se agachou, mergulhou o tecido gasto e depois o levantou para torcer. Fez isso umas duas ou três vezes depois se levantou e ficou parada em frente a torneira, de costas para o príncipe a espera que este fosse embora. – Eu não vou sair daqui! – disse Seonghwa fazendo com que a princesa se virasse para ele bruscamente. – Quero falar com você! Posso?

– Não. Não pode! – Lys finalmente deu passos em direção ao príncipe. Ela não queria que ele a incomodasse, mas lembrou que estava no seu castelo. Castelo de sua família. Sendo assim, o príncipe deveria obedecê-la. Pelo menos era isso que ela pensava. Lys parou em frente ao príncipe e arqueou uma sobrancelha para mesmo. – Por favor, retire-se desta cozinha. Aqui não é lugar para hóspedes. – ela disse friamente enquanto podia ver Seonghwa abrir um largo sorriso. Sem entender, Lys levou as suas mãos a cintura para poder parecer maior em sua frente. O príncipe parecia se divertir ao vê-la daquela forma, mas de repente algo prende a sua atenção atrás de Lys fazendo com que ele olhasse fixamente sobre o ombro da princesa. Lys, estranhando a direção do olhar do mais velho a sua frente, vira o seu corpo e se depara com o jovem, alto e loiro entre as prateleiras da cozinha. – príncipe San?

Choi San, agora sendo revelado, sai devagar do meio das prateleiras com as suas bochechas vermelhas e coração acelerado. Não era assim que o jovem queria se encontrar com a princesa, ainda mais acompanhado de um outro príncipe. “O que será que ele quer com Lys?” pensava enquanto se distanciava das prateleiras para seguir em direção aos dois mais a frente. Lys estava ainda mais nervosa do que o habitual. Havia o príncipe Violeta a seguido até a cozinha? Mas porquê? Ela não podia ter se dado ao luxo de ter tomado tamanho descuido mais uma vez. Se sua mãe ou seu pai visse que haviam dois hóspedes na área da cozinha, certamente trancariam a princesa em uma masmorra por décadas.

– O que faz aqui Violeta? – perguntara príncipe Seonghwa chamando a atenção da princesa. Ele não deveria estar fazendo esta pergunta e sim ela, mas o príncipe não se importou com a sua inconveniência. – Por acaso está seguindo a princesa?

– Pare Seonghwa! – Lys levanta a sua voz para o príncipe Anil e este a encara  de forma estranha. Se perguntava como a princesa poderia conhecê-lo se eles ainda não havia sido diretamente apresentados, mas Lys conseguiu ler os seus olhos e prosseguiu rapidamente. – Estudamos as fichas de todos os quatro reinos, então sim... – ela se virou para olhar diretamente nos olhos de San – Eu sei os seus nomes, poderes e outros dados. – San cortou a princesa dando um passo para ficar frente a frente com Seonghwa. Queria responder o príncipe afrontoso.

– Sim, eu a segui pois queria falar diretamente com a princesa. – San continuava se aproximando para ficar ainda mais perto de Seonghwa. Não havia gostado do tom do príncipe e podemos dizer que ele também não havia gostado nada do tom de San. – E você? O que faz aqui?

– Não é da sua conta seu...

– Parem por favor! – Lys tentava separar os dois, mas ambos possuíam corpos muito fortes e pesados. Eles estavam prestes a entrar em uma discussão sem fundamento nenhum e a princesa não estava gostando nada disso. Os serviçais foram se dissipando, deixando o espaço amplo com medo de uma possível briga que envolvessem os seus poderes. Seonghwa era mais alto que San, então olhando fixamente para os olhos do mais baixo, o príncipe dá um empurrão com força fazendo com que o loiro batesse as suas costas em uma mesa. – San! – a princesa correu em direção ao loiro, mas o príncipe a dispensou e se ergueu rapidamente.

Com os olhos cheios de ódio, San avançou levantando os seus braços e lançou uma forte ventania fazendo várias panelas e pires caírem no chão. Seonghwa acabou escorregando e caindo, batendo as suas costas sobre o chão de mármore. Lys estava vendo os serviçais assustados sem ter para onde ir ficando cada vez mais preocupada. Em questão de segundos seus pais saberiam do ocorrido e todos estariam encrencados. Seonghwa se levantou enquanto bufava e encarava o ‘príncipe ventania'. Olhando no fundo de seus olhos, começou a controlar a mente de San, deixando seus braços e pernas imóveis. Quando o príncipe Violeta estava prestes a tentar fazer um outro movimento com as mãos para dar o seu próximo ataque, a princesa decide se colocar entre os príncipes e agir o mais rápido possível para dar um fim a tudo isso:

– EU DISSE PRA PARAR! – gritando e assustando a todos, Lys juntas todas as suas forças levantado os seus braços com as mãos abertas fazendo os príncipes levitarem em pleno ar. Seonghwa e San olhavam pra baixo assustados e gritaram juntos a pedido da princesa descer os seus corpos, mas Lys não parecia querer parar. A princesa do reino Coral continuava os levantando até mantê-los a, pelo menos, dois metros e meio do chão. – ESTE É O MEU CASTELO E EU NÃO TOLERO INTRIGAS INFANTIS DE REINOS VIZINHOS! – sua voz parecia ecoar como trovoadas em meio um dia chuvoso. Os dois príncipes estavam completamente fascinados pela tamanha força e poder da jovem abaixo, mas esta começou a sentir os seus braços e pernas cederem pelo esforço, então começou a descer os príncipes lentamente. – Agora saíam desta cozinha e eu pouparei de contar ao meu pai o que fizeram! – uma ótima alternativa da princesa. Deste modo eles teriam que ficar calados de qualquer maneira e ela ainda manteria o seu segredo, mesmo que agora ele fosse muito arriscado. Quando os príncipes sentiram os seus pés tocarem o solo, ficaram imóveis e ainda tentavam recuperar o ar pelos gritos que deram a pedidos de descer. Lys se atirou de joelhos no chão e vários serviçais vieram ao seu encontro para poder assegurar de que ela estaria bem. San e Seonghwa a olhavam perplexos e preocupados, iam se aproximando para ver como ela estava mas a princesa os fez parar com um gesto de sua mão esquerda. – Saíam daqui agora! – ela falou baixo e os príncipes pareciam não ter mexido um único músculo de seu corpo. Perdendo a sua paciência, a princesa levantou o rosto para encará-los e gritou assuntando a todos novamente. – SAÍAM! – este foi o ápice. Os príncipes tremeram e se retiraram da cozinha rapidamente, um para cada lado. Fechando os seus olhos e respirando aliviada enfim, a princesa Lys procurava se acalmar. Uma das cozinheiras havia pego uma cadeira, outros serviçais a ajudavam a se sentar e lhe traziam um pouco d'água. Lys tomou tudo em um único gole enquanto tentava processar o que havia ocorrido. – O que está acontecendo?


Notas Finais


AGORA SURTEM COMIGO!
O QUE FOI O ATEEZ NO MAMA????
PERFEIÇÃO DIVINAAA!
MINGI SEM CAMISA ;---------;
VIEWS EM ATEEZ... GO GO!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...